Vous êtes sur la page 1sur 2

INTRODUÇÃO À LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS Serão considerados os seguintes aspectos na avaliação:

(Química – Licenciatura) a) Conhecimento do alfabeto manual;


b) Consideração dos parâmetros formacionais dos sinais;
Código da Disciplina: 5961123 c) O uso de expressões faciais e corporais constitutivas de significação
Créditos: 2 na língua;
Carga horária: 30 d) O uso da Libras
Profa.: Ana Claudia Balieiro Lodi
 NORMAS DE RECUPERAÇÃO
 OBJETIVOS Será realizada prova escrita sobre todo o conteúdo estudado no curso e prova
Discutir os marcos históricos da educação dos surdos e sua influência para o prática de uso da língua, que será filmada como registro de avaliação. Os alunos
ensino-aprendizagem e para a constituição das subjetividades do sujeito surdo. deverão obter nota igual ou superior a 5 (cinco) em cada uma delas
Atuais políticas lingüísticas, educacionais e da saúde voltadas aos sujeitos
surdos. Caracterizar a Libras como língua, a partir do conhecimento de seus BIBLIOGRAFIA OBRIGATÓRIA
aspectos gramaticais e discursivos. Ensino prático de Libras, possibilitando aos BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de
alunos um conhecimento básico para o uso da língua. Sinais e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 25 de abril de
2002.
 CONTEÚDO BRASIL. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº
1. História da educação dos surdos e as atuais políticas lingüísticas, 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais –
educacionais e de saúde voltadas ao sujeito surdo; Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial da
2. Implementação da educação bilíngüe para surdos: a função do intérprete, do União, Brasília, 23 de dezembro de 2005.
instrutor/professor surdo e do professor bilíngüe; BRASIL. MEC/SEESP. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da
3. O uso da língua brasileira de sinais na educação de sujeitos surdos Educação Inclusiva. Disponível em:
4. Língua brasileira de sinais: aspectos gramaticais e discursivos; http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/politica.pdf. Acesso em 12.abril.2012
5. Ensino-aprendizagem da língua brasileira de sinais LODI, A.C.B. Plurilinguísmo e surdez: uma leitura bakhtiniana da história da
educação dos surdos. Educ. Pesqui. São Paulo, v.31, n.3, p.409-424, set./dez.
 MÉTODOS UTILIZADOS 2005. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ep/v31n3/a06v31n3.pdf. Acesso em
- Discussão de textos agosto de 2010.
- Atividades práticas de uso da língua. LODI, A.C.B. Educação Bilíngue para Surdos e Inclusão na Política de Educação
Especial e no Decreto 5.626/05. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 39, n. 1, p. 49-63,
 ATIVIDADES DISCENTES jan./mar. 2013. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ep/v39n1/v39n1a04.pdf.
- Leituras e discussões em grupo; Acesso em junho de 2013.
- Participação nas atividades práticas propostas;
SALVADOR, S.de J.L.; LODI, A.C.B. Resoluções do Estado de São Paulo e o
Professor Interlocutor: Implicações para a Educação dos Surdos. Rev. Bras. Ed.
 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE APRENDIZAGEM Esp., Marília, v.24, n.2, p.277-292 Abr.-Jun., 2018. Disponível em:
1. Avaliação Escrita (valor 40%)
http://www.scielo.br/pdf/rbee/v24n2/1413-6538-rbee-24-02-0277.pdf. Acesso em
- Serão consideradas as leituras dos textos obrigatórios e as discussões 30.jul.2018.
realizadas em sala de aula
2. Produção de um vídeo (valor 20%) BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
CAPOVILLA, F.C.; RAPHAEL, W.D.; MAURICIO, A.C.L. Novo Deit-Libras: Dicionário
3. Avaliação prática: apresentação de uma aula e/ou de reflexões sobre o uso Enciclopédico Ilustrado Trilíngüe da Língua Brasileira de Sinais (Libras), vols 1 e 2. São
