Vous êtes sur la page 1sur 6

DECivil DECivil 1.

INTRODUÇÃO
GESTEC GESTEC

2. DIMENSIONAMENTO DE COFRAGENS E
ESCORAMENTOS
 

   
 



 



 


2.1. Acções de cálculo
 

 

2.2. Dimensionamento com tabelas de cálculo




 

 


 

 

 
 

 

 











2.3. Dimensionamento rigoroso




 

2.4. Dimensionamento de cofragens racionalizadas


 

   

 

 

 

 

3. EXERCÍCIO
 

 

 

Autor: João Ribeiro Correia

Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito,


Eng.º Pedro Vaz Paulo e Eng.º João Ribeiro Correia

!"
DIMENSIONAMENTO DE COFRAGENS ACÇÕES DE CÁLCULO
DECivil DECivil
GESTEC GESTEC
Em geral não há qualquer cálculo estrutural 1. Lajes:
(experiência, habilidade e intuição do pessoal) • Peso próprio do betão: (hlaje x 25,0) kN/m2
• Peso próprio da cofragem (desprezável)
 

   
 

• Sobrecarga de utilização: 1,5 kN/m2 (materiais e pessoal


   

 

 

 

 

Moldes sobredimensionados


 

sobre a laje)
 


 

 

 
 

 

 






Elementos de suporte e contraventamento exagerados 







 

2. Pilares e paredes:

 

   

 

 

 

 

• Impulso introduzido pelo betão fresco


 

 

 

Racionalização da operação e do material em geral não são • Importância do efeito dinâmico (velocidade de betonagem
devidamente consideradas e queda do betão de altura apreciável)

1
!" %& ' %"'(& ')" "& )(* ( !"
3. Vigas:
DECivil DECivil
UTILIZAÇÃO DE TABELAS DE CÁLCULO
GESTEC • Acções horizontais: acções descritas para as lajes GESTEC
“Cofragens tradicionais de madeira (tabelas)”,
• Acções verticais: impulso do betão fresco
de Santos Clemente

Factores que influenciam impulso do betão fresco:


 

• Capacidade de carga dos elementos que constituem as cofragens


   
 

   

• Dimensões e forma do elemento estrutural


 

 

• Secções mais correntes do mercado e situações mais comuns


 

 

 

 


 

• Dosagem de cimento • Referem-se a madeira de pinho bravo de 2ª escolha


 

 
 

 

 

 

 

• Velocidade da betonagem • 3 possíveis relações flecha/vão limite:


 

 





 

 

   

−δ L/250 – superfícies de betão não vistas


 

• Altura da coluna de betão


 

 

Multiplicidade de teorias
 

 

 

 

- δ L/250 – superfícies de betão a rebocar


• Densidade das armaduras de cálculo
−δ L/250 – superfícies de betão à vista
• Deformabilidade da cofragem
• Modo de compactação NOTA: L – vão do elemento de cofragem (não é o vão do elemento estrutural)
# $

%& ' %"'(& ')" "& )(* ( !" 2. Definição do espaçamento


entre os barrotes (tabela 1)
DECivil Metodologia de cálculo: DECivil
GESTEC GESTEC
• Função da carga, espessura
1. Definição da carga (pplaje + 150 kgf/m2)
das tábuas e condições de apoio
2. Definição do espaçamento entre os barrotes (vão das tábuas)
 

3. Definição do espaçamento entre vigas (vão dos barrotes)


   
 

   

 

 

 

 

4. Definição do espaçamento entre prumos (vão das vigas)




 

 


 

 

 
 

 

 

5. Verificar capacidade dos prumos


 

 

 

 





 

 

   

 

 

 

 

 

 

 

+ ,

2
3. Definição do espaçamento
4. Definição do espaçamento entre os prumos (tabela 2)
entre as vigas (tabela 2)
DECivil DECivil
• Função da carga, secção das vigas e condições de apoio
GESTEC • Função da carga, secção dos GESTEC

barrotes e condições de apoio 5. Verificar capacidade dos prumos (tabela 3)


 
• Função da carga, área de influência, secção transversal e altura
dos prumos
   
 

   

 

 

 

 

 

 


 

 

 
 

 

 

 

 

 

 





 

 

   

 

 

 

 

 

 

 

NOTA: Preferível colocar prumos no cruzamento de barrotes e vigas


- .

