Vous êtes sur la page 1sur 6

SUMÁRIO

1 OBJETIVO ............................................................................................................ 2

2 FUNDAMENTOS .................................................................................................. 2

3 MATERIAIS .......................................................................................................... 2

4 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL .................................................................... 2

5 DADOS EXPERIMENTAIS ................................................................................... 3

5.1 Primeira Etapa ............................................................................................... 3

5.2 Segunda Etapa .............................................................................................. 3

6 METODOLOGIA ................................................................................................... 4

6.1 Erro Relativo .................................................................................................. 2

7 RESULTADOS E DISCUSSÃO ............................................................................ 2

8 CONCLUSÃO ....................................................................................................... 3

9 REFERÊNCIAS .................................................................................................... 3
2

1 OBJETIVO
O objetivo do experimento é a determinação da velocidade de lançamento do projétil
(𝑣𝑜𝑥 ).

2 FUNDAMENTOS

3 MATERIAIS
 Rampa de lançamento
 Projétil
 Fio de Prumo
 Papel Sulfíte
 Papel Carbono
 Trena
 Anteparo

4 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL
O sistema para o experimento é montado instalando a rampa de lançamento na
extremidade da mesa de experimento de forma que o projétil seja projetado para fora
da mesma.

Para a primeira etapa do experimento, é posicionado, no chão, o papel sulfite na


região onde o projétil tocara o solo. Sobre o sulfite, é colocado o papel carbono de
modo a registrar, no primeiro, os pontos que o projétil o atinge. Por fim posicina-se um
fio de prumo na extremidade inferior da rampa de lançamento para o fim de referênciar
a origem no papel sulfite.

Esta etapa do experimento é conduzida soltando o projétil na extremidade superior da


rampa de lançamento de modo que o mesmo atinja o papel sulfite posicionado no
chão. Após realizar 20 (vinte) repetições anota-se, com o auxílio da trena, a distância
horizontal entre o ponto médio da nuvem de pontos, criada pela aterrissagem do
projétil, e a saida da rampa de lançamento, usando o fio de prumo como referência.

Para a segunda etapa do experimento, é posicionado o anteparo a 5 cm (cinco


centímetros) da extremidade inferior da rampa de lançamento e fixa-se outra folha de
3

papel sulfite e outra folha de papel carbono sobre a face do anteparo voltada para a
rampa de lançamento.

Esta etapa do experimento é conduzida soltando o projétil na extremidade superior da


rampa de lançamento de modo que o mesmo atinja o anteparo. O anteparo deve então
ser afastado da rampa de lançamento em 5 cm (cinco centímetros) na mesma direção
do projétil ao sair da mesma, este processo é então repetido até que o projétil não
alcance o anteparo antes de atingir o chão. Então anota-se, com o auxílio da trena, a
altura que o projétil atingiu o anteparo em cada posição do mesmo.

5 DADOS EXPERIMENTAIS
Segue abaixo os dados coletados durante as duas etapas do experimento.

5.1 Primeira Etapa


Distância horizontal da saída da rampa de lançamento e o ponto médio da nuvem de
pontos:

∆𝑥 = 66,3 𝑐𝑚

Distância vertical entre o solo e a saída da rampa de lançamento:

∆𝑦 = 86,0 𝑐𝑚

5.2 Segunda Etapa


Tabela 1 – Dados coletados durante a segunda etapa do experimento.
X (cm) Y (cm)
5 85.5
10 84.0
15 81.7
20 78.0
25 74.2
30 68.8
35 62.3
40 55.0
45 46.5
50 38.3
55 28.5
60 16.7
65 5.0
Fonte: Elaborada pelos autores com base nos dados coletados, 2019.
4

6 METODOLOGIA
Com o dados coletados na secunda etapa, marca-se os pontos no eixo das ordenadas
e abscissas e logo nota-se que a curva representa uma função polinomial de segundo
grau, vide anexo. Para se obter uma reta que represente uma função polinomial de
primeiro grau, e assim encontrar o coeficiente angular usando o método gráfico,
contrói-se um gráfico onde o eixo das ordenadas representava a altura e o eixo das
abscissas representava o quadrado da distância horizontal. Com os pontos marcados
pode-se traçar a reta média que melhor representa os pontos marcados.

