Vous êtes sur la page 1sur 24

CATECISMO DOS FILÓSOFOS ELUS COHEN DO UNIVERSO

DE 1770
Sociedades – Martinismo & Martinezismo
EzoOccult, le webzine d’Hermès

Mais um texto traduzido do francês que lhes servirá de material


de apoio e pesquisa para entender em que contexto desenvolveu-se a
Maçonaria Espiritualista no século XVIII por meio da doutrina dos
Elus Cohen do Universo.

Esses fragmentos de conhecimento, quando reunidos, nos dão


uma visão geral ou mais fiel do que, de fato, consistia a Maçonaria
Espiritual, principalmente, a perpetuada pela doutrina dos Elus
Cohen do Universo de Martinez de Pasqually, também conhecida
como Martinezismo.

Tirar os véus do mistério é, hoje em dia, de fundamental


importância, uma vez que estes foram colocados não com a intenção
de proteger uma Tradição Antiga, mas para encobrir, na maioria das

1
vezes, a ignorância daqueles que defendem tal tradição porque se
entregaram às formas superficiais do Rito pela prática exclusiva de
seus aspectos puramente simbólicos e exotéricos. No passado, esse
mistério era uma necessidade, pois corria-se risco de perder a vida ao
defender certas ideias, porque tanto a polícia e quanto as autoridades
da época trabalhavam em conjunto com a opressão religiosa. Haja
vista, a imbecilidade de ter que apresentar um certificado de
catolicidade como foi imposto ao V:: M:: Martinez de Pasqually. Hoje
em dia, não existe mais a necessidade de encobrir tudo com os véus
do Mistério.

“A necessidade, hoje em dia, é totalmente outra e


muito maior: convencer o postulante de suas
capacidades interiores, apostar nelas e praticá-la com
constância e perseverança, a fim de aprimorar a si
mesmo, pois os atrativos do mundo material e das
inovações tecnológicas têm um poderoso predomínio
sobre a mente humana, mais do que qualquer aspecto
da vida interior ou espiritual”

Os trechos sublinhados e em destaque são marcações nossas


para demonstrar que a doutrina dos Elus Cohen, mais do que um
sistema de graus, era pautado na Iniciação Individual e nos trabalhos
práticos para alcançá-la, sendo uma condição sine qua non para
qualquer trabalho ou ritual coletivo realizado em Lojas e Capítulos.

Todo seu na Luz do Soberano Colégio dos Magos Praticantes!


Charles Lucien de Lièvre – S:: G:: M::

2
CATECISMO DOS FILÓSOFOS ELUS COHEN DO UNIVERSO
DE 1770

Sois Aprendiz Cohen?


Sim, sou.

Como fostes admitido?


Submetendo-me à Ordem de Deus no Templo.

Como estáveis quando fostes admitido Aprendiz Cohen?


Não estava nem nu nem vestido: meu corpo fora colocado no centro
de seis circunferências formando um longo quadrado e quatro
esquadros.

O que vistes quando encontráveis nesta posição e durante a estada


que fizestes nas circunferências?
Nada vi e nada ouvi que o Espírito humano possa compreender.

3
Por que isso?
Porque meu corpo estava privado do uso de todos os seus sentidos.

Que vistes após que seu corpo recebera o uso de seus sentidos?
Primeiramente, vi uma imensa Luz, e ouvi um barulho apavorante;
enxerguei três grandes colunas, uma de terra em direção ao
Setentrião, a outra de ar em direção ao Meio-Dia, e a outra de fogo em
direção ao Oriente.

Vos destes conta dos hieróglifos que estavam escritos sobre elas?
Sim.

O que vos representam esses hieróglifos apostos sobre as três


colunas?
O hieróglifo colocado sobre a coluna setentrional, nos representa a
sabedoria que os verdadeiros Cohens devem possuir para gozar dos
direitos e privilégios que Deus lhes dá a cada instante de suas vidas.

Quais são esses privilégios?


O conhecimento das três partes que compõem o corpo humano, sua
existência e nossa alma.

O que representa o hieróglifo que está sobre a coluna do meio-dia?


