Vous êtes sur la page 1sur 51

Norma John Deere

JDS-G223
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

Manual de Qualidade de Fornecedor – Requisitos do


Programa

Índice
1 Escopo .................................................................................................................................................. 2
2 Termos e Definições............................................................................................................................. 2
3 Sistema de Gerenciamento da Qualidade ........................................................................................... 6
4 Responsabilidade de Gerenciamento ................................................................................................ 10
5 Gerenciamento de Recursos.............................................................................................................. 14
6 Desenvolvimento do Produto – Processo Corporativo de Entrega de Produtos .................................. 16
7 Medição, Análise e Melhoria .............................................................................................................. 40
8 Normas de Engenharia ...................................................................................................................... 46
9 Informações de Contato ..................................................................................................................... 46
10 Referências ........................................................................................................................................ 47
Resumo das Alterações da Edição Anterior
(Somente como Informação – Não Faz Parte do Padrão) ................................................................. 49

Lista de Tabelas
Tabela 1 Requisitos de Aprovação de Peças de Produção por Nível do Plano de Qualidade ............... 18
Tabela 2 Alterações Planejadas que Exigem Aprovação Antes da Implementação ............................... 23
Tabela 3 Alterações que Exigem Aprovação de PPAP Antes da Primeira Remessa de Produção ....... 25
Tabela 4 Discriminação da Meta de Confiabilidade ................................................................................ 27
Tabela 5 Informações do Local de Montagem do Componente (Exemplos) .......................................... 28
Tabela 6 Condições do Ambiente de Uso ............................................................................................... 29

Edição atual: Substitui: Primeira edição:


08/01/2015 12/03/2009 30/06/1998 Controle do Projeto: DT Página 1 de 51
As Normas John Deere são destinadas ao uso pela Deere & Company, suas divisões e subsidiárias. Os fornecedores que
dependem delas para o fornecimento de produtos ou para o benefício da Empresa devem verificar se possuem a versão mais
recente. A distribuição das normas a terceiros, que não os Fornecedores John Deere, com ou sem autorização, destina-se somente
a informar, e a Deere & Company não se responsabiliza por resultados que possam ser atribuídos à aplicação de conformidade
com tais normas. A Empresa não faz declarações nem dá garantias, expressas ou implícitas, de que o seguimento garanta a
conformidade com leis ou outras normas ou regulamentos aplicáveis. Além disso, aqueles que detêm as normas e optam por usá-
las concordam em assumir a responsabilidade pela conformidade com patentes, bem como por uma possível violação de patentes.
Deere & Company Engineering Standards Department, One John Deere Place, Moline, Illinois 61265-8098, EUA. Não publicado –
Todos os direitos reservados sob leis de direitos autorais.
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

1 Escopo

1.1 JDS-G223 estabelece os critérios mínimos para os fornecedores implementarem e manterem um


sistema de qualidade que lhes permita produzir e entregar produtos e serviços globalmente competitivos
para a John Deere. JDS-G223 fornece um método uniforme para que todas as unidades da John Deere
possam comunicar os requisitos gerais, as expectativas e as diretrizes para a cadeia de suprimentos.
JDS-G223 apoia o processo Achieving Excellence da John Deere: Medir continuamente a atuação do
fornecedor, recompensar melhorias e reconhecer esforços destacados por parte dos fornecedores;
considerar o planejamento proativo da qualidade uma rotina ao fazer negócios; e auxiliar nos contínuos
esforços de aperfeiçoamento por parte dos fornecedores.

1.2 Os requisitos identificados com uma chave são fundamentais. O descumprimento desses
requisitos representa um alto risco de o fornecedor violar os Termos e Condições estabelecidos na
Ordem de Compra.

1.3 Informações adicionais estão disponíveis em JDS-G223X1, JDS-G223X2 e John Deere Supply
Network (JDSN).

1.4 JDS-G223 pode conter disposições obrigatórias, que são identificadas pelas palavras "deve" ou
“obrigatório". O cumprimento das disposições obrigatórias é necessário para reivindicar a conformidade
com JDS-G223. JDS-G223 também pode conter disposições de orientação, que são geralmente
identificadas pelas palavras "deveria" ou "recomendado". O cumprimento das disposições de orientação
não é obrigatório, porque podem não ser apropriadas para todas as máquinas ou todas as aplicações.

2 Termos e Definições
Para efeitos do JDS-G223, os seguintes termos e definições aplicam-se:

2.1
Cp
Relação de tolerância para 6 Sigma, ou o limite superior de especificação (USL), menos o limite inferior
de especificação (LSL), dividido por 6 Sigma.

Nota 1 Chamada às vezes de tolerância de engenharia dividida pela tolerância natural, trata-se apenas de uma
medida de dispersão.

2.2
Cpk
É igual ao menor dos USL menos a média dividida por 3 sigma (ou a média) menos o LSL dividido por 3
sigma. Quanto maior o valor de Cpk, melhor.

2.3
plano de controle
Descrição documentada dos sistemas e dos processos para controle de produto.

Nota 2 O Plano de Controle descreve as ações que são exigidas em cada fase do processo, desde o
recebimento até o envio, a fim de assegurar que todos os resultados dos processos permaneçam sob controle. O
plano de controle tem uma estratégia que responde a mudanças nas condições de processo e é mantido e usado
durante o ciclo de vida do produto.

2
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
2.4
Revisão de Projeto, Processo e Montagem (DPAR)
Um processo de engenharia simultâneo projetado para otimizar o relacionamento entre a função do
projeto, a possibilidade de fabricação e a facilidade de montagem.

Nota 3 Este processo também é conhecido como Projeto para Possibilidade de Fabricação e Montagem.

2.5
discriminação
Capacidade do instrumento de avaliação ou medição de detectar e indicar pequenas mudanças na
característica medida.

Nota 4 Também chamada de resolução.

2.6
desvio de engenharia
Documento requerido antes da entrega para registrar e controlar a autorização e o uso do produto
quando as especificações da peça não estão de acordo com as especificações de engenharia. Também
documenta a ação corretiva.

2.7
Processo Corporativo de Entrega de Produtos (EPDP)
Sequência de processos necessários para projetar, testar e produzir com sucesso um produto ou serviço
que atenda ou supere as expectativas da John Deere e dos nossos clientes.

2.8
Análise de Modos e Efeitos de Falha (FMEA)
Grupo sistemático de atividades destinado a reconhecer e avaliar a possível falha de um produto, os
efeitos e as causas dessa falha, identificar ações que possam eliminar ou reduzir a chance de ocorrência
da possível falha e documentar o processo.

2.9
repetitividade
Variação nas medições obtidas com um instrumento de medição quando é usado diversas vezes por um
operador ao medir características idênticas na mesma peça.

2.10
reprodutibilidade
Variação na média das medições feitas por diferentes operadores, usando o mesmo instrumento de
medição diversas vezes, nas medições de características idênticas na mesma peça.

2.11
propriedade intelectual
Ideias e expressões criativas da mente humana que têm valor comercial e recebem a proteção legal de
um direito de propriedade. Inclui ideias, invenções, métodos de negócios e processos de manufatura.

Nota 5 Os principais mecanismos legais para proteção de direitos de propriedade intelectual são direitos autorais,
patentes e marcas comerciais.

2.12
John Deere Supply Network (JDSN)
Site que auxilia funcionários da John Deere e fornecedores a administrarem relacionamentos, e que
fornece aos fornecedores as informações e ferramentas necessárias para a condução dos negócios com
a John Deere.

3
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

2.13
característica-chave
Parâmetro de produto ou processo de fabricação que pode afetar a segurança ou a conformidade com
as normas, o ajuste, a função, a performance ou o posterior processamento do produto. Controle
desejado é necessário para atender aos requisitos da John Deere que afetam direta ou
significativamente a satisfação da John Deere por meio da conformidade com padrões e normas do
governo, país ou setor, capacidade de executar os requisitos pretendidos do projeto ou possibilidade de
fabricação e capacidade de montagem.

2.14
Processo de Order Fulfillment (OFP)
Processo global na John Deere que é projetado para entregar o produto certo no local certo e no
momento certo.

2.15
construção física
Modelo físico que é usado para avaliar a produção completa, os processos e as ferramentas por inteiro
durante o Processo Corporativo de Entrega de Produtos.

2.16
Pp
Estimativa da capacidade de um processo durante a sua configuração inicial, antes de ter sido levado a
um estado de controle estatístico (por exemplo, quando poucos dados dos pontos estão disponíveis).

2.17
PpK
Termo usado para prever a capabilidade de um novo processo.

Nota 6 Também conhecido como índice de performance.

2.18
capabilidade do processo
Faixa sobre a qual a variação natural de um processo ocorre, determinada pelo sistema de causas
comuns.

Nota 7 A capabilidade do processo é composta por três componentes importantes: a tolerância de design, a
centralização do processo e a faixa ou dispersão da variação do processo.

2.19
controle de processo
Monitoramento de características de capabilidade para produzir um recurso sob condições estáveis a fim
de manter níveis aceitáveis de qualidade contínua.

Nota 8 Os exemplos do controle de documento do processo incluem: fichas de processo, instruções da inspeção
e de teste, procedimentos de teste, procedimentos operacionais padrão, instruções de manutenção preventiva e
planos de controle de peças específicas.

2.20
Análise de Modos e Efeitos de Falha de Processo (PFMEA)
Grupo sistemático de atividades destinado a reconhecer e avaliar a possível falha de um processo, os
efeitos e as causas dessa falha, identificar ações que possam eliminar ou reduzir a chance de ocorrência
da possível falha e documentar o processo.

