Vous êtes sur la page 1sur 6

ÍNDICE DO VOLUME I

CAPÍTULO I - A CINOFILIA E O MITO MASCULINO


001 - A INFLUÊNCIA DOS MITOS HUMANOS SOBRE AS RAÇAS CANINAS
002 – SUPERTIPIAS E MODISMOS ANATÔMICOS
003 – OS FATORES HUMANOS E AS DEGENERAÇÕES TEMPERAMENTAIS DE SEUS
CÃES
004 - PERSEGUIÇÃO A RAÇAS
005 – PARADIGMA EFETIVO COMO FATOR DE MANUTENÇÃO DAS QUALIDADES
RACIAIS

CAPÍTULO II - TENDÊNCIA INTERNACIONAL, UMA IDÉIA PERIGOSA


001 - MODERNIDADE OU MODISMO IRRESPONSÁVEL
002 – IDENTIDADE CULTURAL CINOLÓGICA

CAPÍTULO III - A PROVA DE ATAQUE E O POLITICAMENTE CORRETO

CAPÍTULO IV - CORTES DE ORELHAS E CAUDA

CAPÍTULO V - A ESCOLHA DE UM FILHOTE


001 - INTRODUÇÃO
002 - TESTE DE VOLHARD
003 - CONCLUSÓES

CAPÍTULO VI - ADESTRAMENTO PARA UM CÃO DE GUARDA


001- OBJETIVOS DO CAPÍTULO
002 - HERANÇA E VARIABILIDADE GENÉTICAS
003 - SOBRE DRIVES
004 - DRIVE DE RAPINA
005 - DRIVE DE DEFESA
006 - DRIVE DE DEFESA E DRIVE DE RAPINA – CONSIDERAÇÕES FISIOLÓGICAS
007 - RAPINA PARA A LUTA E O DRIVE DE DEFESA
008 - SISTEMA LÍMBICO. O QUE E ISSO?
009 - DEFESA PARA RAPINA
010 - RAPINA OU DEFESA?
011- OS CÃES DOMÉSTICOS TÊM DRIVES IGUAIS AOS LOBOS E OUTROS
CARNÍVOROS?
012 - DRIVE ATUAL, DRIVE LATENTE E DRIVE POTENCIAL – ELASTICIDADE DE
DRIVE
013 - APTIDÃO PARA GUARDA – RAÇA
014 - APTIDÃO PARA GUARDA – MANEJO DOS FILHOTES FORA DOS TREINAMENTOS
015 - SOCIALIZAÇÃO
016 - CONVIVÊNCIA E TERRITORIEDADE
017 - PEQUENO RESUMO DO QUE JÁ FOI DITO
018 - DEGENERAÇÕES TEMPERAMENTAIS
019 - AGRESSIVIDADE E DRIVE DE DEFESA
020 - INSTINTO DE PREDAÇÃO, FOME, DRIVE DE RAPINA E DRIVE POR ISCA
021 - DRIVE POR ISCA, DRIVE DE FARO E DRIVE DE CAÇA
022 - SOBREVIVÊNCIA
023 - ISCAS E A BOLINHA PARA DIRECIONAMENTO E CONDICIONAMENTO DOS
LOCAIS DE MORDIDA
024 - O INSTINTO NATURAL, A CAÇA SIMULADA E O DRIVE DE CAÇA
025 - DRIVE E DEFESA E O REFORÇO FAMILIAR
026 - DEFESA DO TERRITÓRIO
027 - RAÇAS E DRIVES
028 - TIPOS DE GUARDAS E FUNÇÕES
029 - TREINAMENTO ULTRA-SIMPLES PARA GUARDIÕES
030 - PROVA DE ATAQUE OU PROVA DE DEFESA? A ESCRAVIDÃO PELO
POLITICAMENTE CORRETO
031 - CONTROLE DO BINÔMIO TEMPERAMENTO/CARÁTER NA ASCENDÊNCIA DO
CÃO
032 - HERANÇA, TEMPERAMENTO E CARÁTER – OBJETIVO DAS PROVAS E
