Vous êtes sur la page 1sur 8

Silas Malafaia, a Associação Vitória em Cristo e a defesa da

família tradicional.

JONAS CHRISTMANN KOREN*

Resumo
Nesse artigo pretendemos compreender o cerne ideológico da Associação
Vitória em Cristo (AVEC) e de seu líder o pastor Silas Malafaia no que se
refere a defesa da família tradicional. Através de seu programa de televisão e da
internet o pastor defende posturas de um conservadorismo explícito e vem se
destacando ultimamente como liderança religiosa e política, não apenas entre o
público pentecostal ou evangélico. O pastor elenca como principais inimigos da
sociedade e da moral cristã aqueles que supostamente laboram pela dissolução
da família nuclear tradicional, como os movimentos feministas e em defesa dos
direitos dos homossexuais ou grupos taxados por ele pejorativamente de
comunistas. Compreendemos que a associação de Malafaia atua na sociedade
civil como um aparelho privado de hegemonia, conforme a conceituação
gramsciana, difundindo visões de mundo e conformando um consenso entre
seu público. A AVEC intenta também complementar sua atuação na sociedade
política, via a atuação de sua bancada eleitoral, que embora habite e dialogue
com diversas siglas partidárias, justifica sua existência pela questão religiosa.
Serão analisados o programa de televisão apresentado pelo pastor, o Vitória em
Cristo, os vídeos do pastor postados no site oficial da associação e algumas
notícias veiculadas no site Verdade Gospel que trataram do tema.
Palavras-chave: Silas Malafaia; Família tradicional; Ideologia; Gramsci.

*
JONAS CHRISTMANN KOREN é Mestrando do Programa de Pós-Graduação em História
(PPGH) da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) – Campus de Marechal Cândido
Rondon.

10
Congresso Pentecostal Brasileiro Fogo para o Brasil

Cabe definir conceitualmente o que pequena afirmação de “realidade”:


entendemos por ideologia. Gramsci em sua teoria pretende precisamente
seus Cadernos de Cárcere faz uma fazer com que um determinado
revisão do conceito de ideologia grupo social “tome consciência”
empregado por Marx. No trecho a das próprias tarefas, da própria
força, do próprio devir. Mas ele
seguir, ao comentar sobre os escritos de
destrói as “ideologias” dos grupos
Croce, Gramsci escreve que esse sociais adversários, que são
“comete uma injustiça” ao afirmar que precisamente instrumentos práticos
para Marx “as ‘superestruturas’ são de domínio político sobre a
aparência e ilusão” (LIGUORI, 2007, p. sociedade restante: ele demonstra
83). Na visão gramsciana: como elas são destituídas de
sentido, porque em contradição
Para Marx, as “ideologias” não tem
com a realidade efetiva (GRAMSCI
nada de ilusão e aparência; são uma
apud LIGUORI, 2007, p. 83).
realidade objetiva e operante, mas
não são a mola da história, eis tudo. Para Gramsci, em Marx a ideologia não
Não são as ideologias que criam a é entendida como simples aparência e
realidade social, mas é a realidade ilusão. Apesar de não criarem a
social, na sua estrutura produtiva, realidade social, as ideologias são uma
que cria as ideologias. Como Marx “realidade objetiva e operante”. O
poderia ter pensado que as
próprio marxismo, para Gramsci, é uma
superestruturas são aparência e
ilusão? Também suas doutrinas são ideologia que tem a característica
uma superestrutura. Marx afirma fundamental de não estar em
explicitamente que os homens “contradição com a realidade”. Em
tomam consciência das suas tarefas outros termos, ele não “nega as
no terreno ideológico, das contradições, antes, revela-as e analisa-
superestruturas, o que não é as” e assim “não se faz passar por algo

