Vous êtes sur la page 1sur 27

Revista

Aeronáutica
ISSN 0486-6274 Número 303
2019
Expediente
PRESIDENTE Cruzex 2018 Baixe um leitor de QR code
Maj Brig Ar Marco Antonio em seu celular, fotografe
Carballo Perez o código ao lado e você
poderá ler, fazer download
1º Vice-Presidente Abr. a Jun. 2019 ou compar t ilhar es t a
Cel Av Paulo Roberto Miranda revista pela internet.
Machado
2º Vice-Presidente
Brig Ar Paulo Roberto de Oliveira
Pereira

www.caer.org.br revista@caer.org.br ISSN 0 4 8 6 - 6 2 74

SUPERINTENDÊNCIAS Sede Central


Sede Central
Cel Av Pedro Bittencourt de Almeida
Sede Barra
Praça Marechal Âncora, 15
Rio de Janeiro - RJ - CEP 20021-200
• Tel.: (21) 2210-3212
Sumário
Brig Ar Paulo Roberto de Oliveira Pereira 3ª a 6ª feira de 8h às 12h e 13h às 17h 4 MENSAGEM DO PRESIDENTE 29 O NESTOR VIVE E É REAL
Maj Brig Ar Marco Antonio Carballo Perez Washington Luiz Mendes de Paula
Sede Barra Administrador e Economista
Rua Raquel de Queiroz, s/nº
CONSELHO DELIBERATIVO 6 NOTÍCIAS DO CAER
Presidente - Ten Brig Ar Paulo Roberto Cardoso Vilarinho Rio de Janeiro - RJ - CEP 22793-710
A Redação 30 VENEZUELA
• Tel.: (21) 3325-2681 RISCO CALCULADO?
CONSELHO FISCAL
Gen Ex Luiz Gonzaga Schroeder Lessa
Presidente - Maj Brig Int Manoel José Manhães Ferreira 4ª a domingo de 9h às 17h30
8 O INSTIGANTE PROCESSO
DE PRODUÇÃO INDUSTRIAL
COMISSÃO INTERCLUBES MILITARES
Assessores Clube de Aeronáutica ATRAVÉS DOS TEMPOS 32 POR QUE UMA SECRETARIA
SEDE CENTRAL
Manuel Cambeses Júnior
DA FAMÍLIA?
Maj Brig Ar Venancio Grossi Angela Vidal Gandra da Silva Martins
Diretor Cultural Cel Av (In memoriam)
Cel Av Araken Hipolito da Costa Jurista
Cel Av Araken Hipolito da Costa Cel Av Ajauri Barros de Melo

Diretor Social, Tecnologia da Informação e Hotel


Contato pelo tel.: (21) 2220-3691 10 FILOSOFIA E DIREITO: 34 A DERROTA DAS
Cel Av Ajauri Barros de Melo
UM DIÁLOGO NECESSÁRIO BANDEIRAS VERMELHAS
REVISTA DO CLUBE DE AERONÁUTICA PARA A JUSTIÇA Percival Puggina
Diretor Administrativo e Chefe Secretaria Geral Tel.: (21) 2220-3691 Ives Gandra da Silva Martins Escritor
Cel Av Théo Salgado Falcão Jurista
Diretor e Editor
Cel Av Araken Hipolito da Costa 36 TRANSPORTE INTERMODAL
Diretor Beneficente
Cap Adm Ivan Alves Moreira
13 STALIN DOMÉSTICO DE PASSAGEIROS
Conselho Editorial Reis Friede UMA SOLUÇÃO
Desembargador Federal
Diretor Jurídico Ten Brig Ar Marco Aurélio Mendes Sérgio Leal da Costa
Dr. Francisco Rodrigues da Fonseca Maj Brig Ar Marco Antonio Carballo Perez Cel Int

Assessores Cel Av Renato Paiva Lamounier 14 GUERRA HÍBRIDA


Financeiro e Patrimonial - Cel Int Genibaldo Bezerra de Cel Av Araken Hipolito da Costa Reis Friede 40 A ESCOLA DE COMANDO
Oliveira
Desembargador Federal E O ESTADO-MAIOR
Assessor Secretaria Geral- Cap Adm Ivan Alves Moreira
DO EXÉRCITO
Produção Editorial e Design Gráfico 16 DESAGRAVO AO DUQUE DE CAXIAS, Ives Gandra da Silva Martins
Rosana Guter Nogueira PATRONO DO EXÉRCITO BRASILEIRO Jurista
SEDE BARRA Produção Gráfica DESINFORMAÇÃO, UMA ARMA
Luiz Ludgerio Pereira da Silva DA GUERRA DE 5ª GERAÇÃO 42 PROEZAS DO SA-16 ALBATROZ
Diretor Desportivo Ten Brig Ar Masao Kawanami
Antonio Ferreira Sobrinho
Brig Ar Paulo Roberto de Oliveira Pereira Revisão Cel Ex
Diretor Aerodesportivo,Técnico e Operações Ten Cel QFO Dirce Silva Brízida 44 TCHÊ, O PILOTO
Cel Av Romeu Camargo Brasileiro Administrativo 19 INSTINTO DE NACIONALIDADE Maj Brig Ar Washington
Machado de Assis Carlos de C. Machado
Assessores Gabriela da Hora Rangel
Social - Brig Ar Carlos José Rodrigues de Alencastro
Administrativo e de Pessoal - Cel Av Luiz dos Reis Domingues 46 ENVELHECIMENTO
Financeiro - Cel Int Carlos Eduardo Costa Mattos As opiniões emitidas em entrevistas e em matérias 24 AS MISSÕES SUBSIDIÁRIAS CARDIOVASCULAR
assinadas estarão sujeitas a cortes, no todo ou em parte, E A DEFESA NACIONAL Maj Brig Méd Ricardo Luiz de G. Germano
Infraestrutura - Ten Cel Av Alfredo José Crivelli Neto
a critério do Conselho Editorial. As matérias são de inteira V Alte Marcílio Boavista da Cunha
SEDE LACUSTRE
responsabilidade de seus autores, não representando,
necessariamente, a opinião da revista. As matérias não
Maj Brig Ar Washington C. de 48 PEIXE? NUNCA MAIS!
Campos Machado Ten Brig Ar Sergio Pedro Bambini
Assessor - Cap Esp Met José Renato do Nascimento serão devolvidas, mesmo que não publicadas.
CLUBE DE AERONÁUTICA
MENSAGEM DO PRESIDENTE
Prezados sócios civis e militares,

C
hegamos à metade do consistente. Infelizmente, porém, tes artigos de várias e renomadas signe oficial, como membro do muito de tê-lo tido como um
ano e, com isso, à edição ainda contamos com uma minoria personalidades, da Força Aérea Corpo Permanente da Escola assíduo colaborador nosso.
do segundo trimestre de barulhenta, totalmente desprovi- e de fora dela, todos eles plenos Superior de Guerra, quando lá Que o espírito do Cel Cam-
nossa Revista Aeronáutica. da de ideais e patriotismo, que, de ricos conhecimentos para os estive cursando o CAEPEM, nos beses continue nos iluminando
Esperávamos chegar nessa de forma egoísta e intransigente, nossos leitores. Nesse sentido, idos de 2001. Era uma pessoa na missão de bem conduzir esse
altura do ano com os ânimos já teima em manter os remos para- gostaríamos de destacar a im- marcante e simpática. Bem fa- Informativo do nosso Clube de
apaziguados, após uma acalorada dos na água, tentando dificultar portância de um grande e antigo lante, belas palestras, ótimos Aeronáutica! Assim seja!
eleição, com a situação da Nação o deslocamento à frente, do colaborador de nossa Revista: textos! Sempre foi assim, até o Tenham todos, uma boa leitura.
bastante melhorada e com todos nosso país. Pobres de espírito! o já saudoso Cel Av Manoel momento de nos deixar, neste
os brasileiros remando juntos na Amargurarão o fracasso... Cambeses Júnior. ano. O Conselho Editorial da Maj Brig Ar Marco Antonio
direção de um desenvolvimento Nesta edição, temos excelen- Lembro-me bem desse in- Revista Aeronáutica se orgulha Carballo Perez

4 5
j

j
HOMENAGEM NOTÍCIAS do CAER
IPA REALIZA SEMINÁRIO NO CAER Da esq. para a dir., Ten Cel Adersonylton Sales

NOVA FASE PARA A PSICOLOGIA NA FORÇA AÉREA BRASILEIRA Coutinho - Cmt do CPAEX, Dr. Fábian Rueda,
Ten Cel Bruno Pedra e o Cap Frag Givanildo
Agostinho da Silva - da SSPM

A s pessoas são subjetivas e a psi-


cologia pode contribuir para que
processos seletivos para cargos públicos
ao perfil do cargo, pois isto irá refletir
a escolha dos instrumentos a serem
utilizados.
No dia 12 de abril, o Seminário
trouxe, por meio de videoconferência, a
Professora Dra. Cristiane Faiad de Moura,
FAB SE DESPEDE se tornem mais eficazes e objetivos. Esse
foi o mote do Seminário que aconteceu
Em ação inédita de aproximação
bilateral – segundo o Conselheiro Dr.
membro do Laboratório de Pesquisa
em Avaliação e Medida (LabPAM) da
DE EX-MINISTRO nos dias 3 e 12 de abril, organizado pelo Fábian – o IPA inaugurou um ciclo muito Universidade de Brasília (UnB). Sua
DA AERONÁUTICA Instituto de Psicologia da Aeronáutica
(IPA), no Clube de Aeronáutica do Rio de
útil para a sociedade. Curtos seminários,
com palestras e debates programados
apresentação apontou para os desafios
entre o que é ideal e o possível no
O Ten Brig Ar Sócrates da Costa Monteiro
faleceu no dia 30 de abril, no Rio de Janeiro
(RJ). O velório foi realizado no Hangar do
Janeiro (CAER-RJ), e que contou com a
participação de psicólogos do Serviço
para acontecer durante todo o ano de
2019, têm o objetivo de levantar dados
âmbito das avaliações psicológicas em
concursos públicos. Para tanto, exibiu as
Departamento de Controle do Espaço Aéreo de Seleção para Militares da Marinha do e informações para atualizar e preparar fases de planejamento e execução deste
(DECEA), e o enterro no Pantheon dos Aviadores. Brasil (SSPM) e do Centro de Psicologia os psicólogos do IPA para a nova fase. processo, enfatizando o aspecto global
A cerimônia contou com honras militares,
do Exército Brasileiro (CPAEx). “Nossa intenção é desenvolver um teste da avaliação, que deve considerar “o perfil
salva de tiros e entrega do Pavilhão Nacional à
viúva do militar, Marília de Freitas Monteiro. Além
O primeiro dia do evento teve como psicológico customizado e informatizado profissiográfico, ou o estudo científico do
de amigos e familiares do ex-Ministro, a despe- palestrante o Psicólogo Doutor Fábian para a Força Aérea Brasileira (FAB) e, com cargo, o qual não pode ser centrado em
dida contou com a presença do Comandante da Javier Rueda, conselheiro da 17ª Gestão isso, esperamos indicar pessoas interes- um único teste psicológico”.
Aeronáutica, Ten Brig Ar Antonio Carlos Moretti e da Comissão Consultiva em Avaliação sadas e propensas ao bom desempenho Em continuidade às ativida- Dr Anderson Pereira
Bermudez; de ex-Comandantes da Aeronáutica; Psicológica, do Conselho Federal de das atividades aeronáuticas e militar”, des do Seminário, o IPA recebeu o dos Santos recebe
membros do Alto-Comando e Oficiais-Generais o diploma da
Psicologia (CFP). Dr. Fábian Rueda é informou o Ten Cel Aviador Bruno Pedra, Doutor Anderson Pereira dos Santos. 1º Ten Lívia
da ativa e da reserva.
O ex-Ministro Sócrates comandou a FAB de
também o coordenador do Sistema Diretor Interino do IPA. O Delegado é Coordenador de
março de 1990 a outubro de 1992. Nasceu em de Avaliação de Testes Psicológicos Segundo a Chefe da Divisão de Recrutamento e Seleção da Diretoria
26 de março de 1930 no Rio de Janeiro (RJ), (SATEPSI) do CFP e baseou-se na Pesquisa do IPA, 1º Tenente Psicóloga de Gestão de Pessoal do Departamento
então Capital Federal, e ingressou na Escola de Resolução 09/2018 para discorrer Lívia, o médio prazo estabelecido para de Polícia Federal (PF), e abordou
Aeronáutica como cadete em 1948. Formou-se sobre os aspectos éticos da Avaliação o projeto se dá em razão das validações os aspectos jurídicos das seleções.
oficial aviador em dezembro de 1951 e atingiu
Psicológica e seu impacto nos proces- dos instrumentos de testagem psicoló- Dr. Anderson centrou-se nas fragilidades
o generalato em julho de 1980, quando foi
promovido a Brigadeiro do Ar.
sos seletivos da FAB. Após ensinar as gica, que precisam conjugar um correto e jurisprudências relacionadas ao tema,
Participantes
Em 2018, recebeu sua última homenagem facilidades do Sistema, explicou como a perfil profissiográfico – perfil definido apontando a publicidade dos testes
reunidos no
da FAB, a Medalha Eduardo Gomes - Aplicação não observância dos pareceres de testes pela Instituição militar para cargos e utilizados como o principal desafio. Para deque do Clube
e Estudo, entregue pelo então Comandante, divulgados no SATEPSI pode causar funções – com o adequado arcabouço o Delegado, “é fundamental esforços de Aeronáutica
Ten Brig Ar Nivaldo Luiz Rossato. A honraria foi anulação de uma avaliação psicológica teórico comprovado em amostras da unidos dos institutos de psicologia das
concedida pela primeira colocação no Curso
e de todo um certame. Fábian também sociedade brasileira. “A pluralidade Forças Armadas, como instituições
Superior de Comando – hoje equivalente ao
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Bueno

Curso de Comando e Estado-Maior (CCEM) – em


destacou que “a avaliação psicológica é cultural do nosso país constitui um de grande credibilidade, no intuito de
1976. um processo amplo que não se restringe desafio por si só, mas o nosso plano é conscientizar as esferas jurídicas sobre
Durante o velório, o Ten Brig Bermudez ao uso de testes psicológicos, que deve desenvolver parcerias com Universidades a importância da seleção psicológica
falou sobre a trajetória do Ten Brig Sócrates conter fontes complementares de dados e Laboratórios de Psicologia em todo nestes cer tames, o que garante o
à frente da instituição. “Neste momento que a e levar em consideração a adequação o Brasil, pois pretende-se encerrar o ingresso de pessoas mentalmente e
FAB despede-se de um de seus mais brilhantes

Fotos: CB Marcos Neves


das técnicas e instrumentos ao objetivo ano com um projeto que aponte onde e emocionalmente aptas para o exercício
oficiais-generais, temos a singular oportunidade
de aprendermos com a experiência e buscarmos
da mesma”. Segundo ele, uma avaliação como conseguir as informações neces- de suas funções”. Desta forma, não ape-
inspiração na história de vida do Ten Brig psicológica, para uma seleção pública, sárias, que tragam, ao mesmo tempo, nas os militares, mas toda a sociedade
Sócrates”, disse o Comandante da Aeronáutica, deve ter claramente definidos os aspetos credibilidade e celeridade ao processo seria beneficiada pela eficácia dessas
ao lembrar os 44 anos de carreira do ex-Ministro. cognitivos e de personalidade adequados de seleção”, completa a Psicóloga Lívia. seleções.
6 7
j

j
O INSTIGANTE PROCESSO D
uas grandes revoluções ligadas mão de obra resultasse mais barata para a analistas financeiros, contadores e demais
à produção industrial ocorreram elaboração de cada tarefa específica. funcionários administrativos de custos
no transcorrer do século X X. A É importante enfatizar que quando se mais econômicos, ou seja, são encetadas
primeira delas foi idealizada pelo engenheiro traslada o exemplo anterior – referente à medidas administrativas com o objetivo de

DE PRODUÇÃO INDUSTRIAL
norte-americano Frederick Winslow Taylor produção de geladeiras – para a fabricação atender às demandas de cada empresa,
(1856-1915), que, em trabalho publicado em de aviões, os problemas se ampliam expo- buscando obter, no cenário internacional,
1913, lançou os princípios delineadores e as nencialmente. Nesse sofisticado processo funcionários que atendam ao binômio nível

ATRAVÉS DOS TEMPOS


bases da organização científica do trabalho. industrial são empregadas milhares de pe- de qualificação e menores custos para cada
A partir daí, o industrial estadunidense ças que compõem os complexos sistemas função específica.
Henry Ford (1863-1947), acolhendo os de uma aeronave, elaboradas por fábricas Diante deste quadro podemos inferir
métodos elaborados por Frederick Taylor, altamente especializadas e conceituadas no que para uma típica multinacional é im-
em sua magistral obra, na fabricação de ramo aeronáutico, e que envolvem, por sua portante manter uma busca constante de
Manuel Cambeses Júnior
Cel Av
automóveis, passou a implementar uma vasta diversificação e alta especialização, executivos e operários no amplo leque de
Membro emérito do Instituto de Geografia e História Militar do Brasil, conselheiro do Instituto nova forma de trabalho em que o operário diversos países ao redor do mundo. Esse opções existentes em países já consagra-
Histórico-Cultural da Aeronáutica e conferencista especial da Escola Superior de Guerra. passou a ser empregado em função instigante processo, evidentemente, se dos como habituais fornecedores de massa
In memoriam meramente repetitiva e pontual, dentro de projeta sobre os mais diversos setores da crítica e mão de obra especializada. China,
uma imensa linha de produção totalmente economia manufatureira, em nível mundial. Tailândia, Indonésia, Índia, Singapura,
mecanizada. Evidentemente, que este sofisticado Malásia e Vietnã constituem significativos
Com a adoção desse novo modelo processo produtivo demanda uma intrinca- exemplos desta atual sistemática.
deixou-se de utilizar a tradicional siste- da e complexa cadeia logística, consistindo É importante destacar a tendência pre-
mática na fabricação individual de cada em um verdadeiro quebra-cabeças elevado valecente não só de externalizar trabalhos de
automóvel e, desta forma, se conseguiu à enésima potência, somente praticável e manufatura e serviços a outros países, mas
diminuir consideravelmente o tempo e factível graças aos notáveis avanços das também contratar, de outras companhias,
o custo de manufatura envolvidos no tecnologias de comunicações e informa- grande parte dos processos e responsabilida-
processo industrial por unidade. ções, ademais de sofisticados programas des que a empresa desenvolve diretamente.
Uma vez demonstrada a eficácia do de computação e infraestrutura, de modo Em outras palavras, as funções fabris ou
criativo processo, esta novel metodologia a tornar exequível o sistema de transportes de serviços não serão necessariamente
rapidamente se generalizou no conjunto de por meio de excepcional logística portuária realizadas pelas próprias multinacionais,
processos produtivos de escala industrial. e aeroportuária. podendo ser repassadas a terceiros.
De um lado ao outro do mundo, a sequencial Por outro lado, os pontos finais de mon- Em razão deste novo processo de
linha de montagem se converteria em tagem para cada produto são selecionados produção industrial as grandes corporações
sinônimo de alta produtividade. em função de considerações que viabilizem desvencilham-se, em grande parte, dos
A segunda revolução industrial surgiu o processo industrial, tais como: custo custos que envolvem encargos sociais
a partir da década dos noventa do século da mão de obra, capacidade de volume devidos aos operários e passam a manter
passado, com o surgimento das denomina- manejável, qualidade da infraestrutura do uma busca constante, em todos os rincões
das cadeias de produção. Este interessante país, e, em alguns casos, a proximidade do planeta, de companhias capacitadas a
processo produtivo se caracteriza por com os principais mercados. absorver significativas parcelas de deter-
uma super especialização da linha de Adentrando no século XXI, ocorreu minado setor produtivo.
montagem, a ponto de conduzi-la ao seu a terceira grande revolução produtiva Finalmente, fechando o círculo desta
desmembramento. Tomemos por exemplo industrial com a integração, em nível global, nova e curiosa sistemática, as grandes
a fabricação de uma geladeira, em que de manufaturas e serviços. Isto implicou corporações passaram a se preocupar,
o motor é produzido por determinada em radical mudança de comportamento, fundamentalmente, em resguardar, com ex-
fábrica, o compressor e os componentes do passando das tradicionais cadeias de abas- tremado zelo, suas marcas e patentes que,
sistema termoelétrico em várias empresas tecimento – centradas nas manufaturas – às em realidade, representam seus valores
especializadas etc. chamadas cadeias globais de valor. fundamentais e lhe garantem sobrevida no
Se a primeira revolução levada a efeito Embasada neste novel modelo a empre- competitivo, e nem sempre ético, universo
por Frederick Taylor transformava o operário sa já não se satisfaz em procurar operários empresarial.
em um verdadeiro robô humano, a segun- de menor custo para cada processo fabril, O que diriam Frederick Taylor e Henry
da, idealizada por Henry Ford, buscava mas também busca contratar engenheiros, Ford deste atual e complexo cenário
encontrar esse robô em algum país onde a programadores, desenhistas, projetistas, produtivo industrial, em nível mundial? n
8 9
j

j
FILOSOFIA E DIREITO: UM DIÁLOGO NECESSÁRIO PARA A JUSTIÇA bém a superioridade romana na cristalização
no Direito de todo esse conhecimento.
Quero, todavia, neste breve artigo,
fixar-me, fundamentalmente, em quatro
diálogos de Platão relacionados ao Direito,
que me parecem essenciais para entender
a influência maior que o pensamento grego
exerceu sobre Roma, e, principalmente,
as lições de filosofia, de cidadania e de
respeito às leis, neles demonstrado.
Trata-se de, perfunctoriamente, lem-
brar quatro discursos relacionados ao
julgamento de Sócrates, que o levou à
morte, de autoria de Platão (Eutífron,
Apologia, Críton e Fédon).
Estou convencido de que, após as
lições da tríade maior da filosofia grega,
toda a produção posterior foi periférica,
visto que os grandes temas já tinham sido
abordados pelos três mestres maiores da
busca da sabedoria e da verdade.
Guillermo Fraile, na sua monumental
História da Filosofia, editada em 10 volumes
pela BAC da Espanha, apresenta o resumo
das teorias e doutrinas de mais de quinhen-
tos filósofos greco-romanos de expressão.
Desde os tempos dos pré-socráticos
até à decadência do Império Romano do
Ocidente, eles refletiram sobre a principal
das ciências humanas, aquela que perscru-
ta as verdadeiras riquezas da natureza do
homem e sua inserção na ordem universal.
Todos eles, sem exceção, escreveram obras
Ives Gandra da Silva Martins É que a Filosofia permite conhecer, no medida que o homem ganhou consciência À evidência, tal despertar conformou cos, escritos ou não, que conformaram, de porte. Os pré-socráticos, Sócrates,
Jurista plano não metafísico, mas existencial, os maior da vida social e do progresso próprio a história da Humanidade, pois, de rigor, principalmente, o Ocidente, à luz dos Platão e Aristóteles, e toda a plêiade de
Advogado e professor emérito da Universidade caminhos que tornam um ser humano dis- que a inteligência foi abrindo para o aperfei- passou a ser a história da vida social dos ensinamentos dos três filósofos (Sócrates, pensadores que os seguiu, procuraram,
Mackenzie, da Escola de Comando e Estado-Maior
do Exército e da Escola Superior de Guerra. tinto de qualquer outro ente vivo no planeta, çoamento de suas relações, impactaram, povos, por meio do direito costumeiro e Platão e Aristóteles). alguns, inovar a sua teoria (epicurismo e
igm@gandramartins.adv.br em que a inteligência, unida ao espírito ou de forma tosca, os primeiros aglomerados não escrito no início, e tomando pouco O próprio Império Romano somente ceticismo), outros, compatibilizá-la com
à alma, permite ao homem perscrutar os tribais, sendo gradativamente trabalhados a pouco forma, com as leis anteriores a ganha a sua dimensão valorativa do Direito, as religiões, como, por exemplo, Fílon, em