Que nenhum homem é capaz de chegar aos conhecimentos que a
Ordem oferece a todos os irmãos zelosos, sem que ele se desenvolva a
si mesmo nos mistérios que lhe são designados por este hieróglifo.

4
Como é possível que ele descubra em si mesmo uma coisa tão bem
oculta?
Trabalhando sem cessar para o bem geral da Ordem, e ele adquirirá,
por meio disso, a bênção dos Espíritos Celestes que trabalham com
ele para fazer com que desfrute desses direitos, e para fazer com que
ele obtenha os frutos, ainda que deva retirá-los de seus trabalhos.

O que representa o hieróglifo colocado sobre a coluna em direção do


Oriente?
Os poderosos instrumentos que Deus empregou para a construção de
seu Templo Temporal Universal.

Qual a forma deste Templo?


Ele possui uma forma triangular de norte a sul, e do sul ao oriente.

Qual é a sua profundidade?


Da superfície ao centro.

Qual é a sua altura?


Côvados sem número.

Quem o cobre?
Uma abóbada celeste semeada de estrelas.

Que forma possui esse Templo?


Um enorme quadrado.

5
Qual o seu comprimento?
Trezentos côvados.

Qual a sua largura?


Duzentos côvados.

Qual a altura?
Quinhentos côvados.

Qual é a profundidade?
Seiscentos côvados.

Em quantas partes vós o dividis?


Em 3, em 5 e em 7.

O que representa a primeira divisão por três?


Os três principais chefes da criação do Templo Universal, que nos
foram representados pelos três chefes principais, que construíram o
Templo do Eterno sobre o Monte de Moria em Jerusalém.

Como vós os chamais?


Salomão, Chiram e Hiram.

O que vos representa as três pessoas chefes da construção do Templo


dito de Salomão, e como eles foram simbolizados no Templo?
Salomão está simbolizado pela coluna do setentrião. Hiram, rei de
Tiro, pela do meio-dia e Chiram pela do Oriente.

6
Como vós nomeais essas três colunas?
IN, DIN, YA.

O que representam essas três palavras?


IN é a palavra hieróglifo que fora aposta sobre a coluna do setentrião
e que designava a sabedoria de Salomão; DIN que fora aposta sobre a
coluna do meio-dia designava a força de seu crime; e YA que era
aquela do Oriente designava a beleza da construção do Templo do
Eterno.

Quais são os diferentes números que foram fixados sobre essas


colunas?
Sobre a do setentrião 3, sobre a do meio-dia 5, e sobre a do Oriente 7.

O que representam esses três números 3, 5, 7?


O número 3 representa as três diferentes matérias que Deus
empregou na construção do primeiro Templo Universal; o número 5
nos representa sua ruína, e o número 7 sua reconciliação.

Quantos tipos de Templo existem, em que lugar, e por quem eles


foram erigidos?
Há 7 tipos deles. O primeiro foi fixado no Oriente pelo Grande
Arquiteto de Hely e Adão; o segundo por Caim no meio-dia; o terceiro
por Enoque em direção ao norte; o quarto por Noé sobre as águas; o
quinto por Abraão entre o Leste e o Oeste; o sexto por Moisés na terra
prometida; e o sétimo por Salomão em Jerusalém.

7
Quantos tipos de filosofia há em uso hoje no mundo?
5 tipos, a saber a simbólica, a teórica, a prática, a composta e a
apócrifa.

O que nos ensina a filosofia simbólica?


A aproximarmos cada vez mais dos conhecimentos misteriosos que
Deus empregou na construção do Templo Universal, ainda que ele o
tenha feito ele próprio por sua palavra eterna.

O que nos ensina a teórica?


Ela demonstra os símbolos que são análogos aos mistérios que o
Grande Arquiteto empregou na construção de seu Templo. É tão
somente por esta teoria que se pode chegar a servir-se mais
particularmente dos atributos que estão em uso na Ordem, e que são
a recompensa dos trabalhos dos irmãos.

O que ensina a prática?


Ela ensina a elevar edifícios sobre suas bases tanto espirituais quanto
materiais.

