Vous êtes sur la page 1sur 27

UNIVERSIDADE DE CUIABÁ

FACULDADE DE ENGENHARIA CIVIL

TOBIAS DA SILVA TEIXEIRA

ASFALTO EMBORRACHADO

Cuiabá-MT
2018
TOBIAS DA SILVA TEIXEIRA

ASFALTO EMBORRACHADO

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à


Universidade de Cuiabá - UNIC, como requisito
parcial para a obtenção do título de graduado
em Engenharia Civil.

Orientador: Edgor Brandão.

NOME DO(S) AUTOR(ES) EM ORDEM ALFABÉTICA


Cuiabá-MT

2018
ASFALTO EMBORRACHADO

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à


Universidade de Cuiabá, como requisito parcial
para a obtenção do título de graduado em
Engenharia Civil.

Aprovado em: __/__/____

BANCA EXAMINADORA

Prof(ª). Titulação Nome do Professor(a)

Prof(ª). Titulação Nome do Professor(a)

Prof(ª). Titulação Nome do Professor(a)


Dedico este trabalho primeiramente a
Deus por ter me dado força para seguir em
frente, em seguida dedico esse trabalho à
minha família e amigos que estiveram
comigo.
AGRADECIMENTOS

Quero agradecer a Deus por sempre estar sempre ao meu lado e me auxiliar nas
minhas decisões.
Agradeço a minha família por me ajudar nas dificuldades que obtive no decorrer
da minha formação e na minha vida.
Agradeço também aos meus amigos por souberam entender a minha ausência
por motivo de dedicação aos estudos.
E agradeço também a Universidade de Cuiabá por ter aberto as portas para meu
ensinamento, aos professores e coordenador do curso que sempre estão dispostos a
nos ajudar e ensinar.
RESUMO

Este trabalho tem o intuito de expor sobre o asfalto de borracha, seus procedimentos
e produtos utilizados, sendo importante ressaltar que o asfalto de borracha traz
qualidade para o meio ambiente, pois é feita e reutilização dos pneus velhos, é feito a
moagem para que os pneus virem pó, para que posteriormente possam agregar ao
cimento asfáltico e com isso o pode ficar mais resistente trazer melhorias quanto a
aderência do asfalto e qualidade para os usuários do asfalto. A pavimentação é uma
estrutura dívida em camadas que dão sustentação a construção de rodovias, elas
atendem de forma adequada a estrutura operacional do tráfego e com os produtos de
qualidade e com maior aderência torna o asfalto melhor devido os elementos que
compõe o asfalto de borracha. O asfalto de borracha é mais durável mesmo ocorrendo
problemas que possa fazer com que se adquira fissuras ou deformações, mesmo
havendo esses problemas o asfalto pode prolongar o seu prazo de manutenção, por
resistir por mais tempo. Este trabalho será estudado sobre o asfalto de borracha seus
fundamentos e benefícios.

Palavras-chave: Pavimentação; Asfalto; Borracha.


ABSTRACT

This work intends to expose rubber asphalt, its procedures and products used, and it
is important to emphasize that rubber asphalt brings quality to the environment, since
old tires are made and reused, grinding is done so that Tires become dusty so that
they can later be added to the asphalt cement and as a result it can be tougher to bring
about improvements in asphalt adhesion and quality for asphalt users. The paving is a
debt structure in layers that give support to the construction of highways, they
adequately meet the operational structure of the traffic and with the products of quality
and with greater adhesion makes the asphalt better due to the elements that make up
the rubber asphalt. Rubber asphalt is more durable even if there are problems that can
lead to cracks or deformations, even if there are such problems, the asphalt can
prolong the maintenance period by resisting for longer. This work will be studied about
rubber asphalt its fundamentals and benefits.

Key-words: Paving; Asphalt; Eraser.


