Vous êtes sur la page 1sur 37

A

ABLATIVE ABLATIVO
Em línguas que exprimem relações gramaticais por meio de flexões, o termo refere-se à
forma tomada por uma palavra, em geral um substantivo ou pronome, para transmitir
um significado locativo ou instrumental.
ABSOLUTE UNIVERSALS UNIVERSAIS ABSOLUTOS
Propriedades comuns a todas as línguas, sem exceções.
ACCEPTABLE ACEITÁVEL
É aceitável o enunciado que é a um só tempo gramatical, isto é, gerado pelas regras da
gramática e facilmente compreendido ou naturalmente emitido pelos falantes.
ACCOMMODATION ACOMODAÇÃO / ASSIMILAÇÃO
Termo geral da Fonética que se refere à influência exercida por um segmento de som
sobre a articulação de outro, de modo que os sons se tornem mais parecidos, ou
idênticos.
ACOUSTIC PHONECTIS FONÉTICA ACÚSTICA
Ramo da Fonética, também conhecido como Acústica, que estuda as propriedades
físicas dos sons, à medida que vão sendo transmitidos entre a boca e o ouvido.
ACROLECT ACROLETO
Termo usado por alguns sociolingüistas, no estudo do desenvolvimento de línguas
crioulas, com referência a uma variante padrão ou de prestígio, com a qual outras
variantes (ou letos) podem ser comparadas.
ADJUNCTION ADJUNÇÃO
Operação sintática básica da gramática transformacional, referindo-se a uma regra que
coloca certos elementos da estrutura em posições adjacentes, com o intuito de
especificar como essas estruturas se encaixam em unidades maiores.
AGGLUTINATIVE AGLUTINANTE
Línguas aglutinantes são as que apresentam a característica estrutural da aglutinação,
isto é, a acumulação de afixos distintos após o radical, a fim de exprimir as relações
gramaticais.
AGGRAMATISM AGRAMATISMO
Aspecto lingüístico particular da afasia de expressão. Caracteriza-se pela supressão
quase constante dos morfemas gramaticais como preposições, artigos, pronomes
sujeitos, desinências verbais; e redução das frases apenas à seqüência dos morfemas
léxicos.
ALEXIA ALEXIA
Alexia ou cegueira verbal é uma perturbação da leitura devida a uma lesão cortical da
área posterior da zona da linguagem, sem que ocorram perturbações do aparelho visual.
ALGORITHM ALGORITMO
Na Lingüística, o termo refere-se ao procedimento elaborado para levar a cabo uma
operação complicada, dividindo-a em uma seqüência devidamente especificada de
operações mais simples, usado principalmente nas afirmações analíticas de uma
gramática gerativa.
ALLOGRAPH ALOGRAFE
Na escrita, alografe é a representação concreta ou uma das representações concretas do
grafema, ou seja, do elemento abstrato.
ALLOMORPH ALOMORFE
Dá-se o nome de morfema à unidade significativa mínima de uma língua; chamam-se
alomorfes as variantes desse morfema em função do contexto.
ALLOPHONE ALOFONE
Alofones de um fonema são as realizações deste repartidas na cadeia falada, de tal
forma que nenhuma delas jamais aparece no mesmo contexto que outra: o fonema é
então definido como uma abstração.
ANAPHORA ANÁFORA
Em retórica, anáfora é a repetição de uma palavra ou grupo de palavras no início de
enunciados sucessivos, com o objetivo de enfatizar o termo repetido.
ANASTROPHE ANÁSTROFE
Em retórica, anástrofe é a inversão na ordem habitual ou natural das palavras.
ANTHROPOLOGICAL LINGUISTICS LINGÜÍSTICA ANTROPOLÓGICA
Ramo da Lingüística que estuda a variação e o uso da língua em relação aos padrões
culturais e às crenças de um povo, utilizando teorias e métodos da Antropologia.
ANTIPHRASIS ANTÍFRASE
Emprego de uma palavra ou de um grupo de palavras com sentido contrário à sua
verdadeira significação, por preocupação estilística, ironia ou respeito a um tabu.
APHASIA AFASIA
Afasias são perturbações da comunicação verbal, sem déficit intelectual, que podem
ocorrer na emissão e/ou a recepção dos signos verbais, orais ou escritos.
APPLIED LINGUISTICS LINGÜÍSTICA APLICADA
Ramo da Lingüística que se interessa basicamente pela aplicação de teorias, métodos e
descobertas lingüísticas na elucidação dos problemas de língua surgidos em outras áreas
da experiência (Tradução e Ensino de Língua Estrangeira, entre outras).
ARBITRARINESS ARBITRARIEDADE
Propriedade da linguagem humana segundo a qual as formas lingüísticas aparentemente
não apresentam nenhuma correspondência física com as entidades do mundo real a que
se referem.
ARTICULATION ARTICULAÇÃO
Termo geral da Fonética que indica os movimentos fisiológicos envolvidos na passagem
do ar, modificando-a para produzir os vários tipos de sons da fala usando os órgãos do
aparelho fonador, acima da laringe.
ARTICULATORY PHONETICS FONÉTICA ARTICULATÓRIA
Ramo da Fonética que estuda a maneira como os sons da fala são produzidos ou
articulados pelos órgãos da fala.
ATTESTED ATESTADO
Termo usado em Lingüística para indicar uma forma lingüística cujo uso presente ou
passado está provado.
ATTESTED FORM FORMA ATESTADA
Nos modernos estudos da fala, o termo refere-se ao uso registrado real, em comparação
com as previsões hipotéticas de uma gramática ou as observações intuitivas do lingüista.
AUDIOGRAM AUDIOGRAMA
Representação gráfica da sensibilidade do ouvido aos diferentes sons.
AUDIOMETRY AUDIOMETRIA
Medida da aptidão para apreender os diferentes sons da fala.
AUDITORY PHONETICS FONÉTICA AUDITIVA
Ramo da Fonética que estuda a reação, em termos de percepção aos sons da fala,
enquanto mediados pelo ouvido, o nervo auditivo e o cérebro.
AUGMENTATIVE AUMENTATIVO
Termo usado na Morfologia com referência a um afixo com o sentido geral de grande,
como a forma casarão, do português.
AUTOMATIC TRANSLATION TRADUÇÃO AUTOMÁTICA
Substituição do homem pela máquina nas atividades de tradução.
AVOIDANCE MASCARAMENTO
Processo pelo qual um falante, supondo que uma forma de língua o classificaria como
pertencente a um grupo sociopolítico ao qual ele pertence efetivamente, evita empregá-
la.
AXIOM AXIOMA
Conjunto das fórmulas corretas, mas não demonstradas, de um sistema ou de uma teoria
lingüística.

BABY TALK FALA DE CRIANÇAS


Uma extensão nos estudos da aquisição da linguagem, que mostra uma gama de
características lingüísticas distintivas encontradas no discurso adulto endereçado a
crianças pequenas, como, por exemplo, o uso de estruturas frasais simplificadas.
BASILECT BASILETO
Termo usado por alguns sociolingüistas no estudo do desenvolvimento das línguas
crioulas, quando se referem a uma variante lingüística bastante remota da língua de
prestígio.
BEHAVIORISM BEHAVIORISMO
Teoria psicológica que explica os fenômenos mentais, analisando apenas os
comportamentos observáveis e reduzindo-os a respostas a situações, sendo essas últimas
definidas como estímulos que provocam as respostas. Aplicado à Lingüística, o
behaviorismo reduz a comunicação ao esquema E-R (estímulo-resposta).
BIDIALECTAL BIDIALETAL
No sentido geral, o termo refere-se à proficiência no uso, por parte de uma pessoa ou
comunidade, de dois dialetos, sejam eles regionais ou sociais.
BILABIAL BILABIAL
Termo usado na classificação dos sons consonantais, e refere-se ao som produzido com
os dois lábios unidos.
BILINGUALISM BILINGÜISMO
De modo geral, bilingüismo é a situação lingüística em que os falantes são levados a
utilizar alternativamente, conforme os meios ou as situações, duas línguas diferentes.
BINDING VINCULAÇÃO
Na teoria lingüística gerativa, o termo refere-se a uma série de condições que
formalmente associam, ou vinculam, os elementos de uma sentença.
BIOLINGUISTICS BIOLINGÜÍSTICA
Ramo recente da Lingüística que estuda as precondições para o desenvolvimento e o
uso da língua pelo homem, do ponto de vista tanto da história da língua na raça humana,
como do desenvolvimento da língua no indivíduo.
BORROWING EMPRÉSTIMO
Termo usado na Lingüística Histórica e Comparada para indicar as formas lingüísticas
tomadas de uma outra língua ou dialeto.
BRANCHING RAMIFICAÇÃO
Conexões lineares que constituem a identidade de um diagrama de árvore. As regras de
estrutura frasal que geram essas árvores às vezes são chamadas de regras de
ramificações.

C
CACOPHONY CACOFONIA
Repetição de sons (fonemas ou sílabas) desagradável ao ouvido.
CALQUE DECALQUE
Termo usado na Lingüística Histórica e Comparada para indicar um tipo de empréstimo,
em que os constituintes morfofonêmicos da palavra ou expressão emprestada são
traduzidos item por item em morfemas equivalentes da outra língua.
CANONICAL CANÔNICO
Na Fonética e na Lingüística, o sentido geral do termo refere-se a uma forma citada
como norma ou padrão nos casos de comparação.
CASE GRAMMAR GRAMÁTICA DE CASOS
Abordagem da análise gramatical que focaliza as funções sintáticas, ou casos, dos
elementos que compõem as sentenças, resgatando as relações semânticas que essas
funções expressam.
CATACHRESIS CATACRESE
Processo que consiste em ampliar o sentido de uma palavra para além do seu domínio
estrito. É uma metáfora cujo uso é tão corrente que não é mais sentida como tal, como,
por exemplo, os pés de uma mesa.
CHOMSKY, N. NOAM CHOMSKY
(1928- ) Lingüista norte-americano cujas idéias dominaram o pensamento lingüístico a
partir da década de 1950. Desenvolveu o conceito da Gramática Gerativa.
CLASS CLASSE
Na Lingüística e Fonética, o uso geral do termo refere-se ao conjunto de entidades com
as mesmas propriedades formais ou semânticas.
CLASSIFIER CLASSIFICADOR
Morfemas cuja função é indicar a classe semântica ou morfológica dos itens. Por
exemplo, -mente é um classificador de advérbio, -a é um classificador de feminino.
CLAUSE ORAÇÃO
Termo usado em alguns modelos de gramática normalmente para se referir a uma
unidade de organização gramatical menor do que a sentença, mas maior do que
sintagmas, palavras ou morfemas.
CLINICAL LINGUISTICS LINGÜÍSTICA CLÍNICA
Expressão usada ocasionalmente para aplicação de teorias, métodos e descobertas
lingüísticas na análise das condições médicas e dos ambientes relacionados a disfunções
da linguagem.
CLOSURE FECHAMENTO
Termo geral usado na Fonética para uma articulação em que o contato entre os
articuladores ativo e passivo impede a passagem do ar através da boca e/ou nariz.
COALESCENCE COALESCÊNCIA
Termo usado em especial na Gramática Histórica, para indicar a união de unidades
lingüísticas que antes podiam ser distinguidas. Os alofones de um fonema podem se
unir, assim como fonemas ou morfemas diferentes.
COARTICULATION CO-ARTICULAÇÃO
Articulação que envolve simultaneamente mais de um ponto do aparelho fonador, como
as oclusivas coordenadas ([pk], [bg], [pt] e [bd]) de muitas línguas da África Ocidental.
CODE CÓDIGO
No sentido geral do termo, é o conjunto de convenções para converter um sistema de
sinais em outro.

