Vous êtes sur la page 1sur 55

OPORTUNIDADES E DESAFIOS

PARA O SETOR DE ÓLEO E GÁS


Aviso legal

O conteúdo desta publicação é meramente


informativo e utiliza dados públicos de
instituições terceiras. O IBP desenvolveu
suas análises sob a premissa de
confiabilidade das fontes de dados e todas
as análises foram feitas usando a melhor
técnica dentre as informações disponíveis.
Nesse sentido, o Instituto não é responsável
por eventuais problemas de integralidade ou
acuidade dos dados públicos disponibilizados
pelas fontes citadas, bem como por
quaisquer efeitos decorrentes de seu uso e
interpretação. Todo direito de propriedade
intelectual atinente às informações ora
apresentadas, bem como qualquer
responsabilidade por seu conteúdo, cabe aos
seus respectivos autores e proprietários.

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 2


1957
Instituição sem fins lucrativos
fundada em 1957
Petróleo Gás Biocombustíveis

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 3


REPRESENTAÇÃO GERADOR
DAINDÚSTRIA DECONHECIMENTO

E&P, GÁS NATURAL E DOWNSTREAM EVENTOS, CURSOS, TREINAMENTOS E CERTIFICAÇÃO

200 120 20 40 1200


empresas membros parceiros comitês e voluntários
associadas individuais institucionais comissões

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 4


80% do carbono disponível não poderia ser
consumido e se tornaria obsoleto
Reservas globais de combustíveis fósseis
GtCO2

3000

As reservas globais de
Gás
2500 combustíveis fósseis
excedem em muito o limite
Óleo
de emissão carbono
2000
necessário para atingir a meta
da ONU de manter o
1500 aumento da temperatura
média global em 2°C acima
dos níveis pré-industriais,
1000
886
Carvão 2000 - 2050
2ºC criando um enorme
Já consumido Provisão
565
2011 - 2050
global de
conjunto de ativos com
500 carbono risco de se tornarem
Restante obsoletos
0

Fonte: Carbon Tracker Initiative IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 5
O setor de O&G representa cerca de 50% da
matriz energética brasileira atualmente
Matriz energética por região/país selecionado
2016, %
Nuclear Renováveis Carvão O&G
2% 1% 2% 3%
7% 10%
9% 14%
4%
7% 24%
16% 14% 42%
16% 46%

15%
65%
45% 6%
4%

73%
67%
57%
50% 47%
30%
24%

Rússia China EUA Índia UE Brasil Brasil 2040*

Apesar de apresentar redução percentual de 50% em 2016 para 47% em 2040 na matriz energética,
os recursos de O&G serão fundamentais para o abastecimento energético brasileiro no futuro

* Projeção para o Brasil em 2040 supõe o cenário de novas políticas (NPS)


Fonte: Elaboração IBP com dados IEA IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 6
É esperado que o consumo de Petróleo e Gás
decline nas próximas décadas
Projeções da matriz energética mundial
%

-4p.p. -26p.p. -28p.p.

20% 24%

50%

78%
Outros
Petróleo, Gás e Carvão
80% 76%

50%

22%

2016 2040 2050 2070


ExxonMobil ExxonMobil DNV GL Shell

Fonte: Elaboração IBP com dados ExxonMobil, DNV GL e Shell IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 7
A próxima década pode representar a última
janela de investimentos de O&G
Previsão do pico de demanda global de petróleo de acordo com os principais atores da indústria

2015 2020 2025 2030 2035 2040 2045

Janela de investimento de projetos  Menor demanda


 Menor preço
 Maior competição

O desafio é acelerar os investimentos para maximizar o potencial de geração de valor

Fonte: Elaboração IBP com dados dos relatórios das companhias IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 8
O Brasil possui as maiores descobertas recentes
do offshore mundial, destacando-se o Pré-sal
Recursos mundiais recuperáveis descobertos em águas profundas
Bilhões de boe, 2P acumulados

188
Oeste da África*
Congo
151 Alta produtividade
Nigéria
 O Brasil é o país onde
Leste da África** ocorreram as maiores
descobertas recentes
de petróleo em águas
EUA GoM
profundas do mundo
78
32 Brasil Pós-sal
51 27
Grandes perspectivas
91
76  O Brasil responderá
59 Brasil Pré-sal por mais de dois
49
28 terços do crescimento
19
previsto até 2040
2000 2005 2010 2015

