Vous êtes sur la page 1sur 11

Teste de avaliação Ano letivo 2019-2020

Biologia e Geologia – 11.º ano


________________________________________________________________________

Grupo I

Em fevereiro de 2019, um grupo de cientistas japoneses anunciou na revista Science que conseguiu
aumentar o alfabeto genético para oito letras. Aos pares de bases nucleotídicas naturais
complementares entre si (A-T e C-G), os investigadores acrescentaram mais dois pares sintéticos
criados em laboratório, também eles complementares entre si (Z-P e S-B). Este sistema,
representado na figura 1, foi apelidado de Hachimoji. Adicionalmente, o grupo desenvolveu uma
enzima capaz de transcrever o DNA Hachimoji para uma molécula de RNA.
O código genético baseado nos quatro nucleótidos naturais produz 64 combinações diferentes de
codões (figura 2). Com oito bases, o número de combinações possíveis aumenta significativamente.
Sendo assim, será expectável a produção de proteínas inexistentes na Natureza.

1.ª 2.ª base 3.ª


base U C A G base
Fen Ser Tir Cist U
Fen Ser Tir Cis C
U
Leu Ser ---- ---- A
Leu Ser ---- Trp G
Leu Pro His Arg U
Leu Pro His Arg C
C
Leu Pro Gln Arg A
Leu Pro Gln Arg G
Ile Tre Asn Ser U
Ile Tre Asn Ser C
A
Ile Tre Lis Arg A
Figura 1. Pares de bases complementares do DNA
Met Tre Lis Arg G
Hachimoji.
Val Ala Asp Gli U
Val Ala Asp Gli C
G
Val Ala Glu Gli A
Val Ala Glu Gli G
Figura 2. Tabela de correspondência entre
codões e aminoácidos.

Baseado em https://science.sciencemag.org/content/363/6429/884
(consultado em 17 de outubro de 2019)

Nos itens de 1. a 7., selecione a letra da opção correta.

1. A enzima produzida pelos investigadores para transcrever o DNA Hachimoji foi uma
(A) DNA polimerase que não poderá ser utilizada na replicação do DNA.
(B) RNA polimerase que também será utilizada na replicação do DNA.
(C) DNA polimerase que também será utilizada na replicação do DNA.
(D) RNA polimerase que não poderá ser utilizada na replicação do DNA.

1
2. Considere o seguinte fragmento de um gene do DNA Hachimoji 3´… CGA GTG CBZ TPA … 5´.
A sequência da cadeia de DNA Hachimoji complementar será
(A) 3´… GCU CAC GSP AZU … 5´.
(B) 5´… GCU CAC GSP AZU … 3´.
(C) 5´… GCT CAC GSP AZT … 3´.
(D) 3´… CGA GTG CBZ TPA … 5´.

3. Utilizando a figura 2 e considerando o mesmo fragmento de um gene do DNA Hachimoji (3´…


CGA GTG CBZ TPA … 5´), os dois primeiros aminoácidos produzidos através desta sequência são
(A) Ala-His. (C) Val-Gli.
(B) Arg-Val. (D) Pro-Ser.

4. Os processos de transcrição e de tradução da informação genética nos seres vivos eucariontes


ocorrem
(A) respetivamente, no citoplasma e no núcleo.
(B) respetivamente, no núcleo e no citoplasma.
(C) ambos no núcleo.
(D) ambos no citoplasma.

5. O DNA é uma molécula formada por duas cadeias polinucleotídicas, ao contrário do RNA, pois
(A) a pentose de um nucleótido está ligada ao grupo fosfato do nucleótido seguinte, na mesma
cadeia.
(B) ao longo da cadeia os nucleótidos estão ligados por ligações fosfodiéster.
(C) as cadeias antiparelelas estabelecem ligações entre si por pontes de hidrogénio.
(D) a pentose é a desoxirribose.

6. A degenerescência do código genético significa que


(A) o codão de iniciação (AUG) tem dupla função.
(B) o mesmo aminoácido é codificado por diferentes codões.
(C) existem codões de finalização.
(D) todos os codões são traduzidos em aminoácidos.

7. Comparando a replicação do DNA e a síntese proteica que ocorrem numa célula procarionte e
numa célula eucarionte, é correto afirmar que
(A) a replicação do DNA é semelhante, mas nas células procariontes não ocorre o processamento
do RNA.
(B) a replicação do DNA é semelhante, mas nas células eucariontes não ocorre o processamento
do RNA.
(C) a replicação do DNA é diferente, mas as etapas da síntese proteica são as mesmas.
(D) quer a replicação do DNA quer a síntese proteica ocorrem de forma diferente.