O que ensina a composta?


Ela nos ensina as diferentes Ordens que existiram nas diversas
nações do mundo inteiro, sua prevaricação, sua remissão, e sua
expulsão por Ordem do Grande Arquiteto.

O que nos ensina a apócrifa?


Nada além do que possa ser análogo à verdadeira filosofia.

8
Por que se servem eles de um esquadro e de um compasso
perpendicular, nível, e outros instrumentos pertencentes à Ordem?
É que os filósofos apócrifos não conseguiram obter de nós as
verdadeiras cerimônias misteriosas que a Ordem detém e ensina, o
que fez com que muitas pessoas se atribuíssem com alguns de nossos
instrumentos e se reunissem com seu chefe conferindo-se o título de
obreiros do Templo de Salomão.

Quais são suas palavras, e o que significam elas na ordem da


construção do Templo de Salomão?
A palavra do Aprendiz: TAKIN TUBALKAIN designa uma coluna que se
situava junto ao dito Templo, onde os Aprendizes se reuniam para
receber seus salários; ela era situada na direção do setentrião. Havia
uma outra que servia aos Companheiros para o mesmo uso, ela
estava situada na direção do meio-dia e se chamava BOOZ e
SCHIBOLETH. A palavra que eles chamavam ser a do Mestre é MAK-
BENAE e GIBLTN.

A palavra do Eleito é aquela que eles dão àqueles que dizem ter
vingado a morte de Chiram, que é NEKAM. As do Escocês são
NEDER, BERRY e SALOMÃO; as de seu Cavaleiro do Oriente são
JUDÁ, BENJAMIN e ZOROBABEL; a palavra de passe: LIBERDADE, a
qual se responde: VINGANÇA; a palavra de Eleito Secreto é MOABON;
de passe: ABIRÃO. Assassinos de Hiram Hoben, palavra de passe
HELCAM; outras palavras escocesas JAKIN SCHIBOLETH, MOABON,
GABAON, MAHAKIN, Príncipe de Jerusalém, a palavra é ADOR.
Cavaleiro do Sol, a palavra é STIBION para o passe; o cavaleiro é o
grau mais antigo, as palavras são: SEM, dito de outra forma: SHEM e

9
a outra: JAPHET. Soberano Comandante do Templo, a palavra deles é
INRY, a palavra de passe é: SALOMÃO. Para o Soberano da Rosa-
Cruz, sua palavra é INRY e a de passe é EMMANUEL. Para o Príncipe
da Águia Negra a palavra é MESSIAS, e a palavra de passe é OCH.

O que compreendeis de todas essas palavras apócrifas?


Compreendo que os filósofos apócrifos não detinham nenhum
conhecimento da verdadeira filosofia, recolheram com grande cuidado
e colocaram em uso todas essas palavras para sustentar o ar de
mistérios que eles imprimiam a ela. Porém, este recurso prova apenas
a ignorância deles das coisas que estão contidas na Ordem dos
Filósofos dos Elus Cohens.

Quantos sinais tendes na filosofia dos Elus Cohens?


Há seis deles.

Quantas divisas tendes na Ordem?


Quatro: a azul, a negra, a branca e a vermelha.

O que designa a cor azul?


A primeira cor que o homem vê assim que ele abre os olhos para a
ordem do Grande Arquiteto.

O que representa o branco?


O estado de pureza e de candura no qual Deus criou o primeiro
homem.

10
O que representa o vermelho?
O astro radiante do fogo que se fez sentir a ele quando esteve na
presença do Mestre.

O que representa o negro?


A obscuridade do lugar de onde saiu o corpo do primeiro homem com
a permissão do Mestre.

Qual é a condição do filósofo Elus Cohen?


De ser livre, virtuoso e desapegado de todos os vícios, igual aos reis,
amigo dos príncipes e dos pobres assim que eles são espiritualmente
revestidos do caráter de Elus Cohen.

O que deve seguir um verdadeiro Cohen?


Três coisas, a saber: a piedade, a temperança e a caridade em relação
aos seus irmãos.