CODIFICATION CODIFICAÇÃO
Processo pelo qual certos sinais do código são selecionados e introduzidos no canal de
transmissão entre um emissor e um receptor, ou seja, é a operação de transmutação da
mensagem numa forma codificada.
COGNATE COGNATO
Uma língua ou forma lingüística historicamente derivada da mesma fonte de outra
língua ou forma. O espanhol, o francês e o português são línguas cognatas, derivadas do
latim.
COGNITIVE COGNITIVO
Termo usado na Semântica como parte de uma classificação dos tipos de significação, e
refere-se aos aspectos da significação relacionados diretamente às denotações dos itens
lexicais e ao conteúdo proposicional das sentenças.
COGNITIVE MEANING SIGNIFICAÇÃO COGNITIVA
Expressão usada na Semântica para a classificação dos tipos de significação, e refere-se
aos aspectos que relacionam as denotações dos itens lexicais e o conteúdo da proposição
das sentenças.
COHERENCE COERÊNCIA
O uso geral do termo na análise do discurso refere-se ao princípio de organização
postulado para dar conta da identidade ou correção funcional subjacente de um trecho
de língua falada ou escrita.
COLLOCATION COLOCAÇÃO
Termo usado na Lexicologia por alguns lingüistas com referência à co-ocorrência
habitual de itens lexicais individuais. Por exemplo, ação está em colocação com boa e
rápida, por um lado, e com bolsa de valores e capital, por outro.
COMMENT COMENTÁRIO
Parte do enunciado que acrescenta algo de novo ao tema, que informa sobre ele, em
oposição ao tópico, que é o sujeito do discurso, o elemento dado pela situação, pela
pergunta do interlocutor e que é o objeto do discurso.
COMMUNICATION COMUNICAÇÃO
Transmissão da informação entre uma fonte e um receptor, usando um sistema de sinais.
Nos contextos lingüísticos, a fonte e o receptor são interpretados em termos humanos, o
sistema envolvido é a língua e a noção de reação, ou o conhecimento da mensagem, é de
capital importância.
COMPARATIVE COMPARATIVO
Termo usado na descrição gramatical de adjetivos e advérbios, analisando-os em termos
de grau, conforme a extensão de sua aplicação. A forma comparativa é usada para
comparar duas entidades.
COMPARATIVE GRAMMAR GRAMÁTICA COMPARATIVA
Compara as formas das línguas ou estados de uma língua, e baseia-se em uma
combinação de métodos descritivos e teóricos.
COMPARATIVE LINGUISTICS LINGÜÍSTICA COMPARATIVA
Concentra-se em identificar as características comuns de línguas diferentes ou famílias
de línguas.
COMPETENCE COMPETÊNCIA
Na terminologia da Gramática Gerativa, competência é o sistema de regras interiorizado
pelos falantes e que constitui o seu saber lingüístico, graças ao qual são capazes de
pronunciar ou de compreender um número infinito de frases inéditas.
COMPETENCE GRAMMAR GRAMÁTICA DE COMPETÊNCIA
Consiste no total de regras possuídas por um falante, isto é, trata-se da gramática da sua
competência.
COMPONENT COMPONENTE
Termo usado na lingüística gerativa para indicar as principais partes que compõem uma
gramática gerativa. Na Semântica, o termo refere-se a um traço irredutível sobre como o
sentido de um item lexical pode ser analisado.
COMPONENTIAL ANALYSIS ANÁLISE COMPONENCIAL
Processo que visa a estabelecer a configuração das unidades mínimas de significação
(componentes semânticos, traços semânticos ou semas) no interior da unidade léxica
(morfema léxico ou palavra).
COMPOSITION COMPOSIÇÃO
Formação de uma unidade semântica a partir da combinação de dois ou mais radicais,
como, por exemplo, a palavra amor-perfeito.
COMPREHENSION COMPREENSÃO
Na Lingüística, a acepção geral do termo refere-se à capacidade de entender e
interpretar a língua escrita e falada.
COMPUTATIONAL LINGUISTICS LINGÜÍSTICA COMPUTACIONAL
Ramo da Lingüística em que as técnicas e os conceitos da informática são aplicados na
elucidação de problemas fonéticos e lingüísticos.
CONCORDANCE CONCORDÂNCIA
Termo usado na teoria e na descrição gramatical para mostrar uma relação formal entre
elementos, em que a forma de uma palavra exige uma forma correspondente em outra.
CONDITIONAL CONDICIONAL
Termo usado na descrição gramatical com referência às orações cujo papel semântico é
exprimir hipóteses ou condições.
CONNECTIVE CONECTIVO / CONETIVO
Termo que classifica gramaticalmente as palavras ou morfemas cuja função primária é
ligar unidades lingüísticas em qualquer nível.
CONNOTATION CONOTAÇÃO
Termo usado na Semântica para se referir às associações emocionais sugeridas, ou que
fazem parte da significação de uma unidade lingüística, especialmente de um item
lexical.
CONSTITUENT CONSTITUINTE
Termo básico na análise gramatical para indicar uma unidade lingüística componente de
uma construção maior.
CONSTRICTION CONSTRIÇÃO
Estreitamento do conduto vocal que provoca uma turbulência do ar laríngeo ouvida
como um ruído de atrito, ou ruído fricativo, e que caracteriza a realização das
consoantes chamadas constritivas ou fricativas.
CONTENT CONTEÚDO
Toda mensagem comporta uma face expressiva e significa alguma coisa. O conteúdo é a
face abstrata da mensagem, o seu aspecto conceitual, o assunto da mensagem.
CONTENT ANALYSIS ANÁLISE DE CONTEÚDO
Estudo da organização e dos principais elementos de conteúdo de um texto em termos
qualitativos ou em termos estatísticos, buscando-se sistematizar e fundamentar bases
para definição de regras que determinam a organização dos textos.
CONTEXT CONTEXTO
Termo geral usado na Lingüística e na Fonética para indicar partes específicas de um
enunciado ou texto, perto ou adjacentes à unidade que tem o foco de atenção. Indica os
traços do mundo extralingüístico a que se referem sistematicamente as unidades
lingüísticas.
CONTRAST CONTRASTE
Termo que, em Lingüística, mostra uma diferença entre unidades, principalmente
quando ela serve para distinguir significações em uma língua. Tal diferença é
denominada distintiva, funcional ou significativa.
CONTRASTIVE ANALYSIS ANÁLISE CONTRASTIVA
No aprendizado de um idioma estrangeiro, é a identificação das diferenças estruturais
entre duas línguas, para que sejam estudadas como áreas de dificuldade potencial.
CONTRASTIVE LINGUISTICS LINGÜÍSTICA CONTRASTIVA
Focaliza as diferenças entre as línguas, principalmente no contexto de ensino de línguas.
CONVERGENCE CONVERGÊNCIA
Na Sociolingüística, refere-se a um processo de alteração de dialeto, em que os dialetos
se tornam mais parecidos uns com os outros, ou seja, há uma convergência.
CONVERSION CONVERSÃO
Processo derivacional através do qual um item de uma classe de palavras passa a
pertencer a outra classe, sem o acréscimo de um afixo.
COOPERATIVE PRINCIPLE PRINCÍPIO COOPERATIVO
O princípio cooperativo afirma que os falantes tentam cooperar uns com os outros
quando se comunicam, ou seja, tentam ser informativos, verdadeiros, relevantes e
claros.
CORPUS CORPUS
O conjunto de dados lingüísticos, seja em textos escritos ou em uma transcrição de uma
fala gravada, que pode ser usado como ponto de partida para uma descrição lingüística
ou uma maneira de verificar uma hipótese a respeito da língua.
CORRECTNESS CORREÇÃO
Diz-se que um enunciado é correto quando está de acordo não só com a gramática da
língua, mas com as regras do bem dizer fixadas por uma camada social geralmente
reduzida, mas socialmente dominante.
CORRELATION CORRELAÇÃO
Termo usado na Fonologia da Escola de Praga para indicar uma relação sistemática
entre duas séries de sons.
CREOLE CRIOULO
Termo usado na Sociolingüística com referência a uma língua pidgin que se tornou a
língua materna de uma comunidade de fala.
CRITERIA CRITÉRIOS
Na Lingüística e na Fonética, o termo refere-se à justificativa formal de uma análise ou
descrição, o motivo de se realizar uma análise lingüística de uma determinada maneira.

DEAD LANGUAGE LÍNGUA MORTA


Em sentido lato, toda aquela que desapareceu do uso; e em sentido restrito, a que só é
usada como língua escrita geral ou língua escrita especial (literária, religiosa, política)
de um povo ou grupo de povos que fala outra língua.
DECODIFICATION DECODIFICAÇÃO / DESCODIFICAÇÃO
Identificação e interpretação dos sinais pelo receptor da mensagem emitida.
DECONSTRUCTION DESCONSTRUÇÃO
Movimento intelectual que procura desfazer a interpretação tradicional dos textos
literários e filosóficos na cultura ocidental, desestruturando simultaneamente os valores
e verdades vinculados a essa tradição, tendo como fundamento uma concepção
pluralista e polissêmica do processo significacional. Surgido na década de 1960, foi
concebido pelo filósofo contemporâneo Jacques Derrida.
DEEP STRUCTURE ESTRUTURA PROFUNDA / ESTRUTURA REMOTA
Termo usado na Gramática Gerativa para se referir à representação sintática abstrata de
uma sentença, isto é, um nível subjacente de organização estrutural que especifica todos
os fatores que regem a maneira como uma sentença deve ser interpretada.
DEFECTIVE DEFECTIVO
Palavra que, pertencendo a uma classe que possui flexões nominais (casos, gênero,
número e grau) ou verbais (tempo, número, pessoa e voz), não tem o paradigma
completo das formas.
DEIXIS DÊIXIS
Termo usado na teoria lingüística englobando as características de pessoa, tempo e lugar
de uma língua, vistas dentro de uma situação espaço-temporal de um enunciado
relacionado à sua significação.
DELETION APAGAMENTO
Operação básica da gramática transformacional, que elimina um constituinte de uma
sentença. Por exemplo, na oração As crianças dançam e cantam, o sujeito do verbo
cantar também é As crianças. Dizemos, portanto, que As crianças foi apagado.
DENOTATION DENOTAÇÃO
Parte da significação lingüística que diz respeito à representação compreensiva do
mundo exterior objetivo e do mundo subjetivo interior. A denotação opõe-se à
conotação e com ela se combina para dar a significação integral da forma.
DERIVATION DERIVAÇÃO
Na Morfologia, refere-se ao processo de formação de uma unidade semântica mediante
a inserção de afixos em uma base. Na Gramática Gerativa, refere-se ao conjunto dos
estágios da geração de uma sentença, iniciada com a aplicação das regras do
componente de base que formam uma estrutura subjacente, seguindo-se a aplicação de
regras transformacionais que conduzem à estrutura superficial da sentença.
DESCRIPTION DESCRIÇÃO
O termo é usado na Lingüística no sentido geral de fornecer um relato abrangente,
sistemático, objetivo e preciso dos padrões e usos de um dialeto ou idioma específico,
em uma época determinada.
DESCRIPTIVE GRAMMAR GRAMÁTICA DESCRITIVA
Descrição de uma língua da forma como ela é encontrada em amostras da fala e da
escrita.
DESCRIPTIVE LINGUISTICS LINGÜÍSTICA DESCRITIVA
Concentra-se em estudar o estabelecimento dos fatos de um determinado sistema de
línguas.
DETERMINER DETERMINANTE
Termo usado em alguns modelos da descrição gramatical, referindo-se a uma classe de
itens, que em conjunto com os substantivos exprime uma variedade de contrastes
semânticos como quantidade e número.
DEVIANCE DESVIO
Quando se define uma norma, ou seja, um uso geral da língua comum a um conjunto de
falantes, chama-se desvio, qualquer ato de fala que transgrida uma dessas regras de uso.
DIACHRONIC DIACRÔNICO
Diacronia é o termo adotado pelo lingüista suíço Ferdinand de Saussure para designar a
transmissão de uma língua, de geração em geração, através do tempo, sofrendo ela nesse
transcurso mudanças em todos os níveis, cujo conjunto constitui a evolução lingüística.
O estudo diacrônico é assim a história interna da língua, compreendendo a Gramática
Histórica, a Semântica Histórica e a História do Léxico.
DIACRITIC DIACRÍTICO
Na Fonética, uma marca acrescentada a um símbolo para alterar o seu valor, como os
vários acentos (^ ` etc.) e os sinais de ensurdecido e nasalização [~].
DIALECT DIALETO
Variante de uma língua, distinta em termos sociais ou regionais e identificada por um
conjunto particular de palavras e estruturas gramaticais. Os dialetos falados costumam
também ser associados a uma pronúncia característica, ou sotaque.
DIGLOSSIA DIGLOSSIA
Termo usado na Sociolingüística para indicar uma situação em que duas variantes muito
diferentes de uma língua ocorrem ao mesmo tempo na comunidade de fala, cada uma
delas com uma função social distinta.
DIRECTIVE DIRETIVO
Nas classificações de atos de fala, um enunciado diretivo é aquele cujo fim é fazer com
que outras pessoas façam algo para o falante.
DISCOURSE DISCURSO
Na sua acepção lingüística moderna, o termo discurso designa todo enunciado superior
a uma frase, considerado do ponto de vista das regras de encadeamento das seqüências
de frases.
DISCOURSE ANALYSIS ANÁLISE DO DISCURSO
Parte da Lingüística que determina as regras que comandam a produção de seqüências
de frases estruturadas.
DISCRETE DISCRETO
O enunciado é uma grandeza discreta porque é constituído de unidades distintas umas
das outras e que fazem parte de um sistema cujos outros elementos são em número
limitado.
DISSIMILATION DISSIMILAÇÃO
Termo geral na Fonética que indica a influência exercida por um segmento de som
sobre a articulação de outro, de maneira que os sons se tornem menos parecidos, ou
diferentes.
DISTINCTIVE DISTINTIVO
Termo usado em Lingüística para qualquer traço da fala ou da escrita, que permita um
contraste entre unidades fonológicas, gramaticais ou semânticas.
DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO
Termo geral utilizado na Lingüística para se referir ao conjunto total de contextos
lingüísticos, ou ambientes, em que pode ocorrer uma unidade como um fonema, um
morfema ou uma palavra.

