Vous êtes sur la page 1sur 17

Behaviorismo

 Behavioristas
 Comportamento: interação entre o indivíduo e o ambiente. Se
você altera o ambiente, há uma probabilidade do comportamento
mudar.
 São considerados funcionalistas (comportamento deve ser
estudado em função de variáveis do meio)
 Mais científicos que têm.
 Não importa o que o indivíduo fala, pensa ou sente, o que
importa é o que ele definitivamente faz.
 Antecedentes: estímulos que preparam o organismo para fazer
determinado comportamento, para determinada resposta. Não
há certeza, mas há uma probabilidade da resposta ocorrer.
 Comportamento respondente: reflexo, usualmente chamado de
“não voluntário”.
 Comportamentos operante: interação do sujeito com o seu
ambiente. Comportamentos aprendidos, e não naturais.
 O reforço sempre aumenta a probabilidade do comportamento
ocorrer no futuro.

Resumo behaviorismo
 Em laboratório você cria o ambiente condicionante determinante do
comportamento
 Usa-se um esquema de reforçamento que pode ser:
→ Contínuo
→ Intermitente (de razão fixa ou de razão variável, que é mais difícil de
extinguir); aleatório, randômico
 Como o behaviorismo vai liderar com as emoções:
→ Emoções são invisíveis, logo, não lida com as emoções, mas sim com
comportamentos emocionais.
 Comportamento total → uma piscadela não é um comportamento total,
por exemplo, mas a raiva e a alegria são. Um comportamento total toma o
organismo como um todo e suas ações incluem comportamentos reflexos.
Deve ser feita uma análise de como esse comportamento é condicionado.
Ações reflexas: batimento cardíaco, mudança na respiração, enrubescer, etc.
 Comportamento emocional: para o behaviorismo não existe o amor,
existe o comportamento amoroso. Ou seja, o comportamento total é o
comportamento em si + as ações reflexas. Para você entender o
comportamento emocional, você precisa entender o comportamento total,
que inclui as ações reflexas.
 Comportamento: para se entender o comportamento é preciso observar e
entender qual foi o processo de condicionamento e o poder do reforço, no
sentido de sua relação entre privação e saciação. Nós oscilamos entre esses
dois extremos.
 Os behavioristas reconhecem a existência de necessidades fisiológicas,
essenciais para o funcionamento do corpo humano, tais quais a água, a
comida e o sexo.
 Estado de privação e saciação: Quanto mais privado de um certo reforço,
por exemplo a água, maior será o poder reforçador esse reforço em um
organismo. Quanto mais saciado, menor será o poder reforçador da água. É
preciso levar em conta o poder reforçador, pois quanto mais privada de
algo, mais condicionada a pessoa ficará a fazer algo, a seguir um
comportamento.
 O reforço depende de cada pessoa, de cada caso, pois só é possível saber o
quanto algo é reforçador depois de feita a experiência. IMPORTÂNCIA DO
EXPERIMENTO.
 Estímulos:
→ Estímulo aversivo → por exemplo, nota ruim. Uma das reações principais
é querer evitar o estímulo aversivo. É normal querer evitar o estímulo aversivo.
Por exemplo: quando eu coloco a mão na chapa quente e tiro rapidamente eu estou
evitando o estímulo aversivo. A primeira reação é a de evitar.
→ Evitação → não entrar em contato direto com o estimulo
aversivo. Exemplo do professor: quando eu coloco a mão na chapa que está muito
quente e logo a tiro, pois está muito quente, eu estou EVITANDO o estímulo.
→ Fuga → é o momento que antecede a chegada do estímulo aversivo, ele
anuncia a chegada do estímulo aversivo. Exemplo do professor: quando eu vejo um
numero de telefone de alguém com quem não quero conversar e não atendo o
celular, isso é uma situação de fuga. Eu tenho um contato indireto com o estimulo
aversivo, mas direto com o estimulo que antecede a chegada do estimulo aversivo.
→ Comportamento ansioso → quando eu sei que vou entrar em contato com
o estímulo aversivo, por exemplo uma reunião com o diretor da empresa na sexta,
e entre o dia que foi anunciada a reunião , por exemplo na segunda, e o dia que
efetivamente essa ocorrerá eu apresento modificações comportamentais (vômito,
pesadelos, insônia, etc).
→ Punição → para o Behaviorismo a punição é uma técnica de controle de
comportamento, que é feita de duas formas: i) através do uso do estímulo aversivo
(por exemplo choque) ou; ii) através da retirada do reforço positivo como uma
situação de controle.

Behaviorismo

A Psicologia, como uma ciência, deve abordar seu objeto de estudo de forma
objetiva, isto é, fazer uma circunscrição rigorosa do objeto, através de hipóteses
(uma resposta antecipada) e experimentos.
O problema central que dá origem ao Behaviorismo é a impossibilidade da
Psicologia definir a mente (psique) como objeto. Isto é, a mente, em última análise
é algo invisível e, portanto, impossível de se observar e, muito menos, de se
realizar experimentos e assim, a circunscrição rigorosa do objeto fica
comprometida. Em outras palavras, a mente como objeto de estudo daria margem
à interpretação, sendo quaisquer uma delas válidas e, portanto, subjetivas. Por
subjetiva, entende-se aquilo que não pode ser compartilhado, isto é, não é possível
traçar um método que, quando usado, apresente os mesmos resultados
independente de quem o tenha utilizado. O Behaviorismo então, propõe ter como
objeto de estudo não a mente humana mas sim o comportamento, sendo esse
observável e passível de experimentos.

