Vous êtes sur la page 1sur 38

FACULDADE EDUCACIONAL DA LAPA

LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

FERNANDA DA CONCEIÇÃO DE ALMEIDA CUNHA: 160107008


MARLETE ALVES: 160108126

SÃO FRANCISCO DO SUL SC


2017
FACULDADE EDUCACIONAL DA LAPA
LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Trabalho apresentado como requisito parcial


para a atribuição de nota na disciplina de
Estágio Supervisionado na Gestão Educacional,
do curso de Licenciatura em Pedagogia da
Faculdade Educacional da Lapa – FAEL.

Orientador: Prof. (a). Nome Completo (nome


do professor que orientou a correção dos planos
de aula.

FERNANDA DA CONCEIÇÃO DE ALMEIDA CUNHA 160107008


MARLETE ALVES 160108126

SÃO FRANCISCO DO SUL


2017
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ............................................................................................................... 15
2 DESENVOLVIMENTO ................................................................................................. 16
2.1 CARACTERIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃO ...................................................................................... 18
2.2 INCLUSÃO NA ESCOLA ESTAGIADA ....................................................................................... 20
2.3 OBSERVAÇÃO PARTICIPANTE DA TURMA ................................................................................... 21
2.3 DESCRIÇÃO DA DOCÊNCIA .................................................................................................... 23
3 CONSIDERAÇÕES FINAIS .............................................................................................. 26
REFERÊNCIAS ..................................................................................................................... 27
ANEXOAFICHAS DE AVALIAÇÃO.................................................................................... 28
ANEXO B PLANOS DE AULA..............................................................................................29
15

1 INTRODUÇÃO

O presente trabalho refere-se ao Relatório de Estágio Supervisionado na Educação


Infantil no Centro Municipal de Educação Infantil CMEI Pedacinho do Céu.
Objetivou observar a prática em sala de aula conhecimentos e habilidades relativas a
profissão docente. Segundo (GADOTTI 1998 p.76), É na prática que o educador se educa. Ao
estagiar, o futuro professor passa a enxergar a educação com outro olhar, procurando entender
a realidade da escola e o comportamento dos alunos e dos professores e dos profissionais que
compõem. Com isso faz uma nova leitura do ambiente (escola, sala aula comunidade),
procurando meios para intervir positivamente (JANUARIO,2008)
Segundo a (LDB n. 9394/96 em seu Art. 29) destaca a educação infantil é a primeira
etapa da educação básica tem como finalidade o desenvolvimento integral de crianças de 0 a 5
anos de idade, em seus aspectos físicos psicológico, intelectual e social [...]
Para realização deste trabalho foram realizadas observações participantes em salas do
berçário ao pré. Foram planejados e aplicados dez planos sendo: um berçário, dois no pré, três
no maternal, quatro no jardim. Para cada planejamento aplicado em sala usou-se como pratica
pedagógica jogos e brincadeiras, por meio da interação crianças e crianças, criança professor.
Para Piaget (1978), ao brincar a criança utiliza suas estruturas cognitivas e coloca em
prática ações que estimulam sua aquisição de conhecimentos. Portanto o brincar na educação
infantil é fundamental pois possibilita sua integração social sem deixar de considera-la como
criança.
O texto deste relatório está subdividido da seguinte forma: esta introdução, que
apresenta de forma geral o conteúdo de trabalho, o desenvolvimento que apresenta a
caracterização da instituição, a observação frente aos processos de inclusão.
16

2 DESENVOLVIMENTO

Neste item do relatório serão apresentados os relatos de todas as etapas cumpridas no Estágio
Supervisionado de Educação Infantil, articulando-se a descrição das observações e ações
realizadas com o referencial teórico pertinente a cada situação informada.

A observação da prática docente revelou-se essencial para fundamentar as ações e ideias sobre
a educação infantil. Na educação infantil torna-se essencial o cuidar e educar, oportunizar,
despertar as capacidades proporcionando uma aprendizagem significativa, considerando as
necessidades das crianças que quando observadas ouvidas e respeitadas estabelecem vínculos
com o educador. Segundo Kuhlmann (1998), a educação de uma criança pequena envolve seu
cuidado, por isso destaca-se o papel de educar e cuidar atribuído as intenções de educação
infantil. Conforme o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil (1998)
compreender conhecer e reconhecer o jeito particular das crianças serem e estarem no mundo é
o grande desafio da educação infantil e de seus profissionais. Portanto o trabalho do educador
deve estar centrado na organização do tempo na escolha dos correta dos conteúdos nas escolhas
das rotinas como hábitos de asseio organização com ambiente e cuidados próprios.

A cada faixa etária considera-se um trabalho diferenciado. No berçário por exemplo trabalha-
se o movimento, como ponto de partida para estimular e tonificar equilibrar os primeiros
movimentos mais complexos, preparando-os para explorar o ambiente e os objetos a sua volta.
Por intermédio dos movimentos a criança usa seu corpo como forma de comunicação,
expressando seus desejos buscando desafiar a si própria. Conforme Fonseca (2008 p. 24), o
movimento surge como uma das principais formas de comunicação da vida psíquica do bebe.

Dos três anos em diante quando a criança passa para a fase seguinte de seu desenvolvimento na
sala do maternal, é evidente a sua transformação nos aspectos motores, pois nesta fase ela já é
capaz de manusear objetos com confiança e desempenha algumas atividades proposta pelo
professor como: cortar, colar, pintar e os cuidados com sigo mesma, escovar os dentes colocar
e tirar os sapatos, etc.

A passagem do ato motor ao ato mental opera-se por meio


do reconhecimento do corpo, uma representação vivida
experiencialmente e integrada contextualizada, isto é uma
integração sensorial e perceptiva da experiência vivido e
materializado pela motricidade, seletivamente diferenciada
pela capacidade da criança se reconhecer. (Fonseca, 2008,
p.32).
17

