Vous êtes sur la page 1sur 14

MINISTÉRIO PÚBLICO 1 Et il. :N.

J Supremo T ibunal Federal


Procuradoria-Geral da R pub Pet 0006865 4/03/20 7 17 50
0002662-52.2017. .00.0000

N2 52139/2017-GTLEPGR
11 111111111111111111111111111111111111111 111111
Relator Ministro Edson Fachin
Distribuição por conexão à Petição n2 6530

SIGILOSO:

PROCESSO PENAL. PROCEDIMENTO SIGI-


LOSO AUTUADO COMO PETIÇÃO. TERMO
DE DECLARAÇÃO COLHIDO NO ÂMBITO
DE ACORDOS DE COLABORAÇÃO PREMIA-
DA. REFERÊNCIA A PESSOAS SEM FORO
POR PRERROGATIVA DE FUNÇÃO NO SU-
PREMO TRIBUNAL FEDERAL. MANIFESTA-
ÇÃO PELA DECLARAÇÃO DE INCOMPE-
TÊNCIA E REMESSA DO TERMO A ÓRGÃO
COM ATRIBUIÇÃO PARA INVESTIGAR OS
FATOS.
Celebração e posterior homologação de acordos de
colaboração premiada no decorrer da chamada "Opera-
ção Lava Jato". Conjunto de investigações e ações pe-
nais que tratam de esquema criminoso de corrupção de
agentes públicos e lavagem de dinheiro relacionados à
Administração Pública.
Colheita de termos de declaração de colaboradores
nos quais se relatam fatos envolvendo pessoas sem
prerrogativa de foro perante o Supremo Tribunal Fede-
ral.
Manifestação pela declinação de competência em re-
lação a tais fatos para a adoção das providências cabí-
veis.

O Procurador-Geral da República vem perante Vossa Exce-


lência se manifestar nos termos que seguem.
3,
PGR

1. Da contextualização dos fatos

O Ministério Público Federal, no decorrer das investigações


da Operação Lava Jato, firmou acordos de colaboração premiada
com 77 (setenta e sete) executivos e ex-executivos do Grupo Ode-
brecht, havendo protocolizado, em 19.12.2016, diversos requeri-
mentos visando à homologação dos referidos acordos, nos termos
do disposto no art. 49, § 72, da Lei 12.850/2013.
Em decorrência dos referidos acordos de colaboração, foram
prestados por seus respectivos colaboradores centenas de termos
de depoimento, no bojo dos quais relatou-se a prática de distintos
crimes por pessoas com e sem foro por prerrogativa de função no
Supremo Tribunal Federal, relacionados diretamente ou não com a
Lava Jato.
A Ministra Presidente, em 28.1.2017, homologou os acordos
de colaboração em referência e, após, vieram os autos à Procurado-
ria-Geral da República "para manifestação sobre os termos de depoimento
veiculados nestes autos, no prno de até 15 (quine) dias".

2. Do caso concreto

O colaborador MARCELO BAHIA ODEBRECHT, em seu


Termo de Depoimento 35, o colaborador JOÃO CA • OS MA-

2 de 6
PGR

RIZ NOGUEIRA, em seu Termo de Depoimento 4, e o colabora-


dor EMÍLIO ALVES ODEBRECHT, em seu Termo de Depoi-
mento 17, apontam a atuação de agentes públicos, nos anos de
2007 e 2014, com vistas ao financiamento e à execução de obras
em Cuba pelo Grupo Odebrecht.
O colaborador MARCELO BAHIA ODEBRECHT, em seu
Termo de Depoimento 35, narra acontecimentos, ocorridos em
2007 e 2008, pertinentes ao fmanciamento e à construção pelo
Grupo Odebrecht do Porto de Mariel em Cuba, bem como à atua-
ção política de, entre outras pessoas, FERNANDO PIMENTEL, à
época Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, e de
LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA, então Presidente da República,
com vistas à viabilização da obra.
JOÃO CARLOS MARIZ NOGUEIRA, por sua vez, em seu
Termo de Depoimento 4, relata ter o ex-Presidente Lula, em via-
gem a Havana realizada entre 24 a 27 de fevereiro de 2014 e custea-
da pela Odebrecht, efetuado tratativas junto ao Presidente de Cuba
RAÚL CASTRO a fim de a empresa obter financiamento direcio-
nado à construção de zona franca industrial na região de Porto de
Mariel no valor de US$ 250 milhões, o qual, embora aceito inicial-
mente, acabou não sendo aprovado em momento posterior pelo
Governo de Cuba.
No seu depoimento, o colaborador EMÍLIO ODEBRECHT
relata ter sido procurado por HUGO CHAVEZ em 2007, oportu-
nidade em que o então Presidente da Venezuela solicitou que a
ODEBRECHT atuasse a fim de viabilizar a construção 'o _Porto

