Vous êtes sur la page 1sur 15

Torneamento – Chaves de código

Porta-ferramentas externos

P W L N R 25 25 M 06
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

1. Sistema mecânico de fixação 2. Formato da pastilha

D A B C

D E H
Grampo / Pastilhas com furo central

P M

K L M

Pino/Cunha ou alavanca Pino/Grampo


O P R S
S C

T V W

Parafuso Grampo

3. Tipo da ferramenta 4. Ângulo de folga da pastilha

A B D F G A B C

D E F
H J K L N

G N P
P R S T V

O = Especial

8
Torneamento – Chaves de código
Porta-ferramentas externos
5. Sentido de corte 6. Altura da haste 7. Largura da haste

12 = 12 mm 12 = 12 mm
25 = 25 mm 25 = 25 mm
32 = 32 mm 32 = 32 mm
etc etc

8. Comprimento da ferramenta 9. Comprimento da aresta de corte

A, B, K C, D, E, M, V H, O, P

L R S
A = 32 mm M = 150 mm
C = 50 mm P = 170 mm
D = 60 mm R = 200 mm
E = 70 mm S = 250 mm
F = 80 mm T = 300 mm
H = 100 mm V = 400 mm
K = 125 mm T W

Comprimentos standard

10. Designação interna

9
Torneamento – Chaves de código
Porta-ferramentas internos

A 20 Q - P W L N R 06
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

1. Material de construção do 2. Diâmetro da haste 3. Comprimento da ferramenta


porta-ferramentas

A = Aço com furo interno para


refrigeração
S = Sólida em aço
E = Sólida de metal duro com cabeça
de corte soldada* e furo interno
para refrigeração

K = 125 mm R = 200 mm
L = 140 mm S = 250 mm
12 = 12 mm M = 150 mm T = 300 mm
20 = 20 mm N = 160 mm U = 350 mm
25 = 25 mm P = 170 mm V = 400 mm
etc Q = 180 mm

*Soldada ou equivalente Tolerância na haste: g7

Comprimentos standard

4. Sistema mecânico de fixação 5. Formato da pastilha

A B C
P M

D E H

Pino/Cunha ou alavanca Pino/Grampo

K L M

S C

O P R S

Parafuso Grampo

T V W

10
Torneamento – Chaves de código
Porta-ferramentas internos
6. Tipo da ferramenta 7. Ângulo de folga da pastilha

F K L A B C

P Q S D E F

G N P
U Y

O = Especial

8. Sentido de corte 9. Comprimento da aresta de corte

L A, B, K C, D, E, M, V H, O, P

L R S
R

T W

10. Designação interna

11
Torneamento – Chaves de código
Pastilhas / Série métrica (Extraído da norma ISO 1832-1991)
As dimensões se referem a medidas teóricas

W N M G 06 04 08 - M3
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

1. Formato 3. Tolerâncias

Classe Tolerância +/– mm Para dimensões ”d” em mm


A B C de
tolerân-

3,175*

15,875
3,969

4,064

9,525

19,05

31,75
4,76
6,35

12,7

25,4

38,1
cia
m s d
D E H
A 0,005 0,025 0,025 • • • • • • • • • •

C 0,013 0,025 0,025 • • • • • • • • • • • •


K L M
E 0,025 0,025 0,025 • • • • • • • • • •

F 0,005 0,025 0,013 • • • • • • • • • •


O P R S
G 0,025 0,13 0,025 • • • • • • • • • •

H 0,013 0,025 0,013 • • • • • • • • • •


T V W
0,005 0,025 0,05 • • • •

0,005 0,025 0,08 •


J 0,005 0,025 0,10 • •

0,005 0,025 0,13 •

2. Ângulo de folga 0,005 0,025 0,15 • •

0,013 0,025 0,05 • • • •


A B C
0,013 0,025 0,08 •
K 0,013 0,025 0,10 • •

0,013 0,025 0,13 •

0,013 0,025 0,15 • •


D E F
0,08 0,13 0,05 • • • •

0,13 0,13 0,08 •


M 0,15 0,13 0,10 • •

0,18 0,13 0,13 •


G N P
0,20 0,13 0,15 • •

0,13 0,13 0,08 • • • •

0,20 0,13 0,13 •


U
0,27 0,13 0,18 • •
O = Especial
0,38 0,13 0,25 • • •
*não é norma ISO

12
Torneamento – Chaves de código
Pastilhas
4. Tipo da pastilha 6. Espessura 8. Preparação da aresta de corte

A F F E

G M

01 = 1,59 mm 04 = 4,76 mm T S
T1 = 1,98 mm 05 = 5,56 mm
02 = 2,38 mm 06 = 6,35 mm
N Q
03 = 3,18 mm 07 = 7,94 mm
T3 = 3,97 mm 08 = 8,00 mm
09 = 9,52 mm