E
m meu livro O Estado, à luz da seus últimos fins, formulando teorias que, por primitivos pensadores, principalmente Hamurabi, como de Lipit-Ishtar, Ur­Nammu, como instrumento de conquista, por força relação ao judaísmo, e Plotino, na busca de
História, da Filosofia e do Direito por melhores que se apresentem, esbarram após a transformação da escrita em Shulgi e outros. da indiscutível influência que o pensamento preservação da religião romana, em face
(Editora Noeses, 2016) procurei na limitação própria de nossa inteligência forma de veiculação do pensamento, num É, todavia, a partir dos pré-socráticos grego exerceu em todas as áreas do conhe- do cristianismo. Todos eles, entretanto,
mostrar a estreita relação entre a Filosofia, e na apertada conexão entre o ser que longo crescimento, que tem seus pontos gregos e da tríade admirável do período cimento em Roma, sobretudo, na política. O procuraram adaptar-se aos conhecimentos
o Direito e a História, estando as três conhece e o objeto conhecido (relação de partida nas cavernas de Lascaux e áureo ateniense, que a Filosofia molda o livro clássico de Fustel de Coulanges sobre pertinentes ao século em que viveram.
ciências sociais em intensa relação para ontognoseológica). de Altamira e nas pinturas rupestres do Direito, redirecionando os costumes para Grécia e Roma mostra a similitude dos dois É notável verificar as lições de Sócrates.
explicar a aventura humana sobre a Terra. Os fundamentos filosóficos, todavia, à Nordeste brasileiro. a estabilidade dos ordenamentos jurídi- países, inclusive nos deuses, mas revela tam- Acredita-se que suas ideias foram pouco
10 11
j

j
modificadas, na exegese platônica, visto democracia, quem mostrasse ambição e A lição de Sócrates sobre essa oposi-

STALIN
STALIN
que somente as conhecemos por força interesse pelo poder era automaticamente ção permanente entre o indivíduo, na luta
dos diálogos de Platão. Percebe-se nelas afastado de qualquer disputa, pois estaria por suas aspirações maiores, e o Estado,
evolução de postura, principalmente na pensando mais em si do que no povo. que, segundo Helmut Kuhn, não constitui
concepção dos grandes temas de reflexão Em Eutífron, ao aconselhar um amigo senão uma simples estrutura do poder, é
– os deuses, o homem, a alma e a lei – e seu a submeter-se ao julgamento, acre- tão atual quanto o foi, à época, e o será, Reis Friede
nos quatro diálogos-chave, que desventram ditando nas leis da cidade, que sempre no futuro, até ao fim dos tempos. Desembargador Federal, Professor Emérito da Escola de Comando e Estado-Maior
o choque entre o indivíduo e a ordem da respeitara, Sócrates procura mostrar que Em Críton, com um argumento imba- do Exército (ECEME) e Diretor do Centro Cultural da Justiça Federal (CCJF)

cidade, da lei e da eternidade. Como grande a justiça decorre da certeza de que os que tível, o filósofo não acata as sugestões de reisfriede@hotmail.com

parte da minha reflexão jurídica recaiu a dirigem são capazes de preservar cada fuga que os discípulos lhe propõem e que

E
m 2015, ao se completar 70 anos realizou ao arrepio de uma mínima consi- condenar veementemente estes sombrios
sempre sobre o choque permanente entre o cidadão, assim como de dirigir a cidade, os julgadores tolerariam: que pensariam
do fim da Segunda Guerra Mundial, deração para com os milhares de vítimas capítulos da História), conscientizando as
indivíduo e o Estado – seja na primeira das mantendo uma relação de equilíbrio e seus discípulos, que sempre o tinham
restou, como sempre, oportuno do stalinismo, uma homenagem ao atuais e futuras gerações, tornando tais
trilogias (O Estado de Direito e o Direito do estabilidade que permita realçar os valores ouvido falar no respeito à lei da cidade,
relembrar as barbáries perpetradas pela sanguinário líder soviético para lembrar, fatos vivos, na memória coletiva, para que
Estado, O Poder e A nova Classe ociosa), da comunidade. vendo-o desrespeitá-la, fugindo ao seu
aventura doentia e insana de Adolf Hitler, em 2015, os 70 anos do fim da Segunda jamais possam vir a se repetir.
seja na segunda (Uma Visão do Mundo Por essa razão, tendo a opção de não cumprimento, ou seja, à pena de morte?
durante as décadas de 1930 e 1940, o que, Guerra Mundial. O grupo colou um A História, não obstante conferir
Contemporâneo, A Era das Contradições) e, se submeter ao julgamento de sua polis, Para dar o exemplo a seus discípulos e
aliás, jamais pode, sob qualquer ótica, adesivo em que se lia Avenida Marechal várias leituras e diferentes interpreta-
mais recentemente, nos três breves estudos quanto à falsa acusação de ministrar à a todos os que sofressem perseguições
ser esquecido, independentemente do Josef Stalin sobre a placa do logradouro ções, não pode, todavia, ser falseada
(Uma breve Teoria do Poder, Uma breve juventude corrosivos ensinamentos, futuras, declara aceitar a morte, que,
transcurso temporal cada vez maior entre da Rua Santa Luzia, tradicional via do quanto aos comprovados fatos ocor-
Teoria sobre o Constitucionalismo e Uma bastando para isso dirigir-se a qualquer como termina por concluir em Fédon, é
os dias atuais e aquela emblemática fase Centro da cidade próxima das avenidas ridos, sendo cer to, neste diapasão
breve Introdução ao Direito), compreende- outra cidade-estado, que o acolheria com o que mais o ser humano deve desejar,
histórica da Humanidade. Churchill e Franklin Roosevelt, estes sim analítico, completo absurdo que ainda
-se minha particular preferência pelos quatro as honras que seu talento merecia, preferiu pois é a libertação da prisão corporal
Mais uma vez, porém, ficou claro, em vencedores da Segunda Guerra Mundial, possam existir pessoas – mormente jo-
diálogos sequenciais, em que Sócrates, o mostrar o profundo respeito que tinha, para a eternidade. De rigor, mostra que,
face dos acontecimentos daquele ano, que em prol dos ideais da democracia liberal vens estudantes e acadêmicos dos mais
protagonista, prevê o seu futuro julgamento, como cidadão, às leis de sua cidade, es- na passagem pela Terra, nada somos
poucos se recordam das igualmente indi- e, portanto, verdadeiros merecedores elevados graus – que imaginam continuar
aceitando-o (Eutífron). Defende-se com perando que a justiça prevalecesse. E sua e iludimo-nos quando pensamos deter
gitáveis atrocidades cometidas por Josef desta honraria. a viver nos tempos da Guerra Fria (1947-
argumentos irrefutáveis, mas que não defesa, na Apologia, é devastadora, não qualquer forma de poder real. Isso porque
Stalin, fato lamentavelmente constatado Tal homenagem, a que par te da 1991), lutando, por exemplo, contra
foram considerados. Tendo sido condenado deixando qualquer acusação sem resposta. todo poder é transitório, visto que somos
pela homenagem que, alguns brasileiros, imprensa, à época, rotulou como uma uma suposta dominação imperialista da
(Apologia), nega-se a fugir, quando instado Sua condenação, entretanto, não todos condenados à morte, uns nela vendo
ousaram rogar a este ditador, responsável brincadeira, apenas demonstra a absoluta América Latina pelos Estados Unidos.
a fazê-lo por seus discípulos, mesmo sendo difere daquela com a qual os detentores a libertação pela vida que levaram, e outros
pela morte de mais de 20 milhões de seres (e imperdoável) falta de conhecimento Esses indivíduos que, ao que tudo
sua fuga desejada por seus injustos julgado- do poder afastam os indivíduos capazes a temendo por não terem vivido uma vida
humanos, agraciando-o com o nome de histórico da maior parte do nosso povo indica, ainda não viraram a página
res (Críton). Faz, então, considerações sobre de lhes mostrar – como na velha fábula do digna de merecer a eternidade.
um logradouro público na cidade do Rio (em especial, de nossa juventude), bem (ou sequer mudaram o calendário do
sua morte, no cárcere, definindo-a como rei da roupa invisível – a intriga, a adulação Nos dias que correm, essas per-
de Janeiro. como da ausência de uma consciência de século passado), devem urgentemente se
uma abertura para a eternidade e libertação e a mentira. Persiste, ao longo da História, manentes oposições, entre o indivíduo
O georgiano Stalin, que cultivava responsabilidade maior sobre os destinos atualizar (estudando, inclusive com o uso
da prisão humana (Fédon). uma concepção de Estado segundo a qual e o poder, entre a justiça e a lei feita
o culto da personalidade como arma da Humanidade. da farta documentação da antiga URSS
O choque entre o indivíduo pleno, os sociais e politicamente inconvenientes pelos governantes – mais em benefício
ideológica, foi o responsável pela fome Isso não quer dizer que se possa, que se tornou pública recentemente)
consciente de seus direitos e de sua razão, devem ser eliminados. deles próprios do que no do povo, como
de caráter genocidário durante o início de nenhuma forma, diminuir a sinérgica para perceber que o mundo atualmente
e o Estado – cujo poder, na maior parte Quando Carl Schmitt, em sua teoria afirmava Hart – entre o bem e o mal, entre
dos anos 1930, e, especificamente no condenação às barbáries cometidas por tem vários tons de cinza, entre o branco
das vezes, é conquistado por oportunistas das oposições, declara que a arte opõe o temporário e o eterno, encontramos a
ano de 1934, na Ucrânia (Holodomor Adolf Hitler, que exterminou quase sete e o preto. Eles deveriam somar seu
despreparados, que o ambicionam para o belo ao feio; a moral, o bem ao mal; a luz exclusiva da reflexão filosófica, graças
ou Holocausto Ucraniano), bem como milhões de seres humanos (entre os quais, âmago combativo na luta que realmente
utilizá-lo em proveito próprio, e não para economia, o útil ao inútil; e que a política à pena de Platão e às lições duradouras
pela deportação em massa de grupos números ao redor de seis milhões de importa no momento: a luta pela defesa
servir ao povo – fica nitidamente retratado, opõe o amigo ao inimigo, não faz senão de Sócrates, que influenciaram todas as
minoritários para campos de trabalhos judeus, 220.000 ciganos e 15.000 homos- (intransigente) dos direitos humanos, que
nos quatro diálogos, como uma lição relembrar as lições maquiavélicas de que é gerações de juristas e pensadores.
forçados na Sibéria ou, alternativamente, sexuais) sem qualquer justificativa (se é andam tão ameaçados por novos desafios,
futura para ser aprendida por políticos e bom o governante, mesmo que mau, se não São essas algumas considerações que
para alguma das repúblicas soviéticas que é possível forjar qualquer justificativa como o radicalismo religioso (fundamen-
governantes, no dia em que se dispuserem perder o poder, e mau o governante, mes- faço sobre a íntima relação entre a Filosofia
asiáticas, embrião dos vários problemas plausível para se matar seres humanos), talismo), seja ele de cunho judaico-cristão
a servir, mais do que a serem servidos. mo que bom, se o perder. Por essa razão, e o Direito neste brevíssimo estudo para
étnicos hoje enfrentados naquela vasta mas revela, por seu turno, que o mesmo ou islâmico, algo que começa seriamente
Arthur Clark, notável escritor de ficção em todos os períodos da História, em todos a Jornada Ulbra de Filosofia do Direito,
região do globo. tratamento deve ser conferido a Stalin, que a despontar como o principal problema
científica, equiparado em sua época a Isaac os espaços geográficos, nas democracias, relembrando velhas lições daquele mestre
Entretanto, mesmo com todo esse massacrou 20 milhões de pessoas (e não a ser enfrentado neste século, a exemplo
Asimov, idealizou em um de seus contos as campanhas para conquistar o poder e de seus dois sucessores, trindade esta
histórico terrível, um movimento es- se trata aqui de uma macabra competição da criação do famigerado Estado Islâmico,
um corpo sideral, em que uma civilização objetivam apenas destruir a imagem do até hoje insuperada na Filosofia. Quanto
querdista na cidade do Rio de Janeiro de quem matou, por simples crueldade, no con tex to que se convencionou
somente era governada por aqueles que adversário, e, nas ditaduras, a própria vida mais os leio, mais me convenço, não
denominado As Brigadas Populares mais seres humanos, mas, sobretudo, de denominar de Novas Guerras n
não desejassem governá-la. Naquela e a liberdade dos que se opõem. somente insuperados, mas insuperáveis n
12 13
j

j
moderno. E isto, apesar de ter sido concebido

GUERRA HÍBRIDA
(FREDERICO ARANHA; Guerra Híbrida: Breve A própria OTAN se encarregou de elaborar
Ensaio, Defesanet, Brasília, 30 abr. 2015. uma definição (específica) para a Guerra no contexto de uma das mais mortíferas guer-
Disponível em:<www.defesanet.com.br/ Híbrida, registrando a expressão em um ras de atrito já enfrentadas pela Humanidade.
doutrina/noticia/18978/GUERRA-HIBRIDA- contexto concepcional evolutivo, inerente à Do ponto de vista de quem opera no espectro
%E2%80%93-Breve-Ensaio-/>. Acesso em: própria dialética da ciência polemológica no tático, um conflito de baixa intensidade pode
22/09/2017). particular sentido da ampliação de seu voca- ser tão letal quanto qualquer outro.
Resta evidente que a combinação dessas bulário, sem, no entanto, registrar tratar-se, Esta comparação, sobretudo, é ainda
diferentes características (meios ortodoxos necessariamente, de uma nova modalidade superficial: se as dificuldades táticas podem
e heterodoxos combativos e outros tantos de conflito, permitindo, muito acertadamente, ser mais ou menos graves, elas pouco dizem
contrapontos bélicos) – a que se conven- a conclusão no sentido de configurar-se em sobre questões subjacentes de natureza
cionou chamar de Guerra Híbrida – muito uma nova faceta concernente à natureza de política que podem rapidamente fazer com
provavelmente, já foi constatada em situações determinados tipos de guerra já consagrados que um conflito com um número relativo
pretéritas de guerra, nas quais, à época, nem pela polemologia. de baixas se transforme em um verdadeiro
se cogitou formular novas conceituações e Uma “ameaça híbrida” é aquela oferecida sumidouro de combates. Baixa intensidade é
definições para interpretar os eventos então por qualquer adversário atual ou potencial, um adjetivo eufemístico que incorre no perigo
enfrentados. Contudo, tal fato, ainda que incluindo estatais, não-estatais e terroristas, de subestimar a gravidade e a complexidade
verdadeiro (em sua essência), não retira a com capacidade, seja ela comprovada ou de uma crise. A ideia de Low Intensity Conflict
atual necessidade classificatória, sobretudo provável, de empregar simultaneamente meios cai por terra: empregar o conceito é interpretar
se entendermos que esta modalidade (nova convencionais e não convencionais de maneira conflitos por seu contexto tático, e não a partir
ou recauchutada) passou a ostentar uma adaptável, na busca de seus objetivos. (NATO de considerações sobre suas origens históri-
importância (em termos de ocorrências e Military Working Group – Strategic Planning & cas, geográficas, étnicas, culturais, sociais e
de maior precisão modelar) que jamais foi Concepts, fev. 2010). econômicas – enfim, políticas.
experimentada no passado. Ainda assim, restam absolutamente Como explica a própria conceituação
Uma das maneiras em que podemos en- salutares, para uma maior reflexão sobre de proponentes da Guerra Híbrida, esta é
Reis Friede familiarizado com as reflexões de Clausewitz embora não se trate propriamente de um acon- tender a “Guerra Híbrida” é como aceitar, “pri- a temática epigrafada, as considerações primordialmente o recurso dos beligerantes
Desembargador Federal sobre os conflitos bélicos. tecimento novo (e inédito), existem conflitos de ma facie”, esta mistura diversificada de tipos (adicionais) de Cesar Campiani Maximiano que apresentam maior grau de efetividade
Professor Emérito da ECEME Em tempos de novas classificações, baixa intensidade que se tornaram, a partir do de guerra que, em termos de WITTGENSTEIN, (Guerra Híbrida Não Existe: A História Prova, A militar (conceito aprimorado dos anos 80
e Professor Honoris Causa da ECEMAR conceitos e qualificações, elaborados sobre os advento das armas de destruição em massa se sobrepõem e se cruzam. A “Guerra Híbrida”, Defesa Naval, n. 835, Rio de Janeiro, BIBLIEx, por Millet e Murray, que expressa uma das
reisfriede@hotmail.com futuros tipos de guerra a serem enfrentados, (notadamente os artefatos termonucleares), então, pode consistir, de forma seletiva e às 1º quad. 2018, p. 4-9), no sentido da (eventual) mais válidas contribuições para o debate
quase sempre de validade duvidosa, prosse- muito mais comuns no contexto geopolítico vezes simultânea, em perseguir (ou evitar) pouca utilidade dos novos termos e conceitos sobre estratégia). Recordando a explanação