DIVERGENCE DIVERGÊNCIA
Termo usado na Sociolingüística para indicar um processo de mudança em que os
dialetos se tornam cada vez menos parecidos, ou seja, divergem.
DURATION DURAÇÃO
Termo usado em Fonética para indicar a extensão de tempo envolvida na articulação de
um som ou sílaba.

ECHO ECO
Termo usado em algumas descrições gramaticais com referência a uma sentença que
repete, no todo ou em parte, o que acabou de ser dito por outro falante.
ECHOLALIA ECOLALIA
Distúrbio da linguagem que consiste na repetição das expressões do interlocutor.
ECLECTIC ECLÉTICO
Termo usado na Lingüística em geral para se referir aos modelos de descrição
construídos a partir de uma combinação de características originárias de mais de uma
teoria lingüística.
EDUCATIONAL LINGUISTICS LINGÜÍSTICA EDUCACIONAL / LINGÜÍSTICA
PEDAGÓGICA
Expressão usada ocasionalmente para a aplicação de descobertas descritivas, teoria e
métodos lingüísticos ao estudo do ensino ou aprendizado da língua-materna em escolas
ou outros ambientes de ensino formal.
EJECTIVE EJETIVO
Consoantes ejetivas, ou glotalizadas, são consoantes que independem da respiração, ou
seja, que utilizam apenas o ar supralaríngeo, já que a passagem do ar respiratório está
fechada pela junção das cordas vocais.
ELISION ELISÃO
Fenômeno da fonética combinatória que se dá na fronteira das palavras, pelo qual uma
vogal final átona desaparece diante da inicial vocálica da palavra seguinte.
EMBEDDING ENCAIXE
Termo usado na Gramática Gerativa para indicar o processo de construção pelo qual
uma sentença é incluída, isto é, encaixada em outra, como ocorre na subordinação
sintática.
EMIC / ETIC ÊMICO / ÉTICO
Par de termos que caracteriza abordagens opostas para o estudo dos dados lingüísticos.
Na abordagem ética, os padrões físicos da língua são descritos com referência mínima à
sua função dentro do sistema da língua. A abordagem êmica, ao contrário, se interessa
por todas as relações funcionais, estabelecendo um sistema fechado de unidades
contrastivas abstratas como base de descrição.
EMOTIVE EMOTIVO
Termo às vezes usado na Semântica como parte de uma classificação de tipos de
significação. A significação emotiva de uma expressão se refere a seu efeito emocional
sobre o ouvinte, como o conteúdo emotivo da linguagem publicitária etc.
ENDOCENTRIC ENDOCÊNTRICO
Termo usado na análise gramatical, juntamente com exocêntrico, para classificar as
construções sintáticas usando critérios distribucionais. Refere-se a um grupo de palavras
sintaticamente relacionadas, no qual uma das palavras é funcionalmente equivalente ao
grupo como um todo (ou seja, há um núcleo ou centro com a mesma distribuição do
grupo).
ENDOPHORIC ENDOFÓRICO
Termo usado por alguns lingüistas com referência às relações de coesão que ajudam a
definir a estrutura de um texto.
ENTAILMENT IMPLICAÇÃO
Diz-se que há implicação entre duas orações ou proposições quando entre elas há uma
relação tal que, sendo a primeira verdadeira, a segunda também o é.
EQUIVALENCE EQUIVALÊNCIA
Relação de igualdade de poder entre as gramáticas: as gramáticas que geram o mesmo
conjunto de sentenças são equivalentes ou equivalentemente fracas, as que geram o
mesmo conjunto de marcadores frasais são equivalentemente fortes, ou seja, geram não
apenas as mesmas sentenças, mas atribuem as mesmas descrições estruturais a cada uma
delas.
ERROR ERRO
Termo usado na Psicolingüística com referência a falhas ocorridas na escrita ou na fala
espontânea atribuíveis a um mal funcionamento dos comandos neuromusculares do
cérebro.
ETHNOLINGUISTICS ETNOLINGÜÍSTICA
Ramo da Lingüística que estuda a língua pela investigação de comportamentos e tipos
étnicos.
ETYMOLOGY ETIMOLOGIA
Termo tradicionalmente usado para o estudo das origens e a história da forma e da
significação das palavras.
EUPHONY EUFONIA
Qualidade de uma enunciação agradável ao ouvido, em virtude da natureza dos seus
fonemas e da fluidez com que se co-articulam.
EXOCENTRIC EXOCÊNTRICO
Termo que na análise gramatical forma, juntamente com endocêntrico, uma
classificação binária das construções sintáticas usando critérios distribucionais. Refere-
se a um grupo de palavras sintaticamente relacionadas em que nenhuma das palavras é
funcionalmente equivalente ao grupo como um todo.
EXOPHORIC EXOFÓRICO
Termo usado por alguns lingüistas para indicar o processo ou resultado de uma unidade
lingüística que se refere diretamente à situação extralingüística que acompanha um
enunciado.
EXPANSION EXPANSÃO
Processo gramatical em que novos elementos são acrescentados a uma construção sem
que a estrutura básica seja afetada, como, por exemplo, a adição de adjetivos depois de
um substantivo.
EXPLETIVE EXPLETIVO
Na gramática tradicional, palavras expletivas são termos vazios de sentido mas que,
presentes em determinados enunciados, tornam-se significativos. É o caso dos advérbios
de negação, pronomes, preposições etc.
EXPRESSIVE EXPRESSIVO
Termo usado ocasionalmente na Semântica como parte de uma classificação de tipos de
significação. A significação expressiva de uma expressão refere-se tanto a seu conteúdo
emocional quanto a qualquer identidade que possa adotar em termos da personalidade
ou criatividade individual do usuário.
EXTRALINGUISTICS EXTRALINGÜÍSTICO
Fatores que não pertencem propriamente à gramática, mas ao uso dela na produção e
compreensão dos enunciados.

FEEDBACK RETROALIMENTAÇÃO / FEEDBACK


Termo da teoria da comunicação usado na Lingüística para se referir ao processo pelo
qual o emissor de uma mensagem obtém uma reação do receptor, permitindo-lhe
verificar a eficácia de sua comunicação.
FELICITY CONDITIONS CONDIÇÕES DE FELICIDADE / ADEQUAÇÃO
Expressão usada na teoria de atos de fala com referência aos critérios que devem ser
satisfeitos para que um ato de fala atinja o seu propósito.
FILLED PAUSE PAUSA PREENCHIDA
Expressão usada por alguns lingüistas para indicar uma pausa não silenciosa (silent
pause), ou seja, quando um momento de hesitação é preenchido com algum tipo de
vocalização ou expressões como er, ah, uhm etc.
FIXED FIXO
Termo usado na Lingüística e na Fonética com referência a um aspecto imutável da
estrutura de uma unidade lingüística. Opõe-se a livre.
FLAP FLAP
Termo do inglês usado na classificação fonética dos sons consonantais com referência
aos sons produzidos por um único e rápido contato entre dois órgãos da articulação.
FLEXION / INFLECTION FLEXÃO
Aplicação de um morfema aditivo (flexão externa), subtrativo, alternativo, reduplicativo
(flexão interna) a um vocábulo, ficando a variação, respectivamente, fora ou dentro do
radical.
FOCUS FOCO
Utiliza-se às vezes a expressão colocação em foco para designar os processos de ênfase.

FORENSIC LINGUISTICS LINGÜÍSTICA FORENSE


Uso de técnicas lingüísticas para a investigação de crime em que os dados lingüísticos,
como a identificação de voz e pronúncia, fazem parte de uma prova.
FORMAL GRAMMAR GRAMÁTICA FORMAL
Concentra-se no estudo das formas lingüísticas, ou seja, sua estrutura, distribuição etc.,
em oposição à gramática nocional (notional grammar).
FORMAL UNIVERSALS UNIVERSAIS FORMAIS
Condições necessárias que devem ser impostas na construção das gramáticas para que
estas possam operar. Incluem noções como o número de componentes, tipos de regras,
convenções de ordenação e assim por diante.
FORMALIZATION FORMALIZAÇÃO
Especificação precisa e rigorosa das regras lingüísticas, que permita interpretar
formalmente uma análise lingüística em termos lógicos e matemáticos, e a partir daí,
desenvolver um cálculo.
FORMANT FORMANTE
Um formante é constituído por uma concentração de energia acústica, que reflete a
maneira como o ar que sai dos pulmões vibra no aparelho fonador, à medida que vai
mudando de formato.
FORMATIVE FORMATIVO
Elemento gramatical irredutível e formalmente identificável, que entra na construção de
unidades lingüísticas maiores, como as palavras e as sentenças.
FORTIS FORTE
Termo usado na classificação fonética dos sons consonantais com referência ao som
produzido com um grau relativamente forte de esforço muscular e força respiratória em
comparação com outros sons.
FOSSILIZE FOSSILIZAR
Na Gramática e na Lexicologia uma sentença fossilizada é constituída de um tipo de
construção não mais produtiva na língua.
FRAME MOLDURA / QUADRO
Estrutura dentro da qual uma classe de itens pode ser usada. Também denominada
moldura sintática ou moldura de substituição.
FREE FORM FORMA LIVRE / MORFEMA LIVRE
Unidade gramatical mínima que pode ser usada como palavra sem a necessidade de
mais modificações morfológicas.
FREE VARIATION VARIAÇÃO LIVRE
Termo usado na Fonética referindo-se à possibilidade de substituição de um som por
outro em um determinado ambiente, sem qualquer mudança conseqüente no significado
da palavra.
FREQUENCY FREQÜÊNCIA
Na Acústica, o número de ondas sonoras por segundo produzido por uma fonte de
vibração.
FRICATIVE FRICATIVA
Termo usado na classificação fonética dos sons consonantais com referência aos sons
produzidos quando dois órgãos se aproximam tanto que o ar que passa entre eles produz
uma fricção audível.
FRICTION FRICÇÃO
Termo usado na Fonética com referência ao som produzido quando o ar passa por uma
constrição no aparelho fonador.
FUSION FUSÃO
Combinação de dois elementos em contato no interior de uma palavra, que torna difícil
a análise direta.
FUZZY FUZZY
Termo do inglês, oriundo da Matemática, que significa não-delimitado. Utilizado por
alguns lingüistas para indicar a indeterminação existente na análise de um padrão ou
unidade lingüística.

GAP LACUNA
Termo usado na Lingüística para indicar a ausência de uma unidade lingüística em um
lugar onde ela seria esperada.
GENDER GÊNERO
Categoria gramatical usada para a análise de classes de palavras que mostra contrastes;
como masculino, feminino, e neutro, animado e inanimado etc.
GENERAL LINGUISTICS LINGÜÍSTICA GERAL
Lingüística caracterizada pela aplicabilidade universal da teoria ou método lingüístico
no estudo das línguas, englobando os conceitos teóricos, descritivos e comparativos.
GENERAL STYLISTICS ESTILÍSTICA GERAL
Lida com a gama ou repertório de variantes não dialetais encontradas em uma língua.
GENERALIZATION GENERALIZAÇÃO
Propriedade das análises e descrições lingüísticas que são aplicáveis a uma quantidade
razoavelmente grande de dados de uma língua, e expressas em termos relativamente
abstratos.
GENERATIVE GERATIVO
Termo derivado da Matemática e introduzido na Lingüística por Noam Chomsky em
seu livro Syntactic Structures (1957). Refere-se à capacidade da gramática em definir o
conjunto de sentenças gramaticais de uma língua.
GENERATIVE GRAMMAR GRAMÁTICA GERATIVA
Conjunto de regras formais que projeta um conjunto finito de sentenças sobre o
conjunto potencialmente infinito de sentenças que constituem a língua como um todo.
GENERIC GENÉRICO
Termo usado na análise semântica e gramatical para indicar um radical lexical ou
proposição que se refere a uma classe de entidades, como, por exemplo, os pobres, os
ricos, os bons etc.
GENITIVE GENITIVO
Uma das formas tomadas por uma palavra, geralmente um substantivo ou pronome, nas
línguas que exprimem relações gramaticais por meio de flexões. O caso genitivo típico
expressa uma relação de posse, como, por exemplo, o livro do menino.
GEOGRAPHICAL LINGUISTICS LINGÜÍSTICA GEOGRÁFICA
Estudo das línguas e dos dialetos em termos de sua distribuição regional.
GIVEN (INFORMATION) INFORMAÇÃO DADA
Informação que já foi fornecida pelo contexto anterior.
GLIDE GLIDE
Termo do inglês usado em Fonética para indicar um som de transposição quando os
órgãos da fala se movimentam em direção a uma articulação ou se afastam dela.
GLOSSOLALIA GLOSSOLALIA
Termo usado por alguns lingüistas para indicar o fenômeno de certas pessoas criarem
novas palavras, deformadas, resultando em uma linguagem incompreensível, como se
fosse uma alucinação.
GLOTTAL GLOTAL
Termo usado na classificação dos sons consonantais com referência ao som produzido
na laringe, devido ao fechamento ou estreitamento da glote, abertura entre as cordas
vocais.
GLOTTOCHRONOLOGY GLOTOCRONOLOGIA
Termo usado na Lingüística em uma tentativa de quantificar a extensão em que as
línguas divergem de uma fonte comum.
GOVERNMENT REGÊNCIA
Termo usado na análise gramatical para indicar um tipo de ligação sintática pela qual
uma palavra ou classe de palavras exige uma forma morfológica específica de outra
palavra ou classe de palavras.
GRAMMATICAL GRAMATICAL
Na Lingüística, o termo indica a característica de uma sentença quando esta se adequa
às regras definidas por uma determinada gramática ou língua.
GRAPHEME GRAFEMA
Unidade mínima contrastiva no sistema de escrita de uma língua.
GRAPHETICS GRAFÉTICA
Termo usado por alguns lingüistas em analogia com a Fonética, para indicar a análise da
substância gráfica da língua escrita.
GRAPHIC SUBSTANCE SUBSTÂNCIA GRÁFICA
Expressão usada por alguns lingüistas com referência à forma escrita da língua, vista
como um conjunto de propriedades visuais fisicamente definíveis, ou seja, marcas sobre
uma superfície.
GRAPHOLOGY GRAFOLOGIA
Termo usado por alguns lingüistas com referência ao sistema escrito de uma língua, em
analogia com a Fonologia.
GROOVE GROOVE
Termo do inglês que significa sulco, usado às vezes na Fonética para indicar um tipo de
fricativa em que a língua fica ligeiramente côncava no sentido longitudinal e a
passagem do ar produz um som com freqüência mais alta do que as outras fricativas.