11
acima ou além da história” (Ibidem, p. a persuasão popular tem, com
83). Para o autor, um erro comum na frequência, a mesma energia de
consideração sobre o valor das uma força material, ou algo
ideologias ocorre porque o termo é semelhante, e que é muito
utilizado para descrever tanto “à significativo. A análise destas
afirmações, creio, conduz ao
superestrutura necessária de uma
fortalecimento da concepção de
determinada estrutura”, como para às “bloco histórico”, no qual,
“elucubrações arbitrárias de precisamente, as forças materiais
determinados indivíduos” (GRAMSCI, são o conteúdo e as ideologias são a
1999, p. 237-238). Ao fazer essa forma, distinção entre forma e
distinção o autor explica que as duas conteúdo puramente didática, á que
não tem o mesmo valor histórico: as forças materiais não seriam
historicamente concebíveis sem
Enquanto são historicamente forma e as ideologias seriam
necessárias, as ideologias têm uma fantasias individuais sem as forças
validade que é validade materiais (GRAMSCI apud
“psicológica”: elas “organizam” as LIGUORI, 2007, p. 85).
massas humanas, formam o terreno
no qual os homens se movimentam, Gramsci faz uma leitura
adquirem consciência de sua antideterminista e antieconomicista de
posição, lutam, etc. Enquanto são Marx, demonstrando que as ideologias,
“arbitrárias”, não criam mais do como a persuasão popular, podem ter a
que “movimentos” individuais, “mesma energia de uma força material”,
polêmicas, etc. (nem mesmo estas porém, dissociadas dessas forças
são completamente Inúteis, já que
materiais são apenas “fantasias
funcionam como o erro que se
contrapõe à verdade e a afirma)
individuais”. Para Gramsci, o que existe
(Idem). entre infraestrutura e superestrutura é
uma articulação necessária e vital, que
O segundo sentido do conceito tornou- se apresenta de forma dialética. Assim,
se exclusivo, modificando e a ideologia, como parte da
desnaturalizando a análise teórica do infraestrutura, não se resume a uma
conceito de ideologia é reconstruído leitura idealista, como um combate de
pelo autor dessa forma: primeiro a ideias dissociadas de sua base material e
ideologia é vista como distinta da nem emerge como consequência natural
estrutura e sem poder de modificar esta. de determinado desenvolvimento
Sendo a estrutura que modifica as produtivo. E deve ser compreendida
ideologias. Em segundo lugar afirma-se dentro da análise concreta da luta de
que uma determinada solução política é classes, através de sua função e eficácia
“ideológica” e, assim sendo, real para agrupar classes, e frações
insuficiente para modificar a estrutura, destas, em posições de domínio e de
“enquanto crê poder modificá-la se subordinação.
afirma que é inútil, estúpida, etc.”. Em
decorrência disso, por último, afirma-se A defesa da “família tradicional” é a
que toda ideologia é “‘pura’ aparência, base para a maior parte das posições
inútil; estúpida, etc.” (Idem). Em outro defendidas por Malafaia e sua
trecho dos cadernos Gramsci retorna a associação e por esse motivo é uma
Marx ao escrever sobre a validade das questão recorrente nas falas do pastor e
ideologias historicamente necessárias: nas notícias publicadas no Site Verdade
Gospel, como é possível ver em uma
Outra afirmação de Marx é a de que busca pelo termo “família tradicional”

12
no site. O discurso analisado a seguir Hobsbawm, a família nuclear tornou-se
foi realizado pelo Pastor Malafaia em modelo padrão na sociedade ocidental
sessão solene em homenagem ao Dia nos séculos XIX e XX quando:
Nacional de Valorização da Família,
comemorado em 21 de outubro, na [...] a vasta maioria da humanidade
Câmara dos Deputados no dia 20 de partilhava certo número de
características, como a existência
novembro de 2012. A pedido do líder do
de casamento formal com relações
Partido Social Cristão (PSC) na época, sexuais privilegiadas para os
o deputado André Moura (SE), o pastor cônjuges (o “adultério” é
discursou sobre a valorização da universalmente tratado como
família. A sessão solene contou com a crime); a superioridade dos maridos
presença de parlamentares da bancada em relação às esposas
evangélica na câmara (Verdade Gospel. (“patriarcado”) e dos pais em
19/11/2012). relação aos filhos, assim como às
gerações mais jovens; famílias
O pastor inicia explicando a consistindo em várias pessoas.
importância das relações sociais para o Coisas assim. Quaisquer que sejam
desenvolvimento do ser humano e que a extensão e a complexidade da
“a família, como a célula principal da rede de parentesco e dos direitos e
sociedade” é fundamental nesse obrigações mútuas dentro dela, uma
processo. Nas palavras de Malafaia: “a família nuclear – um casal com
sua forma de pensar tem haver com que filhos – estava geralmente presente
em alguma parte, mesmo quando o
você aprende com o que você retira do
grupo ou família co-residente ou
convívio social. Então senhores, a cooperante era muito maior
família é de vital importância por ser (HOBSBAWM, 1995, p. 315).
não só a primeira, mas a mais
importante agencia socializadora”. Em Seguindo o discurso, o pastor deixa
seguida o pastor explica qual seria a sua claro que o modelo de família nuclear
concepção de família e a forma pela que defende se baseia na organização
qual essa instituição foi criada: patriarcal: “então Deus cria uma
Quem fez a família foi Deus e
organização nessa instituição chamada
Deus, Ele criou normas, família, coloca o homem como
estabeleceu normas para o bom autoridade”. E apresenta um dos grupos
andar dessa instituição. Ele cria que se opõe a esse modelo de
normas para que o ser humano organização: “[...] e de vez em quando
possa tirar proveito e possa crescer tem algumas feministas que se assustam
e se desenvolver. O que nós quando a gente fala que a autoridade
chamamos de família nuclear é o pertence ao homem e elas não sabem
homem a mulher e a sua prole. Isso definir o que significa autoridade”. Para
aqui é a família nuclear, não se o pastor, “O principio de Deus não é
assuste com o que eu vou te falar:
machista é organizacional” (Verdade
família é o homem a mulher e seus
filhos o resto vira parente (Idem).
Gospel. 19/11/2012). O feminismo é
visto como um dos grupos cujo objetivo
O pastor, em sua concepção religiosa e é a destruição da família tradicional. De
a-histórica, vê na família nuclear uma fato a luta pelos direitos das mulheres
instituição regida pelas normas divinas visa à superação de um modelo de
e não uma formação social típica de um família baseado na autoridade
determinado momento histórico. Mais masculina, porém, na visão do pastor, a
precisamente, como escreve Eric destruição da família tradicional está

