Vous êtes sur la page 1sur 13

TREINAMENTO – GESTÃO DE ESTOQUES

1) - Acurácia dos Controles

Uma vez terminado o inventário, pode-se calcular a acurácia dos


controles, que mede a porcentagem de itens corretos, tanto em quantidade
quanto em valor,

Acurácia dos Controles = Número de itens com registros corretos


Número total de itens

Ou

Acurácia = Valor de itens com registros corretos


Valor total de itens

Exercício:

Calcule a acurácia de controle, sabendo-se que o exemplo abaixo os


três primeiros meses, foram encontradas as seguintes divergências entre o
número de unidades contadas por item e o número indicado pelo controle.

CLAS NÚMER % TOTAL NÚMERO DE ITENS Nº DE ITENS


SE O DE CONTADOS (em %) DIVERGENTES ACURÁCIA
ITENS
CONTAD
OS
A 4.600 4600/15500X1 4600-300=4300/4600 300 = 0,29 x 0,93
00=0,2968 ou = 0,93 ou 93% = 0,2697 ou
29% 26,97%
B 8.100 8100/15500x1 8100-400=7700/8100 400 = 0,52 x 0,95
00 = 0,95 ou 95% = 0,4940 ou
=0,5226 ou 49,40%
52%
C 2.800 2800/15500x1 2800-50=2750/2800 50 = 0,18 x 0,98
00 = 0,98 ou 98% = 0,1714 ou
= 0,1806 ou 17,64%
18%

TOTA 15500 750


L = 94,01%
ACURÁCIA
TOTAL

_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
TREINAMENTO – GESTÃO DE ESTOQUES

2) - Nível de Serviço ou nível de Atendimento

Nível de serviço ou nível de atendimento é o indicador de quão eficaz foi


o estoque para atender às solicitações dos usuários. Assim, quanto mais
requisições forem atendidas, nas quantidades e especificações solicitadas,
tanto maior será o nível de serviço. Veja uma aplicação:

Nível de Serviço = Número de Requisições Atendidas


Número Requisições Efetuadas
Exercício:

3) No almoxarifado da empresa Vende Tudo, durante um período de 6 meses,


foram apresentadas 3.500 requisições de materiais, com um número médio de
1,40 item por requisição. Foram entregues 4.500 dos itens solicitados. Qual é o
nível de atendimento do almoxarifado?

3500 X 1,4 = 4900 de itens, portanto, 4500/4900x100= 91,83%

4) - Giro de Estoques

O giro dos estoques mede quantas vezes, por unidade de tempo o


estoque se renovou ou girou.

Giro de Estoques = Valor Consumido no período


Valor do Estoque médio no Período
Exercício:
De janeiro a julho, o estoque da empresa StokRápido apresentou a
seguinte movimentação em reais:
Mês Estoque Entradas Saídas Estoque Final
Inicial (valor
consumido no
período)
Janeiro 124.237,35 237.985,00 282.756,30 79.466,05
Fevereiro 79.466,05 347.123,56 263.675,33 162.914,28
Março 162.914,28 185.543,90 274.653,78 73.804,40
Abril 73.804,40 303.347,00 295.902,50 81.358,90
Maio 81.358,90 265.856,00 301.845,12 45.369,78
Junho 45.369,78 345.965,00 248.204,56 143.130,22
1.667.037,59
Total

Mês (EI + EF) / 2 Estoque Médio($)


Janeiro (124.237,35 + 101.851,70
79.466,05)/2
Fevereiro 121.190,17
Março 118.359,34
Abril 77.581,65
Maio 63.364,34
Junho 94.250,00
576.597,20
TREINAMENTO – GESTÃO DE ESTOQUES

Total

R$ 576.597,20/ 6 meses = R$ 96.099,53 valor médio mensal


Giro de Estoques = Valor Consumido no
período
Valor do Estoque
médio no Período
R$ 1.667.037,59/ R$ 96.099,53 = 17,35 vezes

5 - Cobertura de Estoques

Cobertura indica o número de unidades de tempo; por exemplo, dias que


o estoque médio será suficiente para cobrir a demanda média.

Cobertura em dias = Número de dias do período em estudo


Giro
Exercício:

Calcule a cobertura da StokRápido com base nos dados do exemplo


anterior.

