Vous êtes sur la page 1sur 4

Prisioneiro da vontade do Senhor Jesus.

Essa semana, estivemos com uma pessoa, que em função de seus sonhos particulares e
individuais, decidiu abandonar a família, filhos e cônjuge. Dissemos que aquela não era
a vontade do Senhor para ela, mas ela insistiu dizendo de que não estava interessada em
fazer a vontade de Deus.
Nas últimas semanas tenho clamado ao Senhor:
Senhor me leve cativo, Me torne prisioneiro da sua vontade. quanto tenho desejado isso,
é claramente bíblico isso, Na verdade, o apostólico Paulo ora para que Deus o aprisione.
Isso significa orar pedindo que Ele faça de nós o Seu prisioneiro. Paulo freqüentemente
se refere a si mesmo como "prisioneiro de Cristo Jesus" (Efésios 3:1). Em Ef. 4:1, ele
diz que ser prisioneiro do Senhor é na verdade a sua vocação, o seu chamado! Ele
considerava isso um dom da graça de Deus a ele. Ele escreve a Timóteo:"Não te
envergonhes do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro seu" (2
Tim.1:8).
Mesmo já em idade avançada Paulo se alegrava em ter sido tomado pelo Senhor e se
tornado cativo à vontade Dele: (Filemon 9). "Sendo o que sou, Paulo, o velho e, agora,
até prisioneiro de Cristo Jesus" Paulo deve ter testemunhado centenas de vezes como o
senhor Jesus o havia aprisionado como foi ter sido levado pela mão guiado até a cidade
de Damasco, tornando-se um prisioneiro frágil. Paulo Passou três dias isolado num
quarto, sem ver e sem comer nada. Ele havia sido tomado cativo inteiramente, em
espírito, alma, mente e corpo! O quê aconteceu nesse quarto de prisão por três dias? O
Senhor estava fazendo de Saulo, o Paulo prisioneiro de Jesus Cristo! Foi necessário
apenas três dias para Paulo deixar de vez a sua independência e submete-se ao jugo de
Cristo Jesus. Ele então estende as mãos a Senhor para ser aprisionado para o resto da
sua vida! Muitos homens e mulheres de Deus por todas as escrituras compreenderam o
significado de se estar aprisionado ao Senhor. Davi disse o seguinte em relação a Deus:
"Tu me cercas por trás e por diante e sobre mim pões a tua mão" (Salmo 139:5). Se eu
subir aos céus, ou se tentar ter asas para voar, àaté lá a Sua mão estará comigo" (Salmo
139: 7-13). Isaías profetizou, "Porque eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão
direita, e te digo: Não temas, que eu te ajudo" (Isaías 41:13).
Ninguém Entendeu o Ser prisioneiro da vontade de Jesus Mais do que Pedro !
Pedro teve um incrível encontro com Jesus ressurreto, aliás Jesus profetizou a
necessidade do apóstolo submeter se a esse "aprisionamento". João 21:18 "Em verdade,
em verdade te digo que, quando eras mais moço, tu te cingias a ti mesmo e andavas por
onde querias; quando, porém, fores velho, estenderás a mão, e outro te cingirá e te
levará para onde não queres" aqui Alguns imaginam que o Senhor estava revelando a
Pedro que este iria passar seus últimos dias em debilidade, quase cego, sendo arrastado
contra a sua vontade. Mas João deixa claro no ver. 19, "Disse isso para significar com
que gênero de morte Pedro havia de glorificar a Deus". Nas epístolas de Pedro,
encontramos o apóstolo em idade avançada ainda fervendo com o fogo do Espírito
Santo, ele combatia a apostasia, expunha os falsos profetas, pregava a palavra de Deus
com ousadia. Esse homem já de idade podia ser qualquer coisa, menos alguém sendo
conduzido contra a sua vontade, ou de alguém com algum sinal de desgaste mental.