O Behaviorismo tem como principal predecessor Ivan Pavlov, um fisiólogo


russo que enunciou o mecanismo do condicionamento clássico, abrindo portas
para o estudo do comportamento humano. Pavlov , ao estudar a salivação dos
cães , percebeu que a mesma, por vezes, era iniciada a partir de estímulos que
antes não causavam tal comportamento. Curioso, Pavlov conduziu experimentos à
luz da teoria do estímulo (René Descartes) para entender o comportamento salivar
do cão. Em seu laboratório, Pavlov, antes de fornecer comida ao animal, fazia soar
uma campainha. Repetiu essa ordem (campainha-comida) diversas vezes e, para
cada uma delas, verificava o nível de salivação do cão. Após determinado tempo, o
que se pôde observar foi que apenas a campainha, mesmo não acompanhada da
comida, era capaz de fazer o cachorro salivar. Nesse sentido, Pavlov definiu a
comida como o estímulo não condicionado (ou natural), ou seja, aquele que,
naturalmente, origina uma resposta não condicionada – a salivação - sendo essa
relação o reflexo não condicionado, por ser natural, causado pelo instinto do cão,
isto é, qualquer cão, em qualquer ambiente, salivará quando lhe apresentarem
comida. A campainha, seguida pela apresentação da comida, por sua vez, será
denominada de estímulo condicionado (ou sintético) e, finalmente, a salivação,
diante apenas do som da campainha será a resposta condicionada. Importante
notar que o estímulo inicialmente neutro (campainha) só ganhará poder indutor
(de salivação) se apresentado numa determinada sequência – no caso, campainha-
comida.
A esse tipo de interação, em que a resposta é emanada imediatamente após
um estímulo, tendo os dois últimos uma relação de exclusividade, pode-se dar o
nome de comportamento respondente. Isto é, somente um determinado estímulo
gera uma resposta específica

Apesar dos experimentos de Pavlov terem aberto portas ao estudo do


comportamento, sua teoria era limitada ao se considerar os seres humanos. Isso
porque, quanto mais alto uma determinada espécie está na escala filogenética,
mais flexível é seu cérebro. Com efeito, quanto mais baixo na mesma escala, mais o
comportamento desta espécie é determinado pela genética. Em outras palavras, o
humano, sendo o mais desenvolvido entre todas as espécies, possui uma porção
mínima de comportamentos regidos pelo comportamento reflexo (teorizado por
Pavlov) e a maioria determinado pelo processo de aprendizado.
Desta forma, as ideias de Pavlov se aplicadas aos humanos, apenas serviriam para
explicar uma pequena fração de seus comportamentos.

Nesse cenário é que surge Burrhus Frederic Skinner, psicólogo que, tentará
compreender a totalidade dos comportamentos humanos. A principal contribuição
de Skinner para tal é a ideia de comportamento operante: Um indivíduo atua de
determinada maneira em um determinado meio. Esse meio retroage sobre o
indivíduo. A relação entre a retroação e o indivíduo vai aumentar ou diminuir a
probabilidade da ação ser repetida.

No limite, se determinada relação entre a retroação e o indivíduo


diminuir constantemente a probabilidade de uma determinada ação, pode-
se observar a extinção de um dado comportamento.

 Modelagem de Comportamento

Para Skinner, o humano é amorfo, isto é, sem forma. A sociedade vai


modelando o indivíduo (modelos sociais de comportamento). Em ultima
análise, o meio condiciona o indivíduo. Somos o que somos pois nascemos
em determinada sociedade.

No caso do rato, a privação de água age como meio de reforço (negativo) para o
comportamento condicionado (acionar a alavanca). Perderá o poder de reforço
quando o rato estiver saciado.
 Reforços podem ser positivos : quando há presença do tal reforço
 Ou negativos: ausência de determinado estímulo
Ou seja, a falta de água age como elemento reforçador para que o rato acione a
alavanca, então, é reforço negativo.

Importante notar que só se pode determinar se algo é reforçador através de


experimentos. Isto é, somente após ter apresentado (ou retirado) um elemento e
verificar-se o aumento da probabilidade de ocorrer determinada ação que se poderá
dizer que é um reforço positivo ou negativo.

 Histórico de condicionamento : Adquirido na infância, individualmente, é


o repertório mínimo básico. Aumenta a probabilidade de ser bom em
determinada coisa, ou seja, desenvolver um repertório posterior

 Estímulo discriminativo: Aquele que origina determinado


comportamento, podendo ser reforçador ou não, aumentando ou não a
frequência do comportamento no futuro. Basicamente, qualquer estímulo.