Na fase seguinte dos quatro a cinco anos nas salas do jardim e pré as atividades são elaboradas
com intencionalidade educativa segue-se os Referenciais Curriculares Nacionais e seus eixos
de trabalho onde são eles: movimento, música, artes visuais, linguagem oral e escrita, natureza
e sociedade matemática. A cada planejamento das atividades espera-se obter objetivos que
propicie o aprendizado e sua integração. Para (Hoffmann 2001) a organização e planejamento
das atividades diárias proporcionam ao professor a reflexão de suas ações e metodologia
analisando os resultados de seu projeto. Por intermédio da brincadeira as atividades ganham um
interesse a mais, pois é evidente como a brincadeiras e jogos fazem parte da vivencia da criança
tornando-se parte do seu viver. Considerar a brincadeira como parte da educação infantil faz
com que a criança se sinta motivada a participar e assim ela interage brinca imagina cria seu
mundo de faz de conta. Segundo (Winnicott p.78) [...] brincando a criança aprende sobre o
mundo que a cerca tem a oportunidade de procurar a melhor foram de integrar-se a esse mundo
que já encontra pronto ao nascer. Segundo Oliveira (2000) o brincar não significa apenas
recrear, é muito mais, caracterizando-se como uma das formas mais complexas que a criança
tem de comunicar-se consigo mesma e com o mundo, ou seja, o desenvolvimento acontece
através de trocas recíprocas que se estabelecem durante toda sua vida. Assim, através do brincar
a criança pode desenvolver capacidades importantes como a atenção, a memória, a imitação, a
imaginação, ainda propiciando à criança o desenvolvimento de áreas da personalidade como
afetividade, motricidade, inteligência, sociabilidade e criatividade. Zanluchi (2005, p. 89)
reafirma que “Quando brinca, a criança prepara-se a vida, pois é através de sua atividade lúdica
que ela vai tendo contato com o mundo físico e social, bem como vai compreendendo como
são e como funcionam as coisas. Assim, destacamos que quando a criança brinca, parece mais
madura, pois entra, mesmo que de forma simbólica, no mundo adulto que cada vez se abre para
que ela lide com as diversas situações.

Portanto, a brincadeira é de fundamental importância para o desenvolvimento infantil na


medida em que a criança pode transformar e produzir novos significados. Nas situações em que
a criança é estimulada, é possível observar que rompe com a relação de subordinação ao objeto,
atribuindo-lhe um novo significado, o que expressa seu caráter ativo, no curso de seu próprio
desenvolvimento.
18

2.1 CARACTERIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃO

O Estágio Supervisionado na Educação Infantil foi realizado no centro Municipal de Educação


Infantil Pedacinho do Céu, que está situada na Rodovia Duque de Caxias / sn, no bairro Ubatuba
em São Francisco do Sul – SC, telefone (47) 3449-5326. O estágio foi realizado no período
matutino nas datas 14 de agosto de 2017 a 22 de setembro de 2017. Conforme combinado com
a coordenadora do CMEI e professora regente de cada turma. Sendo apresentada às crianças,
pela professora, que ficaram cheias de contentamento por contar com uma nova integrante para
interagir, brincar e aprender. Hoje o C.M.E.I., tem capacidade para 110 crianças, mas
atualmente com 85 alunos, atende crianças de 4 meses a 03 anos, divididas em cinco turmas
distintas: Berçário 18 crianças no período integral de 4 meses a 2 anos, no Maternal 20 crianças
no período integral de 2 anos a 3 anos, no Jardim I 16 crianças período integra 3 anos, Jardim
II 14 crianças período integral com 3 anos, Jardim III 12 crianças período integral 3 anos. O
atendimento inicia às 07:00 horas da manhã e se estende até ás 17:30horas. A rotina do C.M.E.I.
é, organizada, mas bastante flexível propiciando momentos de interação e trocas,
desenvolvendo um trabalho direcionado ao afeto e respeito com o outro, nas atividades como:
comer, dormir, trocar fraldas, etc. As crianças chegam por volta das 07:00 até as 08: 30horas,
se inicia chegada e recepção, organização da sala e das matérias, é servido o café da manhã para
as crianças, higiene pessoal, participam de atividades didático-pedagógicas (educação-física e
Artes), brincadeiras ao ar livre, almoçam, fazem a higiene bucal e dormem. Ao acordarem elas
lancham, fazem as atividades didática- pedagógica (Educação-física e Artes), brincadeiras ao
ar livre, higiene e troca de roupa, jantam, fazem higiene bucal, fazem a organização da sala de
aula juntos e com seus professores, aguardam por seus pais, que chegam por volta das 17:00
horas às 17:30 horas. A relação professor e aluno é de atenção, carinho, cuidado amizade, e
aprendizagem. As docentes descrevem as crianças com: animadas, espertas interessadas e
curiosas. O prédio é construído em alvenaria com pavimentação em piso cerâmico, com 5 salas
dividas para as faixas etárias dos alunos, todas com as paredes decoradas com desenhos, letras,
números, cartazes, data de aniversário, todas feitas pelas professoras em conjunto com as
crianças. Lembrando que através dessa atividade de interação em momento de decorar a sala,
as crianças se desenvolvem e aprendem. Podemos concluir então que é o aprendizado que
propicia o desenvolvimento dos processos internos do ser humano com a sua relação com o
contexto sociocultural em que vive a sua situação de organismo, não podendo se desenvolver
sem a mediação do outro. Silva (2007, p.13).
19

Há uma cozinha em bom funcionamento bem equipada, possui 02 banheiros em bom estado de
conservação com 03 sanitários e pia adaptadas para as crianças, trocador de fraldas, e 1 banheiro
para os funcionários. Na recepção há um armário e um arquivo com matérias e registros sobre
o Centro Municipal de Educação Infantil. A instituição possui livros didáticos, literatura
infantis, jornas, revistas, aparelho de som com CD, televisor com vídeo e matérias didáticos,
para auxiliar o professor em seus estudos e na elaboração de suas atividades.
O corpo docente é formado por 15 professoras sendo um de Educação-física e duas de Artes,
que se dividem em turmas para melhor atender as necessidades das crianças, 01coordenadora,
01merendeira, 01servente.
A avaliação institucional é suporte para uma reflexão consciente e promovedora de
reconstruções em pontos frágeis que temos em nossa instituição infantil, é subsidio para busca
de melhoria da instituição num todo. A avaliação institucional dar-se à: entre os membros que
compõem o quadro de funcionários da instituição, mediante relatos escritos e orais; com os pais
e ou responsáveis por meio de questionamento em caminhados para os mesmos; os relatórios
serão analisados, servindo de referência para uma reflexão transformadora das ações já
instituídas, reforçando os resultados positivos e reconstruindo os que necessitam ser
melhorados. A avaliação da aprendizagem do processo ensino-aprendizagem pode ser
entendida como um conjunto de ações pedagógicas desenvolvidas através das constatações da
aprendizagem da criança, feita através do portfólio. Essa avaliação tem a função de significar e
orientar a pratica educativa, a avaliação é semestral. Os pais como participes desse processo,
tem o direito e o dever de acompanhar todo o desenvolvimento da aprendizagem de seus filhos,
como os avanços, as conquistas ou eventuais dificuldade, a fim de compreender todo o processo
educativo, seus objetivos e as ações desenvolvida pela instituição.
As reuniões pedagógicas ocorrerão mensalmente conforme os cronogramas enviados a
Secretaria da Educação e cultura.
As reuniões com os pais ocorrerão sempre que for necessário, para tratarmos de assuntos
relevantes a aprendizagem da criança de avaliações e outros. Atuar na educação inclusiva é um
grande desfio para alguns professores, pois estes algumas vezes não possuem um preparo
adequado para lidar com a situação e precisam reestruturar-se de acordo com as novas
demandas deste ambiente. Segundo Raiça, Prioste e Machado (2006, p. 43-44), AS queixas de
despreparo para trabalhar com criança que possuem necessidades educacionais especiais são
frequentes. O despreparo, do qual os professores se queixam, não deixam de ser reflexo de um
20

desarranjo maior, que alcança as bases da educação, envolvendo a formação de educadores, a


estrutura curricular do ensino, tocando até mesmo nos princípios e objetivos que fundamentam
a concepção de escola em nossa época.

