Vous êtes sur la page 1sur 8

ESTUDO DE UM PRÉ-AMPLIFICADOR DE MICROFONE: REALIZAÇÃO

E AVALIAÇÃO DE UM CONJUNTO DE MODIFICAÇÕES COM VISTA A


MELHORAR A SUA PERFORMANCE

BRUNO DE GOUVEIA AZEREDO RODRIGUES

Projecto de Fim de Licenciatura, Curso de Produção e Tecnologias da Música (PTM), Escola Superior de Música e
das Artes do Espectáculo (ESMAE), Instituto Politécnico do Porto (IPP), Porto, Portugal.
brngva@gmail.com
Este trabalho tem como objectivo a quantificação da importância de certas modificações a um pré-amplificador de
microfone. Trata-se de um estudo de caso centrado no pré-amplificador da marca M-Audio, modelo DMP-3,
considerado um dos mais baratos do mercado. Numa análise preliminar ao circuito eléctrico verifica-se que este é
baseado em circuitos integrados, característica de resto frequente neste tipo de aparelhos. Analisando um canal, este
contém um circuito integrado com entrada diferencial que dá o primeiro estádio de ganho de cerca de 40dB para sinais
balanceados. Contém ainda quatro amplificadores operacionais duplos que desempenham as funções de: um segundo
estádio de ganho; um filtro passa-alto; instrumentação do VU; e o balanceamento do sinal para a saída. Foram
considerados dois modelos iguais em que um serviu de referência e o outro foi sujeito às modificações; modificações
estas realizadas em perspectiva com o preço de mercado do aparelho. As modificações incluíram a troca da fonte de
alimentação por baterias, a troca dos condensadores electrolíticos de acoplamento do áudio por não-electrolíticos e ter a
saída do sinal no primeiro circuito integrado para conversão A/D. A análise à performance foi realizada de forma
objectiva através de testes/ medições aos dois modelos; e de forma subjectiva por teste e inquérito a um conjunto de
indivíduos. Procedeu-se também à avaliação subjectiva entre a versão upgrade e um pré-amplificador de referência, o
Millennia Media TD1, para se estabelecer um patamar de performance.
Palavras chave: pré-amplificador de microfone/ microphone pre-amplifier, condensador/ capacitor, circuito
integrado/ integrated circuit, fonte de alimentação/ power supply, especificações/ specifications, performance/
performance

INTRODUÇÃO ou mesmo levar a cabo a sua construção a partir de


O áudio é uma representação eléctrica de um som, na componentes electrónicos.
forma de uma tensão ou corrente alternada, sendo a Estabelecendo-se como ponto de partida a “análise
conjugação de acústica e electrónica. Num sistema em objectiva e subjectiva de um conjunto de upgrades de
que se pretenda o mínimo de distorção/ deformação da baixo custo a um modelo de pré-amplificador de
forma de onda original é necessário ter bastantes microfone de uso difundido”, desenvolveu-se como
cuidados ao nível do funcionamento de cada base deste trabalho a observação do circuito electrónico
componente, analisando criteriosamente o seu e a substituição/ alteração de alguns dos seus
comportamento. Assim, apesar da especificidade deste componentes com vista a melhorar a sua performance.
projecto, a concretização deste trabalho aborda questões As modificações permitiram efectuar uma avaliação em
que são transversais ao áudio, desde a captação, relação a um aparelho não modificado e também a um
gravação e reprodução. aparelho estabelecido como referência. A análise
Esta investigação pretende dar a conhecer o objectiva implicou o estudo do significado das
comportamento da electrónica de um pré1 de microfone especificações de equipamento áudio e quais as
para tirar a maior vantagem do seu uso, em que se medições possíveis e pertinentes a fazer com o
inclui: saber qual o pré mais indicado para uma equipamento de medição disponível. A análise
determinada situação; a forma de o usar; a capacidade subjectiva implicou um levantamento bibliográfico
de efectuar reparações ou alterações que o melhorem; sobre testes subjectivos bem como sobre percepção do
ouvido humano em geral, a fim de levar a cabo os testes
de uma forma sustentada. Portanto, este projecto tem
como objectivo específico desenvolver e testar a
1
A partir de agora designar-se-á pré-amplificador apenas por pré. capacidade de optimizar um pré-amplificador de
Note-se também que dado uso corrente de alguns termos em inglês,
optou-se por não traduzi-los.
BRUNO GOUVEIA MODIFICAÇÕES A UM PRÉ-AMPLIFICADOR DE MICROFONE