 Esquemas de Reforçamento

- Pavlov : Estimulo Artificial – Estimulo Natural – salivação. Quando há retirada do


Estímulo Natural, continua a salivação. Porém, a retirada sistemática do reforço
levará à extinção do comportamento

- Skinner

1. Contínuo : Sempre que o comportamento ocorrer, será apresentado um reforço. É


o mais fácil de colocar em extinção – basta retirar sistematicamente tal reforço.
2. Razão Fixa: a cada determinadas vezes que o comportamento ocorrer, o reforço
será apresentado. Leva ao aumento da frequência do comportamento
3. Razão variável: o reforço é apresentado aleatoriamente. Mais difícil de extinguir.

- O Behaviorismo não trata de emoções, mas sim de comportamentos emocionais.


Emoções são invisíveis, não podem ser estudadas

-Acões reflexas : batimento do coração, respiração

- O Poder de Reforço é função da necessidade (funcionamento do corpo)


 Privação: maior poder reforçador
 Saciação: menor poder reforçador

- Diante de um estímulo aversivo :


 Fuga – resposta ao estímulo que anuncia o estímulo aversivo (indireto)
 Evitação – Evita o estímulo aversivo

Caso haja modificação de um comportamento diante de um estímulo aversivo, então


tais comportamentos serão chamados de ansiosos. O contato, nesse caso, é inevitável.
Punição : técnica de controle de comportamento. Diferente de extinção e condicionamento.
Não procura modificar o comportamento (como o condicionamento), mas sim o controle
do mesmo. Caso a punição seja extinta, o comportamento até então evitado, reaparece.
Pode fazer uso de estímulos aversivos ou da retirada do reforço positivo.

BEHAVIORISMO
 ∗ PRINCIPAIS CONCEITOS - Condicionamento clássico – Pavlov → Associa um
estímulo neutro a uma resposta, criando ações reflexivas EX: um som que faz
um cachorro salivar, por oferecer comida. Assim, o cão saliva ao comer → Lei
do efeito – Thorndike Método da tentativa e erro

 * Quando a resposta é a desejada, acrescenta-se um reforço positivo


*Aprendizagem de um comportamento → Curva de aprendizagem: as
consequências influenciam na aprendizagem EX: gato tem que bater a patinha
esquerda em um botão para sair da caixa, aprendendo esse comportamento
após algumas repetições

 - Condicionamento operante – Skinner: A resposta desejada faz com que se


emita um reforço positivo. O reforço positivo faz com que a resposta desejada
se torne mais frequente, portanto condiciona a resposta EX: quando o pombo
bate a pata em um determinado local recebe comida e começa a realizar esse
ato com mais frequência - Teoria Comportamental – Skinner
CONDICIONAMENTO OPERANTE: o fortalecimento de um comportamento
desejado deriva de reforços REFORÇO: eventos que fortalecem um
comportamento ou aumentam a frequência 
de uma resposta POSITIVO:
acréscimo de um estímulo bom NEGATIVO: retirada de um estímulo ruim
PUNIÇÃO: apresentação de um estímulo negativo EXTINÇÃO: retirada de um
estímulo bom OBJETO DE ESTUDO: comportamento humano observável
VARIÁVEIS: condições controláveis e manipuláveis. O comportamento humano
pode ser previsto e manipulado, já que é determinado e ordenado. Os
comportamentos observáveis podem culminar em regras comportamentais
generalizadas. A modelagem do comportamento (condicionamento operante)
faz com que o indivíduo execute as respostas desejadas, adaptando o sujeito ao
ambiente. Não existe livre arbítrio, já que as variáveis do comportamento
humano são manipuláveis

 ∗ UMA CRÍTICA- Laranja Mecânica: crítica ao behaviorismo (técnica Ludovico –


homem moral, correto, social) como ferramenta de reeducação e
normatizadora de condutas; questão do livre arbítrio e da violência
(banalização do mal)

- Terapia aversiva: serve para extinção de um comportamento indesejável. O


paciente é exposto a estímulos (respostas que se pretende extinguir) e
simultaneamente é sujeitado a formas de desconforto (geralmente físico).

∗ CIÊNCIA E COMPORTAMENTO HUMANO – SKINNER- Aplicação da ciência


(sucesso) aos assuntos humanos- CIÊNCIA: tentativa de descobrir ordem e mostrar
que certos acontecimentos estão relacionados com outros; previsão; futuro pode
ser manipulado; trabalha com fatos (observáveis)- O comportamento humano é
ordenado e determinado- Circunstâncias além do indivíduo (mais do que as
vontades e desejos)- Causa: mudança de uma variável independente (estímulo)-
Efeito: mudança de uma variável dependente (comportamento) - Relação causa e
efeito, relação funcional- Descobrindo as causas é possível manipular o
comportamento- O comportamento é controlável na medida em que pode ser
manipulável- A probabilidade de ocorrência de um comportamento varia de
acordo com a manipulação das variáveis

∗ PSICOTERAPIA COMPORTAMENTAL – INSTITUIÇÕES DE TRABALHO-


COMPORTAMENTO: unidade básica de análise do behaviorismo; relação que se
estabelece entre as ações do individuo e condições ambientais

- ANTECEDENTES: são qualquer fato que venha a ocorrer antes de determinado


comportamento e que sinalize que tal comportamento se realizará sobre influência
de reforçamento ou punição. Podem ser considerados como as condições de
determinado comportamento, tornando que sua efetivação seja mais provável ou
não, por sinalizar qual o comportamento desejado, correto ou esperado.