2.2 INCLUSÃO NA ESCOLA ESTAGIADA

Segundo a Lei de Diretrizes e Bases 9.394/96 em seu Art. 58. Entende-se por educação
especial, a modalidade de educação escolar, oferecida preferencialmente na rede regular de
ensino, para educandos portadores de necessidades especiais. Haverá, quando necessário,
serviços de apoio especializado, na escola regular, para atender as peculiaridades da clientela
de educação especial. O atendimento educacional será feito em classes, escolas ou serviços
especializados, sempre que, em função das condições específicas dos alunos, não for possível
a sua integração nas classes comuns de ensino regular.

A oferta de educação especial, tem início na faixa etária de zero a cinco anos, durante a
educação infantil.

Art. 59. Os sistemas de ensino assegurarão aos educandos com


necessidades especiais: I – currículos, métodos, técnicas, recursos
educativos e organização específicos, para atender às suas
necessidades; II – terminalidade específica para aqueles que não
puderem atingir o nível exigido para a conclusão do ensino
fundamental, em virtude de suas deficiências, e aceleração para
concluir em menor tempo o programa escolar para os superdotados;
III – professores com especialização adequada em nível médio ou
superior, para atendimento especializado, bem como professores do
ensino regular capacitados para a integração desses educandos nas
classes comuns; IV – educação especial para o trabalho, visando a sua
efetiva integração na vida em sociedade, inclusive condições
adequadas para os que não revelarem capacidade de inserção no
trabalho competitivo, mediante articulação com os órgãos oficiais
afins, bem como para aqueles que apresentam uma habilidade
superior nas áreas artística, intelectual ou psicomotora; acesso
igualitário aos benefícios dos programas sociais suplementares
disponíveis para o respectivo nível do ensino regular. (BRASIL 1996)

A instituição educativa almeja uma mudança em seu espaço físico, através disso, os
funcionários do Centro Municipal de Educação Infantil Pedacinho do Céu, querem dar
continuidade em suas atividades que é atender a criança com respeito e dignidade que as
21

mesmas têm direito. Necessitam urgentemente de uma reforma na estrutura física em seu
estabelecimento de ensino, principalmente para a educação inclusiva, que no momento não há
nenhum aluno matriculado, pois a instituição não tem estrutura adequada para atendê-los como
necessário. É nosso dever zelar pela segurança da criança enquanto parte integrante do processo
educativo. O espaço deve ser múltiplo e ao mesmo tempo proporcionar ambientes de vivencias
individuais. Diante deste problema o espaço físico compromete a educação e a segurança
daqueles que frequentam a instituição, que tem como princípio formar cidadãos, capazes de se
desenvolver cognitivamente para o ato da cidadania. Em síntese o P.P.P. é o que confere a
identidade à instituição de Educação Infantil e, por isso precisa ser construído coletivamente
por todos os segmentos da comunidade institucional, mostrando-se democrático, abrangente,
flexível e duradouro (Veiga, 1999). Na escola inclusiva os alunos aprendem participando. Não
é apenas a presença física que conta, mas se sentir pertencente à instituição e ao grupo de tal
maneira que o sentimento de pertencimento por parte do aluno e de reponsabilidade por parte
da escola sejam mutuo. O educando não é uma parte do todo, mas compõe o todo.

2.3 OBSERVAÇÃO PARTICIPANTE DA TURMA

A rotina no CMEI inicia-se as 7:00 da manhã ao chegarem as crianças são acolhidas pelas
professoras com carinho e entusiasmo. Com todas as crianças na sala 8:30 é hora do café da
manhã. Todos seguem para lavar as mãos e em seguida seguem para refeitório, após as crianças
seguem para a sala é hora das atividades pedagógicas. A sala é bem organizada, nas paredes
tem as descrições das atividades semanais e obrigatória para cada semana de trabalho, cada sala
segue seu cronograma com atividades e projetos em andamento durante a semana ou mês, cada
sala contém itens diferenciado pois precisa se adequar a cada faixa etária que está atendendo.
No berçário há uma copa para organizar o preparo das refeições um trocador com ducha um
armário para guardar itens de higiene dos bebes. A sala está dividida em duas partes uma fica
os berços, na outra fica a sala principal é aonde as professoras desenvolvem suas atividades
com as crianças. Nesta parte da sala fica os brinquedos, e atividades feitas com as crianças. Na
parede há um espelho para que as crianças possam ver sua imagem, cartazes decorados com
datas de aniversário televisor e DVD. No maternal as crianças já conseguem se alimentar
22