HAPLOLOGY HAPLOLOGIA
Termo usado na Fonologia para indicar a omissão de alguns dos sons que ocorrem em
uma seqüência de articulações semelhantes.
HARD PALATE PALATO DURO
Na Fonética, o palato constitui toda a área desde o alvéolo até a úvula, sendo o palato
duro a parte imediatamente atrás do alvéolo.
HETERONYMS HETERÔNIMOS
Na gramática tradicional, palavras de raiz diferente, mas que formam juntas uma
estrutura semântica. Em crítica literária, os diversos nomes (diferentes de pseudônimos)
assumidos por um mesmo escritor.
HIERARCHY HIERARQUIA
Termo derivado dos estudos taxonômicos e aplicado na Lingüística com referência a
qualquer classificação de unidades lingüísticas que reconheça uma série de níveis
sucessivamente subordinados.
HISTORICAL LINGUISTICS LINGÜÍSTICA HISTÓRICA / GRAMÁTICA
HISTÓRICA
Ramo da Lingüística que estuda o desenvolvimento das línguas no decorrer do tempo.
HOLOPHRASE HOLOFRASE
Termo usado na aquisição de linguagem para indicar um enunciado gramaticalmente
desestruturado, em geral consistindo em uma única palavra, que é característico do
primeiro estágio da aprendizagem da língua por parte das crianças.
HOMOGRAPHY HOMOGRAFIA
Termo usado na análise semântica para caracterizar as palavras que são escritas da
mesma maneira mas divergem em significado.
HOMONYMS HOMÔNIMOS
Termo usado na análise semântica para indicar os itens lexicais com a mesma forma nas
significações diferentes.
HOMOPHONY HOMOFONIA
Termo usado na análise semântica para caracterizar as palavras ou lexemas com a
mesma pronúncia, mas divergentes em significação.
HYPERCORRECTION HIPERCORREÇÃO
Termo usado na Lingüística quando uma forma lingüística vai além do ponto
estabelecido pela variante de língua que o falante tem como meta, ou seja, quando os
falantes de um dialeto não padrão tentam usar o dialeto padrão e vão longe demais,
produzindo uma versão inexistente no padrão.
HYPOTACTIC HIPOTÁTICO
Termo usado na análise gramatical tradicional, e freqüentemente nos estudos de
lingüística descritiva, para caracterizar as construções subordinadas em que os
constituintes foram unidos por meio de conjunções.

ICON ÍCONE
Propriedade proposta para alguns sistemas semióticos, com exceção da língua, para
indicar os sinais cuja forma física corresponde bastante a características das entidades a
que se referem.
IDEATIONAL IDEACIONAL
Termo ocasionalmente usado na Semântica para se referir ao aspecto da significação
associado ao conhecimento cognitivo que o falante tem do mundo exterior ou aos
acontecimentos objetivamente observáveis do mundo exterior, conforme refletidos na
língua.
IDEOGRAM IDEOGRAMA
Símbolo gráfico que corresponde a uma idéia, conceito, processo ou qualidade. Tomam-
se geralmente como exemplos de escrita ideogramática a escrita chinesa e os hieróglifos
egípcios sob sua forma mais antiga.
IDIOLECT IDIOLETO
Termo usado na Lingüística para caracterizar o sistema lingüístico de um falante
individual, ou seja, o seu dialeto pessoal.
IDIOMATIC EXPRESSION EXPRESSÃO IDIOMÁTICA
Seqüências de palavras restritas do ponto de vista semântico e, muitas vezes, sintático,
de forma que funcionem como uma só unidade.
ILLOCUTIONARY ILOCUCIONÁRIO
Termo usado na teoria dos atos da fala com referência a um ato realizado pelo falante
por causa de seu enunciado. Por exemplo, promessas, ordens e pedidos são atos
ilocucionários.
IMITATION IMITAÇÃO
A aplicação do sentido geral do termo na aquisição da linguagem, refere-se ao
comportamento da criança em copiar a língua que ouve.
IMPLICATIONAL UNIVERSALS UNIVERSAIS DE IMPLICAÇÃO
Afirmações generalizadas do tipo se X, então Y, ou seja, se uma língua tem uma
determinada ordem de palavras, terá também uma determinada estrutura verbal.
IMPLOSIVE IMPLOSIVA
Termo usado na classificação fonética dos sons consonantais com referência à série de
sons oclusivos produzidos com uma corrente de ar em movimento para dentro da boca,
isto é, um movimento ingressivo.
INCLUSIVE INCLUSIVO
Termo usado no caso dos pronomes, em contraste com exclusivo, para indicar o papel
de primeira pessoa que inclui tanto o falante quanto a pessoa com que ele fala.
INCOMPATIBILITY INCOMPATIBILIDADE
Termo usado na Semântica como parte do estudo das relações de sentido entre os itens
lexicais. Refere-se aos conjuntos de itens em que a escolha de um deles exclui o uso de
todos os outros, para não haver contradição.
INDEFINITE INDENIFIDO
Termo usado na Gramática e na Semântica para caracterizar uma entidade ou classe de
entidades, que não tem uma identificação específica.
INDEXICAL INDEXICAL
Termo usado por alguns lingüistas quando se referem aos traços da fala ou da escrita
que revelam as características pessoais, biológicas, psicológicas ou sociais, do usuário
de uma língua, como a qualidade da voz ou a caligrafia.
INFIX INFIXO
Termo usado na Morfologia com referência a um afixo que é acrescentado dentro da
raiz ou do radical.
INFORMANT INFORMANTE
Pessoa que age como fonte de dados para análise lingüística, geralmente um falante
nativo de uma língua.
INITIAL INICIAL
Maneira usual de se fazer referência ao primeiro elemento de uma unidade lingüística,
especialmente na Fonologia.
INITIATOR INICIADOR
Termo da Fonética para órgãos da fala que constituem a fonte para o movimento do ar.
INSTRUMENTAL INSTRUMENTAL
Nas línguas que exprimem relações gramaticais por meio de flexões, o termo refere-se à
forma tomada por uma palavra, em geral um substantivo ou pronome, quando exprime a
noção de por meio de.
INTENSIFIER INTENSIFICADOR
Termo usado em algumas classificações gramaticais das palavras para indicar uma
classe de advérbios que provocam o efeito de aumentar ou diminuir a significação de
outro elemento da sentença.
INTENSITY INTENSIDADE
Na Fonética, marca uma situação de relevo ou proeminência de uma sílaba da palavra.
INTERCHANGEABLE INTERCAMBIÁVEL
Qualidade ou propriedade proposta para alguns sistemas semióticos, como a linguagem
humana, que mostra a capacidade do sistema de ser mutuamente transmitido e recebido
por membros da mesma espécie.
INTERDENTAL INTERDENTAL
Termo usado na classificação fonética dos sons consonantais com referência ao som
produzido com o ápice da língua entre os dentes.
INTERFERENCE INTERFERÊNCIA
Termo usado na Sociolingüística e no ensino de língua estrangeira, com relação aos
erros que um falante introduz em uma língua como conseqüência de seu contato com
outra língua.
INTERNALIZATION INTERNALIZAÇÃO
Termo usado na Lingüística Gerativa com referência ao processo pelo qual os falantes
vêm a possuir o conhecimento da estrutura de sua língua.
INTERPERSONAL INTERPESSOAL
Termo usado ocasionalmente na Semântica como parte de uma classificação dos tipos
de significação relativamente ao estabelecimento e à manutenção das relações sociais,
como os papéis sociais, o nível estilístico, a expressão da personalidade etc.
INTERROGATIVE INTERROGATIVO
Termo usado na classificação gramatical dos tipos de sentenças, geralmente em
contraste com as declarativas ou afirmativas e referem-se às formas verbais ou orações
usadas na expressão de interrogações ou ao uso de palavras interrogativas.
INTERVOCALIC INTERVOCÁLICO
Termo usado na Fonética para indicar o som consonantal entre duas vogais.
INTRUSION INTRUSÃO
Adição de sons no discurso corrido sem se basear na pronúncia de sílabas ou palavras
quando ouvidas isoladamente.
INTUITION INTUIÇÃO
Termo que na Lingüística se refere ao julgamento de um falante nativo acerca de sua
língua, especialmente ao decidir se uma sentença é ou não aceitável, e como as
sentenças se relacionam entre si.
INVARIABLE INVARIÁVEL
Termo usado na classificação gramatical das palavras que são usadas sem qualquer
alteração morfológica.
INVERSION INVERSÃO
Termo usado na análise gramatical com referência ao processo ou resultado de uma
alteração sintática em que uma seqüência determinada de constituintes é considerada o
inverso de outra.
ISOCHRONY ISOCRONIA
Termo usado por alguns foneticistas para indicar a característica rítmica de algumas
línguas. No ritmo isócrono, as sílabas acentuadas recaem em intervalos
aproximadamente regulares em todo o enunciado.
ISOGLOSS ISOGLOSSA
Linha desenhada em um mapa para marcar a fronteira de uma área na qual um
determinado traço lingüístico é usado.
ITERATIVE ITERATIVO
Termo usado na análise gramatical de aspecto, para indicar um evento que acontece
repetidamente, como, por exemplo, saltar várias vezes. No português, existem alguns
artifícios para indicar essa repetição, como o sufixo –itar em saltitar.

JARGON JARGÃO
Termos e expressões técnicas usados por um grupo de especialistas, que não são
conhecidos ou compreendidos pela comunidade de fala no geral.
JUNCTURE JUNTURA
Termo usado na Fonologia para indicar os traços fonéticos de fronteira que podem
demarcar as unidades gramaticais como os morfemas, palavras ou orações.

K
L

LABIAL LABIAL
Termo geral da classificação fonética dos sons da fala produzidos com o uso ativo de
um ou ambos os lábios.
LABIALIZATION LABIALIZAÇÃO
Termo geral que se refere a uma articulação secundária envolvendo qualquer
arredondamento perceptível dos lábios.
LABIO-DENTAL LABIODENTAL
Termo geral da classificação fonética dos sons da fala referente ao som produzido
quando um dos lábios está em contato ativo com os dentes.
LABIO-VELAR LABIOVELAR
Termo geral da classificação fonética dos sons da fala referente ao som produzido no
palato mole com simultâneo arredondamento dos lábios.
LAMINAL LAMINAL
Termo usado na classificação fonética dos sons da fala referente ao som feito com a
ponta da língua em contato com o lábio superior, os dentes e o alvéolo, como os sons
alveolares ou dentais.
LANGUAGE LÍNGUA
No sentido mais corrente, um instrumento de comunicação, um sistema de signos vocais
específicos aos membros de uma mesma comunidade. Para F. de Saussure, a escola de
Praga e o estruturalismo americano, língua é um sistema de relações, ou seja, um
conjunto de sistemas ligados um aos outros, cujos elementos não têm nenhum valor
independentemente das relações de equivalência e de oposição que os unem.
LINGUAGEM
Capacidade específica da espécie humana de se comunicar por meio de um sistema de
signos vocais, ou língua, que coloca em jogo uma técnica corporal complexa e supõe a
existência de uma função simbólica e de centro nervosos geneticamente especializados.
LANGUAGE ACQUISITION AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM
No estudo do desenvolvimento da linguagem nas crianças, o termo refere-se ao
processo ou resultado do aprendizado de um determinado aspecto da língua, e à língua
como um todo.
LANGUAGE UNIVERSALS UNIVERSAIS DA LINGUAGEM
Equivale aos traços gerais da linguagem humana, identificados por alguns lingüistas
como dualidade, criatividade, reflexividade e deslocamento, e que fornecem uma teoria
acerca da faculdade humana da linguagem, ou seja, das propriedades biologicamente
necessárias da língua.
LARYNX LARINGE
Parte do tubo ou traquéia onde se situam as cordas vocais.
LATERAL LATERAL
Termo usado na classificação fonética dos sons consonantais relativamente a qualquer
som em que o ar escapa por um ou pelos dois lados de um fechamento da boca.
LECT LETO
Termo usado por alguns sociolingüistas para indicar uma coleção de fenômenos
lingüísticos com uma identidade funcional dentro de uma comunidade de fala, mas sem
que seja especificada a base para fundamentar os critérios da coleção, ou seja, se o leto é
regional, social etc.
LENIS LENE
Variação de fraco, característica de uma consoante produzida com grau relativamente
fraco de esforço muscular e força respiratória.
LENITION LENIZAÇÃO
Enfraquecimento das consoantes intervocálicas, no decorrer da história de uma língua.