8. Ordene as letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência cronológica dos acontecimentos


relacionados com a síntese proteica.
A. Maturação do RNA mensageiro.
B. Libertação de uma sequência peptídica.
C. Formação de uma molécula com ribose e uracilo, por complementaridade de bases azotadas
à cadeia do DNA.
D. O ribossoma encontra um codão de finalização.
E. Ligação da subunidade menor do ribossoma à extremidade 5´do RNA mensageiro.

2
9. O código genético é universal, por isso os cientistas poderão inserir o DNA Hachimoji tanto em
células animais como vegetais para tentarem produzir novas proteínas. Contudo, as divisões
celulares que ocorrem nestes dois tipos de células apresentam algumas diferenças.
Explique duas diferenças que se verificam entre a divisão celular de células eucarióticas animais e
de células eucarióticas vegetais.

Grupo II

A doença de Alzheimer afeta 90 000 pessoas em Portugal e é responsável por 70% dos casos de
demência existentes no mundo, uma vez que é uma doença neurodegenerativa, afetando o sistema
nervoso central e levando à perda de capacidades cognitivas e da memória.
O primeiro indicador de que uma pessoa desenvolveu Alzheimer é a formação de depósitos de beta-
amiloide (ßA) na massa cinzenta do cérebro, formando uma estrutura designada por “placas senis”.
Posteriormente, assiste-se à perda de neurónios e à diminuição da capacidade de efetuar sinapses
nervosas.
A transtirretina (TTR) é uma proteína que tem vindo a ser associada à doença de Alzheimer como
uma molécula protetora, uma vez que interfere na formação de fibrilas ßA, impedindo que se
constituam agregados deste composto e rompendo os agregados que eventualmente se tenham
formado. É sabido que a estabilização da TTR é muito importante na correta interação com a ßA e
admite-se a possibilidade de essa estabilização ser conseguida com recurso a um composto
denominado Iododiflunisal (IDIF). Nos doentes de Alzheimer, as quantidades de TTR são reduzidas
e a proteína encontra-se desestabilizada.
Com o objetivo de perceber a influência da IDIF na estabilização da TTR, para que ocorra uma
correta interação entre a TTR e a ßA, um grupo de investigadores do Instituto de Investigação e
Inovação em Saúde (I3S) procedeu a tratamentos com IDIF em ratinhos afetados com a doença de
Alzheimer.
Após o tratamento com IDIF, foi realizado o Teste do Labirinto Aquático de Morris, no qual os
ratinhos têm de recorrer às suas capacidades de aprendizagem espacial e de memória para
encontrarem, o mais rapidamente possível, uma plataforma estável escondida na água, mas sempre
no mesmo local. O teste foi realizado durante 7 dias e os resultados encontram-se representados
na figura 4. Paralelamente, após os 7 dias foram medidos os níveis de ßA e a quantidade de placas
senis que existiam nesses ratinhos. Os resultados das medições estão representados nas figuras
3A e 3B.

Figura 3A. Quantidade de ßA no grupo de controlo Figura 3B. Percentagem de placas senis na massa
e no grupo tratado com IDIF, após os 7 dias. cinzenta do cérebro no grupo de controlo e no grupo
tratado com IDIF, após 7 dias.

3
Figura 4. Resultados do Teste do Labirinto Aquático de Morris.

Baseado em Ribeiro, C. A. et al. (2014). Transthyretin Stabilization by Iododiflunisal


Promotes Amyloid-Peptide Clearance, decreases its deposition, and Ameliorates Cognitive
Deficits in an Alzheimer’s Disease Mouse Model, Journal of Alzheimer’s Disease.

1. Indique qual é a variável independente utilizada nesta investigação.

Nos itens de 2. a 5., selecione a letra da opção correta.

2. Através da análise das figuras conclui-se que


(A) a TTR desestabilizada promove a diminuição da formação dos agregados de ßA.
(B) ratinhos com níveis mais elevados de ßA realizam mais rapidamente o Teste do Labirinto
Aquático de Morris.
(C) a TTR estabilizada conduz à formação de placas senis.
(D) ratinhos onde ocorre uma interação correta entre a TTR e a ßA revelam maiores capacidades
de aprendizagem espacial e de memória.