EX: em ambiente empresarial, ao se ter um escritório organizado, com móveis


adequados, funções bem determinadas, iluminação e temperatura agradáveis ao
trabalho, é mais provável que o funcionário atue como se deseja - ESTÍMULO
DISCRIMINATIVO: quando um indivíduo aprende a discriminar que elementos de
seu ambiente predizem as consequências desejadas.- CONSEQUÊNCIAS: são
eventos que ocorrem após determinado comportamento e alteram a probabilidade
que este mesmo comportamento venha a ocorrer no futuro. Essas consequências
têm maior impacto sobre um comportamento específico quando realizadas
imediatamente após a realização deste, cumprindo-se a contingência do se-então.

AUMENTAR A PROBABILIDADE DE OCORRÊNCIA DE UM COMPORTAMENTO: -


Reforçamento positivo: apresenta um estímulo positivo - Reforçamento negativo:
retira um estímulo aversivo DIMINUIR A PROBABILIDADE DE OCORRÊNCIA DE
UM COMPORTAMENTO:

- Punição: uma consequência desagradável apresentada após o comportamento -


Extinção: retirada ou não liberação de um reforçamento positivo após a ação

EX: Como o reforçamento positivo é a consequência mais eficaz e duradoura, um


exemplo deste em ambiente empresarial podem ser feedbacks positivos,
parabenizações e bonificações para o funcionário que realizar comportamentos
desejáveis e benéficos à empresa