4
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
2.21
Verificação e Validação do Produto (PV&V)
Processo pelo qual é comprovado que um produto está de acordo com a especificação obrigatória
através do uso de evidência objetiva, e é confirmado que os recursos e a performance de um produto
atendem às expectativas da John Deere.

Nota 9 Também conhecido por AIAG como Verificação e Validação de Projetos, e por ISO como Verificação e
Validação de Desenvolvimento.

2.22
Número de Prioridade de Risco (RPN)
Produto de severidade, detecção e ocorrência em um FMEA.

2.23
processo especial
Processos usados na produção de produtos cuja qualidade não pode ser totalmente verificada mais
tarde por inspeção sem destruição do produto. (Por exemplo, soldagem, pintura, tratamento térmico,
chapeamento.)

2.24
subcontratado
Fornecedores que fornecem aos principais fornecedores da John Deere.

Nota 10 Subcontratados também são conhecidos como fornecedores de segundo e terceiro nível, fornecedores de
subnível ou cadeia de suprimentos do fornecedor.

2.25
variação total
Relação da incerteza da repetibilidade e da reprodutibilidade do sistema de medição da variação da
tolerância da característica a ser medida.

2.26
Nível do Plano de Qualidade (QPL)
Risco da peça baseado em três categorias: custo, gravidade e complexidade.

Nota 11 Cada categoria afeta o risco geral de uma peça ou de um componente para a John Deere. Os níveis do
plano de qualidade variam de 0 a 4, sendo que 4 representa o risco mais alto. As atividades da qualidade
obrigatórias são identificadas com base no Nível do Plano de Qualidade.

2.27
registro da qualidade
Registros estabelecidos para comprovar a conformidade com requisitos e a operação eficaz do sistema
de gerenciamento de qualidade.

2.28
garantia (garantia de verificação)
Página de rosto dos documentos PPAP, que requer a aprovação da John Deere antes da remessa das
peças de produção.

2.29
relacionamento
Uma análise composta de iniciativa, atitude, receptividade, atenção a detalhes, comunicações e
performance do fornecedor, avaliados no programa Achieving Excellence.

5
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

3 Sistema de Gerenciamento da Qualidade

3.1 Requisitos Gerais


3.1.1 Os Fornecedores da John Deere devem conduzir os negócios com alto nível de integridade e de
maneira social e ambientalmente responsável, de acordo com o Código de Conduta de Fornecedores da
John Deere.

3.1.2 A adoção de um sistema de gerenciamento de qualidade deveria ser uma decisão estratégica do
fornecedor. O projeto e a implementação do sistema de gerenciamento de qualidade de um fornecedor
são influenciados por várias necessidades, objetivos, produtos e processos, bem como pelo tamanho do
fornecedor.

3.1.3 Embora muitos fornecedores estejam certificados atualmente ou estejam buscando certificação
ou conformidade com normas ou programas auditados por grupos certificadores (tais como
ISO/TS 16949, Malcolm Baldrige, ISO 9001 ou um dos vários equivalentes de outras indústrias, estados
ou países), os fornecedores na cadeia de suprimentos da John Deere deveriam cumprir ISO/TS 16949.
JDS-G223 representa o requisito mínimo da John Deere.

3.1.4 Os fornecedores devem fazer uma autoavaliação para determinar até que ponto os seus
sistemas de qualidade e os da sua cadeia de suprimentos estão alinhados com este manual. A aceitação
de uma ordem de compra John Deere constitui a aceitação dos requisitos do JDS-G223 por parte do
fornecedor.

3.1.5 Os fornecedores devem discutir e entender a aplicação específica dos requisitos de JDS-G223
com os representantes da John Deere e a cadeia de suprimentos do fornecedor para tomar decisões
efetivas relativas aos negócios.

3.1.6 Cada unidade da John Deere pode exigir certificação em sistemas da qualidade mais rígidos.

Nota 12 Muitas das atividades mencionadas no JDS-G223 são explicadas em mais detalhes nos manuais do
Grupo de Ação da Indústria Automotiva (AIAG), tais como Análise dos Sistemas de Medição (MSA) e Análise de
Modos e Efeitos de Falha (FMEA). Os fornecedores deveriam obter cópias dos manuais da AIAG.

3.1.7 A John Deere reserva o direito de realizar uma avaliação do sistema de qualidade na instalação
do fornecedor. Quando realizar essa avaliação, a John Deere deve ter acesso aos funcionários,
documentação, equipamentos de medição e instalações de testes do fornecedor. Logo após a avaliação,
a John Deere relatará o que foi encontrado em uma reunião e, posteriormente, emitirá um relatório ao
fornecedor resumindo os resultados da avaliação.

3.1.8 A John Deere poderá realizar uma Avaliação de Engenharia de Produtos usando o Questionário
de Engenharia de Produtos (PEQ) para componentes com níveis do plano de qualidade ≥ 3 quando o
fornecedor tiver o controle do projeto do componente ou subsistema.

3.1.9 A John Deere poderá realizar Auditorias de Verificação de Processos (PVA) em componentes
selecionados. Essa auditoria da qualidade do fornecedor no local é destinada a peças com um alto nível
de severidade para determinar a eficácia e a conformidade dos controles do processo. Essa auditoria
também pode ser realizada em peças semelhantes quando o trabalho ainda não tiver sido terceirizado
ou durante a preparação para a produção completa.

3.1.10 A John Deere poderá realizar Auditorias de Processo Especial (SPA) no fornecedor referente à
fabricação de peças da John Deere (consulte a cláusula 6.6.3.1). Se um fornecedor de primeiro nível
terceirizar, temporária ou permanentemente, esse fornecedor deverá ser responsável pela avaliação e
aprovação dos fornecedores de segundo nível.

6
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
3.1.11 A John Deere poderá realizar uma Avaliação de Riscos de Order Fulfillment (OFRA). Trata-se de
uma avaliação de alto nível destinada a avaliar a prontidão de order fulfillment (entrega) do fornecedor,
identificar riscos e promover melhorias.

3.1.12 Quaisquer itens que requeiram ação corretiva deverão ser claramente anotados, e o fornecedor
deverá se submeter a um plano de ação corretiva para resolver esses problemas na data prevista
concordada.

3.2 Funções e Responsabilidades do Fornecedor


3.2.1 O fornecedor deve estabelecer, documentar, executar e manter um sistema de gerenciamento
de qualidade, buscando melhorar continuamente a eficácia do sistema de acordo com as exigências do
JDS-G223.

3.2.2 O sistema de gerenciamento de qualidade do fornecedor deve incluir:

• Identificar os processos necessários para os sistemas de gestão de qualidade e sua aplicação


durante as operações do fornecedor.
• Determinar a sequência e a interação dos processos do sistema de qualidade.
• Determinar os critérios e métodos necessários para assegurar que a operação e o controle dos
processos do sistema de qualidade sejam eficazes.
• Assegurar a disponibilidade dos recursos e das informações necessárias para apoiar a
operação e o monitoramento dos processos do sistema de qualidade.
• Monitorar, medir e analisar os processos do sistema de qualidade.
• Implementar ações necessárias para atingir os resultados planejados e a melhoria contínua
dos processos do sistema de qualidade.
• Gerenciar os processos do sistema de qualidade de acordo com os requerimentos do JDS-
G223.
• Aderir ao Código de Conduta de Fornecedores da John Deere.
• Comunicar à John Deere, dentro de 30 dias, quaisquer alterações à certificação de terceiros
(de qualidade, regulamentação, segurança e saúde, e ambiental).

3.2.3 Quando um fornecedor escolhe terceirizar qualquer processo que afeta a conformidade do
produto com requisitos, deve assegurar o controle sobre tais processos, incluindo o controle sobre
matéria-prima. O controle de tais processos terceirizados deve ser identificado dentro do sistema de
gerenciamento de qualidade.

3.2.4 Os processos necessários para o sistema de gerenciamento de qualidade deveriam incluir


processos para gerenciamento das atividades, provisão dos recursos, desenvolvimento do produto e
medição. Consulte a cláusula 6.3 para obter os requisitos de notificação da John Deere.

3.2.5 Se o fornecedor não cumprir o nível mínimo de performance destes requisitos, conforme
medição da Auditoria do Sistema da Qualidade do Fornecedor JDS-G223, tal falha deverá impactar e,
potencialmente, poderá restringir os negócios futuros até que as maiores não conformidades
identificadas sejam corrigidas, verificadas e concluídas.

3.2.6 O treinamento da John Deere para JDS-G223, Normas John Deere e a Integração da Cadeia de
Suprimentos do Processo Corporativo de Entrega de Produtos estão disponíveis em JDSN.

7
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

3.3 Exigências da Documentação


3.3.1 Sistema de Gerenciamento da Qualidade

3.3.1.1 O fornecedor deve estabelecer e manter um sistema de gerenciamento de qualidade


documentado.

3.3.1.2 Os documentos do sistema de gerenciamento de qualidade devem incluir:

• Afirmações documentadas de política e objetivos da qualidade.


• Um manual de qualidade.
• Procedimentos documentados conforme exigido por JDS-G223.
• Documentos de que o fornecedor necessita para assegurar o planejamento, a operação e o
controle eficaz de seus processos.
• Todos os registros exigidos por JDS-G223.

3.3.2 Manual de Qualidade

3.3.2.1 O fornecedor deve estabelecer e manter um manual de qualidade controlada cobrindo todos os
produtos e serviços para a John Deere.

3.3.2.2 O manual de qualidade deve incluir o seguinte:

• O escopo do Sistema de Gerenciamento de Qualidade.


• Processos e procedimentos documentados.
• Uma descrição da interação entre os processos do sistema de gerenciamento de qualidade.

