Vous êtes sur la page 1sur 1

INFORMATIVO DA GRYPHUS EDITORA - NOVEMBRO 2010

DESTAQUE DE NOVEMBRO
RETORNO 201
GUILLERMO ARRIAGA
Gryphus Editora lança livro de contos do escritor, diretor e roteirista, no qual conta his-
tórias vividas pelos moradores de uma rua na Cidade do México
Um homem apaixonado por uma triste mulher. Crianças que perderam – ou nunca tive-
ram – a marca da inocência e se envolvem em ações de uma crueldade cortante – e
chocante. Um médico que não cura e, sim, contamina com maldade a vida daqueles ao
seu redor. A dor de um homem que não é perdoada pela hostilidade da pequenez
humana. Amores não-correspondidos, pequenas, mas profundas feridas do cotidiano,
em trajetórias nas quais há pouco espaço para a ternura. Essas histórias estão reunidas
em 14 contos neste lançamento da Gryphus Editora, Retorno 201, concebidos pelo
romancista, diretor e roteirista Guillermo Arriaga. São contos de amor, dor e morte que
têm como cenário a rua que dá título ao livro, uma rua longa sem curvas, localizada na
ISBN : 978-85-60610-51-8 região sul da Cidade do México.
FORMATO : 14 X 21 CM.
160 PÁGINAS
R$ 29,90
O AUTOR
Nascido na Cidade do México em 1958, Guillermo Arriaga licenciou-se em Ciências da
Comunicação e em História. É romancista, produtor, diretor e roteirista de cinema.
Além de Retorno 201, Arriaga escreveu os romances Um doce aroma de morte, O
búfalo da noite e O Esquadrão Guilhotina, todos lançados no Brasil pela Gryphus Edito-
ra. Arriaga é premiado roteirista dos filmes Amores Brutos, 21 Gramas e Babel, pelo
qual concorreu ao Oscar de melhor roteiro original em 2007. Abaixo, o escritor conta
um pouco sobre o seu novo livro lançado no Brasil.

GRYPHUS EM FOCO ENTREVISTA GUILLERMO ARRIAGA


GRYPHUS EM FOCO Os contos de Retorno 201 têm, em comum, sentimentos de
desespero, desilusão, crueldade, apatia, intolerância, maldade. Emoções que têm
presença constante no dia a dia, na relação entre família, amigos e vizinhos. Fale
mais sobre como você relaciona sentimentos tão intensos e sua presença no cotidiano.
GUILLERMO ARRIAGA Os contos de Retorno 201 foram escritos,
80% deles, quando eu tinha entre 24 e 26 anos. Alguns aos 28
e outro aos 35. Em todo este tempo, quis retratar o ser humano
e suas facetas. Na verdade, não são só os sentimentos citados
acima que permeiam as histórias. Estão lá outros variados que vão
do cinismo e a loucura até a ternura e a paz. Quis mostrar histórias
de pessoas que vencem e superam certos sentimentos e também
de pessoas que são vencidas por certas emoções. Retorno 201
reúne histórias de vencedores e perdedores na vida.
GEF A morte também é outro elemento presente nos contos.
Como ela influencia seu trabalho?
ARRIAGA A morte está sempre presente na vida dos homens. É a
origem e o fim de tudo e tem absolutamente a ver com a vida. Em
alguns contos do livro, alguns personagens tentam recuperar suas vidas por meio dos
mortos, de suas lembranças. É um elemento muito presente também em minha obra
cinematográfica, em sua estrutura narrativa. Amores Brutos tem muitos elementos em
comum com as histórias do livro. Já 21 Gramas tem uma ligação em sua estrutura com
o último conto do livro, Em paz.
GEF Você passou a infância no Retorno 201, certo? Conte como suas lembranças e
memórias influíram na criação destas histórias. Algumas delas foram inspiradas em
fatos reais ou pessoas conhecidas?
ARRIAGA Todas as histórias são uma mistura de realidade e imaginação e com Retorno
201 não é diferente. Alguns dos personagens e fatos são inspirados pelo que vi. Outras,
nem tanto.
GEF Por falar em infância, você não poupa nem as crianças, que mostram, desde
pequenas, a crueldade e a intolerância. Como trabalhar esses elementos na fase da
vida em que se exalta a inocência?
ARRIAGA Os seres humanos são animais e passam por um processo de
amadurecimento, ou domesticação, ao longo da vida. Em alguns, este processo se
completa, em outros, não. Crianças não são só inocência. Algumas delas sequer
passam por esse processo de “domesticação”. Veja, por exemplo, os casos de bullying
nas escolas. Nos contos, eu queria falar da parte animal do homem, da natureza,
que é selvagem: há agressão, brigas por território. Isto também faz parte do homem.
GEF Fale um pouco sobre o conto Rogelio, que virou um curta dirigido por você, certo?
ARRIAGA Aos 23 anos, tive uma grave infecção no coração e fui informado de que
poderia morrer a qualquer instante. Mas, mesmo que morresse, não permitiria que a
morte me vencesse. Seguiria em frente. Este foi um dos primeiros contos que escrevi,
a de um homem que se recusava a admitir a morte mesmo estando morto. Quando me
disseram que iam transformar o conto em um curta-metragem, um conto que tinha a
ver intimamente comigo, só o permiti realizar-se se eu dirigisse. E foi o que aconteceu.
GEF Como sua obra literária se relaciona com sua obra cinematográfica? O processo
criativo de um roteiro e de um livro é parecido ou muito diferente?
ARRIAGA Considero que escrevo para o cinema e a literatura da mesma forma. Os
diálogos, a construção dos personagens, a estrutura literária é bastante parecida com
a narrativa de um filme. Existe este espírito da linguagem que permeia tanto a minha
atividade de escritor como a de roteirista.