%& ' %"'(& ')" "& )(* ( !" %& ' %"'(& ')" /%0"/" "

DECivil Utilização das tabelas de cálculo DECivil


1. Características das madeiras:
GESTEC GESTEC

Valores conservativos baseados na verificação da tensão de Pinho bravo (2ª categoria):


serviço para elementos: - σmax (comp. axial) = 6 MPa
 

- simplesmente apoiados (pL2/8) ou − σmax (comp. transv.) = 6 MPa


   
 

   

 

 

- σmax (flexão) = 9 MPa


 

 

- contínuos (pL2/10)


 

 


 

 

 
 

- τmax,corte = 9 MPa
 

 

 

 

 

- E (barrotes) = 7 GPa
 





 

 

   

 

 

 

- E (tábuas de solho) = 5 GPa


 

 

 

 

Dimensionamento Projecto de cofragens


mais económico mais elaborado

3
%& ' %"'(& ')" /%0"/" " %& ' %"'(& ')" /%0"/" "
2. Dimensionamento das tábuas, barrotes e vigas 2. Dimensionamento das tábuas, barrotes e vigas
DECivil DECivil
GESTEC
2.1 Deformação – Limites de GESTEC 2.2 Resistência – Tensões de serviço: σSd < σRd
flecha: Msd 18
sd = Rd = k
= = 13,85 MPa (EC 5)
W 1,3
- δ < L/250
m
 

   

(sup. de betão não vistas)


 

   

 

 

 

 

- δ < L/500


 

 


 

 

 
 

(sup. de betão a rebocar)


 

 

 

 

 

- δ < L/1000
 





 

 

   

 

 

(sup. de betão à vista)


 

 

 

 

 

%& ' %"'(& ')" /%0"/" "


3. Dimensionamento dos
3. Dimensionamento dos prumos prumos
DECivil DECivil
GESTEC GESTEC
3.1 Encurvadura local por flexão: Coeficientes de redução
- NSd < Nb,rd Têm em conta:
• Esbelteza
 

Nsd = qsd × Ainfl. Nb,rd = × A × fy


   
 

• Imperfeições geométricas
   

 

 

 

 

factor de redução


 

 


 

e • Tensões residuais
 

=
 
 

 

curva de
 




imin redução “a”





2
 

= φ = 0,5 × [1 + 0,21 × ( − 0,2) + ]


 





 

E
 

1
   

 

1=
 

 

 

fy
 

 

 

esbelteza normalizada

λ - esbelteza 1
=
2
λ1 – esbelteza de transição φ + φ2 −

# $

4
%& ' %"'(& ')" "1/(0 ' /( %"'( %2( ( %& ' %"'(& ')" "1/(0 ' /( %"'( %2( (

DECivil Cofragens racionalizadas DECivil Cofragens racionalizadas


GESTEC GESTEC

• Cálculo e respectivo projecto Painéis de cofragem para


elaborados pela firma que os instala, paredes:



 
muitas vezes num sistema de aluguer. 


 

• Deformabilidade dos
















painéis de contraplacado
em função:


 

 


 

 

 
 

 

 

- Vão
 

 

 

 





 




 







 


- Pressão do betão fresco
 

 

 

+ ,

%& ' %"'(& ')" "1/(0 ' /( %"'( %2( ( %& ' %"'(& ')" "1/(0 ' /( %"'( %2( (

DECivil Cofragens racionalizadas DECivil Cofragens racionalizadas


GESTEC GESTEC

Painéis de cofragem para paredes: Painéis de cofragem para lajes:


• Tabelas para o dimensionamento • Tabelas para o



 
dos elementos de contraventamento 


 
dimensionamento da estrutura
















de suporte dos painéis de
cofragem em função da altura


 

 


 

 

 
 

 

da laje:
 

 

 

 

 





- espaçamento entre barrotes


 

 

   

 

 

 

 

- espaçamento entre vigas


 

 

 

- espaçamento entre prumos

- .

5
3
%& ' %"'(& ')" "1/(0 ' /( %"'( %2( ( Exercício 1: Elabore o projecto de cofragens da laje indicada no
desenho, pertencente à rampa de uma garagem de um edifício de
DECivil Cofragens racionalizadas DECivil
GESTEC GESTEC habitação.
Painéis de cofragem para laje:
• Tabelas para o dimensionamento



 

dos prumos 


 

   

 

 

 

 

 

 


 

6,00
 

 
 

 

 

 

 

 

 





 

 

   

 

 

Dados:
 

 

 

 

 

• hlaje = 20 cm
• Superfícies a rebocar
• Tábuas de solho: e = 2,5 cm; b = 20 cm; L = 2,60 m
• Barrotes e vigas: L = 2,60 m (7x10, 8x16, 10x20)

3
Sugestões:
DECivil • Afastamento entre vigas = 1,50 m DECivil
GESTEC
• Vigas simplesmente apoiadas nos prumos GESTEC

• Prumos colocados de 2 em 2 barrotes

Metodologia:
 

   
 

1. Definir afastamento dos


   

 

 

 

 

 

barrotes
 


 

 

 
 

 

 

2. Definir secção dos


 

 

 

 

barrotes




 

 

   

 

 

3. Definir secção das vigas


 

 

 

 

 

4. Definir secção dos


prumos
Trabalho realizado com o apoio do Programa
Operacional Sociedade da Informação - POSI