S
egundo ensinamen tos de Cesar gue o autor, resta concluir que as diversas atual, impondo a utilização de sua concepção todas e quaisquer possíveis formas de guerra polemológicos, em especial a caracterização oferecida pelos proponentes da Guerra Híbrida,
Campiani Maximiano (Guerra Híbrida campanhas contemporâneas (com suas conceitual de forma muito diferente do passa- em todo o espectro do conflito. assertiva de uma Guerra Híbrida. somente as nações altamente industrializadas
Não Existe: A História Prova, A Defesa correspondentes gramáticas) permanecem do, quando esta modalidade de guerra (ou, em Dado o escopo abrangente da ‘Guerra A literatura sobre guerra e estratégia tem e desenvolvidas seriam capazes de se valer da
Nacional, n. 835, Rio de Janeiro, BIBLIEx, solidamente servindo de referência para estu- termos mais técnicos, natureza conflitual) era Híbrida’, os recursos de um grande estado- contato com poucos textos esclarecedores economicidade de recursos que possibilitem
1º quad. 2018, p. 4-9), a ideia de “guerra do para uma variedade enorme de situações muito menos verificada e, portanto, conhecida -nação industrializado seriam uma condição desde a elaboração dos grandes clássicos do operar em tão diferentes espectros. Se nos for
híbrida” é uma das mais recentes “falácias” complexas e dificuldades enfrentadas que e estudada. necessária para travar o mencionado confron- século XIX. O simples teste de perguntar “esta permitido converter essa ideia de alta indus-
que polui o pensamento militar da atualidade. não tiveram precedentes, o que costuma ser Nesse particular, apesar de todas as to bélico, e isto distingue claramente a “Guerra nova definição é útil?, ela realmente ajuda?” trialização para um conceito mais consistente
Trata-se de mais um arremedo explicativo o caso em cada nova guerra. efetivas e potenciais críticas, é ponderável o Híbrida” da “Guerra Irregular”, partidária, ou pode salutarmente ser aplicado a cada nova como o da efetividade militar, podemos ima-
para quem criou o péssimo hábito intelectual Todavia – em sentido diametralmente emprego da expressão Guerra Híbrida (ainda não convencional no sentido estrito. Apenas as discussão emergente sobre as mudanças e ginar o seu suprassumo no seu desempenho
de interpretar guerras pelos contextos táticos oposto – é cediço reconhecer que, pela própria que sem a precisa posição enciclopédica entidades não-estatais mais bem-sucedidas possíveis inovações que os analistas, a cada Aliado dos anos finais de 1944 e 1945, durante
e, quando muito, operacionais. Surgida no dinâmica evolutiva da polemologia, cada de tipo ou modalidade de guerra, mas sim, e bem financiadas poderiam aspirar à gama geração, declaram ser capazes de observar a Segunda Guerra Mundial. Efetividade militar
seio de algumas análises da Organização vez mais doutrinadores – mesmo a par da alternativamente, como designativa da natu- de operações implícitas na “Guerra Híbrida”, nas guerras. O fato é que, comumente, é simplesmente a capacidade de transformar
do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), a comprovadaW existência de alguns exageros reza intrínseca do conflito associado) para e, na medida em que uma das características inúmeras conceituações estreantes não só recursos em poder de combate.
proposição nem mesmo é consenso naquela quanto à inauguração de novas classificações, posicionar doutrinariamente determinadas essenciais nesta modalidade conflitual é a não ajudam (como, ao reverso) confundem. A par de todas essas considerações,
força, tendo suscitado refutação sólida o conceitos e qualificações – têm defendido, expressões conflituais contemporâneas utilização coordenada das forças regulares Em seu capítulo no livro Rethinking the Nature apresenta-se mais ponderável a posição
suficiente para que seja, no mínimo, anali- em contraposição crítica, a utilização de inéditas (ou, no mínimo, que se tornaram mais e irregulares, a entidade não-estatal sem of War, M.R.L. Smith foi capaz de expressar que – reconhecida a existência dos embates
sada com mais seriedade, e, na melhor das terminologias específicas que, distante de comuns nos dias atuais), fazendo-se mais forças regulares não estaria, por definição, calmamente a inutilidade de algumas delas, híbridos como um fenômeno não propriamente
hipóteses, abandonada de vez. (<www. buscar confundir a doutrina militar, objetivam precisa a gramática polemológica. em posição de combater a “Guerra Híbrida”. como a de LIC (Low Intensity Conflict). Mesmo inovador, mas cer tamente mais comum
nato.int /docu/review/2015/Also-in-2015/ prover maior clareza terminológica para velhos Pode-se cogitar (pela existência) de (Entendendo a Guerra Híbrida: Uma Análise em uma situação de combate supostamente de (em termos de ocorrência), notadamente
hybrid-modern-future-warfare-russia-ukraine/ e novos fenômenos observados nos conflitos um conflito no qual os atores, estatais e Explicativa, Traz a Definição de Guerra, Não- baixa intensidade, em um grupo de combate no presente século XXI – o classifica como
EN/>). Consoante seu ponto de vista, que contemporâneos, notadamente os ocorridos não-estatais, exploraram todos os modos de Guerra e Tipos de Guerra; Dinâmica Global, 31 (GC) moderno age e opera da mesma maneira inerente à natureza do conflito, removendo-o
também é acompanhado por diversos outros no espectro temporal do pós-Segunda Guerra guerra simultaneamente, empregando armas ago. 2016. Disponível em: <//dinamicaglobal. que seus precursores no início do século XX. da categoria, mais ampla, de nova modalidade
estudiosos da polemologia, a própria História Mundial, concebendo maior (e imprescindível) convencionais avançadas, táticas irregulares, wordpress.com/2016/08/31entendendo-a- De fato, um GC organizado e treinado nos de guerra, conforme registrado inclusive
Militar recente já se faz suficiente para afastar precisão vocabular. tecnologias agressivas, terrorismo e crimina- -guerra-hibrida-uma-analise-explicativa-tras- padrões da Primeira Guerra Mundial seria em alguns documentos oficiais da OTAN e,
esta ideia, que posa de pretensa mudança na A título de exemplo, não há qualquer lidade, visando desestabilizar a ordem vigente: -a-definicao-de-guerra-nao-guerra-paz-e- perfeitamente capaz de entender situações em parte, na doutrina das Forças Armadas
natureza da guerra, mormente para quem está dúvida (minimamente razoável) de que, é o que se denomina por “Guerra Híbrida”. -tipos-de-guerra/> Acesso em 22/09/2017). táticas contemporâneas e atuar no combate estadunidenses n
14 15
j

j
Antonio Ferreira Sobrinho
Cel Ex
Chefe da Seção de Pesquisas Históricas do Centro de Estudos e Pesquisas de História Militar do Exército
Brasileiro (CEPHiMEx). Possui Graduação em Ciências Militares na Academia Militar das Agulhas Negras
(AMAN), 1971. Mestrado em Aplicações Militares na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EsAO), 1982.
Doutorado em Aplicações, Planejamento e Estudos Militares na Escola de Comando e
Estado-Maior do Exército (ECEME), 1986 e Pós-Graduação Lato Sensu em História Militar na Universidade
Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRlO), 2008. É membro efetivo da Federação de Academias
de História Militar Terrestre do Brasil (FAHIMTB), da Asociación Cultural Mandu’ Ara do Paraguai
e sócio emérito do Instituto de Geografia e História Militar do Brasil (IGHMB).

DESAGRAVO AO DUQUE DE CAXIAS,


PATRONO DO EXÉRCITO BRASILEIRO
Desinformação, uma arma da guerra de 5ª geração
N
o segundo dia de desfiles no carioca, é o autor do texto representado no brasileiros pobres do Império, devia
Sambódromo do Rio, a Mangueira carro alegórico do desfile, onde o Duque de se chamar “Passa e Fica a Dor”. Para
foi para a avenida com um en- Caxias aparece pisando sobre cadáveres, Caxias e os poderosos do Império,
redo fantasioso e falacioso1 sobre numa cena de guerra. No Facebook, ele pacificar era calar pobres, negros e
personagens da nossa História pátria relata a sua intenção de forma muito clara índios, garantindo a tranquilidade da
(História pra ninar gente grande), com e contundente: Casa Grande. Foi assim com balaios
o claro objetivo de fazer uma narrativa Por detrás do retrato emoldurado de e quilombolas mortos no Maranhão
de “páginas ausentes” da História do Duque de Caxias, tem mesmo muito (1838-1841), com os lanceiros negros
Brasil, revisando narrativas oficiais que sangue retinto e pisado. É a história massacrados na Farroupilha gaúcha
foram ensinadas ao longo de gerações que a História não conta, que tive a (1835-1845) e com negros e indígenas
para os brasileiros. 2 honra de poder partilhar não só com mortos na Guerra do Paraguai (1864-
O carnavalesco da escola de samba uma sala de aula, mas com uma 1870). Sua estratégia era simples:
Estação Primeira de Mangueira, Leandro avenida inteira. O texto que escrevi para as elites, negociação; para os
Vieira, responsável pelo enredo, o consi- tornou-se, honrosamente, parte de trabalhadores, bala de canhão. Não
dera (...) um recado político para o país um dos carros alegóricos da Estação era paz que ele levava. Paz sem voz,
todo, que tem que entender que isso aqui Primeira de Mangueira. Que tenhamos é medo.
é importante (...). Basta verificar o seu perfil coragem de desafiar, dentro e fora da
nas redes sociais, para descobrirmos que, Marquês de Sapucaí, a historiografia Valho-me da mesma indignação, ema-
a par da sua formação artística, estão sem- que esconde o genocídio do nosso nada pelo respeitado Círculo Monárquico
pre presentes as suas principais influências povo. do Rio de Janeiro, ao sofrer ataque
culturais: Caetano Veloso, Jean Willys, Luís Alves de Lima e Silva, o Duque semelhante, neste fatídico desfile, à excelsa
Bethânia, Chico Buarque, Lecy Brandão, e de Caxias, foi um general conservador figura da Princesa Isabel.
outros da chamada esquerda caviar. com muito poder no século XIX. Aqui estamos para externar o nosso
O Vereador Tarcísio Motta, professor Patrono do Exército Brasileiro, ganhou mais profundo repúdio a esse enredo
de História do Colégio Pedro lI, membro o título de “0 Pacificador”, por liderar da escola de samba da Mangueira, que
da Comissão de Educação e Cultura da tropas em diversas revoltas e guerras retrata a imagem do Patrono do Exército
Câmara Municipal e presidente do PSOL na América Latina. Mas, para os de forma distorcida, desrespeitosa,
16 17
j

j
INSTINTO DE NACIONALIDADE
e sem o menor compromisso com a aflorou, sobejamente, o sentimento (consigne-se que o marcial apelo
verdade histórica. Sua concepção (...) de generosidade do “Pacificador”. do Comandante-em-chefe era tão-
nasceu de uma mente doentia e obtusa, Ele concedeu a liberdade aos escravos somente anímico, ao sentimento de
desconhecedora da cultura e da História farroupilhas, incorporando os que brasilidade, posto que apenas tropas
de seu próprio país. Reconhecemos nesse assim desejassem ao Exército Imperial, brasileiras participaram da batalha). Texto-Fonte:
episódio, um ato desesperado advindo e tratou com extrema bondade os Obra Completa de Machado de Assis,
daqueles que desejam que o Brasil fique derrotados, sendo escolhido, pelos O Carnaval, caracterizado outrora Rio de Janeiro: Nova Aguilar, v. III, 1994.
eternamente agrilhoado nas algemas da próprios gaúchos, para Presidente como uma festa de grande alegria e Publicado originalmente em
miséria intelectual.3 da Província e por eles indicado civilizada expansão comportamental, vem O Novo Mundo, 24/3/1873.
Uma pesquisa como essa, que se para Senador. Por conta disso, o sendo campo fértil para exageros imorais

Q
uem examina a atual literatura bra-
vale de meia dúzia de documentos bem saudoso jornalista e acadêmico e destrutivos, tolerados pela sociedade
sileira reconhece-lhe logo, como
posteriores aos fatos, julgando os perso- Barbosa Lima Sobrinho concedeu-lhe brasileira em virtude da ditadura perniciosa
primeiro traço, certo instinto de
nagens do passado com valores atuais e a notável honorificência de “Patrono do politicamente correto. Fica aqui o nosso nacionalidade. Poesia, romance, todas as
sem levar em consideração as percepções da Anistia”, e o eminente historiador protesto contra essas agressões descons- formas literárias do pensamento buscam
dos contemporâneos do herói, não vale militar, Coronel Cláudio Moreira trutoras de valores e civismo, que invadem vestir-se com as cores do país, e não
nada. Trata-se apenas de mais uma Bento, o cognominou de “Pioneiro dissimuladamente nossos lares em eventos há como negar que semelhante preocu-
opinião pessoal. Se seguirmos esse tipo Abolicionista”; 3. Ainda com referência de entretenimento e folhetins gerados em pação é sintoma de vitalidade e abono
de linha metodológica, adotada por esses à grandeza de espírito de Caxias, redações e produzidos em estúdios, plenos de futuro. As tradições de Gonçalves
estudiosos desnorteados, imaginem, o que observe-se, em seu testamento, como de ideologias que repudiamos6. Dias, Porto-Alegre e Magalhães são
seria dito de Napoleão Bonaparte, George está expressa uma de suas vontades: O Exército Brasileiro se posiciona assim continuadas pela geração já feita
e pela que ainda agora madruga, como
Washington, Alexandre o Grande, Felipe II “Declaro que deixo ao meu criado Luiz claramente sobre a representatividade
aqueles continuaram as de José Basílio
da Macedônia, Erwin Rommel, Gen Moltke, Alves, quatrocentos mil réis e toda a das suas personalidades históricas mais
da Gama e Santa Rita Durão. Escusado é
Gen Patton, Gen Eisenhower, Gen Mac roupa de meu uso”. Diga-se que esse destacadas, quando os designa como dizer a vantagem deste universal acordo.
Arthur, Gen Montgomery, Gen Wellington, criado era um índio que ele trouxera, patronos (chefe militar ou personalidade Interrogando a vida brasileira e a natureza
Ramsés II, Xerxes, Leônidas e outros tantos ainda jovem, do Maranhão, após a civil escolhida como figura tutelar de americana, prosadores e poetas acharão
da História Universal?4 Balaiada, adotando-o e dando-lhe uma força armada, de uma arma, de uma ali farto manancial de inspiração e irão
Ao negar o valor dado pelo reconhe- o próprio nome; ressalte-se que ele unidade etc., cujo nome mantém vivas as dando fisionomia própria ao pensamento
cimento historiográfico oficial ao nosso foi a primeira pessoa lembrada, no tradições militares e o culto cívico aos nacional. Esta outra independência
Duque de Ferro, o Prof. Tarcísio Motta dito testamento, no qual, somente ao heróis)7. não tem Sete de Setembro nem campo
desprezou a importância simbólica desse depois, são mencionados familiares A mais autêntica homenagem que se de Ipiranga; não se fará num dia, mas
pausadamente, para sair mais duradoura;
personagem na conjuntura política e no e amigos íntimos do venerando pode prestar aos grandes vultos da Pátria
não será obra de uma geração nem duas;
regime de historicidade no qual adquiriu Marechal (...); 4. Quando da Guerra do é manter viva a lembrança de seus feitos, é
fisionomia. Esse grande brasileiro não Paraguai, o Generalíssimo executou interpretar os acontecimentos de que parti-
apenas teve a chance de decidir o futuro audaciosas manobras como a de ciparam e recolher os dignos exemplos que
do país, como encarnou o espírito e as envolvimento e cerco, em conjunto nos legaram. No caso específico do Duque
contradições de sua época. com a Marinha, e que redundou na de Caxias, a sua pessoa representa a
Na expectativa de se contrapor aos queda da “inexpugnável” Fortaleza Instituição por conta das magistrais lições
juízos revisionistas emanados pelo Mestre de Humaitá; como a “marcha de que emanam de sua incomum existência,
Tarcísio Mot ta, rememoraremos, na flanco” empreendida pelos nossos constituindo a imortal seiva que robustece
sequência, os traços humanos personalís- três Corpos de Exército através de uma crenças, revigora forças para a travessia
simos e aspectos singulares da edificante estrada, de cerca de 11km, construída do presente e inspira a busca do futuro n
existência do ínclito Soldado, narrados sobre o Grão-Chaco e as operações
1. AMAN 71, em 07/03/2019
impecavelmente pelo Cel Soriano:5 da “Dezembrada”, no começo das 2. Fernanda Rouvenat, G1 Rio, em
1. Luíz Alves de Lima e Silva pautou quais se travou a memorável Batalha 05/03/2019.
3. Nota de desagravo do Círculo
a sua vida pela inteireza de caráter, de Itororó. No fragor dessa refrega, Monárquico do Rio de Janeiro. AMAN 71,
arrojo, acendrado patriotismo, o Marquês de Caxias, aos 65 anos de em 06/03/2019.
4. Cel Wellington Corlet dos Santos.
fervorosa religiosidade e inexcedível idade, parte em direção à ponte sobre 5. Manoel Soriano Neto, Cel Ref,
exação no cumprimento do dever; 2. o arroio Itororó, sabre em punho Historiador Militar, ex-Chefe do CDocEx.
Em Direita Brasil.
Na concessão da anistia aos vencidos, e a galope de carga, após bradar: 6. Aristóteles Borges, Cel Rf PMBA.
ao término da Revolução Farroupilha, “Sigam-me os que forem brasileiros!” 7. http://www.eb.mil.br/patronos.