3. No decurso do processamento do pré-mRNA para formar a transtirretina (TTR), ocorre a remoção


das regiões ________ designadas por ________.
(A) não codificantes … exões (C) codificantes … exões
(B) não codificantes … intrões (D) codificantes … intrões

4. Na regeneração das células somáticas dos ratinhos verifica-se


(A) a descondensação dos cromossomas na prófase.
(B) a clivagem do centrómero na telófase.
(C) a reorganização do invólucro nuclear na anáfase.
(D) o alinhamento dos centrómeros no plano equatorial na metáfase.

5. Ao contrário da divisão celular que ocorre nas bactérias, nos ratinhos ocorre
(A) a desintegração do invólucro nuclear.
(B) a formação de parede celular.
(C) a formação de duas células-filhas geneticamente idênticas.
(D) a replicação semiconservativa do DNA.

4
6. Faça corresponder a cada uma das afirmações da coluna A o respetivo termo, que consta da
coluna B.

Coluna A Coluna B
(a) Molécula que possui uma sequência de ribonucleótidos (1) Codão
complementar de um codão. (2) Codogene
(b) Sequência de três bases nucleotídicas de DNA. (3) Gene
(c) Segmento de DNA constituído pela informação necessária (4) RNA de transferência
para a síntese de uma proteína específica. (5) RNA mensageiro

7. Explique, com base nas figuras 3 e 4, em que medida os resultados obtidos permitem responder
ao objetivo do estudo.

8. Explique de que forma uma alteração num nucleótido da sequência genética que é traduzida na
TTR (transtirretina) poderia, ou não, modificar os resultados da experiência.

Grupo III

O ciclo celular apresenta mecanismos próprios para evitar a ocorrências de falhas que coloquem
em causa a viabilidade das células, ativando processos que podem levar a célula a entrar em
apoptose ou a gerar células tumorais. Por esse motivo, as células eucarióticas apresentam uma
série de mecanismos que impedem divisões celulares descontroladas e reparam danos no material
genético. A progressão das células no ciclo celular é controlada pelas ciclinas, que ativam as
enzimas cinases dependentes da ciclina (CDK). As ciclinas não têm função enzimática, mas
possuem os locais que permitem a formação de complexos com as CDK, que iniciam as diferentes
etapas do ciclo celular. Por exemplo, o complexo formado entre a CDK2 e a ciclina E induz os
processos iniciais da replicação do DNA.
Nos seres humanos existem treze CDKs, não variando muito a sua concentração durante o ciclo
celular, ao contrário da concentração das diferentes ciclinas (figura 5).

Figura 5. Variação da concentração das ciclinas durante o ciclo celular.

Baseado em Ablyazizov, S. (2017). Estudo da função das proteínas MOB1 e ASPM


na progressão da mitose, Faro: Universidade do Algarve. Dissertação de mestrado

5
Nos itens de 1. a 7., selecione a letra da opção correta.

1. A produção de ciclina B inicia-se aquando da


(A) replicação do DNA.
(B) condensação dos cromossomas.
(C) ascensão polar dos cromatídios.
(D) produção de organelos membranares.

2. Na fase do ciclo celular onde ocorre a produção de estruturas membranares, verifica-se que a
________ atinge o seu máximo de concentração.
(A) ciclina D
(B) ciclina E
(C) ciclina A
(D) ciclina B

3. Na prófase, comparativamente ao momento em que a ciclina E atinge o seu máximo de


concentração, verifica-se
(A) o dobro da quantidade de DNA, sendo cada cromossoma constituído por dois cromatídios.
(B) o dobro da quantidade de DNA, e o dobro do número de cromossomas.
(C) a mesma quantidade de DNA, sendo cada cromossoma constituído por um cromatídio.
(D) a mesma quantidade de DNA e o mesmo número de cromossomas.

4. Numa célula em divisão celular em que se inicia a formação do fuso acromático, é de prever que
se verifiquem níveis elevados de ________ e inexistentes de ________.
(A) ciclina D ... ciclina B
(B) ciclina B ... ciclina A
(C) ciclina A ... ciclina E
(D) ciclina B ... ciclina E

5. Os cromossomas das células em mitose atingem o máximo da sua condensação na


(A) prófase.
(B) metáfase.
(C) anáfase.
(D) telófase.

6. Considere as seguintes afirmações, referentes à observação microscópica de células em divisão


celular. Selecione a opção que as avalia corretamente.
I. A ampliação total da observação corresponde à ampliação da objetiva utilizada.
II. O parafuso micrométrico serve para focar o objeto observado.
III. A primeira objetiva a utilizar na observação de uma preparação deve ser a de maior ampliação.
(A) I e III são verdadeira; II é falsa.
(B) I e II são verdadeiras; III é falsa.
(C) III é verdadeira; I e II são falsas.
(D) II é verdadeira; I e III são falsas.