sozinhas. Na hora das refeições seguindo a rotina diária e horários estipulados pelo CMEI todas
crianças seguem para refeitório. Onde tem mesas adaptadas ao tamanho das crianças, os
cardápios são estabelecidos por uma nutricionista para que as crianças estejam bem nutridas e
alimentadas. Após o almoço as crianças dormem, o sono é importante para elas pois possibilita
descansar para que estejam prontos para as próximas atividades como educação física artes, e
brincadeiras no parque. No jardim e pré a sala é um pouco diferente pois nelas contém mesas
para que as crianças possam fazer suas atividades, brinquedos de montar diferentes materiais
confeccionados em conjunto com professor, materiais reciclados para elaborar brinquedos. A
sala é bem organizada e decorada, nas paredes há cartazes com datas de aniversário, cartazes
com números, os trabalhinhos ficam exposto em um varal na sala. Cada atividade pronta é
anexada no portfólio.
Segundo PPP C.M.E.I. Pedacinho do Céu. A metodologia está baseada na proposta crítico-
social dos conteúdos e histórico-cultural que acentua a primazia dos conteúdos no seu confronto
com as realidades sociais. Isto equivale afirmar que o conhecimento não existe sozinho. Existe
sempre impregnado em algo humano (ou ser humano, ou uma criança humana como um livro,
um aparelho, um meio social. Na educação, o educador passa a ter a função de mediador entre
o saber historicamente acumulado e o educando. As atividades serão programadas inserindo o
conteúdo a ser trabalhado dentro da perspectiva de aprendizagem de cada faixa etária, através
de uma atuação que propicie o desenvolvimento das capacidades individuais, envolvendo as de
ordem física, cognitiva, ética, de relação interpessoal e inserção social. Pois, a educação infantil
tem por finalidade criar condições para o desenvolvimento integral de todas as crianças.
O planejamento é anual e flexível adequando -se a realidade das crianças. Contemplando a
pluralidade Cultural. Deste modo é possível determinar quantificar para que o ambiente seja
estimulador educativo e feliz. A avaliação é semestral através de registros descritivo
contribuindo qualitativamente para o processo de aprendizagem das crianças e educadores.
Portanto a educação infantil tem seu papel importante no desenvolvimento infantil, educar e
cuidar torna-se essencial. Considerar a criança como de fato ela é, criança. Neste aspecto entra
os jogos e brincadeiras, que estão presentes em cada atividade dentro da sala de aula. O brincar
para criança é parte de sua vida.
23

2.3 DESCRIÇÃO DA DOCÊNCIA

No dia 25 de agosto de 2017 aplicou-se o plano de aula abordando o conteúdo animais e seu
habitat que diz respeito a disciplina Natureza sociedade cujo objetivo foi reconhecer e
classificar os animais e seu habitat. Para motivação da aula foram mostradas imagens de
diferentes animais de forma com que fossem sendo assimilado, fazendo perguntas de cada
imagem que era mostrada, se eles o conheciam, qual era nome, se sabiam de onde vinham.
Durante o desenvolvimento das atividades todos sentados foi entregue as cartelas de bingo
contendo imagens de animais. Conforme foi sendo sorteado eles marcavam com milho os
animais sorteados. Quem preenchesse toda cartela primeiro ganharia um prêmio todos
participaram com alegria e entusiasmo.

No dia 26 de agosto de 2017 aplicou-se o plano de aula abordando o conteúdo de musicalidade


que diz respeito a disciplina de música cujo objetivo foi desenvolver a concentração a
coordenação motora e a socialização e o gosto pela música. Para motivação da aula foram
mostrados diferentes instrumentos musicais produzido com materiais recicláveis. Durante o
desenvolvimento da aula, tivemos uma conversa sobre como poderíamos reutilizar nosso lixo
que não é lixo para produzir diversos brinquedos e outras coisas. Em sala foi feito um
instrumento musical para que eles pudessem vivenciar como trabalhar com diferentes materiais
recicláveis. Após foi formado a roda da música de modo que todos participassem e interagissem
com a música que estava sendo ouvida.

No dia 27 aplicou-se o plano de aula abordando o conteúdo tapete sensorial que diz respeito a
disciplina natureza sociedade corpo movimento cujo objetivo foi aguçar a percepção por textura
formatos através da exploração de materiais. Para motivação foi confeccionado um tapete com
diferentes texturas. Cada parte do tapete continha uma textura diferente de modo que produzisse
no bebê diferentes sensações, como por exemplo, grama, madeira, caixa de ovos, feltro, plástico
bolha. Durante o desenvolvimento da atividade cada professor direcionava o bebê até o tapete
de forma que ele fosse estimulado a sentir as diversas sensações do tapete. Após esse
24

direcionamento deixamos os bebês livres para que eles mesmos fossem até o tapete e
brincassem.
No dia 28 de agosto de 2017 aplicou-se o plano de aula abordando o tema cores primárias e
secundárias que diz respeito a disciplina de artes visuais cujo objetivo foi desenvolver a
percepção visual e tátil, identificando as cores e aprender a mistura-las. Para motivação foi
contado a história do livro Bom dia todas as cores. Durante desenvolvimento das atividades
foram entregues pinceis e tinta guache folha com desenho do camaleão. Cada criança pintou
seu desenho. Conforme faziam as atividades eram questionados sobre as cores que estavam
utilizando.

No dia 29 de agosto de 2017 aplicou-se o plano de aula abordando o conteúdo contos e


histórias infantis que diz respeito a disciplina de literatura infantil cujo objetivo foi proporcionar
momentos de prazer através da leitura ampliando o vocabulário. Para motivação foi contado a
história dos três porquinhos, no decorrer da história fazia-se perguntas sobre a história. Durante
as atividades foram entregues a cada equipe um jogo da memória que continha imagens da
história assim todos brincaram e jogaram em equipe.

No dia 30 de agosto aplicou-se o plano de aula abordando o conteúdo formas geométrica e as


cores que diz respeito a disciplina de matemática cujo objetivo foi trabalhar o raciocínio lógico
e abstrato. Para motivação foram apresentados o material chamado bloco lógico esse material
tem grande importância pois possibilita trabalhar com formas geométrica e as cores. Para
desenvolvimento das atividades foram formadas quatro equipes cada equipe recebeu uma caixa
de bloco mágico e folha sulfite contendo imagens, eles tiveram que recriar essas imagens
utilizando os blocos.

No dia 31 de agosto aplicou-se o plano de aula abordando o conteúdo LIBRAS, que diz
respeito a disciplina princípios e valores, cujo objetivo foi trabalhar alfabeto em LIBRAS
proporcionar aprendizado de uma segunda língua, trabalhando de forma inclusiva. Para
motivação foram mostradas imagens do alfabeto em libras contendo imagens das mãos de
acordo com cada letra do nosso alfabeto. Durante o desenvolvimento das atividades todas as
crianças faziam cada letra do alfabeto e suas configurações de mão, repetindo as letras em voz
alta.
25

No dia 1° de setembro de 2017 aplicou-se o plano de aula abordando o conteúdo fábula que
diz respeito a disciplina de literatura infantil, cujo objetivo foi fazer com que a criança se habitue
a escutar história e reconta-las. Para motivação foi apresentado o livro, durante o decorrer da
história eles eram questionados sobre quem eram os personagens, em que lugar estava a cigarra
e a formiga, o que elas estavam fazendo. Este questionamento foi importante pois possibilitou
perceber se as crianças estavam entendo a história e o assunto que se estava tratando através
dessa fábula. Para a atividade de fixação foi pedido a eles que desenhassem um alimento que
seria como doação para a formiga pois naquele momento ela passava por dificuldade e precisava
de ajuda.