LISTA DE ILUSTRAÇÕES

Figura 1 – Esquema de Produção do Asfalto de Borracha ...................................... 21


Figura 2 – Asfalto de Borracha................................................................................ 24
LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS

BMP Borracha Moída de Pneu


CAP Cimento Asfáltico de Petróleo
CBUQ Concreto Betuminoso Usinado à Quente
NBR Norma Brasileira Regulamentadora
ANIP Associação Nacional da Indústria Pneumática
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 13

2 ASFALTO EMBORRACHADO 15

2.1 História do Pneu 15

2.2 Material e Estrutura de Pavimento de asfalto emborrachado 15

2.3 Asfalto Emborrachado 16

2.4 Vantagens e desvantagens do asfalto Emborrachado 17

3 CONSTRUÇÃO DO ASFALTO EMBORRACHADO 18

3.1 Procedimentos 18

3.2 Equipamentos 19

3.3 Produtos 21

4 FORMAS DE REUTILIZAÇÃO DA BORRACHA NO PAVIMENTO


ASFÁLTICO 22

4.1 Reaproveitamento e Reciclagem 22

4.2 Reutilização de Pneus 23

4.3 Pavimento Flexível Modificado por Borracha 24

4.4 Reaproveitamento do Pneu para o Asfalto Emborrachado 24

CONSIDERAÇÕES FINAIS 26

REFERÊNCIAS 27
13

1 INTRODUÇÃO

Os procedimentos para fazer um asfalto emborrachado advinda de pneus


velhos, que possivelmente iria degradar no meio ambiente, pode ser usada para fazer
asfaltos, sendo isso chamado de pavimentação modificada, além de outros que
podem ser considerados modificados como por exemplos polímeros ou resíduos de
construção, porém essa é uma forma de reutilizar os pneus como algo que irá
favorecer a sociedade que é a melhoria das rodovias e ainda proteger o meio
ambiente. O pó que o pneu se transforma para se juntar ao cimento asfálticos são
utilizados como ligante na construção do pavimento e são mais duradouros.
As formas de inclusão dos ligantes nas pavimentações flexíveis vêm
consistindo em reutilização de borracha de pneus que são moídas virando pó e se
incorporam no cimento asfáltico, sempre estando em condições controláveis de
utilização.
A incorporação entre o pneu e o cimento asfáltico, além de ser ecologicamente
correto vem apresentando soluções favoráveis em defeitos existentes em pavimentos
flexíveis, pois a união desses dois componentes para o pavimento asfáltico traz
melhorias quanto a elasticidade da borracha e reduz o envelhecimento do produto.
Este trabalho está sendo desenvolvido através de literaturas bibliográficas para
ampliar os conhecimentos quanto aos estudos de pesquisa em relação ao cimento
asfáltico para construção de pavimentos. O asfalto emborrachado é uma estrutura de
asfalto ecologicamente correta e diferente do modelo convencional, dando mais
elasticidade, qualidade e resistência na obra do pavimento e dando segurança aos
usuários do transito, neste caso sendo utilizado a borracha na construção que além
de trazer melhorias na obra é sustentável e reduz impactos ambientais
O asfalto emborrachado consiste em união de produtos, como cimento asfáltico
e borracha, que possibilite a construção de um asfalto ecologicamente correto para o
meio ambiente e estruturalmente adequado as construções de pavimentos de asfalto,
mas existem casos que seu custo é elevado devido a necessidade de fazer um
trabalho mais detalhado e com mais produtos e a mão de obra também na maioria
das vezes não está devidamente qualificada para trabalhar com essa união, sendo
necessário uma preparação dos operários, portanto quais são as melhores solução
14

para ter um asfalto de borracha correto sem que haja problemas na construção
(procedimentos)? Quais são os benefícios que esse asfalto-borracha pode trazer?
O objetivo geral que consiste este trabalho é avaliar qual a melhor forma de
construção de um asfalto emborrachado para que traga mais qualidade no asfalto
construído, expor sobre os procedimentos corretos para a construção do pavimento
de forma correta e qualificada. Assim sendo, as especificidades são de expor sobre
como é feita a construção do asfalto emborrachado, analisar os pontos importantes
da construção do asfalto de borracha quanto aos procedimentos, equipamentos e
produtos e identificar as formas de reutilização da borracha no pavimento.
Sendo assim, neste trabalho será exposto como é feita a união da borracha
com o cimento asfáltico, os procedimentos de construção do asfalto emborrachado e
suas informações quanto o surgimento dessa união até os dias atuais.
15

