Vous êtes sur la page 1sur 9

Plano de Aula

Instituição: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia


Professor: Allan de Sousa Soares
Disciplina: Matemática Discreta II
Conteúdo Pragmático: Grafos
Tema da Aula: Introdução ao Estudo de Grafos
Duração: 100 min
Objetivos:
- Definir grafo;
- Apresentar alguns tipos de grafos especiais;
- Relacionar grafos com aspectos presentes no cotidiano.
Metodologia:
- Aula expositiva participada.
Recursos Didáticos Utilizados:
- Apostila;
- Pincel e quadro branco;
- Datashow;
Avaliação:
- Observação;
- Resolução de exercı́cios.
Referência Principal:
[1] ROSEN, Kenneth. Discrete Mathematics and its Applications, 7rd, McGRAW-HILL, 2007.
Bibliografia:
[2] DOMINGUES, H. H.; IEZZI, G. Álgebra moderna: volume único. 4 ed. São Paulo: Atual,
2003.
[3] SCHEINERMAN, E. R. Matemática discreta: Uma introdução. 3 ed. São Paulo: Cengage
Learning, 2017.
[4] STEIN, C.;DRYSDALE, R. L.; BOGART, K. Matemática Discreta para Ciências da Com-
putação. 1 ed. São Paulo: Pearson, 2013.

1
Capı́tulo 1

Introdução ao Estudo dos Grafos

1.1 Grafos

Definição 1. Um grafo G = (V, E) consiste de um conjunto não vazio V e um conjunto de


arestas (caminhos) E. Cada arestaliga um ou dois vértices chamados pontos finais um do outro.

Exemplo 2. As Figuras 1.1 e 1.2 apresentam grafos como uma rede hipotética de computadores
entre algumas cidades.

Figura 1.1: Rede de Computadores

Figura 1.2: Rede de Computadores com Multiplos Links entre Centrais de Dado

2
Figura 1.3: Rede de Computadores com Links de Diagnósticos

Se só existir, para cada par de vértices, uma única arestas os conectando, e o for dessa forma
para todos os vértices de um grafo ele será chamado grafo simples (Figura 1.1). Do contrário, se
existirem vértices conectados por mais que uma aresta dizemos tratar-se de um grafo múltiplo
(Figura 1.2).
Nossa abordagem se restringirá aos chamados grafos orientados, isto é, dados dois vértices
e uma aresta os ligando haverá uma direção indicando o vértice inicial e o vértice final (Figura
1.4). Caso contrário, o grafo recebe a denominação de pseudografo.

Figura 1.4: Rede de Computadores Unilateral com Múltiplos Links entre Centrais de Dados

Definição 3. Um grafo orientado (ou digrafo) (V, E) consiste de um conjunto não vazio de
vértices V e um conjunto de arestas orientadas (ou arcos) E. A aresta orientada associada ao
par (u, v) é dita começar em u e terminar em v

Observando a Figura 1.5 percebemos dois caminhos sentido Denver(u) - Chicago(v). Neste
caso, dizemos que o par ordenado (u, v) tem multiplicidade 2.

3
Figura 1.5: Rede de Computadores Unilateral com Múltiplos Links

T ipo Arestas M ultiplas Arestas? Loops?


Graf o Simples N ao Orientado N ao N ao
Graf o M ultiplo N ao Orientado Sim N ao
P seudograf o N ao Orientado Sim Sim
Graf o Simples Orientados Orietado N ao N ao
Graf o M ultiplo Orientado Orientado Sim Sim
Graf o M isto Orientado e nao Orientado Sim Sim

Tabela 1.1: Terminologia.

1.2 Modelos
Vejamos a seguir alguns modelos para situações práticas da vida real.

Exemplo 4. Grafos de Amizade e Relacionamento


Podemos usar um grafo para representar se duas pessoas se conhecem, isto é, se estão fami-
liarizadas ou se são amigas. Cada pessoa em um grupo particular de pessoas é representada
por um vértice. Uma aresta não orientada é usada para conectar duas pessoas quando essas
pessoas se conhecem, quando estamos apenas preocupados com conveniência, ou se são amigos.
Não são utilizadas multiplas arestas ou loops. A Figura 1.6 apresenta um exemplo de rede de
relacionamentos.

Exemplo 5. Redes de Influência


Em certo estudos de grupos sob uma ótica behaviorista são observados que algumas pessoas
sofrem influências de certos indivı́duos enquanto consegue influenciar uma outra parte. A
Figura 1.7 ilustra tal situação.

4
Figura 1.6: Rede de Relacionamento

Figura 1.7: Grafo de Influência

Exemplo 6. A Rede Mundial de Computadores


A rede mundial de computadores pode ser modelada como um grafo direcionado onde cada
página é representada por um vértice e uma aresta comça na página da Web A e termina
na página da Web B se houver um link para B. Porque novas páginas da Web são criadas e
outras removidas em algum lugar na Web quase a cada segundo, o grafo da Web muda quase
que continuamente. Muitas pessoas estão estudando as propriedades do grafo da Web para
entender melhor sua natureza.

Exemplo 7. Torneios de Eliminação Simples (Mata-Mata)


Trata-se de um campeonato onde cada competidor é eliminado após uma única perda. Torneios
de eliminação única são frequentemente usados nos esportes, incluindo campeonatos de tênis,
basquete etc. Nós podemos modelar tal torneio usando um vértice para representar cada jogo
e uma borda direcionada para conectar um jogo para o próximo jogo em que o vencedor deste
jogo jogou. O Figura 1.7 representa os jogos disputados por 16 equipes finais em certo torneio.