3 de 6
SIM
PGR

de Mariel, em Cuba.
Por não haver nos referidos relatos menções a crimes em tese
cometidos por pessoas titulares de foro por prerrogativa de função
no Supremo Tribunal Federal, não é possível definir perante esta
Corte Suprema se existem ou não elementos suficientes à abertura
de procedimento investigatório.
Ressalta-se, ainda, que, relativamente ao Termo de Depoimen-
to 35 de MARCELO BAHIA ODEBRECHT, há menção do en-
volvimento nos fatos por ele narrados do governador do Estado de
Minas Gerais FERNANDO PIMENTEL, o qual detém foro por
prerrogativa de função perante o Superior Tribunal de Justiça, nos
termos do art. 105, I, "a", da Constituição Federa1.1
Quanto aos acontecimentos relatados por JOÃO CARLOS
MARIZ NOGUEIRA, por terem sido possivelmente praticados
em Brasília/DF e em eventual prejuízo a bens, interesses e serviços
de natureza federal, o Termo de Depoimento 4 do referido colabo-
rador há de ser apreciado no âmbito da competência da Justiça Fe-
deral no Distrito Federal.
Por fim, considerando que a presente petição versa sobre fa-
tos ilícitos praticados fora do Brasil, apesar de não estarem direta-
mente abrangidos pela cláusula de confidencialidade firmada com a
ODEBRECHT, requer seja mantido o sigilo dos presentes autos,

1 Art. 105. Compete ao Superior Tribunal de Justiça: I - processar e julgar, originariamente: a) nos
crimes comuns, os Governadores dos Estados e do Distrito Federal, e, nestes e nos de
responsabilidade, os desembargadores dos Tribunais de Justiça dos Estados e do Distrito Federal, os
membros dos Tribunais de Contas dos Estados e do Distrito Federal, os dos Tribunais Regionais
Federais, dos Tribunais Regionais Eleitorais e do Trabalho, os membros dos Conselhos ou Tribunais
de Contas dos Municípios e os do Ministério Público da União que oficiem perante tribu is.

4 de 6
(o,
POR

visto que os temas aqui tratados podem, ainda que por via reflexa,
revelar fatos que devam ser mantidos, por ora, sob sigilo.

3. Dos requerimentos

Em face do exposto, o Procurador-Geral da República requer:


seja reconhecida a incompetência do Supremo Tribunal Fe-
deral para apreciar os fatos versados nos Termos de Depoimento
00 e 35 do colaborador MARCELO BAHIA ODEBRECHT;
do Termos de Depoimento n'2 4 do colaborador JOÃO CARLOS
MARIZ NOGUEIRA e no Termo de Depoimento n2 17 do cola-
borador EMÍLIO ODEBRECHT, bem como dos documentos por
eles apresentados;
autorize a Procuradoria-Geral da República a encaminhar
ao Superior Tribunal de Justiça os Termos de Depoimento 00 e 35
do colaborador MARCELO BAHIA ODEBRECHT, bem como
os documentos por ele apresentados, que versam sobre a suposta
participação de FERNANDO PIMENTEL em irregularidades re-
lacionadas à obra do Porto Mariel em Cuba;
autorize a Procuradoria-Geral da República a encaminhar
os Termos de Depoimento n9 4 do colaborador JOÃO CARLOS
MARIZ NOGUEIRA e n 01 (histórico profissional) e 17 do co-
laborador EMÍLIO ODEBRECHT, bem como os documentos
correlatos por eles apresentados à Procuradoria da Rep blica no

5 de 6
PGR

Distrito Federal, a fim de que lá sejam tomadas as providências ca-


bíveis;
d) a manutenção, por ora, do sigilo dos termos, consoante aci-
ma especificado.

Brasília (DF), 13 de março de 2017.

Rodrigo Janot M eiro de Barros


Procurador-Geral da República

FA/AC/PJC

6 de 6
Q9'ff,"4— 0?r-iimagaic eined
--

Secretaria Judiciária

CERTIDÃO

Pet n° ONGS

Certifico que, em 14 de março de 2017, recebi o processo


protocolizado sob o número em epígrafe, acompanhado de uma
mídia.