3.3.3 Controle de Documentos

3.3.3.1 O fornecedor deve estabelecer e manter um procedimento documentado para controlar todos os
documentos e dados de origem interna e externa, tais como normas e desenhos da John Deere.

3.3.3.2 O procedimento de controle de documentos deve incluir o seguinte:

• Aprovação da adequação antes do lançamento.


• Análise, atualização e reaprovação da documentação.
• Identificação de mudanças do documento e revisões atuais.
• Garantia de que os documentos estão disponíveis em todos os pontos de uso.
• Garantia de que os documentos estão legíveis e identificáveis.
• Identificação e distribuição de documentos externos relevantes.
• Identificação e prevenção de uso não intencional de documentos obsoletos.

3.3.3.3 No caso de especificações referenciadas dentro de um documento, o fornecedor deve ter a


revisão mais recente desses documentos disponíveis em todos os locais necessários para a manufatura.

3.3.3.4 Cabe ao fornecedor ter um procedimento documentado para o controle e a distribuição dos
desenhos e das normas.

8
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
3.3.3.5 Os fornecedores devem usar as normas mais atuais, entender as normas relevantes e analisar
todas as alterações nestas normas. Os fornecedores podem analisar as alterações às Normas
John Deere selecionando “What’s New” no JDSN.

3.3.3.6 Os desenhos obsoletos devem ser destruídos ou identificados apropriadamente como


obsoletos e arquivados.

3.3.3.7 Quando a John Deere estiver usando um desenho controlado pelo fornecedor e esse desenho
for alterado, o fornecedor deverá notificar a John Deere usando o sistema de Solicitação de Alteração de
Fornecedor (SCR) no JDSN (consulte a cláusula 6.3.) e recebendo aprovação antes da alteração.
Consulte a cláusula 2 em JDS-G223X1 (2015).

3.4 Controle dos Registros


3.4.1 Todos os registros da qualidade devem ser mantidos pelo menos por três anos, exceto quando
esteja especificado de outra maneira no manual de qualidade do fornecedor e acordado com a
John Deere.

3.4.2 Os registros de qualidade devem ser armazenados em um ambiente que proteja os documentos
contra deterioração e em locais que estejam prontamente acessíveis quando solicitados pela
John Deere.

3.4.3 Os registros da cadeia de suprimentos do fornecedor relativos ao produto da John Deere devem
ser mantidos da mesma forma que os registros de qualidade do fornecedor.

Os exemplos de registros de qualidade deveriam incluir, mas não estão limitados a:

• Dados de Medição
• Análise de Modos e Efeitos de Falha de Processo e de Projeto
• Dados de Análise dos Sistemas de Medição
• Dados de Controle Estatístico do Processo e Capabilidade
• Dados das Principais Alterações do Processo
• Dados de Controle de Lotes de Produção
• Garantia e Documentos de Verificação
• Solicitações de Ação Corretiva e Repostas
• Registros de Calibração e Manutenção de Instrumentos de Medição
• Análise de Repetitividade e Reprodutibilidade
• Dados de entrada de processos especiais, por exemplo:
• Tratamento Térmico
• Soldagem
• Pintura
• Chapeamento
• Fundição
• Eletrônicos
• Relatório de Inspeção de Amostra Inicial
• Avaliações Internas do Sistema de Qualidade

9
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

• Registros de Treinamento dos Funcionários (mantidos pela duração da contratação)


• Dados de Ensaios Destrutivos e Não Destrutivos
• Registros de Sucata, Recuperação e Desvio
• Modelo de Atividade de Verificação e Validação do Produto
• Dados de Testes (de Laboratório e Campo) Funcionais e de Performance
• Planos de Qualidade ou de Controle para as Peças e Conjuntos (somente o plano mais
recente)
• Rejeições da Qualidade e Registros de Disposição
• Auditoria do Sistema da Qualidade, Auditoria de Processo e Ações Corretivas
• Relatório de Aprovação da Aparência
• Documentos de Aprovação de Peças de Produção
• Documentos de Revisão e Análise do Projeto
• Avaliações de Riscos

4 Responsabilidade de Gerenciamento
4.1 Comprometimento da Administração
4.1.1 Geral

4.1.1.1 A alta administração deve desempenhar uma função ativa no sistema de gerenciamento de
qualidade. Esta deverá conduzir os processos gerenciais de planejamento, controle e melhoria da
qualidade.

4.1.1.2 O fornecedor deve demonstrar um comprometimento em relação às melhorias contínuas por


parte de sua alta administração.

4.1.1.3 A alta administração deverá providenciar evidências documentadas do seu comprometimento


com o desenvolvimento e a melhoria do sistema de gerenciamento de qualidade da seguinte forma:

• Comunicar à organização do fornecedor a importância de atender aos requisitos da


John Deere, bem como aos requisitos legais e normativos.
• Estabelecer políticas e objetivos da qualidade.
• Realizar análises de gerenciamento regulares com relação ao sistema da qualidade e à
execução.
• Assegurar a disponibilidade de recursos necessários.

4.1.1.4 Um sistema de qualidade consistente deve ser estruturado segundo uma comprovada
metodologia, tal como ISO 9001, ISO/TS 16949, The Malcolm Baldrige Criteria for Performance
Excellence, The Deming Award ou The European Foundation for Quality Management. Cada processo
de negócios deveria detalhar as funções da administração.

4.1.2 Planejamento da Qualidade

A alta administração deve participar do seguinte:

• Desenvolvimento e manutenção das políticas da qualidade.


• Determinação de clientes e suas necessidades.
• Desenvolvimento e manutenção de metas/métricas para curtos e longos prazos.
10
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
• Apoio a estratégias de desenvolvimento do fornecedor.
• Apoio ao desenvolvimento das características do produto e do processo de manufatura.
• Desenvolvimento e manutenção de procedimentos de treinamento.

4.1.3 Controle de Qualidade

A alta administração deve participar do seguinte:

• Garantia da adequação de sistemas e desenvolvimento de um manual de qualidade.


• Criação de ciclos de feedback.
• Implementação de técnicas para prevenção de falhas.
• Criação de um ambiente de controle de processo e qualidade dos funcionários através de
procedimentos e documentação das instruções do trabalho.
• Monitoramento dos custos da qualidade.
• Desenvolvimento e manutenção de planos de qualidade e planos de controle.
• Desenvolvimento e manutenção de um sistema de calibração de instrumentos.
• Desenvolvimento e manutenção de procedimentos de notificações de alterações.
• Adesão à contenção de problemas e procedimentos de rastreabilidade.

4.1.4 Melhoria da Qualidade

A Alta Administração deve participar do seguinte:

• Formulação de políticas de melhoria contínua.


• Integração de controles em soluções de problemas.
• Identificação de projetos para resolver problemas atuais.
• Comunicação da ação corretiva à John Deere.
• Criação de times de trabalho para melhorias contínuas, a fim de completar projetos e resolver
problemas usando processos estruturados de resolução de problemas.
• Avaliação contínua da eficácia e da eficiência do sistema de gerenciamento de qualidade.
• Fornecimento de recursos e treinamento.
• Fornecimento de reconhecimento.

4.2 Foco da John Deere


4.2.1 A alta administração deve assegurar que as necessidades e expectativas da John Deere sejam
determinadas, convertidas em requerimentos e executadas com o objetivo de conquistar a satisfação do
cliente.

4.2.2 As necessidades e expectativas da John Deere incluem adaptação ao projeto e especificações


de performance, confiabilidade, entrega, gerenciamento de custos, relacionamento e suporte técnico.

11
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

4.3 Política de Qualidade


A alta administração deve apoiar uma política da qualidade escrita e que:

• Esteja alinhada aos propósitos da organização.


• Inclua o compromisso de satisfazer as exigências da John Deere e de realizar melhorias
contínuas.
• Forneça uma estrutura para estabelecer e revisar os objetivos de qualidade.
• Seja comunicada e entendida nos níveis apropriados do fornecedor.
• Passe por revisões de adequação e precisão.

4.4 Planejamento
4.4.1 Geral

4.4.1.1 A alta administração deve assegurar que objetivos de qualidade sejam estabelecidos nos níveis
e funções apropriados.

4.4.1.2 Estes devem ser mensuráveis e consistentes com a política da qualidade do fornecedor.

4.4.2 Plano de Qualidade

4.4.2.1 O fornecedor deve ter um processo de planejamento de qualidade estruturado. O objetivo do


plano de qualidade é promover melhorias em curto e longo prazo.

O plano de qualidade deve incluir, mas não se limitar aos seguintes elementos:

Treinamento de Qualidade

• Processos de planejamento da qualidade e ferramentas.


• Determinação da causa fundamental, sistemas à prova de erros, envolvimento do time.
• Conceitos básicos de estatística identificando e melhorando a variação e o controle.
• Programas de treinamento do inspetor e operador quanto ao uso dos planos de controle e
cuidados ao medir e testar equipamentos.

Melhorias na Manufatura e Ferramentas

• Estudos e objetivos de capabilidade para processos atuais ou novos e para a aprovação de


novas ferramentas.
• Conceitos de grupo de montagem ou de uma célula da produção.
• Acessórios para auxiliar no treinamento para a preparação e operação do equipamento.
• Programas de manutenção preventiva.

Sistemas de Informação da Qualidade

• Integração de computadores para analisar dados estatísticos, auxiliar atividades de ações


corretivas e oportunamente enviar relatórios à John Deere.
• Instalação de equipamentos de inspeção e calibração para melhorar o monitoramento dos
processos de manufatura e coleta de dados da qualidade.