Pedro escreve, "Certo de que estou prestes a deixar o meu tabernáculo, como
efetivamente nosso Senhor Jesus Cristo me revelou" (2 Pe. 1:14). Ele sabia que morreria
logo mas vejam bem as suas ousadas declarações: 2 Pe 1:13 "Também considero justo,
enquanto estou neste tabernáculo, despertar-vos com essas lembranças". Ele não parava
de falar da palavra expondo os demônios, o pecado, o amor ao mundo cheio de poder e
autoridade no Espírito Santo. Não há dúvida, nessa passagem de João, Jesus estava
contando a Pedro como ele iria morrer. Mas Cristo estava dizendo muito mais que isso;
Ele estava falando de um processo espiritual! Na verdade, Jesus estava profetizando não
apenas a Pedro, mas a todos nós que afirmamos amar o Senhor de verdade. Eis para o
quê, Jesus está chamando a todos nós:
1. Amor Real Por Jesus Precisa Resultar na Morte de Toda nossa Independência.
De toda nossa Vontade Própria
Pedro verdadeiramente amava o Senhor Jesus. Jesus tinha três vezes olhado nos seus
olhos e perguntado, "Pedro Você Me ama? O discípulo sabia que Jesus podia ler a
intimidade dos pensamentos e mesmo assim pôde responder honestamente, "Senhor, tu
sabes tudo; tu sabes que eu te amo" (João 21:17). Pedro não apenas amava o Senhor
com carinho, ele provavelmente era mais zeloso em seu amor do que qualquer um dos
outros discípulos. Ele sempre era o primeiro a pular do barco para encontrar o Senhor,
ainda assim, apesar de seu grande amor e zelo pelo Senhor, Pedro ainda era um homem
cheio do espírito de independência. Logicamente Pedro estava já separado do mundo
era um homem arrependido, lamentando seus pecados passados, amando o senhor e
pronto para morrer por Ele. Mas mesmo nessa fase, ninguém iria dizer a ele o quê
fazer! A sua vontade independente ainda não havia sido quebrada! Pedro exsudava
confiança e competência, era auto suficiente, acostumado a agir só, a ser a palavra final,
não era dependente nem do Senhor nem ninguém. Ele provavelmente sentia que o
Senhor precisava dele tanto quanto ele precisava do Senhor! Pedro era do tipo: ouvirei o
que você tem a dizer. Não sou uma pessoa fechada. Mas em seguir, sai e faz as coisas
do jeito dele! Era do tipo de planejar e agir por si, jamais admitia a si a necessidade da
ajuda dos outros. Era um homem que tinha se feito sozinho, e estava sempre no
controle. O mundo ama e valoriza um homem assim. As pessoas que se fazem por si só
são admiradas, pessoas auto confiantes que promovem abalos, propõem mudanças,
pensam independentemente e fazem tudo à sua maneira! Mas no reino de Deus, esse
tipo de independência é um sinal certo de que tal pessoa não foi à cruz para mortificar a
sua carne. Pedro ainda não havia morrido! E não se pode ser aprisionado a Cristo
enquanto esse espírito independente não for expulso de nosso coração, enquanto
voluntariamente não estendermos nossas mãos em plena submissão ao Senhor Jesus!
Jesus ouviu repetidas vezes o testemunho do amor de Pedro por Ele.Contudo não
reconhecia isso publicamente. Jesus estava expondo o interior de Pedro, na verdade
Jesus estava dizendo a ele: "Pedro, desde a juventude, você se acostumou a fazer o que
queria, à hora que quisesse. Você fez a sua vontade, no seu tempo. Essa é a sua
natureza. "Tu te cingias a ti mesmo e andavas por onde querias..." (João 21:18) Mesmo
estando claro que Pedro amava Jesus que O defenderia com sua vida, choraria por Ele,
e viria correndo ao som da Sua voz , ainda assim, ele não era o prisioneiro do Senhor!
Ele permanecia sendo ele próprio, cumprindo a sua vontade servindo Jesus à sua
maneira! Nessa frase de João 21:3. Podemos Ver o seu espírito de independência num
rompante muito característico: "Vou pescar" Jesus já havia chamado Pedro para pescar,
mas para pescar homens! Houve um dia em que Pedro deixou suas redes, abandonou
seu barco e sua carreira de pescador e seguiu Jesus para pescar almas. O Senhor tinha
até mesmo soprado nele o Espírito Santo! Mesmo assim Pedro queria ir pescar à sua
maneira, não à maneira de Jesus. Vemos aqui que é possível se ter uma revelação do
Cristo ressurreto, de se estar apaixonado por Ele, estar cheio do Espírito Santo e ainda
assim não ser Seu prisioneiro, ainda não estar por inteiro preso ao Senhor Jesus!
