Vous êtes sur la page 1sur 3

CIEP - 426

ALUNO:
Nº:
DISCIPLINA: Sociologia
PROFESSOR: DERMEVAL
ANO ESCOLAR: 1º
TURMA: DATA: NOTA:

Avaliação de Sociologia – 4º Bimestre


1. (ENEM – 2012) Lugar de mulher também é na oficina. Pelo menos nas oficinas dos cursos da área
automotiva fornecidos pela Prefeitura, a presença feminina tem aumentado ano a ano. De cinco mulheres
matriculadas em 2005, a quantidade saltou para 79 alunas inscritas neste ano nos cursos de mecânica
automotiva, eletricidade veicular, injeção eletrônica, repintura e funilaria. A presença feminina nos cursos
automotivos da Prefeitura — que são gratuitos — cresceu 1.480% nos últimos sete anos e tem aumentado
ano a ano. Disponível em: www.correiodeuberlandia.com.br. Acesso em: 27 fev. 2012 (adaptado).
Na produção de um texto, são feitas escolhas referentes a sua estrutura, que possibilitam inferir o objetivo
do autor. Nesse sentido, no trecho apresentado, o enunciado “Lugar de mulher também é na oficina”
corrobora o objetivo textual de
a) demonstrar que a situação das mulheres mudou na sociedade contemporânea.
b) defender a participação da mulher na sociedade atual.
c) comparar esse enunciado com outro: “lugar de mulher é na cozinha”.
d) criticar a presença de mulheres nas oficinas dos cursos da área automotiva.
e) distorcer o sentido da frase “lugar de mulher é na cozinha”.

2. (ENEM – 2013)
Olá! Negro
Os netos de teus mulatos e de teus cafuzos
e a quarta e a quinta gerações de teu sangue sofredor tentarão apagar a tua cor!
E as gerações dessas gerações quando apagarem a tua tatuagem execranda,
não apagarão de suas almas, a tua alma, negro!
Pai-João, Mãe-negra, Fulo, Zumbi,
negro-fujão, negro cativo, negro rebelde
negro cabinda, negro congo, negro ioruba,
negro que foste para o algodão de USA
para os canaviais do Brasil,
para o tronco, para o colar de ferro, para a canga
de todos os senhores do mundo;
eu melhor compreendo agora os teus blues
nesta hora triste da raça branca, negro!
Olá, Negro! Olá, Negro!
A raça que te enforca, enforca-se de tédio, negro!
LIMA, J. Obras completas. Rio de Janeiro: Aguilar, 1958 (fragmento).
O conflito de gerações e de grupos étnicos reproduz, na visão do eu lírico, um contexto social assinalado
por
a) modernização dos modos de produção e consequente enriquecimento dos brancos.
b) preservação da memória ancestral e resistência negra a apatia cultural dos brancos.
c) superação dos costumes antigos por meio da incorporação de valores dos colonizados.
d) nivelamento social de descendentes de escravos e de senhores pela condição de pobreza.
e) antagonismo entre grupos de trabalhadores e lacunas de hereditariedade.