Foucault→”2 postulados filosóficos: a vdd do homem está exaurida em seu ser


natural, e o caminho de todo conhecimento científico deve passar por relações
quanti, hipóteses e verificação experimental”
→A própria exatidão que a psicologia foi tomada a levou a renunciar dessa
exatidão, por descobrir que a psique humana não pode ser tratada de forma
objetiva e positiva
Introspecção→ Método que consiste em submeter sujeito a certas condições e
experiências, interessando-se na descrição que o sujeito dá de seu estado subjetivo
durante tal experiência, e não sobre a resposta manifesta.
Crítica à introspecção de Watson→ “Sentimentos nunca são claros”; O método da
introspecção sempre tem problemas: se o sentimento é claro, sua observação é
defeituosa, e se não é claro, é pobre.
Behaviorismo Watsoniano (metodológico)→Crítica ao apelo à consciência e mente;
problema do dualismo ontológico.
Behaviorismo Watsoniano→Rejeita mentalismo (mente=caixa preta)/Visa
previsão e controle do comportamento/Realiza experimentos controlados e testa
hipóteses/Adere à pressupostos evolucionistas/Adota determinismo materialista
(acredito que seja causa material gera consequência material)/ evita referência ao
sistema nervoso central.
“o behaviorista, em seus esforços para conseguir um esquema unitário da resposta
animal, não reconhece linha divisória entre homens e animais”.
“A psicologia como o behaviorista a vê é um ramo experimental puramente
objetivo das ciências naturais”
Limites Watson→Modelo mecanicista e atomista/ Psicologia S→R/ Impossibilidade
de estudo dos eventos internos (interdiçãoo da subjetividade/ Homem como
organismo/ Cadeia causal unidirecional/ Texto complementar: Como podemos
provar que estou sentindo sede?
Skinner→ Aceita introspecção não como método, mas como objeto de
estudo(investiga eventos internos)/ Manutenção da rejeição ao mentalismo, mas
de modo radical:
Behaviorismo radical→ Nega a existência de algo que escapa ao mundo físico/
Aceita todo fenômeno comportamental
Behaviorismo Skinner→ Modelo funcional (molar)/ S→R→C/ Inclusão do estudo
de eventos internos (considera a subjetividade)/ homem que pensa, sente, decide e
deseja- O que existe para o homem, existe.
“O behaviorista metodológico não nega a existência da mente, mas nega-lhe status
científico ao afirmar que não podemos estudá-la pela sua inacessibilidade. O
behaviorista radical nega a existência da mente e assemelhados, mas aceita
estudar eventos internos. ”
Comportamento→ Um processo, algo que pode ser visto, medido e descrito./ É
uma ação desempenhada por um organismo- Teste do homem morto
Comportamento→Recusa radical do dualismo ontrológico/ pensar, sentir e
imaginar são comportamentos/ parte do “mundo físico”
Respondente: S elicia R→ estímulo(ambiente) elicia Resposta(organismo)
Propriedades do C respondente (dos reflexos inatos)→ > intensidade do estímulo,
> magnitude da resposta; Limiar, Latência: tempo entre S e R(quanto menor, mais
fixada fica a R)----Características→Ficados ao longo do processo evolutivo;
músculos lisos e glândulas; previsão precisa do comportamento; Pequena fração
de todo comportamento do organismo.
→Watson descobriu que S que não desencadeavam respostas reflexas podiam
passar a desencadeá-las após condicionamento. Mais tarde, Watson viu que R
emocionais também podiam ser condicionadas.
→Um S incondicionado(carne)+um S neutro (som), tornaria o S neutro um S
condicionado, causando uma resposta que antes era incondicionada como
condicionada.
Carácteristicas e aplicações do condicionamento→ Se dá graças a “mutabilidade
herdada”; sujeito a generalização respondente/ É aplicado em situações
cotidianas; no tratamento de fobias e vícios; propagandas; resp. imunológicas
Thorndike→ Conclui que comportamento se estabelece quando seguido de certas
consequências (Lei do Efeito); e as mede na Curva de Aprendizagem
Comportamento operante→ Organismo opera sobre o ambiente; Organismo
modifica e é modificado pelo ambiente; Uma resposta tem > ou < probabilidade de
ocorrer de acordo com as consequências da ação do organismo no ambiente -------
-Uma R(organismo) produz uma C (ambiente) que torna + ou – provável a
ocorrência de R novamente.
→A partir daí, Skinner descobre que podemos manipular consequências para melhor
entender como S→R→C funciona, e que podemos modificar comportamentos
programando consequências para estes.
→Ressalta-se também que comportamento controlado≠Comportamento
determinado (causa e consequência)
Reforço→ Aumento na Prob. De uma resposta; Relação “Se.. Então...”; Positivo:
adição/ Negativo: Retirada
Controle aversivo→R. negativo, Punições→comporta-se para que algo não aconteça
Reforço negativo→ fuga: retirada do estímulo aversivo, “remediar” (rato foge após
o choque)---Esquiva: Evitar ou atrasar o contato com o estímulo aversivo,
“prevenir” (rato foge antes do choque) (motorista foge de radar)
Extinção operante→ diminui gradualmente a prob. De uma resposta, retirando a
consequência que reforça o comportamento (alunos param de rir de piadas bobas
do professor)
Punição negativa→Diminui rapidamente a prob. De uma resposta, retirando um
reforçador contingente a outro comportamento (pai tira a mesada do filho que
bate no irmão)
Efeitos indesejáveis do controle aversivo→Eliciam-se respostas emocionais (que
não são as que vc quer); Sumprimem-se outros comportamentos além do punido
(criança que apanha vira tímida); emitem-se respostas incompatíveis ao
comportamento punido (criança que apanha torna-se violenta); fuga e
contracontrole.
Ubiquidade (onipresença) do C. Aversivo→ADM da punição é reforçado de forma
rápida/ eficácia não defende da privação (rato não precisa estar com fome)/ busca
por alternativas é trabalhosa.
Alternativas ao C. Aversivo→Substituir Reforço negativo pelo positivo/ Punição
por Extinção/ Extinguir resposta indesejada e reforçar comportamentos
alternativos/ Reforçar com + frequência comportamentos alternativos
Behaviorismo e organizações→Watson era publicitário: “Get a Lucky instead of a
candy”→Repetição e estímulos anteriores que levam à compra e posteriores que
pretendem continuar ou aumentar a frequência da compra
→Já Skinner procurou foco no trabalho e educação: “Bonificações, aumentos de
salário, promoções, quando contingentes a um desempenho excepcional, modelam
a topográfica do comportamento na direção da qualidade e da habilidade”.
Análise funcionaç→Análise dos antecedentes(controle de estímulos)/ Análise das
consequências comportamentais (reforço ou punição)/ Elaboração de estratégias
de mudança: mensuração, uso do R. positivo e registro de procedimentos.