2 ASFALTO EMBORRACHADO

O asfalto é algo existente a anos, favorecendo a locomoção da sociedade,


porém a constituição de melhorias ocorre devido as tecnologias existente com isso
existem asfaltos que vem sendo reconstruídos ou construídos de forma a trazer
melhores benefícios para quem utilizado o automóvel para se locomover, pode-se
apresentar o asfalto emborrachado que tem sido algo inovador por ser feito de pneu
ajuda na sustentabilidade do meio ambiente e ainda nas construções de vias e
estradas. O asfalto emborrachado é classificado como flexível por ter melhor
resistência aos intemperes ambientais e terem uma vida útil mais longa.

2.1 HISTÓRIA DO PNEU

Segundo a Associação Nacional da Indústria Pneumática (2011) relata sobre a


história do pneu, que foi quando “o francês Charles de la Condamine, em 1735
realizou seus primeiros estudos sobre a borracha, mas não obteve grande
repercussão, pois tudo que ele fabricava com a substância de borracha se tornava
pegajoso no calor e inflexível ou esfarelava em temperaturas baixas. ”
A Associação ANIP (2011) ainda relata que, no século XIX surgiram novos
estudos que beneficiam a borracha e junto a elas estudos de aplicações tecnológicas,
como a descoberta do processo de vulcanização, em 1839, pelo norte americano
Charles Goodyear, em deixou cair acidentalmente na mistura de borracha um pouco
de enxofre dando assim resistência e elasticidade a borracha.
A ANIP (2011) finaliza que, no Brasil, mas precisamente no estado do Rio
Grande do Sul onde ocorreu a primeira utilização do asfalto emborrachado, em agosto
de 2001, onde foi construído em um trecho de dois quilômetros do asfalto de borracha.
Em seguida teve um extenso trabalho na construção do pavimento de borracha no
estado de Minas Gerais.
16

2.2 MATERIAL E ESTRUTURA DE PAVIMENTOS DE ASFALTO


EMBORRACHADO

Segundo a Norma Brasileira de Regulamentação nº 7207 (1982), o pavimento


pode ser entendido como uma estrutura que é construída após o processo de
terraplenagem e em seguida é destinada economicamente e simultaneamente em seu
conjunto para:
 Resistir e distribuir ao subleito o processo de esforços verticais
produzidos pelo tráfego;
 Resistir aos esforços nas formas horizontais para que nele atuam
tornando-se mais durável a superfície de rolamento.
 Melhorar as condições em que o rolamento se encontra quanto à
comodidade e segurança;
Segundo Oda (2000), o resultado de se ter um asfalto emborrachado deve ter
propriedades significativamente diferentes do asfalto convencional. A mistura do
asfalto normal com o acréscimo da borracha reage, formando um composto chamado
asfalto emborrachado.
A mistura da borracha com o cimento asfáltico traz melhorias quanto a
qualidade da obra muito mais que o asfalto convencional, pois tem sua camada mais
reforçada e resistente.
O asfalto emborrachado é composto por cimento asfáltico de petróleo (CAP) e
borracha moída de pneu (BMP) e mais diluentes que são necessários para a junção
principal. O reaproveitamento das borrachas do pneu moídas nos compostos
asfálticos é uma solução ambientalmente adequada, uma vez que com isso ele não
será descartado no meio ambiente e tem o objetivo de melhorar as propriedades
físicas, mecânicas e químicas dos pavimentos deixando a construção mais flexível,
segura e duradoura.

2.3 ASFALTO EMBORRACHADO

Segundo Pinheiro e Soares (2005), a aproximadamente 40 anos, os Estados


Unidos e países da Europa vêm adicionando a borracha moída de pneu em ligantes
asfálticos para o procedimento de construção dos chamados asfaltos emborrachados,
17

buscando misturas mais flexíveis, com maior resistência ao envelhecimento e menor