3. (PITÁGORAS) Leia o texto e identifique a alternativa que melhor responde à questão que o
segue:
Um Brasil de cotas raciais? [...] “A maneira mais efetiva de reduzir as desigualdades sociais é pela
generalização da educação basica de qualidade e pela abertura de bons postos de trabalho. Cotas
raciais, mesmo se eficazmente implementadas, promoverão somente a ascensão social de um
reduzido número de pessoas, não alterando os fatores mais profundos que determinam as
iniquidades sociais. [...] Que Brasil queremos? Um país no qual as escolas eduquem as crianças
pobres, independentemente da cor ou raça, dando-lhes oportunidade de ascensão social e
econômica; no qual as universidades se preocupem em usar bem os recursos e formar bem os
alunos. No caso do ensino superior, o melhor caminho é aumentar o número de vagas nas
instituições públicas, ampliar os cursos noturnos, difundir os cursos de pré-vestibular para alunos
carentes, implantar campus em áreas mais pobres, entre outras medidas. Devemos almejar um
Brasil no qual ninguém seja discriminado, de forma positiva ou negativa, pelo cor ou raça: que se
valorize a diversidade como um processo vivaz que deve permanecer livre de normas impostas
pelo Estado a indivíduos que não necessariamente querem se definir segundo critérios raciais”
(publicado em 14 de abril de 2006 no Correio Braziliense, de autoria de Marcos Chor Maio e Ricardo
Ventura Santos – reproduzido na página 291 do livro Divisões perigosas, de Peter Fry e outros,
editora Civilização brasileira, 2007). Segundo a perspectiva dos autores, QUAL seria o provável
efeito da utilização de cotas raciais para o enfrentamento das desigualdades sociais?
a) O rebaixamento da qualidade do ensino superior, assim como a racialização das identidades
sociais.
b) A superação das desigualdades raciais, tal qual o abandono gradual de práticas de preconceito
racial.
c) A continuidade das desigualdades sociais, apesar da diminuição das tensões racial-identitárias.
d) A superação das desigualdades raciais, assim como um aumento na escolaridade média do
brasileiro.
e) A continuidade das desigualdades sociais, bem como a fixação arbitrária de identidades raciais.

4. (Unicentro 2012) A suposição de que havia um consenso absoluto sobre a organização social e
a vida cultural de cada tribo só era possível através da ideia que os administradores e cientistas
europeus tinham da “tradição”. As sociedades “tribais” (ou “primitivas”) seriam, para eles,
“sociedades tradicionais” — não só as regras de conduta eram pautadas rigidamente pelo costume,
como esse costume era transmitido, oralmente e de forma imutável, de geração a geração, desde
o princípio dos tempos. Os europeus não admitiam que os africanos pudessem refletir criticamente
sobre a sua própria cultura”. FIGUEIREDO, Fábio Baqueiro. História da África. Brasília: Ministério
da Educação/Secretária de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade; Salvador: Centro
de Estudos Afro-Orientais, 2010. 144. Disponível em: . Acesso em: 2 jul. 2011.
O texto pontua a construção do olhar europeu sobre a África, no período colonial. A partir dos
debates atuais sobre as relações étnicas no Brasil, identifique com V ou F, conforme sejam
verdadeiras ou falsas as afirmativas sobre o texto.
( ) O resultado sociopolítico dessa visão estereotipada ainda hoje pode ser observado em relação
à população afro-brasileira.
( ) Os conflitos raciais resultam de estereótipos sociais, e não de fatos científicos.
( ) Um indivíduo etnocêntrico não tem capacidade de observar outras culturas nas próprias
condições em que elas se mostram.
A alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo, é a
a) V V V b) F V V c) V F F d) F V F e) V V F

15. (Unicentro 2011) — Diga lá, menina, o que é que você quer ser quando crescer? Eu quero ser
dona de casa atuante ou mulher de milionário. Dona de casa atuante ou mulher de milionário.
(Jorge Ben Jor). Na estrofe da letra de Jorge Ben Jor e na imagem acima, pode-se observar um
modelo de socialização da mulher, em que a imitação torna-se um ótimo momento de interação
infantil de gênero. Sobre as relações de gênero, é correto afirmar:
a) O conceito de gênero se refere às condições de origem psicológicas e biológicas.
b) A discussão sobre a violência doméstica não deve entrar em pauta nas discussões sobre
gênero.
c) A desigualdade entre homens e mulheres é historicamente construída, ou seja, não é uma
desigualdade natural.
d) A discussão sobre a identidade corporal e a sexualidade feminina não fazem parte das análises
sobre questões de gênero.
e) A visão feminina é constantemente romântica, e, por isso, deve-se ater ao direito à maternidade,
mas não à igualdade de condições no trabalho.