18 19
j

j
muitas trabalharão para ela até perfazê-la Não me parece, todavia, justa a censura povos deste país, esses podem logicamen- manifesta-se às vezes uma opinião, que uma crítica doutrinária, ampla, elevada, cistas qualidades de observação e de análise,
de todo. aos nossos poetas coloniais, iscados te excluí-los da poesia contemporânea. tenho por errônea: é a que só reconhece correspondente ao que ela é em outros e um estrangeiro não familiar com os nossos
Quem examina a atual literatura bra- daquele mal; nem igualmente justa a de não Parece-me, entretanto, que, depois das espírito nacional nas obras que tratam de países. Não a temos. Há e tem havido costumes achará muita página instrutiva. Do
sileira reconhece-lhe logo, como primeiro haverem trabalhado para a independência memórias que a este respeito escreveram assunto local, doutrina que, a ser exata, escritos que tal nome merecem, mas raros, romance puramente de análise, raríssimo
traço, certo instinto de nacionalidade. literária, quando a independência política os Srs. Magalhães e Gonçalves Dias, não é limitaria muito os cabedais da nossa lite- a espaços, sem a influência cotidiana e exemplar temos, ou porque a nossa índole
Poesia, romance, todas as formas literárias jazia ainda no ventre do futuro, e mais que lícito arredar o elemento indiano da nossa ratura. Gonçalves Dias, por exemplo, com profunda que deveram exercer. A falta de não nos chame para aí, ou porque seja esta
do pensamento buscam vestir-se com as tudo, quando entre a metrópole e a colônia aplicação intelectual. Erro seria constituí- poesias próprias seria admitido no panteão uma crítica assim é um dos maiores males casta de obras ainda incompatível com a
cores do país, e não há como negar que criara a história a homogeneidade das -lo um exclusivo patrimônio da literatura nacional; se excetuarmos Os Timbiras, os de que padece a nossa literatura; é mister nossa adolescência literária.
semelhante preocupação é sintoma de vi- tradições, dos costumes e da educação. brasileira; erro igual fora certamente a sua outros poemas americanos, e certo número que a análise corrija ou anime a invenção, O romance brasileiro recomenda-se
talidade e abono de futuro. As tradições de As mesmas obras de Basílio da Gama e absoluta exclusão. As tribos indígenas, de composições, pertencem os seus verses que os pontos de doutrina e de história se especialmente pelos toques do sentimento,
Gonçalves Dias, Porto-Alegre e Magalhães Durão quiseram antes ostentar certa cor cujos usos e costumes João Francisco pelo assunto a toda a mais humanidade, investiguem, que as belezas se estudem, quadros da natureza e de costumes, e certa
são assim continuadas pela geração já feita local do que tornar independente a literatura Lisboa cotejava com o livro de Tácito e os cujas aspirações, entusiasmo, fraquezas e que os senões se apontem, que o gosto viveza de estilo muito adequada ao espírito
e pela que ainda agora madruga, como brasileira, literatura que não existe ainda, achava tão semelhantes aos dos antigos dores geralmente cantam; e excluo daí as se apure e eduque, para que a literatura do nosso povo. Há em verdade ocasiões em
aqueles continuaram as de José Basílio que mal poderá ir alvorecendo agora. germanos, desapareceram, é certo, da belas Sextilhas de Frei Antão, que essas per- saia mais forte e viçosa, e se desenvolva e que essas qualidades parecem sair da sua
da Gama e Santa Rita Durão. Escusado é Reconhecido o instinto de nacionali- região que por tanto tempo fora sua; mas a tencem unicamente à literatura portuguesa, caminhe aos altos destinos que a esperam. medida natural, mas em regra conservam-
dizer a vantagem deste universal acordo. dade que se manifesta nas obras destes raça dominadora que as freqüentou, colheu não só pelo assunto que o poeta extraiu dos -se estremes de censura, vindo a sair muita
Interrogando a vida brasileira e a natureza últimos tempos, conviria examinar se informações preciosas e no-las transmitiu historiadores lusitanos, mas até pelo estilo O ROMANCE coisa interessante, muita realmente bela. O
americana, prosadores e poetas acharão possuímos todas as condições e motivos como verdadeiros elementos poéticos. A que ele habilmente fez antiquado. O mesmo De todas as formas várias as mais espetáculo da natureza, quando o assunto
ali farto manancial de inspiração e irão históricos de uma nacionalidade literária; piedade, a minguarem outros argumentos acontece com os seus dramas, nenhum dos cultivadas atualmente no Brasil são o o pede, ocupa notável lugar no romance, e
dando fisionomia própria ao pensamento esta investigação (ponto de divergência de maior valia, devera ao menos inclinar quais tem por teatro o Brasil. Iria longe se romance e a poesia lírica; a mais apreciada dá páginas animadas e pitorescas, e não as
nacional. Esta outra independência não tem entre literatos), além de superior às minhas a imaginação dos poetas para os povos tivesse de citar outros exemplos de casa, e é o romance, como aliás acontece em toda cito por me não divertir do objeto exclusivo
Sete de Setembro nem campo de Ipiranga; forças, daria em resultado levar-me longe que primeiro beberam os ares destas não acabaria se fosse necessário recorrer a parte, creio eu. São fáceis de perceber deste escrito, que é indicar as excelências e
não se fará num dia, mas pausadamente, dos limites deste escrito. Meu principal regiões, consorciando na literatura os que aos estranhos. Mas, pois que isto vai ser as causas desta preferência da opinião, e os defeitos do conjunto, sem me demorar
para sair mais duradoura; não será obra de objeto é atestar o fato atual; ora, o fato é o a fatalidade da história divorciou. impresso em terra americana e inglesa, por isso não me demoro em apontá-las. em pormenores. Há boas páginas, como
uma geração nem duas; muitas trabalharão instinto de que falei, o geral desejo de criar Esta é hoje a opinião triunfante. Ou perguntarei simplesmente se o autor do Não se fazem aqui (falo sempre generica- digo, e creio até que um grande amor a
para ela até perfazê-la de todo. uma literatura mais independente. já nos costumes puramente indianos, Song of Hiawatha não é o mesmo autor da mente) livros de filosofia, de lingüística, de este recurso da descrição, excelente, sem
Sente-se aquele instinto até nas ma- A aparição de Gonçalves Dias chamou tais quais os vemos n’Os Timbiras, de Golden Legend, que nada tem com a terra crítica histórica, de alta política, e outros dúvida, mas (como dizem os mestres) de
nifestações da opinião, aliás mal formada a atenção das musas brasileiras para Gonçalves Dias, ou já na luta do elemento que o viu nascer, e cujo cantor admirável é; assim, que em alheios países acham fácil mediano efeito, se não avultam no escritor
ainda, restrita em extremo, pouco solícita, a história e os costumes indianos. Os bárbaro com o civilizado, tem a imaginação e perguntarei mais se o Hamlet, o Otelo, o acolhimento e boa extração; raras são aqui outras qualidades essenciais.
e ainda menos apaixonada nestas questões Timbiras, I-Juca Pirama, Tabira e outros literária do nosso tempo ido buscar alguns Júlio César, a Julieta e Romeu têm alguma essas obras e escasso o mercado delas. O Pelo que respeita à análise de paixões
de poesia e literatura. Há nela um instinto poemas do egrégio poeta acenderam as quadros de singular efeito, dos quais coisa com a história inglesa nem com o terri- romance pode- se dizer que domina quase e caracteres são muito menos comuns os
que leva a aplaudir principalmente as obras imaginações; a vida das tribos, vencidas citarei, por exemplo, a Iracema, do Sr. J. tório britânico, e se, entretanto, Shakespeare exclusivamente. Não há nisto motivo de exemplos que podem satisfazer à crítica;
que trazem os toques nacionais. A juven- há muito pela civilização, foi estudada nas de Alencar, uma das primeiras obras desse não é, além de um gênio universal, um poeta admiração nem de censura, tratando-se alguns há, porém, de merecimento incon-
tude literária, sobretudo, faz deste ponto memórias que nos deixaram os cronistas, fecundo e brilhante escritor. essencialmente inglês. de um país que apenas entra na primeira testável. Esta é, na verdade, uma das partes
uma questão de legítimo amor-próprio. e interrogadas dos poetas, tirando-lhes Compreendendo que não está na vida Não há dúvida que uma literatura, mocidade, e esta ainda não nutrida de mais difíceis do romance, e ao mesmo tem-
Nem toda ela terá meditado os poemas de todos alguma coisa, qual um idílio, qual indiana todo o patrimônio da literatura sobretudo uma literatura nascente, deve sólidos estudos. Isto não é desmerecer o po das mais superiores. Naturalmente exige
Uruguai e Caramuru com aquela atenção um canto épico. brasileira, mas apenas um legado, tão principalmente alimentar-se dos assuntos romance, obra d’arte como qualquer outra, da parte do escritor dotes não vulgares de
que tais obras estão pedindo; mas os Houve depois uma espécie de reação. brasileiro como universal, não se limitam que lhe oferece a sua região; mas não e que exige da parte do escritor qualidades observação, que, ainda em literaturas mais
nomes de Basílio da Gama e Durão são Entrou a prevalecer a opinião de que não os nossos escritores a essa só fonte de estabeleçamos doutrinas tão absolutas de boa nota. adiantadas, não andam a rodo nem são a
citados e amados, como precursores da estava toda a poesia nos costumes semi- inspiração. Os costumes civilizados, ou já que a empobreçam. O que se deve exigir do Aqui o romance, como tive ocasião partilha do maior número.
poesia brasileira. A razão é que eles bus- bárbaros anteriores à nossa civilização, o do tempo colonial, ou já do tempo de hoje, escritor antes de tudo, é certo sentimento de dizer, busca sempre a cor local. A As tendências morais do romance
caram em roda de si os elementos de uma que era verdade – e não tardou o conceito igualmente oferecem à imaginação boa e íntimo, que o torne homem do seu tempo e substância, não menos que os acessórios, brasileiro são geralmente boas. Nem todos
poesia nova, e deram os primeiros traços de que nada tinha a poesia com a existência larga matéria de estudo. Não menos que do seu país, ainda quando trate de assuntos reproduzem geralmente a vida brasileira eles serão de princípio a fim irrepreensíveis;
de nossa fisionomia literária, enquanto que da raça extinta, tão diferente da raça eles, os convida a natureza americana, cuja remotos no tempo e no espaço. Um notável em seus diferentes aspectos e situações. alguma coisa haverá que uma crítica
outros, Gonzaga por exemplo, respirando triunfante, o que parece um erro. magnificência e esplendor naturalmente crítico da França, analisando há tempos Naturalmente os costumes do interior austera poderia apontar e corrigir. Mas o
aliás os ares da pátria, não souberam É certo que a civilização brasileira não desafiam a poetas e prosadores. O roman- um escritor escocês, Masson, com muito são os que conservam melhor a tradição tom geral é bom. Os livros de certa escola
desligar-se das faixas da Arcádia nem está ligada ao elemento indiano, nem dele ce, sobretudo, apoderou-se de todos esses acerto dizia que do mesmo modo que se nacional; os da capital do país, e em parte, francesa, ainda que muito lidos entre nós,
dos preceitos do tempo. Admira-se-lhes o recebeu influxo algum; e isto basta para elementos de invenção, a que devemos, podia ser bretão sem falar sempre do os de algumas cidades, muito mais chega- não contaminaram a literatura brasileira,
talento, mas não se lhes perdoa o cajado e não ir buscar entre as tribos vencidas os entre outros, os livros dos Srs. Bernardo tojo, assim Masson era bem escocês, dos à influência européia, trazem já uma nem sinto nela tendências para adotar as
a pastora, e nisto há mais erro que acerto. títulos da nossa personalidade literária. Guimarães, que brilhante e ingenuamente sem dizer palavra do cardo, e explicava feição mista e ademanes diferentes. Por suas doutrinas, o que é já notável mérito.
Dado que as condições deste escrito o Mas se isto é verdade, não é menos certo nos pinta os costumes da região em que o dito acrescentando que havia nele um outro lado, penetrando no tempo colonial, As obras de que falo, foram aqui bem-
permitissem, não tomaria eu sobre mim a que tudo é matéria de poesia, uma vez que nasceu, J. de Alencar, Macedo, Sílvio scotticismo interior, diverso e melhor do vamos achar uma sociedade diferente, e -vindas e festejadas, como hóspedes, mas
defesa do mau gosto dos poetas arcádicos traga as condições do belo ou os elementos Dinarte (Escragnolle Taunay), Franklin que se fora apenas superficial. dos livros em que ela é tratada, alguns há não se aliaram à família nem tomaram o
nem o fatal estrago que essa escola produ- de que ele se compõe. Os que, como o Távora, e alguns mais. Estes e outros pontos cumpria à de mérito real. governo da casa. Os nomes que principal-
ziu nas literaturas portuguesa e brasileira. Sr. Varnhagen, negam tudo aos primeiros Devo acrescentar que neste ponto crítica estabelecê-los, se tivéssemos Não faltam a alguns de nossos roman- mente seduzem a nossa mocidade são os
20 21
j

j
do período romântico; os escritores que se apareceram no decênio de 1850 a 1860, poesia íntima e elegíaca encontram-se os nas mãos do grande poeta produz grandes lugar na nossa escola realista e cujas obras Feitas as exceções devidas não se
vão buscar para fazer comparações com uns levou-os a morte ainda na flor dos mesmos defeitos, e mais um amaneirado efeitos, não pode constituir objeto de imita- Demônio Familiar e Mãe são de notável lêem muito os clássicos no Brasil. Entre
os nossos – porque há aqui muito amor a anos, como Álvares de Azevedo, Junqueira no dizer e no sentir, o que tudo mostra na ção, nem sobretudo elementos de escola. merecimento. Logo em seguida apareceram as exceções poderia eu citar até alguns
essas comparações – são ainda aqueles Freire, Casimiro de Abreu, cujos nomes poesia contemporânea grave doença, que Há também uma parte da poesia que, várias outras composições dignas do escritores cuja opinião é diversa da minha
com que o nosso espírito se educou, os excitam na nossa mocidade legítimo e é força combater. justamente preocupada com a cor local, cai aplauso que tiveram, tais como os dramas neste ponto, mas que sabem perfeitamente
Vítor Hugos, os Gautiers, os Mussets, os sincero entusiasmo, e bem assim outros Bem sei que as cenas majestosas muitas vezes numa funesta ilusão. Um poe- dos Srs. Pinheiro Guimarães, Quintino os clássicos. Em geral, porém, não se
Gozlans, os Nervals. de não menor porte. Os que sobreviveram da natureza americana exigem do poeta ta não é nacional só porque insere nos seus Bocaiúva e alguns mais; mas nada disso lêem, o que é um mal. Escrever como
Isento por esse lado o romance calaram as liras; e se uns voltaram as suas imagens e expressões adequadas. O versos muitos nomes de flores ou aves do foi adiante. Os autores cedo se enfastiaram Azurara ou Fernão Mendes seria hoje um
brasileiro, não menos o está de tendên- atenções para outro gênero literário, como condor que rompe dos Andes, o pampeiro país, o que pode dar uma nacionalidade da cena que a pouco e pouco foi decaindo anacronismo insuportável. Cada tempo tem
cias políticas, e geralmente de todas as Bernardo Guimarães, outros vivem dos que varre os campos do Sul, os grandes de vocabulário e nada mais. Aprecia-se a até chegar ao que temos hoje, que é nada. o seu estilo. Mas estudar-lhes as formas
questões sociais – o que não digo por louros colhidos, se é que não preparam rios, a mata virgem com todas as suas cor local, mas é preciso que a imaginação A província ainda não foi de todo mais apuradas da linguagem, desentranhar
fazer elogio, nem ainda censura, mas uni- obras de maior tomo, como se diz de magnificências de vegetação – não há dú- lhe dê os seus toques, e que estes sejam invadida pelos espetáculos de feira; ainda deles mil riquezas, que, à força de velhas se
camente para atestar o fato. Esta casta de Varela, poeta que já pertence ao decênio vida que são painéis que desafiam o estro, naturais, não de acarreto. Os defeitos que lá se representa o drama e a comédia – mas fazem novas – não me parece que se deva
obras conserva-se aqui no puro domínio de de 1860 a 1870. Neste último prazo outras mas, por isso mesmo que são grandes, resumidamente aponto não os tenho por não aparece, que me conste, nenhuma obra desprezar. Nem tudo tinham os antigos,
imaginação, desinteressada dos problemas vocações apareceram e numerosas, e bas- devem ser trazidos com oportunidade e incorrigíveis; a crítica os emendaria; na nova e original. E com estas poucas linhas nem tudo têm os modernos; com os
do dia e do século, alheia às crises sociais ta citar um Crespo, um Serra, um Trajano, expressos com simplicidade. Ambas essas falta dela, o tempo se incumbirá de trazer fica liquidado este ponto. haveres de uns e outros é que se enriquece
e filosóficas. Seus principais elementos um Gentil-Homem de Almeida Braga, um condições faltam à poesia contemporânea, às vocações as melhores leis. Com as boas o pecúlio comum.
são, como disse, a pintura dos costumes, Castro Alves, um Luís Guimarães, um e não é que escasseiem modelos, que aí qualidades que cada um pode reconhecer A LÍNGUA Outra coisa de que eu quisera persu-
a luta das paixões, os quadros da natureza, Rosendo Moniz, um Carlos Ferreira, um estão, para só citar três nomes, os versos na recente escola de que falo, basta a ação Entre os muitos méritos dos nossos adir a mocidade é que a precipitação não
alguma vez o estudo dos sentimentos e dos Lúcio de Mendonça, e tantos mais, para de Bernardo Guimarães, Varela e Álvares de do tempo, e se entretanto aparecesse uma livros nem sempre figura o da pureza da lhe afiança muita vida aos seus escritos. Há
caracteres; com esses elementos, que são mostrar que a poesia contemporânea pode Azevedo. Um único exemplo bastará para grande vocação poética, que se fizesse linguagem. Não é raro ver intercalado em um prurido de escrever muito e depressa;
fecundíssimos, possuímos já uma galeria dar muita coisa; se algum destes, como mostrar que a oportunidade e a simplicida- reformadora, é fora de dúvida que os bons bom estilo os solecismos da linguagem tira-se disso glória, e não posso negar que
numerosa e a muitos respeitos notável. Castro Alves, pertence à eternidade, seus de são cabais para reproduzir uma grande elementos entrariam em melhor caminho, comum, defeito grave, a que se junta o da é caminho de aplausos. Há intenção de
No gênero dos contos, à maneira de versos podem servir e servem de incentivo imagem ou exprimir uma grande idéia. e à poesia nacional restariam as tradições excessiva influência da língua francesa. igualar as criações do espírito com as da
Henri Murger, ou à de Trueba, ou à de às vocações nascentes. N’Os Timbiras, há uma passagem em que do período romântico. Este ponto é objeto de divergência matéria, como se elas não fossem neste
Ch. Dickens, que tão diversos são entre Competindo-me dizer o que acho da o velho Ogib ouve censurarem-lhe o filho, entre os nossos escritores. Divergência caso inconciliáveis. Faça muito embora
si, têm havido tentativas mais ou menos atual poesia, atenho-me só aos poetas porque se afasta dos outros guerreiros e O TEATRO digo, porque, se alguns caem naqueles um homem a volta ao mundo em oitenta
felizes, porém raras, cumprindo citar, entre de recentíssima data, melhor direi a uma vive só. A fala do ancião começa com estes Esta parte pode reduzir-se a uma linha defeitos por ignorância ou preguiça, outros dias; para uma obra-prima do espírito são
outros, o nome do Sr. Luís Guimarães escola agora dominante, cujos defeitos me primorosos versos: de reticência. Não há atualmente teatro bra- há que os adotam por princípio, ou antes precisos alguns mais.
Júnior, igualmente folhetinista elegante parecem graves, cujos dotes – valiosos, São torpes os anuns, que em bandos sileiro, nenhuma peça nacional se escreve, por uma exageração de princípio. Aqui termino esta notícia. Viva imagi-
e jovial. É gênero difícil, a despeito da e que poderá dar muito de si, no caso de folgam, raríssima peça nacional se representa. As Não há dúvida que as línguas se nação, delicadeza e força de sentimentos,
sua aparente facilidade, e creio que essa adotar a necessária emenda. São maus os caititus que em varas cenas teatrais deste país viveram sempre aumentam e alteram com o tempo e as graças de estilo, dotes de observação
mesma aparência lhe faz mal, afastando-se Não faltam à nossa atual poesia fogo pascem: de traduções, o que não quer dizer que não necessidades dos usos e costumes. Querer e análise, ausência às vezes de gosto,
dele os escritores, e não lhe dando, penso nem estro. Os versos publicados são Somente o sabiá geme sozinho, admitissem alguma obra nacional quando que a nossa pare no século de quinhentos, carências às vezes de reflexão e pausa,
eu, o público toda a atenção de que ele é geralmente ardentes e trazem o cunho da E sozinho o condor aos céus aparecia. Hoje, que o gosto público tocou é um erro igual ao de afirmar que a sua língua nem sempre pura, nem sempre
muitas vezes credor. inspiração. Não insisto na cor local; como remonta. o último grau da decadência e perversão, transplantação para a América não lhe copiosa, muita cor local, eis aqui por
Em resumo, o romance, forma ex- acima disse, todas as formas a revelam nenhuma esperança teria quem se sentisse inseriu riquezas novas. A este respeito a alto os defeitos e as excelências da atual
tremamente apreciada e já cultivada com mais ou menos brilhante resultado; Nada mais oportuno nem mais singelo com vocação para compor obras severas influência do povo é decisiva. Há, portanto, literatura brasileira, que há dado bastante
com alguma extensão, é um dos títulos bastando-me citar neste caso as outras do que isto. A escola a que aludo não de arte. Quem lhas receberia, se o que certos modos de dizer, locuções novas, e tem certíssimo futuro n
da presente geração literária. Nem todos duas recentes obras, as Miniaturas de exprimiria a idéia com tão simples meios, e domina é a cantiga burlesca ou obscena, que de força entram no domínio do estilo
os livros, repito, deixam de se prestar a Gonçalves Crespo e os Quadros de J. faria mal, porque o sublime é simples. Fora o cancã, a mágica aparatosa, tudo o que e ganham direito de cidade.
uma crítica minuciosa e severa, e se a Serra, versos estremados dos defeitos que para desejar que ela versasse e meditasse fala aos sentidos e aos instintos inferiores? Mas se isto é um fato incontestável,
houvéssemos em condições regulares, vou assinalar. Acrescentarei que também longamente estes e outros modelos que E todavia a continuar o teatro, teriam e se é verdadeiro o princípio que dele
creio que os defeitos se corrigiriam, e as não falta à poesia atual o sentimento da a literatura brasileira lhe oferece. Certo, as vocações novas alguns exemplos não se deduz, não me parece aceitável a
boas qualidades adquiririam maior realce. harmonia exterior. Que precisa ela então? não lhe falta, como disse, imaginação; remotos, que muito as haviam de animar. opinião que admite todas as alterações da
Há geralmente viva imaginação, instinto Em que peca a geração presente? Falta-lhe mas esta tem suas regras, o estro leis, e Não falo das comédias do Pena, talento linguagem, ainda aquelas que destroem
do belo, ingênua admiração da natureza, um pouco mais de correção e gosto; peca se há casos em que eles rompem as leis sincero e original, a quem só faltou viver as leis da sintaxe e a essencial pureza
amor às coisas pátrias, e além de tudo isto na intrepidez às vezes da expressão, na e as regras, é porque as fazem novas, é mais para aperfeiçoar-se e empreender do idioma. A influência popular tem um
agudeza e observação. Boa e fecunda terra, impropriedade das imagens na obscuridade porque se chamam Shakespeare, Dante, obras de maior vulto; nem também das limite; e o escritor não está obrigado a
já deu frutos excelentes e os há de dar em do pensamento. A imaginação, que há Goethe, Camões. tragédias de Magalhães e dos dramas de receber e dar curso a tudo o que o abuso,
muito maior escala. deveras, não raro desvaira e se perde, che- Indiquei os traços gerais. Há alguns Gonçalves Dias, Porto-Alegre e Agrário. o capricho e a moda inventam e fazem
gando à obscuridade, à hipérbole, quando defeitos peculiares a alguns livros, como por Mais recentemente, nestes últimos doze ou correr. Pelo contrário, ele exerce também
A POESIA apenas buscava a novidade e a grandeza. exemplo, a antítese, creio que por imitação catorze anos, houve tal ou qual movimento. uma grande parte de influência a este
A ação da crítica seria sobretudo Isto na alta poesia lírica – na ode, diria eu, de Vítor Hugo. Nem por isso acho menos Apareceram então os dramas e comédias respeito, depurando a linguagem do povo
eficaz em relação à poesia. Dos poetas que se ainda subsistisse a antiga poética; na condenável o abuso de uma figura que, se do Sr. J. de Alencar, que ocupou o primeiro e aperfeiçoando-lhe a razão.
22 23
j

j
AS MISSÕES SUBSIDIÁRIAS E A DEFESA NACIONAL
V Alte Marcílio Boavista da Cunha e dos órgãos de governo que sofrem limi- a respeito da importância de se entender a das operações militares de guerra, das disciplina, sob a autoridade suprema do A Lei Complementar n° 97, de 9 de
e Maj Brig Ar Washington C. de tações para cumprir seus compromissos, defesa da Nação como um dever de todos operações militares de não-guerra e das Presidente da República, e destinam-se à junho de 1999 (e atualizações), determina,
além da contribuição para o fortalecimento os brasileiros. A Estratégia Nacional de operações não-militares², que incluem as defesa da Pátria, à garantia dos poderes em seu Artigo 16, que cabe às Forças
Campos Machado
e a sustentabilidade da base industrial de Defesa recorda, por sua vez, que o Brasil missões³ subsidiárias ora abordadas. constitucionais e, por iniciativa de qualquer Armadas, como atribuição subsidiária
wccm@terra.com.br
defesa. precisa estar preparado para defender-se destes, da lei e da ordem. geral, cooperar com o desenvolvimento