Do que ele deve fugir?


De três coisas: da calúnia, da maledicência e da intemperança.

Como viajam os Aprendizes de nossa Ordem?


Do Ocidente ao Oriente.

Por que isso?


Para buscar a Luz.

Encontrastes esta Luz que buscáveis?


Não, encontrei-a apenas muito tempo após minhas primeiras buscas.

11
Quando a encontrastes e como dela vos apoderastes?
Por minha constância, meu zelo e minha perseverança em todas as
circunstâncias da Ordem.

De quem recebestes esta Luz?


Da Bondade do Grande Arquiteto.

Quais as qualidades exigidas de um profano para ser admitido Elus


Cohen?
É preciso que seja afável, de boa vida e modos, louvável entre todos os
tipos de pessoas, sóbrio, discreto e desprovido de qualquer vício e
virtuoso, ainda que nunca tenha tido nenhum problema infame em
sua família.

Em quantas classes dividis a Ordem dos Elus Cohens?


Em seis classes, assim como o Grande Arquiteto empregou seis dias
na construção do Templo Universal; da mesma forma a Ordem dos
Elus Cohens se divide em seis partes diferentes com o objetivo de
adquirir as diferentes ciências misteriosas que estão encerradas
nessas seis classes.

Quais são os diferentes atributos de seu pórtico?


Quaisquer esquadros, compassos, triângulos, duplos, triplos e
quádruplos, e a circunferência em todos os sentidos.

Há quanto tempo vos servis de vosso Mestre?


Desde segunda-feira de manhã até o sábado à noite.

12
Com o que vós o servis?
Com o giz, a terrina e o carvão.

O que vos representa esses três emblemas?


As três divisões terrestres temporais e espirituais.

Sobre o que trabalham os Adeptos de nossa Ordem?


Sobre a pedra bruta.

Sobre o que trabalham os Aprendizes?


Sobre a pedra cúbica com ponta.

Sobre o que trabalham os Companheiros?


Na elevação dos edifícios em suas bases, e em torná-los perfeitos em
sua construção.

Por que os filósofos Elus Cohens se servem de palavras e gestos no


Templo, assim como fora do Templo para se reconhecerem?
Chiram organizou para que todos os operários que trabalhassem na
construção do Templo de Jerusalém para que lhes fossem dadas
diferentes palavras para distinguir entre aquelas que eram
empregadas nesta construção, da mesma forma para submetê-los à
chamada geral que se fazia três vezes por dia, seja para colocá-los ao
trabalho, seja para que fizessem as refeições no pátio, seja para
admiti-los na oração e para render graças ao Eterno pelos trabalhos
que tinham realizado durante a jornada.

13
Essas palavras tinham somente por objetivo distinguir as diferentes
nações empregadas no trabalho de construção do Templo?
Elas serviam também para admitir a entrada dos diferentes chefes de
obra dos Aprendizes e dos Companheiros em suas diferentes classes;
da mesma forma para sair, isto é, que a palavra de passe servia para
a entrada, e a palavra de ordem era dada ao chefe do ocidente; após o
que eles se retiravam em profundo silêncio, esta palavra só era
entregue após a oração da noite, eis o porquê os Elus Cohen fazem
sua oração ao Eterno antes de abrir e fechar o seu Templo, e após
eles dão a palavra (de passe) que está consignada nos ângulos do seu
Templo e ao chefe do Ocidente.

Quantos tipos de nações foram empregadas na construção e no


serviço do Templo?
Cinco tipos, a saber: os judeus, os sírios, os sidonitas, os gabaonitas
e os libanitas.

Quais eram as diferentes tarefas desses cinco tipos de nações?


Os judeus colocavam pedra sobre pedra para edificar as muralhas do
Templo, segundo o plano que lhes havia sido dado pelo Mestre, os
sidonitas tiravam e desciam as pedras das carreiras; os sírios as
transportavam até as portas do Templos, os gabaonitas serviam para
carregar água e outros utensílios próprios e necessários para a
construção e para a necessidade dos operários; os libanitas
trabalhavam em quaisquer ornamentos interiores do Templo e os
transportavam até a beira do rio; e uma parte dos sidonitas e dos
sírios as transportavam de aí até o pórtico do Templo, obrando-as e
colocando-as no Templo.