Informação não essencial


R T

7. Pastilhas com chanfros / raio de ponta 9. Sentido de corte

U W A = 45°
D = 60°
E = 75° L
F = 85°
1ª letra P = 90°
O = Especial
Z = Especial

5. Comprimento da aresta de corte


A = 3° F= 25°
B = 5° G= 30° N
A, B, K C, D, E, M, V H, O, P C = 7° N= 0°
D = 15° P= 11°
2ª letra E = 20°

Z = Especial

L R S R

M0* = pastilhas redondas


00 = cantos vivos
01 = 0,1 mm
02 = 0,2 mm
T W 04 = 0,4 mm
Raio de ponta 08 = 0,8 mm
12 = 1,2 mm
etc

*Versão métrica Informação não essencial

10. Designação interna

Ex.: Designação do quebra-cavacos

F = Acabamento
M = Semi-desbaste
R = Desbaste

13
Torneamento – Porta-ferramentas
Sistemas de fixação mecânica
A seleção do sistema de fixação mecânica depende do tipo de operação que será executada.

Sistema de fixação da pastilha

Externo
Sistema de fixação da pastilha

Interno

Externa Interna
Sistema mecânico de fixação Sistema mecânico de fixação

D
P M

Grampo / Pastilhas com furo central


P M
Pino/cunha ou alavanca Pino/Grampo

Pino/cunha ou alavanca Pino/Grampo S C


S C

Parafuso Grampo
Parafuso Grampo

Porta-ferramentas D
Primeira escolha para aplicação geral – Torneamento externo
– Para pastilhas negativas com furo central
– Conjunto estável e robusto A pastilha é locada e fixada na
Quando, por motivo de espaço, não for possível utilizar um porta-fer- posição através de um gram-
ramentas D, o mesmo poderá ser substituído por um porta-ferramen- po, que pressiona a mesma
tas tipo -P ou -M. contra os apoios laterais e o
fundo do alojamento.
O porta-ferramentas tipo D faz parte do sistema de fixação Seco P+.
Para mais informações, por favor consulte as páginas 62-63.

14
Torneamento – Porta-ferramentas
Sistemas de fixação mecânica

Porta-ferramentas P
Um complemento para os porta-ferramentas D – Torneamento
externo
– Para pastilhas negativas com furo central Quando o parafuso de fixa-
– Sem elementos de fixação no topo, fluxo de cavacos livre ção é apertado, a alavanca
puxa a pastilha contra os
apoios laterais e o fundo
do alojamento.

Porta-ferramentas C A pastilha é locada e


Projetado principalmente para as pastilhas de PCBN Seco fixada na posição através
sem furo central de um grampo equipado
com um postiço de metal
duro, que distribui o efeito
de fixação, presionando a
pastilha simutâneamente
contra os apoios laterais e
o fundo do alojamento.

Porta-ferramentas S
Para torneamento externo e interno com pastilhas positivas
– A pastilha é locada e fixada na posição através de um parafuso
central, que distribui o esforço de fixação, pressionando a
pastilha simultâneamente contra os apoios laterais e o fundo
A pastilha é locada e fixada
do alojamento
através de um parafuso
central

15
Torneamento – Porta-ferramentas
Estilo do porta-ferramentas
De acordo com a operação a ser executada, selecione o estilo do porta-ferramentas através dos
quadros de aplicação das páginas 65–69 (externos) e 127–132 (internos).
Formato da pastilha
Ângulo de folga da pastilha

Externo Sentido de corte


Tipo da
ferramenta
Formato da pastilha Ângulo de folga da pastilha

Interno
Material de construção Tipo da Sentido de corte
do porta-ferramentas ferramenta

Externo Interno Interno


Tipo da ferramenta Material de construção do Tipo da ferramenta
porta-ferramentas
A B D F G F K

A = Aço com furo interno para


refrigeração
S = Sólida em aço P L
E = Sólida de metal duro com
H J K L N
cabeça de corte soldada*
e furo interno para refrige-
ração
S Q

P R S T V

*Soldada ou equivalente U Y

Sentido de corte Formato da pastilha Ângulo de folga da pastilha

L A B C
A B C

D E H
D E F
N
K L M

O P R S G N P
R

T V W

O = Especial

16
Torneamento

17
Torneamento - Tamanho da pastilha
Tamanho da pastilha
O tamanho da pastilha é um dos fatores que determina a máxima profundidade de corte (outros fato-
res são: o ângulo de posição, o raio de ponta e o tipo do quebra-cavacos). Utilize a tabela da página
seguinte como referência para escolha do tamanho da pastilha.