BEHAVIORISMO
Faz oposição as ideias da Psicanálise
I) O Estudo do Comportamento
Criado por John Watson, Behaviorismo significa comportamento.
Os Behavioristas foram os primeiros da Ciência do Comportamento a se aproximar
de propostas explicativas dos termos psicológicos observando critérios
da objetividade. Você mede, analisa, tira conclusões e controla os seus resultados
(mais próximo de uma abordagem positivista)
Contribuição importante por aproximar os critérios científicos da psicologia.
PSICOLOGIA COM MAIOR STATUS DE CIÊNCIA
Dizia que o comportamento ocorre em função das variáveis do ambiente. O
ambiente molda o indivíduo (FUNCIONALISTA). Se uma variável do ambiente é
alterada, o comportamento dos indivíduos que compões o ambiente mudaria.
II) A Análise Experimental do Comportamento
Composta por Skinner, que foi um dos behavioristas mais importantes depois de
Watson. Skinner segue uma linha chamada 'behaviorismo radical' que segue
princípios bastante formais (os estudados até agora = ambiente influencia o
comportamento). Os Behavioristas radicais influenciaram o mundo moderno até
hoje, afinal, são os influenciadores de universidades, PUC e USP se baseam nessa
teoria.
III) O Comportamento Responde
A partir de experiências feitas em um laboratório, com ratos ou qualquer cobaia,
ele chegou a conclusões:
A) Comportamento Reflexos
Reflexos, não voluntários. São respostas que são produzidas por estímulos
antecedentes do ambiente. Ex: se bate uma rajada de vento nos olhos, se fecha os
olhos automaticamente (afinal, o olho está automaticamente programado para
proteger os olhos. É um comportamento respondente e não programado; ao
praticar atividade esportiva, se produz suor. O suor é respondente e automático,
não ocorre porque você quis)
Esses comportamentos reflexos são interações estímulo-resposta. São respostas
automáticas do organismo.
B) Comportamento Respondente 
Provocado por estímulos que originalmente não eliciavam respostas em um
determinado organismo. Foi o estudado em Introdução ao Mkt no 1º Semestre.
ex: se eu colocar minha mão na água fria e ouço um sino cada vez que eu faço isso,
mesmo se a água for quente e eu colocar o sino, a mão irá se esfriar.
Ex2: Cachorro do Pavlov
C) Comportamento Operante
Inclui todos os movimentos do organismo que tem efeito sobre o mundo ao
redor. SÃO APRENDIDOS.
Ex: caminhar todas as manhãs
IV) Fórmula do Comportamento Operante
Resposta no passado é que levam ao estímulo.
Respostas no passado é que vão dizer qual o melhor estímulo em relação a tal fato.
Em função do que ocorreu no passado é que você agora sabe o que fazer e como
agir. O QUE ACONTECEU NO PASSADO DETERMINA O QUE IRÁ ACONTECER NO
FUTURO
A) Reforço/ punição
1) aumentou a frequência do comportamento -> reforço (ao receber um reforço, o
indivíduo irá fazer mais daquilo que estava fazendo. A frequência de que faça tal
coisa, irá aumentar. Se o reforço for positivo ou negativo, aumenta a frequência da
mesma maneira. Reforço positivo é quanto ao evento que aumenta a probabilidade
da respostas que o produz. Reforço negativo é algo que aumenta a probabilidade
da resposta que o remove ou atenua. )
Esquiva -> evita o contato com alguém que não deseja
Fuga-> vc começou o contato, mas a quebra pois não ficou agradável fazer o
contato com essa pessoa que não deseja
Extinção -> é um procedimento no qual uma resposta deixa de ser abruptamente
de ser reforçada. (Ligar para um cliente e ninguém responder faz com que você
ligue para outro cliente)
2) diminuiu a frequência do comportamento -> punição
Punição -> ocorre quando a consequência de uma resposta a apresentação de um
estímulo aversivo ou a remoção de um reforço positivo presente

Aula 2 - A psicologia como ciência

O QUE É CIÊNCIA
No séc XVII a ciência se baseava em:
Controle da natureza (valor) → trabalho científico trabalho técnico
Conhecimento sistemático → ordem e disciplina → oposição ao senso comum
Método experimental → hipótese, teste e investigação controlada
Ideal de objetividade, neutralidade e imparcialidade → afastamento dos fatores subjetivos e
individuais

PROJETOS CIENTÍFICOS
O projeto de Wilhelm Wundt (1832-1920)
Objeto da Psicologia → experiência imediata
Método → experimento (psicologia individual/experimental/ fisiológica) e observação
(psicologia social/ dos povos)

O projeto de Edward B. Titchener (1867-1927)


Objeto da Psicologia → experiência consciente (dependente de um sujeito)
Método → introspecção
O projeto de Edward B. Titchener (1867-1927)
Definição de introspecção
“Método psicológico que consiste em submeter um sujeito a tais e tais testes ou
experiências, mas mantendo o interesse sobre a descrição que esse sujeito dá de seu
estado subjetivo durante a solicitação da realização de uma determinada tarefa, e não
sobre o resultado bruto desta (resposta dada ou reação manifesta)” (LALANDE, 2013, p.
536)
Introspecção: cuidados
Condições de execução: observador imparcial, livre de ideias pré-concebidas, atento,
descansado, em condições gerais (físicas e psíquicas) favoráveis;
Relato rigoroso: evitar o “erro de estímulo” (confundir o processo psíquico a ser
observado com o estímulo [objeto] que observam)

J.B. WATSON E SUA CRÍTICA À INSTROSPECÇÃO


A exigência de que o indivíduo teria que ser treinado para realizar tal procedimento, saber
do que ele se trata e não errar na hora de executá-lo.
Critica o apelamento à mente (mentalismo)
Considera que a psicologia deve ser observável (behaviorismo)
Considera complicada a interação entre corpo e mente.

A Psicologia como ciência do comportamento, segundo Watson :

 rejeita a introspecção e o mentalismo;


 estuda o comportamento visando ao seu controle e à sua previsão;
 realiza experimentos controlados e testa hipóteses;
 adere aos pressupostos evolucionistas;
 adota o determinismo materialista;
 deve evitar recorrer ao sistema nervoso central ao explicar as causas do
comportamento.