E
ste artigo está fundamentado na e que o fato de ser um país pacífico não FORÇAS ARMADAS Uma das peculiaridades das nossas nacional e a defesa civil. Em seu Artigo
crença de que a execução de ativi- INTRODUÇÃO significa que deva permanecer desarmado E MISSÕES SUBSIDIÁRIAS Forças Armadas, atributo próprio do mo- 16-A, adiciona: Cabe às Forças Armadas
dades subsidiárias contribui, embora A Constituição Federal revela que e à mercê dos acontecimentos. A destinação das Forças Armadas delo militar nacional, está no exercício de (...) atuar, por meio de ações preventivas e
de forma peculiar, para o desejado preparo compete à União assegurar a defesa Em tempos de paz, o Poder Militar está perfeitamente estabelecida no Artigo missões subsidiárias, complementares às repressivas, na faixa de fronteira terrestre,
do Poder Militar. Ele ressalta a importância nacional e estabelece que as Forças precisa ser preparado para a eventualidade 142 da Constituição Federal: As Forças atribuições contidas no artigo citado. Essas no mar e nas águas interiores, (...) contra
dessas atividades tanto para a defesa Armadas são “instituições nacionais e do uso de força e violência em combate Armadas, constituídas pela Marinha, pelo missões têm por características serem de delitos transfronteiriços e ambientais,
nacional, quanto para o atendimento de destinam-se à defesa da Pátria”. Seguindo contra inimigos. Dessa forma, os meios Exército e pela Aeronáutica, são institui- relevante importância, mas de difícil (física isoladamente ou em coordenação com
necessidades da sociedade brasileira (es- essas determinações, a Política de Defesa de defesa devem ser estruturados em torno ções nacionais permanentes e regulares, ou econômica) execução (no todo ou em outros órgãos do Poder Executivo,
pecialmente das populações desassistidas) Nacional busca conscientizar a sociedade de capacidades¹, considerando a realidade organizadas com base na hierarquia e na parte) pela iniciativa pública ou privada. executando, dentre outras, as ações de:
24 25
j

j
I - patrulhamento; II - revista de pessoas, não diretamente relacionadas com suas de suas doutrinas, de implícitas para do Japão, assumindo atividades de super- to das nações (sob a égide da Organização cisa, sendo designada, por alguns, como
de veículos terrestres, de embarcações e missões constitucionais. Isso pode ser explícitas. visão do território e de patrulhamento e das Nações Unidas) e a crescente capa- pulmão do mundo.
de aeronaves; e III - prisões em flagrante evidenciado nos exemplos a seguir, do policiamento para a defesa, entre outras. cidade de a opinião pública influenciar as É conhecida e r eal a ambição
delito. passado e do presente: INCORPORAÇÃO, Hoje, suas Forças Terrestre, Marítima e decisões políticas de fazer a guerra (bem das potências econômicas e militares
A mesma Lei Complementar estabe- l O Programa Nuclear da Marinha PRODUÇÃO E ADAPTAÇÃO Aérea de Autodefesa são respeitadas. evidente nos países com governos demo- estrangeiras pelas incalculáveis jazidas
lece atribuições subsidiárias particulares, do Brasil (PNMB), composto dos projetos DE MEIOS E SISTEMAS Segundo estrategistas, dominam o acesso cráticos), as intervenções de força têm sido minerais e pela fantástica biodiversidade da
de caráter permanente e continuado, para de propulsão naval e do ciclo do combus- A execução das missões subsidiárias das esquadras da China e da Rússia ao apoiadas em justificativas de contenção Região Amazônica. É também conhecida
cada Força Armada. Essas atribuições tível nuclear, levados a cabo pelo Centro propicia às Forças Armadas se equiparem Oceano Pacífico e, em aliança com os de ameaças à paz ou de interesse público a estratégia de travestir essa ambição
contribuem para a garantia da segurança Tecnológico da Marinha, em São Paulo, moderadamente, resultando na incorpo- EUA, constituem o eixo primordial da ou humanitário. Não obstante, embora imperialista em propósitos humanitários
da navegação, a execução de obras e (CTMSP) e pelo Centro Industrial Nuclear ração de meios e sistemas que, quando segurança japonesa. de expressiva importância, isso não tem globais. Se os países da Região não
serviços críticos de engenharia, a defesa de Aramar (CINA); devidamente adaptados, poderão compor A Constituição Federal, em seu Artigo impedido os eventos de aplicação pura da conseguirem assegurar a preservação
civil, a gestão da infraestrutura aeronáutica l A fiscalização da produção, do parcela do poder dissuasório nacional. 219, estabelece que o mercado interno razão da força (ou da força sem razão de da maior floresta tropical do Planeta,
e aeroportuária, e outros objetivos. comércio, da importação, da exportação Aparentemente inadequados para o com- integra o patrimônio nacional e será ser) nas relações políticas internacionais, então, como paladinos da Humanidade os
As Forças Armadas executam também e da circulação de produtos controlados, bate, eles podem ser reconfigurados e incentivado de modo a viabilizar o desen- particularmente, quando em jogo signi- imperialistas assumiriam o controle militar
atividades subsidiárias de cunho social. por meio da Diretoria de Fiscalização de evoluir rapidamente para o cumprimento de volvimento cultural e socioeconômico, o ficativos valores econômicos, sociais ou do território. Caso, não obstante, a floresta
Essas atividades atenuam carências e Produtos Controlados (DFPC), e o controle diversas operações de guerra, tais como: bem-estar da população e a autonomia religiosos. seja plenamente preservada pelos países
atendem necessidades de populações de produtos químicos, biológicos, nuclea- vigilância, detecção, inteligência, apoio lo- tecnológica do País. O atendimento, pela Para os países promovedores da paz responsáveis, ainda assim, como o lobo da
desassistidas ou sujeitas a desastres res, material bélico e outros que possam gístico, lançamento de minas, lançamento indústria nacional, das necessidades mundial e sem ambições imperialistas, fábula, as ações imperialistas violentas não
naturais. Além disso, preveem o apoio a causar explosões ou risco a pessoas e de torpedos e mísseis, designação de alvos de meios e sistemas para as atividades como o Brasil, a forma clássica de pre- podem ser descartadas.
populações ribeirinhas, a perfuração de po- instalações; e outras. subsidiárias das Forças Armadas (mercado venção de agressões bélicas estrangeiras Considerando os valores dos fatores
ços artesianos, a distribuição emergencial l O Sistema de Defesa Aérea e São atividades e recursos sujeitos às interno) obedece ao disposto na Carta é a manutenção de um poderio militar de ambição estrangeira e, ainda, o enorme
de água potável e a evacuação aeromédica Controle de Tráfego Aéreo (SISDACTA), cuja doutrinas de preparo e emprego das Forças Magna e, se bem planejado, pode acelerar dissuasório adequado, isto é, uma capa- território a ser defendido, pode-se imaginar
de emergência. gestão operacional é realizada por meio Armadas, com potencial de transformação o crescimento econômico e a autonomia cidade real de combate capaz de impor que o necessário poder dissuasório do
As Forças Armadas ajudam, ainda, dos Centros Integrados de Defesa Aérea e mobilização imediatas, quando já não tecnológica e gerar inúmeros empregos severas perdas aos potenciais agressores. Brasil, se obtido, colocaria o país no nível
outras instituições nacionais, públicas e Controle do Tráfego Aéreo (CINDACTA); incorporadas às suas estruturas organi- no país. Em suma, um poder militar de defesa das superpotências militares. O que, mercê
e privadas, carentes de recursos opera- l A idealização e o desenvolvimen- zacionais. E formam, em verdade, base Esses produtos são, em geral, tecnolo- capaz de tornar insuportável ao potencial de enormes demandas sociais prioritárias,
cionais adequados, a cumprirem suas to continuado do complexo do Centro indispensável para o desenvolvimento da gicamente menos complexos, mais baratos agressor a relação de custo e benefício de dificilmente poderia ser atingido sem que
responsabilidades perante a sociedade, Tecnológico da Aeronáutica (CTA), incluin- estrutura nacional de defesa e, em especial, e demandados em maiores quantidades, uma eventual aventura contra a soberania se impusesse um assombroso sacrifício à
como a Polícia Federal, a Receita Federal, do o Instituto Tecnológico da Aeronáutica para o adestramento do pessoal militar. propiciando melhores planos de carga para nacional. população. Isso seria uma ação desmedida
a ANVISA e diversas ONGs de caráter (ITA) e a EMBRAER, e o projeto de Dentre esses meios e sistemas en- a indústria. Por outro lado, a necessidade A determinação do poder dissuasório em regimes democráticos, sendo politica-
assistencial. desenvolvimento do Veículo Lançador de contram-se navios, viaturas e aeronaves de adaptação desses meios e sistemas necessário constitui uma intrincada mente impossível de ser implementada em
Satélites (VLS); de transporte e de patrulha; plataformas para a eventualidade de participação ativa equação balizada pela estratégia nacional tempos de paz.
DOUTRINA IMPLÍCITA l A construção de aeródromos na multipropósito; centros de supervisão e em operações de guerra pode criar outro de defesa, envolvendo, dentre outros, A estratégia militar de defesa orientou
E DOUTRINA EXPLÍCITA Amazônia pela Comissão de Aeroportos controle; redes de telecomunicações (voz, nicho de mercado para atuação (interna e avaliação de riscos, capacidade de ataque uma maior presença militar na Amazônia.
As atribuições subsidiárias das Forças da Região Amazônica (COMARA), de forma dados e imagens); redes de sensores para externa) da indústria de defesa. O sucesso de eventuais forças inimigas, disponibili- Assim, diversas organizações das Forças
Armadas, por terem caráter permanente, a possibilitar os projetos de integração vigilância, reconhecimento, meteorologia nessa atuação pode atenuar as fragilidades dade de meios nacionais, capacidade da Armadas foram deslocadas para o norte
já estão incorporadas à estrutura organi- nacional e o desdobramento estratégico e oceanografia; hospitais e cozinhas de e vulnerabilidades da base industrial de diplomacia nacional, bem como o valor do do país, possibilitando melhores condições
zacional de cada Força. Observa-se clara- da Força Aérea; campanha; e meios de busca e salvamento. defesa e manter preparado o caminho para patrimônio nacional ambicionado pelos de pronta resposta a quaisquer incursões
mente, nessas atribuições, a existência de l O Sistema de Gerenciamento da O desenvolvimento da capacidade uma eventual mobilização. potenciais agressores. Quanto maior esse hostis ao território nacional. E a realização
interesse tanto na sua execução como nos Amazônia Azul (SISGAAZ), sob responsa- militar do Japão parece um bom exemplo patrimônio, maior deverá ser o poder dis- de missões subsidiárias pode contribuir
seus produtos. As doutrinas de emprego bilidade da Marinha; de evolução a partir de missões subsi- PATRIMÔNIO NACIONAL suasório militar, de forma a não possibilitar para contornar essa situação e reduzir a
nessas atividades são de natureza explícita l O Sistema Integrado de diárias: aceitou a proibição de constituir E PODER DISSUASÓRIO uma razão favorável de custo e benefício diferença entre o valor do poder militar
e fazem parte do arcabouço estratégico de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON), forças armadas estipulada no Acordo de Tal e qual o lobo da fábula O Lobo e aos países aventureiros. possível e o necessário.
cada Força. a cargo do Exército; e Paz – Ata de Rendição (1945) e Tratado o Cordeiro, do escritor grego Esopo (620 O Brasil possui recursos abundantes
A intensa participação das Forças l O Sistema de Vigilância da Amazônia de Paz (1951); renunciou ao direito a.C. a 564 a.C.), a História da Humanidade de água doce, de terras agriculturáveis e MISSÕES SUBSIDIÁRIAS
Armadas em missões subsidiárias, incluin- (SIVAM), executado pela Força Aérea. de declarar guerra e de manter forças tem demonstrado que as nações não a maior floresta tropical do mundo, que DE INTERESSE
do algumas consideradas estratégicas, Dada a evidente contribuição dessas de guerra, como estabelecido em sua necessitam de razões reais para impor a lança uma quantidade inimaginável de par- DA DEFESA NACIONAL
caracteriza, mais do que simples prática, missões subsidiárias para o preparo militar Constituição (1947); criou, em 1950, uma guerra a outras, em busca de satisfazer tículas de origem biológica na atmosfera Dado o atual nível de desenvolvimento
o exercício de doutrinas 4 implícitas, de e o fortalecimento do poder dissuasório Polícia Nacional Reserva que, em 1954, suas ambições de poder ou riqueza. e, junto com as algas marinhas, fornece do país e de ocupação do território
aplicação de meios militares em atividades nacional, a tendência natural é a evolução transformou-se em Forças de Autodefesa Nos tempos modernos, com o concer- boa parte do oxigênio que o Planeta pre- nacional, particularmente da Amazônia, é
26 27
j

j
possível que algumas missões subsidiárias Consideradas as repercussões junto diversos necessários à execução das
do passado não mais sejam necessárias,
pelo menos não na mesma intensidade ou
amplitude. Entretanto outras podem ser
à sociedade brasileira e mundial, seria
conveniente que as doutrinas de emprego
das Forças Armadas nas atividades
atividades subsidiárias formam a base
indispensável para o desenvolvimento da
estrutura nacional de defesa;
O NESTOR VIVE E É REAL Washington Luiz Mendes de Paula
requeridas em diversas áreas de atuação e subsidiárias de proteção do meio ambiente l A contribuição para o fortalecimento Administrador e Economista
responsabilidade pública. Assim, em com- fossem, o quanto possível, estabelecidas e a sustentabilidade da base industrial de (Nome de Guerra Washington, número de Guerra: 74/015)
plemento ao movimento de racionalização de forma explícita e ostensiva. defesa; e washington74015@gmail.com
dos meios e do efetivo militar, a Estratégia l A contribuição para a mitigação de
Militar de Defesa poderia considerar, ex- COMENTÁRIOS FINAIS potenciais riscos e ameaças à soberania
plicitamente, a ampliação do emprego das O processo de obtenção do poder nacional.
Forças Armadas em missões subsidiárias dissuasório suficiente para fazer frente às Alerta-se que as atenções às ativi-
de interesse da Defesa Nacional. ameaças reais e potenciais à soberania na- dades subsidiárias não devem substituir
A ênfase das missões subsidiárias cional passa necessariamente pela adoção ou sequer mitigar os investimentos no Solenidade militar no Pátio do Corpo de
Cadetes,em 2007, com canto do Hino dos
seria dada àquelas de cunho estratégico; ou de um modelo próprio de defesa nacional. desenvolvimento do Poder Militar e no Aviadores e desfile militar
por outra, àquelas, direta ou indiretamente, Esse modelo, dentre outros aspectos, for talecimento das Forças Armadas. em honra ao Aluno 74-343 Nestor, figura
lendária e criada para aliviar
relacionadas com as responsabilidades do é normalmente definido em função do São objetivos complementares, nunca as tensões da rotina da caserna
Ministério da Defesa de promover a capa- momento histórico, das características ge- excludentes.

G
citação nacional de defesa, a redução de opolíticas e dos níveis de desenvolvimento Ressalta-se ainda que, para não oebbels foi Ministro da Propaganda da a saída do SV do alojamento, aquele grupo de criando vida. Primeiro colocaram nome e sobreno-
vulnerabilidades estratégicas e a mitigação econômico, social, tecnológico e industrial. comprometer os orçamentos vitais de era nazista, na Alemanha. Não é um alunos não entendeu nada, porém foi motivo de me. Passou a ser chamado de Nestor Pterodaktilon
sujeito daqueles a que a gente possa se muito riso e alívio. Drums. Enquanto isso o criador do Nestor não mais
de potenciais riscos à Segurança Nacional. O modelo de defesa nacional da Suíça preparo e emprego das Forças Armadas
referir com prazer; mas é que tenho uma mentira Ali nascia a mentira que se transformaria se manifestara, até sucumbiu. Talvez por temer
Em resumo, deve abranger algum aspecto é apoiado por uma doutrina do cidadão em em suas missões constitucionais, é
que teve seu curso e final como uma verdade em uma verdade, pois não existia o Aluno alguma consequência. Já no terceiro ano, alunos
que possa, mesmo que remotamente, com- armas e permanente prontidão; a China, a altamente recomendável que os recursos personificada, até. mais antigos que éramos, foi criada a imagem do
Nestor nem aquele número 74-343 na Turma
prometer ou deixar em dúvida a capacidade despeito do seu avanço tecnológico, confia para a execução das missões subsidiárias Imaginem uma cena onde se encontram de Prata. Fora com inspiração, presença de Nestor, a fotografia de seu busto em perfil. Vale
nacional de ocupar, controlar e proteger o no seu enorme efetivo militar, com base no sejam contabilizados e executados de vários jovens de quinze a dezessete anos de espírito e coragem de não delatar, que foi criado o ressaltar que somente foi divulgada publicamente
território e seus patrimônios. preceito de Mao Tsé-Tung: quantidade gera forma específica. Nos casos de atividades idade, em um local amplo, porém cheio de camas personagem fictício que resolveu aquela situação na Revista Senta Púa, onde apareciam os últimos
Apenas como exemplo, tirando provei- qualidade; e o Japão, como já mencionado, respaldadas por tarifas pagas por usuários e armários. Já se vislumbra um albergue, um constrangedora e de consequência punitiva. registros da história da Turma de Prata até àquela
to da maior presença das Forças Armadas partiu de uma polícia nacional para construir civis, essa necessidade se torna mais alojamento ou até um convento. Era o alojamento Ficou a expectativa, nos dias seguintes, época, 1977. Fatos prescritos, fatos esquecidos
na Região Amazônica, uma nova missão suas Forças de Autodefesa. E, assim por evidente. de uma escola militar, a consagrada Escola de qual seria a consequência daquela atitude, sobre as peripécias do Nestor.
Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR), lá nas no mínimo, inusitada. Felizmente para aquele Não bastava o Nestor ter um nome com-
subsidiária a ser considerada poderia ser diante, de forma mais ou menos evidente, Finalmente, sugere-se o reconhe-
altaneiras das Minas Gerais. Nesta cena decorria nosso amigo da Turma de 74, nada aconteceu. pleto, número e foto. Faltava a personificação, a
a cooperação do Ministério da Defesa cada país possui seu modelo de defesa. cimento formal do modelo brasileiro de
um embate de autoridade; um impetuoso Aluno A burocracia – acredita-se, se encarregou materialização daquele personagem que sempre
com o do Meio Ambiente, na vigilância, No Brasil, como mostrado ao longo defesa nacional associado à execução de de Serviço (SV), com aquele grupo de jovens povoou o nosso imaginário. Era um mito e até um
de neutralizar aquela notificação. Passou-se
identificação de violações aos planos de deste artigo, significativos benefícios po- missões subsidiárias de cunho estratégico, de uma mesma turma, a conhecida Turma de incólume aquele episódio para os alunos de mártir por tudo que passou. Por ocasião de nosso
desenvolvimento sustentável da Amazônia dem ser associados à execução de missões a sua incorporação nas políticas e planos Prata, de 1974, mesmo ano do fato ocorrido e outras turmas e para os oficiais comandantes. Encontro de 40 anos na Academia da Força Aérea
e, sempre que necessário, intervenção e subsidiárias pelas Forças Armadas: de desenvolvimento do Poder Militar e à agora narrado. Entretanto para a Turma de 74 nascia um perso- (AFA), em maio de 2017, eis que surge o Nestor
ações coercitivas oportunas. Essa atuação l A contribuição para atingir os consequente evolução das suas doutrinas, Esse aluno (SV), da Turma 1972, insistia em nagem que viria a salvar inúmeros colegas em em corpo e alma, em pleno Pátio das Bandeiras,
subsidiária poderia envolver também a coo- objetivos nacionais, em atividades de difícil de implícitas para explícitas n saber quem era o autor de certa irregularidade. faltas, principalmente, fora da Escola, em trajes onde a tropa estava perfilada para o desfile.
No momento, não vem ao caso qual seria essa à paisana, quando não se usava, é claro, a tarjeta Estava ele com as mesmas roupas dos
peração nas ações de Defesa Civil, como a execução pela iniciativa pública ou privada;
anomalia de conduta, mas é certo que acarretaria de identificação. Nessas abordagens, utilizava- colegas. Homem alto, esbelto e com aquela
prevenção e apoio em casos de acidentes l A atenuação de carências e o aten- Notas: algum tipo de punição para o infrator. A situação -se, sem cerimônias e com desenvoltura, o nome cabeça que nós o tínhamos em mente, agora
naturais e combates a incêndios florestais. dimento das necessidades de populações 1 A Estratégia Nacional de Defesa destaca as
capacidades de proteção, de dissuasão, de
estava se agravando. Aquele SV se mostrava e número do Nestor. um pouco mais envelhecido, como os demais
Os benefícios dessa possível nova desassistidas ou sujeitas a desastres irredutível vendo sua autoridade ameaçada. O tempo transcorreu e com ele o Nestor foi colegas de Turma. Foi muita emoção ao vê-lo vi-
pronta-resposta, de coordenação e controle, de
missão subsidiária das Forças Armadas naturais; gestão da informação, de mobilidade estratégica Todos os alunos ali presentes naquela cena se vinho, falando e gesticulando. Uma máscara fora
e de mobilização. De tanto se repetir
seriam mútuos tanto para os objetivos da l A ajuda a outras instituições entreolhavam e criou-se um clima tenso. Foi capaz de trazer o Nestor para o nosso convívio,
2 Vidigal, Armando; Boavista, Marcílio; Barbosa, uma mentira,
defesa nacional (pela intensificação da nacionais, públicas e privadas, carentes de Afonso; e Boavista Osmar – Metodologia para quando, um daqueles alunos se prontificou a falar, após 40 anos de existência. Pela apresentação
a Formulação de Políticas – Ed. Brasil Rotário, dizendo: – Fui eu o responsável por tal ocorrência.
ela acaba se surpresa e sua importância em nossas vidas,
presença e atuação das Forças Armadas na recursos operacionais adequados, com o
2017. O SV, prontamente, aliviado, perguntou transformando em deu-se a ele a autoridade máxima presente
Amazônia), como para os do Ministério do objetivo de cumprir suas responsabilidades 3 No contexto deste artigo, os termos missão,
qual o nome e o número dele. Do aluno infrator. verdade. naquele evento militar.
Meio Ambiente (pela melhoria do nível de perante a sociedade; atribuição, atividade e ação são equivalentes.
Joseph Goebbels
4 As doutrinas podem ser explícitas ou O dito aluno não titubeou, respondeu em alto Assim, podemos crer que uma mentira pode
controle sobre a floresta). Uma ferramenta l A contribuição para a montagem implícitas. Explícitas, quando formalizadas em e bom som que era o aluno Nestor, 74-343. se tornar uma verdade, sim. As provas estão nas
já disponível para suporte a essa missão é o da estrutura necessária à defesa do país e documentos, e implícitas, quando praticadas de
O Aluno de Serviço só fez anotar e avisou que fotos e filmes. O Nestor estará nos próximos
acordo com costumes e tradições. – Doutrina
Sistema de Proteção da Amazônia (SIPAM) para o adestramento de pessoal militar – os Militar de Defesa – MD51-M-04 – Artigo 1.4 – seria enviada uma notificação ao comando do encontros e para sempre na mitologia da querida
vinculado ao Ministério da Defesa. sistemas, meios operacionais e recursos Ministério da Defesa, 2007. esquadrão, como de praxe e regulamentar. Após Turma de Prata. O Nestor vive e é real n
28 29
j