Comprimento da aresta de corte

Externo

Comprimento da aresta de corte

Interno

Comprimento da aresta de corte

A, B, K C, D, E, M, V H, O, P

L R S

T W

O = Especial

18
Torneamento - Tamanho da pastilha
Formato e tamanho das pastilhas
Máxima profundidade de corte, ap (mm)
Tam.
Formato da pastilha Past. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16

04
06
09
C 12
16
19
25

07
11
15
D

06
08
10
12
15
R
16
19
20
25
32

09
12
15
19
S 25
31
38

06
11
16
T 22
27
33

11
16
22
V

06
08
W

19
Torneamento – Hastes
Haste do porta-ferramentas
Sempre selecione a haste mais estável possível, observando as limi-
tações da máquina e da operação.

Altura da haste Largura da haste

Externo
Comprimento da ferramenta

Diâmetro da haste

Interno Comprimento da ferramenta

Externo Externo Externo


Altura da haste Largura da haste Comprimento da ferramenta

A = 32 mm M = 150 mm
C = 50 mm P = 170 mm
D = 60 mm R = 200 mm
12 = 12 mm 12 = 12 mm E = 70 mm S = 250 mm
25 = 25 mm 25 = 25 mm F = 80 mm T = 300 mm
32 = 32 mm 32 = 32 mm H = 100 mm V = 400 mm
etc etc K = 125 mm

Comprimentos standard

Interno Interno
Diâmetro da haste Comprimento da ferramenta

K = 125 mm R = 200 mm
12 = 12 mm L = 140 mm S = 250 mm
20 = 20 mm M = 150 mm T = 300 mm
25 = 25 mm N = 160 mm U = 350 mm
etc P = 170 mm V = 400 mm
Q = 180 mm

Comprimentos standard

20
Torneamento – Pastilhas
Tamanho e tipo da pastilha
O tamanho e tipo da pastilha depende da escolha do porta-ferramentas.
O código da pastilha deve corresponder com o código do porta-ferramentas.

Ângulo de folga
Formato Comprimento da aresta de corte

Formato Comprimento da aresta de corte

Externo
Ângulo de folga

Formato Comprimento da aresta de corte

Interno Ângulo de folga

Formato Ângulo de folga Comprimento da aresta de corte

A B C A B C A, B, K C, D, E, M, V H, O, P

D E H
D E F
L R S
K L M

G N P
O P R S
T W

T V W
O = Especial

21
Torneamento – Tipos de pastilhas
Raio de ponta
A escolha do tamanho do raio de ponta depende do perfil/especificações do componente e do tipo de operação que deve ser
executada.
O tamanho do raio de ponta influencia a seleção dos dados de corte e o acabamento superficial gerado.
Raios de ponta pequenos = Aplicações em geral, baixos esforços de corte (menor risco de vibração).
Raios de ponta grandes = Maior resistência, recomendados para dados de corte mais severos, bom acabamento superficial.
A profundidade de corte deve ser sempre maior que o tamanho do raio de ponta.

Tamanho do raio de ponta

A tabela ao lado mostra os valores Raio de ponta (mm)


Acab.
de avanço máximo em função de superf.
um valor Ra especificado, para 0,2 0,4 0,8 1,2 1,6 2,4
valor Ra
diferentes tamanhos de raio de (m) Avanço, f (mm/rotação)
ponta.
0,6 0,05 0,07 0,10 0,12 0,14 0,17
1,6 0,08 0,12 0,16 0,20 0,23 0,29
3,2 0,12 0,16 0,23 0,29 0,33 0,40
6,3 – 0,23 0,33 0,40 0,47 0,57
8,0 – – 0,40 0,49 0,57 0,69

7. Pastilhas com chanfros / raio de ponta

1ª letra

Z = Especial

A = 3° F= 25°
B = 5° G= 30°
C = 7° N= 0°
D = 15° P= 11°
2ª letra E = 20°
A altura máxima de perfil (Ry) pode ser calculada pela relação seguinte:
Z = Especial
Ry = f2 (µm)
8 x r
M0* = pastilhas redondas
00 = cantos vivos
01 = 0,1 mm Na prática, no entanto, o valor Ra é mais utilizado. Nesse caso, o acaba-
02 = 0,2 mm mento superficial teórico pode ser calculado através da fórmula:
04 = 0,4 mm 2
Raio de ponta 08 = 0,8 mm Ra = f x 50 (µm)
12 = 1,2 mm
r
etc f = Avanço por rotação (mm/rotação)
r = Raio de ponta (mm)
*Versão métrica

22