LEXEME LEXEMA
Termo usado por alguns lingüistas com referência à unidade distintiva mínima no
sistema semântico de uma língua.
LEXICAL LEXICAL
Termo usado na Lingüística para caracterizar o vocabulário de uma língua e uma
variedade de expressões técnicas.
LEXICAL ITEM ITEM LEXICAL / LEXEMA
Uma unidade de vocabulário ou lexema.
LEXICAL PHONOLOGY FONOLOGIA LEXICAL
Refere-se a uma abordagem em que algumas regras fonológicas são transferidas para o
léxico, e integradas ao componente morfológico.
LEXICAL SYNTAX SINTAXE LEXICAL
Refere-se a uma abordagem que incorpora as regras sintáticas ao léxico.
LEXICOGRAPHY LEXICOGRAFIA
Ciência da confecção de dicionários. Pode ser considerada um ramo da Lexicologia
Aplicada.
LEXICOLOGY LEXICOLOGIA
Estudo global do vocabulário de uma língua, incluindo a sua história.
LEXICON LÉXICO
No sentido mais geral, o termo é sinônimo de vocabulário. Na Gramática Gerativa,
refere-se ao componente que contém todas as informações sobre as propriedades
estruturais dos itens lexicais de uma língua, ou seja, sua especificação semântica,
sintática e fonológica.
LINEAR LINEAR
Termo usado na Lingüística para descrever a representação característica da língua
como uma seqüência unidimensional de elementos ou regras.
LINGUA FRANCA LÍNGUA FRANCA
Expressão usada na Sociolingüística indicando uma língua auxiliar usada para permitir
que grupos de pessoas falantes de línguas nativas diferentes possam estabelecer uma
comunicação de rotina.
LINGUIST LINGÜISTA
O estudioso ou pesquisador da Lingüística.
LINGUISTICS LINGÜÍSTICA
O estudo científico da língua.
LIQUID LÍQÜIDO
Termo usado por alguns foneticistas na classificação dos sons da fala, referindo-se a
todos os sons ápico-alveolares.
LITERARY STYLISTICS ESTILÍSTICA LITERÁRIA
Lida com as variações próprias da literatura como gênero e estilo de cada escritor.
LOCUTIONARY LOCUCIONÁRIO
Termo usado na teoria dos atos de fala com referência ao ato de tornar um enunciado
significativo.
LOGOCENTRISM LOGOCENTRISMO
Visão da literatura ou de outro comportamento centrada na linguagem ou na palavra. No
estudo da Estilística, a noção de logocentrismo está associada à abordagem estruturalista
de análise, que se concentra no estudo da linguagem de um texto em relação à exclusão
da individualidade do autor, do contexto social e da situação histórica.

MACROLINGUISTICS MACROLINGÜÍSTICA
Termo usado por alguns lingüistas, especialmente na década de 1950, para identificar
uma concepção muito ampla da pesquisa na Lingüística, em que ela é vista em sua
relação global com a Fonética e a experiência extralingüística.
MANNER OF ARTICULATION MODO DE ARTICULAÇÃO
Um dos principais parâmetros da classificação fonética ou fonológica dos sons da fala,
referindo-se ao tipo de processo articulatório usado na produção do som.
MATHEMATICAL LINGUISTICS LINGÜÍSTICA MATEMÁTICA
Ramo da Lingüística que estuda as propriedades matemáticas da língua, geralmente
empregando conceitos estatísticos ou algébricos.
MAXIM OF MANNER MÁXIMA DE MODO
Dentro do princípio cooperativo na comunicação, as contribuições dos falantes devem
ser claras, isto é, ordenadas e breves, evitando as ambigüidades e a falta de clareza.
MAXIM OF QUALITY MÁXIMA DE QUALIDADE
Dentro do princípio cooperativo na comunicação, as contribuições dos falantes devem
ser verdadeiras, ou seja, eles não devem dizer aquilo que acreditam ser falso ou para o
qual não tenham provas suficientes.
MAXIM OF QUANTITY MÁXIMA DE QUANTIDADE
Dentro do princípio cooperativo na comunicação, as contribuições dos falantes devem
ser informativas na medida do necessário para os propósitos correntes da comunicação e
não mais do que isso.
MAXIM OF RELEVANCE MÁXIMA DE RELEVÂNCIA
Dentro do princípio cooperativo na comunicação, as contribuições devem ser relevantes
para o propósito da conversação.
MAXIMS OF CONVERSATION MÁXIMAS DE CONVERSAÇÃO
As máximas, em geral, são princípios que supostamente estão subjacentes ao uso
eficiente da língua e que juntos identificam um princípio cooperativo geral. São quatro
as máximas de conversação: máxima de qualidade, máxima de quantidade, máxima de
relevância e máxima de modo.
MEANING SIGNIFICAÇÃO
A noção básica é usada na Lingüística, tanto como um dado quanto como um critério de
análise, ou seja, os lingüistas estudam a significação e também usam a significação
como um critério para estudar outros aspectos da língua.
MENTALISM MENTALISMO
Escola de pensamento que acredita que os processos e estados mentais existem
independentemente de suas manifestações de comportamento, e que podem explicar o
comportamento.
MESOLECT MESOLETO
Termo usado por alguns sociolingüistas nos estudos do desenvolvimento das línguas
crioulas, para indicar as variantes lingüísticas que existem entre o acroleto e o basileto.
METALANGUAGE METALINGUAGEM
Linguagem usada para descrever um objeto de estudo, como, por exemplo, a linguagem
técnica de Engenharia, Química ou Direito.
METATHESIS METÁTESE
Termo usado na Lingüística para indicar uma alteração na seqüência dos elementos de
uma sentença, geralmente os sons, mas também, sílabas, palavras ou outras unidades.

MICROLINGUISTICS MICROLINGÜÍSTICA
Termo usado por alguns lingüistas, especialmente na década de 1950, para indicar as
áreas mais importantes da Lingüística, especialmente a Fonologia, a Morfologia e a
Sintaxe, que constituiriam campos de estudo bem definidos.
MORPHEME MORFEMA
Unidade mínima distintiva da gramática, e principal objeto de estudos da Morfologia.
MORPHOLOGY MORFOLOGIA
Ramo da Gramática que estuda a estrutura ou as formas das palavras, principalmente
por meio de construções com morfemas.
MORPHOPHONEMICS / MORPHOPHONOLOGY MORFOFONÊMICA /
MORFOFONOLOGIA
Ramo da Lingüística que se preocupa em analisar e classificar os fatores fonológicos
que afetam a aparência dos morfemas, ou vice-versa, os fatores gramaticais que afetam
a aparência dos fonemas.
MORPHOSYNTAX MORFOSSINTAXE
Estudo das propriedades ou categorias gramaticais que podem ser definidas por critérios
tanto morfológicos quanto sintáticos, como na descrição das características das palavras.
MULTILINGUALISM MULTILINGÜISMO
Termo usado na Sociolingüística para indicar, primeiro, uma comunidade de fala que
faz uso de duas ou mais línguas; segundo, indivíduos com capacidade para falar muitas
línguas.

NASAL NASAL
Termo usado na classificação fonética dos sons da fala para se referir ao som produzido
quando o palato mole se abaixa para permitir que o ar passe, de maneira auditiva,
através do nariz.
NEGATION NEGAÇÃO
Processo ou construção na análise semântica e gramatical que exprime a contradição de
parte ou de toda a significação de uma sentença.
NEOGRAMMARIAN NEOGRAMÁTICO
Adepto ou característico dos princípios da escola de pensamento de Filologia
Comparada, iniciada pelos estudiosos alemães K. Brugmann e S. A. Leskien, no século
XIX. Sua principal teoria era a de que as leis dos sons admitem exceções.
NEOLOGISM NEOLOGISMO
Toda palavra de criação recente ou emprestada há pouco de outra língua, ou toda
acepção nova de uma palavra já antiga.
NEUROLINGUISTICS NEUROLINGÜÍSTICA
Ramo da Lingüística, também chamado de Lingüística Neurológica, que estuda a base
neurológica do desenvolvimento e do uso da língua no homem, e tenta construir um
modelo que represente o controle do cérebro sobre os processos de fala e audição.
NEUTRAL NEUTRO
Termo usado na classificação da posição dos lábios na Fonética, referindo-se à
aparência visual dos lábios quando ficam em posição relaxada, sem arredondamento e
com um ligeiro abaixamento da mandíbula.

NEW INFORMATION INFORMAÇÃO NOVA


Informação nova refere-se ao que é adicional àquilo que já foi previamente fornecido
pelo contexto.
NOMENCLATURE NOMENCLATURA
Lista de nomes ou termos organizados hierarquicamente de acordo com a classificação,
como, por exemplo, no caso dos termos referentes a Botânica ou Zoologia.
NOMINAL NOMINAL
Termo usado em algumas descrições gramaticais como substituto para substantivo.
Grupo nominal é o grupo que tem um substantivo como núcleo, ou seja, é um sintagma
nominal.
NOMINALIZATION NOMINALIZAÇÃO
Processo de formação de um substantivo a partir de outras classes de palavras ou a
derivação de um sintagma a partir de uma oração subjacente.
NOMINATIVE NOMINATIVO
Em línguas que exprimem relações gramaticais por meio de flexões, o termo refere-se à
forma tomada por uma palavra, geralmente um substantivo ou pronome, quando é
sujeito de um verbo.
NONCE WORD PALAVRA NONCE
Forma lingüística que um falante cria conscientemente ou usa acidentalmente em uma
única ocasião, como, por exemplo, quando não se lembra de uma determinada palavra, e
por isso, cunha uma aproximação alternativa, ou quando se vê obrigado, pelas
circunstâncias, a produzir uma forma nova, como nas manchetes de jornais.
NORMATIVE NORMATIVO
Descrição de uma norma lingüística que é considerada um conjunto de padrões
aprovados socialmente e considerados corretos para o uso da língua.
NOTATION NOTAÇÃO
Termo usado na Lingüística e na Fonética para indicar qualquer sistema de
representação gráfica da fala, como, por exemplo, em uma notação fonêmica.
NOTIONAL NOCIONAL
Característica de muitas análises gramaticais tradicionais, que pressupunham a
existência de categorias extralingüísticas que serviam para a definição das unidades da
gramática, como, por exemplo, a noção de substantivo como nome de uma pessoa, coisa
ou lugar; de verbo como uma palavra de ação e assim por diante.
NUCLEAR SYLLABLE SÍLABA NUCLEAR
Termo usado por alguns analistas da entonação para se referir a uma sílaba em um
grupo tonal que recebe a proeminência máxima. Também denominada sílaba tônica.
NUCLEUS NÚCLEO
Termo usado na descrição gramatical de alguns tipos de sintagmas relativamente ao seu
elemento central, que distribucionalmente é equivalente ao sintagma como um todo. O
núcleo determina também as relações de concordância e regência entre outras partes do
sintagma ou da sentença.
NUMBER NÚMERO
Categoria gramatical utilizada para a análise das classes de palavras que mostram
contrastes de singular, dual, plural etc.