susceptibilidade térmica, tornando sua vida mais longa e útil, trazendo melhores
condições de rolamento.
No Brasil teve seu primeiro uso no Rio Grande do Sul, em seguida em Minas
Gerais e São Paulo. Porém em pleno século XXI tem sido utilizado na construção de
rodovias de alto tráfego, principalmente de cargas pesadas, pois garantem resistência
e qualidade.
Os componentes que estão no pneu não são apenas borracha, mas arame,
poliéster, aço de cinturão entre outro, porém quando é feito o processo de moagem
para unir-se ao cimento é separado o aço e o nylon, utilizando apenas a borracha,
após a separação é feito a junção da borracha moída e cimento asfáltico dando
ligamento. A incorporação pode ser feita de duas formas: a seco ou úmido.
Para Bertollo e Fernandes (2002), existem barreiras ligadas à utilização da
borracha asfáltica, tanto no processo seco como no processo úmido, que dificultam a
propagação desta nova tecnologia:
 Falta de padronização de critérios de dosagem;
 Uso de processos patenteados;
 Necessidade de equipamentos especiais para processamentos;
 Custo elevado da borracha picada;
 Particularidade na granulometria dos agregados pétreos.

2.4 VANTAGENS E DESVANTAGENS DO ASFALTO EMBORRACHADO

Segundo Ferrara (2006) O ligante modificado por borracha de pneus apresenta


as seguintes vantagens técnicas:
 Redução da suscetibilidade térmica: misturas com a utilização do ligante asfalto
borracha são mais resistentes às variações de temperatura;
 Aumento da flexibilidade: maior concentração de elastômeros na borracha de
pneus;
 Melhor adesividade aos agregados;
 Maior resistência à propagação de trincas e à formação de trilhas de roda;
 Melhor aderência pneu-pavimento;
 Redução do ruído provocado pelo tráfego
18

Porém há também a desvantagem conforme coloca o Filho (2009) ao asfalto


emborrachado “é produzido em usinas próprias que quando em maiores temperaturas
para juntar a borracha e o asfalto convencional (CBUQ), há um percentual de poluição
ao meio ambiente, poluição esta que não se compara ao benefício de dar fim à pneus
inutilizados. ”
19

3 CONSTRUÇÃO DO ASFALTO EMBORRACHADO

Segundo Lastran (1998), o asfalto emborrachado é um processo que utiliza


pneus que são inutilizáveis pelos automóveis e retirados do meio ambiente para
empregar na construção de asfalto, apesar de ser um procedimento mais caro que o
convencional, o asfalto de borracha apresenta maior durabilidade e flexibilidade na
sua produção, com isso reduz o custo de manutenção do asfalto.
A dificuldade de conseguir recursos para as obras em rodovias, pelo poder
público, fez com que surgissem novas maneiras de organização e
gerenciamento da infraestrutura de transporte, inclusive com relação à sua
propriedade (LASTRAN, 1998).
A utilização de materiais para a produção do asfalto emborrachado são como
forma de revestimento influenciando assim na camada superficial da obra dando mais
qualidade, quanto ao serviços público por ser um sistema burocrático para a
construção de asfalto, devendo ser passado por licitações e documentações vem
atrasado a construção ou manutenção de rodovias, com isso as estradas vão se
degradando, porém a escolha do asfalto emborrachado tem se tornado fundamental
na construção de rodovias devida a resistência e durabilidade que se apresenta.

3.1 PROCEDIMENTOS

Segundo Wickboldt (2005), as formas mais comuns para adição de borracha


de pneus às misturas asfálticas se dão através das seguintes maneiras:
 Via Seca: a borracha é introduzida diretamente no misturador da usina de
asfalto. Neste caso a borracha entre como um agregado na mistura. A
transferência de propriedades importantes da borracha ao ligante é
prejudicada, embora seja possível agregar melhorias à mistura asfáltica, desde
que na sua fabricação seja possível obter uma mistura homogênea. No
processo seco, os grânulos da borracha representam de 0,5 a 3,0% da massa
do agregado.
 Via Úmida: a borracha é previamente misturada ao ligante, modificando-o
permanentemente. Nesta modalidade ocorre a transferência mais efetiva das
características de elasticidade e resistência ao envelhecimento para o ligante
asfáltico original. No processo úmido o pó de pneu representa
20