12
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
Orçamento da Qualidade

• Planejamento do orçamento da qualidade e melhorias na fábrica tais como treinamentos,


equipamentos e desenvolvimento de programas.
• Um plano de qualidade para transferir recursos gastos na avaliação e correção das falhas
internas e externas para a prevenção de defeitos, tais como: Planejamento Avançado da
Qualidade do Produto (APQP), Processo de Aprovação de Peças de Produção (PPAP), Lista
de Verificação e Formulário do Plano de Controle (consulte JDS-G223X1 ou JDSN) e outros
métodos e atividades para a melhoria contínua.

4.5 Responsabilidade, Autoridade e Comunicação Interna


4.5.1 Responsabilidade e Autoridade

4.5.1.1 A administração deve garantir que um sistema de gerenciamento de qualidade seja


implementado para assegurar a confiança de que o fornecedor pode satisfazer as necessidades da
John Deere. O sistema deveria ser consistente com o tamanho, a cultura e os produtos do fornecedor.

4.5.1.2 A administração deve assegurar que as responsabilidades e as autoridades sejam definidas e


comunicadas dentro da organização do fornecedor.

4.5.1.3 O fornecedor deve mostrar evidência de uma política da qualidade que enfatize uma melhoria
contínua na qualidade conduzida pela alta administração através de ações preventivas e corretivas.

4.5.1.4 Uma cópia do programa de melhoria da qualidade em longo prazo deve ser disponibilizada
para revisão por parte da John Deere.

4.5.1.5 A administração deverá definir indicadores específicos da qualidade (métricas).

4.5.1.6 A administração deverá ter um sistema em vigor para rastrear os indicadores de qualidade e
fazer o monitoramento das tendências. Atividades de melhoria deveriam ser baseadas nessas
tendências.

4.5.1.7 A alta administração deve nomear as pessoas da administração que terão a responsabilidade e
a autoridade para planejar, executar, controlar e melhorar as atividades relacionadas à qualidade.

4.5.2 Comunicações Internas

4.5.2.1 O fornecedor deverá assegurar que haja comunicação entre os vários níveis e funções
referentes aos processos do sistema de gerenciamento da qualidade e à efetividade desses processos.

4.5.2.2 Essa comunicação pode ser feita em forma de reuniões de departamento, quadro de
avisos/anúncios, publicações, mensagens eletrônicas ou outras técnicas disponíveis.

4.6 Análise do Gerenciamento


4.6.1 Geral

4.6.1.1 A administração do fornecedor deve analisar o seu sistema de gerenciamento de qualidade em


intervalos planejados, para assegurar sua contínua pertinência, adequação e eficácia.

4.6.1.2 Essa análise deve incluir a avaliação de oportunidades para melhoria e a necessidade de
mudanças no sistema de gerenciamento de qualidade, incluindo a política da qualidade e os objetivos da
qualidade.

13
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

4.6.2 Itens a Serem Observados na Revisão

4.6.2.1 Os dados da revisão da administração devem incluir a performance atual e as oportunidades de


melhorias.

4.6.2.2 Os dados devem incluir o seguinte:

• Resultados e programação de auditorias (internas/externas).


• Feedback da John Deere (como Achieving Excellence e garantia).
• Performance do processo e conformidade do produto (níveis internos e externos de qualidade
e de entrega).
• Status das ações preventivas e corretivas.
• Ações de acompanhamento baseadas nas análises de gerenciamento anteriores.
• Mudanças que poderiam afetar o sistema de gerenciamento da qualidade.

4.6.3 Resultados da Revisão

4.6.3.1 Os resultados da análise do gerenciamento devem incluir ações para a correção das
deficiências e ações de melhoria.

4.6.3.2 Os resultados devem incluir o seguinte:

• Melhoria do sistema e dos seus processos.


• Melhoria do produto relacionada à satisfação do cliente.
• Necessidades de recursos.

5 Gerenciamento de Recursos

5.1 Provisão de Recursos


5.1.1 Funcionários

5.1.1.1 Os funcionários deverão estar qualificados para o trabalho que executam através de instrução,
treinamento e experiência de trabalho.

5.1.1.2 Os funcionários deverão ter conhecimento dos processos e ferramentas da qualidade


apropriadas, que afetam as condições dos produtos fornecidos à John Deere.

5.1.1.3 Deverão ser fornecidos aos funcionários equipamentos, instalações e um ambiente de trabalho
que os habilite a produzir produtos e serviços de alta qualidade que atendam aos requisitos funcionais e
às especificações do produto.

5.2 Plano de Gerenciamento


5.2.1 O fornecedor deve desenvolver um sistema de gerenciamento de qualidade e um plano de
gerenciamento de recursos que demonstre um compromisso de melhoria contínua. Consulte a
cláusula 4.1.

5.2.2 O plano de gerenciamento de recursos deverá incluir a avaliação dos recursos necessários para
implementar e melhorar os processos do sistema de gerenciamento da qualidade e a satisfação da
John Deere.

14
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
5.2.3 Ele deve incluir a avaliação do nível de habilidade dos funcionários, para determinar se
entendem as ferramentas e os processos da qualidade e se estão aptos a aplicar essas ferramentas de
maneira relevante ao seu trabalho.

5.3 Recursos Humanos


5.3.1 O fornecedor deve oferecer um sistema de monitoramento contínuo da instrução, treinamento e
experiência no trabalho de cada funcionário.

5.3.2 O fornecedor deve fornecer oportunidades para treinamento e continuidade da instrução para
melhorar o nível de habilidade do funcionário.

5.3.3 O treinamento deve conscientizar os funcionários sobre a relevância e a importância de suas


atividades e como eles contribuem para a realização dos objetivos da qualidade no plano comercial.

5.3.4 O fornecedor deveria fornecer treinamento cruzado para garantir a qualidade do produto.

5.3.5 Embora a certificação não seja necessária, o fornecedor deveria garantir que os funcionários
responsáveis por produtos produzidos pela John Deere tenham a mesma competência que aqueles
certificados por organizações internacionais de qualidade, como a Sociedade Americana para Qualidade
(ASQ).

5.4 Infraestrutura
5.4.1 O fornecedor deve prover e manter instalações, equipamentos, área de trabalho, hardware e
software para cumprir as especificações dos produtos e os requisitos funcionais.

5.4.2 O fornecedor deve prover serviços de suporte, tais como modelos de simulação e recursos de
teste, para verificar a conformidade com as especificações do produto e os requisitos funcionais.

5.5 Ambiente de Trabalho


5.5.1 O fornecedor deve prover um ambiente de trabalho seguro, saudável e compatível que auxilie
nos objetivos da qualidade, identificando e gerenciando fatores humanos e físicos que afetem a
qualidade dos produtos e serviços fornecidos à John Deere.

5.5.2 Os fornecedores devem conduzir as operações de uma maneira que minimize o impacto
negativo no ambiente e garanta a conformidade com as leis relacionadas a emissões atmosféricas,
descargas de água, substâncias tóxicas e descarte de resíduos perigosos.

15
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

6 Desenvolvimento do Produto – Processo Corporativo de Entrega de Produtos

6.1 Planejamento do Desenvolvimento de Produtos


6.1.1 O fornecedor deve ter um processo documentado para planejamento de desenvolvimento do
produto para atender às exigências do Processo Corporativo de Entrega de Produtos (EPDP) da
John Deere, com evidência de conformidade do produto sendo promovida pelo PDP e Produção Inicial
(Pré-lançamento) e fluxogramas de Processo de Order Fulfillment (Produção). Consulte as cláusulas 3 e
4 em JDS-G223X2 (2015).

6.1.2 Um estruturado e efetivo processo de planejamento de desenvolvimento do produto deverá


resultar na definição do seguinte:

• Objetivos de qualidade para o produto ou serviço.


• A necessidade de desenvolver processos, recursos e instalações específicos.
• Atividades de documentação, verificação e validação e os critérios de aceitação.

6.1.3 Planejamento Avançado da Qualidade do Produto

6.1.3.1 Os fornecedores devem participar de atividades do planejamento avançado da qualidade do


produto (como revisões do projeto, FMEA e eventos de desenvolvimento eletrônico) com a finalidade de
planejar de maneira colaborativa para desenvolver o produto e evitar problemas durante os lotes pilotos.

6.1.3.2 As características-chave são identificadas e registradas durante os estágios iniciais do projeto e


comunicadas aos fornecedores. Consulte a cláusula 6.2.2.

6.1.3.3 As atividades do planejamento da qualidade devem ser completadas para os primeiros lotes
pilotos, e atualizadas para os próximos.

6.1.3.4 Nos lotes pilotos, as peças devem ter o objetivo da produção e deveriam ser produzidas
usando ferramentas de produção em um processo de produção, a menos que sejam aprovadas pelo
representante da John Deere.

6.1.3.5 As etapas do plano da qualidade devem ser repetidas no caso de peças fornecidas sem uso de
ferramentas e processos de produção. Se existir uma diferença nas ferramentas ou nos processos entre
as peças efetivamente usadas no lote piloto versus ferramentas ou processos a serem usados para a
fabricação de produção, deverá haver evidência da conformidade com a especificação e a minimização
do risco.

6.1.3.6 Depois da conclusão bem-sucedida da etapa final do EPDP, o fluxograma do Processo de


Order Fulfillment deverá ser seguido. Consulte a cláusula 4 em JDS-G223X2 (2015).

6.1.4 Critérios de Aceitação

Os critérios de aceitação devem ser aprovados pela John Deere, quando necessário.

6.1.5 Confidencialidade

O fornecedor deve assegurar a confidencialidade dos produtos contratados pela John Deere, projetos
em desenvolvimento e informações sobre o produto.