14
Qual é o sinal do Mestre?
Ele o dá.

Como estáveis quando fostes admitido Mestre?


Fui colocado no meio de um triângulo invertido; meu corpo formando
cinco atitudes diferentes tristemente vestido, a corda no pescoço, os
pés descalços, e desta maneira contrai minha obrigação.

O que vos representa essas diferentes atitudes, da mesma forma que


a maneira triste com que fostes vestido?
A primeira situação do corpo colocado em um triângulo nos
representa a que Adão teve diante do Eterno na ocasião em que ele
fora ordenado Mestre sobre toda a superfície terrestre, as outras nos
representam a sua prevaricação, sua reconciliação para ser
novamente colocado na Graça com o Eterno.

Quais são as diferentes penas que Adão foi obrigado a sofrer?


A do corpo, a da alma e a do espírito.

Como elas vos foram figuradas?


Sobre os três sacrifícios que se faz ressentir ao irmão recentemente
admitido na Ordem, que são pelo fogo, pela água e pela terra.

Em qual parte da terra elas vos são figuradas, e como elas vos são
designadas?
Elas nos são figuradas no Oeste, no norte e no sul; a do Oeste nos
representa a do espírito, a do meio-dia nos representa a da alma, e a
do setentrião a do corpo.

15
O que nos representam todas essas coisas?
A pena que se inflige (ao irmão) em direção ao Oeste representa o
espírito submisso, a que se inflige em direção ao meio-dia representa
a da alma ressentida no momento de sua prevaricação; e a em direção
ao norte representa a dissolução das três partes em matérias
diferentes que compõem o corpo do homem.

Quais são as três diferentes matérias, e qual é o número contido em


cada uma delas em particular?
Essas três partes são a ossária, a fluídica e a carnal; todas as três
estão contidas no conjunto; mas elas estão substanciadas
separadamente, ainda que formem um só corpo; o número contido em
cada uma delas é três. Assim 3 vezes 3 dá 9.

O que vos indica o número três vezes três?


Indica que as três diferentes matérias que compõem o corpo são
compostas cada uma das duas outras; o que nos é simbolizado pelos
três elementos que não poderiam existir sem o concurso uns dos
outros; é por isso que eles carregam o mesmo número 3 x 3 o que
forma as partes que constituem o corpo, fazem conjunto com os três
elementos duas vezes 9.

Por que esses dois diferentes números carregam o número ímpar no


lugar do par?
Porque esses dois diferentes números existiram um no outro, como é
dito no Gênesis “Deus tirou o corpo da mulher do corpo do homem”.

16
Da mesma forma que o Grande Arquiteto tirou os elementos da terra
e os dividiu cada um em seu conteúdo, o que fez com que os
elementos e a terra tenham ainda o número de 2 vezes 9.

Por que vós admitis somente os três elementos?


Por que o ar não é um elemento em si, e que ele emana totalmente
dos outros, sem os quais ele não existiria tanto quanto um corpo sem
sua alma.

Qual é a utilidade do ar?


O ar tomado como elemento é mais material que os outros, e é sobre
ele que os astros e os planetas imprimem a força de sua ação para
comunicar aos corpos sólidos.

Quantos Templos temporais há construídos sobre a superfície


terrestre?
Sete.

Sobre quantas colunas eles eram apoiados?


Cada um sobre sete colunas.

Nomeai para mim esses sete diferentes Templos?


O de Adão, Enoque, Melquisedeque, Moisés, Salomão, Zorobabel e o
do Cristo que existe atualmente.

17
O que vos representa as setes colunas sobre as quais esses diferentes
Templos eram apoiados?
Elas nos representa os sete chefes principais, que traçavam em suas
diferentes classes, de diferentes planos para os operários que eram
empregados de boa vontade na construção do Templo do Eterno.