microfone e analisar as vantagens/ pertinência de Instruments) com entrada diferencial que dá o primeiro
processos deste tipo. estádio de ganho, em que o potenciómetro Rg (5kohm)
controla o ganho. Contém ainda quatro amplificadores
1 ESTUDO DE CASO: O PRÉ-AMPLIFICADOR operacionais duplos NJM4560 da JRC (Japan Rádio
DE MICROFONE M-AUDIO DMP3 Company) que desempenham as funções de um segundo
Os microfones são transdutores que tipicamente têm estádio de ganho, um filtro passa alto, a instrumentação
sinais de nível na ordem dos 2mV. Portanto é necessário dos VU e o balanceamento do sinal para a saída.
um ganho de 1000 vezes (60dB) ou até mais, para Verificamos que o INA163 é de um preço bastante
amplificar os sinais para nível de linha. É igualmente superior ao da NJM4560, cuja aplicação é recomendada
necessário que estes circuitos tenham um alto ganho e para instrumentação de precisão. Os da JRC incluem-se
baixo ruído [1]. nos opamps de uso vulgar sendo o seu preço
comparativamente reduzido [4].
Verifica-se que os condensadores de acoplamento do
áudio são electrolíticos, sendo os mais vulgarmente
usados e baratos.
Em relação à fonte de alimentação, esta é composta por
um transformador exterior ao chassis do pré (220VAC –
10VAC), que entra num circuito de duplicação de
tensão do tipo simétrico [4] torna esta tensão para +20V
Figura 1: Pré-amplificador de microfone M-Audio DMP3
e – 20VDC não regulados. Por fim cada uma destas
O pré em estudo é da marca M-Audio, referência DMP- tensões entra no regulador respectivo (L7915C e
3, sendo o valor de venda a público cerca de 200 euros. L7815CV) e tem-se à saída dos reguladores +15V e -
Encontra-se à venda desde 2001 e desde então está em 15V, que é a alimentação de todo o circuito do pré. Em
contínua produção pela marca [2], o que é em certa relação ao phantom power, para a partir de +15V / -15V
medida um indicativo do seu sucesso comercial. Possui se gerar os +48V necessários o pré em questão utiliza
dois canais de pré-amplificação e cada um tem dois um circuito integrado, um oscilador 555 (HA1755)
estádios de ganho, em que o segundo pode ser Os condensadores de acoplamento do áudio ao circuito
desligado, com o valor máximo de 90dB. Contém ainda integrado INA163 são electrolíticos de 10uF/ 60V. A
indicadores de nível através de VU em que 0VU saída do INA163 também está acoplada ao restante
corresponde a +4dBu e um filtro passa-alto. circuito através de um condensador de electrolítico de
10uF.
1.1 Descrição da electrónica: análise aos
componentes considerados 2 O CONJUNTO DAS ALTERAÇÕES
Pretendeu-se fazer modificações simples cujo custo não
excedesse de maneira nenhuma o preço de mercado do
pré. A fonte de alimentação original é vulgar e possui
um ripple mensurável. Ter uma fonte de alimentação
absolutamente sem ripple e isolada da rede eléctrica
significa o uso de baterias, o que também é
relativamente barato.
Verifica-se também que os 45dB de ganho do primeiro
estádio são suficientes para a maioria das aplicações, o
que abre a possibilidade de se fazer bypass ao segundo
estádio de ganho bem como ao balanceamento do sinal,
cujo custo de material não se considera.
Figura 2: Esquema simplificado dos componentes electrónicos Assim, a investigação consiste na avaliação do pré após
do primeiro estádio de ganho do DMP3 as seguintes modificações (1) mudar os condensadores
Analisando o circuito eléctrico em questão verifica-se de acoplamento do áudio, (2) trocar a fonte de
que é baseado em circuitos integrados Um circuito alimentações por baterias e (3) tirar o sinal na saída do
integrado é um dispositivo que consiste em centenas ou primeiro circuito integrado.
mesmo milhares de componentes contidos numa
pequeno espaço, denominado muitas vezes de chip. Os 2.1 Primeira alteração: condensadores não-
circuitos integrados não são necessariamente piores que electrolíticos
o seu equivalente em componentes discretos. De facto, Os condensadores electrolíticos, tais como os
um amplificador operacional feito com componentes originalmente usados no DMP3, têm bastantes
discretos seria demasiado grande, demasiado instável deficiências relativamente à performance. Baixas
em relação à temperatura e mais susceptível a ruídos e temperaturas reduzem o seu funcionamento e podem
interferências externas [3]. mesmo congelar os electrolíticos, e as altas temperaturas
Examinando um canal de áudio, este contém um podem secá-los. Se os electrolíticos têm uma fuga
circuito integrado INA163 da Burr-Brown (Texas podem corroer o equipamento. As fracas tolerâncias e a