OBJECT OBJETO
Termo usado na análise das funções gramaticais com referência a um constituinte de
estrutura de oração ou sentença, tradicionalmente associado ao receptor de uma ação.
OBLIQUE OBLÍQUO
Nas línguas que exprimem relações gramaticais por meio de flexões, o termo refere-se à
forma tomada por uma palavra, em geral um substantivo ou um pronome, quando se
refere coletivamente a todas as formas de caso de uma palavra, com exceção do
nominativo.
OBSTRUENT OBSTRUENTE / OBSTRUINTE
Termo usado na classificação fonética dos sons da fala para se referir aos sons que
envolvem uma constrição que impede que o fluxo do ar passe através do nariz ou da
boca, como se dá nas oclusivas, fricativas e africadas.
OBVIATIVE OBVIATIVO
Termo usado na Lingüística com referência a uma forma de quarta pessoa existente em
algumas línguas, como as línguas indígenas norte-americanas, e que geralmente
contrasta com a terceira pessoa, pois se refere a uma entidade distinta daquela que já foi
mencionada com uma forma de terceira pessoa.
OCCLUSION OCLUSÃO
Termo usado na Fonética com referência à duração do fechamento feito quando uma
consoante oclusiva está sendo articulada.
ONOMASIOLOGY ONOMASIOLOGIA
Termo usado ocasionalmente na Semântica, indicando o estudo de conjuntos associados
em relação às formas lingüísticas que as designam, como, por exemplo, as várias
maneiras de organizar os itens lexicais conceitualmente em um thesaurus (obra de
referência com elementos de dicionário de sinônimos, e por vezes, também de
antônimos, e de dicionário analógico).
ONOMASTICS ONOMÁSTICA
Ramo da Semântica que estuda a etimologia dos nomes institucionalizados como os
nomes de pessoas e lugares.
ONTOGENY ONTOGENIA
Aquisição, desenvolvimento e decadência cronológicas da língua no indivíduo, em
oposição à comunidade de fala como um todo.
OPPOSITION OPOSIÇÃO
Termo usado na Lingüística com referência a importantes diferenças entre unidades,
especialmente na Fonologia, onde os contrastes entre os traços distintivos dos sons, ou
entre a presença ou ausência de um traço são chamados de oposições.
ORAL ORAL
Na Fonética, oral se opõe a nasal, referindo-se tanto à área articulatória da boca como
aos sons específicos lá produzidos. Adjetivo que caracteriza a manifestação da língua
em sua forma falada, em oposição à escrita.
ORDER ORDEM
Termo usado na Lingüística para indicar as relações que constituem ou estão
subjacentes a uma seqüência linear de unidades lingüísticas.
ORDER OF MENTION ORDEM DE MENÇÃO
Refere-se ao uso da língua em que a ordem dos acontecimentos do mundo exterior é
paralela à ordem da seqüência de unidades semânticas das sentenças.
OTHER-INITIATED REPAIR REPARO INICIADO PELOS OUTROS
Reparo provocado pelo ouvinte, como nas questões de eco: Ele disse isso?
OVEREXTENSION HIPEREXTENSÃO
Termo usado nos estudos de aquisição da linguagem, para indicar um tipo de relação
entre as significações do adulto e da criança, quando expressas por itens lexicais. Na
hiperextensão, o item lexical da criança tem maior variedade de aplicações do que o
termo equivalente do adulto.
OVERGENERALIZATION HIPERGENERALIZAÇÃO
Termo usado nos estudos de aquisição da linguagem, referindo-se ao processo pelo qual
uma criança estende seu uso de um traço gramatical a contextos diferentes dos da
linguagem adulta.
OVERLAPPING ACAVALAMENTO
Intersecção de dois conjuntos: azul é substantivo e adjetivo; nesse termo as duas classes,
substantivo e adjetivo, acavalam-se.

PALATAL PALATAL
Termo usado na classificação fonética dos sons da fala, para se referir aos sons
produzidos quando a parte anterior da língua entra em contato com, ou se aproxima do
palato duro.
PALATALIZATION PALATALIZAÇÃO
Termo geral que se refere a qualquer articulação que envolva um movimento da língua
em direção ao palato duro.
PALATE PALATO
Estrutura óssea em formato de arco que forma o céu da boca, muito usada para a
articulação dos sons da fala.
PALATO-ALVEOLAR PALATO-ALVEOLAR
Termo usado na classificação fonética dos sons consonantais, para se referir ao som
produzido por um duplo movimento da língua em direção à área entre o alvéolo e o
palato duro, ou seja, a ponta da língua ou a ponta e o ápice juntos encostam no alvéolo,
enquanto a parte da frente da língua se eleva em direção ao palato duro.
PALATOGRAPHY PALATOGRAFIA
Estudo instrumental da articulação da área do palato.
PALILALIA PALILALIA
Distúrbio da linguagem que consiste na repetição espontânea das mesmas seqüências de
palavras várias vezes.
PANLECTAL PANLETAL
Termo usado por alguns sociolingüistas para indicar um modelo geral de gramática no
qual todas as variantes individuais podem interrelacionar-se, fornecendo assim um
modelo da competência passiva de um falante.
PARADIGM PARADIGMA
Termo básico da Lingüística usado para o conjunto de relações que uma unidade
lingüística tem com outras unidades em um contexto específico. Na Psicolingüística, o
termo é usado com referência a uma classe de respostas associativas das pessoas ao
ouvirem uma palavra de estímulo, ou seja, as respostas que recaem nas mesmas classes
de palavras que o estímulo.
PARALANGUAGE PARALINGUAGEM
Variações no tom de voz que parecem menos sistemáticas do que os traços prosódicos,
principalmente entonação e acentuação.
PARAMETRIC PHONETICS FONÉTICA PARAMÉTRICA
Abordagem à Fonética que considera a fala como um único sistema fisiológico, onde
operam continuamente as variáveis articulatórias dentro do aparelho fonador,
interagindo de diversas formas na dimensão do tempo, para produzir um contínuo de
sons que os ouvintes segmentam de acordo com as regras de suas línguas.
PARAPHRASE PARÁFRASE
Resultado ou processo de produzir versões alternativas de uma sentença ou texto sem
alterar o significado.
PAROLE PAROLE
Termo introduzido pelo lingüista Ferdinand de Saussure para distinguir entre este
termo, de um lado, e linguagem e língua, de outro. São os enunciados concretos
produzidos por um falante individual em situações reais, em oposição à língua, ou seja,
o sistema de língua coletivo de uma comunidade de fala.
PARONOMASIA PARONOMÁSIA
Figura de retórica que consiste em reaproximar palavras que apresentam uma
semelhança fônica ou um parentesco etimológico ou formal.
PARONYM PARÔNIMO
Palavras ou seqüências de palavras de sentidos diferentes, mas com a forma
relativamente aproximada, como, por exemplo, emigrante e imigrante ou locução e
locação.
PARTICLE PARTÍCULA
Item invariável com função gramatical e que não se adequa à classificação padrão de
classes de palavras, como, por exemplo, no inglês, a partícula to do verbo no infinitivo.
PERCEPTION PERCEPÇÃO
Na Fonética e na Psicolingüística, refere-se ao processo de recepção e decodificação da
fala pelo indivíduo.
PERFORMANCE PERFORMANCE / DESEMPENHO
Noção da Gramática Gerativa, que vê a língua como um conjunto de enunciados
específicos produzidos por falantes nativos, opondo-se à concepção idealizada de
língua, conhecida como competência.
PERFORMANCE GRAMMAR GRAMÁTICA DE DESEMPENHO
Abrange apenas as sentenças que um falante realmente usa (um exemplo de seu corpus).
PERIPHRASIS PERÍFRASE
Termo usado na descrição gramatical com referência ao uso de palavras separadas em
vez de flexões para exprimir a mesma relação gramatical.
PERLOCUTIONARY PERLOCUCIONÁRIO
Termo usado na teoria dos atos de fala para indicar um ato desempenhado quando um
enunciado atinge um efeito específico no comportamento, na crença, nos sentimentos
etc. de um ouvinte. Por exemplo, enunciados que amedrontam, insultam, ridicularizam,
convencem etc.
PHARYNGEAL FARINGAL
Adjetivo usado para se referir ao som produzido na faringe, a cavidade tubular que
constitui a garganta acima da laringe.
PHARYNGEALIZATION FARINGALIZAÇÃO
Qualquer articulação que envolva uma constrição na faringe.
PHILOLOGY FILOLOGIA
Estudo da história da língua, que tem por objeto o conhecimento das civilizações
passadas através dos documentos escritos que elas nos deixaram, permitindo-nos
compreender e explicar as sociedades antigas.
PHILOSOPHICAL LINGUISTICS LINGÜÍSTICA FILOSÓFICA
Ramo ainda pouco desenvolvido da Lingüística que estuda, por um lado, o papel da
língua em relação ao entendimento e à elucidação dos conceitos filosóficos e, por outro,
a condição filosófica das teorias, das observações e dos métodos lingüísticos.
PHONATION FONAÇÃO
Termo usado na Fonética para se referir a qualquer atividade vocal na laringe cujo papel
não é nem de iniciação nem de articulação.
PHONE FONE
Termo usado na Fonética para indicar o menor segmento discreto perceptível de som
em uma corrente da fala.
PHONEME FONEMA
De acordo com as teorias fonológicas tradicionais, a unidade mínima do sistema de sons
de uma língua.
PHONEMIC TRANSCRIPTION TRANSCRIÇÃO FONÊMICA
Processo em que são simbolizadas as unidades que têm função lingüística, ou seja, os
fonemas.
PHONETIC TRANSCRIPTION TRANSCRIÇÃO FONÉTICA
Processo que permite a análise dos sons com base em sua identidade articulatória ou
auditiva, independentemente de sua função na língua.
PHONETICIAN FONETICISTA
Especialista ou pesquisador em Fonética.

PHONETICS FONÉTICA
Ciência que estuda as características do som humano, especialmente quando usados na
fala, e que fornece métodos para sua descrição, classificação e transcrição.
PHONIC SUBSTANCE SUBSTÂNCIA FÔNICA
Expressão usada por alguns foneticistas e lingüistas para indicar a fala como um
conjunto de propriedades auditivas, articulatórias ou acústicas fisicamente definíveis.
PHONOLOGY FONOLOGIA
Ramo da Lingüística que estuda os sistemas de sons das línguas.
PHONOSTYLISTICS FONOESTILÍSTICA
Tem como objeto de estudo a função estética ou expressiva do som.
PHYLOGENY FILOGENIA
Termo que se refere à evolução histórica, ou diacrônica, e à decadência da língua em
comunidades de fala, ou conforme ela é apresentada em textos históricos.
PICTOGRAM PICTOGRAMA
Pictogramas são desenhos de tipos variados em uma ou mais cores que, afora seu
interesse ornamental ou estético, reproduzem o conteúdo de uma mensagem sem se
referir à sua forma lingüística. Esses desenhos narram uma história, mas sem relação
visível com um enunciado falado único, já que a história se reconstitui de forma
semelhante ao tema de um quadro.
PIDGIN PIDGIN
Termo usado na Sociolingüística com referência a uma língua que mostra uma redução
significativa de estrutura gramatical, léxico e estilística, em comparação com outras
línguas e que não é a língua nativa de ninguém.
PITCH PITCH
Termo do inglês que indica um ponto em uma escala da sensação auditiva. Traço
fonético correspondente, até certo grau, ao traço acústico de freqüência.
PLACE OF ARTICULATION PONTO DE ARTICULAÇÃO
Um dos principais parâmetros na classificação fonética dos sons da fala, e refere-se ao
local no aparelho fonador em que um som é produzido.
POLYLECTAL POLILETAL
Termo usado por alguns sociolingüistas quando se referem a um modelo proposto de
gramática que daria conta de muitas variantes da língua usada por um indivíduo e, por
extensão, da comunidade como um todo.
POLYSYNTHETIC POLISSINTÉTICO
Tipo de língua caracterizada na Lingüística Comparada, usando critérios estruturais e
não diacrônicos, e focalizando as características das palavras.
POSITION POSIÇÃO
Termo usado na Lingüística com referência a pontos funcionalmente contrastivos dentro
de uma unidade lingüística, como os fonemas dentro da sílaba ou da palavra, os
morfemas dentro das palavras etc. Na Fonética, o termo é usado para caracterizar a
organização dos órgãos da fala durante a articulação de um som.
PRAGMALINGUISTICS PRAGMALINGÜÍSTICA
Termo usado ocasionalmente no estudo da Pragmática, para se referir ao estudo do uso
da língua do ponto de vista dos recursos estruturais da língua.
PRAGMATICS PRAGMÁTICA
Estudo da língua do ponto de vista dos usuários, em especial as escolhas feitas, as
restrições encontradas ao usar a língua em interação social e o efeito de seu uso sobre
outros participantes em um ato de comunicação.
PREPOSING PREPOR
Termo usado na Gramática Gerativa com referência ao deslocamento de um constituinte
para uma posição anterior na sentença.
PRESCRIPTIVE PRESCRITIVO
Termo usado pelo lingüistas para caracterizar qualquer abordagem que tente colocar
regras de correção sobre como a língua deve ser usada.
PREVARICATION PREVARICAÇÃO
Uma propriedade proposta para a linguagem humana, referindo-se à maneira como as
línguas são capazes de informar mal, através da mentira, da ironia etc.
PRODUCTION PRODUÇÃO
Na Fonética e na Psicolingüística, o termo é usado em sentido geral para se referir ao
processo de planejamento e execução do ato da fala.
PRODUCTIVITY PRODUTIVIDADE
Capacidade criativa dos usuários da língua de produzir e entender um número
indefinidamente grande de sentenças.
PRO-FORM PROFORMA
Itens de uma sentença que substituem outros itens ou construções.
PROPOSITION PROPOSIÇÃO
Unidade de significação que constitui o assunto de uma afirmação, na forma de uma
sentença declarativa simples.
PROSCRIPTIVE PROSCRITIVO
Termo usado pelos lingüistas para caracterizar qualquer abordagem que tente
estabelecer regras de correção, enfatizando como a língua não deve ser usada.