O que compreendeis pelos diferentes planos os chefes traçavam nas


diferentes classes?
Compreendo as diferentes ciências que cada um deles possuía e
ensinava àqueles que eram dignos de alcançá-las.

Como os diferentes conhecimentos eram designados no Templo e


como eles chegaram a nós?
Eles nos haviam sido designados pela construção do próprio Templo
de Salomão que foi construído em sete anos, e fez dele a dedicação
neste sétimo ano: eles estavam representados no Templo por sete
estrelas colocadas em sete lugares diferentes; os conhecimentos que
encerram todas as ciências, antes esparsas no universo, nos foram
transmitidas pelos cuidados que os chefes tiveram de fazê-los passar
aos discípulos dignos de possuí-los, com as mais rigorosas proibições
de não comunicá-las aos profanos perversos; e foi assim que elas nos
chegaram.

Por que o Templo de Salomão permaneceu sete anos para construí-lo,


e por que a dedicação a ele foi feita somente no sétimo ano?
O Grande Arquiteto assim o permitiu, a fim de fazer ver aos operários
que trabalhavam nesta construção que havia uma grande diferença
de seu trabalho aos dos homens, e que ele não queria como ele havia

18
dito por sua própria lei que nenhum homem empregasse o sétimo dia
para o trabalho.

Quais são os instrumentos dos quais se serviam para a construção


do Templo de Salomão?
De nenhum.

O que nos representa a construção do Templo sem o auxílio das


ferramentas compostas de metais, e o dos diferentes elementos?
Ela nos designa a construção do corpo do homem que o Eterno criou
por sua própria palavra, e esses ornamentos nos designam os três
preceitos que o Eterno colocou em seu coração no momento da
criação, a fim de que ele aprenda a servir-se e fazer uso de todas as
coisas criadas.

Conheceis o Templo de Salomão?


Sim!

Onde ele foi construído?


Sobre a montanha de Moria.

Fazei-me a dissertação das coisas que serviram para a construção.


1o) havia pedras de diferentes qualidades, medidas e proporções.
2o) as diferentes matérias que foram encontradas na terra sobre a
qual o Templo foi construído.
3o) a localização e o nome verdadeiro da montanha onde ele foi
construído.

19
4o) os nomes das diferentes nações empregadas nesta construção e
sua qualidade.
5o) a despesa e a medida dos alimentos que se dava aos operários.
6o) as casas que eram construídas nos arredores do Templo.
7o) a porta do Templo.
8o) os vasos vaisseaux e cuba de airain.
9o) os ministros de santidade.
10o) a santidade do serviço no santo dos santos.

A montanha sobre a qual o Templo de Jerusalém foi construído, era


ela oca ou cheia?
Ela era oca.

Como percebeu-se que esta montanha era oca?


Isso aconteceu na ocasião em que Salomão ordenou de fazer os
alicerces do Templo, os operários que aí trabalhavam não
conseguindo perfurar mais fundo, advertiram os vigilantes que, tendo
verificado o fato, prestaram contas a Salomão que ordenou, então,
que não se tocasse mais neste lugar, e o reservou para ser o santo
interior do Templo; ele mandou recuar os alicerces em 100 côvados, e
os operários encarregados de fazer novos entalhes encontraram sete
arcas que faziam a volta do local destinado a ser o santo interior.

Quem abriu as arcas?


O próprio Salomão estando só.

Qual arca ele abriu primeiro?


A que estava no Ocidente.

20
Qual ele abriu em segundo lugar?
A do setentrião.

Qual ele abriu em terceiro lugar?


A do Oriente.

Qual foi a quarta?


A que estava ao centro da cúpula.

Qual ele abriu em quinto lugar?


A do lado do meio-dia.

O que ele encontrou na arca que dava de frente para o Ocidente?


Ele encontrou diferentes matérias e pedras preciosas; ele foi instruído
por suas qualidades diferentes, e sobre o uso que deveria fazer delas
para a decoração interior do Templo.

O que ele encontrou na voltada para o setentrião?


Ele encontrou ferro, metal fundido, estanho, coral, ouro e prata.

O que ele encontrou na do Oriente?