* Exemplos: Gana, Senegal, Angola


** Exemplos: Somália, Quênia
Fonte: Elaboração IBP com base em IHS Global Deepwater and Growth Play Service IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 9
O Brasil possui abundância de reservas e uma
indústria com grande potencial de crescimento
Reservas atuais e recursos potenciais de O&G no Brasil
2018, Bilhões de boe

Estudo do INOG da UERJ*


aponta que o pré-sal brasileiro
pode conter 176 bilhões de boe
de petróleo e gás natural não 176 176
descobertos e recuperáveis

11 Bacia Madre de
10 36 Dios não teve
15
nenhum poço
20 perfurado
Consumido Reservas Reservas Recursos Recursos não Total de
1965-2017 provadas possíveis contingentes descobertos recursos

Menos de 7% das áreas das Bacias Sedimentares brasileiras estão contratadas.


Ao longo de toda história foram perfurados 30.000 poços.

*Instituto Nacional de Óleo e Gás da Universidade Estadual do Rio de Janeiro


Fonte: Elaboração IBP com dados da ANP, BP e UERJ IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 10
As reservas provadas do Rio de Janeiro são
maiores que as do México
Reservas provadas – Rio de Janeiro e México
Milhões de toneladas boe, 2017

 83% e 61% das reservas


Petróleo 10,7
brasileiras provadas de
petróleo e gás,
Gás Natural 1,4 respectivamente, estão no
Rio de Janeiro
Rio de Janeiro +48%
 Se fosse um país, o Rio de
Janeiro teria o 17º maior
volume em resevas
provadas no mundo, a
Petróleo 7,2 frente de países como
Angola, Noruega e México
Gás Natural 1,2

Mexico

Fonte: Elaboração IBP com dados da ANP e BP IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 11
O estado do RJ pode arrecadar mais de R$ 80
bilhões com royalties e PE até 2023
Arrecadação com royalties e PE no Rio de Janeiro
R$ bilhões
PROJEÇÕES ANP

Estado Royalties PE
16,4 16,5 16,8 16,7
14,3
13,3

8,2 8,2 8,7


6,7 6,4 6,9 7,1
5,1 4,9 5,3
4,0 4,4
2,9 3,1 3,5
1,1 1,7
0,8

2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023

10,1 10,5
9,2 9,5
Municípios 7,5
6,7

4,5 4,5 4,8


3,6 3,8 3,9
3,3 3,2
2,7 2,4 2,7 2,5
1,7 2,1
1,0 1,5
0,5 0,7

2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023

Fonte: Elaboração IBP com dados da ANP IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 12
O setor de O&G representa mais de 30% do PIB
industrial do estado do Rio de Janeiro
Participação do PIB industrial do RJ por setor
2015, %

23,9% 20,7% 10,9% 9,7% 5,6%


Construção
Extração de petróleo e Derivados de petróleo Atividades de apoio à
gás natural e biocombustíveis Serviços industriais de extração de minerais
utilidade pública

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 13


Fonte: Elaboração IBP com dados CNI
Se nada for feito, a produção de petróleo de
Campos pode voltar para o nível dos anos 1990
Produção de petróleo do estado do Rio de Janeiro, na bacia de Campos
Mil barris por dia

2.000
Taxa média Projeção
de declínio:
7% ao ano
1.600
1.600

1.200
1.200
-1.200
bbl/dia

800
800

400
400

0
0
1977 1979 1981 1983 1985 1987 1989 1991 1993 1995 1997 1999 2001 2003 2005 2007 2009 2011 2013 2015 2017 2019 2021 2023 2025 2027 2029

Fonte: Elaboração IBP com dados ANP IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 14
Temos um enorme potencial de maximizar o
fator de recuperação na Bacia de Campos
Média do fator de recuperação dos campos
%

35%

23%
+1%
no fator de recuperação da
Bacia de Campos

14%

+985
milhões de barris de óleo
equivalente em reservas

Bacia de Campos Bacia de Campos Mundo


[Atual] [Potencial]

Fonte: Elaboração IBP com dados ANP IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 15
E&P no Brasil hoje
Os números não refletem o potencial do país

PRODUÇÃO TOTAL (Maio 2019)

3,47 Milhões boe/d

Produção de Óleo Produção de Gás Natural

2,73 118
Milhões bpd Milhões m³/d
(Maio 2019) (Maio 2019)