Número de dias = 6 meses x 30 dias =180 dias


Cobertura = 180 dias/17,35= 10,38 dias

6 - Localização dos Estoques

A localização dos estoques é uma forma de endereçamento dos


itens estocados para que eles possam ser facilmente localizados. Com a
automatização dos almoxarifados, a definição de um critério de endereçamento
é imprescindível. Vejamos uma das formas de endereçamento mais utilizadas:

Endereço: AA.B.C.D.E
Onde: AA. Código do almoxarifado ou área de estocagem 27
B. Número da rua 5
C. Número da prateleira 3
D. Posição vertical2
E. Posição horizontal dentro da posição vertical 1

Exercício:
Qual a localização correspondente ao código de endereçamento
27.5.3.2.1.?

AA. Código do almoxarifado ou área de estocagem 27


B. Número da rua 5
C. Número da prateleira 3
D. Posição vertical 2
E. Posição horizontal dentro da posição vertical 1
TREINAMENTO – GESTÃO DE ESTOQUES

8 – Tempo de Reposição (TR)

O TR é composto de três elementos:

- tempo para elaborar e confirmar o pedido junto ao fornecedor;


- tempo que o fornecedor leva para processar e entregar-nos o pedido;
- tempo para processar a liberação do pedido em nossa fábrica.

9 – Ponto de Pedido (PP)

É a quantidade de peças que temos em estoque e que garante o processo


produtivo para que não sofra problemas de continuidade, enquanto
aguardamos a chegada do lote de compra, durante o tempo de reposição. Isso
quer dizer que quando um determinado item de estoque atinge seu ponto de
pedido deveremos fazer o ressuprimento de seu estoque, colocando-se um
pedido de compra.
PP = C x TR + ES
Onde: PP – Ponto de Pedido
C – Consumo médio do produto
TR – Tempo de reposição
ES – Estoque de segurança

Exercício: Determinada peça é consumida em 2.500 unidades mensalmente,


sabendo que seu tempo de reposição é de 45 dias. Então, qual é o ponto de
pedido(PP), uma vez que seu estoque de segurança é de 400 unidades?

C = 2500 unid. por mês


TR = 45 dias = 1,5 mês
ES = 400 unid.
PP = (2.500 X 1,5) + 400

PP = 3.750 + 400 = 4.150 unidades

10– Lote Econômico de Compra

É a quantidade de peças a ser adquirida que faz com que os custos de


pedir/obter se equilibrem com os custos unitários de armazenagem.

2 xCxCp
LEC 
CA
Onde: LEC – Lote Econômico de Compra = ?
C – Quantidade consumida do produto= 40.000 unid/ano
Cp – Custo de Pedir/Obter= R$ 30,00/pedido
CA – Custo de Armazenagem Unitário Anual= R$ 0,30 unid/ano

Exercício: Calcule o lote econômica de compra para os dados acima


TREINAMENTO – GESTÃO DE ESTOQUES

2 x30 x 40.000
LEC  = 2.828,43 unidades/pedido
0,30

11 – Lote de Compra

É a quantidade de peças especificadas no pedido de compra que estará sujeita


à política de estoque de cada empresa.

12– Estoque máximo

É o resultado da soma do estoque de segurança mais o lote de compra. O nível


máximo de estoque é normalmente determinado de forma que seu volume
ultrapasse a somatória da quantidade do estoque de segurança com o lote de
um valor que seja suficiente para suportar variações normais de estoque em
face de dinâmica de mercado, deixando margem que assegure, a cada novo
lote, que o nível máximo de estoque não cresça e onere os custos de
manutenção de estoque.

Emax = ES + LC( estoque de segurança mais lote de compra)

Exercício: Qual é o estoque máximo de uma peça cujo lote de compra é igual
a 1.000 unidades e o estoque de segurança é igual a metade do lote de
compra?

Emax = ES + LC = (1000/1) = 1.500 unidades

13 – ESTOQUE DE SEGURANÇA

Também conhecido por estoque mínimo ou estoque reserva, é uma quantidade


mínima de peças que tem que existir no estoque com a função de cobrir as
possíveis variações do sistema, que podem ser: eventuais atrasos no tempo de
fornecimento (TR) por nosso fornecedor, rejeição do lote de compra ou
aumento na demanda do produto. Sua finalidade é não afetar o processo
produtivo e, principalmente, não acarretar transtornos aos clientes por falta de
material e, consequentemente, atrasar a entrega de nosso produto ao
mercado.

Os principais modelos para definir o nível do estoque de segurança são:


- Método do grau de risco (MGR): é o modelo mais simples e fácil de utilizar,
e não requer nenhum conhecimento profundo de matemática. Tal modelo usa
um fator de risco dados em porcentagem, que é definido pelo administrador em
função de sua sensibilidade de mercado e informações que colhe junto a
vendas e a suprimentos.
TREINAMENTO – GESTÃO DE ESTOQUES

ES = C x R

Onde: ES – Estoque de Segurança


C – Consumo Médio do Produto
R – Coeficiente de Risco ou Fator de Segurança

- Método com variação de consumo e/ou tempo de reposição (MVC): é


utilizado quando as variações de demanda e/ou o tempo de reposição forem
maiores que os dados definidos, ou seja, quando houver atrasos na entrega do
pedido e/ou aumento nas vendas.