Aula 3 - J. B. Watson e a ascensão ao behaviorismo


A partir dos anos 1920, Watson passa a escrever sobre diversos assuntos da Psicologia,
atuando de maneira decisiva no processo de popularização do behaviorismo.
Desde então, adota um ambientalismo extremado:

“Dêem-me um dúzia de crianças saudáveis, bem constituídas [...] e eu me comprometo a


tomá-las ao acaso e formá-las de tal maneira que se tornem qualquer tipo de especialista que
quiser – um médico, comerciante, jurista e mesmo mendigo ou ladrão – a despeito de seus
talentos, gostos, tendências, habilidades, vocações e da raça de seus acestrais” (WATSON apud
MILLER, 2011, P. 225)

Realizou experiências as quais sugeriam que mesmo as emoções (como o medo) podiam ser
aprendidas (como no célebre experimento com o “pequeno Albert”)

A esperança de tornar a Psicologia uma verdadeira ciência e de livrá-la de embaraços filosóficos, a


possibilidade de ordenar a complexidade social, a promessa de educar as crianças e a
perspectiva de orientar a vida dos cidadãos – eis alguns motivos da ascensão da doutrina
behaviorista nos EUA

B. F. SKINNER E O BEHAVIORISMO RADICAL


Aceitação da introspecção não como método, mas como objeto de estudo (investigação de
“eventos internos”)
Manutenção da rejeição ao mentalismo, mas de modo radical

Behaviorismo radical
negação radical da existência de algo que escapa ao mundo físico
aceitação radical de todos os fenômenos comportamentais

Aula 4 - Comportamentos
COMPORTAMENTO RESPONDENTE

O cão de Pavlov, o cão sempre saliva antes de uma refeição. Antes do seu dono lhe apresentar
o prato de comida, ele toca um sino. Com o passar do tempo só com o barulho do sino o
cachorro já começa sua salivação, ou seja, foi adicionado um estímulo condicionado (som)
para gerar uma resposta condicionada (salivação). Essa técnica é aplicada hoje em dia no
tratamento de fobias, em propagandas e respostas imunológicas.

COMPORTAMENTO OPERANTE

Um organismo opera sobre o ambiente e nessa interação além de modificar o ambiente,


também é modificado por ele, ou seja, uma determinada resposta, emitida pelo organismo
frente a uma situação, terá maior ou menor probabilidade de ocorrer de acordo com as
consequências da ação do organismo no ambiente.
(Thorndike), quanto mais o gato sai da gaiola apertando o botão, maior será a probabilidade
desse comportamento ocorrer, maior será a sua frequência.

REFORÇOS

Quando é reforço, a frequência do comportamento sempre aumenta.


Positivo - É adicionado algum elemento à situação
Negativo - É retirado algum elemento da situação

Aula 5 - Controle dos estímulos


Reforçadores → estímulos reforçadores
Reforçadores primários → aqueles cuja efetividade não depende de sua relação de
contingência com outro reforçador (água, alimento, sexo → seleção natural)
Reforçadores condicionados → aqueles cuja efetividade depende de sua relação de
contingência com outro reforçador
Reforçadores condicionados generalizados → aqueles cuja efetividade depende de
sua relação de contigência com vários reforçadores (por exemplo, dinheiro)
Reforço → operação ou processo
(apresentação do alimento após uma resposta, apresentação de água após uma
resposta, etc.)
PUNIÇÃO
Sempre diminui a frequência de um comportamento.
Positiva - É adicionado algum elemento na situação
Negativa - É retirado algum elemento da situação

EXTINÇÃO
Voce diminui a frequência do comportamento gradativamente e não repetidamente como na
punição.

EFEITOS COLATERAIS
Eliciam-se respostas emocionais
Suprimem-se outros comportamentos além do punido
Emitem-se respostas incompatíveis ao comportamento punido
Gera-se contracontrole

Por que o controle aversivo do comportamento é tão comum?


O administrador da punição é reforçado negativamente de forma rápida
A eficácia não depende da privação
A busca de alternativas ao controle aversivo é trabalhosa
Que alterativas há ao controle aversivo do comportamento?
Substituir reforço negativo por reforço positivo
Substituir punição por extinção
Extinguir a resposta indesejada e reforçar comportamentos alternativos
Reforçar com mais frequência comportamentos alternativos

Aula 6 - Behaviorismo nas empresas


O que o behaviorismo tem a agregar nas empresas? Ele pode livrar seus funcionários de
trabalhos chatos e maçantes e motivá-los com estímulos comuns, por meio de:

 Responsabilidades específicas
 Trabalho em equipe
 Mensuração de resultados
 Objetivos desafiadores
 Feedback imediato
 Reforçamento positivo
 Ênfase no comportamento

Controlar seus estímulos, reforçar ou punir positiva ou negativamente e motivar os


funcionários com reforçadores.