Curso de Produção e Tecnologias da Música, Julho 2007 2


BRUNO GOUVEIA MODIFICAÇÕES A UM PRÉ-AMPLIFICADOR DE MICROFONE

operação em altas temperaturas estabelecem um tempo 2.3 Terceira alteração: saída do primeiro circuito
curto de vida. No entanto são os mais amplamente integrado
usados pois providenciam uma alta capacitância num Em muitas situações os cerca de 40dB de ganho do
pequeno volume e o custo mais baixo de primeiro estádio são suficientes para muitos dos
microfarad/volt [5]. microfones e aplicações, pelo que um segundo estádio
É generalizado que os condensadores electrolíticos são de ganho à partida não é necessário. Pretende-se então
prejudiciais à qualidade do áudio. Inclusivamente nas verificar se poderá ser obtida alguma vantagem na
especificações do circuito integrado INA163 há uma anulação deste segundo estádio. Ter a saída do sinal de
sugestão de um esquema de circuito para evitar o uso de linha na saída do primeiro circuito integrado, funciona
um condensador de acoplamento à saída para retirar a numa postura de captação minimalista com o conversor
componente contínua do sinal áudio [6]. A/D próximo do pré, pois sendo a distância ao A/D
Colocando portanto de parte o uso dos condensadores curta podemos assumir que não há necessidade de um
electrolíticos, assumiu-se como melhor opção o uso de circuito que balanceie o sinal, pelo menos no que diz
condensadores de poliéster metalizado Evox-Rifa de respeito à rejeição do modo comum.
10uF 63Vdc, cuja característica que imediatamente faz Quando se procedeu a estas modificações e se procedeu
notar, além do preço encarecido, é o seu tamanho físico. a testes subjectivos pessoais, notou-se uma degradação
Estes condensadores têm a vantagem de não ter na performance, pelo que voltamos atrás nesta
polaridade, terem tolerâncias mais apertadas e os seus modificação. Investigando as razões deste facto,
valores variam menos consoante a temperatura e têm notamos que Watkinson aconselha o uso de ligações
bastante maior longevidade. balanceadas mesmo para distâncias curtas, pois a
rejeição do modo comum pode ser eficaz, por exemplo,
em eliminar ruídos induzidos pela fonte de alimentação
ou interferências de rádio-frequência (RFI) ou
interferências electromagnéticas (EMI) [7]. Também um
segundo estádio de ganho pode ter a função de buffer,
ou seja além de dar ganho de corrente, previne que a
carga subsequente interfira com o funcionamento do
primeiro estádio que é mais crítico. Se à partida, se pode
julgar que numa postura minimalista “menos electrónica
é mais”, este caso levou-nos a concluir que neste caso
“mais electrónica é mais”.
Figura 3: Dimensões do condensador de políester (esquerda)
versus o seu equivalente electrolítico (direita) 2.4 Custo do upgrade
A partir de um comércio a retalho de componentes
2.2 Segunda alteração: baterias electrónicos [8], calcula-se o custo dos upgrades
As baterias usadas para substituir a fonte de alimentação apresentado na tabela 1.
são de chumbo (Pb), da marca YUASA, referência Quantidade e descrição Preço uni. Total
NP1.2-12FR tendo a tensão de 12V e a capacidade de 2 Baterias YUASA 12V 1.2Ah 12,16 24,32
1,2A/h. São usadas duas baterias para obter as tensões 1 Carregador p/ baterias de 12V 15,20 15,20
+12V e -12V. Apesar desta tensão não ser a dos +/-15V 6 Condensadores, EVOX-RIFA poliéster 2,29 13,74
originais, verificou-se através de testes com uma fonte metalizado, 27.5mm, MMK, 10uF, 5%,
63Vdc
de alimentação de laboratório que o circuito em questão
Total: 53,26 €
era bastante inume a variações da tensão de
alimentação. A única consequência óbvia é a redução do Tabela 1: Discriminação do custo das modificações
valor máximo de ganho e consequente redução da gama
dinâmica. O preço unitário dos condensadores originais é de 0,08€
Nas especificações dos circuitos integrados INA163, (condensador, electrolítico de alumínio, radial, 63Vdc,
NJM4560 e HA17555 a tensão mínima de alimentação é 10uF) Estes condensadores, além dos mais baratos, são
de +/- 4,5V, pelo que +/-12V garante uma boa margem. de reduzidas dimensões (ver figura 3).
A medição do consumo do pré deu o valor nominal de Encontrou-se um condensador de 10uF pelo preço de
125mA com o phantom power ligado. No entanto, dado 64,57€ por unidade (EPCOS, poliéster metalizado,
que o pré tinha duas lâmpadas em cada VU, optou-se MKT, 90Vdc,10µF), que não se constituiu como opção
por desligá-las o que baixou o consumo para 87mA, o razoável para as alterações ao DMP3 pois o preço dos
que estima um consumo de 13h. No entanto, não é de mesmos excederia em larga medida o preço do pré.
considerar tanto tempo pois à medida que a bateria
descarrega a tensão desce e a impedância de saída
aumenta o que vai prejudicar o desempenho dinâmico
do pré. Em situação de clipping e com o phantom power
ligado o valor máximo de consumo é de 120mA.