j
C
apitaneada pelos Estados Unidos, ajuda humanitária não logrou adentrar o comunidade internacional. Mas fica nisso.
formou-se, em muito pouco tempo, território venezuelano, fato que reforça a À medida que o tempo passa, agrava-se
uma sólida cooperação de cerca de solidez do Governo Maduro, comprovada cada vez mais a situação venezuelana, com
60 países – estando o Brasil incluído desde por milhares de fiéis seguidores que com- severas e imprevisíveis consequências
a primeira hora – quando reconheceram pareceram ao comício por ele promovido para o Brasil. Pouco provável, mas não fora
como legítima a autoproclamação de em Caracas, e enfraquece Gaidó, que terá de cogitações, pode até mesmo ocorrer
Juan Gaidó como presidente interino da de buscar novas formas de luta. uma tresloucada incursão militar venezue-
Venezuela. E chegamos ao tão propalado E chegamos ao D+1. O que fazer? lana no Brasil. O balão das pressões infla a
dia 23 de fevereiro, data previamente mar- Os Estados Unidos e os demais países todo o momento, e só há um caminho para
cada para a entrada da ajuda humanitária da coligação devem aumentar as suas esvaziá-lo: conversando! Conversando
em território venezuelano, a partir das pressões diplomáticas e econômicas com todos, venezuelanos e cubanos. E por
fronteiras do Brasil e da Colômbia, o que e podem, até mesmo, pautar eventuais que não fazê-lo com o próprio Maduro? Já
foi considerado por Maduro como uma in- aventuras militares. O objetivo é um só: chegamos ao ponto do não retorno? Não
terferência indevida nos assuntos internos derrubar Maduro. creio. Qualquer solução que se queira para
do país. Discordâncias à parte, é difícil não E quanto ao Brasil? Difícil prever, mas a Venezuela, nas presentes condições,
considerar essa ação como, de fato, uma não deveríamos continuar seguindo a passa por Maduro. Essa a tarefa que a
interferência no país vizinho, por mais que orientação norte-americana. Os objetivos diplomacia pode e sabe fazer, valendo-se,
a diplomacia tente descaracterizar essa dos Estados Unidos são muito diversos dos até mesmo, da diplomacia militar, pelos
condição. nossos, e longe de querer simplesmente a excelentes contatos que ao longo dos anos
A união episódica dos Estados Unidos queda de Maduro buscam interromper a mantivemos com os oficiais venezuelanos.
com países da Comunidade Europeia e da crescente influência russa e chinesa em Quando comandei o Comando Militar
América Latina caracterizou o que sempre área geopolítica tradicionalmente do seu da Amazônia havia, periodicamente,
tememos possa ocorrer para a Amazônia: a interesse. O conflito da Venezuela traz para a encontros com os nossos congêneres
imposição, por organismos internacionais, América Latina, especialmente para o Brasil, fronteiriços, que em muito facilitavam as
de medidas restritivas que afetem a nossa a problemática europeia e os germes de uma ações de coordenação a implementar.
soberania, por supostamente contrariar nova e imprevisível guerra fria do século 21, Agora, após o dia 23 de fevereiro, este
eventuais políticas relacionadas ao meio que julgávamos há muito ultrapassada. é o momento mais propício para conversar.
ambiente, à problemática indígena ou à Por outro lado, os interesses brasileiros Tornou-se evidente que o Governo Maduro
ocupação espacial. O entusiástico apoio de convivência pacífica, conciliação, respei- está enfraquecido, tanto internamente
da nossa diplomacia a essa intervenção to e autodeterminação dos povos, princípios como em nível internacional. Mas ainda
abre um perigoso precedente para o Brasil. basilares da nossa diplomacia, aplicam-se, tem fôlego para durar. Os altos chefes
A quase unanimidade da comunidade com alta prioridade, aos nossos vizinhos. militares e os principais líderes políticos
internacional reconhece que o governo Aqui, uma pergunta crucial: o que fez ou venezuelanos, muito provavelmente, têm
corrupto de Maduro não pode continuar, tem feito a nossa diplomacia para aliviar as esse sentimento. Uma séria e convincente
e que isso só ocorrerá com a tomada de tensões com a Venezuela, país de longas e conversa diplomática pode abreviar a sua
posição das Forças Armadas bolivarianas, profícuas relações com o Brasil? saída de cena sem traumatismos.
Gen Ex Luiz Gonzaga Schroeder Lessa disputadíssimas por todas as par tes Já foi dito que a diplomacia é a A ação diplomática junto a Maduro
envolvidas: o governo tentando, a todo arte do impossível, e enquanto houver não exclui Gaidó e outros importantes
Nos últimos dias, a América do Sul custo, manter a sua lealdade, e a oposição disposição para conversar sempre haverá próceres presos, como Leopoldo Lopes
foi sacudida por considerável buscando fracionar a sua unidade e anga- possibilidade de se encaminhar e resolver e Henrique Caprilles, até chegar à tão
instabilidade política na Venezuela, riar a sua confiança. os litígios. Exemplo mais contundente desejada convocação para eleições gerais.
precipitada pela entrada Ao reconhecer Gaidó como presidente dos dias de hoje é a península coreana, A crise venezuelana deixa uma im-
no país da chamada ajuda humanitária. interino, Brasil, Estados Unidos e demais que evoluiu de quase uma guerra nuclear portante lição para as Forças Armadas
países esperavam por uma rápida dete- para um ambiente de relativa paz, com brasileiras. É imperativo reforçar o nosso

VENEZUELA
rioração do Governo Maduro, o que não sensível redução da tensão mundial. Parece dispositivo militar, particularmente, em
ocorreu. Além do aumento das pressões que temos atuado muito timidamente na Manaus e Boa Vista. No tocante ao Exército,
norte-americanas já existentes, foi pla- busca de uma solução que melhor atenda há que se dotar a 1ª Brigada de Infantaria
nejada a ajuda humanitária, que serviria aos interesses brasileiros. O governo de de Selva, entre outros meios, com um
para amenizar as agruras da população, Juan Gaidó é ainda um sonho quimérico, regimento de carros de combate, um grupo
mas, também e principalmente, como uma grande promessa, mas faltam-lhe os de artilharia antiaérea e um batalhão de

RISCO CALCULADO?
um teste de lealdade das Forças Armadas instrumentos básicos do Estado para que infantaria mecanizado (seja por criação
bolivarianas. possa, efetivamente, exercer a sua autori- ou transformação). É o mínimo, capaz de
Apesar dos violentos protestos que dade de presidente. É grande a sua força permitir uma pronta resposta a possíveis
resultaram em vários mortos e feridos, a moral e o respaldo político granjeado na ameaças sobre a nossa fronteira norte n
30 31
j

j
POR QUE
UMA SECRETARIA
DA FAMÍLIA? Angela Vidal Gandra da Silva Martins
Secretária Nacional da Família e doutora em
Filosofia do Direito pela Universidade Federal do
Rio Grande do Sul
at@gandramartins.adv.br

P
ela pr imeir a vez no Br asil, o que o respeito pelo outro se enraíza e embasada também por Wilhelm Reich,
governo disponibiliza um serviço a dignidade da pessoa se torna efetiva- foi revisitada e mitigada.
especial concentrado na família, mente normativa. Os grandes temas da Secretaria
já existente em países como Alemanha, Muitos podem se perguntar se pensar da Família serão, portanto, a projeção
Canadá, Austrália e Coreia do Sul. sobre a família, a partir do governo, não social e econômica da família, o equi-
O convite recebido pela ministra significaria uma intromissão na esfera líbrio trabalho-família e a solidariedade
Damares Alves – que, de certa forma, privada. Se esta fosse a perspectiva, intergeracional. Para poder encontrar
encarna a alteridade – para ocupar o car- provavelmente o plano seria contrário soluções eficazes, contaremos com um
go de secretária da Família no Ministério à liberdade. A proposta, porém, é dia- observatório de estudos, pesquisas e
da Mulher, da Família e dos Direitos metralmente oposta. O foco na família avaliações para que o levantamento de
Humanos, fez-me refletir especialmente significa oferecer as bases para que a dados possa sustentar as ações com
sobre essa nova vertente pública e acerca família possa se consolidar internamente, base em evidências e, assim, capacitar-
de seu profundo papel, pensando no que sem que políticas públicas orientem -nos adequadamente para corresponder
pode significar esse trabalho em equipe suas decisões de forma pragmática e, às expectativas da família brasileira.
para a conformação de uma ordem social na maioria das vezes, paternalista e Nesse sentido, esse órgão oferecerá
justa, harmônica e realizada, em que o ineficiente. ainda informações básicas para que a
bem individual reflete no bem da polis e Por outro lado, visando ao flores- família possa tomar decisões reflexivas
vice-versa. cimento humano e ao consequente a partir de sua autonomia.
O projeto apresenta-se fascinante desenvolvimento social e econômico A Secretaria da Família constitui,
no sentido de ancorar-se na primeira integral, a Secretaria da Família investirá de fato, uma estrutura inédita no Brasil,
comunidade, na qual o futuro cidadão no núcleo familiar, não de forma utilitaris- projetada a investir no essencial, já que
pode firmar-se e fortalecer sua noção ta, mas apostando em sua capacidade de muitos problemas sociais podem ser
de co-pertença. autogestão rumo ao bem comum. evitados com o devido protagonismo da
Edificar uma sociedade à margem De fato, é ostensiva a relação entre família, desde o preconceito à violência,
da família seria realmente um contras- equilíbrio familiar e produtividade. Nesse passando pelos desequilíbrios afetivos,
senso, pois esta é o alicerce inicial do sentido, é interessante a comparação que, em muitos casos, fundamentam o
processo de desenvolvimento pessoal, histórica com o início da implementação recurso a drogas e outros subterfúgios.
capaz de tornar um ser humano seguro da teoria marxista – avessa à família Dessa forma, a mudança esperada
de si. Por outro lado, a família é o agente co m o f un da m e n t o da p r o p r i e dad e pelos brasileiros, ainda que não imediata,
educativo de maior impacto social, privada – e seu retorno à instituição, já será efetivamente sustentável pela
já que se constitui no berço da ética que a instabilidade afetiva dificultava o solidez de uma saudável infraestrutura
individual e das relações pessoais, em rendimento laboral. Dessa forma, a tese, familiar n
32 33
j

j
A DERROTA DAS BANDEIRAS VERMELHAS
Percival Puggina
Membro da Academia Riograndense de Letras,
arquiteto, empresário e escritor
puggina@puggina.org

C
onheço muita gente que tem a derrota final de Cartago em 146 a. C. tegrante da cultura de todos os povos, séculos depois. Foi o martírio de São condado onde seu filho, Afonso Henriques, uma História tão rica e tão nossa possam
carteira de identidade, carteira que consolidaram o domínio romano no sem exceção. Não há povo sem religião. Hermenegildo por determinação do próprio viria a se proclamar rei. Expulsou os mou- conviver com esse complexo de cachorro
do trabalho, título eleitoral, pas- Mediterrâneo, a conquista da Ibéria e, nela, Entremeado com a História, o cristianismo pai, o rei visigodo Leovigildo, que converteu ros, defendeu suas fronteiras dos vizinhos vira-latas, no dizer de Nelson Rodrigues?
saporte, mas não sabe quem é. Embora o surgimento da pequena província romana está na essência de nossa cultura. A seu irmão e futuro rei Recaredo, levando-o e obteve reconhecimento pontifício da Donde esse sentimento que, a muitos, faz
os documentos informem que o sujeito é chamada Lusitânia. Ora, sem a presença Península Ibérica, onde estão cravadas as a convocar o III Concílio de Toledo (589) e independência em 1179. Nos três séculos rastejar culpas e remorsos, rumo a um
cidadão brasileiro, ele não tem a menor dos romanos, talvez o povo da região raízes da nacionalidade brasileira somente dando início à longa História da Espanha seguintes, o pequeno Portugal disputaria estuário de vilanias e maldições?
ideia do que isso significa. Aliás, parcela falasse o idioma púnico dos cartagineses, se tornou católica em virtude de episódios católica e visigótica. Também essa história com a Espanha o primado entre as nações Há em nossa História, como na de
de nossa população dá sinais de se ver ou o germânico dos suevos, ou o gótico decisivos ocorridos no final do 6º século. é indissociavelmente nossa. daquele tempo, andaria por mares nunca qualquer povo, cantos escuros, páginas
como um mamão, que aparece do nada, dos visigodos que incorporaram, em 585 Fatos e feitos marcantes, conduzidos pelo Naquela extremidade do continente dantes navegados e ampliaria o mapa tristes, fatos reprováveis. Modernamente,
grudado a um pé de planta, o mamoeiro d.C., a região da Galícia e Portugal. Essa Senhor da História, aconteceram para que europeu nasceria Portugal quando Afonso mundi levando a fé e o império. O Brasil foi muitas nações estão expostas ao mesmo
Brasil, no qual se nutre até, um dia, cair história é nossa história. a cruz assinalasse o velame das caravelas VI de Leão e Castela presenteou seu genro, parte dessa epopeia narrada por Camões. revisionismo, às mesmas árduas penitên-
do pé. Raros são os que se percebem A religião, por sua vez, é parte in- portuguesas que chegaram ao Brasil nove o conde Henrique de Borgonha, com o Como entender que herdeiros de cias e remordimentos que servem às novas
dentro de uma linha histórica. E esta linha, versões da luta de classe marxista. De
como regra quase geral, se e quando todas essas nações, porém, nos chegam,
apresentada, o é de modo a merecer também e principalmente, lições de orgulho
nenhuma estima. Até bem recentemente, nacional, de culto a seus grandes vultos e
ser brasileiro não era algo que infundisse feitos, de cidades adornadas com monu-
sentimentos positivos. mentos a eles erguidos como reverência
Apesar de nos meus tempos de de sucessivas gerações.
colégio haver estudado História como se Nós, brasileiros, somos herdeiros da
come bergamota, um gomo depois de mais elevada civilização que a Humanidade
outro – História do Brasil, História Geral, produziu. No entanto… Onde estão nossos
História do Rio Grande – sempre me inte- monumentos a Bonifácio, Mauá, Caxias,
ressei pela bergamota inteira. Os pontos Nabuco, Patrocínio, Pedro II, Isabel, Rio
de contato habitualmente mencionados Branco, Rui? Quantos brasileiros consegui-
eram sempre três e apenas três: Tomada riam escrever cinco linhas sobre qualquer
de Constantinopla originando as Grandes deles? O que estou a narrar começou com
Navegações, União Ibérica produzindo as a mal conduzida propaganda republicana
encrencas no Prata, Guerras Napoleônicas anterior e posterior à Proclamação, no
determinando a vinda da Família Real. intuito de romper nossas raízes europeias.
Estes eventos, porém, são apresentados Nada, porém, agravou tanto essa
como meras relações de causa e efeito e dificuldade nacional quanto a História
nada dizem sobre o que realmente importa. ensinada em sala de aula como pauta
Quando empreendemos a busca de nossas política, que vem fazendo dos conflitos
raízes, vamos realmente longe, voamos sociais o próprio oxigênio sem o qual não
realmente alto e não há como não valori- consegue respirar.
zarmos nosso passado e herança cultural Se não vemos dignidade em nossa
e civilizacional: idioma, fé e integração ao História, dificilmente a veremos em nós
Ocidente. e muito mais dificilmente a veremos nos
O idioma que falamos é importantís- demais. Se não temos raízes, se elas são
simo patrimônio cultural, fator de unidade rompidas, tombamos ao menor impacto.
e de identidade. Muita coisa aconteceu na Parte importante da mudança política
História para que o latim vulgar chegasse ocorrida no ano passado é o reencontro
à Lusitânia romana e se tornasse o idioma do povo brasileiro com o amor ao Brasil.
que aprendemos da voz dos nossos pais. Verde e amarelo, ele representa a derrota
Com efeito, foram as Guerras Púnicas e das amargas bandeiras vermelhas n
34 35
j

j
TRANSPORTE INTERMODAL DOMÉSTICO DE PASSAGEIROS
UMA SOLUÇÃO

Sérgio Leal da Costa


Cel Int
Professor convidado do curso de Engenharia de Produção
da UFRJ. Bacharel em Direito e Estatística, Mestre
e doutor em Engenharia de Produção - COPPE/UFRJ
sergiolealcosta@yahoo.com.br

A
Logística, ciência que trata da suas atividades, que vão da determinação Ainda como exemplo, podemos citar Considerando o recente contato das no atendimento às suas necessidades de artigo é a apresentação de uma solução
“Previsão e da Provisão” de bens e de necessidades à distribuição (disponi- a campanha da Normandia, quando foram áreas pública e privada com a “cultura autopeças. para o transporte intermodal doméstico
serviços, tem despertado especial bilização). disponibilizados suprimentos, cuja relação logística”, é compreensível que a função A partir deste ponto, concentraremos de passageiros.
interesse nas áreas pública e privada. Até Basta recordar que os Romanos, era de 26 toneladas por combatente. distribuição (disponibilização) e suas nossa exposição na função distribuição, Tal solução foi concebida em 2007 e,
então, o desenvolvimento desta “ciência” em suas incursões na Europa e Norte da Aproveitando a oportunidade, jul- atividades venham prendendo a atenção cujo planejamento destina-se: proposta com detalhes, após exaustivas
estava restrito à área militar. África, já elaboravam o planejamento das gou-se pertinente ilustrar o tema com dos interessados. l À seleção do modal (terrestre/ análises, em Tese de Doutoramento, do
A presteza na obtenção e na dispo- necessidades de suas legiões, inclusive a apresentação do “Fluxo Logístico de Realmente, as atividades logísticas aquátil/aéreo) que mais se adequa ao Autor, em Engenharia de Produção, na
nibilização dos referidos bens e serviços do transporte, com vistas às campanhas Suprimento”, Figura 1, a fim de que se possa relacionadas a tal função (distribuição) transporte de cargas e pessoas; COPPE/UFRJ, em 2012.
cer tamente chamou a atenção dos bélicas que empreenderam. O termo identificar as funções que participam afloram, em primeira instância, como l À escolha do veículo, no qual serão

responsáveis pelas funções logísticas e Logística era tratado por “Logisticus”. desse fluxo. se tivessem importância máxima, o que acomodadas tais cargas e pessoas, INFLUÊNCIAS SOBRE
não é verdade. investigando, inclusive, a produtividade de O ACESSO A UM
AQUISIÇÃO Entretanto a disponibilização de tal veículo (P=Ton. x Km/H), relacionada AEROPORTO
DETERMINAÇÃO bens e serviços assume papel extrema- à sua capacidade de transporte e; O fator tempo guarda íntima relação
RECEBIMENTO ARMAZENAGEM DISTRIBUIÇÃO mente relevante para os destinatários l Ao estudo das vias, através das com o transporte aéreo de passageiros.
DE NECESSIDADES
(usuários). quais serão feitos os deslocamentos. As frequências de voos são pre-
FABRICAÇÃO É possível citar o exemplo da mon- As considerações iniciais não se- viamente programadas e há absoluta
1 - DETERMINAÇÃO
tadora de veículos Toyota, que instituiu rão prolongadas, mesmo que julgadas necessidade de cumprimento dos horários
DE NECESSIDADES 2 - OBTENÇÃO 3 - RECEBIMENTO 4 - ARMAZENAGEM 5 - DISTRIBUIÇÃO
a “filosofia just-in-time” em suas linhas, opor tunas para difusão da “cultura pré-fixados para os mesmos, os quais não
Figura 1: Fluxo Logístico de Suprimento posto que estas dependem da presteza logística”, posto que o objetivo neste oferecem tolerância aos usuários.
36 37
j