Quando um espírito independente nos governa, nós vamos colocar os programas e as
bênçãos de Deus acima do próprio Deus. O emprego, a carreira, a família, mesmo o
ministério com o qual temos sido abençoados, é secundário. E quando tudo isso passa a
ser o nosso foco acabamos indo pescar mas não à maneira de Deus!
Todos Queremos um Último Arrastão Antes de Sermos aprisionados !
A linguagem de independência não é simplesmente, "Vou pescar". Antes, é algo
profundo que cochicha dentro do nosso coração, eu quero só mais um arrastão bem
grande!". Pedro estava saindo para conseguir mais do quê apenas uns tantos peixes.
Caso quisesse apenas relaxar, ele poderia ter pegado uma vara e algumas minhocas
entrar pela água e jogar a linha. Mas não, ele queria o seu velho bote, a sua tripulação e
as antigas redes. Ele buscava algo mais. Ele tinha de dar uma última jogada cumprir sua
última vontade plena! Aí então ele sairia totalmente do sistema, e estaria capacitado
para seguir inteiro a Jesus. Pedro e seus companheiros pescadores, não passaram sequer
uma hora nas ruas da praia pregando a ressurreição de Jesus Cristo. Pelo contrário, eles
trabalharam a noite toda dentro do barco, suando, na esperança daquele último e
grande arrastão. Presumivelmente Pedro tinha uma família grande. E ele poderia estar
pensando, "Se eu pegar muitos peixes, ficarei livre". Muitos que tem um chamado de
Deus, não querem depender de ninguém, muitos pensam: Vou fazer o suficiente para
não ser dependente de pessoas ou da igreja para o meu sustento. Quero ficar livre para ir
a qualquer lugar e dar todo o meu tempo para o Senhor". O resultado final é que muitos
que agem assim, quase não conseguem voltar, nunca temos o suficiente. O nosso zelo
acaba se tornando o nosso vício. A Igreja tem perdido muitos irmãos até líderes que
ficaram cansados de ser dependentes do Senhor, muitos saem em busca de um último e
grande arrastão - mas poucos conseguem voltar!
Naquela Noite Pedro e os Demais Não Pegaram Nada!
Jesus, ali na praia, sabia o quê estava no coração de Pedro. Ele diz: "Lançai a rede à
direita do barco e achareis" (Jo. 21:6). O Senhor iria deixar Pedro ter aquele último
arrastão, mas também o iria tornar infeliz nesse processo! Na verdade, Pedro iria fugir
disso tudo. Pedro não reconheceu Jesus na praia. O fato de as redes começarem a ficar
pesadas, chamou tanto a sua atenção, e ele ficou tão agitado, que só conseguia pensar
assim, "Conseguimos! Esse é o tal arrastão!". Mas o amado João estava ali no barco e
ele ficou convencido, pela própria benção em si, Ele sabia Quem estava por traz. Ele
cochichou para Pedro, "Irmão, isso é o Senhor em ação. Ele está querendo nos dizer
algo com tudo isso.Essa bênção é um teste. As escrituras dizem, "Aquele discípulo a
quem Jesus amava disse a Pedro: É o Senhor!" (Jo. 21:7). Pedro olhou para baixo e viu
a água quase fervendo com os peixes que se debatiam, era o maior arrastão de sua vida!
mas algo tocou o seu coração. Ele se lembrou do chamado de Jesus. "Eu lhe tornarei
Meu pescador. Pescarás homens para Mim! Venha - Siga-Me!". e ai ele largou a rede.