13
trazendo consigo o “desarranjo social” “ideologia de gênero” no Plano
(idem): Nacional de Educação (PNE). Segundo
a matéria, a “ideologia de gênero” é
E agora querem destruir as figuras vista pelos deputados católicos e
da família, a desconstrução da evangélicos como “uma tática de grupos
heteronormatividade e a progressistas" para “começar a
desconstrução dessa família
doutrinar crianças e jovens contra a
nuclear. E nós vamos ver o que vai
acontecer nas gerações futuras, o família natural” no sistema escolar
desarranjo social. Porque Deus, (Verdade Gospel, 07/10/2014). Segundo
como qualquer instituição, ela a matéria:
precisa de organização. Até a A Ideologia de Gênero ensina que
quitanda do Seu Manoel se não os papéis naturais desempenhados
tiver organização vai pro beleléu pelos homens e mulheres são, na
(Ibidem). verdade, criações da sociedade.
Assim, meninos podem se vestir
O papel de autoridade que o homem como meninas e vice-versa. A
deve exercer na família, também não é ideologia de gênero estimula essas
visto como uma questão social, já que, experiências (Idem).
no discurso do pastor, os papeis
masculinos e femininos já estão dados Voltando ao discurso da câmara, o
naturalmente e são definidos pastor fala sobre a importância da
previamente por Deus. De acordo com família no desenvolvimento do ser
Malafaia, existem sete princípios de humano e sobre como o exemplo e
autoridade: “proteção, provisão, autoridade dos pais são essenciais nesse
promoção, coesão, liderança e visão”. processo. Para o pastor a falta de
Iremos ignorar o fato de ele apenas ter punições físicas e ausência dos pais é
citado seis. O que nos interessa é que outro motivo pela qual a família nuclear
esses princípios são exercidos está sendo destruindo a família e por
naturalmente pelo homem em um isso a “sociedade está desarranjada”
casamento, enquanto à mulher, “que (Verdade Gospel. 19/11/2012). Em
tem uma percepção emocional seguida apresenta uma pesquisa que,
fenomenal”, cabe trazer “o equilíbrio segundo ele, prova que a sociedade se
das partes” e edificar “a autoridade do sustenta na família tradicional,
homem”. A autoridade é masculina, a obviamente heterossexual, e mostra que
mulher “pode solapar e vai tudo pro suas opiniões são baseadas em
beleleu”. A questão da naturalidade dos pesquisas sociológicas e antropológicas
papeis masculinos e femininos é e não apenas na teologia:
demonstrada de forma mais explícita na Um sociólogo francês, não é
matéria publicada no Site Verdade evangélico não, viu gente, chamado
Gospel intitulada “Dilma promove George Gilder, um PHD em
desconstrução da família tradicional nas sociologia. Ele pesquisou mais de
escolas”. A matéria é sobre como o duas mil culturas no mundo,
governo Dilma em uma parceria entre a chegou à conclusão que apenas
cinquenta e cinco eram unissexuais,
Secretaria de Políticas para as Mulheres não havia papel definido de macho
e o Ministério da Educação (MEC) e fêmea. Essas culturas rapidamente
promove entre os estudantes brasileiros se destruíram. Qual é a conclusão
o “Prêmio Construindo a Igualdade de que George Gilbert chega?
Gênero”, mesmo após a rejeição da Nenhuma sociedade é mais forte do
Câmara dos Deputados em incluir a que os laços de suas famílias