No dia 04 de setembro de 2017 aplicou-se o plano de aula abordando o conteúdo obra de


Romero Brito, que diz respeito a disciplina artes visuais, cujo objetivo incentivar e desenvolver
o hábito de desenhar estimulando a fantasia da criança. Para motivação foram mostradas
imagens do pintor. Durante o desenvolvimento das atividades foram entregues copos plástico
com pasta de dente misturando corante a pasta para que formassem as cores, cada um escolheu
uma cor. Cada criança recebeu um pincel e folha sulfite contendo uma imagem escolhida por
elas. Esses desenhos foram expostos em sala de aula como decoração.

No dia 05 de setembro de 2017 aplicou-se o plano de aula abordando o conteúdo lateralidade


direita esquerda, que diz respeito a disciplina movimento, cujo objetivo foi promover atividade
que desenvolva lateralidade. Para motivação demos início da aula com a música Direita
esquerda. Todos de pé dançando e identificando o lado conforme a música. Cada lado sendo
trabalhado de forma que possibilitou para criança aprender os lados de seu corpo, assimilando
sua lateralidade, trabalhando seus movimentos e fortalecendo sua musculatura.

.
26

3 CONSIDERAÇÕES FINAIS

O estágio possibilitou a reflexão da nossa formação durante o curso, o quão importante a


interação de sala de aula e orientação acadêmica, pois, quando se pensa em tudo que
aprendemos, acontecem situações que nos mostram que precisamos aprender e melhorar
ainda mais. Durante o desenvolvimento do estágio o maior dos aprendizados foi aprender que
a profissão, professor na Educação Infantil é mais que transmitir conteúdos e brincadeiras, é
buscar e adquirir novos conhecimentos com coragem e perseverança aceitando erros não como
impossibilidades, mais como desafios. A vivência dentro da sala de aula mostrou que ser
professor antes de tudo é querer ser referência para o aluno, àquele que inspire confiança e que
faça o querer aprender, inspirar o discente significa chegar no resultado esperado, pois, quando
se compromete com o aluo, ele se compromete com você, e inconscientemente com sua própria
formação.
REFERÊNCIAS

PIMENTA, S. LIMA, M...Estágio e Docência. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2004. MORO,
Catarina. Desafios da avaliação. REVISTA EDUCAÇÃO INFANTIL. 2ed. São Paulo:
Segmento, 2011.

SCHOTTEN, Neuzi. Processos de Alfabetização. Associação Educacional Leonardo da


Vinci (ASSELVI). Indaial: Ed. ASSELVI, 2006.

SILVA, Daniela Regina da. Psicologia da Educação e Aprendizagem. Associação


Educacional Leonardo da Vinci (ASSELVI). – Indaial: Ed. ASSELVI, 2006.

SILVA, Daniela Regina da. e do Psicologia Geral Desenvolvimento. Associação


Educacional Leonardo da Vinci (ASSELVI). – Indaial: Ed. ASSELVI, 2005.

URBANEK, Dineia e Ross, Paulo. Educação Inclusiva 2.ed. Curitiba: FAEL 2011
WEIDUSCHAT, Íris. Didática e avaliação. Associação Educacional Leonardo da Vinci
(ASSELVI): Indaial: Ed. ASSELVI, 2007, 2. ed.

PIMENTA, ANA CRISTINAGIPIELA. Pesquisa e Prática Pedagógica /Ana Cristina


Gipiela Pimenta Curitiba Fael, 2014.
DALLA VALLE, LUCIANA DE LUCA, Fundamentos da Educação Infantil/ Dalla Valle.
-Curitiba: Editora Fael, 2010.
DALLA VALLE, LUCIANA DE LUCA, Jogos e Recreação e Educação/ Dalla Valle. -
Curitiba: Editora Fael, 2010.
LOPES, VANESSA GOMES Fundamentos da Educação Psicomotora/ Vanessa Gomes
Lopes. – Curitiba: Editora Fael, 2010.
BRASIL. Lei n. 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da
educação nacional. Brasília, 1996. Disponível em:
< http://www.planalto.gov. br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em: 22 fev. 2016.
P.P.P, Pedacinho do Céu.
ANEXO A fichas de avaliação.
ANEXO B – Planos de Aula

DATA DE APLICAÇÃO: 25/08/2017


ESCOLA: CMEI: Pedacinho do Céu
INTEGRANTES DA EQUIPE: Fernanda; Marlete
DISCIPLINA: Natureza sociedade;
TURMA EM QUE O PLANO SERÁ APLICADO: Pré
DURAÇÃO: 2 horas;
Objetivo Geral: Reconhecer os animais e seu habitat.
Objetivo Específico: Reconhecer os animais do meio ambiente; identificar, classificar os