PARADIGMA FUNCIONAL
033 - PROVAS SIMPLES, MAS DURAS. CRITÉRIO DE PRECOCIDADE PARA SELEÇÃO
MAIS VOLTADA AO TEMPERAMENTO DO QUE AO CARÁTER
034 - PRECOCIDADE, UMA FACA DE DOIS GUMES
035 - FORMATAÇÃO DO TEMPERAMENTO
036 - HERANÇA PSÍQUICA – SELEÇÃO
037 - LUTA. CONDIÇÃO INTERATIVA ENTRE RAPINA E DEFESA? MORDIDAS
ASSOCIADAS AOS NÍVEIS DE DRIVES
038 - DEFESA E FUGA
039 - FAIR FIGHT E DEFESA RESOLUTA. ALTOS DRIVES DE PROTEÇÃO LEVAM À
LUTA.
040 – PRESERVAÇÃO – CARNÍVOROS
041 - INSTINTOS, DRIVES E SEUS SINAIS
042 - CONDUTA SEGURA NA PROTEÇÃO
043 - ATAQUE PANTERA
044 - TRABALHANDO O FILHOTE COM ISCAS
045 - PONTO DE CORTE NO TREINAMENTO: POR QUAL CAMINHO IREMOS TRILHAR?
046 - TREINAMENTO PRÁTICO – CONSIDERAÇÕES INICIAIS
047 - RAPINA, O LEVANTE INICIAL
048 - RAPINA E A BOLINHA MÁGICA
049 - TROCA SUJA E TROCA LIMPA
050 – TÉCNICA DE PREVER UMA AÇÃO E COMANDÁ-LA ANTES DELA OCORRER
051 - BRINQUEDOS E MATERIAL DE TREINAMENTO
052 - OBEDIÊNCIA E A BOLINHA MÁGICA
053 - ALTERNATIVAS PARA CÃO QUE NÃO CURTE BOLINHA
054 - OBEDIÊNCIA - ESTÍMULOS NEGATIVOS, POSITIVOS E NEUTROS
055 - OBEDIÊNCIA PODE SER CONSIDERADA DRIVE?
056 - COMO COMEÇAR? PELA OBEDIÊNCIA OU PELO ATAQUE?
057 - BOLINHA MÁGICA, SEUS OUTROS RECURSOS E A OBEDIÊNCIA PASSIVA
058 - RASTEJAR
059 - CLICKER. COMO USAR
060 - LINGÜIÇA, COMO DEVE SER, COMO USÁ-LA E DIRECIONAR O CÃO PARA ELA
061 - COMO AUMENTAR – EM MUITO – A CAÇA COM O USO DA LINGÜIÇA
062 - LINGÜIÇA, COMO USÁ-LA, CANALIZANDO O CÃO PARA O FIGURANTE
063 - LINGÜIÇA E TROCA DE PEGADA
064 - USO CORRETO DO JAMBIER
065 - LINGÜIÇA - CÃO QUE NÃO SOLTA, CÃO QUE A PEGA SEM FIRMEZA
066 - LINGÜIÇA, CÃO QUE NÃO SE INTERESSA POR ELA
067 - LINGÜIÇA. SEU USO NO FAIR GAME
068 - PODE-SE TREINAR RAPINA E DEFESA AO MESMO TEMPO?
069 - ENFORCADORES - USO E TIPOS
070 - ENTONAÇÃO DA VOZ – UM DETALHE IMPORTANTE
071 - COMANDO NÃO
072 - GUIA – COMO ACOSTUMAR O CÃO A USAR
073 - GUIA E ENFORCADOR NA OBEDIÊNCIA - SEUS USOS NOS COMANDOS
074 - TRAÇÃO, CONTROLE
075 - TREINAMENTO COM A GUIA LONGA
076 - MANUTENÇÃO E ELEVAÇÃO DO DRIVE DE RAPINA QUANDO DO USO DA GUIA
NA OBEDIÊNCIA
077 - GUIA E ENFORCADOR NA OBEDIÊNCIA - SEUS USOS NOS COMANDOS, PARTE II