ES = (Cm – C) + Cm x A : TR

Onde: ES – Estoque de Segurança


Cm – Consumo Maior Previsto do Produto
C – Consumo Médio do Produto
A – Atraso
TR – Tempo de Reposição

Exercício: Uma empresa necessita definir o Estoque de segurança de


determinado produto que tem uma demanda média mensal de 600 unidades e
o gerente de logística está prevendo um aumento da demanda de 25% e
recebeu informações de seu fornecedor que haverá um atraso de 10 dias na
entrega de seu pedido, cujo prazo normalmente é de um mês. Qual será o
estoque de segurança?

Cm= (600 x 1,25) = 750 consumo maior


TR = 1 mês = 30 dias tempo de reposição
Ptr = 10 dias/30 dias = 0,33 = 33% Percentagem de atraso

ES = (Cm – C) + Cm x A : TR

ES = (750 - 600) + (750 x 0,33)

ES = 150 + 250 = 40 unidades

14– AVALIAÇÃO DE ESTOQUE

A gestão de estoques tem, além da preocupação com quantidades, a busca


constante da redução dos valores monetários de seus estoques, atuando para
mantê-los os mais baixos e dentro de níveis de segurança, tanto financeiro,
quanto aos volumes para atender à demanda.

Uma atividade importante dentro do conjunto da gestão de estoque é prever o


valor do estoque em intervalo de tempo adequado e gerenciá-lo, comparando-o
com o planejado, e tomar as devidas ações quando houver desvios de rota. Os
fatores que justificam a avaliação de estoque são:
a) Assegurar que o capital imobilizado em estoques seja o mínimo possível;
b) Assegurar que estejam de acordo com a política da empresa;
TREINAMENTO – GESTÃO DE ESTOQUES

c) Garantir que a valorização do estoque reflita exatamente seu conteúdo;


d) O valor desse capital seja uma ferramenta de tomada de decisão;
e) Evitar desperdícios como obsolescência, roubos, extravios, etc.

Portanto torna-se imperiosa uma perfeita avaliação financeira do estoque para


proporcionar informações exatas e atualizadas das matérias-primas e produtos
em estoques sob responsabilidade da empresa. Essa avaliação é feita com
base nos preços dos itens que temos em estoques. Nesse procedimento,
podemos avaliar os estoques pelos métodos de custo médio, Peps ou Fifo e
Ueps ou Lifo, conforme descritos a seguir:

15– Fifo (First In. First Out) ou Peps (Primeiro a entrar, Primeiro a sair)

Este método é baseado na cronologia das entradas e saídas. O procedimento


de baixa dos itens de estoque é feito para ordem de entrada do material na
empresa, o primeiro que entrou será o primeiro que sairá, e assim utilizarmos
seus valores na contabilização do estoque.

16 – Lifo (Last In, First Out) ou Ueps (Último a entrar, Primeiro a sair)

Esse método também é baseado na cronologia das entradas e saídas, e


considera que o primeiro a sair deve ser o último que entrou em estoque,
portanto, sempre teremos uma valorização do saldo baseada nos últimos
preços. É um procedimento muito utilizado em economias inflacionarias,
facilitando a contabilização dos produtos para definição de preços de venda e
refletindo custos mais próximos da realidade de mercado.

17 – Curva ABC

A utilização da curva ABC é extremamente vantajosa, porque se pode reduzir


as imobilizações em estoques sem prejudicar a segurança , pois ela controla
mais rigidamente os itens de classe A e, mais superficialmente, os de classe C.
A classificação ABC é usada em relação a várias unidades de medidas como
peso, tempo, volume, custo unitário, etc.

A curva ABC assim é chamada em razão de dividirmos os dados obtidos em


três categorias distintas, denominadas classes A, B e C.

- Itens da classe A: São os itens mais importantes e que devem receber toda
a atenção no primeiro momento do estudo. Os dados aqui classificados
correspondem, em média, a 80% do valor monetário total e no máximo 20%
dos itens estudados.