7. Durante a mitose, o número de cromossomas


(A) duplica no período S da interfase. (C) não varia.
(B) duplica na anáfase. (D) reduz para metade na anáfase.

6
8. Ordene as frases identificadas pelas letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência
cronológica de acontecimentos envolvidos na divisão celular.
A. A distância entre os cromatídios-irmãos é crescente.
B. Os cromossomas, unidos ao fuso acromático, deslocam-se em direção ao plano equatorial da
célula.
C. Inicia-se a compactação e o enrolamento da cromatina, tornando-se os cromossomas mais
curtos e densos.
D. O invólucro nuclear reorganiza-se e a cromatina descondensa.
E. Clivagem dos centrómeros.

9. Explique de que modo a utilização de uma substância que inibe a transcrição do gene responsável
pela produção de ciclina E pode afetar o ciclo celular.

Grupo IV

John B. Gurdon e Shinya Yamanaka receberam o Prémio Nobel da Fisiologia ou Medicina em 2012
por terem desenvolvido um método revolucionário capaz de reprogramar células especializadas em
células indiferenciadas, que podem originar qualquer tecido do corpo. A estas células os cientistas
deram o nome de células estaminais pluripotentes induzidas (iPS), e a sua reprogramação é feita
através da ativação de quatro genes.

Figura 6. Reprogramação de células adultas em células estaminais pluripotentes induzidas.


Ao transferir os quatro genes que Shinya Yamanaka estudou (1) para células da pele de um
rato adulto (2), as células foram reprogramadas em células estaminais pluripotentes induzidas
(3) com capacidade de se diferenciarem em qualquer tipo de células de um rato adulto.

Desde então, a investigação em torno das iPS tem tido avanços significativos, principalmente no
Japão, onde, recentemente, uma mulher com uma doença ocular ao nível da córnea (camada
transparente que cobre e protege o olho), cujo agravamento poderia levar à cegueira, recebeu
células da córnea produzidas a partir de células iPS. Um mês após o transplante das células, a
paciente melhorou significativamente a visão.
Os médicos japoneses têm utilizado as células iPS para tratarem outras doenças oculares, lesões
na medula espinhal e até a doença de Parkinson.

Baseado em https://www.nobelprize.org/prizes/medicine/2012/press-release/ e
https://www.nature.com/articles/d41586-019-02597-2 (consultados em 15 de outubro de 2019)

7
Nos itens de 1. a 7., selecione a letra da opção correta.

1. As células constituintes dos ratinhos são eucarióticas pois


(A) apresentam organelos membranares.
(B) apresentam informação genética muito descondensada.
(C) apresentam material genético e ribossomas.
(D) realizam síntese proteica a partir da informação genética.

2. Considere que a percentagem conjunta de adenina e de timina numa molécula de DNA de um


ratinho é 70%. As percentagens de guanina e de bases púricas nessa molécula são,
respetivamente,
(A) 15% e 50% (C) 15% e 30%
(B) 30% e 15% (D) 30% e 50%

3. Na mulher que recebeu células da córnea produzidas a partir de células iPS, estas novas células
passaram a ser
(A) diferenciadas, sendo expressos todos os genes.
(B) diferenciadas, sendo produzidas proteínas específicas.
(C) indiferenciadas, sendo expressos todos os genes.
(D) indiferenciadas, sendo produzidas proteínas específicas.

4. As iPS, ao contrário das células totipotentes,


(A) têm um potencial de diferenciação ilimitado, podendo originar um organismo completo.
(B) têm um potencial de diferenciação restrito, sendo capazes de se diferenciar, apenas, em tecidos
específicos.
(C) são capazes de originar qualquer tecido, mas não um organismo completo.
(D) não têm capacidade de diferenciação.

5. Uma célula cancerígena possui ________ diferenciação e para evitar a sua proliferação deve
ocorrer a ________.
(A) elevada … apoptose
(B) elevada … formação de metástases
(C) reduzida … formação de metástases.
(D) reduzida … apoptose

6. A estacaria é um processo de reprodução assexuada por


(A) bipartição.
(B) gemiparidade.
(C) multiplicação vegetativa.
(D) partenogénese.