16
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
6.2 Processos Relacionados à John Deere
6.2.1 Determinação das Exigências Relacionadas ao Produto

6.2.1.1 Atividades específicas de planejamento de qualidade são necessárias para cada peça nova ou
revisada e para cada processo novo ou revisado. Na John Deere, as atividades do Plano de Qualidade
em Nível de Peça (PLQP) ajudam a garantir que novos produtos ou processos e alterações em produtos
ou processos existentes cumpram os objetivos propostos. O PLQP oferece um processo consistente,
estruturado e preventivo para gerenciar riscos referentes a peças e montagens novas ou revisadas e a
alterações em fornecedores e processos.

6.2.1.2 O Nível do Plano de Qualidade (QPL) é uma medição do risco da peça com base em três
categorias: custo, gravidade e complexidade. Cada categoria afeta o risco geral de uma peça ou de um
componente para a John Deere. O QPL varia de 0 a 4, sendo que 4 representa o risco mais alto. As
atividades da qualidade necessárias são identificadas com base no QPL. Consulte Tabela 1.

6.2.1.3 Uma das atividades que podem ser necessárias é a Revisão de Projeto, Processo e Montagem
(DPAR). Uma DPAR é uma reunião para confirmar todas as expectativas dos produtos ou serviços antes
do lote piloto. Os grupos de trabalho da John Deere devem iniciar essa revisão o mais cedo possível,
antes da liberação das ferramentas.

6.2.1.4 Múltiplos eventos de DPAR podem ser requeridos para construções de múltiplos protótipos,
dependendo da magnitude ou alteração do próximo protótipo construído. As peças ou os subsistemas
podem ser agrupados a uma DPAR. A documentação dos eventos da DPAR deve ser mantida pela
entidade de controle do projeto.

6.2.1.5 É necessário entender claramente os requisitos do Processo de Aprovação de Peças de


Produção (PPAP) como resultado da DPAR.

6.2.1.6 Salvo comunicado em contrário, o fornecedor deve documentar a conformidade com todas as
especificações, dimensões e anotações de desenho no Relatório de Inspeção de Amostra Inicial (ISIR).
Consulte a cláusula 6 em JDS-G223X1 (2015).

6.2.1.7 A representação gráfica (bolha de impressão) deve acompanhar o ISIR, salvo dispensa por um
representante de qualidade da John Deere.

6.2.1.8 Os requisitos do PPAP devem ser documentados em um Formulário de Garantia de


Verificação.

6.2.1.9 As atividades obrigatórias de Aprovação de Peça de Produção são determinadas pelo QPL, a
menos que especificado de outra forma pelo representante de qualidade da John Deere.

6.2.1.10 Depois da documentação de PPAP ter sido enviada, a John Deere analisará os dados e
aprovará ou rejeitará a garantia de verificação. A aprovação é obrigatória para todas as construções
físicas (incluindo máquinas de protótipo) antes do envio das peças de produção. A aprovação
condicional pode ser concedida para autorizar o envio de uma produção limitada quando fora das
exigências pendentes do PPAP.

17
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

Tabela 1 Requisitos de Aprovação de Peças de Produção por


Nível do Plano de Qualidade
Nível do Plano de
Qualidade da
Requisito John Deere Concluir Até
0 1 2 3 4
1. Registro de Projeto
– para componentes R R R R Antes da remessa
exclusivos/detalhes do fornecedor
– para todos os demais R R R R Antes da remessa
componentes/detalhes do fornecedor
Documentos de Alteração de R R R R Primeira produção
2.
Engenharia, se houver do fornecedor
3. * Aprovação da Engenharia da Antes da remessa
John Deere do fornecedor
FMEA do projeto (Análise de Efeitos e Antes da conclusão
4. R S
Modos de Falha) do projeto
Diagramas de Fluxo de Processo/ Antes da produção
5. R R S S
Mapa do Processo do fornecedor
Antes do plano de
6. FMEA do Processo R S S
controle
7. Plano de Controle (incluindo Meios de Antes da produção
S S S
Verificação) do fornecedor
8. Estudos de Análise dos Sistemas de
Medição – Estudos de Gage R & R S S S Antes do uso
para Características-chave
9. Relatório de Inspeção da Amostra
Antes da remessa
Inicial – ISIR (Resultados S S S S
do fornecedor
Dimensionais)
Material/Metalúrgico/Funcionais/
Antes da remessa
10. Resultados de Teste (conforme S S S S
do fornecedor
apropriado)
Estudos Iniciais de Processos – Antes do plano de
11. S S S
Estudos de Capabilidade controle
12. * Documentação de Laboratório R R Antes da remessa
Qualificado do fornecedor
13. Relatório de Aprovação da Aparência, Antes da remessa
S S
se aplicável (para peças JD Classe A) do fornecedor
14. Antes da remessa
Garantia de Verificação S S S S
do fornecedor
15. Inspeção de Peça Experimental Antes da remessa
S S S
(Engenharia) do fornecedor
16. Resultados de Testes de Verificação Antes da remessa
R S S
Funcional de Fornecedores do fornecedor
17. * Amostra do Produto
18. * Amostra Principal
19. * Registros de Conformidade com
Requisitos Específicos à John Deere
S = o fornecedor deverá enviar à John Deere e manter uma cópia dos registros ou dos itens da
documentação em locais apropriados.
R = o fornecedor deverá manter em locais apropriados e disponibilizar para a John Deere, quando solicitado.
* Se solicitado pela John Deere, fornecer documentação.

18
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
6.2.1.11 Quando o fornecedor mantém um controle do projeto do produto, deve formar um grupo para
conduzir as revisões de planejamento de qualidade e nível de peça com sua cadeia de suprimentos.
Esses grupos deveriam incluir o gerenciamento de suprimentos, a engenharia da qualidade, a
engenharia de projetos e os representantes do fornecedor, além de qualquer outro pessoal necessário
para avaliar a capacidade do fornecedor em cumprir com os requisitos do produto ou de serviços.

6.2.1.12 Exemplos dos itens tratados durante essa reunião são exibidos na Lista de Verificação de
DPAR. Consulte a cláusula 5 em JDS-G223X1 (2015). Todos os itens de ação devem ser documentados
e monitorados.

6.2.2 Características-chave Designadas pela John Deere

6.2.2.1 Podem existir características-chave de produtos e de processos. Consulte a cláusula 6.6.1.3


para obter a capabilidade de processo mínima nas características-chave. Um processo estruturado deve
ser usado para identificar as características-chave e os controles correspondentes.

6.2.2.2 As características-chave do produto são aquelas características da peça cuja variação dentro
da tolerância do projeto, a especificação ou ambas pode afetar a satisfação da John Deere. As
características mensuráveis selecionadas exigem controle adicional. As características-chave do produto
devem ser documentadas no plano de controle.

6.2.2.3 As características-chave do produto também devem ser documentadas no desenho, no


modelo, nas especificações do produto, nas especificações de montagem ou uma combinação dos
quatro conforme exigido pela John Deere. Não é permitido nenhum desvio das características-chave do
produto fora da tolerância ou fora da especificação.

6.2.2.4 As características-chave do produto devem ser identificadas pelo símbolo <KC>. As


características-chave do produto em desenhos mais antigos podem ter sido ilustradas por meio do uso
de um símbolo especial como ) ou.

6.2.2.5 As características-chave do processo são aquelas características do processo que afetam


significativamente a sua capacidade de atender às especificações, que afetam a satisfação da
John Deere, ou que requerem controle extra. As características-chave do processo podem existir sem as
correspondentes características-chave do produto. As características-chave do processo não são
designadas por um símbolo especial.

6.2.2.6 As características-chave do processo devem ser documentadas no plano de controle.

6.2.3 Análise dos Requisitos Relacionados ao Produto ou Processos

6.2.3.1 As características-chave do produto e dos processos são confirmadas na DPAR usando


informações das revisões de projeto, FMEA e informações do histórico.

6.2.3.2 Quando solicitado pela John Deere, o fornecedor deve fornecer uma Análise de Efeitos e
Modos de Falha de Processos (PFMEA) referente a cada peça, componente ou processo com uma ou
mais características-chave.

6.2.3.3 Os processos do fornecedor, a capabilidade dos processos, o PFMEA e as capabilidades e os


requisitos da cadeia de suprimentos deveriam ser analisados durante a DPAR.

19
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

6.2.3.4 Se as características-chave do produto ou processo não forem identificadas diretamente no


desenho, elas serão documentadas na Lista de Verificação da DPAR. A DPAR deve incluir, sem se
limitar ao seguinte:

• Confirmar as características-chave do produto e do processo.


• Discutir os requisitos e as normas aplicáveis da John Deere.
• Identificar revisões para o desenho ou processo da peça necessárias para manufaturar ou
adquirir o produto ou serviço de acordo com as especificações.
• Analisar o nível do plano de qualidade.
• Assegurar o entendimento da função da peça e do processo de manufatura.
• Analisar os processos do fornecedor, as capabilidades do processo e a PFMEA.
• Analisar as capabilidades e as exigências da cadeia de suprimentos do fornecedor.
• Deixar claro os requerimentos dos estudos de avaliação da capabilidade e dos instrumentos
de medição nas características-chaves e outras características identificadas pela John Deere.
• Deixar clara a responsabilidade do fornecedor quanto aos requisitos do PPAP (comunicar
formalmente através do formulário de Garantia de Verificação).
• Identificar e atribuir ações preventivas para potenciais problemas na manufatura.
• Discutir quantidades de produtos ou serviços, cronograma de entrega, manuseio, embalagem,
preservação do produto e custo de produto ou serviço.
• Aplicar técnica à prova de erro nos processos do projeto e manufatura, incluindo linhas de
montagem, para assegurar uma baixa probabilidade de erro.
• Identificar ou avaliar potenciais reduções nos custos ou oportunidades de aumento no valor do
produto.
• Analisar as obrigações relacionadas ao produto, incluindo requisitos ambientais, legais e
normativos.
• Analisar as características dimensionais de acordo com os requisitos funcionais.
• Verificar se a Estrutura do Produto (BOM) está correta.
• Analisar exigências de serviço.
• Garantir que não haja material ou produtos que contenham substâncias com quantidades além
das definidas na Lista de Materiais Restritos da John Deere e outras substâncias restritas por
leis aplicáveis (por exemplo, amianto ou tinta com chumbo).