Produção acumulada Reservas provadas

~21 ~15
Bilhões boe Bilhões boe
(31/12/17) (Março 2018)

Fonte: ANP
E&P no Brasil no futuro
O Brasil pode dobrar a sua produção nos próximos anos

PRODUÇÃO TOTAL (em 2027)

~6,40 Milhões boe/d

Produção de Óleo Produção de Gás Natural

5,1 217
Milhões bpd Milhões m³/d
(em 2027) (em 2027)

Produção acumulada Reservas prodadas

~39 ~45
Bilhões boe Bilhões boe
(até 2027) (em 2027)

Fonte: Elaboração IBP com dados da EPE


Temos muito potencial para desenvolver

Potencial do Brasil
Não exaustivo

7,5 MM +60 Campos Nova


bpd novos Maduros Fronteira
FPSOs

Potencial de
O ambiente offshore Baixo fator de O potencial brasileiro é
produção em
mais proeminente recuperação na media. desconhecido. A discussão
2030
Alto potencial para sobre o aproveitamento
novos investimentos dos recursos não
convencionais deve
progredir

Contratado ou em curso Necessidade de destravar

Fonte: ANP IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 18
Espera-se o comissionamento de 14 FPSO em 5
anos no Brasil
Planejamento de entrada de FPSO no Brasil
2016-2023

3 2 5 4 2 2 4 5

Em produção
Petrojarl I ASN
Atlanta Gato do Mato
Em construção
P-74 P-68 ASN ASN
Búzios I Berbigão Atlanta SEAP I
Pendendo
C. de Maricá Campos de ASN decisão final de
P-67 ASN
Goytacazes
Lula Alto Lula Norte Parque das
Rev. Marlim II investimento
Tartaruga V. Baleias
C. de
P-66 P-75 P-77 ASN Carioca ASN ASN
Saquarema
Lula Central
Lula Sul Búzios II Búzios IV Goiá & Neon Sépia Rev. Marlim I Itapu A ser
contratado
C. de Pioneiro de Almirante
P-69 P-76 P-70 Guanabara Sepetiba
Caraguatatuba Libra Barroso
Ext. Sul Lula Búzios III Atapú I Mero 1 Mero II
Lapa TLD Libra Búzios V

2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023

Atualização: Agosto 2019


Nota: ANS significa “a ser nomeado”
Fonte: Elaboração IBP com dados E&P Brasil e ANP IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 19
Os investimentos do setor estão muito acima da
capacidade de uma só empresa
Investimentos potenciais nos próximos 10 anos

Elo da Indústria Investimentos Investimentos


US$ bilhão R$ bilhão

E&P 568 2.102

Refino, Processamento e
58 216
centrais petro químicas

Biocombustíveis 28 105

Dutos de transporte, 35
10
escoamento e distribuição

Logística e abastecimento 8 31

Total 672 2.500

Há a necessidade de diversificar e atrair mais empresas para investirem no Brasil

Fonte: ANP IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 20
Desafios ainda presentes para retomada do
setor de O&G brasileiro

Abertura do mercado de Contexto geopolítico


gás natural

Tecnologia, Inovação e
Abertura do mercado de
Transformação Digital
downstream

Licenciamento Ambiental Comunicação

Simplificação tributária Recursos Humanos

Cadeia de suprimentos de
bens e serviços competitiva

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 21


Abertura do
mercado
de gás natural

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 22


A produção brasileira de gás natural dobrou em
pouco mais de uma década
Produção bruta offshore de gás natural por fronteira Oferta disponível de gás natural por fronteira
Milhões de m³ por dia, 2008-2018 Milhões de m³ por dia, 2008-2018

120 120

100 +45% 100


Produção Oferta disponível
Pós sal Pré-sal
80 80

60 60
+14%

40 40

20 20

- -
2000 2003 2006 2009 2012 2015 2018 2000 2003 2006 2009 2012 2015 2018

Apesar do crescimento da produção de gás natural entre 2014 e 2018, sobretudo em decorrência do Pré-sal, a oferta ao mercado no
mesmo período não acompanhou essa evolução. Mesmo não havendo gargalos na utilização da infraestrutura, a ausência de
demanda inflexível¹ por gás natural impactou a oferta disponível desta commodity.