Curso de Produção e Tecnologias da Música, Julho 2007 3


BRUNO GOUVEIA MODIFICAÇÕES A UM PRÉ-AMPLIFICADOR DE MICROFONE

entanto, no espectro da onda quadrada aparecem pares.,


3 ANÁLISE OBJECTIVA DO EQUIPAMENTO o que representa uma não linearidade.
ORIGINAL E DO MODIFICADO
Para uma apreciação mais sustentada de um
equipamento de áudio é necessário medir
objectivamente o maior número de parâmetros possíveis
e interpretá-los [9]. No presente caso, a medição das
características de pré original e do modificado vão
permitir perceber quais as diferenças objectivas
introduzidas. A medição objectiva de parâmetros
também permitirá confrontar estes resultados com as
especificações dadas pelo fabricante, que em muitos
casos apenas da relevância aos pontos fortes e omite os
pontos mais fracos do produto [10].

3.1 Medições
O equipamento de medição disponibilizado pelo curso
de Produção e Tecnologias da Música incluiu (1) um Figura 4: Espectro de uma onda quadrada de 1kHz, 0-20KHz a
osciloscópio analógico, (2) um analisador de áudio 10dBu em 47kOohm (MOTU 828) em ambos upgrade e
Neutrik A2D e (3) uma fonte de alimentação de original
laboratório. Os SAIPP disponibilizaram uma placa de
Note-se que no pré modificado aparecem mais
som MOTU 896 com o software Spectrafoo.
Fabricante Original Upgrade
harmónicos pares do que na original, constituindo isso
Máxima de entrada 14,6dBu 15,7dBu 13,8dBu uma degradação na performance.
Máxima de saída 27,5dBu 27,7dBu 25dBu Nas medições das impedâncias, usando um multímetro
Ganho 13.5dB to 46.5 dB 46dBu primeiro 44dBu primeiro
low gain range, estádio; estádio Velleman DVM 890, verificou-se que a resposta em
39.5 to 72.5dB
high gain range
frequência deste era muito limitada, depois de se
Impedância de 3k Ohms 2,95kΩ @ 2,95kΩ @ calcularem valores incongruentes. A medição com um
entrada balanced 1kHz 1kHz multímetro de gama superior tirou as dúvidas.
(balanceado) (balanceado)
Impedância de saída Não disponível 475Ω @ 1kHz, 475Ω @ 1kHz, A certa altura, o VU do pré apresentava um
balanceado balanceado comportamento estranho, em que se encontrava a
THD+N 0.00035% (- THD+N do próprio aparelho de oscilar. Se o primeiro julgamento era que haveria
109dB), 20Hz medição é bastante maior (0,004%)
to 20kHz, @ e submerge a do pré alguma avaria, rapidamente nos apercebemos que se
13,6dBu input tratava da frequência muito baixa que estava a ser
SNR:/ -120dB, A- 122 dB A- 120dB A-
weighted, 20Hz weighted, 20Hz weighted, 20Hz injectada no pré.
to 20kHz to 20kHz (gama to 20kHz (gama Nesta fase tivemos de construir um equipamento que
dinêmica) dinâmica
EIN -128dBm @ Não foi
auxiliasse a medição de ambas a impedância de entrada
600 Ohms, max possível medir e de saída. O analisador Neutrik A2D permite esta
gain medição até um tecto de 6kohm,onde uma entrada com
Tabela 2: Especificações do fabricante e medições do pré mais não proporciona uma queda de tensão suficiente
original e upgrade DMP3 para o analisador poder calcular. Associando
resistências e medindo a queda de tensão, calcula-se a
De notar na figura 2 que numa boa aproximação são as impedância. Dado que a impedância de entrada de
resistências R3 e R4 (1,5kΩ cada) que dão o valor da microfone é na ordem dos 3kohm, o A2D serve
impedância de entrada, já que as outras cargas situam-se perfeitamente para a medir com rigor, mas para a
muito acima desta, como se verificou nas medições. entrada de linha do pré na ordem dos 100kohm não. Foi
A diferença maior e também a mais óbvia (devido às construído um pequeno projecto para a medição das
diferentes tensões de alimentação) encontrou-se no impedâncias de entrada e de saída, a partir de esquemas
ganho máximo dos prés. A nível de ruído de fundo não disponíveis no capítulo Impedance Matching de DAVIS
se registou uma diferença significativa. A THD+N et al [11]
especificada pelo fabricante aparenta estar correcta dado
que não nos foi possível medir devido a limitações de 3.2 Análise dos resultados obtidos
resolução do equipamento disponível.
Durante as medições reparamos que um teste objectivo Podemos verificar que neste caso as especificações
que pode dar bastante informação sobre é a resposta dadas pelo fabricante correspondem às que foram
uma onda quadrada. É de notar que uma onda sinusoidal possíveis medir. Em relação a ambos à confrontação de
não contém informação e verificou-se que apesar de parâmetros entre o pré modificado e o original,
com uma sinusoidal o pré não apresentar uma distorção verificamos que além da óbvia redução da gama
harmónica, com a onda quadrado o caso muda de figura. dinâmica devido à redução da tensão de alimentação das
Uma onda quadrada só tem harmónicos ímpares, no baterias, também se verificou um aumento do nível dos
harmónicos pares quando submetidos a uma onda