14
(aplausos). A primeira. A segunda opiniões, entre outras renderam ao autor
conclusão: a fortaleza das suas o prémio da Revista Time de "Male
famílias depende das relações Chauvinist Pig of the Year” (Porco
heterossexuais. Nenhuma sociedade Chauvinista Masculino do Ano)
é mais forte do que os laços de suas
(OCALA STAR-BANNER, 1981).
famílias e a fortaleza das suas
famílias dependem das relações Esse é o autor escolhido por Malafaia
heterossexuais. Querido, eu não para justificar “sociologicamente” sua
estou falando de teologia, eu estou visão de que a toda a história da
falando de sociologia, eu estou humanidade está sustentada na família
falando de antropologia. Toda nuclear tradicional, formada por homem
história da sociedade humana está
e mulher, cada um desempenhando um
sustentada em um homem, uma
mulher e sua prole. Toda história da
papel natural estabelecido por Deus. E
raça humana está sustentada nisso. uma vez que se acredita que “toda
Querem trocar, querem mudar, história da raça humana está sustentada”
então nós vamos ver onde vai nessa instituição, a sua destruição, do
chegar a sociedade. Querem ponto de vista do pastor, causa dúvidas
quebrar isso, então nós vamos ver quanto ao destino de nossa sociedade. O
onde vai chegar a sociedade (Idem). pastor ignora qualquer processo
George Gilder, que não é francês e nem histórico que de alguma forma esteja
sociólogo, embora tenha publicado modificando a configuração de família
livros na área de sociologia, é um nuclear e assume que a “destruição” da
investidor e economista norte família se deve a ação de grupos
americano, famoso por escrever os progressistas, como os defensores dos
discursos para o presidente Richard direitos dos homossexuais.
Nixon, e autoproclamado "America's A família nuclear tradicional realmente
number-one antifeminist" enfrenta uma crise, porém, essa crise
(Antifeminista número um da América) não é recente e não é consequência
(FALUDI, 2009 p. 295). Gilder unicamente da ação de movimentos
escreveu o livro Sexual Suicide (1973), civis por direitos dos homossexuais ou
revisado e reeditado com nome de Men de liberação feminina, embora também
and Marriage (1986), onde defende que seja relevante nesse processo. Como
os “homens são sexualmente inferiores” escreve Hobsbawm, na segunda metade
às mulheres, porém “são superiores no do século XX, esses arranjos básicos
trabalho e nos grandes familiares começam a “mudar com
empreendimentos criativos fora do grande rapidez, pelo menos nos países
círculo familiar”. Fato que para o autor ocidentais ‘desenvolvidos’, embora de
“tem sido verdade em toda a história forma desigual mesmo dentro dessas
humana e sempre será verdadeiro” e regiões” (Hobsbawm, 1995. p. 315).
negá-lo é “perverso e destrutivo”, uma
vez que os “homens têm um papel
always will be true. The denial of it is perverse
absolutamente central na sociedade que and destructive because men do have an
é proporcional, ainda que diferente, o absolutely central role in society that is
papel familiar de mulheres” 1. Essas commensurate with, yet different from, the
familial role of women”. GILDER, George.
Freedom From Welfare Dependency. Religion &
1 “...men are inferior sexually...but they are Liberty. Disponível em:
superior in the workplace and in the great http://www.acton.org/pub/religion-
creative ventures outside the family circle. This liberty/volume-4-number-2/freedom-welfare-
has been true throughout human history and dependency. Acessado em: 01/07/2015.