Uma quantidade de caracteres hieróglifos pelos quais ele soube que o
Templo do Grande Arquiteto, dirigido e construído pelos homens, não
era construído sobre solo comum, uma vez que ela não possuía sua
origem da terra debaixo, mas que era uma terra virgem descida de
propósito ou transportada para a construção do Templo.

21
O que encontrou ele na arca do centro?
Não encontrou nada de material, mas aprendeu a conhecer mais
particularmente o mistério que o Eterno oferecia aos olhos da nação
pela construção do Templo de Jerusalém edificado sem o auxílio de
ferramentas de metais; além disso, ele aprendeu a conhecer a força e
a potência que sua sabedoria lhe concedeu, tanto sobre as nações
como sobre todas as coisas criadas, da mesma forma que a se
perpetuar em todos os conhecimentos que o Grande Arquiteto lhe
havia comunicado seja animais, espirituais, Divinos, terrestres e
materiais.

O que ele encontrou na quinta?


Um número infinito de hieróglifos que ele não conseguiu nem ler nem
numerar; ele aprendeu com isso que havia decaído de sua potência e
das ciências universais com as quais o Grande Arquiteto lhe havia
dotado em seu estado de Sabedoria; ele fora tornado então um
simples mortal, e mesmo mais culpado que o resto dos mortais.

Por que a quinta arca foi a mais funesta para Salomão?


Porque o Grande Arquiteto havia proibido de abri-lo antes do tempo
determinado, sob pena de tornar sua prosperidade errante entre as
nações, a abertura desta arca sendo destinada àquele que devia
manifestar sua Glória no centro do Universo.

Por que Salomão não abriu a 6o e a 7o arca?


Porque as duas arcas sendo a imagem e semelhança do Grande
Arquiteto; eles não podiam ser abertas a não ser por ele, uma vez que

22
foi ele que deu início a todas as coisas, compete somente a ele de lhes
dar.

Por quem são simbolizadas essas sete arcas?


Pelos sete dias que o Grande Arquiteto colocou para a construção da
Loja e de seu Templo Universal, pelos sete planetas que têm cada um
uma virtude particular, e pelos sete candelabros com sete braços,
assim como pelos sete selos dos quais ele falou no Talmude, ou no
apocalipse que é a sequência da escritura.

Que vos representa a cúpula e esta terra sobre a qual o Templo foi
construído?
Ela nos representa o local de onde o corpo do primeiro homem saiu; e
a terra virgem nos representa a separação do material e do espiritual,
assim como o Grande Arquiteto disse a Adão quando o colocou sobre
a terra: “Olhe esta montanha; ela está acima de seus sentidos, ela
traz três nomes e esses nomes se multiplicarão ao infinito”.

Quais são esses três nomes?


MORE. YA. IN que nos anuncia a origem do corpo do primeiro
homem, assim como os preceitos, a lei e as profecias. É por isso que o
Eterno lhe disse: “Esta montanha foi santificada e abençoada por
mim antes de tua criação, uma vez que foi no alto dela que tu foste
criado; respeita-a, pois, como tua mão uma vez que ela é sagrada.
Todas as vezes que elevares teus olhos ao alto, da mesma forma que
os abaixares sobre esta terra, ou que fixá-los sobre as plantas que ela
produz, louvarás e santificarás o Deus Vivo que te criou”; em seguida,

23
fez-lhe conhecer os diferentes instrumentos dos quais ele se serviu
para a construção de seu Templo Universal.

Como ele fez com que ele os conhecesse?


Pelas diferentes atitudes que ele imprimiu em seu corpo, e lhe fez ver
com isso, que seu corpo era o emblema dos diferentes instrumentos
dos quais ele fez uso para a construção do Universo inteiro.

Em quantos números ele o dividiu?


Em 3, 5, 6 e 7.

O que significa a primeira divisão por três?


Ela representa a hora da criação de Adão, que foi a terceira hora da
noite. É por isso que damos aos Aprendizes o número 3.

O que representa a segunda por 5?


A hora da criação de Eva e o instante da prevaricação de Adão.

24