Para traçar uma reta média, nesse caso, deve-se utilizar uma régua e a reta
desenhada deve ser tal que os pontos fiquem aleatoriamente distribuídos em
torno dessa reta. Esse desenho é feito de forma manual e exige senso crítico
por parte da pessoa que está realizando a análise (GUSEV, GENNADY,
p.31).

Ao traçar a reta média numa folha de papel quadriculado, consegue-se então calcular
o coeficiente angular da reta utilizando o método gráfico, que para esse caso em
particular será dado por:

∆𝑦
𝑎 = ∆𝑥 2 (1)

Para calcular-se a velocidade deve-se usar as seguintes fórmulas:

∆𝑥 = 𝑣𝑜𝑥 𝑡 (2)

𝑔𝑡 2
∆𝑦 = 𝑣𝑜𝑦 𝑡 + (3)
2

Assumindo que nas condições do nosso experimento o projétil sai da rampa de


lançamento perfeitamente na horizontal, pode-se assumir que 𝑉𝑜𝑦 𝑡 = 0, logo:

𝑔𝑡 2
∆𝑦 = (4)
2

Isolando a variável tempo (t) de (1) e substituindo em (4) temos:

∆𝑥 2
𝑔
𝑣𝑜𝑥 2
∆𝑦 = (5)
2

Isolando 𝑉𝑜𝑥 em (5) chegamos a equação:


2

𝑔∆𝑥 2
𝑣𝑜𝑥 = √ 2∆𝑦 (6)

∆𝑦 ∆𝑥 2 1
Se 𝑎 = ∆𝑥 2 então podemos substituir de (6) por 𝑎 obtendo então:
∆𝑦

𝑔
𝑣𝑜𝑥 = √2𝑎 (7)

Substituindo o valor de a em (7) obtemos a velocidade de lançamento do projétil

6.1 Erro Relativo


Erro relativa é dado pela magnitude da difereça entre o valor exato e o valor
aproximado dividida pelo valor exato, multiplicado por 100. O valor encontrado permite
visualizar o quão próximo o valor aproximado esta do valor real. Este erro se da por
Erros Experimentais e por aproximações realiazadas nos calculos.

𝑇𝑒𝑜−𝐸𝑥𝑝
𝐸 (%) = | | × 100 (8)
𝑇𝑒𝑜

7 RESULTADOS E DISCUSSÃO
Primeiro calcula-se os valores de x² e constrói-se a Tabela 2.

Tabela 2 – Valores utilizados para a contrução da reta média


X (cm²) Y (cm)
25 85.5
100 84.0
225 81.7
400 78.0
625 74.2
900 68.8
1225 62.3
1600 55.0
2025 46.5
2500 38.3
3025 28.5
3600 16.7
4225 5.0
Fonte: Elaborada pelos autores com base nos dados coletados, 2019.
3

Com esses pontos, traçou-se a reta média e calculou-se o coeficiente angular da


mesma. Substituindo o coeficiente angular em (7) encontrou-se a velocidade de
lançamento do projétil.

Para calcular o Erro Relativo precisa-se, primeiro, calcular o valor teórico da


velocidade de lançamento. Isolando o tempo (t) de (4) e substituindo em (3) tem-se
que:

2∆𝑦
∆𝑥 = 𝑣𝑜𝑥 √ (9)
𝑔

Por fim coloca-se 𝑉𝑜𝑥 em evidencia

∆𝑥
𝑣𝑜𝑥 = 2∆𝑦
(10)
√ 𝑔

Utilizando os valores de ∆𝑥 e ∆𝑦 medidos na primeira etapa do experimento chegamos


que a velocidade de lançamento teórica é:

𝑣𝑜𝑥 = 158,34 𝑐𝑚/𝑠

Substituindo a velocidade de lançamento teórica e a velocidade de lançamento


experimental em (8) obtemos que o erro relativo foi:

𝐸 = 1,10%

8 CONCLUSÃO

9 REFERÊNCIAS
GUSEV, GENNADY – Interpretação gráfica de dados –
http://macbeth.if.usp.br/~gusev/Graficos.pdf - acesso em: 02 de out de 2019.

ALMEIDA, TAMARES – Como Calcular Erro Relativo –


https://industriahoje.com.br/como-calcular-erro-relativo- acesso em: 06 de nov de