7. O método da micropropagação vegetativa utilizado pelos cientistas para a produção em massa


de plantas
(A) que origina plantas diferentes das progenitoras, uma vez que as plantas se desenvolvem por
mitose.
(B) é considerado um processo de reprodução assexuada que não contribui para o aumento da
variabilidade genética.
(C) é um processo de reprodução assexuada e, por isso, origina plantas diferentes das
progenitoras.
(D) origina plantas idênticas, uma vez que impede a diferenciação celular.

8
8. Faça corresponder cada uma das descrições de processos de reprodução assexuada, expressas
na coluna A, à respetiva designação, que consta da coluna B.

Coluna A Coluna B
(a) Um individuo divide-se em várias porções, que originam, cada uma (1) Esporulação
delas, um novo ser. (2) Fragmentação
(b) Processo em que o gameta feminino se desenvolve, formando um (3) Divisão múltipla
novo ser, sem que tenha ocorrido a fecundação. (4) Gemulação
(c) Divisão que leva a formação de vários núcleos na célula mãe, (5) Partenogénese
antes da citocinese.

9. A Doença de Parkinson causa a morte de um certo tipo de células cerebrais que produzem uma
substância essencial para a coordenação dos movimentos corporais, denominada dopamina. Para
que os sintomas de Parkinson se manifestem, é necessária a morte de 70% a 80% dessas células.
Explique de que forma as células iPS podem ser utilizadas no tratamento da doença de Parkinson.

Item
Grupo
Cotação (em pontos)
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.
I
5 5 5 5 5 5 5 5 10 50
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.
II
5 5 5 5 5 5 10 10 50
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.
III
5 5 5 5 5 5 5 5 10 50
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.
IV
5 5 5 5 5 5 5 5 10 50
Total 200

9
Teste de avaliação de Biologia e Geologia – 11.o ano
Critérios de correção e cotações

Critérios de correção Cotação


Grupo I
1. Opção (D) 5
2. Opção (C) 5
3. Opção (A) 5
4. Opção (B) 5
5. Opção (C) 5
6. Opção (B) 5
7. Opção (A) 5
8. C – A – E – D – B. 5
9. – Formação do fuso acromático pelos centríolos, nas células animais, e
pelo centro organizador de microtúbulos, nas vegetais.
– Nas células animais, a citocinese ocorre por estrangulamento/constrição
10
de microfibrilas, proteínas na região equatorial da célula; nas células
vegetais, a citocinese envolve a formação de uma parede celular a partir da
deposição de vesículas golgianas, que contêm, sobretudo, celulose.
Grupo II
1. Iododiflunisal (IDIF). 5
2. Opção (D) 5
3. Opção (B) 5
4. Opção (D) 5
5. Opção (A) 5
6. a – 4; b – 2; c – 3. 5
7. – Nas figuras 3A e 3B verifica-se que a quantidade de ßA produzida e a
percentagem de placas senis, após 7 dias de tratamento com IDIF, é menor
do que no grupo controlo.
– Na figura 4 verifica-se que, após os 7 dias de tratamento com IDIF, os 10
resultados no teste do Labirinto de Morris demonstram que, com o passar
dos dias, os ratinhos do grupo tratado diminuem o tempo necessário até
encontrarem a plataforma submersa
8. – Relação entre a alteração poder resultar na tradução de um
aminoácido diferente que leva à produção de uma TTR modificada e a
interferência nos resultados da experiência.
10
– Relação entre a alteração da sequência nucleotídica ser uma mutação
silenciosa, devido à redundância do código genético, e a manutenção dos
resultados da experiência.
Grupo III
1. Opção (A) 5
2. Opção (C) 5
3. Opção (A) 5
4. Opção (D) 5
5. Opção (B) 5
6. Opção (D) 5
7. Opção (C) 5
8. C – B – E – A – D. 5
9. – Relação entre a inibição da transcrição e a não produção da proteína
10
ciclina E.

10
– Relação entre a não produção de ciclina E e a ausência da replicação de
DNA necessária para que se complete o ciclo celular.
Grupo IV
1. Opção (A) 5
2. Opção (A) 5
3. Opção (B) 5
4. Opção (C) 5
5. Opção (D) 5
6. Opção (C) 5
7. Opção (B) 5
8. a – 2; b – 5; c – 3. 5
9. – Referência à reprogramação de células adultas/diferenciadas para que
se tornem indiferenciadas (iPS).
– As células iPS podem ser diferenciadas em qualquer tipo de célula
humana. 10
– Referência à utilização das células iPS para formar células cerebrais
produtoras de dopamina essencial para a coordenação dos movimentos
corporais.
TOTAL 200

11