Curso de Produção e Tecnologias da Música, Julho 2007 4


BRUNO GOUVEIA MODIFICAÇÕES A UM PRÉ-AMPLIFICADOR DE MICROFONE

quadrada. No entanto, é necessário realizar mais AES20-1996 [14]. Esta última norma é recomendada
trabalho com a medição com ondas quadradas, pois por Martin Colloms [15].
durante a nossa experimentação verificamos que este se Sujeitaram-se 12 pessoas aos testes (especializadas e
trata de um sinal com bastante maior poder de não especializadas: alunos e professores do curso de
diagnóstico do que a vulgar sinusoidal. Se com a Produção e Tecnologias da Música, músicos e uma
aplicação das baterias seria de esperar que o ruído de pessoa sem relação com a área da música ou do áudio).
fundo baixasse de nível, surpreendentemente não foi Apesar de todas afirmarem ouvir diferenças em ambas
medida nenhuma alteração. Supomos que isto se deveu as amostras numa primeira audição, apenas uma pessoa
a limitações do equipamento de medição, tal como conseguiu validar o resultado com uma baixa
aconteceu com a medição do THD+N onde o próprio probabilidade de estar a adivinhar. Com efeito,
sinal gerado pelo Neutrik A2D continha um valor muito verificou-se também que o nº de respostas correctas era
mais elevado de THD+N do que os prés (ver tabela 2). maior nas primeiras respostas dadas, sendo que as
pessoas começavam progressivamente a errar
4 ANÁLISE SUBJECTIVA DO EQUIPAMENTO (queixando-se ao mesmo tempo que sentiam uma
ORIGINAL E DO ALTERADO. dificuldade progressiva em distinguir diferenças e
CONTRAPONTO COM O EQUIPAMENTO chegando mesmo a desistir). Julgamos que este facto se
DE REFERÊNCIA deve a dois factores: o primeiro estará provavelmente
relacionado, devido às diferenças serem subtis, com um
4.1 Recolha das amostras fenómeno psicoacústico - o cérebro poderá desencadear
uma compensação das diferenças. Para evitar este
A recolha das amostras e os testes subjectivos foram fenómeno, Colloms aconselha que as características
realizados na Régie A e no Estúdio dos Serviços de sonoras sejam passíveis de se verificarem rapidamente
Áudio do IPP. [16]. O segundo factor poderá estar relacionado com o
Para averiguar a performance de forma subjectiva, foi cansaço que rapidamente as pessoas acusavam - mais
captada uma amostra de som de voz falada e uma uma vez, pela subtileza das diferenças, concluímos que
amostra de som de violino. Na captação da voz o sinal a realização do teste exigia uma atenção/concentração
de microfone foi dividido2 entre o pré original e o extremas, que muitas das pessoas sujeitas aos testes
upgrade; e para a captação do violino o mesmo foi assumiram não conseguir manter até ao fim. Este
dividido entre o pré upgrade e o pré de referência. O pré segundo factor poderá ter inclusivamente potenciado o
de referência utilizado foi o Millennia Media TD1. Cada primeiro.
unidade TD1 é um canal mono que incorpora tudo o que Do balanço dos testes realizados podemos salientar que
se pode pretender num pré de microfone/ instrumento. 9/12 conseguiram descrever as diferenças de uma forma
O preço por unidade é de €1115,54 ($1507,99) [11]. Na que se pode considerar coerente, de acordo com as
montagem dos três prés verificou-se subjectivamente tabelas que se apresentam abaixo. Foi contudo também
que a rejeição do modo comum do TD1 era bastante expresso pelos sujeitos testados, que consideravam que
superior à do DMP3. Para ter uma alta rejeição do modo estas diferenças se notavam apenas em pormenores,
comum com amplificadores operacionais é imperioso sobre os quais era necessário fixar a atenção/ audição
usar resistências precisamente iguais em ambas para as distinguir tornando-se deste modo um trabalho
entradas, o que é difícil de obter e consequentemente cansativo e exigente em termos de concentração.
caro [3]. Dado o preço do TD1 seria obrigatório ter esta
rejeição como excelente. Voz Original Voz Upgrade Resultado Probabilidade Observações
Existiu a problemática relativa a qual dos prés 1 Mais ruído Mais 10/18
de adivinhar
75%
forneceria o phantom power: optou-se no primeiro caso articulado
2 ligeira mais 9/16 70%
por usar um microfone dinâmico (Sennheiser MD441) e coloração perceptível,
no segundo por usar um phantom power externo afim de 3 na voz,
inconstante
ataque mais
acentuado,
12/16 5%

usar um microfone de condensador (AKG 414). Na fase 4 menos linear. 5/16 100%
da captação monitorizou-se o pré de upgrade. 5 Não tão
fluído ou
2/5 100% Desistiu