PROTO- PROTO-
Prefixo usado na Lingüística Histórica para indicar uma forma lingüística ou um estado
de língua anterior a outras formas ou línguas confirmadas, tais como o proto-indo-
europeu ou o proto-romance.
PROXEMICS PROXÊMICA
Termo usado na Semiótica para se referir ao estudo das variações de postura, distância e
contato táctil na comunicação humana.
PSYCHOLINGUISTICS PSICOLINGÜÍSTICA
Ramo da Lingüística que estuda a correlação entre o comportamento lingüístico e os
processos psicológicos que se encontram por trás desse comportamento.
PURISM PURISMO
Termo usado pejorativamente na Lingüística para caracterizar uma escola de
pensamento que acha que a língua precisa ser preservada dos processos externos que
nela podem se infiltrar e provocar uma mudança, tais como pressões exercidas por
outros dialetos e línguas e as variações introduzidas pela fala coloquial.

QUALIFICATION QUALIFICAÇÃO
Termo usado na Sintaxe com referência a certos tipos de dependência estrutural de uma
unidade gramatical em relação a outra.
QUALIFIER QUALIFICADOR
Palavra ou sentença que limita o sentido de outro elemento.
QUALITY QUALIDADE
Em Fonologia e Fonética Auditiva, indica uma ressonância característica ou timbre de
um som resultante da variação de freqüências que constituem a identidade do som.
QUANTIFIER QUANTIFICADOR
Termo usado na análise semântica ou lógica, indicando um conjunto de itens que
exprimem contrastes de quantidade, tais como todos, alguns, cada etc.
QUANTITY QUANTIDADE
Na Fonologia, indica as relativas durações dos sons e sílabas quando são
lingüisticamente contrastivos; também chamada de extensão.

RATE OF ARTICULATION VELOCIDADE DE ARTICULAÇÃO


Na Fonética e na Fonologia, refere-se ao número de sílabas por segundo, palavras por
minuto, incidência de pausas etc.
RATE OF SPEECH VELOCIDADE DA FALA
Na Fonética e na Fonologia, refere-se à rapidez da fala; um termo alternativo é tempo.
REALIZATION REALIZAÇÃO
A expressão física de uma unidade lingüística abstrata. Os fonemas são realizados em
substância fônica como fones, e os morfemas, como morfes.
RECIPIENT RECEPTOR
Em algumas análises gramaticais de sentenças, geralmente se refere ao ser animado que
tem participação passiva no acontecimento ou estado expresso pelo verbo, como, por
exemplo, o objeto indireto.
RECONSTRUCTION RECONSTRUÇÃO
Método usado na Lingüística Histórica e na Filologia Comparada pelo qual um sistema
hipotético de sons ou formas representando um estado anterior, não mais existente, de
uma língua é estabelecido dedutivamente a partir de uma análise dos sons e formas
confirmadas a partir dos textos existentes.
RECURSIVE RECURSIVO
Termo usado na Lingüística Gerativa para indicar as regras capazes de ser aplicadas
repetidamente ao se gerar uma sentença e também às estruturas geradas dessa forma.
REDUNDANT REDUNDANTE
Descrição de um traço de som, de gramática etc., cuja presença é desnecessária para
identificar uma unidade lingüística ou para criar contrastes lingüísticos.
REDUPLICATION REDUPLICAÇÃO
Diversos tipos de repetição na estrutura de uma palavra. Na Lingüística Histórica, o
termo refere-se ao processo de repetição através do qual a forma de um prefixo ou
sufixo reflete certas características fonológicas da raiz.
REFERENCE REFERÊNCIA
Relação entre a expressão lingüística e a entidade do mundo externo a que se refere. Na
análise gramatical, o termo é usado para indicar uma relação de identidade existente
entre as unidades gramaticais.
REGISTER REGISTRO
Na Fonética, refere-se à qualidade de voz produzida por uma determinada constituição
fisiológica da laringe. Na Estilística e na Sociolingüística, o termo refere-se a uma
variante de língua definida de acordo com seu uso em situações sociais. Na
Sociolingüística, o termo também é usado como parte de uma classificação das
variações da interação falada, referindo-se ao tom, à maneira ou ao espírito com que é
realizado um ato de fala.
RELATION RELAÇÃO
Na Fonética e na Lingüística, refere-se às conexões lingüisticamente significativas entre
dois ou mais elementos de uma língua, como equivalência, contraste, inclusão, regência.
RELATIVE UNIVERSALS UNIVERSAIS RELATIVOS
Tendências gerais das línguas, com possíveis exceções, em princípio.
RELATIVITY RELATIVIDADE
Termo usado para identificar uma visão influente da relação entre a língua e o
pensamento, conhecida como relatividade lingüística.
RELEXIFICATION RELEXIFICAÇÃO
Termo usado na Sociolingüística com referência a uma teoria preocupada com as
origens e as relações entre as línguas pidgins e crioulas.
REPAIR REPARO
Termo usado na análise de conversação e na análise do discurso que se refere ao fato de
os participantes de uma conversa tentarem melhorar uma deficiência, real ou
imaginária, na interação, quando, por exemplo, alguém não ouviu bem ou não entendeu
direito.
REPERTOIRE REPERTÓRIO
Termo usado na Sociolingüística com referência à quantidade de línguas ou variantes de
uma língua disponíveis para o falante, cada uma delas possibilitando-lhe desempenhar
um determinado papel social.
RESONANCE RESSONÂNCIA
Termo derivado da Física do Som e usado na Fonética Acústica, para indicar as
vibrações do deslocamento do ar no aparelho fonador, que são postas em movimento
por uma fonte de fonação.
RESULTATIVE RESULTATIVO
Termo usado na Gramática e na Semântica para indicar uma oração ou elemento cuja
significação exprime uma noção de conseqüência ou efeito.
RETRACTION RETRAÇÃO
Termo usado na Fonética com referência ao movimento para trás de um articulador,
especialmente a parte posterior da língua em direção ao palato mole.
RETROFLEX RETROFLEXO
Termo usado na classificação fonética dos sons consonantais, para se referir aos sons
feitos quando o ápice da língua está curvado para trás na direção da parte anterior do
palato duro, ou seja, logo atrás do alvéolo.

RHETORIC RETÓRICA
Estudo da fala ou escrita persuasiva ou efetiva, principalmente como praticada na
oratória pública.
RHYTHM RITMO
Na Fonologia, refere-se a uma regularidade percebida nas unidades proeminentes na
fala.
ROOT RAIZ
Forma base de uma palavra, que não pode mais ser decomposta, para não perder sua
identidade.
ROOT-INFLECTED FLEXIONADA NA RAIZ
Tipo de língua em que as flexões afetam a estrutura fonológica interna da raiz.
ROUNDING ARREDONDAMENTO
Termo usado na Fonética para indicar a aparência visual dos lábios quando assumem
um formato arredondado.
RULE NORMA
O sentido geral do termo é usado na Lingüística com referência a uma prática
padronizada na fala ou na escrita.

SANDHI SÂNDI
Termo usado na Sintaxe e na Morfologia para indicar uma modificação fonológica de
formas gramaticais que ficaram justapostas.
SAUSSURE, F. FERDINAND DE SAUSSURE
(1857-1913) Lingüista suíço cujas idéias teóricas são amplamente consideradas base da
fundação da Lingüística como ciência.
SCOPE ESCOPO
Termo usado na Sintaxe, Semântica e Pragmática com referência a uma extensão da
língua afetada pela significação de uma determinada forma.
SCOPE OF NEGATION ESCOPO DE NEGAÇÃO
Em inglês, por exemplo, o escopo de negação normalmente se estende da palavra
negativa até o final da oração. Isso permite contrastes semânticos como I deliberately
didn’t ask her (Eu não perguntei a ela) e I didn’t deliberately ask her (Eu perguntei a
ela, mas por acaso).
SECONDARY ARTICULATION ARTICULAÇÃO SECUNDÁRIA
Termo que se refere ao ponto de articulação com menor grau de constrição, em um som
produzido em dois pontos de articulação como a labialização e a palatalização.
SEGMENT SEGMENTO
Termo usado na Fonética e na Lingüística com referência a qualquer unidade discreta
que pode ser identificada, seja física ou auditivamente, na fala corrida.
SEGMENTAL PHONOLOGY FONOLOGIA SEGMENTAL
Estudo da fala em unidades distintivas, ou fonemas, que têm uma correspondência
bastante direta com os segmentos fonéticos.

SEGMENTATION SEGMENTAÇÃO
Processo de análise da fala em segmentos.
SEGMENTATOR SEGMENTADOR
Dispositivo que reproduz uma gravação da fala a pequenos e variados intervalos de
tempo, permitindo um estudo mais detalhado dos segmentos produzidos.
SELF-INITIATED REPAIR REPARO AUTO-INICIADO
Reparo feito pelo falante sem que o ouvinte o provocasse, como, por exemplo, o uso
espontâneo de quer dizer, ou seja etc.
SEMANTIC SEMÂNTICA
Importante ramo da Lingüística dedicado ao estudo da significação dentro da língua.
SEMANTIC FIELDS (THEORY OF) CAMPOS SEMÂNTICOS (TEORIA DE)
Abordagem desenvolvida na década de 30 e que considerava o vocabulário de uma
língua não como uma mera lista de itens independentes, mas organizado em áreas, ou
campos, dentro dos quais as palavras se interrelacionam e se definem de várias
maneiras.
SEMANTIC RELATIONS RELAÇÕES SEMÂNTICAS
Relações de sentido ou significação como sinonímia e antonímia.
SEMANTICITY SEMANTICIDADE
Capacidade de um sistema transmitir significação por meio de ligações associativas que
relacionam os sinais do sistema aos traços do mundo exterior.
SEMANTICS SEMÂNTICA
Ramo da Lingüística dedicado ao estudo da significação dentro da língua.
SEMILINGUAL SEMILÍNGÜE
Aquele que adquire duas ou mais línguas, mas sem proficiência de nativo em nenhuma
delas.
SEMIOTICS SEMIÓTICA
Estudo científico das propriedades dos sistemas de comunicação, sejam eles naturais ou
artificiais.
SENSE SENTIDO
Sistema de relações lingüísticas que um item lexical contrai com outros itens lexicais,
ou seja, as relações paradigmáticas de sinonímia, antonímia etc. e as relações
sintagmáticas de colocação.
SENTENCE SENTENÇA
Maior unidade estrutural em termos da qual está organizada a gramática de uma língua.
SEQUENCE SEQÜÊNCIA
Sucessão observável de unidades em um enunciado ou texto.
SEQUENCING SEQÜENCIAMENTO
Influência de estruturas sucessivas umas sobre as outras. No ensino de língua, refere-se
à ordem em que é apresentada para o aluno uma série graduada de itens.
SIGN SIGNO
Expressões lingüísticas, como palavras ou sentenças, das entidades, dos acontecimento
ou dos conceitos envolvidos a que remetem.
SIGN LANGUAGE LINGUAGEM DE SINAIS
Termo que se refere, em sentido restrito, ao sistema de comunicação manual elaborado
por certos grupos como uma alternativa para a comunicação oral.
SITUATION SITUAÇÃO
Em geral se refere ao ambiente extralingüístico no qual acontece um enunciado, levando
em conta noções como o número de participantes, o nível de formalidade, a natureza das
atividades em curso e assim por diante.
SITUATIONAL CONTEXT CONTEXTO DE SITUAÇÃO
A Lingüística salienta a necessidade de estudar a língua em sua situação, ou em seu
contexto de situação, para que se obtenha uma completa explicação de significação.
SOCIOLECT SOCIOLETO
Termo usado por alguns sociolingüistas para indicar uma variante lingüística ou leto,
definido com base em critérios sociais, correlacionando-o com uma determinada classe
social ou grupo social.
SOCIOLINGUISTICS SOCIOLINGÜÍSTICA
Ramo da Lingüística que estuda todos os aspectos da relação entre a língua e a
sociedade.
SOCIOPRAGMATICS SOCIOPRAGMÁTICA
Termo às vezes usado nos estudos da Pragmática para indicar a maneira como as
condições de uso da língua se originam da situação social.
SOFT PALATE PALATO MOLE
Na Fonética, o palato constitui toda a área desde o alvéolo até a úvula, sendo o palato
mole ou velum a constituição carnosa e móvel até a úvula.
SONORITY SONORIDADE
Termo da Fonética Auditiva que indica a altura global de um som em relação a outros
do mesmo pitch, acento e duração.
SPEECH COMMUNITY COMUNIDADE DE FALA
Qualquer grupo humano definido regional ou socialmente e identificado pelo mesmo
sistema lingüístico.
SPEECH EVENT EVENTO DE FALA
Unidade básica para a análise da interação falada, ou seja, focaliza o papel dos
participantes ao construírem um discurso de intercâmbio verbal.
SPEECH PERCEPTION PERCEPÇÃO DA FALA
Engloba a percepção e a interpretação das seqüências dos sons da fala.
SPEECH PRODUCTION PRODUÇÃO DA FALA
Engloba o planejamento e a execução do ato de falar.
SPEECH RECOGNITION RECONHECIMENTO DA FALA
Identificação do estágio inicial do processo de decodificação envolvido na percepção da
fala, e também a decodificação automática da fala por um instrumento.
SPEECH-ACT ATO DE FALA
Atividade comunicativa definida com relação às intenções do falante durante a
conversação e aos efeitos produzidos sobre o ouvinte.
STANDARD PADRÃO
Na Sociolingüística, refere-se a uma variante da língua prestigiada pela comunidade de
fala. Na Lingüística e na Fonética, há o sentido geral de uma organização sistemática de
unidades.
STATEMENT AFIRMAÇÃO
Sintaticamente, afirmação é uma sentença que contém um sujeito e um verbo.
Semanticamente, a afirmação é usada principalmente para transmitir informação. O
termo geralmente está em oposição às três outras importantes funções da oração:
interrogação, comando e exclamação.
STATISTICAL LINGUISTICS LINGÜÍSTICA ESTATÍSTICA
Ramo da Lingüística que estuda a aplicação das técnicas estatísticas à teoria e à
descrição lingüísticas. Pesquisa a análise da freqüência e distribuição das unidades
lingüísticas nos textos, a fim de identificar as características distintivas do falante ou do
escritor (como na estiloestatística).
STATISTICAL UNIVERSALS UNIVERSAIS ESTATÍSTICOS
Restrições de tipo estatístico, como a proporção de uso entre estruturas diferentes.
STRESS ACENTO
Termo usado em Fonética para se referir ao grau de força ou intensidade ao se produzir
uma sílaba.
STRING CADEIA
Termo usado em Lingüística, principalmente na Gramática Gerativa, com referência a
uma seqüência linear de elementos de determinada extensão e constituição.
STRONG FORM FORMA FORTE
Uma das duas pronúncias possíveis de uma palavra no contexto do discurso corrido,
resultante de uma ênfase dada a uma palavra da sentença.
STRUCTURAL SEMANTICS ESTRUTURA SEMÂNTICA
Aplicação dos princípios da Lingüística Estrutural ao estudo da significação através das
relações semânticas.
STRUCTURALISM ESTRUTURALISMO
Termo usado na Lingüística para nomear qualquer abordagem de análise da língua que
focalize os traços lingüísticos como estruturas e sistemas.
STYLISTICS ESTILÍSTICA
Ramo da Lingüística que estuda as características do usos distintivos da língua, de
acordo com a situação, tentando estabelecer princípios capazes de explicar as opções
feitas por indivíduos ou grupos sociais quando utilizam a língua.
STYLOSTATISTICS ESTILOESTATÍSTICA
Tem como objeto de estudo a quantificação dos padrões estilísticos e se ocupa da
estrutura estatística de textos literários.
SUBSTANCE SUBSTÂNCIA
Refere-se à matéria com a qual a língua é construída, como as ondas de sons da fala e as
marcas de escrita.

