Vous êtes sur la page 1sur 1

AUTOR PRINCIPAL/INSTITUIÇÃO:

Jaqueline dos Santos Santos

Universidade Federal do Pará, Belém/PA, Brasil, santos.js@yahoo.com.

TÍTULO:

Estabilização do solo com material não convencional: Um estudo experimental.

RESUMO (entre 2400 e 4000 caracteres com espaços):

A estabilização de solos é a técnica mais comum adotada para melhoria da capacidade de suporte e
características de recalque em solos fracos. Dentre os diversos tipos de estabilização existentes, podemos
citar a estabilização mecânica – granulométrica, por compactação ou por vibração - e a estabilização química
feita a partir da adição de materiais ligantes, como o cimento e/ou a cal. Em relação a estabilização química
usual, a alta demanda da construção civil e o processo de obtenção não renovável de tais materiais
industrializados contribuem para a exploração do meio ambiente e a escassez de suas matérias primas. Por
exemplo, o setor de mineração do calcário, destinado a fabricação de cimento e cal, é sabidamente
impactante pois, além de utilizar matéria prima de fonte não renovável no seu processo de extração, gera-se
uma alta concentração de particulados em suspensão e altos níveis de ruído; seus efluentes líquidos são
carreados com águas pluviais e subterrâneas, contaminadas por sólidos em suspensão. Já na produção do
cimento propriamente dito, é gerado, na queima do clínquer, cerca de 5% da emissão global de CO2. Tal
cenário impulsiona a busca por materiais alternativos que apresentem menor impacto ambiental, associado a
um baixo custo de produção. Desta forma, pesquisadores têm utilizado diferentes resíduos de origem
industrial e agrícola que, ao passarem por processo de beneficiamento, apresentam propriedades
comparáveis às do cimento e/ou da cal. Com o objetivo de estudar materiais alternativos, este trabalho utiliza
como fonte de calcário a casca do ovo galináceo branco, material rico em carbonato de cálcio (CaCO3) que,
ao ser calcinado gera entre 40 a 60% de Óxido de Cálcio (CaO), principal componente da Cal industrial
utilizada na estabilização química de solos. Desta maneira, este trabalho surge com o propósito de analisar o
uso, em diferentes proporções, da casca de ovo branco calcinada como estabilizador químico de um solo
silte-arenoso. Para tanto foi realizado um programa experimental dividido da seguinte forma: inicialmente foi
realizado o processo de beneficiamento da casca de ovo branco através de calcinação a 800ºC por um
período de 6 horas. Para caracterização da cal obtida foram realizados os ensaios de difração de Raios X,
florescência de Raios X, microscopia eletrônica de varredura e análise termogravimétrica. Em paralelo, foi
realizada a caracterização do solo através dos ensaios de massa específica real dos grãos, análise
granulométrica, limites de Atterberg e ensaios de compactação e índice de suporte Califórnia. Já para as
misturas de solo e cal foi realizado os ensaios de limites de Atterberg, compactação e índice de suporte
Califórnia. Com os valores obtidos observou-se uma diminuição do índice de plasticidade e um aumento da
capacidade de suporte com a mistura adicionada.