natural
Etc-
4.2 Testes ABX
Foram planeados testes ABX com as amostras de voz Tabela 3: Dados obtidos nos testes subjectivos entre o pré
original e o upgrade
(pré original versus upgrade) e de violino (pré upgrade
versus referência). Foram tidas em conta as Violino
Upgrade
Violino
Referência
Resultado Probabilidade
de adivinhar
Observações

recomendações da norma ITU-R BS 1116 [13] e da 1 Maior Ligeiramente 11/16 7%


definição mais seco
harmónica
2 mais não tão 10/16 20%
brilhante, agressivo,
2
A divisão do sinal fez-se através de um cabo que se divide em dois.. 3 mais brilho mais suave 9/16 70%
Dado a impedância de entrada dos prés ser de 3kohm, ter uma ligação 4 mais fresco, 4/9 97,5% Desistiu
5 mais claro e 3/8 100% Desistiu
em paralelo representa uma carga de 1,5kohm para o microfone, que limpo
sendo de baixa impedância (200-300) não representa uma carga Etc-
punitiva. Não se utilizou um transformador para dividir o sinal, pois
verificou-se que introduzia ruído de rádio, que poderia comprometer a Tabela 4: Dados obtidos nos testes subjectivos entre o pré
audibilidade de supostas diferenças entre os prés. upgrade e o de referência

Curso de Produção e Tecnologias da Música, Julho 2007 5


BRUNO GOUVEIA MODIFICAÇÕES A UM PRÉ-AMPLIFICADOR DE MICROFONE

Em relação à comparação subjectiva entre o pré referência. O que importa sublinhar é o facto de se ter
modificado e o de referência, as opiniões dividiram-se verificado que o tipo de áudio que era usado para avaliar
em relação à preferência, podendo por isso concluir-se as semelhanças/ diferenças era da maior importância.
que na avaliação subjectiva a performance é Este estudo demonstra que quando o sujeito sobre teste
equivalente. Mediante os resultados obtidos, era confrontado com sinais de ruído (ruído rosa, branco
consideramos que poderia ter interesse sujeitar a uma e uma gravação de uma cascata) não conseguia
avaliação subjectiva o pré original relativamente ao pré distinguir semelhanças/ diferenças entre altifalantes de
de referência, pois esta funcionaria como um despiste tipos tão diferentes. Bob Katz, aponta algo semelhante
que poderia tornar os resultados obtidos mais claros. quando se refere na aplicação de dither; com efeito a
que ter o maior cuidado com a introdução do mesmo
4.3 Algumas considerações críticas quando se trata de áudio de alta resolução. Por outro
Quanto tratamos de testes subjectivos, tal como o nome lado a introdução de dither assume-se como um
indica, estamos a considerar que se tratam de opiniões pormenor mais irrelevante quando se trata de áudio com
de várias pessoas, diferentes entre si que se submetem a um grande nível de ruído [18]. Quando nos referimos a
uma experiência fenomenológica (em que toda a sua áudio de alta-resolução, apoiamo-nos na definição de
experiência/ vivência condicionará as suas reacções ao Watkinson. Este autor defende a ideia da criação de uma
teste a que são sujeitas) – opiniões subjectivas, portanto. medida científica e rigorosa para medir a alta-resolução.
Contudo a análise dos resultados destes testes e a sua Ou seja, quanto mais o áudio tiver a capacidade de nos
integração no desenvolvimento de um trabalho como o convencer/ iludir que estamos perante um som real,
presente de alguma forma pretende tomá-los com maior é a sua resolução [19][20]. É de notar que
alguma objectividade. Não queremos com isto questões como o espaço, a envolvência e subtilezas do
questionar de alguma forma a validade do uso destes timbre encontram-se na informação áudio de baixo nível
testes. Pelo contrário, estamos convictos de que é a que são muito sensíveis a variações no sistema.