Behaviorismo
Teoria comportamental, comportamentalismo, analise experimental do comportamento e
analise do comportamento são sinônimos.
A palavra-chave é comportamento. O que importa é o que é observado, o que as pessoas
fazem. Não significa que eles não possam analisar o que as pessoas pensam ou sentem (mas
isso é em ultima instancia); o que vale é o resultado.
São mais descritivos pois observam, descrevem e fazem análises; não inferem sobre nada.
O comportamento provem de um estimulo. Nós nos comportamos em função das
consequencias/estimulos. Reforço é quando fazemos mais de um determinado
comportamento; o contrario é punição. Reforço é aumentar a probabilidade do
comportamento ocorrer no futuro; punição é o contrário.
Comportamento respondente
É chamado tambem de comportamento reflexo, não voluntario. Respostas produzidas por
estimulas antecedentes do ambiente.
São comportamentos que nosso organismo esta preparado para emitir naturalmente; não
precisamos de nenhuma preparação.
Comportamentos automaticos do organismo.
O comportamento respondente também pode ser provocado por estimulos que originalmente
não eliciavam respostas em determinado organismo (exemplo da vasilha de agua fria em que
se mergulha a mão).
Comportamento operante
Abrange varias atividades que fazem uma mudança no ambiente; vc faz coisas que
transformam o ambiente.
Ele não é natural do organismo, é aprendido. Modifica o ambientee a partir de uma
aprendizagem.
Você pode fazer exercicios operantes para atuarem em cima do respondente (exemplo de
exercicios para fortalecer o coração).
Interação do sujeito com o seu ambiente.
Reforço positivo: vc quer mais coisas que te interessam.
Reforço negativo: coisas que vc faz para sair de problemas; vc faz mais coisas para sair de algo
que vc não quer.
A punição não ensina um caminho diferente, apenas tem a finalidade de impedir que algo
continue acontecendo.
Tipos de reforçadores
Esquiva é um processo no qual os estimulos aversivos condicionados e incondicionados estao
separados por um intrvalo de tempo apreciavael; é uma evitação (evitar ir no medico,
desencontrar pessoas que não gostam...)
Extinção, punição

Resumo behaviorismo

Em laboratório você cria o ambiente condicionante determinante do comportamento

Usa-se um esquema de reforçamento que pode ser:

Continuo

Intermitente (de razão fixa ou de razão variável, que é mais difícil de extinguir);
aleatório, randômico

Como o behaviorismo vai liderar com as emoções:

Emoções são invisíveis, logo, não lida com as emoções, mas sim com comportamentos
emocionais.

Comportamento total  uma piscadela não é um comportamento total, por exemplo,


mas a raiva e a alegria são. Um comportamento total toma o organismo como um todo e suas
ações incluem comportamentos reflexos. Deve ser feita uma analise de como esse
comportamento é condicionado.

Ações reflexas: batimento cardíaco, mudança na respiração, enrubescer, etc.

Comportamento emocional:

Para o behaviorismo não existe o amor, existe o comportamento amoroso. Ou seja, o


comportamento total é o comportamento em si + as ações reflexas.

Para você entender o comportamento emocional, você precisa entender o


comportamento total, que inclui as ações reflexas.

Comportamento:

Para se entender o comportamento é preciso observar e entender qual foi o processo


de condicionamento e o poder do reforço, no sentido de sua relação entre privação e saciação.
Nós oscilamos entre esses dois extremos.

Os behavioristas reconhecem a existência de necessidades fisiológicas, essenciais para o


funcionamento do corpo humano, tais quais a agua, a comida e o sexo.

Estado de privação e saciacao:

Quanto mais privado de um certo reforço, por exemplo a agua, maior será o poder
reforçador esse reforço em um organismo. Quanto mais saciado, menor será o poder
reforçador da água.

É preciso levar em conta o poder reforçador, pois quanto mais privada de algo, mais
condicionada a pessoa ficará a fazer algo, a seguir um comportamento.

O reforço depende de cada pessoa, de cada caso, pois só é possível saber o quanto algo é
reforçador depois de feita a experiência. IMPORTÂNCIA DO EXPERIMENTO.

Estímulos:

Estimulo aversivo  por exemplo, nota ruim. Uma das reações principais é querer
evitar o estímulo aversivo. É normal querer evitar o estímulo aversivo. Por exemplo: quando
eu coloco a mao na chapa quente e tiro rapidamente eu estou evitando o estímulo aversivo. A
primeira reação é a de evitar.

Evitação  não entrar em contato direto com o estimulo aversivo. Exemplo do professor:
quando eu coloco a mao na chapa que está muito quente e logo a tiro, pois está muito quente,
eu estou EVITANDO o estímulo.

Fuga  é o momento que antecede a chegada do estímulo aversivo, ele anuncia a chegada do
estímulo aversivo. Exemplo do professor: quando eu vejo um numero de telefone de alguém
com quem não quero conversar e não atendo o celular, isso é uma situação de fuga. Eu tenho
um contato indireto com o estimulo aversivo, mas direto com o estimulo que antecede a
chegada do estimulo aversivo.

Comportamento ansioso  quando eu sei que vou entrar em contato com o estímulo
aversivo, por exemplo uma reunião com o diretor da empresa na sexta, e entre o dia que foi
anunciada a reunião , por exemplo na segunda, e o dia que efetivamente essa ocorrerá eu
apresento modificações comportamentais (vômito, pesadelos, insônia, etc).
Punicao  para o Behaviorismo a punição é uma técnica de controle de comportamento, que
é feita de duas formas: i) através do uso do estímulo aversivo (por exemplo choque) ou; ii)
através da retirada do reforço positivo como uma situação de controle.