6.2.3.5 Análises efetivas requerem participação do fornecedor. Os especialistas de produto, processo e


cadeia de suprimentos do fornecedor deveriam participar da análise.

6.2.3.6 Durante esta análise, o fornecedor deveria pedir esclarecimentos a respeito de qualquer
questão obscura. Nesta reunião, o fornecedor deveria adquirir toda a informação necessária para
entender claramente os requisitos da John Deere.

20
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
6.2.3.7 O fornecedor deveria estar preparado para lidar com questões na reunião e responder a
questões que ficaram em aberto durante a reunião, na data que foi especificada durante a mesma. O
fornecedor deve comunicar à John Deere quaisquer mudanças que possam afetar os dados
documentados desta revisão.

6.2.4 Comunicação da John Deere

6.2.4.1 O fornecedor deve identificar e implementar um plano de comunicação com a John Deere e
com a cadeia de suprimento do fornecedor, com relação a informações referentes aos produtos e
serviços, contratos ou processamento de pedidos, mudanças no produto ou processo, adições ou
correções no contrato e feedback do cliente.

6.2.4.2 Quando os requisitos do produto são alterados, o fornecedor deve assegurar que a
documentação relevante seja revisada apropriadamente.

6.2.4.3 O fornecedor deve assegurar que o pessoal envolvido no desenvolvimento do produto ou


serviço seja mantido a par dos requisitos modificados.

6.2.5 Controle de Material e Comunicação

6.2.5.1 A manufatura de equipamentos e componentes, baseada num projeto em todo o mundo, tem
significativos desafios na alteração de especificação de material. Os materiais que estão geralmente
disponíveis em uma região geográfica podem ser difíceis de obter ou excessivamente caros em outra
região geográfica. A cláusula 6.2.5 até a cláusula 6.2.5.6 destinam-se a esclarecer a determinação de
um material equivalente ou alternativo e o processo de notificação e aprovação.

6.2.5.2 Um material equivalente é aquele cujas especificações, na sua amplitude total de variação,
atendem a todos os requisitos do material especificado no desenho. Para determinar que um material é
equivalente, é necessária uma avaliação cuidadosa de todas as especificações e características
relacionadas. Essa análise deve ser executada somente por indivíduos que tenham conhecimento dos
materiais específicos e sejam qualificados para fazê-la, sejam capazes de fornecer a documentação de
suporte (por exemplo, certificações de fábricas) e estejam inteiramente familiarizados com as
especificações relevantes da John Deere. A menos que especificamente autorizado, por escrito, pelo
representante apropriado da Deere, somente os fabricantes de material primário (por exemplo, usina
siderúrgica, fundição, armazenamento) podem tomar essa decisão. Se o material for equivalente, não
deveria ser necessário revisão do processo de manufatura.

6.2.5.3 Um material alternativo é aquele cujas especificações não atendem totalmente aos requisitos
do material especificado no desenho, mas, mediante verificação, atendem totalmente às intenções de
projeto, podendo portanto ser usado no lugar do material especificado.

6.2.5.4 Um material que é explicitamente identificado nas normas John Deere como atendendo aos
requisitos de uma designação de material especificado da John Deere deve ser considerado equivalente
ao material especificado.

6.2.5.5 Os materiais alternativos devem aparecer no desenho. São exigidos uma alteração da cópia ou um
desvio provisório para permitir o uso do material alternativo. Consulte a Lista de Verificação e Formulário da
Autorização do Desvio da Engenharia. Consulte a cláusula 12 em JDS-G223X1 (2015). Os materiais
alternativos provavelmente requerem alterações nos processos de manufatura utilizados para fazer ou
processar as peças. As áreas de processo, como tratamento térmico, dobramento, moldagem e soldagem
provavelmente mostrarão as maiores diferenças quando forem utilizados materiais alternativos.

6.2.5.6 As sutilezas das especificações dos materiais da John Deere (JDM) requerem o treinamento de
especialistas para a interpretação. As substituições por materiais incorretos podem resultar em falhas de
produto. Qualquer questão relacionada à equivalência de dois materiais deveria ser dirigida a um
engenheiro de materiais qualificado da John Deere.
21
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

6.3 Requisitos de Notificação e Submissão da John Deere


6.3.1 Notificação da John Deere

6.3.1.1 Um fornecedor deve obter a aprovação da John Deere antes de fazer alterações em uma
especificação ou processo para produtos ou serviços fornecidos que possam afetar a segurança, o
ajuste, a forma, a função, a performance, a durabilidade ou a aparência, com relação aos requisitos
da Tabela 2.

6.3.1.2 O fornecedor deverá notificar a unidade de projeto da John Deere responsável sobre quaisquer
alterações de projeto ou processo conforme indicado na Tabela 2 usando o sistema de Solicitação de
Alteração de Fornecedor (SCR) no JDSN.

6.3.1.3 Subsequentemente, as unidades usuárias da John Deere podem requerer uma submissão para
a aprovação de PPAP. Tabela 2, que é derivada do Manual de Processo de Aprovação de Peças de
Produção da AIAG, especifica quando a notificação é necessária.

Nota 13 Os formulários de PPAP foram retirados do manual de PPAP com a permissão de Chrysler Group LLC,
Ford e Força Tarefa de Requisitos de Qualidade do Fornecedor da GM.

6.3.1.4 A John Deere requer aprovação antes da implementação para itens listados na Tabela 2.

22
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
Tabela 2 Alterações Planejadas que Exigem Aprovação Antes da Implementação
Requisito Esclarecimentos e exemplos
1. Uso de processo de fabricação ou Por exemplo, outro processo de fabricação documentado
material diferentes daqueles usados na em um desvio (permissão) ou incluído como uma nota de
peça ou produto aprovados registro do projeto e não coberto por uma alteração de
anteriormente. engenharia.
2. Produção usando ferramentas (exceto Este requisito se aplica somente às ferramentas que,
perecíveis), matrizes, moldes, padrões, devido a seu formato e função únicos, podem influenciar
etc. que sejam novos ou modificados, a integridade do produto final. Não é necessário
incluindo ferramentas adicionais ou descrever as ferramentas padrões (novas ou reparadas),
reposições. como dispositivos de medição, chaves (manuais ou
elétricas) etc.
3. Produção depois da reparação ou A reparação significa a reconstrução e/ou a modificação
remanejamento de ferramentas ou de uma ferramenta ou de uma máquina, o aumento de
equipamentos existentes. capacidade ou desempenho, ou a alteração da sua
função. Não se deve confundir com manutenção normal,
reparo ou reposição de peças etc. nos quais não deve
haver alteração na performance, e para os quais foram
estabelecidos métodos de verificação posteriores.
O remanejamento é definido como atividade na qual
ocorrem alterações na sequência do produto e/ou fluxo
do processo em relação à documentação do diagrama de
fluxo processo (incluindo a adição de novos processos).
Ajustes menores do equipamento de produção também
podem ser necessários para atender às exigências de
segurança, como instalação de tampas protetoras,
eliminação de riscos potenciais de descarga eletrostática
etc. Essas alterações podem ser feitas sem aprovação
da John Deere, a menos que o fluxo do processo seja
alterado como resultado desse ajuste.
4. Produção com ferramentas e Ferramentas e/ou equipamento de processo de produção
equipamentos transferidos para uma transferidos entre prédios ou instalações em um ou mais
planta diferente ou vindos de outra locais.
localização.
5. Alteração de fornecedor de peças, Os fornecedores são responsáveis pela aprovação dos
materiais não equivalentes ou serviços materiais e dos serviços subcontratados que não afetam
(por exemplo, tratamento térmico, o ajuste, a forma, a função, a durabilidade ou as
pintura, chapeamento) que afetam os exigências de performance da John Deere.
ajustes, a forma, a função, a durabilidade
ou as exigências de performance da
John Deere.
6. Produto produzido após as ferramentas No caso de produto produzido depois que as ferramentas
estarem inativas para a produção de ficaram inativas por 12 meses ou mais: a notificação é
volume por doze meses ou mais. requerida quando a peça não tinha ordem de compra
ativa ou quando as ferramentas existentes ficaram
inativas para produção em volume por doze meses ou
mais. A única exceção é quando a peça tem um baixo
volume, por exemplo, veículos de serviços ou especiais.
Entretanto, a John Deere pode especificar determinadas
exigências de PPAP para peças de serviço.