- Itens da classe B: São os itens intermediários e que deverão ser tratados


logo após as medidas tomadas sobre os itens da classe A. São os segundos
em importância. Os dados aqui classificados correspondem, em média, a 15%
do valor monetário total do estoque e no máximo 30% dos itens estudados.
TREINAMENTO – GESTÃO DE ESTOQUES

- Itens da classe C: São os itens de menor importância, embora volumosos


em quantidades, mas com valor monetário reduzidíssimo, permitindo maior
espaço de tempo para sua análise e tomada de ação. Em geral, somente 5%
do valor monetário total representam esta classe, porém, mais de 50% dos
itens formam sua estrutura.

18- Elabore uma curva ABC e a Criticidade dos Itens


Construir a curva ABC do estoque sabendo-se que durante um determinado
ano-base, a empresa Condor apresentou a seguinte movimentação de seu
estoque de 15 itens:

ITEM CONSUMO(UNID/ANO) CUSTO(R$/UN)


1010 450 2,35
1020 23.590 0,45
1030 12.035 2,05
1045 670 3,60
1060 25 150,00
2015 6.540 0,80
2035 2.460 12,00
2050 3.480 2,60
3010 1.250 0,08
3025 4.020 0,50
3055 1.890 2,75
5050 680 3,90
5070 345 6,80
6070 9.870 0,75
7080 5.680 0,35

Cálculo do valor monetário consumido no período:

ITEM CONSUMO(UNID/ANO) CUSTO(R$/UN)


1010 450 X 2,35 1.057,50
1020 23.590 X 0,45 10.615,50
1030 12.035 X 2,05 24.651,25
1045 670 X 3,6 2.412,00
1060 25 X 150 3.750,00
2015 6540 X 0,8 5.232,00
2035 2460 X 12 29.520,00
2050 3.480 X 2,6 9.048,00
3010 1.250 X 0,08 100,00
3025 4.020 X 0,50 2.010,00
3055 1.890 X 0,50 5.197,50
5050 680 X 2,75 2.652,00
5070 345 X 6,80 2.346,00
6070 9.870 X 0,75 7.402,50
7080 5.680 X 0,35 1.988,00
TREINAMENTO – GESTÃO DE ESTOQUES

Ordenando os itens por ordem decrescente do valor consumido durante


o período, teremos:

ITEM VALOR CONSUMIDO

1010 1.057,50

1020 10.615,50

1030 24.651,25

1045 2.412,00

1060 3.750,00

2015 5.232,00

2035 29.520,00

2050 9.048,00

3010 100,00

3025 2.010,00

3055 5.197,50

5050 2.652,00

5070 2.346,00

6070 7.402,50

7080 1.988,00

TOTAL 107.982,25
TREINAMENTO – GESTÃO DE ESTOQUES

Calcular os percentuais de cada um dos itens em relação ao total:

VALOR
ITEM CONSUMIDO % %ACUMULADO

2035 29.520,00/107.982,25 27,34 27,34

1030 24.651,25/107.982,25 22,83 50,17

1020 10.615,50/107.982,25 9,83 60,00

2050 9.048,00/107.982,25 8,38 68,38

6070 7.402,50/107.982,25 6,86 75,23


2015 5.232,00/107.982,25 4,85 80,08
3055 5.197,50/107.982,25 4,81 84,89
1060 3.750,00/107.982,25 3,47 88,36
5050 2.652,00/107.982,25 2,46 90,82
1045 2.412,00/107.982,25 2,23 93,05
5070 2.346,00/107.982,25 2,17 95,23
3025 2.010,00/107.982,25 1,86 97,09
7080 1.988,00/107.982,25 1,84 98,93
1010 1.057,50/107.982,25 0,98 99,91
3010 100,00/107.982,25 0,09 100,00

Uma análise da tabela mostra que os três primeiros itens – 2035, 1030 e 1020
– representam 60% dos gastos totais com materiais de estoque do período;
são portanto, itens tipicamente classe A. Os quatro seguintes – 2050, 6070,
2015 e 3055 – representam mais 25% dos gastos com materiais; são
tipicamente itens da classe B. Os oito itens restantes representam 15%; são,
então, itens classe C.

Assim, como ilustrado pela curva ABC, 20% dos itens (classe A)
representam 60% dos gastos, 26,67% dos itens (classe B) correspondem a
25% dos gastos, e 53,33% dos itens (classe C) resultam em apenas 15% dos
gastos.
TREINAMENTO – GESTÃO DE ESTOQUES