experiência empírica humana que melhor valida o Com base no acima descrito parece-nos ser de grande
funcionamento de algo que é criado para ser usado. importância usar nos testes áudio de alta-resolução para
Trata-se apenas aqui de direccionar a perspectiva e ter aferir as diferenças introduzidas pelas alterações
consciência que algumas dificuldades se levantarão na efectuadas. Outro factor a ter em conta é fazer os testes
compreensão/ avaliação dos resultados de testes como com um sistema reprodutor igualmente de alta-
estes. Nomeadamente, quando se tratam de escalas de resolução. Mais uma vez Watkinson, afirma que para se
pormenor em que se analisam variáveis ditas subtis, avaliar e tomar conclusões válidas sobre electrónica
muitas vezes há controvérsia em descrever diferenças áudio é essencial usar uma escuta com uma excelente
quando se altera uma variável. É provável que o resposta temporal (minimum phase3) (de notar que a
problema esteja no uso das mesmas palavras para norma ITU-R BS 1116 não refere esta necessidade). A
descrever diferenças mínimas perceptíveis e outras de audibilidade das diferenças depende da qualidade do
uma ordem mais significativa. Por exemplo, se em áudio e da capacidade de informação ou resolução do
princípio trocar de colunas mudará mais o som do que sistema reprodutor [9]. Desta forma, só poderíamos
os cabos, é possível, no entanto, que a descrição da tomar conclusões mais definitivas num contexto deste
diferença seja muito semelhante e socialmente/ género. Além disso, nunca é demais sublinhar que para
psicologicamente/ comercialmente ter o mesmo peso. diferenças subtis da qualidade de áudio dependem de
No que se refere ao caso concreto deste trabalho, vemos muitos factores que são muitas vezes difíceis de isolar e
que nos testes subjectivos de uma maneira geral, para as mesmo regulamentar [13][15][14].
mesmas variáveis há coerência nos adjectivos usados Quanto tratamos de testes subjectivos, tal como o nome
pelos pessoas testadas para descrever as diferenças: indica , estamos a considerar que se tratam de opiniões
maior definição harmónica, mais brilhante, mais brilho de várias pessoas, diferentes entre si que se submetem a
mais fresco, mais claro e limpo, etc. No entanto temos uma experiência fenomenológica (em que toda a sua
que ter consciência que se tratam de diferenças subtis e experiência/ vivência condicionará as suas reacções ao
cada adjectivo poderá ser usado da mesma forma para teste a que são sujeitas) – opinião subjectivas, portanto.
descrever diferenças realmente mais significativas –
trata-se portanto de uma questão de avaliar cada 5 CONCLUSÕES
elemento na escala que melhor o contextualiza. A execução deste processo de investigação foi de uma
grande utilidade a vários níveis. Se no princípio do
4.4 Factores que poderão contribuir para uma projecto, o simples facto de observar os componentes
melhor validação dos resultados electrónicos constituintes do pré era um acto delicado,
Um trabalho de referência na área da percepção agora há uma muito maior familiaridade com o objecto,
subjectiva é o doutoramento de Keith Holland. Neste de como está construído, de como funciona e de como
trabalho de 4 anos que contou com a assistência de Phil pode ser potenciado.
Newell, aconteceram 7000 avaliações subjectivas que se
intitulava “Do all mid-range horn loudspeakers have a 3
Implica uma relação linear e bem definida entre a resposta em
recognisable characteristic sound?” [17]. Neste estudo,
amplitude e fase da coluna, ou seja, a fase varia linearmente com a
foram comparados 16 altifalantes, contra 4 de frequência, sem alterações abruptas, daí o termo minimum phase