23
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

Tabela 2 Alterações Planejadas que Exigem Aprovação Antes da Implementação


Requisito Esclarecimentos e exemplos
7. Alterações de produto e processo Toda a alteração que afetar os requisitos da John Deere
relacionadas aos componentes do em segurança, ajuste, forma, função, desempenho,
produto de produção fabricados durabilidade e/ou aparência requerem a notificação à
internamente ou fabricados pelos John Deere.
fornecedores e que impactam a Os requisitos de segurança, ajuste, forma, função,
segurança, o ajuste, a forma, a função, a performance, durabilidade ou aparência deveriam fazer
performance, a durabilidade e/ou a parte das especificações da John Deere como
aparência do produto. Além disso, o concordado durante as revisões.
fornecedor deve concordar com todos os
pedidos de um subcontratado antes da
submissão à John Deere.
8. Somente para volumes maiores: Normalmente espera-se que essa alteração afete a
Nova origem de matéria-prima com performance do produto.
características especiais proveniente de
subcontratado novo ou existente.
Mudança nos atributos de aparência do
produto quando não há uma
especificação da aparência.
Parâmetros revisados no mesmo
processo (exceto parâmetros de PFMEA
do produto aprovado, incluindo
embalagens).
Alteração fora da DFMEA do produto
aprovado (composição do produto, níveis
de ingredientes).
9. Mudança no método de inspeção de Para a alteração no método de teste, o fornecedor
teste – nova técnica (sem efeito nos deveria ter uma evidência de que o novo método fornece
critérios de aceitação). resultados equivalentes ao método antigo.

6.3.2 Submissão à John Deere

6.3.2.1 O fornecedor deve obter aprovação de PPAP antes da primeira remessa da produção nas
situações a seguir, a menos que a unidade de controle do projeto responsável tenha dispensado este
requisito. Consulte Tabela 3. A aprovação condicional pode ser concedida para autorizar remessas de
produção limitadas quando há exigências pendentes do PPAP.

6.3.2.2 O fornecedor deve analisar e atualizar, quando necessário, todos os itens aplicáveis no arquivo
de PPAP para refletir o processo de produção, independentemente de a John Deere solicitar uma
submissão formal. O arquivo de PPAP deve conter o nome da pessoa responsável da John Deere que
concede a concessão e a data da concessão.

24
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
Tabela 3 Alterações que Exigem Aprovação de PPAP Antes da Primeira
Remessa de Produção
Requisito Esclarecimentos e exemplos
1. Uma nova peça ou produto (isto é, uma A submissão é obrigatória para novos produtos (versão
peça específica, material ou cor não inicial) ou produto aprovado anteriormente ao qual foi
fornecido previamente à John Deere). atribuído um número de produto ou peça novo ou
revisado (por exemplo, sufixo). A nova peça/produto ou
material adicionado à família pode usar uma
documentação apropriada de PPAP de outra peça
completamente aprovada anteriormente dentro da
mesma família de produto.
2. Correção da uma discrepância do item A submissão é requerida para corrigir qualquer
previamente submetido discrepância na peça submetida previamente.
A “discrepância” pode ser relacionada a:
• A performance do produto em relação ao requisito
da John Deere
• Questões dimensionais ou de capabilidade
• Questões de subcontratados
• Aprovação completa de uma peça substituindo uma
aprovação interina
• Testes, incluindo questões de validação de material,
performance e engenharia
3. Alteração de engenharia em registros do A submissão é necessária em qualquer alteração de
projeto, especificações ou materiais para engenharia em registros, especificações ou materiais de
produtos de produção ou números de projeto de peça de produção de produto.
peça de produção.
4. Tecnologia de processo nova para o
fornecedor, não previamente usada para
Somente para volumes maiores.
este produto.

6.3.2.3 As alterações em qualquer uma das situações descritas na Tabela 2 ou Tabela 3 requerem um
planejamento apropriado da qualidade e uma solicitação por escrito usando o sistema de Solicitação de
Alteração de Fornecedor (SCR) no JDSN, com aceitação do procedimento da John Deere antes da
implementação.

6.3.2.4 O fornecedor deve assegurar que as notificações adequadas de alterações pela cadeia de
suprimentos de segundo nível também sejam comunicadas. A aprovação de PPAP é requerida antes do
embarque das peças.

6.4 Projeto e Desenvolvimento


6.4.1 Geral

Quando o controle do projeto do produto estiver a cargo do fornecedor, este deverá realizar revisões de
projeto; incluir representantes de fornecedores de segundo nível e da John Deere conforme apropriado.

6.4.2 Planejamento e Revisão do Projeto e Desenvolvimento

6.4.2.1 Revisões no projeto devem ser efetuadas periodicamente, à medida que o produto ou o
processo é projetado, primeiramente, para verificar como o projeto funciona e como os vários
subsistemas trabalham juntos, e posteriormente mais detalhes serão avaliados.

25
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

6.4.2.2 Ferramentas, como FMEA, devem ser usadas para identificar problemas. Essas ferramentas
são usadas de maneira interativa com Revisões de Projeto. As Revisões de Projeto acontecem antes da
DPAR no EPDP.

6.4.2.3 As revisões do projeto normalmente são realizadas com membros das equipes da John Deere
e do fornecedor (especialistas de competência de design) de áreas como engenharia de produtos,
verificação e validação do produto, engenharia de confiabilidade, marketing, gerenciamento de
suprimentos, engenharia de qualidade, engenharia de manufatura e engenharia de materiais.

6.4.2.4 Os assuntos típicos para discussão são conformidade com especificações do projeto, projetos,
normas, padrões, suporte ao produto, processos fabris, técnicas de montagem e riscos pessoais. A
revisão é documentada e planos de ação corretiva são desenvolvidos e validados para quaisquer
problemas identificados.

6.4.2.5 Revisões do projeto podem ser conduzidas nos vários estágios do processo de projeto e
desenvolvimento para obter os resultados listados na cláusula 6.4.2.7 e revisar periodicamente a
habilidade do fornecedor em atender às exigências.

6.4.2.6 Quando for requisitado, o fornecedor deverá participar nestas revisões. Os fornecedores devem
proporcionar liderança técnica de produtos do fornecedor, auxiliar na identificação de problemas
potenciais e trabalhar com a John Deere na correção desses problemas.

6.4.2.7 Resultados importantes no processo de revisão do projeto são:

• Identificação dos processos de projeto e desenvolvimento.


• Identificação das atividades de verificação e validação apropriadas para cada estágio do
projeto e desenvolvimento.
• Identificação das responsabilidades e autoridades para cada um dos estágios do projeto e
desenvolvimento.
• Determinação dos requisitos e métodos de comunicação para cada estágio no processo do
projeto e desenvolvimento.
• Especificação de exigências de performance e funcionais do produto ou serviço.
• Identificação dos critérios de aceitabilidade, inclusive as características-chave e outras
características que possam ser identificadas pela John Deere.
• Determinação dos requisitos legais e normativos aplicáveis.
• Identificação de informações aplicáveis derivadas de projetos anteriores similares.
• Identificação dos critérios de aceitação do produto ou serviço.
• Definição das características do produto que sejam essenciais para a segurança e uso
adequados.
• Especificação dos requisitos especiais de embalagem para a entrega adequada para
John Deere.
• Determinação do risco de não cumprimento das especificações.
• Estabelecimento de estratégia de redução de risco para não conformidades com a
especificação de componente.

26
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
6.4.3 Entradas de Projeto e Desenvolvimento

6.4.3.1 Especificações de componentes devem ser desenvolvidas, revisadas e aprovadas com o


fornecedor e a John Deere.

6.4.3.2 Quaisquer alterações após a aprovação inicial devem ser apresentadas pelo fornecedor para
aprovação da John Deere.

6.4.3.3 Uma especificação de componente deve incluir, mas não está limitada a, uma discriminação da
meta de confiabilidade, a informação do local de montagem e as condições de ambiente de uso
(consulte Tabela 4, Tabela 5 e Tabela 6).

Tabela 4 Discriminação da Meta de Confiabilidade

Informações de Utilização da John Deere


– Média de Utilização Anual (AAU) (horas, ciclos)
Informações do Usuário Padrão – Percentil da John Deere usado para AAU

– Período de Utilização Anual (AUP) (horas, ciclos)


Informações do Usuário Superior – Percentil da John Deere usado para AUP

Período de Garantia – Período de Garantia (anos, horas)


Período de Durabilidade – Vida Útil Do Projeto (horas)

Nível de Confiança Preferido para – Nível de Confiança (%)


Teste de Durabilidade/Confiabilidade

Discriminação da Meta do Componente


– Definir como desgaste ou mecanismo de sobrecarga
– Definir a % de confiabilidade do mecanismo de falha em
Mecanismo de Falha do Componente dado ponto de tempo (por exemplo, B10 = 5.000 horas)
– Definir um coeficiente de segurança do projeto
especificado
Operação de Ciclo de Serviço de Alto Nível
– Lista de aplicações
– Número de atuações por período de tempo
Uso Esperado
– % de tempo gasto em cada uma das diferentes
operações
Alocação do Componente
– Período de Garantia (horas, ciclos)
Garantia – Confiabilidade necessária no final do período de
garantia (%)
– Vida útil do projeto do produto (horas, ciclos)
Durabilidade – Confiabilidade necessária no final da vida útil do projeto
do produto

27
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

Tabela 5 Informações do Local de Montagem do Componente (Exemplos)


Desenho/Gráfico Motivo
Um diagrama de entrada/saída (E/S) ilustra os pontos de
conexão que um componente, ou sistema, pode ter com
Diagrama de interface do componente
outros sistemas. As informações deste gráfico podem ser
(E/S)
usadas para entender os dados fundamentais para
configurar adequadamente um teste.
Clara identificação de possíveis tensões que podem atuar
Identificação de componentes/itens
como agentes catalisadores para induzir um modo de
fundamentais em estreita proximidade
falha específico. Por exemplo, vibração induzida de um
com o componente (por exemplo,
componente próximo, susceptibilidade devido a uma linha
motor, escape etc.)
elétrica ou condução de calor de uma linha hidráulica.
Os desenhos do local de montagem são necessários para
Desenhos do local de montagem (com
replicar com precisão as condições de montagem de
dimensões)
componentes em dispositivos de teste.
Identificar todas as condições de rigidez ou
amortecimento usadas para apoiar o componente no
veículo. Mais comumente usadas em testes de vibração
Condições de rigidez e amortecimento
para determinar se o projeto é adequado para evitar
algumas frequências de ressonância que podem ser
prejudiciais ao componente.