aproximadamente 15% da massa do ligante ou menos que 1,5% da massa da


mistura.
Após a moagem dos pneus, eles se juntam aos componentes do cimento
asfáltico dando ligamento por via seca ou úmida, em seguida ficam homogêneas e
são colocadas nos respectivos caminhões para serem despejados nas rodovias onde
estão sendo construídas ou estão em manutenção. O asfalto emborrachado é
acrescentado o cimento asfáltico (CAP), a borracha moída e aditivos que são
misturados para serem esparramados na superfície do asfalto.
O fato de o ligante conter borracha torna-o mais elástico, portanto o
pavimento apresenta uma maior flexibilidade, capaz de suportar amplas
variações de temperatura e tráfego pesado sem apresentar fissuras, logo
demonstra ter uma menor fadiga e uma maior resistência às deformações das
trilhas de roda (SPECHT, 2004 apud CURY et al., 2002).
O asfalto emborrachado, vem sendo utilizado constantemente porque garante
maior durabilidade, flexibilidade, resistência e aderência na construção, dando maior
segurança a seus usuários e por ser mais elástico tem mais tempo de duração quanto
a sua manutenção.

3.2 EQUIPAMENTOS

De acordo com Wickboldt (2005), existem equipamentos e veículos utilizados


para a construção de asfalto emborrachado, além do processo de usina que será
apresentado também neste tópico, os principais equipamentos são:
 Equipamento de aquecimento do material betuminoso ligante, capaz de
aquecer o mesmo e mantê-lo dentro dos limites especificados de temperatura
(caminhão espargidor);
 Veículos para transporte dos materiais (caminhão-caçamba);
 Termômetro para o controle de temperatura do material betuminoso e do
agregado;
 Soquetes manuais;
 Equipamentos para compactação do pavimento como rolo pneumático e rolo
metálico liso, tipo tandem ou rolo liso vibratório: os rolos pneumáticos,
autopropulsores, devem ser dotados de dispositivos que permitam a
calibragem de variação da pressão dos pneus de 2,5kgf/cm2 a 8,4kgf/cm2 (35
21

a 120 psi), devendo estar de acordo com as especificações do fabricante, afim


de não deixar marcas de pneu no asfalto, comprometendo o acabamento;
 Pequenas ferramentas tais como pás, garfos, ancinhos, enxadas, vassoura,
rastelo, carrinho de mão;
 Outros equipamentos, tais como usinas misturadoras móveis, vibro –
acabadoras e soquetes mecânicos, poderão ser usados, uma vez que existir
necessidade.
Os sistemas de tecnologia de usinagem são utilizados para tornar as misturas
homogêneas, por isso existem duas formas de se preparar por meio de usina o asfalto
emborrachado, que são os processos de via seca em que a borracha moída é
incorporada na usinagem da massa asfáltica, alterando muito pouco o desempenho
do ligante asfáltico e os processos de via úmida que por sua vez traz maior qualidade
superiores às do asfalto convencional, tais como maior resistência à oxidação pela luz
solar, maior viscosidade, mais elasticidade e baixa sensibilidade às variações de
temperaturas.
Os equipamentos utilizados na usina de asfalto de borracha são os fornos de
aquecimento do material betuminoso, o equipamento de secagem e aquecimento de
agregado, capaz de eliminar a umidade do mesmo, o moedor ou triturador de
borracha, os tambores magnéticos, responsáveis por separar os metais que
constituem os pneus, o termômetro para o controle de temperatura do material
betuminoso e do agregado o equipamento misturador capaz de efetuar uma mistura
homogênea e intimamente ligada, entre o agregado mineral, a borracha moída e o
material betuminoso, os silos para armazenagem dos agregados minerais e da
borracha moída, os tanques para armazenagem de Cimento Asfáltico de Petróleo
(CAP) e os tanques térmicos para armazenagem da mistura já pronta. (SPECHT, 2004
apud CURY et al., 2002).

3.3 PRODUTOS

Os produtos utilizados para a constituição de um asfalto emborrachado são:


 Cimento Asfáltico de Petróleo – CAP;
 Pneu de Borracha triturada e moída;
 Agregados minerais;
22

 Água tratada.