j
Portanto, o atendimento aos horários segurança aos pousos e decolagens, além INTEGRAÇÃO O terminal marítimo da Praia de São das. Neste caso, seria uma saída não só Diante de tal monta foram desen-
dos voos depende, essencialmente, das de o AIRJ constituir-se em alternativa INTERMODAL Bento (Galeão) já existe e poderá exigir para problemas de congestionamentos volvidos cálculos que nos permitem
condições de acesso aos aeroportos, os para os casos de inoperância do Santos- Conforme abordado anteriormente, algumas adaptações, inclusive ponto de e segurança, como também para a forte estimar as quantidades de CO2 lançado
quais, via de regra, se situam em locais Dumont. o acesso de usuários do AIRJ tem sido embarque de passageiros em veículo dependência de combustíveis como o na atmosfera e o que ocorreria para os
afastados dos centros urbanos. Diante de tais aspectos, temos feito através de vias terrestres, as quais terrestre articulado, tipo BRT. Segundo diesel e gasolina. A Figura 3 apresenta a diversos níveis de substituição de via-
O crescimento urbano desordenado, convicção de que um acesso mais rápido, atingem seus pontos de saturação, a Cia. Barcas S.A. seria necessária versão elétrica do catamarã. gens de táxi pelas viagens de Catamarã.
principalmente quando há aumento seguro e confortável poderá justificar o principalmente nos horários de “pico”, dragagem de apenas 70 m3 de areia para Na greve de caminhoneiros, que Há que se considerar que, embora o
considerável da densidade demográfica, deslocamento de passageiros de voos quando não interditadas em razão de atracação do veículo marítimo. ocorreu recentemente, percebeu-se o diesel marítimo utilizado pelo Catamarãs
culmina por causar congestionamento domésticos, para embarque no AIRJ, obras, acidentes ou outros motivos. O veículo marítimo a ser conside- quão refém a população brasileira e seja mais poluente que o gás natural
das vias de acesso aos aeroportos. considerando-se, inclusive, sua subuti- Portanto, os passageiros não têm rado poderá ser o “Catamarã Seletivo”, consequentemente, a carioca, está de utilizado pelos tá xis, se somente o
A situação se agrava quando há lização, devidamente comprovada diante garantia de atendimento aos horários embarcação já utilizada em algumas combustíveis para o setor de transporte. Catamarã for utilizado, 74 mil toneladas
concentração populacional em suas das projeções elaboradas. de voos no AIRJ, em especial dos voos linhas em funcionamento na Baía de O país enfrentou problemas como acesso de CO2 deixariam de ser lançadas na
adjacências (dos aeroportos), e em razão domésticos, utilizados em bom número Guanabara, com capacidade para até de colaboradores das empresas ao atmosfera, a cada ano.
de a expansão urbana não ocorrer de INCREMENTO por passageiros que se deslocam ao Rio 300 passageiros. trabalho, os alimentos não chegavam Além disso, no caso da utilização
forma planejada. NO TRÁFEGO de Janeiro a serviço e dependem de breve Será necessária coordenação entre aos supermercados, o desequilíbrio dos das balsas elétricas como alternativa
Os aspectos abordados neste tópico DE PASSAGEIROS NO AIRJ – retorno aos locais de origem. as companhias aéreas e a operadoras preços, ou seja, em poucos dias o país de veículo marítimo, considerando o
refletem as dificuldades, ora enfrentadas, CONDIÇÕES FAVORÁVEIS Diante das razões expostas, das dos veículos marítimos e terrestres, po- e a cidade do Rio de Janeiro enfrentaram motor puramente elétrico, as emissões
no acesso ao Aeroporto Internacional Além das condições operacionais do opções atualmente disponíveis para dendo os valores dos deslocamentos in- situações de caos. Ao considerar esta de CO2 relacionadas ao funcionamento
do Galeão, cujas soluções não têm se aeródromo, altamente favoráveis, o AIRJ acesso ao AIRJ, todas alicerçadas em tegrarem os das passagens aéreas,como alternativa de transporte intermodal com da embarcação poderiam ser reduzidas
mostrado nem eficientes, nem eficazes, conta com pistas de grandes dimensões transporte terrestre, cujas condições e pode ser visto na Figura 2. catamarãs elétricos, a cidade estaria a quase zero.
com a sobrecarga verificada no aeroporto e que permitem pousos e decolagens trajetos nem sempre são compatíveis A alternativa intermodal ajudaria dando um novo passo na direção de
central, ou seja, o Santos-Dumont. de aeronaves de grande porte e maior com o perfil dos usuários do transporte a melhorar o trânsito de pessoas na reduzir a dependência dos combustíveis, CONCLUSÃO
capacidade de passageiros. aéreo, foi concebida solução inovadora, cidade como um todo, pois não atenderia além de propor um modelo mais susten- Concluímos, pois, que a Logística
VOOS DOMÉSTICOS – O AIRJ acha-se ocioso, posto que sua a qual contempla o transporte intermodal, somente aos passageiros aeroviários. tável para o transporte como um todo na em nosso país está a demandar soluções
PREFERÊNCIA capacidade é prevista para até 37 milhões ou seja, a integração das modalidades Poderia atender também a outras de- cidade do Rio de Janeiro simples e inovadoras, em todas as suas
PELO AEROPORTO de passageiros/ano e, há previsão de terrestre e marítima. mandas de transporte na cidade, que é funções e atividades, com a urgente
SANTOS-DUMONT que o tráfego de passageiros atinja 20,5 Para o trajeto marítimo poderão ser extremamente dependente do sistema CONTEMPLANDO melhoria de nossa infraestrutura, dispo-
Diante das dificuldades de acesso milhões, em 2020. aproveitados os terminais existentes na rodoviário e que enfrenta problemas di- O MEIO-AMBIENTE nibilizando, para a sociedade, condições
ao Aeroporto Internacional do Galeão O aeródromo comporta 42 pousos Praça XV e na Praia de São Bento, na Ilha ários de congestionamentos, segurança Consideremos que o tráfego de mais avançadas de vida e em estrito
(AIRJ), os usuários de voos domésticos e decolagens/hora e sua utilização está do Governador (Galeão). e alto custo. passageiros no AIRJ atinja o total de respeito ao meio-ambiente.
têm optado pelo embarque no aeroporto muito longe disso. Alternativamente ao terminal da Além disso, o Laboratório H2 da 20 milhões de passageiros/ano e que Enfim, há que se visar ao fortalecimento
central do Rio de Janeiro, no caso, o Julga-se oportuno lembrar que so- Praça XV, poderá ser construído, a baixo COPPE/UFRJ tem estudado uma versão estes, segundo levantamentos feitos de todas as expressões do poder nacional
Aeroporto Santos-Dumont. mente o terminal 2 está em operação custo, um pequeno “píer” ou platafor- elétrica para os catamarãs, que poderiam pela INFRAERO, demandem 10 milhões – psicossocial, econômica, política,
Sabe-se que o acesso de usuários e tem atendido passageiros de voos ma flutuante na cabeceira da pista do ser utilizados nessas mesmas rotas cita- de viagens, somente de táxis. defesa e ciência e tecnologia n
ao AIRJ é feito exclusivamente por via internacionais e domésticos. Aeroporto Santos-Dumont.
Figura 3: Catamarã elétrico
terrestre. Tais vias atingiram seus pontos
Figura 2: Catamarã Seletivo
de saturação, principalmente nos horários
de “pico”.
Na conjuntura atual, a segurança
no traslado de passageiros também se
acha comprometida, posto que o deslo-
camento se dá através de comunidades
conflagradas.
Por outro lado, o Aeroporto Santos-
Dumont caminha para o ponto de satu- Dados técnicos do Catamarã Seletivo Profundidade na atracação: 2,50 m Dados Técnicos do Catamarã elétrico
Capacidade: 237,310 ou 430 passageiros Potência do(s) motor(s): 1.050 kw cada Propulsão é feita com motores elétricos
ração e, em determinados momentos
Linha em operação: Pça XV/Charitas (Niterói) Combustível: Óleo diesel marítimo Sistema de armazenamento de energia é conectável à rede elétrica portuária para recarga
já se verificam filas de aeronaves para
Velocidade média: 22 nós (40 km /h) Consumo: 20 litros por milha navegada Capacidade de 100 passageiros e 2 tripulantes
decolagem. Possui ar condicionado e bicicletário
Tempo de viagem (Pça XV/Galeão): 15 min Distância estimada entre Praça XV/Galeão: 7,5
Acrescente-se que os recursos Velocidades de operação entre 12 e 18 nós.
Material de construção: Alumínio milhas náuticas (14 km)
operacionais do AIRJ oferecem maior Calado: 1,52 m Fonte: Barcas S.A. Fonte: Tracel, 2018

38 39
j

j
A ESCOLA DE COMANDO E ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO
Ives Gandra da Silva Martins
Jurista
Advogado e professor emérito da Universidade Mackenzie,
da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército e da Escola Superior de Guerra.
igm@gandramartins.adv.br

Uma democracia sem defesa fica à mercê


de salvadores da pátria e de ditadores potenciais

A
Escola de Comando e Estado-Maior desafios do País, internos e externos, e
do Exército (Eceme) criou, desde a debatê-los – é a plena consciência que
1989, um ano após a promulgação todos eles têm de que o Exército é uma
da atual Constituição, programa intitu- instituição do Estado a serviço do povo e
lado Curso de Política, Estratégia e Alta da Constituição. Minha experiência é de
Administração do Exército (CPEAEx), para que servem à democracia, no interesse
aperfeiçoamento de coronéis. Quando da da Nação, sem nenhum viés ideológico,
sua criação, na linha da Constituição demo- pois distinguem o que são as correntes
crática aprovada em 5 de outubro do ano políticas, com seu necessário conteúdo
anterior, a intenção foi escolher coronéis ideológico, do que possam ser as funções
que pudessem ser nomeados generais próprias de um Estado organizado de
ao fim do curso, fazendo-os passar um Direito, ou seja, uma democracia. Sabem
ano na escola situada na Praia Vermelha que são uma instituição do Estado, mais
estudando questões de natureza constitu- que do governo, a serviço não desta
cional, econômica, social e política, com ou daquela ideologia, mas a serviço da
professores universitários, especialistas e Constituição e da democracia.
autoridades dos Três Poderes. Não sem razão o artigo 142 da Lei
Comecei a lecionar na Eceme em 1990 Suprema – assim redigido: “As Forças
e este ano completei 30 anos, proferindo Armadas, constituídas pela Marinha, pelo
palestras no CPEAEx e transmitindo a Exército e pela Aeronáutica, são institui- as tarefas de garantir, de um lado, a fica à mercê de salvadores da pátria e Foi esse o espírito que levou à pelo povo (Legislativo e Executivo), e o
seus participantes conhecimentos na área ções nacionais permanentes e regulares, democracia, em eventual crise, e de repor de ditadores potenciais, como se pode criação do CPEAEx, para os coronéis de Poder técnico, escolhido em concurso ou
de minha titulação acadêmica (Direito organizadas com base na hierarquia e a lei e a ordem em eventual conflito entre ver atualmente na Venezuela, onde sua cujas turmas sairão promoções a general nos termos da Lei Suprema (Judiciário),
Constitucional), embora não poucas na disciplina, sob a autoridade suprema os Poderes. Constituição, que garante a democracia de brigada, não só porque, de um lado, tenham plena garantia de que suas funções
vezes discutindo as grandes questões do Presidente da República, e destinam- À evidência, a defesa da Pátria – o e os direitos individuais, não tem meca- têm a oportunidade de obter mais ele- serão constitucionalmente protegidas, para
econômicas, sociais e políticas. -se à defesa da Pátria, à garantia dos vocábulo aparece com toda a sua densidade nismos e salvaguardas contra a ditadura. mentos para compreender a conjuntura o bem da democracia brasileira.
A maioria dos generais veio do CPEAEx, poderes constitucionais e, por iniciativa de ôntica na Carta da República ao tratar das Percebe-se, portanto, que a mais nacional e internacional, como, de outro, Quando Ulysses Guimarães, num
muito embora possam alguns deles ter qualquer destes, da lei e da ordem” – dá Forças Armadas – contra o inimigo externo democrática Constituição do Brasil, por serem servidores permanentes da arroubo pouco técnico, mas impregnado
cursado idêntico programa na Escola de às instituições armadas as funções de é sua principal função. Tanto é que o Título amplamente discutida por constituintes e Carta Magna. da r eal von t ade popular, declar ou
Guerra Naval ou na Escola da Aeronáutica, defesa da Pátria, de garantir os Poderes V da Constituição tem por denominação Da pela sociedade – nos primeiros meses, os Esse perfil das Forças Armadas – nos que a Constituição brasileira era uma
visto que na Eceme todo o ano recebemos constitucionais e de reposição da lei e da Defesa do Estado e das Instituições constituintes apenas ouviram professores dias atuais, de pouco conhecimento da “Consti tuição cidadã”, desenhou o
um capitão de mar e guerra (Marinha) ordem, se solicitação houver de qualquer Democráticas, cuidando dos mecanismos universitários, líderes empresariais e população e da imprensa – corresponde à verdadeiro panorama da atual República,
e um coronel da Aeronáutica, o mesmo dos três Poderes. para superação de crises (estado de defesa sindicais, além de especialistas sobre os realidade nacional, tendo eu a plena con- que, nada obstante as crises por que
Fonte: O Estado de São Paulo

ocorrendo com as duas escolas das outras Percebe-se que o constituinte, sabia- e estado de sítio) e das instituições para temas escolhidos para integrarem a Carta vicção, como velho advogado e professor passou, fundamentada está num texto,
Armas (Guerra Naval e Aeronáutica), que mente, ao hospedar o Estado Democrático garantirem a democracia (Forças Armadas Maior –, outorgou às Forças Armadas o de Direito, de que, sendo as guardiãs muitas vezes criticado por sua adiposidade
recebem um coronel do Exército. de Direito com seus fundamentos no artigo e forças de segurança pública). supremo papel de garantir as instituições e da democracia e da Constituição, estão, e constante necessidade de reajustes,
Um dos aspectos mais relevantes 1º da Carta da República, e alicerçá-lo na Aricê Amaral Santos denominava repor a lei e a ordem, a pedido de qualquer cultural e moralmente, preparadas para o mas não no que diz respeito à estabilidade
desse curso – em que os coronéis passam harmonia e independência dos Poderes esse título de “direito constitucional das dos Poderes, se forem tisnados em conflito exercício de sua relevantíssima função, a das instituições e à garantia dos direitos
a conhecer em profundidade os grandes no artigo 2º, outorgou às Forças Armadas crises”, pois uma democracia sem defesa não democrático. fim de que os Poderes políticos, escolhidos individuais n
40 41
j

j
PROEZAS
DO SA-16 ALBATROZ
Ten Brig Ar Masao Kawanami
maskaw@hotmail.com

COM O CAP AV SÍLVIO ROMERO Chegada not ur na em Our inhos. o pouso. É um pouso rápido, semelhante ao Para essas circunstâncias, a única Av Kauffmann e Ten Av Eugênio, no Rio A lição a ser retirada dessa ocorrência

E ra um fim de tarde em Cumbica, em Identificamos a cidade e a localização do usado em missões de assalto. alternativa segura para pouso é realizá-lo Guamá, em Belém do Pará: foi a validação da instrução que o esqua-
meados do ano de 1959. O expediente aeródromo com a emissora de rádio local, Como não se via a torre, reportei o pou- inteiramente em condições de voo por No dia 9 de fevereiro de 1960, de- drão, desde o início, sempre destacou
no 2º/10º GAv já havia terminado. O oficial o que foi facilitado pela movimentação dos so, e a torre retornou: – Confirme se na pista. instrumentos: 1) Fazemos um voo a 500 colamos de Belém para uma missão de para a formação dos pilotos de Busca e
de operações, através da sala de tráfego da carros e o balizamento de emergência feito – Afirmativo – respondi, fazendo 180°. A torre pés de altura com radioaltímetro para veri- instrução de navegação radar noturna, no Salvamento no avião SA-16.
Base, informa o 2º/10º GAv que o SALVAER- com faróis de carros ao longo da pista, orientou estacionar no pátio das autoridades, ficação da área escolhida e outro sobrevoo trecho BE/SL (Belém do Pará/São Luís do
SP está acionando o SAR para uma Missão fazendo ângulo de 30° a 45°, com o sentido onde a ambulância já estava aguardando. a 150 pés, para verificação da presença Maranhão), sem pouso em São Luís. A tri- COM O TEN AV BOANERGES
de Misericórdia (MMI) em Ourinhos (SP).
Missão já devidamente autorizada pelo
de pouso dos dois lados da pista de terra.
Estacionamos no pátio e embarcamos
a paciente e decolamos para São Paulo.
Como de hábito, em situações especiais, o
comandante da Base acompanhava o voo,
e foi ele, o então Cel Av Faria Lima, quem
de tocos e outros objetos flutuantes; 2)
Fazemos uma tomada de pouso, também
com 15° de flap e 120 nós de velocidade;
pulação era composta pelo Cap Kauffmann
(Instrutor) e pelos tenentes Eugênio e
Lyra (Alunos). A viagem transcorreu sem
E m uma manhã clara, por volta das 9h30
local, levando uma equipe do DNERu para
DDTização de um vilarejo às margens da foz do
comando da então Quarta Zona Aérea e
ciência do comandante da Base Aérea de Aproximadamente 20 minutos fora de chamou a aeronave para estacionar. Era uma 3) Inicia-se a final para pouso com 100 incidentes até o pouso em Belém, quando Rio Araguaia, perto de Portel, foi necessário
São Paulo. Tratava-se do transporte de Congonhas, o Controle São Paulo mandou figura humana rara, principalmente para os nós e 200 pés de descida no climb; 4) O ao comandar o trem de pouso o mesmo realizar um pouso por instrumentos. Após
uma senhora de Ourinhos para Congonhas seguir para Cumbica, Guarulhos, porque dias de hoje. A paciente chegou a tempo no 2P fica atento olhando para fora e também não funcionou, permanecendo travado em todos os procedimentos já mencionados
(SP), com problema cardíaco, com destino Congonhas havia fechado com nevoeiro de Hospital das Clínicas. na pilotagem; é preciso ter atenção quando cima, deixando-nos a opção de pousarmos anteriormente, os instrumentos indicaram o
ao Hospital das Clínicas. superfície. Ao chegarmos em Cumbica, a o radioaltímetro indicar abaixo de 50 pés no Rio Guamá. A região do Rio Guamá, nas momento de reduzir uma a duas polegadas
A tripulação de sobreaviso é imediata- torre informou que o aeródromo também POUSO N’ÁGUA e o climb subir para zero, a fim de reduzir proximidades da Base Aérea e do Distrito de compressão dos motores. O 2P, Ten Av
mente acionada, da qual eu, casualmente, fechara. O Cap Monteiro mandou reportar POR INSTRUMENTOS uma a duas polegadas de compressão Naval era, àquela hora da noite (meia-noite) Boanerges, atento, percebeu que eu estava
naquele dia, fazia parte. Reunida a tripu-
lação, após rápido brifim, damos início
que iríamos fazer um procedimento ten-
tativa. Iniciamos o procedimento a 5.000
pés, conforme a CAI para pista 09, com
Q uando a superfície das águas dos rios e
lagos se apresenta calma e lisa, num dia
sem vento, fica totalmente espelhada, com
da potência do motor, segurando o nariz
acima do horizonte; 5) Nesse instante,
a aeronave pousará, deslizando sobre
muito movimentada por pequenos barcos
que abasteciam o mercado do Ver o Peso.
Em consequência, tornou-se necessário
iniciando a redução de potência, e foi me
alertar dizendo em voz alta: – Está ALLL... – e
o avião deslizou suavemente sobre a água.
ao cumprimento da missão: embarque,
partida nos motores, rolagem para a pista vento calmo/nulo. O Cap Sílvio Monteiro a imagem das nuvens refletidas. Nessas a água no segundo degrau do casco. acionar o Distrito Naval para que com seus O Ten Boanerges levou um tremendo susto,
em uso e decolagem. Fiquei na pilotagem disse para eu não acender os faróis e condições, perde-se completamente a noção O impor tante é que as asas estejam meios desimpedisse a área e possibilitasse e disse: – Ihhh, pousou!
como 1º Piloto, e o Cap Av Sílvio Monteiro, avisar quando cruzássemos a cabeceira. O de profundidade, o que não dá qualquer niveladas até o fim, e com o nariz alto o pouso noturno por instrumentos (três Eu estava aguardando o toque n’água,
comandante da equipagem, como 2º Piloto, nevoeiro era ralo e pouco espesso. Após o condição de pouso visual n’água com uma e o motor reduzido termina-se o pouso, horas da madrugada), o que foi feito sem e não tive qualquer reação. Apenas completei a
ficou em contato com a torre, e, depois, ponto crítico, ele baixou a altura, seguiu as aeronave anfíbia ou hidro, podendo provocar com o manche colado ao peito. Segue-se problemas, pois um dos pousos mais amerissagem, e ficamos rindo. Isso aconteceu
com o Controle São Paulo, recebendo as luzes de direção da pista e, no que cruzou acidentes até com pouso com paraquedas a descrição feita pelo Brig Ar Eugênio, treinados pelos pilotos do esquadrão era em Araticum (PA), próximo a Portel, em 1962,
instruções de voo e os detalhes da missão. a cabeceira, deu todo o flap, completando individuais. do pouso n’água noturno dos então Cap o pouso n’água sob capota. sem acesso por terra até hoje, 2018 n
42 43
j