SUBSTANTIVE UNIVERSALS UNIVERSAIS SUBSTANTIVOS


Elementos primitivos de uma gramática, necessários para a análise de dados lingüísticos
como sintagma nominal ou sintagma verbal.
SUBSTITUTION SUBSTITUIÇÃO
Termo usado na Lingüística com referência ao processo ou resultado de se colocar um
item no lugar de outro em um determinado lugar da estrutura.
SUBSTITUTION CLASS CLASSE DE SUBSTITUIÇÃO
Conjunto de itens que podem ser usados paradigmaticamente em um determinado lugar.
SUBSTITUTION FRAME ESQUEMA DE SUBSTITUIÇÃO
Na gramática, o contexto estrutural em que acontece a substituição.
SUBSTRATE SUBSTRATO
Termo usado na Sociolingüística e na Lingüística Histórica para indicar uma variedade
lingüística ou conjunto de formas que influenciaram a estrutura ou uso de uma variante
ou língua dominante em uma comunidade.
SUBSTRING SUBCADEIA
Parte da cadeia que, por sua vez, é também uma cadeia.
SUFFIX SUFIXO
Termo usado na Morfologia indicando um afixo acrescentado após uma raiz ou um
radical.
SUPERFIX / SUPRAFIX SUPERFIXO / SUPRAFIXO
Termo usado na Fonética e na Fonologia com referência a um efeito vocal que se
estende por mais de um segmento de som do enunciado, principalmente no contexto de
uma estrutura gramatical específica.
SUPPLETION SUPLEÇÃO
Termo usado na Morfologia para indicar os casos em que não é possível mostrar uma
relação entre morfemas através de uma regra geral, porque as formas envolvidas têm
raízes diferentes.
SUPRAGLOTTAL SUPRAGLOTAL
Termo usado na Fonética com referência à área total do aparelho fonador acima da
glote.
SUPRA-SEGMENTAL PHONOLOGY FONOLOGIA SUPRA-SEGMENTAL
Estudo dos traços de fala que se estendem por mais de um segmento, como a entonação
ou a harmonização vocálica.
SURFACE SRUCTURE ESTRUTURA SUPERFICIAL
Estágio final da representação sintática de uma sentença, a cadeia do componente
fonológico da gramática, e que corresponde à estrutura de uma sentença como a
articulamos e ouvimos.
SYLLABLE SÍLABA
Unidade de pronúncia maior do que um som e menor do que uma palavra.
SYNCRETISM SINCRETISMO
Termo originalmente usado na Lingüística Histórica com referência à fusão de formas a
partir da perda de flexões.
SYNTAGM SINTAGMA
Termo usado na análise gramatical com referência a um elemento ou estrutura com mais
de uma palavra, mas sem a estrutura de sujeito-predicado típica das orações.
SYNTATIC COMPONENT COMPONENTE SINTÁTICO
Uma das três unidades principais de organização de uma gramática (as outras são a
fonologia e a semântica) e contém as regras de estrutura frasal e transformacionais para
a geração das estruturas sintáticas.
SYNTAX SINTAXE
Termo tradicional para o estudo das regras que regem a maneira como as palavras se
combinam para formar as sentenças de uma língua.
SYSTEM SISTEMA
No sentido geral, refere-se a uma rede de relações padronizadas que constituem a
organização da língua.

TACIT KNOWLEDGE CONHECIMENTO TÁCITO


Conhecimento que um falante nativo tem de sua língua, e refere-se ao fato de que são
inconscientes suas intuições sobre a maneira como é estruturada e funciona sua língua.
TAXONOMY TAXONOMIA
Abordagem da descrição e análise lingüística, predominante ou exclusivamente voltada
para a classificação.
TEMPO TEMPO
A aplicação no sentido geral do termo na Fonética e na Fonologia refere-se à velocidade
de fala; também conhecido como velocidade.
TENSION TENSÃO
Termo que na classificação fonética dos sons da fala refere-se a toda a tensão muscular
produzida por um som.
TEXT TEXTO
Termo pré-teórico usado na Lingüística e na Fonética com referência a um contínuo da
língua gravado para o propósito de análise e descrição.
THEME TEMA
O primeiro constituinte importante de uma sentença, e refere-se não ao assunto da
sentença, mas à maneira como um falante identifica a importância relativa desse
assunto.
THEORETICAL GRAMMAR GRAMÁTICA TEÓRICA
Usa os dados lingüísticos como um meio de desenvolver entendimentos teóricos sobre a
natureza da pesquisa lingüística em si, e sobre as categorias e processos necessários para
uma análise lingüística bem-sucedida.
TIMBRE TIMBRE
Atributo da sensação auditiva em termos do que o ouvinte pode considerar como a
diferença entre sons que têm pitch, altura e extensão idênticos.
TONE TOM
Termo usado na Fonologia para indicar o nível de pitch distintivo de uma sílaba.
TONEME TONEMA
Termo que se dá aos tons contrastivos de uma língua, em estudo realizado pela
tonêmica.
TONETICS TONÉTICA
Estudo das propriedades fonéticas do tom.
TONICITY TONICIDADE
Termo usado por alguns analistas de entonação, para indicar a sílaba de um grupo tonal
que porta a proeminência máxima, em geral devido a uma mudança de pitch.
TRADITIONAL GRAMMAR GRAMÁTICA TRADICIONAL
Refere-se à variedade de atitudes e métodos encontrados na fase pré-lingüística do
estudo gramatical.
TRANSCRIPTION TRANSCRIÇÃO
Método de escrever os sons da fala de forma sistemática e consistente, também
conhecido como notação.
TRANSFORMATION TRANSFORMAÇÃO
Operação lingüística formal que permite a correspondência entre dois níveis de
representação estrutural.
TRANSITION TRANSIÇÃO
Termo usado na Fonologia com referência à maneira como sons adjacentes são ligados.
TRANSITIONAL TRANSICIONAL
Termo usado na Fonética Acústica para a mudança acústica ocorrida nas posições
articulatórias das consoantes, em especial as oclusivas.

TRILL TRILL
Termo do inglês usado na Fonética para caracterizar o som consonantal cujo modo de
articulação é marcado por batidas rápidas de um órgão da articulação contra outro.
Corresponde, em português, à vibrante múltipla /ř/ como em carro.

UNDEREXTENSION SUBEXTENSÃO
Termo usado nos estudos da aquisição da linguagem para indicar um tipo de relação
entre a significação do adulto e a da criança quando expressa por itens lexicais. Na
subextensão, o item lexical da criança em uma aplicação mais restrita do que seu
equivalente na linguagem adulta.
UNDERLYING SUBJACENTE
Termo usado na Lingüística com referência a um nível abstrato de representação de uma
sentença, postulado a fim de explicar os padrões encontrados nos dados empíricos de
uma língua.
UNIVERSAL GRAMMAR GRAMÁTICA UNIVERSAL
As pesquisas que não se concentram apenas no estudo de línguas separadas, mas tentam
estabelecer as características universais da linguagem humana em geral, têm como meta
uma gramática universal.
USAGE USO
Termo que se refere aos hábitos de fala e escrita de uma comunidade, especialmente
quando são apresentados de forma descritiva, com informações sobre as preferências em
relação a formas lingüísticas alternativas.
UVULAR UVULAR
Termo usado na classificação fonética para se referir a um som feito com o dorso da
língua contra a úvula.

VALENCY VALÊNCIA
Refere-se ao número e ao tipo de laços que podem existir entre os elementos sintáticos
VALENCY GRAMMAR GRAMÁTICA DE VALÊNCIAS
Apresenta um modelo de sentença contendo um elemento fundamental, em geral um
verbo, e um certo número de elementos dependentes, cujos número e tipo são
determinados pela valência atribuída ao verbo.
VARIANT VARIANTE
Termo usado na Sociolingüística e na Estilística para indicar qualquer sistema de
expressão lingüística cujo uso seja dependente de variáveis de situação. Na Lingüística,
refere-se a uma forma lingüística que faz parte de um conjunto de alternativas de um
determinado contexto.
VELAR VELAR
Termo usado na classificação fonética dos sons consonantais, para se referir a um som
produzido com o dorso da língua contra o palato mole.
VOCABULARY VOCABULÁRIO
A Lingüística usa este termo em seu sentido cotidiano como uma lista de palavras,
reservando para seus estudos técnicos outros termos como léxico.
VOCALIZATION VOCALIZAÇÃO
Termo geral usado na Lingüística e na Fonética com relação a um enunciado visto
apenas como uma seqüência de sons.
VOICE VOZ
Categoria usada na descrição gramatical das sentenças ou orações, principalmente com
referência aos verbos, para exprimir uma maneira como as sentenças podem alterar a
relação entre o sujeito e o objeto de um verbo, sem mudar a significação da sentença.

WEAK FORM FORMA FRACA


Uma das duas pronúncias possíveis de uma palavra no contexto do discurso corrido, e
que ocorre quando uma palavra não é enfatizada.
WORD ORDER ORDEM DAS PALAVRAS
Expressão usada na análise gramatical com referência à organização seqüencial das
palavras em unidades lingüísticas maiores.

ZERO ZERO
Termo usado em algumas áreas da Lingüística com referência a uma unidade abstrata
postulada por uma análise, mas que não tem realização física na fala.
BIBLIOGRAFIA
ALMEIDA FILHO, José Carlos; SCHMITZ, John Robert. Glossário de lingüística
aplicada. Campinas: Pontes, 1998. 277 p.
CAMARA JR., J. Mattoso. Dicionário de lingüística e gramática. 23. ed. Petrópolis:
Vozes, 2002. 262 p.
CAMARA JR., J. Mattoso. Princípios de lingüística geral. 7. ed. Rio de Janeiro: Padrão
Livraria, 1989. 333 p.
CRYSTAL, David. Dicionário de lingüística e fonética. Rio de Janeiro: Jorge Zahar
Editor, 1985. 275 p.
CRYSTAL, David. The Penguin dictionary of language. 2. ed. Suffolk: Penguin Books,
1999. 390 p.
DUBOIS, Jean et al. Dicionário de lingüística. São Paulo: Cultrix, 1973. 653 p.
HENKEL, Jacqueline M. The language of criticism: Linguistic models and literary
theory. New York: Cornell University Press, 1996. 212 p.
INSTITUTO ANTÔNIO HOUAISS. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de
Janeiro: Objetiva, 2001. 2922 p.
KEHDI, Valter. Formação das palavras em português. São Paulo: Ática, 2001. 69 p.
SAUSSURE, F. Curso de lingüística geral. São Paulo: Cultrix. 279 p.