OUTROS LIVRPS DO AUTOR

O BÚFALO DA NOITE
GUILLERMO ARRIAGA
Nesta obra, o mexicano Guillermo Arriaga – premiado roteirista do filme Amores Brutos
– demonstra seu talento e eficácia como autor de histórias plenas de suspense e tensão.
Ele confirma seu estilo como um narrador visual de ação, decidindo manter o leitor
atento a todos os detalhes da história de um triângulo amoroso, à beira da loucura, da
morte, da destruição. O Búfalo da Noite explora a geografia emocional e sentimental do
adolescente de hoje em dia. Fala sua linguagem, habita seu espírito. Esta é uma novela
emblemática da juventude do começo do século XXI.

ISBN: 978-85-75100-28-8
PUBLICAÇÃO: 2002
FORMATO: 14 x 21 CM.
248 páginas

UM DOCE AROMA DE MORTE


GUILLERMO ARRIAGA
Certa manhã, bem cedo, Ramón descobre o cadáver de Adela num campo de cereais
perto de Loma Grande. O rapaz só a vira de relance em poucas ocasiões, mas, no
mesmo instante em que ele cobre com sua camisa o corpo nu da morta, o boato de que
Adela era sua namorada começa a se espalhar. A partir desse momento, os fatos se
desencadeiam irremediavelmente e Ramón se vê obrigado a vingar a morte da jovem.
Seu coração o obriga a agir; seu coração e um povoado inteiro, que, com rumores que
circulam e que todos respiram, se transforma em protagonista do romance, em criador
de uma ofensa e de uma inevitável vingança.
Um Doce Aroma de Morte é um romance fascinante, no qual a paixão e o orgulho ditam
cada uma das decisões dos personagens, a vingança se transforma em destino e a ver-
dade se mostra em sua faceta mais ambígua e demolidora.
ISBN: 978-85-60610-01-3
PUBLICAÇÃO: 2007
FORMATO: 14 x 21 CM.
172 páginas

O ESQUADRÃO GUILHOTINA
GUILLERMO ARRIAGA
Após formar-se em Direito, Feliciano Velasco y Borbolla de la Fuente decide negociar sua
grande invenção, a guilhotina, com Pancho Villa, famoso general da Revolução Mexicana.
O advogado, contudo, não imaginava que terminaria vítima de sua própria ideia. Como
pagamento pela invenção, Villa o recruta de imediato, transformando-o em mais uma
peça de seu exército, sujeito aos perigos da guerra. Longe de desfrutar as vantagens
que acreditava obter com o conflito, Velasco y Borbolla passa a ser uma vítima do des-
tino e dos caprichos do poder.
Lançando uma luz sobre a vida durante a Revolução, Esquadrão Guilhotina mostra, com
humor e ironia, um mundo ao mesmo tempo heroico e cruel. Deste livro de Guillermo
Arriaga, desponta, ainda, a possibilidade de uma viagem no tempo para um dos momen-
tos mais marcantes da história contemporânea. Tudo permeado pelo delicioso prazer de
ISBN: 978-85-60610-15-0 uma narrativa hipnotizante.
PUBLICAÇÃO: 2008
FORMATO: 14 X 21 CM.
158 páginas

::: GRYPHUS EDITORA ::: RUA MAJOR RUBENS VAZ, 456 - RIO DE JANEIRO CEP 22470-070 TEL 21.2533.2508
SITE GRYPHUS.COM.BR  E-MAIL GRYPHUS@GRYPHUS.COM.BR

Centres d'intérêt liés