Curso de Produção e Tecnologias da Música, Julho 2007 6


BRUNO GOUVEIA MODIFICAÇÕES A UM PRÉ-AMPLIFICADOR DE MICROFONE

As diferenças introduzidas pelas modificações podem esperados podem constituir novas linhas de investigação
ser consideradas subtilezas, mas é com estas subtilezas e aprofundamento.
que a indústria do áudio de alta-performance tem lidado
e se distingue. REFERÊNCIAS
Em relação à análise objectiva, dadas as subtilezas que [1] WHITLOCK, Bill, PETTERSEN, Michael
se pretendiam medir, verificou-se que se tornou muito (2002), “Pre-amplifiers and Mixers” in
difícil obter resultados claros dadas as próprias BALLOU, Glen (ed.) Handbook for Sound
limitações do equipamento de medição. No entanto, Engineers: The New Audio Cyclopaedia. Boston:
julgamos necessária mais investigação para definir as Focal Press, pp. 601
limitações do equipamento de medição em questão e
para pôr em prática métodos de medir diferenças entre [2] www.m-audio.com, 28 Janeiro 2007
vários tipos de condensador, por exemplo.
Em relação à análise subjectiva, contando com a extensa [3] BALLOU, G. (ed.) (2002a), “Tubes, Discrete
experiência de Martin Colloms em testes subjectivos e Solid State Devices, and Integrated Circuits” in
no áudio em geral, contactamos este autor trocando com BALLOU, Glen (ed.) Handbook for Sound
ele algumas impressões. Relativamente a este projecto, Engineers: The New Audio Cyclopaedia. Boston:
Colloms efectuou o seguinte comentário: “You will be Focal Press, pp. 292-293
looking for more clarity, more low level detail, more
distant acoustic and ambience, sharper dynamics, an
[4] PADILLA, António J.G. (1993) Electrónica
impression of sharper focus more transparency, but the
Analógica. Portugal: McGrawHill, pp:88
timbre may perhaps change very little”[22] o que se
verificou com os testes subjectivos. Dado o pré em
[5] BALLOU, G. (ed.) (2002b), “Resistors,
questão ser baseado em circuitos integrados a sua
Capacitors and Inductors” in BALLOU, Glen
construção particular com componentes de boa
(ed.) Handbook for Sound Engineers: The New
qualidade torna-se simples e pode ser uma boa solução
Audio Cyclopaedia. Boston: Focal Press, pp.
para se obter um pré com uma performance
219-220s”
irrepreensível, comparável com os melhores do
mercado, tal como sugerem os resultados dos testes
[6] Especificações (Data Sheet) INA163,
subjectivos relativamente ao pré modificado vs pré de
http://focus.ti.com/docs/prod/folders/print/ina163
referência. Apesar de, segundo a análise objectiva,
.html, 16 Abril 2007
alguns pontos que foram possíveis medir terem ficado
prejudicados com as modificações, na análise subjectiva
as opiniões das pessoas manifestaram preferência, na [7] WATKINSON, John (Outubro 2005), Slaying
sua maioria, pelo aparelho modificado relativamente ao Dragons - Grounding. London: Resolution
original. Desta forma estamos convictos de que Magazine,pp:62-63,
podemos assumir o conjunto das modificações http://www.resolutionmag.com/pdfs/DRAGONS
efectuadas como um upgrade. /grounding.pdf , 16 Abril 2007
Malvino, no seu livro Princípios de Electrónica aborda
logo na introdução o conceito das aproximações, em [8] www.rs-portugal.com, 16 Abril 2007 (comércio
que distingue a primeira, segunda e terceira on-line a retalho de componentes de electrónica)
aproximação. Estas aproximações são como escalas de
observação, onde para cada nível se considerará a [9] WATKINSON, John (Março 2005), Slaying
pertinência do maior ou menor pormenor para cada Dragons - Equipment Specifications. London:
elemento descrito: podemos dizer que alguém tem 21 Resolution Magazine, pp: 62-63,
anos, ou 21 anos e 11 meses, ou ainda 21 amos e 11 http://www.resolutionmag.com/pdfs/DRAGONS
meses e 5 dias e 3h. etc , dependendo da exigência que o /watequipmentspecs.pdf , 16 Abril 2007
contexto do discurso nos exige. Isto relaciona-se com o
famoso teorema de Heisenberg: quanto mais nos [10] DAVIS, Gary; JONES, Ralph (1989), The Sound
aproximamos e confinamos o meio mais incerto ele se Reinforcement Handbook. Milwaukee: Hal
torna [23] Assim, mesmo estando neste projecto a lidar Leonard Publishing Corporation, pp: 71
com pormenores perfeccionistas do áudio, consideramos
que à luz da devida aproximação as diferenças se [11] DAVIS, Don (2001) Sound System Engineering,
tornam significativas e ainda mais se em coordenação Texas: Focal Press, pp. 80-91
com outros melhoramentos que se possam ir
sucessivamente realizando numa cadeia de áudio. [12] http://www.sweetwater.com/store/detail/TD1/,
Consideramos por isso pertinente, útil e didáctica, este 16 Abril 2007
tipo de investigação. Trabalhos como o corrente
constituem acima de tudo projectos em aberto, eles [13] ITU-R Recommendation BS.1116-1: Methods
próprios passíveis de serem desenvolvidos, continuados for the subjective assessment of small
e melhorados, onde, mesmo os resultados menos impairments in audio systems including

Curso de Produção e Tecnologias da Música, Julho 2007 7


BRUNO GOUVEIA MODIFICAÇÕES A UM PRÉ-AMPLIFICADOR DE MICROFONE

multichannel sound systems.

[14] AES20 – 1996 AES Recommended Practice for


Professional Audio – Subjective evaluation of

[15] COLLOMS, Martin (1996a), High Performance


Loudspeakers. London: John Wiley & Sons, pp.
441-449

[16] COLLOMS, Martin (1996b), High Performance


Loudspeakers. London: John Wiley & Sons, pp.
113

[17] NEWELL, Philip (1995), Studio Monitoring


Design. Oxford: Focal Press, pp.162-224

[18] KATZ, Bob, (2002) Mastering Audio. Florida:


Focal Press, pp. 104-105

[19] WATKINSON, John (1998), The Art of Sound


Reproduction. London: Focal Press, pp. 214-217,

[20] WATKINSON, John (2007) Conferência dada


em 22 de Março de 2007, no âmbito das
actividades da Semana PTM

[21] HENRIQUE, Luís (2002) Acústica Musical.


Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian

[22] COLLOMS, Martin, Comunicação via e-mail,


mcolloms@hificritic.com, 17 Abril 2007

[23] http://pt.wikipedia.org/wiki/Principio_da_incerte
za_de_Heisenberg , 15 Abril 2007

AGRADECIMENTOS
É devido o agradecimento a todas as pessoas que
participaram na construção deste trabalho,
nomeadamente o apoio sempre disponível e interessado
dos orientadores específicos Luís Mendonça e Mário
Azevedo, aos professores Sofia Vieira, Irene Cortesão e
Gustavo Almeida, aos Serviços de Áudio do IPP pelo o
apoio logístico, aos colegas PTM e às pessoas sujeitas
aos testes subjectivos. É de destacar o apoio sempre
permanente de Joana Castro Teixeira em todas as fases
de elaboração deste projecto.

Curso de Produção e Tecnologias da Música, Julho 2007 8