Nota: Valores correspondentes a média de CO2 por kWh de eletricidade produzido nos países-membro da OCDE entre 2011 e 2015.
Fonte: Elaboração IBP com dados IEA. IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 23
Dos combustíveis fósseis usados para geração
elétrica, o gás natural é o que emite menos CO2
Histórico de geração elétrica por fonte no Brasil Emissão média de CO2 por fonte de geração elétrica¹
% gCO2/kWh
Hidrelétrica Eólica Termelétrica
100% Coque de petróleo 940
90%
Carvão 870
80%
Óleo diesel 700
70%
Óleo combustível 675
60%

50% Querosene 655

40% Óleo cru 600


30%
Gás liquefeito de petróleo 540
20%
Gás de refino 460
10%

0% Gás natural 400


2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018

A geração termelétrica assegura a entrega de energia na intermitência de fontes renováveis, como a eólica. Por outro lado, o gás
natural usado na geração elétrica emite cerca de 40% menos de CO2 do que o óleo combustível, sendo responsável por
aproximadamente 6% do total de emissão de gás carbônico no Brasil.

Nota: 1) Valores correspondentes a média de CO2 por kWh de eletricidade produzido nos países-membro da OCDE entre 2011 e 2015.
Fonte: Elaboração IBP com dados IEA e ONS. IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 24
Por isso, o gás natural viabilizará a transição
energética
Emissões de GEE no SIN brasileiro Potencial de redução acumulada de emissões no Brasil
MtCO2 MtCO2, 2013-2017

71,0 69,0

52,8
58,9 45,3
56,3 43,1

42,7
34,1 35,3

2013 2014 2015 2016 2017

Cenário com carvão Substituindo por GN

Se a energia elétrica gerada no Brasil por carvão, entre 2013 e 2014, fosse gerada por gás natural, as emissões anuais diminuiriam 25%, em
média. O potencial da redução acumulada entre 2013 e 2017 seria de 54 MtCO2, muito próximo dos 61,1 MtCO2 provenientes de toda a geração elétrica
no Brasil em 2017.

Fonte: Elaboração IBP com dados EPE. IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 25
O panorama do mercado de gás brasileiro para
os próximos anos é positivo
Projeção de produção bruta de gás natural no Brasil
MMm³/d, 2019-2023

GÁS NATURAL
Perspectivas para 2019-2023
168,47
164,30

29%
152,76
143,88
131,05
Produção bruta
gás natural
(2019 - 2023)

ABERTURA DO MERCADO

+ Competitividade + Emprego

2019 2020 2021 2022 2023 + Investimento + Renda

Mar Terra

Fonte: Elaboração IBP com dados ANP IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 26
A abertura da malha de transporte de gás
natural é importante para a competitividade
Sistema de transporte de gás natural
Malha de dutos

MERCADO DE GÁS NATURAL


TCC CADE-Petrobras

VENDA DE PARTICIPAÇÃO ACIONÁRIA


DA PETROBRAS

NTS TAG TBG


90% FIP 90% ENGIE + CDPQA 29% BBPP
10% PETROBRAS 10% PETROBRAS 12% YPFB
8% GTB- TBG
TAG
51% PETROBRAS
NTS
TBG

participação em companhias distribuidoras de gás

Fonte: Elaboração IBP com dados Petrobras IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 27
Abertura do
Downstream

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 28


O Brasil é o 7º maior consumidor de derivados
de petróleo do Mundo
Consumo de petróleo no Mundo¹ Mercado mid-downstream nacional²
2018, Milhões bpd Quadro resumo

- 5 10 15 20 25
Venda nacional de derivados Importação líquida
EUA de petróleo (etanol, nafta, QAV, GLP, Gasolina e Diesel)

China ~ 2,0 387
2º milhões bpd mil bpd

3º Índia

4º Japão
17 ~ 2,4 8º
milhões bpd
5º A. Saudita
refinarias Capacidade de Maior parque de
refino refino
6º Rússia

7º Brasil
FORTE E CRESCENTE PARTICIPAÇÃO EM BIOCOMBUSTÍVEIS
8º Coréia do Sul

9º Canadá
Venda Nacional de
Biocombustíveis 378 2º 51
10º Alemanha 622 Usinas de
etanol
Maior produtor
biocombustíveis
Plantas de
biodiesel
mil bpd