animais; distinguir diferentes formas e tamanhos dos animais
Conteúdo: Animais e seu habitat
Sensibilização: Trabalhar com imagens de animais por meio do lúdico com cartela de bingo.
Desenvolvimento: Com o bingo dos animais irei propor a eles momento de descontração e
aprendizado. Por meio do jogo com cartelas um determinado número de animais quem primeiro
preencher a cartela será o ganhador.
Atividade de fixação: brincadeira com os sons dos animais, desenho livre dos animais que
cada criança mais gosta
 Cronograma: Sensibilização: 30 minutos;
 Desenvolvimento: 1 hora;
 Atividade de Fixação: 30 minutos;
Avalição: A avaliação será por meio da observação quanto a participação de cada criança,
observando suas dificuldades, para então estar modificando o método de ensino.
Recursos: 15 Cartelas contendo imagens de animais; 15 Imagens de animais par serem
sorteadas; Nomes dos animais em folha sulfite; Folha de papel kraft
Descrição da Metodologia: Sensibilização: No primeiro momento será explicado aos alunos
como o bingo será feito. Segundo momento será entregue as cartelas de bingo para cada aluno.
Fazendo uma releitura de cada cartela cada um observará em sua cartela. Fazer perguntas como:
Quem conhece esse animal? Qual nome deste animal? Vocês sabem onde ele vive?
Desenvolvimento: Todos sentados em suas carteiras começaremos o sorteio. Será colado no
quadro papel Kraft, onde todos os animais que serão sorteados sejam colados no papel kraft.
Após o término do sorteio será colocado os nomes dos animais identificando com as crianças
qual nome desse animal, então mostrar a eles com qual letra se inicia cada nome dos animais.
Atividade de fixação: Será entregue aos alunos folhas de papel sulfite pedirei a eles que
desenhe os animais que mais gostam.
DATA DE APLICAÇÃO: 26/082017
ESCOLA: CMEI: Pedacinho do Céu
INTEGRANTES DA EQUIPE: Fernanda; Marlete
DISCIPLINA: Música;
TURMA EM QUE O PLANO SERÁ APLICADO: Maternal
DURAÇÃO: 2:00
Objetivo Geral: Desenvolver a concentração, coordenação motora e a socialização, gosto pela
música.
Objetivo Específico: Desenvolver a percepção sonora e musical; promover o direito de brincar
com a música; Brincar com a voz; interagir com o outro.
Sensibilização: trabalhar com instrumentos musicais confeccionados com materiais recicláveis
Desenvolvimento: Com os instrumentos musicais já pronto e devidamente higienizados será
proposto uma roda da música. Cada aluno receberá um instrumento musical.
Atividade de fixação: Será perguntado aos alunos o nome de cada instrumento musical, que
ele utilizou durante a roda da música.
Cronograma:
 Sensibilização: 30 minutos;
 Desenvolvimento: 1 hora;
 Atividade de Fixação: 30 minutos;
Avalição: A avaliação se dará pela participação de cada aluno, frente a sua interação com os
instrumentos e com os amigos
Recursos: -Papelão corda de nylon; prato plástico; latinhas de massa de tomate; garrafa pet;
DVD e CD de músicas infantis variadas; violão de papelão; pandeiro de prato plástico; chocalho
de latinhas com feijão.
Descrição da Metodologia:
Sensibilização: Para início da nossa roda da música todos os alunos formarão uma roda,
sentados receberão um instrumento musical. Segundo passo será apresentação do instrumento
musical, explicando como cada instrumento funciona nomeando-os. Fazendo perguntas como
é o violão? Ele tem corda? Como nós o seguramos? E como fazemos para tocar com ele? Que
som sai dele? E o pandeiro como se toca? É parecido com algo que vocês conheçam? E o
chocalho que som faz? Qual som que ele faz?
Desenvolvimento: Com todos sentados será colocado uma música então pedirei a eles que
peguem seus instrumentos e toquem, experimentando o som de cada instrumento. Cada aluno
tocará individualmente para perceber o som que cada instrumento faz, violão, chocalho
pandeiro. Em seguida todos tocarão em conjunto.
Atividade de fixação: Cada aluno irá escolher uma música que mais gostou. Será entregue uma
folha de papel sulfite para que eles recriem nossa roda de música. Enquanto desenham ouvirão
as músicas escolhidas por eles.