Certifico, ainda, que procedi a autuação e a distribuição deste


feito com as cautelas de sigilo previstas no art. 230-C, §2°, do
RISTF, bem como na Resolução 579/STF.

Brasília, 14 de março de 2017.

Patrícia Perei ra Martins — Mat. 1775


P.99
afregno Pr)eiétotai (2%erieind
Q9;cgeetaneia •
e,
ceood,emact
swa de °'yoce~tentu

Termo de recebimento e autuação

Estes autos foram recebidos e autuados nas datas e com as observações abaixo:
Pet n° 6865
PROCED. : DISTRITO FEDERAL
ORIGEM. : SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL
NÚMERO DO PROCESSO NA ORIGEM : 6865
REQTE.(S): SOB SIGILO
PROC.(A/S)(ES): SOB SIGILO

QTD.FOLHAS: 9 QTD.VOLUME: 1 QTD.APENSOS: O

ASSUNTO: DIREITO PROCESSUAL PENAL 1 Investigação Penal

DATA DE AUTUAÇÃO: 16/03/2017 - 18:18:52

Certidão de distribuição

Certifico, para os devidos fins, que estes autos foram distribuídos ao Senhor MIN. EDSON
FACHIN, com a adoção dos seguintes parâmetros:
- Característica da distribuição:PREVENÇÃO DO RELATOR/SUCESSOR
- Processo que Justifica a prevenção Relator/Sucessor: PETIÇÃO n° 6530
- Justificativa: RISTF, art. 69, caput -
DATA DE DISTRIBUIÇÃO: 20/03/2017 - 13:18:00

Brasília, 20 de Março de 2017.

Coordenadoria de Processamento Inicial


(documento eletrônico)

TERMO DE CONCLUSÃO
Faço estes autos conclusos ao (à) Excelentíssimo(a) Senhor(a)
Ministro(a) Relator (a).
Brasília, T. / de ..4.4i4/3#/ de 2017.

MARCELO PERE1 DE SOUZA JÚNIOR


M xota 2488

Certidão gerada em 20/03/2017 ás 13:18:35.

Esta certidão pode ser validada em httpa//w.stf.jus.br/porta1/autenticacao/autenticarDocuento.asp com o seguinte código CEQOP6VORESS.

''PATRICIAP, em 20/03/2017 às 13:51.


&C,94~280, P7
C )etétiall
" ea(e~7
--

PETIÇÃO 6.865 DISTRITO FEDERAL

RELATOR : MIN. EDSON FACHIN


REQTE.(S) :SOB SIGILO
PROC.(A/S)(ES) :SOB SIGILO

DECISÃO: 1. Trata-se de petição instaurada com lastro nos termos de


depoimento dos colaboradores Marcelo Bahia Odebrecht (Termo de
Depoimento n. 35), João Carlos Mariz Nogueira (Termo de Depoimento n.
4) e Emílio Alves Odebrecht (Termo de Depoimento n. 17).
Segundo o Ministério Público, os colaboradores apontam a atuação
de agentes públicos para auxiliar o financiamento e a execução de obras
em Cuba pelo Grupo Odebrecht. Marcelo Bahia Odebrecht teria narrado
a atuação política de Fernando Pimentel e Luiz Inácio Lula da Silva a fim
de que fossem viabilizadas as obras da companhia no Porto de Mariel em
Cuba, informações que teriam sido complementadas por João Carlos
Mariz Nogueira e Emílio Alves Odebrecht.
Afirmando que não existe menção a crimes praticados por
autoridades detentoras de foro por prerrogativa de função nesta Corte,
requer o Procurador-Geral da República o reconhecimento da
incompetência do Supremo Tribunal Federal para a apuração dos fatos.
Considerando que há menção a Fernando Pimentel, atual Governador do
Estado de Minas Gerais, postula autorização para utilizar "encaminhar ao
Superior Tribunal de Justiça os Termos de Depoimento 00 e 35 do colaborador
Marcelo Bahia Odebrecht, bem como os documentos por ele apresentados" (fl. 6).
No que tange aos demais fatos narrados, requer o envio dos termos dos
demais colaboradores à Procuradoria da República no Distrito Federal.
Pede, por fim, "a manutenção, por ora, do sigilo dos termos, consoante acima
especificado" (fl. 7).
De fato, conforme relato do Ministério Público, não se verifica,
nesta fase, o envolvimento de autoridade que detenha for por
prerrogativa de função nesta Corte, o que possibilita, desde logo, o uso e
envio de cópia das declarações prestadas pelos colaboradores aos juizos
indicados como competentes.
Com relação ao sigilo do procedimento, nos termos da
manifestação do Ministério Público, a restrição à publicidade pode