Nota: 1) Considera a demanda interna mais aviação internacional e combustível de navegação, consumo de refino
e perdas, biocombustíveis, derivados de carvão e de gás natural
2) QAV refere-se a querosene de aviação
Fonte: Elaboração IBP com dados de EPE, ANP, BP Statistical Review IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 29
Desinvestimentos no refino com conclusão
prevista para 2021
Previsão de desinvestimentos
Infraestrutura de refino

MERCADO DE REFINO
TCC CADE-Petrobras
Lubnor
REMAN

RENEST
8 1,1
Capacidade
REFINARIAS MMbpd
RLAM

RNEST SIX
RLAM REGAP
REGAP
REPAR REMAN
REFAP LUBNOR
REDUC
REPAR/SIX
REVAP/REPLAN
RECAP/RPBC
 Conclusão até 31/12/2021
REFAP

Fonte: Elaboração IBP com dados Petrobras IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 30
Aumento da diversidade no mercado de
distribuição
Market share por empresa
Segmento de distribuição

BR DISTRIBUIDORA
Oferta de ações

28,7%

62,5% R$ 9,6
Bilhões

71,3%

37,5%
+ 393,1
Milhões
ANTES APÓS OFERTA Ações
Ordinárias
Petrobras Outros acionistas

Fonte: Elaboração IBP com dados Petrobras IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 31
Licenciamento
ambiental

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 32


Devemos adotar boas práticas internacionais

Linha do tempo comparativa entre Brasil e México Principais problemas do licenciamento ambiental1
Quadro resumo
Gestão arcaica, excesso de burocracia e estrutura
Governo Anuncio de descoberta deficitária dos órgãos ambientais, tanto em termos de
mexicano Leilão (2anos). pessoal quanto de orçamento
abriu o setor de Um dos 20 maiores
México de energia blocos campos em águas rasas Dificuldades institucionais, dada a inexistência
para o em descobertos globalmente coordenação de tantas instâncias dos diferentes órgãos
públicos sobre os empreendimentos a serem licenciados
investimento águas ao longo das últimas duas
privado rasas décadas
Falta de avaliações ambientais estratégicas e de um
2014 2015 2018 melhor diálogo entre os responsáveis pelo planejamento
e pelas decisões de políticas públicas

2013 2018 Judicialização dos processos


11ª Rodada Empresas
aguardaram as
licenças ambientais
para início do Falhas técnicas
processo
exploratório
Brasil
Governança falha

A ANP prevê 250 novos poços de desenvolvimento em 2020, sendo 25% deles na Bacia de Santos

1Adaptado de “GARGALOS DO LICENCIAMENTO AMBIENTAL FEDERAL NO BRASIL”


- Rose Mirian Hofmann. © 2015 Câmara dos Deputados
Fonte: Elaboração IBP com dados ANP IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 33
Temos algumas
propostas de
simplificação
tributária
Governo Federal
Cintra/Guedes*
Simplificação do sistema de impostos
federais

Senado
Senador Davi Alcolumbre
PEC 110/2019

Câmara
Deputado Baleia Rossi
PEC 45/2019

*Com base nas mídias sociais IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 34
Contexto
Geopolítico

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 35


O contexto geopolítico é desafiador, trazendo
instabilidade para os mercados...
Riscos geopolíticos atuais
Não exaustivo

Guerra comercial entre EUA e China

Brexit e populismo na Europa

Coalisão OPEC+

Restrições à fornecedores estrangeiros e segurança de dados

Sanções americanas ao Irã

Crise na Venezuela

Rumos da política Argentina

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 36


...e a diplomacia do Twitter pode custar caro
para o estado do Rio de Janeiro
@realDonaldTrump
1:31 pm – 26 Abr 2019

Preço spot diário do Brent durante o governo Trump “Spoke to Saudi Arabia and others
about increasing oil flow. All are in
US$/barril agreement. The California tax on
gasoline is causing big problems on
pricing for that state. Speak to your
Governor about reducing. Economic
numbers, 3.2% GDP for what is
90 often worst quarter, looking good!”
90
@realDonaldTrump
7:30 pm – 28 Mar2019
80 “Very important thar OPEC increase
80 the flow of Oil. World Markets are
fragile, price of Oil getting too high.
Thak you!”