DATA DE APLICAÇÃO: 27/08/2017


ESCOLA CMEI: Pedacinho do Céu
INTEGRANTES DA EQUIPE: Fernanda; Marlete;
DISCIPLINA: Natureza sociedade corpo e movimento;
TURMA EM QUE O PLANO SERÁ APLICADO: Berçário;
DURAÇÃO: 2:00
Objetivo Geral: Aguçar a percepção por texturas, formatos através da exploração.
Objetivo Específico: -Trabalhar a motricidade fina; explorar diferentes materiais; desenvolver
capacidades motora;
Conteúdo: Tapete sensorial
Sensibilização: Os bebês levados a perceber diferentes textura com tapete sensorial
Desenvolvimento: Com utilização do tapete sensorial o professor direcionará o bebê até o
tapete sensorial, incentivar o bebê a explorar todo tapete indicar nome de cada material do tapete
por onde for passando.
Atividade de fixação: Brincadeira com diversos materiais e embalagens.
Cronograma:
 Sensibilização: 30 minutos;
 Desenvolvimento: 1 hora;
 Atividade de Fixação: 30 minutos;
Avalição: A avaliação será pela observação quanto a reação perceptiva do bebê. Como ele
reagiu aos estímulos;
Recursos: Tapete em E.V.A; Grama; Feltro; Lápis; Madeira; Embalagem de ovos; Plástico
bolha;
Descrição da Metodologia:
Sensibilização: Incentivar os bebês a explorar todo o tapete, tocando, produzindo som.
Observando as figuras, interagindo com as crianças na identificação dos diferentes materiais
encontrado no tapete.
Desenvolvimento: O tapete mágico será esticado no chão. Os bebês serão colocados sentados
ao redor do tapete. Em seguida o professor direcionará o bebê até o tapete. Mostrando a ele
cada textura do tapete, falando o nome do material que está sendo sentido.
Atividade de fixação: Para essa atividade será utilizado materiais do tapete fazendo com que
eles reconheçam esse material e identifique que está no tapete.
DATA DE APLICAÇÃO: 28/08/2017
INTEGRANTES DA EQUIPE: Fernanda; Marlete
ESCOLA: CMEI: Pedacinho do Céu;
DISCIPLINA: Artes visuais;
TURMA EM QUE O PLANO SERÁ APLICADO: Pré
DURAÇÃO: 2:00
Objetivo Geral: Desenvolver percepção visual e tátil
Objetivo Específico: Identificar as cores; nomear as cores; ampliar vocabulário; aprender a
misturar as cores
Conteúdo: Cores primárias e secundárias
Sensibilização: Interessar-se, e demonstrar curiosidade pelo mundo social, percebendo as cores
que temos ao nosso redor. Identificar, valorizar e reconhecer as cores. Apreciar as artes visuais;
Desenvolvimento: No primeiro momento será apresentado aos alunos as cores. A partir da
conversação contar a história Bom dia todas as cores.
Atividade de fixação: Com os trabalhos prontos, será pendurado no varal, cada aluno irá
apresentar o seu trabalhinho dizendo as cores que contem no seu desenho.
Cronograma:
 Sensibilização: 30 minutos;
 Desenvolvimento: 1 hora;
 Atividade de Fixação: 30 minutos;
Avalição: A avaliação se dará pela participação, onde todos os alunos serão observados quanto
aos desenvolvimento e interação com a atividade proposta;
Recursos: tinta guache; folha sulfite; livro: Bom dia todas as cores; vermelha; amarela; azul;
branca; laranja; preto;
Descrição da Metodologia:
Sensibilização: No primeiro momento serão apresentados aos alunos as cores, e suas misturas.
A partir da conversação será contado a história, Bom dia todas as cores.
Desenvolvimento: Todos sentados, será apresentado o material as tintas guache os pinceis.
Conversar sobre as cores, fazendo pergunta. Quais cores vocês conhecem. Que cor é essa? Se
for misturado uma cor com a outra será que surge outra? O que vocês acham? Em seguida irei
contar a história, Bom dia todas as cores. Será entregue uma folha sulfite e um pincel para que
os alunos com ajuda do professor pintem suas mãos, em seguida coloque as mãos com tinta na
folha. Pedirei a eles que fechem os olhos e imaginem um camaleão. Próximo passo fazer com
que eles deixem o desenho bem colorido misturando as cores.
Atividade de fixação: Brincadeiras com as cores, e suas misturas pintar a mão e formar figuras
de animais usando a palma das mãos.
DATA DE APLICAÇÃO: 29/08/2017
ESCOLA: CMEI: Pedacinho do Céu;
INTEGRANTES DA EQUIPE: Fernanda; Marlete
DISCIPLINA:
TURMA EM QUE O PLANO SERÁ APLICADO: Jardim (1)
DURAÇÃO: 2:00
OBJETIVO GERAL: Proporcionar momentos de prazer através da leitura, ampliando o
vocabulário e organização de pensamento;
Objetivo Específico: Aguçar o prazer pela leitura; ampliar o vocabulário; estimular a
criatividade; organizar ideias e pensamentos;
Conteúdo: Contos e História;
Sensibilização: Por meio da história dos Três Porquinhos, fazer com que os alunos imaginem
e interaja com a história contada;
Desenvolvimento: Com livro três porquinhos, será contado a história. Após será entregue o
jogo da memória. Incentivar a brincar interagir socializando-se;
Atividade de fixação: Desenho livre sobre a história dos Três Porquinhos.
Cronograma:
 Sensibilização: 30 minutos;
 Desenvolvimento: 1 hora;
 Atividade de Fixação: 30 minutos;
Avalição: A Avaliação será por meio da participação de cada aluno. Observando seu
desenvolvimento durante as atividades.
Recursos: Livro Três porquinhos; jogo da memória
Descrição da Metodologia:
Sensibilização: Todos sentados no cantinho da leitura; será contado a história três porquinhos.
Desenvolvimento: Todos sentados em círculo teremos uma conversa sobre as histórias e
contos. Farei perguntas aos alunos. Quem gosta de ouvir história? Quem gosta da história dos
três porquinhos? Em seguida será apresentado o livro, fazendo pergunta sobre os personagens
da história. Quem são eles? Quantas casas tem na história? Como são as casas? São todas iguais
ou são diferentes? Será formado grupos com quatro alunos será entregue um jogo da memória
para cada grupo. No jogo da memória terá imagens da história contada reforçando os
questionamentos que fiz durante a história
Atividade de fixação: Desenho livre sobre Três porquinhos.
DATA DE APLICAÇÃO: 30/09/2017
ESCOLA: CMEI: Pedacinho do Céu
INTEGRANTES DA EQUIPE: Fernanda; Marlete
DISCIPLINA: Matemática;
TURMA EM QUE O PLANO SERÁ APLICADO: Jardim
DURAÇÃO: 2:00
OBJETIVO GERAL: Trabalhar raciocínio lógico e abstrato;
Objetivo Específico: Interagir com o professor; explorar os blocos lógicos; trabalhar com
formas geométrica; trabalhar com as cores;
Conteúdo: Formas geométrica e cores;
Sensibilização: Trabalhar com blocos lógico e suas cores.
Desenvolvimento: Com os blocos lógico irei propor a eles de modo lúdico o trabalho com
formas geométrica e as cores. Após a apresentação do material será feito atividade de montagem
de imagem utilizando o bloco mágico.
Atividade de fixação: Durante as atividades estarei fazendo perguntas sobre o que eles estão
planejando perguntando sobre as cores e formas.
Cronograma:
 Sensibilização: 30 minutos;
 Desenvolvimento: 1 hora;
 Atividade de Fixação: 30 minutos;
Avalição: A avaliação será por meio da observação frente ao desenvolvimento de cada aluno
em sua atividade.
Recursos: 4 Caixas de bloco mágico, feito com cartolina; imagens de construções; folhas
sulfite; cola branca;
Descrição da Metodologia:
Sensibilização: Será formado quatro equipes com quatro crianças cada equipe. Será entregue a
cada equipe uma caixa de bloco lógico. Após a entrega do material, estarei explicando sobre
esse material, seu nome e se algum aluno conhece.
Desenvolvimento: Pedirei a eles que analisem o material e digam o que estão vendo, as cores
as formas de cada peça. Conforme suas respostas estarei analisando o que eles já sabem sobre
o material. Próximo passo será a entrega de imagens de construções para que os mesmos possam
estar observando essa imagem e então refazer o desenho das construções na folha de papel
sulfite
Atividade de fixação: Cada equipe receberá uma folha sulfite, e os blocos lógico feito com
cartolina. Observando a imagem irão elaborar sua imagem, trabalhando com as formas e as
cores.