Figura 1 – Esquema de produção do Asfalto Emborrachado

Fonte: Asfalto de Qualidade (2015)

Esses equipamentos e procedimentos apresentados na figura 1, mostram


sobre como é feito o procedimento de produção do asfalto emborrachado, até a sua
constituição final, em que é colocado na caçamba e levado até onde será implantado.
23

4 FORMAS DE REUTILIZAÇÃO DA BORRACHA NO PAVIMENTO


ASFÁLTICO

Diante de um mundo em constantes mudanças, quanto ao meio ambiente não


é diferente, pois a sociedade vem tem se preocupado com o ambiente sustentável e
na construção civil tem atuado como auxilio para aderir a sustentabilidade agregando
os produtos e materiais recicláveis aos trabalhos prestados pelo setor de construção.

4.1 REAPROVEITAMENTO E RECICLAGEM

De acordo com Johr (1994), a sociedade impõe para as empresas mudarem os


atos de trabalho, para que possa procurar por produtos sustentáveis está
aumentando, e o consumidor está se preocupa em assimilar a marcar que irá comprar
com o produto a política da empresa.
Portanto, entende-se que a sociedade tem trabalho para que as empresas no
contexto geral, principalmente a engenharia civil, para que se adequem as questões
ambientais trazendo melhorias ao mercado e uma diversidade de benefício social.
Segundo Augusto e Fernando (2009) o crescimento populacional tem
aumentado e em consequência as indústrias e tecnologias também criando mudanças
nas organizações e na sociedade, dando um novo estilo de vida. A população vem
adquirindo uma nova consciência em que todo o processo faz com que a maioria dos
clientes pense qual é a atuação da marca ou empresa com o meio ambiente.
Por assim, entender as pessoas buscam por qualidade e esquecem de se
averiguar se as empresas têm atuação com o meio ambiente e sustentabilidade, para
isso é importante ter esse conhecimento para que todas as pessoas se conscientize
da preservação ambiental que deve ser feita. Quanto a reutilização ou
reaproveitamento de produtos, materiais e equipamentos é necessário para evitar que
os entulhos e produtos seja descartado em locais incorretos que possam agredir a
saúde da sociedade.
24

4.2 REUTILIZAÇÃO DE PNEUS

Segundo a Reciclanip (2014), o pneu é um objeto indispensável para a


população, estando presente em praticamente todos os processos de locomoção da
sociedade, porém com isso percebe-se que o problema é quando esse pneu se torna
inservível, onde deverá ser o descarte sendo em sua maioria descartados em aterros
sanitários, terrenos baldios, lixões, entre outros, com isso o custo fica elevado gerando
um caos na sociedade, portanto uma das soluções mais importantes e necessária é
realizar o reaproveitamento do pneu que não serve mais para a sociedade.
De acordo com a Reciclanip (2014) o pneu está sendo muito utilizado, para
trazer melhorias para a sociedades os órgão públicos em parcerias com empresas de
reciclagem, podendo ser sem fins lucrativos, e construtora para que todos os pneus
inservíveis tenha um destino de reaproveitamento, sendo então utilizados para
confecção de solados de calçadas, manta asfáltica, asfalto de borracha e
combustíveis para a fabricação de cimento.
Alberto e Tenório (2008) definem, “ o processo de reciclagem de borracha é
mais antigo do que a borracha utilizada em indústrias. “
Os autores Alberto e Tenório (2008) ainda relatam que:
As tecnologias utilizadas para a reutilização, reciclagem e a valorização dos
pneus usados são: a recapagem, recauchutagem e remoldagem dos pneus,
realizados com o processamento em fornos de cimenteiras realizando a
retortagem de pneus com a rocha de xisto pirobetuminoso para a fabricação
da pavimentação com asfalto de borracha, realizando o processo de queima
de pneus em caldeiras e em seguida a regeneração de borracha,
desvulcanização. A borracha pode ser reaproveitada para situações como:
indústria moveleira, tapetes para reposição da indústria, solados de sapato,
borrachas de rodos, pisos esportivos, equipamentos de playground, tapetes
automotivos, entre outras utilizações.