70
70

60
60
@realDonaldTrump
2:26 pm – 1 Ago 2019
@realDonaldTrump
50 8:17 pm –10 Jun 2018 “during the talks the U.S.
50 will start, on September
1st, putting a small
“Why should I, as President of the
additional Tariff of 10%
United States, allow countries to
on the remaining 300
continue to make Massive Trade
Billion Dollars of goods
40 Surpluses, as they have for
and products coming from
40 decades, while our Farmers,
China into our Country.
Workers & Taxpayers have
This does not include the
such a big and unfair price to pay?
250 Billion Dollars already
Not fair to the PEOPLE of America!
Tariffed at 25%...”
30 $800 Billion Trade Deficit...!”
30

2017 2018 2019

Para cada variação negativa diária de US$ 5/barril, o governo do estado do Rio de Janeiro deixa
de receber cerca de R$ 2,2 milhões apenas em royalties

Nota: Cálculo baseado na produção media diária do Estado do Rio de Janeiro e taxa de câmbio de R$ 3,80/US$.
Fonte: Elaboração IBP com dados da ANP, EIA e Fundeb IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 37
Cadeia de
suprimentos de
bens e serviços
competitiva

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 38


Os royalties de projetos de E&P se concentram
na fase de produção
Fluxo de caixa típico de um projeto de E&P por fase

Desenvolvimento Descomis-
Exploração Produção
da produção sionamento

Receitas Royalties e outras fontes


de arrecadação

Investimento e gastos operacionais

2-3 anos 3-5 anos 20-50 anos 3-10 anos

A taxação adequada à capacidade de geração de receitas é fundamental para a competitividade e viabilização de projetos de
O&G, visando o aumento da arrecadação do Governo no longo prazo.

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 39


Fonte: Elaboração IBP com dados da ABESPETRO
Os investimentos em E&P ocorrem em sua
maior parte na etapa de desenvolvimento
Ciclo de investimento típico de um projeto de E&P

Descomissio-
Exploração Desenvolvimento da produção Produção
namento
Dezenas a Centenas de milhões a Dezenas a Dezenas a
centenas de dezenas de bilhões centenas de centenas de
milhões milhões milhões

2-10 anos 3-10 anos 20-50 anos 3-10 anos

Fonte: Análise Accenture Strategy Energy IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 40
Tecnologia, inovação e digitalização vão
reinventar a indústria de O&G

Nov@s_Tecnologias Desafios_da_Indústri@_de_Energia

Cyber Security Petroquímica Bio-energias


Ecossistemas

Energia
Impressora 3D
Pré-Sal Refinaria

Geração Distribuída
Blockchain Combustíveis
Aumentada

Robótica Futurismo
Realidade

Nuvem

Eólica Logística

IOT
Bitcoin COP 21

PD&I

Downstream

Motores
Inteligência

Perfuração
Co-working

Ética
Artificial
Analítico Big Data Upstream

Subsea
GNL

Mobilidade
Computação Cognitiva
5G Nanotecnologia Indústria Solar
Sensores Startups Energias Renováveis
ROV Veículos Autônomos
Smartphones Drone Sísmica

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 41


Em duas décadas foram gerados mais de R$ 15
bilhões em obrigações de PD&I
Projeção de obrigações de investimentos em PD&I
2019-2026
 Pesquisa Básica e Aplicada;
 Tecnologia Industrial Básica;
 Qualificação de Produto, Processo ou
Serviço;
 Desenvolvimento Experimental;

US$ 7,5
 Formação e Qualificação de Recursos
 Pesquisa em Meio Ambiente;
Humanos;
 Pesquisa em Ciências Sociais,
 Reforma de Instalações e Aquisição,
Humanas e da Vida;
Montagem e Instalação de Equipamentos;

bilhões
 Construção de Protótipo ou de Unidade
 Construção de Edificação Nova ou
Piloto;
Acréscimo de Área em Edificação
Existente;  Normalização Técnica;
 Instalação Laboratorial de PD&I;

 Treinamento, Suporte Tecnológico, Qualificação e


Avaliação de Conformidade;
 Engenharia Básica Não Rotineira;
 Desenvolvimento e Capacitação Técnica de
Fornecedores;
 Aquisição de Dados Geológicos, Geoquímicos e
Geofísicos de Novas Fronteiras;

Fonte: Elaboração IBP com dados ANP e GEE/UFRJ IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 42
A comunicação com a sociedade permite
ampliar o entendimento sobre o setor

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 43


O crescimento dos investimentos em O&G é
fundamental para geração de emprego
Projeção de postos de trabalho diretos e indiretos potenciais do upstream
Milhares de postos de trabalho

PROJEÇÕES MELHORES
SALÁRIOS
873
DO PAÍS
755

515
630
2X
PATAMAR
465 463
411 422 395 399 ATUAL
387
335 320 302

7X
282
214
150

MÉDIA DE OUTRAS
ATIVIDADE INDUSTRIAIS
2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022

A atividade petrolífera pode dobrar o volume de postos de trabalho em 2022. Apesar do estado do Rio de Janeiro ter o maior
potencial de geração de emprego, a alocação desses recursos no estado prescinde condições econômico-regulatórias favoráveis.