DATA DE APLICAÇÃO: 31/09/2017


ESCOLA: CMEI: Pedacinho de Céu;
INTEGRANTES DA EQUIPE: Fernanda; Marlete
DISCIPLINA: Princípios e valores;
TURMA EM QUE O PLANO SERÁ APLICADO: Maternal
DURAÇÃO: 2:00
OBJETIVO GERAL: Trabalhar alfabeto em LIBRAS;
Objetivo Específico: Trabalhar a inclusão; trabalhar interação da turma com a criança surda;
proporcionar aos alunos ouvintes o aprendizado de uma segunda língua;
Sensibilização: sensibilizar os alunos quanto as diferenças e o respeito pelas diferenças;
Desenvolvimento: Com o alfabeto em LIBRAS, irei propor a apresentação do material e suas
configurações de mão;
Atividade de fixação: propor atividades que exercite as configurações de mão de cada letra do
alfabeto em LIBRAS, por meio de imagens e vídeo.
Cronograma:
 Sensibilização: 30 minutos;
 Desenvolvimento: 1 hora;
 Atividade de Fixação: 30 minutos;
Avalição: A avaliação será pela participação de cada aluno
Recursos: Alfabeto impresso em LIBRAS; folha sulfite
Descrição da Metodologia:
Sensibilização: Com alfabeto explicarei a eles que a língua de sinais, LIBRAS é utilizada por
pessoas que de alguma forma tem alguma dificuldade para ouvir. E que por isso necessitam
comunicar-se com as mãos. E é importante que todos aprendam, pois para se comunicar com a
pessoa surda necessitamos saber a LIBRAS, para então entender o que o outro está falando.
Desenvolvimento: Será colocado na parede o alfabeto em LIBRAS. Em seguida pedirei aos
alunos que me acompanhe com as mãos fazendo igual está na imagem. Enquanto fazemos as
configurações das mãos, falarei cada letra para que gravem seu significado.
Atividade de fixação: Cada aluno fará as configurações de mão da letra inicial de seu nome.
A pós assistiremos um vídeo sobre o alfabeto em LIBRAS.
DATA DE APLICAÇÃO: 01/09/2017
ESCOLA CMEI: Pedacinho do Céu
INTEGRANTES DA EQUIPE: Fernanda; Marlete;
DISCIPLINA: Literatura Infantil;
TURMA EM QUE O PLANO SERÁ APLICADO: Maternal;
DURAÇÃO: 2:00
Objetivo Geral: Fazer com que o aluno tenha o hábito de escutar história e reconta-las;
Objetivo Específico: - Estimular a gosto pela leitura; construir sua identidade; aprimorar o
vocabulário; desenvolver o senso crítico;
Conteúdo: Cada um contando um conto; fábula;
Sensibilização: Explorar a imaginação, o suspense durante a história;
Desenvolvimento: Rodada conversa; perceber qual a reação de cada aluno diante da história
contada, desenvolver o campo imaginário com suspense. Estimular a participação e interação
no mundo da leitura.
Atividade de fixação: Desenho livre sobre as histórias contada.
Cronograma:
 Sensibilização: 30 minutos;
 Desenvolvimento: 1 hora;
 Atividade de Fixação: 30 minutos;
Avalição: A avaliação se dará pela participação do aluno, diante de sua participação durante as
atividades;
Recursos: Livros; A cigarra e a Formiga; folha de papel sulfite;
Descrição da Metodologia:
Sensibilização: Com a história da Cigarra e a Formiga, será colocado de maneira que eles
possam estar analisando os fatos ocorridos na história. Colocando-se no lugar de cada
personagem da história. Ora da Formiga ora, da Cigarra. Como agiria se fosse a formiga?
Dividiria sua comida?
Desenvolvimento: Todos sentados em círculo irei contar a história da Formiga e a Cigarra.
Durante a leitura farei pequenas pausas para fazer perguntas como: Quem são os personagens
da história? Eles estão aonde? O que estão fazendo? A Formiga está fazendo o que? E a Cigarra?
E agora chegou o inverno a Cigarra não tem nada de comida guardada? Será que a formiga deve
emprestar comida para Cigarra? Será que sim ou será que não? Sim!! Devemos sim ajudar o
outro não é!! Pois nós podemos um dia também precisar de ajuda, então devemos ajudar.
Mesmo porque enquanto a formiga trabalhava, a Cigarra cantava música para ela. Quem é que
não gosta de ouvir música não é mesmo?
Atividade de fixação: Cada aluno irá desenhar um alimento, feijão arroz. O que eles quiserem
e sentirem vontade de desenhar. Esse desenho será entregue para Cigarra. Pois será o alimento
para ela passar o inverno. Uma doação.

DATA DE APLICAÇÃO: 04/09/2017


ESCOLA CMEI: Pedacinho do Céu;
INTEGRANTES DA EQUIPE: Fernanda; Marlete;
DISCIPLINA: Artes visuais
TURMA EM QUE O PLANO SERÁ APLICADO: Jardim;
DURAÇÃO: 2:00
Objetivo Geral: Incentivar e desenvolver o hábito de desenhar, estimulando a fantasia da
criança
Objetivo Específico: Explorar a atividade usando materiais de higiene para fazer arte;
-Mostras que elas podem expressar suas ideias sentimentos a partir de imagens já existente;
-Apresentar as transformações provocadas pelas misturas de materiais e cores, e como cada um
pode ser;
Conteúdo: Obra: Romero Brito.
Sensibilização: Apresentação da obra de Romero Brito.
Desenvolvimento: Aprender a misturar as cores;
Observar o uso de diversos materiais para fazer arte, como a pasta de dente. Utilizar anilina
para dar cores as misturas; diferenciar várias texturas.
Atividade de fixação: Pintar os desenhos, com diversas cores, utilizando pasta de dente.
Exposição dos desenhos;
Cronograma:
 Sensibilização: 30 minutos;
 Desenvolvimento: 1 hora;
 Atividade de Fixação: 30 minutos;
Avalição: A avaliação será pela participação quanto ao desenvolvimento na atividade proposta.
Recursos: Desenho impresso do autor, Romero Brito; copos plásticos; pasta de dente branca;
anilina de diversas cores; pinceis; E.V.A;
Descrição da Metodologia:
Sensibilização: Apresentação do desenho de Romero Brito. Explicar sobre os materiais que
serão utilizados para a pintura. Evidenciar as cores da obra de Romero Brito, mostrando uma já
pronta como exemplo.
Desenvolvimento: Cada criança receberá, um copo com água, um pincel, um copo com pasta
de dente. Em seguida passarei nas carteiras para pingar anilina na pasta, cada criança receberá
uma cor diferente da outra, eles mesmo farão a mistura. Assim que necessitarem de mais cores
faremos a troca das cores. Assim que o desenho estiver pronto faremos a moldura do quadro,
com E.V.A.
Atividade de fixação: Cada criança fará a apresentação falando as cores da sua obra e então
colocará sua assinatura na obra de arte.

DATA DE APLICAÇÃO: 05/09/2017


ESCOLA CMEI: Pedacinho do Céu;
INTEGRANTES DA EQUIPE: Fernanda; Marlete;
DISCIPLINA: Movimento
TURMA EM QUE O PLANO SERÁ APLICADO: Jardim;
DURAÇÃO: 2:00
Objetivo Geral: Promover atividade que desenvolva a lateralidade;
Objetivo específico: Identificar a mão direita e a mão esquerda, pé direito pé esquerdo;
dominar a noção esquerda direita; estabelecer com clareza o lado dominante do seu corpo;
empregar os termos direita esquerda;
Conteúdo: Lateralidade, direita esquerda.
Sensibilização: Por meio da música: Direita esquerda, serão levados a participar da aula.
Desenvolvimento: Proporcionar ao aluno, exercício que o auxiliem na compreensão de que o
corpo tem dois lados, sendo capaz de reconhecer o lado direito e esquerdo;
Atividade de fixação: Fazer perguntas aos alunos sobre o assunto;
Cronograma:
 Sensibilização: 30 minutos;
 Desenvolvimento: 1 hora;
 Atividade de Fixação: 30 minutos;
Avalição: Será realizada através do interesse, e da participação do aluno;
Recursos: -Cartolina; Folha sulfite; Pinceis; Lápis;
Descrição da Metodologia:
Sensibilização: Formar uma rodinha com todos os alunos, para identificar a mão direita da mão
esquerda fazendo perguntas sobre o tema proposto.
Desenvolvimento: Com a música Direita e Esquerda, a dança dos lados. Todos dançarão
conforme a música. Movimentando-se e interagindo com os colegas. Fazendo os movimentos
que a música pede reforçando sua lateralidade.
Atividade de fixação: Fazer perguntas aos alunos: Vocês sabem qual é a mão direita? Qual é
a mão esquerda? E o pé direito? O pé esquerdo? Qual mão vocês usam mais?