15
Essas transformações fazem parte do sobretudo no mundo independente – de
processo que o autor chama de famílias chefiadas por mulheres”, “são
“revolução cultural” que atingiu inegáveis os sinais de mudanças
primeiramente e com maior força as significativas, e até mesmo
“economias de mercado industriais revolucionárias, nas expectativas das
urbanizadas dos velhos núcleos mulheres sobre elas mesmas, e nas
capitalistas”, contudo, as forças expectativas do mundo sobre o lugar
econômicas e sociais desencadeadas no delas na sociedade” (Ibidem. p. 304-
fim do século XX também 306).
transformaram os países do “terceiro
Essa mudança do papel das mulheres na
mundo” (Idem. p. 336). Dentre as
sociedade é sentida no aumento de
causas dessa revolução cultural temos a
divórcios, de pessoas vivendo sós e de
diminuição do campesinato e a
famílias chefiadas por mulheres, além
migração para os centros urbanos
da diminuição no desejo de ter filhos.
(Ibidem. p. 328). O crescimento de
Esse período também é um momento de
ocupações que exigiam formação
“liberação tanto para heterossexuais
secundária e superior (Ibidem. p. 284).
(isto é, sobretudo para as mulheres, que
E a maior participação das mulheres no
gozavam de muito menos liberdades
mercado de trabalho (Ibidem. p. 304).
que os homens) quanto para os
Conforme Hobsbawm:
homossexuais, além de outras formas de
A entrada em massa de mulheres dissidência cultural-sexual” (Ibidem. p.
casadas – ou seja, em grande parte 315-316). Além disso, o aumento de
mães – no mercado de trabalho e a uma cultura juvenil especifica, indicava
sensacional expansão da educação uma profunda mudança na relação entre
superior formaram o pano de fundo, as gerações (Ibidem. p. 317). Essa crise
pelo menos nos países ocidentais da família estava relacionada com
típicos, para o impressionante mudanças bastante dramáticas nos
florescimento dos movimentos padrões públicos que governam a
feministas a partir da década de
conduta sexual, a parceria e a
1960 (Ibidem. p. 305).
procriação (Ibidem. p. 316). Dessa
Embora esses movimentos forma, para o autor:
pertencessem, essencialmente, ao Cálculo racional e desenvolvimento
ambiente da classe média educada, o histórico pareciam apontar na
autor acredita que “é provável que na mesma direção que vários tipos de
década de 1970, e, sobretudo, na de ideologias progressistas, incluindo
1980, uma forma política e as que criticavam a família
ideologicamente menos especifica de tradicional por perpetuar a
consciência feminina se espalhasse subordinação da mulher ou dos
entre as massas do sexo”. Mesmo que a filhos e adolescentes, ou com base
em argumentos libertários mais
os motivos pelos quais as mulheres em
gerais (Ibidem).
geral, sobretudo as casadas, entraram no
mercado não tenha tido necessariamente O pastor ignora qualquer processo
relação com sua visão da posição social histórico que de alguma forma esteja
e dos direitos das mulheres, podendo ser modificando a configuração de família
por motivos de pobreza, ou de nuclear e assume que a “destruição” da
preferência dos patrões por operárias, família se deve a ação de feministas,
“por serem mais baratas e mais dóceis, ativistas homossexuais e a atores
ou simplesmente ao crescente número – políticos que compactuam com essas

16
causas. Referencias

Demonstrar que suas posições estão FALUDI, Susan. Backlash: The Undeclared War
Against American Women. Crown/Archetype.
baseadas na ciência e não apenas na 2009.
teologia e que as conclusões dos
GRAMSCI, Antonio, 1891-1937 Cadernos do
estudos citados vão ao encontro com
cárcere, volume 1 / Antonio Gramsci; edição e
seus princípios cristãos é uma forma de tradução, Carlos Nelson Coutinho; co-edição,
tornar o seu discurso relevante para toda Luiz Sérgio Henriques e Marco Aurélio
a sociedade e não apenas para o público Nogueira. — Rio de Janeiro: Civilização
evangélico. Da mesma forma, é uma Brasileira, 1999.
excelente estratégia política, uma vez HOBSBAWN, E. Era dos extremos. O breve
que usa como base de argumentação século XX - 1914, 1991. São Paulo: Companhia
conhecimentos característicos e das Letras, 1995.
mobilizados cotidianamente no senso LIGUORI, Guido. Roteiros para Gramsci. Rio
comum. Ao realizar isso atua de Janeiro: UFRJ, 2007.
ideologicamente e, nos termos de REV. LOUIS P. SHELDON. Disponível em:
Gramsci, dificulta a passagem do senso http://www.traditionalvalues.org/data/sites/73/p
comum ao bom senso. Em sentido não dfs/bio_rev_lou_sheldon.pdf Acessado em:
06/06/2015.
muito diverso, ao divinizar, naturalizar e
absolutizar questões e comportamentos Verdade Gospel. Dia Nacional de Valorização
que são históricos e sociais, inviabiliza da Família. Site Verdade Gospel. 19/11/2012.
Disponível em
qualquer possibilidade de questioná-los. http://www.verdadegospel.com/nesta-terca-
feira-pr-silas-discursara-pela-valorizacao-da-
familia-confira/ Acessado em: 10/06/2015.
Verdade Gospel. Dilma promove desconstrução
da família tradicional nas escolas. Site Verdade
Gospel. 07/10/2014. Disponível em:
http://www.verdadegospel.com/dilma-promove-
desconstrucao-da-familia-tradicional-nas-
escolas/ Acessado em: 10/06/2015.

17