Nota: O estado do Rio de Janeiro tem maior potencial de geração de emprego posto que é responsável pela maior parcela da produção.
Fonte: Elaboração IBP com dados GEE/UFRJ e IBGE IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 44
O setor petróleo e gás tem a maior produtividade
da indústria brasileira
Comparativo da produtividade¹ por setor da economia
2017, BRL/pessoal ocupado

Extração de petróleo e gás


4.750.957
natural

Fabricação de coque, produtos


derivados do petróleo e 458.820
biocombustíveis

Média da indústria 106.534 45x


brasileira

Indústria de
99.507 48x
transformação

Cada trabalhador do setor de E&P de petróleo e gás adicionou, em média, em 2017, cerca de R$ 4,7 milhões à produção

1Razão entre valor da transformação industrial e o pessoal ocupado nas empresas industriais.
Grosso modo, o que cada trabalhador, em média, adicionou à produção.
Fonte: PIA - IBGE IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 45
O futuro do setor é debatido em uma ampla
agenda de eventos do IBP em 2019

20/08

25 a 28/06
26 a 30/08

29 a 31/10
10 a 11/06 14 a 15/08

25/04 02/07 19/09 09/10

ABRIL MAIO JUNHO JULHO AGOSTO SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO

27 a 30/05 3 a 5/09

28 e 29/05

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 47


Descubra como A Oil & Gas TechWeek
a tecnologia está é o hall de apresentações
e demonstrações de
moldando o amanhã
megatendências, projetos
premiados e tecnologias
26-30 AGOSTO | 2019 revolucionárias nos setores
AQWA Corporate de petróleo, gás e energia.
RIO DE JANEIRO - RJ Conecta os múltiplos atores
participantes deste
movimento para fomentar o
desenvolvimento e a adoção
das tecnologias inovadoras
para o setor no Brasil.
3-5 setembro | 2019
CENTRO DE CONVENÇÕES SULAMÉRICA – RJ

O PONTO DE ENCONTRO DA
COMUNIDADE INTERNACIONAL DE
DUTOS NO BRASIL
A Rio Pipeline Conference & Exhibition agrega toda a
comunidade do setor dutoviário, de ponta a ponta, em
um evento completo. É o encontro entre os mais
diversos participantes deste segmento, permeado por
conteúdo técnico de grande relevância, networking e
ambiente de negócios. O que acontece no mercado
passa antes por aqui.
riopipeline.com.br

20 200
Países Trabalhos
Técnicos

50 1.430
Expositores Congressistas
O MAIOR EVENTO MUNDIAL
EM SUA EDIÇÃO BRASILEIRA.

A conferência é destinada a profissionais


do mercado, com o intuito de trocar
ideias sobre avanços no conhecimento
científico e técnico, para recursos
29-31 OUTUBRO | 2019 offshore e questões ambientais.
A OTC Brasil é patrocinada e endossada
A maior plataforma de tecnologia pela credibilidade de 15 organizações
científicas e de engenharia, que
e inovação da América Latina trabalham cooperativamente para
desenvolver uma programação técnica,
para a Indústria Offshore com foco no desenvolvimentos em águas
profundas.
A OTC Brasil oferece a oportunidade de
colaboração e transferência de
conhecimento, que são essenciais para
atender às expectativas de fornecer
energia acessível para as gerações
futuras.
160 expositores

8.500 visitantes*

3.260 congressistas

*na edição de 2017, a OTC Brasil


aconteceu junto com a Rio Pipeline.

otcbrasil.org
TEMOS ADIANTE A OPORTUNIDADE TRANSFORMACIONAL
DE MAXIMIZAR NOSSA CONTRIBUIÇÃO PARA O
DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL E HUMANO DO PAÍS

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis | Observatório do Setor 54


Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis

ibp.org.br