Ou seja, conforme expresso a borracha tem serventia para muitas coisas,


inclusive para a construção de asfalto, agregando valores importantes a massa
betuminosa do asfalto, dando melhor resistência, aderência e durabilidade. A borracha
apresenta funções agregantes em situações como reaproveitamento de imóvel ou até
mesmo recapeamento de asfalto, ou seja, ele não está mais se tornando inservíveis,
mas sim um dos produtos mais reutilizados pela sociedade, beneficiando os
automóveis de outras formas que não seja aglomerado ao veículo, como por exemplo
o asfalto de borracha, conforme pode ser visto na figura 2.
25

Figura 2 – Asfalto Emborrachado

Fonte: Portal ABCR (2015)

4.3 PAVIMENTO FLEXÍVEL MODIFICADO POR BORRACHA

Segundo o DNIT (2006), todos os pavimentos asfálticos sofrem deformações


com o passar do tempo, devido ao carregamento aplicado constantemente, então a
carga de distribui em camadas deformando o asfalto, um exemplo significativos são
os asfaltos rígidos que tem em sua composição somente base de brita, cimento, em
solos com pedregulhos e revestivos com camadas asfálticas, esses são os que
desagregam mais rapidamente.
Senço (2007), então relata que, “os pavimentos flexíveis são aqueles que a
deformação não leva ao rompimento rapidamente, sendo dimensionados geralmente
a compressão e a tração na flexão. ”
Entende-se que os pavimentos flexíveis são mais resistência a deformação que
os demais, devido a sua agregação ao pó da borracha que foi moída para se juntar a
esse material betuminoso que será aplicado na construção asfáltica, por apresentar
melhor durabilidade se torna um pavimento com mais resistência.

4.4 REAPROVEITAMENTO DO PNEU PARA O ASFALTO EMBORRACHADO

Os tipos de materiais que são utilizados na produção do asfalto ou revestimento


influenciam de forma direta na qualidade da pavimentação, tendo um crescente
aumento dos custos de materiais de construção, em situações a falta de materiais
26

intensificam as pesquisas por novas alternativas para sanar os problemas da


construção que se apresentaram.
Segundo Robert et al (1998), os asfaltos, materiais aglutinantes de coloração
escura, derivados do petróleo devem ser utilizados em aplicações asfálticas, como
impermeabilizando, selante, nas construções civis, como o pavimento asfáltico.
No entanto quando se agrega esses materiais citados pelos autores com a
borracha o pavimento fica mais resistente, durável e sua coloração é perceptível por
ficar ainda mais escuro, conforme pode ser visto na Figura 3.
Para Oda (2000), a aplicação do ligante de asfalto de borracha tem se tornado
importante para os serviços de pavimentação, como selagem de trincas, tratamentos
de revestimento, camadas intermediárias entre pavimento existente e a camada de
reforço, além de agregar-se ao concreto asfáltico usinado à quente para a construção
do pavimento asfáltico. Diante da ocorrência de defeitos na superfície de rolamento,
de um modo geral o asfalto de borracha apresenta resultados positivos.
Conforme Wickboldt (2005), a borracha que é oriunda do pneu possui
excelentes propriedades quanto a questão físico-químicas que são incorporadas ao
ligante convencional, trazendo muitas melhorias que afetam diretamente a resistência
e durabilidade do pavimento.
Sendo assim, os pavimentos que tem na sua composição a borracha, atuam
como melhorias não somente na construção do pavimento asfáltico, mas também
para realizar o processo de manutenção do pavimento quando houver doformação do
pavimento construído anteriormente a manutenção, dando maior vida útil ao asfalto.
27