da Libras, em Libras, que será filmada como registro de avaliação (valor Paulo: Edusp, 2009.
40%) PEREIRA, M.C. et al. Libras: Conhecimento além dos sinais. São Paulo: Pearson, 2011.
WILCOX, S.; WILCOX, P.P. Aprender a ver. Rio de Janeiro: Editora Arara Azul, 2005.
CRONOGRAMA DAS AULAS http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/politica.pdf. Acesso:
1ª 05/08 Apresentação e discussão do plano de ensino da disciplina: agosto de 2010.
sem objetivos, metodologias de ensino, critérios de avaliação e SALVADOR, S.de J.L.; LODI, A.C.B. Resoluções do Estado de
cronograma das aulas São Paulo e o Professor Interlocutor: Implicações para a
O que é Libras? Educação dos Surdos. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, v.24, n.2,
p.277-292 Abr.-Jun., 2018. Disponível em:
2ª 12/08 História da educação dos surdos e as atuais políticas http://www.scielo.br/pdf/rbee/v24n2/1413-6538-rbee-24-02-
sem linguísticas, educacionais e de saúde voltadas ao sujeito surdo. 0277.pdf. Acesso em 30.jul.2018.
LODI, A.C.B. Plurilinguísmo e surdez: uma leitura bakhtiniana da
história da educação dos surdos. Educação e Pesquisa. São Educação bilíngue para surdos e a política nacional de educação
Paulo, v.31, n.3, p.409-424, set./dez. 2005. Disponível em: inclusiva: uma leitura crítica
http://www.scielo.br/pdf/ep/v31n3/a06v31n3.pdf. Acesso: agosto
de 2010. LODI, A.C.B. Educação Bilíngue para Surdos e Inclusão na
Política de Educação Especial e no Decreto 5.626/05. Educ.
Ensino teórico-prático de Libras Pesqui., São Paulo, v. 39, n. 1, p. 49-63, jan./mar. 2013.
3ª 19/08 História da educação dos surdos e as atuais políticas Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v39n1/v39n1a04.pdf.
sem linguísticas, educacionais e de saúde voltadas ao sujeito surdo. Acesso: junho de 2013.
LODI, A.C.B. Plurilinguísmo e surdez: uma leitura bakhtiniana da Ensino teórico-prático de Libras
história da educação dos surdos. Educação e Pesquisa. São 6ª 16/09 Avaliação escrita
Paulo, v.31, n.3, p.409-424, set./dez. 2005. Disponível em: sem
http://www.scielo.br/pdf/ep/v31n3/a06v31n3.pdf. Acesso: agosto
de 2010. 7ª 23/09 Entrega dos vídeos produzidos e início das discussões -
sem Ensino teórico-prático de Libras
Ensino teórico-prático de Libras
8ª 30/09 Discussão dos vídeos
4ª 26/08 Educação bilíngue para surdos: aspectos legais sem Ensino teórico-prático de Libras
sem BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a 9ª 07/10 Discussão dos vídeos
Língua Brasileira de Sinais e dá outras providências. Diário sem Ensino teórico-prático de Libras
Oficial da União, Brasília, 25 de abril de 2002. Disponível em: 10ª 14/10 Ensino teórico-prático de Libras
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2002/L10436.htm. sem
Acesso: agosto de 2010.
21/10 Não haverá aula
BRASIL. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. 28/10 Não haverá aula
Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe
sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras, e o art. 18 da Lei nº 11ª 04/11 Ensino teórico-prático de Libras
10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial da União, sem
Brasília, 23 de dezembro de 2005. LEITURA: Capítulos II e VI. 12ª 11/11 Ensino teórico-prático de Libras
Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004- sem
2006/2005/Decreto/D5626.htm. Acesso em agosto de 2010. 13ª 18/11 Avaliação prática
Ensino teórico-prático de Libras sem
14ª 25/11 Avaliação prática
Semana da Pátria
sem
5ª 09/09 Educação bilíngue para surdos: aspectos legais 15ª 02/12 Avaliação prática
sem BRASIL. MEC/SEESP. Política Nacional de Educação Especial sem
na Perspectiva da Educação Inclusiva. Itens IV, V e VI.
Disponível em