5
Figura 1.8: Torneio Eliminatório Simples

1.3 Exercı́cios
Exercı́cio 1. Desenhe modelos de grafos, indicando o tipo de gráfo (da tabela 1.1) usado, para
representar rotas aéreas onde todos os dias há quatro vôos de Boston para Newark, dois vôos
de Newark a Boston, três vôos de Newark a Miami, dois vôos de Miami para Newark, um vôo
de Newark para Detroit, dois voos de Detroit para Newark, três vôos de Newark a Washington,
dois vôos de Washington para Newark e um voo de Washington para Miami, com
a) uma aresta entre os vértices representando as cidades com vôos entre elas (em qualquer
direão).
b) uma aresta entre vértices representando cidades para cada vôo que opera entre eles (em
qualquer direção).
c) uma aresta entre vértices representando cidades para cada vôo que opera entre elas (em
qualquer direção), mais um loop para uma viagem especial de turismo que decola em Miami.
d) uma aresta de um vértice representando uma cidade onde um vôo começa com o vértice
representando a cidade onde termina.
e) uma aresta para cada vôo a partir de um vértice representando cidade onde o vôo começa
para o vértice representando a cidade onde o vôo termina.

Exercı́cio 2. Para os As Figuras 1 − 4, determine se o gráfo mostrado possui arestas direciona-


das ou não direcionadas, se tem várias arestas, e se tem um ou mais loops. Use suas respostas
para determinar o tipo de gráfo na Tabela 1.1 este gráfo é.

6
Exercı́cio 3. O gráfo de interseção de uma coleção de conjuntos A1 , A2 , · · · , An é o gráfo que
tem um vértice para cada um desses conjuntos e tem uma borda conectando os vértices que
representam dois conjuntos se esses conjuntos tiverem uma interseção não vazia. Construir o
grafo de interseção dessas coleções de conjuntos.
a) A1 = {0, 2, 4, 6, 8}, A2 = {0, 1, 2, 3, 4}, A3 = {1, 3, 5, 7, 9}, A4 = {5, 6, 7, 8, 9},
A5 = {0, 1, 8, 9}
b) A1 = {· · · , −4, −3, −2, −1, 0}, A2 = {· · · , −2, −1, 0, 1, 2, · · · },
A3 = {· · · , −6, −4, −2, 0, 2, 4, 6, · · · }, A4 = {· · · , −5, −3, −1, 1, 3, 5, · · · },
A5 = {· · · , −6, −3, 0, 3, 6, · · · }
c) A1 = {x|x < 0}, A2 = {x| − 1 < x < 0}, A3 = {x|0 < x < 1}, A4 = {x| − 1 < x < 1},
A5 = {x|x > −1}, A6 = R.

Exercı́cio 4. Construir um grafo de sobreposição de nicho para seis espécies de aves, onde
o hermit thrush concorre com o robin e com o blue jay, o robin também compete com o
mockingbird, o mockingbird também compete com o blue jay e o nuthatch competem com o
hairy woodpecker.

Exercı́cio 5. Construa um gráfo de influência para os membros da diretoria de um empresa se


o Presidente puder influenciar o Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento, o Diretor de Marketing
e o Diretor de Operações; o Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento pode influenciar o Diretor
de Operações; o Diretor de Marketing pode influenciar o Diretor de Operações; e ninguém pode
influenciar ou ser influenciado pelo Diretor Financeiro.

7
1.4 Soluções e Respostas dos Exercı́cios
Solução do Exercı́cio 1. Na parte (a), temos um grafo simples, com bordas não direcionadas,
sem loops ou múltiplas arestas. Na parte (b), temos um multigrafo, uma vez que existem
múltiplas arestas (tornando a figura um pouco menos do que ideal visualmente). Na parte (c),
temos a mesma imagem da parte (b), exceto que agora há um loop em um vértice; Portanto, este
é um pseudografo. Na parte (d) temos um grafo direcionado, as direções das bordas informando
as direções dos vôos; note que as arestas anti paralelas (pares da forma (u, v) e (v, u)) não são
paralelas. Na parte (e) temos um multigrafo direcionado, pois existem arestas paralelas.

Solução do Exercı́cio 2. 1. Este é um grafo simples; as bordas não são direcionadas e não
há arestas ou loops paralelos; 2. Este é um pseudografo pois as bordas não são direcionadas,
mas existem loops e bordas paralelas; 3. Este é um grafo direcionado pois as arestas são
direcionadas, mas não há arestas paralelas; 4. Este é um multigrafo direcionado pois as arestas
são direcionadas e há um conjunto de arestas paralelas.

Solução do Exercı́cio 3. Em cada caso, desenhamos uma figura do grafo em questão. Todos
são grafos simples. Uma aresta é desenhada entre dois vértices se os conjuntos para os dois
vértices tiverem pelo menos um elemento em comum. Por exemplo, na parte (a) existe uma
aresta entre os vértices A1 e A2 porque há pelo menos um elemento comum a A1 e A2 ( na
verdade, existem três desses elementos). Não há borda entre A1 e A3 desde A1 ∩ A3 = ∅.

8
Solução do Exercı́cio 4. Nós desenhamos uma figura do grafo em questão, que é um grafo
simples. Dois vértices são unidos por uma borda se nos dissermos que as espécies competem
(como robin e mockingbird), mas não há arestas entre pares de espécies que não são dadas
como concorrentes (como robin e blue jay).

Solução do Exercı́cio 5. Nós desenhamos uma figura do grafo em questão, que é um grafo
direcionado. Nós atraı́mos uma vantagem de u para v se nos disserem que u pode influenciar
v. Por exemplo, o Diretor Financeiro é um vértice isolado, já que ela não é influenciado por
ninguém e não influencia ninguém.