Documento assinado digitalmente conforme MP n° 2.200-2/2001 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O
documento pode ser acessado no endereço eletrônico http://www.stfjus.br/portal/autenticacao/ sob o número 12701502.
&tti lviteac/ C.P/;eiétonal
4z
PET 6865 / DF

resguardar o êxito da apuração, preenchendo os requisitos do art. 50, LX,


CF.
4. Ante o exposto: (i) mantenho o sigilo dos autos; (ii) defiro o
pedido do Procurador-Geral da República para o uso de cópia dos termos
de depoimento do colaborador Marcelo Bahia Odebrecht (Termos de
Depoimento n. O e 35) e documentos apresentados, perante o Superior
Tribunal de Justiça; (iii) defiro o pedido do Procurador-Geral da
República para o envio de cópia dos termos de depoimento dos
colaboradores João Carlos Mariz Nogueira (Termo de Depoimento n. 4) e
Emílio Alves Odebrecht (Termo de Depoimento n. 17), e documentos
apresentados, à Seção Judiciária do Distrito Federal, ficando autorizada,
por parte do requerente, o envio do mesmo material a Procuradoria da
República no Distrito Federal. Registro que a presente declinação não
importa em definição de competência, a qual poderá ser reavaliada nas
instâncias próprias.
Atendidas essas providências, com as anotações do sigilo,
arquivem-se.
Intime-se.
Brasília, 4 de abril de 2017.

Ministro EDSON FACHIN


Relator
Documento assinado digitalmente

Documento assinado digitalmente conforme MP n°2.200-2/2001 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O
documento pode ser acossado no endereço eletrônico http://www.stf.jus.br/portal/autenticacao/ sob o número 12701502.
p99a70~ Qrnzmnicié cSiedfriwi
Secretaria Judiciária

CERTIDÃO

PET n° 6.865

Certifico que não foi possível extrair cópia de segurança da mídia

de fl. 08.

Brasília, de abril de 2017.

Patrícia Pereira de M ura a ins — Mat. 1775


111/2e,e,Q274'), Ciglitte/nelf
09( P—SeCie2tai

PETIÇÃO 6.865 DISTRITO FEDERAL

RELATOR : MIN. EDSON FACHIN


REQTE.(S) :SOB SIGILO
PROC.(A/S)(ES) :SOB SIGILO

DESPACHO: Considerando a certidão de fl. 13, que atesta a


impossibilidade da confecção de cópia de segurança da mídia de fl. 8,
retomem os autos ao Ministério Público para as providencias.
Intime-se.
Brasília, 18 de abril de 2017.

Ministro EDSON FACHIN


Relator
Documento assinado digitalmente

Documento assinado digitalmente conforme MP n° 2200-2/2001 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O
documento pode ser acessado no endereço eletrônico http://www.stf.jus.br/portal/autenticacao/ sob o número 12760416.
099
€04emna &ler:4a ec49rai

(eS

TERMO DE VISTA

Faço vista destes autos ao Exmo. Sr. Procurador-Geral da República.


Brasília, 1:8 de de 2017.

MARCELO PEREIR OLJZA JÚNIOR


Mawfüla 2488

STF 102.002
MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL
PROCURADORIA GERAL DA REPUBLICA
DCJ/SUBGDP/PGR - DIVISÃO DE CONTROLE JUDICIAL/PGR

TERMO DE DISTRIBUIÇÃO E CONCLUSÃO DE AUTO JUDICIAL

Procedi à distribuição/conclusão do presente feito, conforme informações abaixo:

Número do Auto 6865


Etiqueta STF-PET-6865
Data da Vista: 18/04/2017 00:00:00
Data da Entrada: 18/04/2017 18:23:13
Motivo da Entrada: Parecer
Urgente: Não

Informações da Conclusão
Oficio: GABPGR-GT LAVA JATO
RODRIGO JANOT MONTEIRO DE BARROS
Tipo de Vínculo: Titular
Motivo: Oficio Titular
Forma de Execução: Conclusão Automática
Data: 18/04/2017 18:24:53
Responsável: Marcos Antonio Guimaraes De Fontes

Brasília, 18/ /2017 18:24:53.

Marcos mo Góimaraes De Fontes


Responsa ela 76nclusão do auto judicial

le "'tu
QUiluariits oda,
3 n
gÁgrws 751wm20807
Matricuk
Divisão de Controle Ju
SUSGDP/Ct lEi:IAGAGIFGR