Vous êtes sur la page 1sur 2

Escola de Minas - Universidade Federal de Ouro Preto

PRO556 Planejamento Energético Integrado

Diante da significativa restrição de disponibilidade de recursos energéticos no contexto


mundial associada à busca contínua por redução de custos alinhada a eventual busca pela
amenização de impactos socioeconômicos e ambientais, torna-se crucial o
desenvolvimento de um planejamento eficiente, capaz de garantir o abastecimento
integral de energia em uma determinada localidade diante das restrições descritas.
Segundo EPE(2016) a falta de planejamento energético reflete negativamente em um
conjunto de fatores relacionados à elevação de custos, redução na qualidade de prestação
dos serviços prestados, excesso de capacidade instalada, entre outros. O mesmo autores
ainda afirmam que essas características técnicas, econômicas e a complexidade dos
aspectos envolvidos no funcionamento da indústria da energia são incisivos para
determinar a importância do planejamento deste setor.
Dessa forma, durante a presente disciplina, abordou-se um conjunto de elementos chaves
para a elaboração de um plano energético eficiente e integrado às necessidades da
sociedade e indústria através das ferramentas homer e leap.
Ambos os softwares propõe modelos e métodos de simulação de diversos cenários
energéticos que possibilitam ao usuário uma visão abrangente do sistema ao mesmo
tempo que proporcionam uma interpretação específica de seus componentes e
tecnologias. No entanto se diferenciam em relação à abordagem, enquanto o homer é
utilizado para análise de micro centrais de energia, organizações ou residências, o leap se
mostra mais abrangente, utilizado como suporte à implementação de políticas energéticas
e avaliação de emissão de gases poluente.
Para a utilização destes softwares no intuito de propor cenários energéticos mais
eficientes, foram apresentados um conjunto de fundamentos essenciais dos quais o
usuário deve ter conhecimento e que serão descritos abaixo de acordo com as atividades
desempenhadas em sala de aula.
Nas aulas relacionadas à construção da curva de carga de uma residência a partir da
entrada de dados de consumo elétrico dos equipamentos e sua respectiva utilização ao
longo do dia, foi possível interpretar, de forma palpável, duas formas de propor a redução
de custos de uma localidade: A gestão pelo lado da demanda e a disponibilidade de
solicitar à companhia fornecedora de energia, um modelo tarifário que melhor se aplique
ao seu perfil de consumo.
Segundo Campos (2004 apud Limaye 1985) A gestão pelo lado da demanda consiste no
planejamento, análise e implementação de atividades que influenciam o consumidor a
mudar a configuração de sua curva de carga. Nos ambientes analisados, essa configuração
pode ser alterada a partir da substituição de equipamentos por outros de maior eficiência
energética; ou pode ser alterado o padrão de consumo energético ao longo do dia no
intuito de adaptar-se à um modelo tarifário que proporcione diferentes tarifas de acordo
com os horários de maior e menor demanda.
A partir dos dados utilizados no modelo de curva de carga, o software homer,
proporcionou um ambiente de simulação capaz de avaliar diversos cenários energéticos
e elucidando as fontes energéticas que apresentassem o melhor custo benefício levando
em conta fatores significativamente complexos como tarifas, custo de implantação, custo
de manutenção, degradação do equipamento e perda de eficiência ao longo do tempo.