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Diante dos problemas encontrados com pneus velhos que ficam entulhados em
aterros, foi necessário analisar meios de fazer a conscientização da sociedade e a
reutilização dos pneus, com isso no setor da construção civil os pneus inservíveis
começaram a ser utilizados como agregado na construção do pavimento asfáltico,
sendo assim constituído de asfalto emborrachado, seu procedimento é realizar a
moagem da borracha do pneu e em seguida fazer sua aplicar aos demais
componentes que originam o asfalto podendo ser em procedimento a seco ou úmido.
A escolha do pavimento asfáltico deve ser realizada conforme a necessidade,
porém o que tem sido muito utilizado e o asfalto emborrachado devido a sua melhor
resistência, flexibilidade e aderência com os ligantes, esse tipo de asfalto também traz
melhorias para o meio ambiente por reutilizar os pneus para a construção do
pavimento.
O pavimento asfáltico ou revestimento podem ser mais interessante a utilização
da borracha uma vez que ela se torna mais durável e um pavimento flexível devido a
sua elasticidade e resistência, o asfalto de borracha pode ser utilizada para a
manutenção da estrada ou construção do asfalto, devido aos seus benefícios.
O revestimento asfáltico tem sua camada mais nobre, porque é a última
camada em que é destinada para proteger as camadas inferiores do asfalto que
receberá tráfego e os intemperismos.
O revestimento betuminoso com a utilização de borracha surgiu para sanar os
problemas do tráfego de veículos pesados que reduz a vida útil do pavimento. Isso
ocorreu devido a uma constante busca por materiais que pudessem melhorar o
desenvolvimento dos pavimentos flexíveis.
O asfalto emborrachado é um revestimento betuminoso que utiliza borracha,
apresentando técnicas necessárias que garantem a resistência e durabilidade do
asfalto.
Assim sendo, conclui-se que neste trabalho pode ser apresentado todos os
procedimentos e importância do asfalto de borracha e o quão o processo de
reciclagem e de reaproveitamento de pneus é importante também para o
desenvolvimento da economia e do social, foi apresentado também neste trabalho
sobre as vantagens da do asfalto emborrachado que traz benefícios como a
resistência, aderência e durabilidade.
28

REFERÊNCIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Terminologia e


classificação de pavimentação. NBR 7207. Rio de Janeiro, 1982.

ANIP. Associação Nacional das Indústrias de Pneumáticos (2011). Disponível em:


<http://www.anip.com.br> Acesso em: 20/03/2018.

BERTOLLO, Sandra Ap. Margarido; FERNANDES, José Leomar. Reutilização da


Borracha de pneus em pavimentação asfáltica. In; Congresso de pesquisa e
Ensino em Transportes,7, 23 a 27 nov. 1998, Fortaleza. Anais... Fortaleza: ANPET,
2002. Disponível em: <http://www.bvsde.paho.org/bvsaidis/mexico26/iv-003.pdf> .
Acesso em: 10 de mar de 2018.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA - ESTRUTURA. Manual de


Pavimentação. DNIT. Rio de Janeiro, 2006.

FERRARA, Renata D’ Avello, Estudo comparativo do custo x benefício entre o


asfalto convencional e asfalto modificado pela adição de borracha moída de
pneus. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Civil) –
Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo, 2006.

JOHR, Hans. O Verde É Negocio. São Paulo: Saraiva, 1994.

FILHO, Antônio Fontana, Análise Laboratorial de misturas asfálticas abertas


usinadas a quente com a utilização de diferentes ligantes. 2009. Dissertação em
Engenharia Geotécinica – Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2009.

LASTRAN, 1998, Concessão de Rodovias no Rio Grande do Sul. Relatório Interno,


UFRGS, RS.

ODA, Sandra. Análise da Viabilidade Técnica da Utilização do Ligante Asfalto.


Borracha em Obras de Pavimentação. Tese (Doutorado em Transportes) – Escola
de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

PINHEIRO, Jorge Henrique Magalhães; SOARES, Jorge Barbosa. Realização e


acompanhamento de dois trechos experimentais com asfalto-borracha no estado
do Ceará. Transportes, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 57-66, jun. 2005.

RECICLANIP. Reciclagem de pneu. Disponível em: http://www.reciclanip.com.br/.


Acesso em 20/03/2018

WICKBOLDT, V. S. Ensaios Acelerados de Pavimentos para Avaliação de


Desempenho de Recapeamentos Asfálticos – Dissertação de Mestrado –
PPGEC/UFRGS. 134p. 2005.

SENÇO, Wlastermiler de, Manual de técnicas de pavimentação: volume 1. 2. ed.


São Paulo: Pini, 2007.
29

SPECHT P.; LUCIANO. Avaliação de Misturas Asfálticas com Incorporação de


Borracha Reciclada de Pneus. Tese (Pós-Graduação em Engenharia Civil) –
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2004.