Subitamente Pedro viu a futilidade de tudo isso. nem mil arrastões gigantescos iriam
jamais satisfazê-lo, Ele nunca mais iria conseguir outra vez preencher, ao seu modo,
neste mundo. Certamente , Bem lá no fundo, Pedro ouviu o chamado de Jesus outra
vez, e deve ter dito para si, "nunca mais me permitirei ser um prisioneiro dessa rede,
desse barco. Desse velho hábito. Quero me tornar um prisioneiro do Senhor
Jesus! Quero ser um pescador de homens!". "Simão Pedro, ouvindo que era o Senhor,
cingiu-se com sua veste...e lançou-se ao mar" (Jo. 21:7). Fico muito feliz por Jesus
haver abençoado Pedro com aquele último arrastão, isso porque o teste para o amor real
por Cristo, não é que a gente simplesmente volta após tentar e falhar, pelo contrário, é
que você pára em meio à sua maior oportunidade, e se torna um prisioneiro de Jesus
Cristo! Pecadores nos barcos que estavam perto, teriam chamado Pedro de louco:
"Pedro, você pode agarrar tudo isso! Essa é a tua chance na vida. Você conseguiu. É
loucura sair bem agora que chegou a sua hora de acertar a sua vida. Mas Pedro nadou
até Jesus, pensando apenas nas palavras do Senhor, "Que me aproveitará ganhar o
mundo inteiro...” Quando todos chegaram à praia, Jesus mandou Pedro ajudá-los a
recolher os peixes. O Senhor ficou observando o discípulo ajudando a contar: 153 dos
grandes! Haveria ainda alguma última coisa mordendo o coração de Pedro nessa
hora? Jesus olhou para ele e perguntou: "Simão, filho de João,
amas-me mais do que estes outros?" (Jo. 21:15), não queria o Senhor dizer, todo aqueles
peixes que havia pegado?. Essa é a questão que todos temos que enfrentar. É claro que
você ama a Jesus, Mas a pergunta é: nós O amamos mais do que... Mais do que o maior
dos arrastões da nossa vida - aquele pelo qual esperávamos a vida toda? Mais do que ao
dinheiro? Mais do que ao sucesso? Mais do que ao reconhecimento e à honra? Mais do
que à todos os bens que possuímos? estamos pronto para pular do barco como Pedro,
correr para Jesus e abandonar o nosso espírito independente? Veja, Pedro está prestes a
se tornar prisioneiro da vontade soberana do nosso Senhor Jesus Cristo. Se não
estivermos aprisionados a Jesus, quando os nossos próprios propósitos cruzarem com os
propósitos do Senhor, nossos interesses estarão sempre em primeiro lugar! Jesus estava
dizendo a Pedro nesse verso, "Quero lhe mostrar para onde serás conduzido, agora que
você abriu mão de sua independência. com o passar dos dias e amadurecendo, você
andará comigo com suas mãos estendidas. E Eu o cingirei, isto é, equipararei, ou seja,
lhe prepararei para a ação. Você será o Meu prisioneiro, e cumprirá a Minha vontade,
deixando que Eu o guie, até mesmo para onde tu não queiras ir! ". "Estenda as suas
mãos, Pedro. Você diz que Me ama? Então seja Meu prisioneiro. Vou levá-lo e guiá-
lo!". Veja, Jesus sabia que, no coração, Pedro não iria querer ir aos gentios; ele não iria
querer ir à casa de Cornélio. Mas ele aprende a estender as mãos, aceitar ser guiado
pelo Espírito Santo! Após algum tempo ele efetivamente foi à casa de Cornélio -
guiado pelo Espírito, e levou Cristo aos gentios! "Outro...te levará!" (Jo. 21:18). O
Senhor o levará! Ele irá se apoderar de você, lhe vestirá Sua armadura e o levará a
lugares e pessoas que você nunca imaginou ser possível! Se você pode honestamente
dizer de dentro do coração: "Sim, amo Jesus mais do que qualquer coisa, mais do que a
minha própria vida" – então estenda as suas mãos! Submeta-se ao aprisionamento do
Senhor, diga ao Senhor: Senhor Me torne um prisioneiro da Tua vontade. Eu perco o
direito minha independência.
quero confessar algo aos irmãos, estou cansado de oferecer desculpas ao senhor.
Eu quero estar no centro da sua vontade. Que o Senhor nos ajude.