078 - COMO ACOSTUMAR O CÃO A ANDAR DO NOSSO LADO
079 - TREINAMENTO COM GUIA LONGA. PARTE II
080 - QUANDO NÃO TREINAR
081 - TEMPO DAS SESSÕES
082 - SUCESSO NO ADESTRAMENTO
083 - IDADE MÍNIMA IDEAL PARA CADA ETAPA DE TREINO
084 - COMANDO NÂO - DEFININDO OS LIMITES
085 - ESTÍMULOS PARALELOS SOBRE OS DRIVES DE RAPINA E DE DEFESA - PARTE I
086 - ESTÍMULOS PARALELOS SOBRE OS DRIVES DE RAPINA E DE DEFESA - PARTE II
087 - CONVIVÊNCIA ENTRE CÃES DE GUARDA
088 - MATILHA, CONVIVÊNCIA E LEVANTAMENTO DE DRIVES
089 - MATILHA, TREINAMENTO E LEVANTAMENTO DE DRIVES
090 - OLHO NO OLHO - O OLHAR E O LEVANTAMENTO DA DEFESA
091 - LEVANTAMENTO INICIAL DE DEFESA PARA CÃES QUE DEMONSTRAM, OU
NÃO, RAPINA – PARTE I
092 - LEVANTAMENTO INICIAL DE DEFESA PARA CÃES QUE DEMONSTRAM OU
NÃO RAPINA - PARTE II
093 - MANGUEIROS: CÃES QUE SE RECUSAM A LARGAR LINGÜIÇAS E MANGAS.
CAUSAS
094 - ALVO DO ATAQUE, CONSIDERAÇÕES SOBRE
095 - ATAQUE COM MANGA
096 - MANGA. COMO DEVE SER - SEUS EFEITOS SOBRE A MORDIDA
097 - TOQUES DO BASTÃO, COMO GRADUAR O AJUSTE ADRENÉRGICO
098 - ATAQUE AO BITE
099 - ADAPTAÇÕES NO BITE PARA DIRECIONAR ATAQUE
100 - TREINAMENTO INTEGRADO
101 - COMANDO "CUIDA". VANTAGENS
102 - ATAQUE LANÇADO
103 - RINGUE EFETIVO - TREINAMENTO PARA
104 - TREINAMENTO AVANÇADO COM BITE - CÃO DE ASSALTO
105 - FOCINHEIRA PARA TREINO – COMO DEVE SER E USOS
106 - FARO BAIXO E FARO ALTO
107 - FARO ALTO. TREINAMENTO
108 - FARO BAIXO. TREINAMENTO - CÃO DE RASTREAMENTO
109 - RASTREAMENTO - UTILIDADES NA BUSCA E CAPTURA - TREINAMENTOS
ASSOCIADOS
110 - PROTEÇÃO E ESPORTE
111 - CINOFILIA ESPORTIVA E CINOFILIA EFETIVA
112 - OBSTINAÇÃO x INTELIGÊNCIA EMOCIONAL
113 - MODULAR O COMANDO DE "SOLTA" E A FORÇA DA MORDIDA
114 - COMO FAZER UM CÃO SOLTAR SEM O COMANDO VERBAL
115 - ATAQUE EM DUPLA
116 - ATAQUE CONTRA DOIS FIGURANTES
117 - DOIS CÃES VERSUS DOIS FIGURANTES
118 - RECUPERAÇÃO DE CÃES PARA GUARDA, CONSIDERADOS FRACOS OU
PERDIDOS
119 – DESVIOS DE ATAQUE
120 - COMANDOS MÍMICOS
121 - COMO DESENVOLVER O POTENCIAL DE PROTEÇÃO
122 – INSEGURANÇA, MEDO E CORAGEM
123 - DRIVE, PARADRIVE E OS ELEMENTOS DE PRESSÃO E CONFLITO.
124 - CONCLUSÕES