TABELA DE CLASSIFICAÇÃO ABC


ITEM CLASSE VALOR CONSUMIDO % % ACUM.
2035 A 29.520,00/107.982,25 27,34 27,34
1030 A 24.651,25/107.982,25 22,83 50,17
1020 A 10.615,50/107.982,25 9,83 60,00
2050 B 9.048,00/107.982,25 8,38 68,38
6070 B 7.402,50/107.982,25 6,86 75,23
2015 B 5.232,00/107.982,25 4,85 80,08
3055 B 5.197,50/107.982,25 4,81 84,89
1060 C 3.750,00/107.982,25 3,47 88,36
5050 C 2.652,00/107.982,25 2,46 90,82
1045 C 2.412,00/107.982,25 2,23 93,05
5070 C 2.346,00/107.982,25 2,17 95,23
3025 C 2.010,00/107.982,25 1,86 97,09
7080 C 1.988,00/107.982,25 1,84 98,93
1010 C 1.057,50/107.982,25 0,98 99,91
3010 C 100,00/107.982,25 0,09 100,00

Percentual
acumulad
o

Ite
m

A análise ABC de estoques, que multiplica o custo unitário com o volume


comprado, permite que cada classe (A, B, ou C) tenha um tratamento
diferenciado. Os itens da classe A devem receber mais atenção, pois uma
economia ou melhoria em sua utilização(por exemplo, 10%) representa uma
economia(no caso, 6%) no total dos gastos com materiais.
TREINAMENTO – GESTÃO DE ESTOQUES

Por outro lado, uma análise exclusiva da relação pode levar a distorções
perigosas para a empresa, pois ela não considera a importância do item em
relação à operação do sistema como um todo. Itens de manutenção de baixo
preço unitário e comprado em pequenas quantidades podem afetar o
funcionamento do sistema produtivo e a segurança da fábrica. Um simples
parafuso, de baixo custo e consumo, e, geralmente, um item classe C. No
entanto, ele pode interromper a operação de um equipamento ou instalação
essencial à produção de bens e serviços.
Para resolver essa deficiência da análise da equação:

Custo unitário X volume.


Muitas empresas utilizam o conceito CRITICIDADE DOS ITENS DE
ESTOQUE.
Criticidade á a avaliação dos itens quanto ao impacto que sua falta causará na
operação da empresa, na imagem da empresa perante os clientes, na
facilidade de substituição do item por outro e na velocidade de obsolescência.
Dentro do conceito de criticidade, os itens podem ser classificados em
classe A(itens cuja falta provoca a interrupção da produção dos bens e serviços
e cuja substituição é difícil e sem fornecedor alternativo), classe B(itens cuja
falta não provoca efeitos na produção de bens e/ou serviços no curto prazo) e
classe C(os demais itens).

CLASSE GRAU DE IMPORTÂNCIA DOS ITENS


A impressindíveis(sua falta interrompe a produção)
importante(sua falta não impacta a produção no curto
B prazo)
C
demais itens

Exercício:

Fazer uma classificação dos itens do exercício anterior combinando


criticidade e análise ABC simples(custo unitário X volume). A análise de
criticidade dos 15 itens de estoque levou a classificação abaixo.

TABELA DE CRITICIDADE
PERCENTUAL EM RELAÇÃO AO
CLASSE ITENS TOTAL
A 2015, 5050 13,3
B 1020, 1060, 3025, 6070 26,7
1030, 2035,
2050, 3055, 1045, 3010,
C 60
1010 5070, 7080

Uma análise cruzadas das tabelas ABC com a de criticidade, permite-se


montar a tabela abaixo:
TREINAMENTO – GESTÃO DE ESTOQUES
CRITICIDADE
TOTAL DE
ANÁLISE ABC SIMPLES
A B C ITENS
A 1020 1030,2035 3

B 2015 6070 2050,3055 4

1010, 1045,
C 5050 1060, 3025 3010, 5070, 8
7080

TOTAL
DE 2 4 9 15
ITENS

Assim, quanto à criticidade, temos dois itens(2015 e 2050) na classe A, e


quatro itens (1020, 6070, 1060 e 3025) na classe B e nove itens (1030, 2035,
2050, 3055, 1010, 1045, 3010, 5070 e 7080) na classe C.
Quanto à classificação pelo custo unitário – 3 volumes – temos os três itens
(1020, 1030 e 2035) na classe A, quatro itens(2015, 6070, 2050, e 3050) na
classe B E oito itens(5050, 1060, 1010, 1045, 3010, 5070 e 7080) na classe C.
Uma classificação conjunta sugerida é chama AA as células AA, AB, e
BA; de classe BB as células AC, BB e CA; e, finalmente, classe CC as células
BC, CB e CC. Assim, chegamos aos resultados da tabela abaixo:
CLASSIFICAÇÃ % EM RELAÇÃO AO TOTAL DE
O ITENS ITENS
AA 1020, 2015 13,33
5050, 6070,
BB
1030,2035 26,67
1060, 3025, 2050,
3055
CC 1010, 1045, 3010, 60
5070
7080