Vous êtes sur la page 1sur 4

PENA DE MORTE E CONSTITUIÇÃO FEDERAL

No ambito da constituição federal de 1988. o artigo 5 diferes sobre os


direitos e deveres individuais e coletivos. dispondo da seguinte foma:

Todos são iguais perante a lei, sem distinçao de qualquer natureza,


garantindo- se aos brasileiros e estrangeiros residentes no país a inviolabilidade do
direito a vida.

Desta forma é possivel dizer que a constituição ela não permite a


aplicação da pena de morte no brasil, não podendo portanto ser imposta. Porém,
apesar de abolida a aplicação da pena de morte tem exceções. Onde sua aplicação
pode sem impostas em tempos de guerra.

O inciso 47 do artigo quinto da Constituição, diz que "não haverá penas


de morte, salvo em caso de guerra declarada".

Os crimes que podem levar a essa punição estão descritos no Código


Penal Militar, de 1969. Ele prevê ainda que a pena deve ser executada por fuzilamento

é importante destacar que o princípio da humanidade pode ser


observado em diversos momentos, principalmente no art. 5º. O inciso III deste artigo,
por exemplo, ao dispor que "ninguém será submetido a tortura nem a tratamento
desumano ou degradante", está claramente a par do respeito devido à pessoa humana.
O inciso XLIX, por sua vez, estabelece que "é assegurado aos presos o respeito à
integridade física e moral". Já o assegura às presidiárias "condições para que possam
permanecer com seus filhos durante o período de amamentação". Enfim, percebe-se
uma postura humanitária, adotada constitucionalmente em relação às pessoas que se
encontram condenadas

Porém, uma das maiores expressões do princípio da dignidade da


pessoa humana corresponde às vedações impostas pela CF/88 quanto a cinco
espécies de penas. Segundo o inciso XLVII do já citado art. 5º, são proibidas as penas:
(a) de morte; (b) de caráter perpétuo; (c) de trabalhos forçados; (d) de banimento; e (e)
cruéis.

com isso, quando nos posicionamos diante da pena de morte, devemos


ter como referência a defesa de uma sociedade justa e que assegura pleno gozo do
exercicio da cidadania.

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS

A Declaração Universal dos Direitos Humanos, constituida pela


Assembleia Geral das Nações Unidas em Dezembro de 1948, em resposta ao terror e
brutalidade de alguns governos, reconhece o direito de cada pessoa à vida, afirmando
ainda que ninguém deverá ser sujeitado a tortura ou a tratamento ou castigo cruel,
desumano e degradante. A pena de morte viola estes direitos. A adopção de outros
tratados regionais e internacionais tem apoiado a abolição da pena de morte.

Resa que; ART. 1todos os seres humanos nascem livres e iguais em


dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com
os outros em espirito de fraternidade. Art1.
Além disso dispõe em seu art5 que nimguém será submetido a tortura
nem a tratamentos crueis, desumanos ou degradantes.

O segundo protocolo facultativo para o tratado internacional de direitos


civis e políticos, que tem como objectivo a abolição da pena de morte e que foi
adoptado pela assembleia geral da onu em 1989, defende a total abolição da pena de
morte permitindo mantê-la em tempo de guerra, desde que no momento da ratificação
do protocolo se faça uma reserva nesse sentido.

O sexto protocolo da convenção europeia sobre direitos humanos,


adoptado pelo conselho da europa em 1982, prevê a abolição da pena de morte em
tempo de paz, podendo os estados mantê-la para crimes em tempo de guerra ou em
caso de guerra iminente.

O artigo 1º deste protocolo, em vigor desde 1 de março de 1985,


prescreve: "a pena de morte é abolida. Ninguém pode ser
condenado a tal pena ou executado"

E o artigo 2º: "um estado pode prever na sua legislação a pena de


morte para actos praticados em tempo de guerra ou de perigo
iminente de guerra; tal pena não será aplicada senão nos casos
previstos por esta legislação e de acordo com as suas disposições.
Este estado comunicará ao secretário-geral do conselho da europa
as disposições correspondentes da legislação em causa".

O protocolo da convenção americana sobre direitos humanos para a


abolição da pena de morte, adoptado pela assembleia geral da organização dos
estados americanos em 1990, pretende a total abolição da pena de morte, permitindo
aos estados mantê-la em tempo de guerra desde que façam essa reserva ao ratificar ou
aceitar o protocolo.
REFERENCIAS

https://pt.wikipedia.org/wiki/Pena_de_morte_no_Brasil
https://jus.com.br/artigos/10802/penas-vedadas-pela-constituicao-federal-de-1988