CAPÍTULO VII - CUIDADOS GERAIS E ALIMENTAÇÃO


001 - SAÚDE E DESENVOLVIMENTO
002 - EXERCÍCIOS, SAÚDE E DESENVOLVIMENTO
003 - CUIDADOS GERAIS NOS EXERCÍCIOS
004 - ESTEIRA, COMO ENSINAR UM CÃO A NELA TREINAR
005 – TRAÇÃO
006 – NATAÇÃO
007 - EXPOSIÇÃO SOLAR
008 – HIGIENE
009 - FATORES PSICOLÓGICOS
010 – ECTOPARASITAS
011 - SARNA DEMODÉCICA, COMENTÁRIOS
012 - SARNA DEMODÉCIDA - BAIXA IMUNIDADE E ALERGIA?
013 – BANHOS
014 – DESVERMIZAÇÃO
015 – VACINAÇÃO
016 – ALIMENTAÇÃO
017 – REPRODUÇÃO
018 - CUIDADOS COM O PARTO E COM OS NASCITUROS
019 - A “CAIXA DE CRIA”

CAPÍTULO VIII – A CONSTRUÇÃO DO CANIL

CAPÍTULO IX - PREVENÇÃO DE ACIDENTES


001 - ATAR CÃO PRÓXIMO A MURO, CERCA OU GRADE
002 - ATAR CÃO EM VARANDA, SACADA, ETC. MAIS ALTA QUE O SOLO
003 - ATAR CÃO COM CORRENTE LONGA SEM AMORTECEDOR
004 - DEIXAR O CÃO COM COLEIRA PRÓXIMO A GRADES COM LANÇAS
005 - GRADES COM LANÇAS PONTIAGUDAS
006 - MUROS OU EQUIVALENTES NÃO SUFICIENTEMENTE ALTOS PARA IMPEDIR
QUE O CÃO OS PULE
007 - CERCAS SEM VIGA OU PISO POR BAIXO
008 - CORRENTES SEM DISTORCEDOR
009 - ATAR CÃES COM CORDAS, GUIAS OU EQUIVALENTES QUE POSSAM SER
CORTADAS PELOS DENTES DO ANIMAL
010 - DEIXAR AO ALCANCE DO CÃO FIOS, TOMADAS, INTERRUPTORES E
EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS
011 - DEIXAR CÃES PERAMBULANDO COM ACESSO A PISCINAS E TANQUES
012 - CÃES CIRCULANDO EM GARAGENS E OUTRAS PASSAGENS DE VEÍCULOS
013 - PERMITIR INADVERTIDAMENTE QUE O CÃO ESCAPE PELO PORTÃO AO SAIR
COM O CARRO
014 - PORTÃO DE GARAGEM ELÉTRICO
015 – ELEVADOR
016 - MOSQUETÕES, GUIAS, COLEIRAS, PEITORAIS E ENFORCADORES DE MATERIAIS
FRACOS, MAL ELABORADOS, MAL COLOCADOS OU INAPROPRIADOS PARA O CÃO
017 - FOLHAS (TELHAS) DE ZINCO OU OUTROS METAIS USADAS IMPROPRIAMENTE
COMO DIVISÓRIAS
018 - PORTAS, DOBRADIÇAS, FERROLHOS, TRINCOS, TELAS, GRADES, FECHOS, ETC.
FRACOS, MAL COLOCADOS OU INAPROPRIADOS PARA PRENDER ANIMAL
019 - TELHAS TRANSLÚCIDAS OU TRANSPARENTES EM CANIL FECHADO
020 - DEIXAR CÃES EM VEÍCULOS FECHADOS
021 - TRANSPORTAR CÃES EM PORTA-MALAS DE VEÍCULOS
022 - TRANSPORTAR CÃES EM VEÍCULOS ABERTOS OU COM JANELAS
ESCANCARADAS
023 - TRANSPORTAR CÃES AMARRADOS SOBRE CARROCERIAS DE CAMINHÕES OU
PICK-UPS
024 - ATAR CÃES EM VEÍCULOS PARADOS
025 - JANELAS E SACADAS DE EDIFÍCIOS
026 - POÇOS E CISTERNA
027 - “BOCA DE LOBO”
028 - POÇOS DE ELEVADORES
029 - INSETICIDAS, PRODUTOS DE LIMPEZA E DEMAIS SUBSTÂNCIAS TÓXICAS
030 – RATICIDAS
031 - APLICAÇÕES DE INSETICIDAS
032 – VERMICIDAS
033 – MEDICAMENTOS
034 - PLANTAS TÓXICAS
035 - ANIMAIS PERIGOSOS
036 - PORCOS-ESPINHOS
037 - CÃES ATADOS PRÓXIMOS A GRANDES ANIMAIS
038 - CÃES DOMINANTES SOLTOS JUNTOS
039 - GRADES QUE PERMITAM O CÃO COLOCAR PARA FORA SUA CABEÇA
040 - LOCAIS EXPOSTOS À MALDADE HUMANA
041 - ANDAR SEM GUIA
042 - FILHOTES ESMAGADOS PELA MÃE
043 - FILHOTES PRENSADOS CONTRA AS ABAS DA CAIXA DE CRIA
044 - LITERATURA DESINFORMADA
045 - MANTER CÃES COM COLEIRAS, ENFORCADORES, ETC. EM ZONA RURAL
046 - MANTER CÃES DE CAÇA SOLTOS EM ZONAS RURAIS OU ZONAS SELVAGENS
SEM SUPERVISÃO
047 - DEIXAR CÃES COM MENOS DE CINCO QUILOS PRÓXIMOS A REGIÕES
SELVAGENS
048 - DEIXAR CÃES DE PEQUENO PORTE SOLTOS DURANTE ÉPOCA DE CIO MESMO
EM REGIÕES RURAIS
049 - DEIXAR CÃES INEXPERIENTES PERTO DE BOIADAS
050 - DEIXAR CÃES EXCESSIVAMENTE ATIVOS PRÓXIMOS A BOIADAS
051 - DEIXAR CÃES DE CAÇA E PRESA PRÓXIMO A REBANHOS OU OUTROS ANIMAIS
052 - CADELAS DE CIO MANTIDAS JUNTO AO REBANHO

CAPÍTULO X – RINGUE EFETIVO


A - OBEDIÊNCIA
B – PROTEÇÃO
I – PSEUDO ATAQUE
II- ATAQUE COM FOCINHEIRA
III – ATAQUE LANÇADO SIMPLES
IV – ATAQUE COM BASTÃO
V – ATAQUE COM ACESSÓRIOS
VI – ATAQUE COM ACESSÓRIOS – SEGUNDA FASE
C – ANTIVENENO
D – CRITÉRIOS GERAIS