j
TCHÊ, O PILOTO
a perspectiva do fracasso. Não obstante, na Base Aérea de Canoas, equipado com ala da outra. Lá estava ele, sem capacete,
uns poucos companheiros enfrentavam os aeronaves North-American T-6. com o torso nu e os pés sobre o painel.
mesmos desafios com muita tranquilidade, Estava o Tenente De Souza (o Tchê) Balancei as asas da minha aeronave, ele
sem qualquer demonstração de estresse ou ministrando instrução de voo para um colocou o capacete, e estabelecemos
Maj Brig Ar Washington sequer de uma leve preocupação. Voar era aspirante, a cerca de oito mil pés de comunicação:
Carlos de C. Machado uma atividade natural para eles, parecia que altitude e 10 quilômetros de distância da – Tchê, o que está acontecendo?
wccm@terra.com.br haviam nascido já sabendo pilotar. Base, quando a aeronave T-6 apresentou – Nada, amigo. Está um dia lindo, e
Dentre esses felizardos, destacava-se uma pane que reduzia a capacidade de estou pegando um pouco de sol.
o Tchê, gaúcho de Santa Maria, que diziam tração da hélice. Em situações como – Com pés fora dos comandos e tão
voava desde quatorze anos. Antes e após essa, o manual de instrução determinava baixo assim, é muito perigoso. Você pode
cada sessão de instrução de voo, era que o instrutor assumisse prontamente perder o controle e entrar voando na água.
tratado como igual pelos oficiais aviadores. o comando da aeronave. Em lugar disso, A resposta foi a de sempre:
Discutiam e falavam sobre as manobras ordenou ao aluno: – Você é muito preocupado. Está tudo
aéreas realizadas como se não existissem – Está vendo a Base Aérea? bem. Fique tranquilo, avião não foi feito
diferenças entre instrutor e aluno. Ao – Sim. – respondeu ele. para cair.
contrário de mim, transparecia-lhe a – A aeronave está sob seu comando. Acompanhei-o por algum tempo
certeza do sucesso. Para ele, era como Se você conseguir pousar em segurança, e depois retornei para uma altitude de
se o avião fosse apenas a continuação de está aprovado e já poderá voar solo. Se segurança, e prossegui na minha rota.
seu corpo, coração e mente. A despeito não conseguir, ambos estaremos mortos. Pleno de vitalidade física e mental,
do seu espetacular talento para o voo, É simples assim. o nosso amigo Tchê transbordava felici-
daquele tipo que Deus reserva para poucos, O Aspirante, ainda com pouca expe- dade enquanto teve acesso à cabine de
sempre foi uma pessoa simples, alegre e riência de voo, sem qualquer interferência pilotagem de um avião militar. A partir
comunicativa. Comedido pela disciplina do Tchê, fez o melhor que pôde, mas não de sua transferência para a reserva da
militar, o seu espírito de gênio do voo conseguiu posicionar a aeronave na altitude Força Aérea, começou a definhar a olhos
libertava-se sempre que estava dentro da e distância adequadas da cabeceira da vistos. Não demonstrava qualquer sinal de
nacele de uma aeronave. pista. O pouso seguro naquela situação satisfação ou, sequer, de adaptação à vida
Embora não apresentasse discrepân- era improvável. longe dos seus voos mágicos. Finalmente,
cia significativa quanto aos seus colegas, – Bah, tchê! Você não passou no teste. acometido de uma séria doença mental,
no que tange ao comportamento militar e Morremos. passa seus dias em uma instituição es-
pessoal quando nas atividades de solo, em Dito isso, assumiu o comando e pecializada, com diagnóstico de condição
voo, suas artimanhas lhe custaram muitas executou (o que parecia impossível) uma irreversível. Não obstante, tenho forte
Oficiais Aviadores, que, somado aos co- de aviador militar, em cerimônia realizada punições disciplinares. Estranhamente, di- manobra radical, e pousou o T-6 de forma pressentimento de que, mais uma vez,
legas que cursaram a Escola Preparatória em 31 de maio de 1968. O estressante e ferentemente dos demais colegas, isso não suave e segura. Quando questionado sobre está me dizendo para não me preocupar
de Cadetes do Ar (EPCAR), os oriundos desafiador programa de instrução, com lhe trazia desgostos ou arrependimentos que manobra fora aquela, respondeu com com ele, pois; avião não foi feito para cair.
dos colégios militares e os que vieram do uma rígida seleção de pilotos militares, aparentes. O que não suportava era ficar tranquilidade que era uma mistura de peel O que faz todo o sentido; mais do que um
meio civil, como o Tchê e eu, totalizava acrescido de razões pessoais de foro sem voar. off com ilmmelman, criada e batizada por piloto, ele fazia parte do avião.
quase duas centenas de cadetes. Éramos e íntimo, potencializados pelo frustrante Eu, certa vez, preocupado com a ele de ilmmenoff. Para o Tenente De Souza, Com a certeza que a fé me traz, creio
somos a Turma Agora Vai, cujos princípios e decepcionante período sem atividade possibilidade de suas manobras virem a apenas mais um voo de rotina; para o que, a âncora física que o ata ao solo,
de ética, solidariedade e amizade nos aérea, foram as causas de tamanha des- causar um acidente grave, como amigo, aluno, uma experiência inesquecível. compensa-a com voos imaginários, entre
mantêm unidos até hoje. Todos nós, além proporção entre sonho e realidade. pedi que fosse mais cauteloso e evitasse De outra feita, estava eu pilotando uma nuvens e estrelas, realizando as suas
da formação acadêmica exigida, havíamos Dentre os formandos, uma boa parte, colocar em risco constante sua vida e a aeronave T-6, na rota entre Florianópolis e mágicas manobras. Com o passar do
sido aprovados em rigoroso exame médico na qual me incluo, fez um grande esforço de outros. A sua resposta expressa muito Canoas, em condições visuais e a cerca tempo, sua alma desligou-se totalmente da

C
onheci Marco Antônio Silveira (físico e mental) e estávamos aptos a para ser bem-sucedida. A cada fase da bem como se sentia dentro de um avião: de seis mil pés de altitude, quando avistei enfadonha realidade, criou asas e passou
de Souza, o Tchê, na Escola de realizar o sonho comum de ser oficiais da instrução de voo, sobrepunha-se um em- – Bah, tchê! Não se preocupe. Avião outra aeronave T-6 com as cores do 1º a voar por todos os céus do mundo, de dia
Aeronáutica, localizada no tra- Força Aérea Brasileira e pilotos militares. penho monumental para atingir as metas não foi feito para cair. ERA, voando a muito baixa altitude sobre e de noite. O piloto Tchê voltou a ser o que
dicional Campo dos Afonsos, berço da Decorridos quatro anos letivos, dos estabelecidas, condimentado com estres- Dentre tantas, apenas como exemplo o mar. Fiz várias chamadas pelo rádio na sempre fora: uma águia rainha dos céus
Aviação Militar brasileira, na cidade do Rio quais os dois primeiros dedicados à área se, incerteza, angústia e pesadelo. A cada de suas aventuras aéreas, cito duas que frequência do Esquadrão, sem qualquer com a motivação e a alegria de um Fernão
de Janeiro. Estávamos nos primeiros dias acadêmica e formação militar, isto é, colega que era desligado da instrução de presenciei, durante o curto período em resposta. Preocupado com uma eventual Capelo Gaivota.
do mês de janeiro de 1965 e integrávamos sem qualquer experiência de voo, apenas voo, sobrevinha o pensamento de que po- servimos juntos no Primeiro Esquadrão situação de emergência, aproximei minha Amigo, nos vemos no Céu dos
o primeiro ano do Curso de Formação de menos da metade de nós recebeu o brevê deríamos ser os próximos, aterrorizava-nos de Reconhecimento e Ataque (1º ERA), aeronave o máximo possível e entrei na Aviadores. Até breve! n
44 45
j

j
Maj Brig Méd Ricardo Luiz de G. Germano
rlgermano@hotmail.com

ENVELHECIMENTO
CARDIOVASCULAR
A
ação do tempo sobre o organismo é constituem o chamado continuum do 4. Etilismo: Deve ser moderado. As
inexorável. O efeito não é uniforme, envelhecimento cardiovascular. doses consideradas benéficas são cervejas
no entanto todos sofrem. O sistema Entretanto existem condições que (duas latas por 24 horas); whisky (100ml
cardiocirculatório sofre, apenas pelo podem acelerar e agravar o continuum. por 24 horas); e vinho (duas taças por 24
envelhecimento, alterações no coração Dentre estas temos: horas). O benefício é dado pelos polifenóis,
A idade
e nos vasos (principalmente as artérias). – Hábitos de vida – Sedentarismo, sendo o vinho tinto o mais eficiente. Deve
do sistema No coração, observa-se uma dimi- fumo, etilismo, uso de drogas ilícitas e ser lembrado que as doses citadas são por
cardiocirculatório nuição progressiva e lenta do músculo estresse emocional negativo crônico; 24 horas, não podendo ser somada a dose
tem mais valor com substituição por fibrose além de – Comorbidades – Obesidade (princi- da semana para usar no fim de semana; e
prognóstico enrijecimento das válvulas. Há também palmente intervisceral), diabetes mellitus, 5. Estresse emocional negativo crôni-
de expectativa uma reação de hipertrofia do ventrículo hipertensão ar terial sistêmica, doen- co: Tais como raiva, inveja, aborrecimentos
de vida do que esquerdo como consequência da menor ças crônicas (de rins, fígado, pulmões, no trabalho, dor, ansiedade, depressão
elasticidade das artérias. colagenoses etc.); e devem ser corretamente abordados e trata-
a idade
Nas artérias, destacam-se os vasos – Certos medicamentos – Muitos me- dos, pois têm efeito prejudicial em relação
cronológica. maiores (mais elásticos), onde ocorre dicamentos podem acelerar tal continuum, ao continuum. Por outro lado, a ajuda com
o endurecimento da camada média, porém na indicação do mesmo, deve ser boas ações, amor e sexo formam o lado
tornando-os menos elásticos e, portanto, levado em conta o balanço benefício/risco, positivo, com efeito benéfico.
mais resistentes (arteriosclerose). Tanto devendo prevalecer o benefício. – As Comorbidades
nos vasos mais largos (maiores) como nos Baseando-se nestes dados, observa- As comorbidades acima referidas
mais finos, a camada interna (endotelial-ín- remos pessoas com dissociação impor- terão de ser corretamente tratadas, para
tima) torna-se menos funcional, facilitando tante entre a idade cronológica e o estado que tenhamos melhora no prognóstico do
o aparecimento de placas gordurosas do sistema cardiocirculatório, tanto para continuum.
(aterosclerose). o lado positivo como para o lado negativo. – Os medicamentos
Ao exame clínico, como consequência, Sendo assim, podemos afirmar que, em Conforme referido acima, a maioria
temos uma elevação da pressão arterial termos de expectativa de vida, a idade do dos medicamentos tem efeitos colaterais
sistólica (máxima) e discreta baixa da sistema cardiocirculatório tem mais valor adversos. Sendo assim, somente serão
pressão arterial diastólica (mínima). E do que a idade cronológica. usados quando o balanço benefício/risco
temos também um impacto de pressão Medidas para melhorar o Continuum pender para benefício.
elevado nos tecidos periféricos, que leva do Envelhecimento Cardiovascular – Outras medidas
à chamada Tecidopatia de Pressão de – Os hábitos de vida Ultimamente tem sido bem caracteri-
Pulso (principalmente sentida no encéfalo, 1. Atividade Física: Leve e constante, zado que tanto a vitamina K2 (Menaquinona
rins e retina) e que intensifica a disfunção evitando-se a exaustão e ansiedade da K7) como a vitamina D têm efeito benéfico
endotelial. Por meio de exames mais competição. O indivíduo escolherá a ativi- no continuum. A vitamina K2 tem ação
sofisticados, observa-se um coração mais dade que é mais prazerosa. Tentar seguir mais importante que a vitamina D, atuando
rígido com o tempo de sístole (contração) programas de atividade física enquanto na carboxilação da MGP (Matrix GLA
aumentado, e o tempo de diástole (relaxa- trabalha (Exemplos: usar escadas, evitar Protein), que impede a deposição de cálcio
mento) diminuído. Pode-se achar também: cadeiras com rodinhas, colocar interfone/ na parede arterial.
disfunção sistólica, disfunção diastólica e telefone longe da sua mesa, levantar-se Esperamos que nosso leitor tenha
até isquemia (má nutrição e oxigenação) para receber e acompanhar visitas; entendido como atuar no continuum do
do coração, sem maiores obstruções das 2. Tabagismo: Proibitivo, pois piora seu envelhecimento cardiovascular, a
coronárias. Estas alterações pelo envelhe- muito o envelhecimento; fim de que consiga melhor expectativa
cimento natural do sistema cardiovascular 3. Drogas ilícitas: Também proibitivo; de vida n
46 47
j

j
Ten Brig Ar Sergio Pedro Bambini
sergio.p.bambini@gmail.com
PEIXE? NUNCA MAIS!
T
erminado o meu estágio de aspirante, um filósofo, participara desde o primeiro álcool talvez, ou formol. Quando um recém- Nosso Esquadr ão er a di fer en - uma tripulação para o cumprimento de uma de voo a bordo, aeronave reabastecida
em Natal, fui classificado no 1º/10º momento da Revolta de Aragarças e, -chegado se apresentava a ele, com a voz te. Além de sua Tarefa Operacional – missão recém-recebida e sob o título e si- com 5.501 litros de gasolina 100 octanas,
GAv, Esquadrão Poker, em Cumbica. com a derrota, conhecera dias amargos, calma de paulista do interior, dizia que, no Reconhecimento – por força da época em gilo SNM – Segurança Nacional Militar. Era proporcionando confortáveis nove horas
Apresentei-me, pronto para o serviço, no em país vizinho, sobrevivendo de umas Esquadrão, a última cobra que havia era que vivíamos, meses após a Revolução de feriado e, pela manhã, participara do desfile de autonomia. Inspeção externa feita. A
mês de janeiro de 1965. Comigo, três poucas aulas que conseguia ministrar, até aquela. Os pilotos eram, todos, profissio- 1964, ou pela posição do Comandante e aéreo em comemoração ao aniversário aeronave, o RB-25J 5095.
outros companheiros: Ten Longuinho, Ten ser anistiado pelo Presidente da República. nais competentes. Sem azes, sem cobras. do seu Operações no rol das autoridades da Revolução Constitucionalista de 1932. No brifim, o Cap Bresciani disse,
Rodriguez e Ten Spina. Nosso Oficial de Operações, veterano O nosso Operações, pouco tem- exercendo seus comandos, recebia mis- Um dos feriados mais comemorados em entre as instruções normais e rotineiras
Nosso Esquadrão era tido como uma Asa Branca, Cap Garotti, registrava, em po depois, foi substituído por outro, sões as mais diversas, dentro, ou não, da São Paulo. para uma viagem, que cumpriríamos
Unidade Aérea altamente operacional e sua caderneta de voo, mais de oito mil o Cap Leuzinger, também, participan- abrangência de sua Tarefa Operacional e Fui para o Esquadrão. Logo chega- uma missão confidencial em proveito
ainda ecoavam, em todos os ambientes, horas de voo. A nosso ver, uma verdadeira te, quando tenente, do movimento de de suas Missões típicas. ram os demais membros da tripulação. governamental. Nosso destino, Boa Vista,
missões de grande repercussão e riscos, enciclopédia. Em cima de sua mesa, havia Aragarças e, igualmente, anistiado. Este, Foi assim que, no final da tarde do dia 9 Comandante da missão, Cap Bresciani; no Território de Roraima. O voo seria
cumpridas nos últimos anos. um vidro grande dentro do qual estava já o conhecíamos de Barbacena, aonde de julho de 1965, fui acionado, no Cassino mecânico, 1S Carvalho; e radiotelegrafista, direto, com escalas para reabastecimento
Nosso Comandante, Maj Gerseh, uma jararaca, conservada em líquido, chegou em 1959. dos Oficiais, onde residia, a fim de compor 2S Lozzano. Pasta de navegação e relatório em Brasília e em Manaus. Em Boa vista,
receberíamos do Governador nossa missão
e a cumpriríamos já regressando.
Com o Cap Bresciani me acompanhan-
do, fiz o Plano de Voo, na Sala de Tráfego,
situada à época sob a Torre de Controle. Eu
ainda não podia assinar o documento, pos-
to que meu Cartão de Voo por Instrumentos
possuía uma faixa vermelha, de cima a
baixo, em diagonal, e sobre ela, a palavra
Restrito. Já não faltavam muitas horas de
voo para eu retirar a restrição.
Guarnecemos e decolamos para
Brasília. No horário Zulu, já era dia 10.
Chegamos, sem problemas, após três
horas exatas de voo noturno. Enquanto o
avião era reabastecido, fomos ao banheiro
e fizemos novo Plano de Voo diretamente
para Manaus. Um voo longo e sem apoio.
Após a decolagem, o silêncio enchia o am-
biente. O tempo bom e a escuridão da noite
faziam do voo um momento maravilhoso.
As estrelas, no céu noturno da Amazônia,
são muito mais brilhantes e parecem estar
logo ali, pertinho. Um espetáculo!
Os 14 pequenos tubos de escapamen-
to de cada motor do B-25, um para cada
cilindro, produziam um espetáculo à parte.
Com a mistura bem regulada, na altitude de
cruzeiro, cada escapamento produzia uma

48 49
j

j
Clube de Aeronáutica
chama de um azul intenso, fazendo parecer recebeu informações, recomendações e guei muito pouco, e compareci ao nariz
que cada motor vestia uma coroa ou uma explicações. do B-25 várias vezes. Lá, costumávamos
auréola de um azul impressionantemente Descansamos algumas poucas horas levar uma lata de tinta de cinco litros, vazia,
bonito.
A etapa Brasília/Manaus também
enquanto nossa carga era preparada.
Regressamos ao aeroporto onde constata-
para alguma emergência. A juventude e o
bom preparo físico, creio, funcionaram, e
SEJA SÓCIO!
se completou sem incidentes. A cada mos estar quase tudo pronto. O avião reabas- cheguei a Campo Grande bem melhor do Para você e seus dependentes!
vinte minutos, aproximadamente, víamos tecido, a equipagem alimentada e estávamos que quando saí de Manaus.
o mecânico olhando, pelas janelas laterais prontos para decolar. Opa! Todos não. A missão a nós confiada foi cumprida. ISENÇÃO DE JOIA por tempo limitado
da cabine, os motores e o que mais Eu começara a passar mal. Cabeça Após algumas boas horas de descanso e Militares e seus ex-dependentes - R$140,00
fosse possível olhar de sua posição. No pesada e rodando. Estômago e intestinos bem alimentados, regressamos à nossa Civis sem vínculo - R$230,00
momento adequado, e por solicitação do
Comandante, transferiu o combustível do
em plena revolução. Ânsia incontrolável
de vomitar. Desci da kombi, corri para o
Base de Cumbica. Mais duas horas e
quarenta e cinco minutos de voo. Recolhi- www.caer.org.br
tanque do compartimento de bombas – banheiro e vomitei muito. Satisfeitas as ne- me ao meu quarto no Cassino dos Oficiais.
bombay – para os tanques principais. O cessidades, senti-me, obviamente, melhor. Essa missão, por suas caracterís-
amanhecer nos surpreendeu sobre o verde Nem sequer cogitamos qualquer adiamento ticas e pela forma como foi cumprida,
infinito da floresta. da decolagem. Cumpríamos uma missão marcaram-me muito, pois jamais voltei a
De hora em hora, religiosamente, o qualificada como de Segurança Nacional. voar tantas horas em um período tão curto.
radiotelegrafista encaminhava, por meio Decolamos com destino a Manaus. Outro detalhe pelo tanto que fui marcado,
de um prendedor ligado a uma cordinha Nessa etapa, voando de 2P, pouco ajudei nos quarenta anos que se seguiram, não
metálica, que interligava sua posição no o Cap Bresciani. Vômito, febre e diarreia. voltei a colocar um pedaço de peixe na
compartimento traseiro, os boletins me- Sentia muito frio. Tremia muito. Vesti meu boca. Meu organismo simplesmente não
teorológicos (QAM). Também, de tempos casaco de voo e continuei com muito frio. aceitava. Hoje, se necessário, como um
em tempos, nas posições indicadas no O Cap Bresciani cedeu-me o dele, que naco de peixe, porém, sem sentir um
MANAV, mandávamos para ele as devidas coloquei sobre o meu, sem vestir. Continuei mínimo de satisfação.
Mensagens de Posição, a fim de que ele a tremer. O Sgt Carvalho apareceu com um O reconhecimento do Esquadrão
as transmitisse para um dos Centros de termômetro, creio que do kit de Primeiros veio na forma de um ofício do Ministro
Controle de Área (ACC). Socorros. Não perguntei. Ao retirá-lo da Extraordinário, Gen Oswaldo Cordeiro de
Chegamos bem a Manaus, já com axila, media pouco mais de espantosos Farias, em que agradeceu o esforço de toda
sol alto. Voadas cinco horas e quarenta e 41ºC. Um febrão. a tripulação e o senso de responsabilidade
cinco minutos. Reabastecimento, banheiro, Pousamos em Manaus após, agora, da Unidade Aérea. Em suas palavras,
Plano de Voo e decolagem para Boa demoradas duas horas e cinco de voo. ressaltou que a missão, árdua e distante,
Vista. Chegamos cansados, mas bem, Permaneci todo o tempo de preparação foi cumprida com eficiência e breve tempo,
prontos para a missão que receberíamos. da aeronave no banheiro do Aeroporto de como era exigido, enfrentando as maiores
Voáramos mais de duas horas e quarenta Ponta Pelada. Quando saí, o Cap Bresciani, adversidades, voando noite e dia, graças
e cinco minutos. Ao chegarmos, fomos com a franqueza que lhe era peculiar, à abnegação, ao espírito de sacrifício e
conduzidos à casa do Governador do perguntou-me se eu preferia ficar em ao elevado sentimento humanitário e de
Território, um Coronel da Força Aérea. Manaus, pois, de qualquer forma, ele tinha compreensão dessa destemida equipe,
Fomos muito bem recebidos por ele e que prosseguir na missão. Disse a ele que que não reflete apenas o valor pessoal
por sua amável esposa, que determinara pouco o ajudaria, mas que eu iria. Afinal, de cada um, senão, também, daqueles
preparar uma refeição substancial, pois éramos uma tripulação. E fomos! que, silenciosamente, e na obscuridade,
esposa de aviador sabia que apenas Foram seis horas e trinta minutos até compõem o 1º/10º GAv, de Cumbica,
tínhamos ingerido o que continha na caixa Campo Grande. Dormitei bastante, nave- orgulho de um Comando n
de lanche de Cumbica.
A mesa, farta, continha de tudo, tipo,
talvez, um café colonial nortista. Foi bom.
Guloso, alimentei-me bem. Comi, inclusive,

SEDE BARRA
um pedacinho de peixe, não maior que um
bombom. Senti-o meio amargo. Antes da
refeição, o Cap Bresciani conversou com
o Governador sobre a nossa missão e dele LAZER E ESPORTE
50
j