Vous êtes sur la page 1sur 2

PRINCÍPIO DA ACOMODAÇÃO DE DEUS À CAPACIDADE HUMANA

Comunicação de Deus: Como já mencionamos no assunto da revelação especial, Deus se comunica com os seres humanos através da linguagem humana. Esse é um pressuposto fundamental para o cristianismo, pois a Palavra de Deus é capaz de revelar a Deus e de propiciar um encontro transformador entre o Cristo ressuscitado e aquele que crê.

McGrath declara que “nas escrituras Deus revela a si mesmo verbalmente, sob forma de palavras”. Diante disso nos questionamos:

“Como pode simples palavras fazer justiça à majestade de Deus?”

“Como as palavras podem atravessar o enorme abismo que há entre Deus e a humanidade pecadora?”

Acomodação: A resposta está no princípio da acomodação, i.e., ajustar-se ou adaptar-se para suprir as necessidades da situação.

Em resumo, esse princípio afirma que na revelação, Deus adapta a si mesmo às capacidades da mente e do coração humano. Ou seja, Deus se inclinou para alcançar o nível da nossa capacidade.

Exemplos de acomodação:

Antropomorfismo: Frequentemente os escritores bíblicos descrevem Deus como se tivesse boca, olhos, mãos e pés. Isso parece sugerir que o Deus infinito se reduz a um ser humano físico? Temos que admitir que Deus se revela de forma “finita” por causa do nosso intelecto finito. Essas imagens de Deus são como uma linguagem infantil, i.e., a forma com que Deus “desce” a nosso nível e utiliza os meios adequados à nossa capacidade intelectual.

Antropopatia: É a atribuição de sentimentos humanos a Deus (eg arrependimento, choro, tristeza e alegria). Essa é uma forma que Deus usa para que o homem possa entender os sentimentos de Deus.

Acomodação na doutrina da encarnação: A doutrina da encarnação fala que Deus veio até o nosso nível para nos encontrar, ou seja, veio como um de nós, em Cristo Jesus.

Acomodação na Revelação: Os dois tipos da Revelação confirmam o princípio da acomodação. Especialmente, a fé cristã se baseia na revelação especial, crendo que a leitura e meditação no texto nos possibilita conhecer e experimentar a vida com Cristo.

Por que estudar Teontologia?

1) O texto de 1 Co 15:34 afirma que há um pecar desenfreado da parte daqueles que não têm o conhecimento de Deus.

2) Jr 9:23-24 afirma que o homem encontra o seu lugar ao gloriar-se na compreensão e no conhecimento de Deus. E Deus que se agrada disso respondendo com justiça e lealdade.

67

3) A Palavra de Deus afirma que o evangelho de Cristo é a única maneira de se chegar pleno ao conhecimento da verdade, pois o evangelho tem o poder de destruir argumentos e pretensões que se levanta contra o conhecimento de Deus (2 Co 10:5). E de fato, é a vontade de Deus que todo homem seja salvo e chegue ao pleno conhecimento da verdade (1 Tm 2:3-4).

4) O apóstolo Paulo, ao orar pelos irmãos filipenses revela que o amor cresce no conhecimento e na percepção para discernir o que é melhor, a fim de serem puros e irrepreensíveis até o dia de Cristo (Fp 1:9-10). E crescendo nesse conhecimento podemos ser cheios do fruto da justiça (revertendo o quadro de Rm 3:11-12, onde os homens se entregaram à injustiça), e a palavra ainda revela que esse fruto que vem por meio de Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus (Fp 1:10).

5) É uma orientação para que nossa existência tenha um sentido. Devemos buscar nos encher do pleno conhecimento da verdade de Deus, associando todo o tipo de virtude á nossa fé, para que não sejamos infrutuosos no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus (2 Pe 1-11).

Portanto, temos um chamado de Cristo a nos entregarmos a Deus e chegar ao pleno conhecimento da verdade, que é o caminho da redenção de nosso ser e de tudo que existe. O caminho contrário, obviamente, é a destruição em sua degeneração de sua própria injustiça.

Agora que já sabemos como é possível para nós que somos limitados e pecadores conhecer o Deus Santo e Eterno, podemos continuar nosso estudo elaborando uma definição que possa responder com o máximo de precisão a pergunta:

– “Quem é Deus?” –

68