Vous êtes sur la page 1sur 6

CENTRO UNIVERSITÁRIO CAPITAL - UNICAPITAL

BEATRIZ SOUZA MOREIRA

KARINA OLIVEIRA

LARISSA NATHACHA DE CARVALHO ARAUJO

MARCELO GONÇALVES

PRISCILA MOREIRA

PSICOLOGIA HOSPITALAR

SÃO PAULO

2017
CENTRO UNIVERSITÁRIO CAPITAL – UNICAPITAL

BEATRIZ SOUZA MOREIRA

KARINA OLIVEIRA

LARISSA NATHACHA DE CARVALHO ARAUJO

MARCELO GONÇALVES

PRISCILA MOREIRA

PSICOLOGIA HOSPITALAR

Trabalho apresentado junto ao Curso de


Psicologia do 2º semestre do Centro
Universitário Capital (Unicapital) na matéria
de Psicologia Geral.
Orientador: Professora Carmem Taverna

SÃO PAULO

2017
SUMÁRIO

1. Introdução.......................................................................................................04

1.1 Objetivo

1.2 justificativa

2. Resumo do vídeo............................................................................................06

3. Compreensão e interpretação do grupo sobre o tema....................................08

4. Resumo individual...........................................................................................09

5. Comclusão.......................................................................................................10

6. Questões para aprofundar e discussão...........................................................11

7. Referência bibliográfica...................................................................................12
4

INTRODUÇÃO

Este trabalho nos mostra as diferentes áreas de conhecimento e de atuação profissional


do psicólogo hospitalar. Deriva das varias profissões ciências e saberes que contribuíram
para a definição da profissão e d conhecimento da psicologia.

OBJETIVO

O objetivo deste trabalho é mostrar o quanto é importante a assistência do psicólogo na


área hospitalar. É primordial presta assistência aos pacientes, lidar com suas angustias,
minimiza seu sofrimento e o de seus familiares. Trabalhando os aspectos emocionais
decorrente da doença e da hospitalização.

JUSTIFICATIVA

Escolhemos este tema devido a nossa curiosidade de saber como um psicólogo age
dentro de uma instituição hospitalar. Tendo em vista que quase não se vê esse profissional
pelos corredores de um hospital. Assim queríamos entender qual o papel do psicólogo
inserido num âmbito hospitalar.

RESUMO DO VíDEO

Este vídeo percorre a trajetória da Psicologia Hospitalar desde as primeiras atuações,


na década de 50, no Hospital das Clinicas da USP, ate se estabelecer como um campo
definido de saber e uma especialidade da profissão. A consolidação do campo da
Psicologia Hospitalar tem relação direta com as transformações da instituição hospitalar
em meados do século XX, com a produção industrial dos quimioterápicos, acompanhada
pela incorporação de produtos tecnológicos, transformações na enfermagem e entrada de
outros profissionais.

O psicólogo hospitalar trabalha com as intercorrências psíquicas dos pacientes


submetidos a internações hospitalares, cirurgias e outros procedimentos médicos, atuando
em relação ao processo do adoecer, hospitalização e repercussões emocionais que
emergem neste processo. Além do trabalho com os pacientes e suas famílias, os psicólogos
participam da formação de todos os profissionais da equipe de saúde. Com depoimentos
dos psicólogos Bellkiss Romano, Mathilde Neder, Renata Novaes Pinto, Ricardo Gorayeb
e vera Ferrari Barros, e material de pesquisa histórica ,este vídeo recupera o percurso de
inserção deste profissional no hospital e nas equipes de saúde, descreve e discute as varias
formas e a consolidação do campo profissional estabelecido, tendo expandido sua atuação
em hospitais públicos e privados e tendo sua importância reconhecida por profissionais de
saúde, usuários e pelas políticas públicas de humanização dos hospitais.
5

COMPREENSÃO E INTERPRETAÇÃO DO GRUPO

Compreendemos que a medicina veio a ser nesse período, um fator importante para o
desenvolvimento e evolução da psicologia no Brasil. O pensamento psicológico no interior
da medicina até o século XIX preparou o terreno para que o conhecimento e a pratica da
psicologia se desenvolvessem contribuindo para a psicologia cientifica e sua definição
como campo autônomo de conhecimento e ação que se caracterizou no século XX. Criação
de laboratórios nos hospícios foi a maior evidencia. Os primeiros serviços mentais foram
fundados na década de 50, com propostas alternativas á internação psiquiatra e o psicólogo
inaugura junto á psiquiatria seu serviço profissional na área da saúde. A atuação do
psicólogo no contesto hospitalar, na clínica, o paciente busca apoio psicológico, enquanto
no hospital é oferecido pelo profissional. É possível para o psicólogo inserido no hospital
fazer intervenções psicoterapêuticas em ambientes diversos como corredor, nesse momento
que o paciente ou familiar mais precisa de apoio mental. A partir do que estudamos e
observamos no vídeo é possível perceber que inúmeras dificuldades foram encontradas
para que o objetivo de tratar o doente fosse pratica básica no hospital, que estava
habituado, até então , acolher os pobres doentes ,ate que morressem.

QUESTÕES PARA APROFUNDAR.

1- Como o Psicólogo hospitalar se mantem inserido e participativo na equipe


multidisciplinar
2- Qual a postura a ser adotada por um Psicólogo Hospitalar
3- Que conduta o Psicólogo Hospitalar adota em caso de não aceitação do paciente no
tratamento proposto
4- Qual a abordagem do psicólogo hospitalar frente a família em casos de perdas ou
doenças graves

CONCLUSÃO

Concluímos que este trabalho foi uma aprendizagem importante para o grupo onde
nos ajudou a identificar caminhos futuro dentro de nossa escolhida profissão A psicologia
hospitalar nos mostrou o quanto é grande a participação desse profissional no âmbito
hospitalar. A função dos diferentes profissionais e saberes. Médicos tratam doenças ,
Enfermeiras e equipe presta assistência e cuidados, Fisioterapeutas cuidam da reabilitação,
Nutricionistas das dietas, Psicólogos amenizam o sofrimento tanto do cliente como do
familiar, e presta assistência a toda equipe. Admirável o papel de Mathilde Neder como
pioneira no Hospital das Clinicas no instituto de ortopedia e traumatologia, prestando
assistência as crianças que passava por cirurgia e se atiravam prejudicando o tratamento. A
observação dela foi fundamental em perceber que as crianças sentiam medo, e ao
aproximar a família e a equipe pode sanar esse problema. Sua visão em que o psicólogo
6

não é apenas clinico mas também organizacional é surpreendente. Tivemos um leque de


conhecimento ao assistir o vídeo História e memória do psicólogo em SP e a leitura do
livro A psicologia no Brasil- leitura e historia sobre sua constituição. A atuação medica no
período colonial, a reforma dos hospícios a interação do psicólogo foi para nós um grande
aproveitamento e exploração de saberes.

QUESTÕES PARA APROFUNDAMENTO

1- O atendimento psicológico no centro de terapia intensiva implica dor medo


angustia envolvendo equipe ,família paciente. Como deve ser a abordagem do
profissional.
2- Como deve ser o atendimento dos pacientes ansiosos e agressivos dentro de um
hospital.
3- Como deve ser tratada os casos de depressão pós parto

1. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

Mitsuko Aparecida Makino Antunes


A Psicologia no Brasil – leitura histórica sobre sua constituição.
UNIMARCO/EDUC: São Paulo, 1999.

Coordenação Projeto História e Memória da Psicologia em SP: Carmem Silvia


R. Taverna
http://www.crpsp.org.br/memoria/saude/videos.aspx