28
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
Tabela 6 Condições do Ambiente de Uso
Condições Possíveis Condições do Teste
– Existe algum fator ambiental que possa afetar a
performance (por exemplo, gotas, descarga eletrostática
(ESD) etc.)?
Manufatura
– Existe algum risco de linha de produção associado ao
processo de manufatura do produto (por exemplo,
especificação de torque inadequada)?
– Como o produto é embalado (por exemplo, cesta, caixa
etc.)?
Transporte para o – Qual é o modo de transporte (por exemplo, ar, caminhão,
Concessionária/Cliente Final barco etc.)?
– Existe algum risco associado ao processo de transporte
(por exemplo, altitude, vibração, umidade)?
– Quais são as condições ambientais de depósito esperadas
Condições de Armazenamento
(por exemplo, umidade, vapores de temperatura etc.)?

– Existem condições especiais que valem a pena notar na


Condições de Inicialização
inicialização (por exemplo, partidas a frio)?

– Existem condições especiais que o produto enfrenta


Transporte para o Campo durante o transporte para o campo (por exemplo, condições
da estrada, condições do reboque etc.)?
– Como o produto é usado no campo?
– Qual % de tempo o produto passa fazendo cada
operação?
Condições Operacionais – Quais são as condições ambientais no campo (por
exemplo, faixas de temperatura, faixas de umidade,
vibrações)?
– Há produtos químicos ou líquidos presentes na operação?
– Há usos especiais para o equipamento?
– Quais são essas condições?
– Onde essas condições são mais proeminentes?
– Existem requisitos especiais para os países onde o
Condições Especiais da John Deere
produto será vendido (por exemplo, interferência
eletromagnética (EMI))?
– Alguma dessas condições acontece enquanto o produto
está desligado?

6.4.3.4 Os planos de verificação e validação do projeto são desenvolvidos para assegurar que o
projeto do produto cumprirá os objetivos de performance e confiabilidade que foram estabelecidos
resultando num produto que atenda ou supere as necessidades definidas pela John Deere.

6.4.3.5 A John Deere e o fornecedor devem desenvolver em conjunto o plano de PV&V.

6.4.3.6 O plano de PV&V deve considerar a funcionalidade do componente, a confiabilidade, a


durabilidade, a função do software, as condições ambientais, as aplicações antecipadas, os modos e
mecanismos de falha possíveis ou existentes, as interfaces com outros componentes e controle do
sistema, as expectativas da John Deere e as características-chave de performance.

29
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

6.4.3.7 O plano de PV&V deveria ter uma ligação clara entre os requisitos do componente e os testes.

6.4.3.8 A defasagem de Verificação e Validação do Produto deve ser identificada e reduzida através do
uso de processos e ferramentas, tais como:

• Análise de projeto
• Análise de Tecnologia-Chave
• FMEA
• Análises de Design
• Testes de campo e de laboratório

6.4.3.9 A confiabilidade do componente deve ser demonstrada para os modos e mecanismos de falha
de alto risco através do Processo de Avaliação de Confiabilidade do Componente da John Deere, que
deve incluir mecanismos de falha contra sobrecarga e desgaste. Consulte a cláusula 3 em JDS-
G223X1 (2015).

6.4.3.10 Os planos e os resultados da verificação e validação do produto devem ser documentados


usando um modelo de planilha do John Deere V2 Net System. O formulário preenchido deve ser
devolvido à John Deere para que os dados possam ser importados no John Deere V2 Net System para
fins de documentação e controle. Consulte a cláusula 4 em JDS-G223X1 (2015).

6.4.3.11 Se solicitado, o fornecedor deverá participar das atividades de PV&V nas dependências da
John Deere ou do fornecedor. O fornecedor deverá fornecer informações sobre testes padronizados que
são realizados regularmente para o produto fornecido.

6.4.3.12 O fornecedor deverá conhecer as normas apropriadas de engenharia. A John Deere pode
realizar uma auditoria do Questionário de Engenharia de Produtos (PEQ) para componentes com QPL 3
ou QPL 4 quando o fornecedor tiver o controle do projeto do componente ou subsistema e quando
necessário para suportar o Processo de Avaliação de Confiabilidade do Componente.

6.4.3.13 Confiabilidade do componente superior é importante para a satisfação da John Deere. Uma
máquina confiável começa com componentes confiáveis. Para atingir a confiabilidade do componente, a
John Deere pode oferecer aos fornecedores uma meta de confiabilidade do componente. Neste caso, o
fornecedor deverá fornecer evidências estatísticas de que a meta do componente foi atingida.

6.4.3.14 O Processo de Avaliação da Confiabilidade do Componente assegura que as metas de


confiabilidade do componente estão definidas e planos são criados e executados para validar e
demonstrar a capacidade de atingir essas metas. O Processo de Avaliação da Confiabilidade do
Componente deve ser usado quando conduzido pela John Deere.

6.4.3.15 Quando um componente do Processo de Avaliação da Confiabilidade do Componente está


sendo fornecido ou se solicitado, o fornecedor deverá preencher e enviar o Formulário de Performance e
Garantia de Confiabilidade do Componente à John Deere. Consulte a cláusula 3 em JDS-
G223X1 (2015).

6.4.3.16 O fornecedor e a John Deere deverão assinar esse formulário quando o componente atender
ou superar seu(s) requisito(s), inclusive a confiabilidade.

6.4.3.17 Esse formulário deve ser assinado antes que quaisquer componentes sejam fornecidos para
uma fabricação física da John Deere.

30
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
6.4.4 Entrada do Projeto de Produto

6.4.4.1 O fornecedor deve identificar, documentar e avaliar as exigências da entrada do projeto do


produto.

6.4.4.2 As exigências da entrada do projeto devem incluir o seguinte:

• Requisitos da John Deere (revisão do contrato), como características-chave, identificação,


rastreabilidade e embalagem.
• Processo para implantar as informações obtidas em projetos anteriores do projeto, análise da
concorrência, feedback do fornecedor, entrada interna, dados de campo e outras fontes
relevantes, para projetos atuais e futuros de natureza semelhante.
• Metas para conformidade com os requisitos de produto, vida útil, confiabilidade, durabilidade,
facilidade de manutenção, tempo e custo.

6.4.5 Entrada do Projeto de Processos de Manufatura

6.4.5.1 O fornecedor deve identificar, documentar e avaliar as exigências da entrada do projeto do


processo de manufatura.

6.4.5.2 As entradas do projeto do processo de manufatura devem incluir:

• Dados de saída do projeto do produto


• Metas de produtividade, processo e custo
• Requisitos da John Deere
• Experiência de desenvolvimentos anteriores

6.4.6 Saídas do projeto e do desenvolvimento

6.4.6.1 A saída do projeto e do desenvolvimento deve ser fornecida num formulário que permita a
comparação com a entrada de projeto e desenvolvimento.

6.4.6.2 A comparação entre a saída e a entrada do projeto e do desenvolvimento deve ser aprovada
antes da liberação.

6.4.6.3 As saídas do projeto e do desenvolvimento devem: estar de acordo com as exigências da


entrada do projeto e do desenvolvimento; fornecer a informação apropriada para compras, produção e
para a provisão do serviço; conter ou referenciar critérios de aceitação do produto; e especificar as
características do produto que são essenciais para o uso seguro e apropriado.

31
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

6.4.7 Saída do Projeto do Produto

6.4.7.1 A saída do projeto do produto deve ser expressa em termos que permitam comparação com as
entradas do projeto do produto.

6.4.7.2 As saídas do projeto do produto devem incluir:

• FMEA do Projeto
• Resultados de confiabilidade
• Características-chave e especificações do produto
• Eliminação de erros do produto, conforme apropriado
• Definição do produto incluindo desenhos ou dados matemáticos
• Resultados da revisão do projeto do produto
• Diretrizes de diagnóstico, quando aplicável

6.4.8 Saída do Projeto do Processo de Manufatura

6.4.8.1 A saída do projeto do processo de manufatura deve ser expressa em temos que possam ser
comparados às exigências da entrada do projeto do processo de manufatura e validados.

6.4.8.2 As saídas do projeto do processo de manufatura devem incluir:

• Especificações e desenhos
• Fluxograma/layout do processo de manufatura
• FMEA do processo de manufatura
• Plano de controle (consulte a cláusula 8 em JDS-G223X1 (2015))
• Instruções de trabalho
• Critérios de aceitação de aprovação do processo
• Dados para qualidade, confiabilidade, facilidade de manutenção e de medição
• Resultados de atividades de eliminação de erros, conforme apropriado
• Métodos de detecção rápida e feedback de não conformidades do produto e do processo de
manufatura

6.4.9 Revisão de Projeto e Desenvolvimento

6.4.9.1 Em estágios apropriados, revisões sistemáticas de projeto e desenvolvimento devem ser


executadas de acordo com o planejado, para avaliar se os resultados de projeto e desenvolvimento
atendem aos requisitos, identificar problemas e propor ações necessárias.

6.4.9.2 Os participantes de tais revisões devem incluir representantes das funções envolvidas nos
estágios do projeto e do desenvolvimento que está sendo revisto.

6.4.9.3 Os registros das revisões e de todas as ações necessárias devem ser mantidos.

32
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
6.4.10 Verificação do Projeto e do Desenvolvimento

6.4.10.1 Uma verificação deve ser executada de acordo com o planejamento para assegurar que as
saídas do projeto e do desenvolvimento tenham atendido às exigências da entrada do projeto e
desenvolvimento.

6.4.10.2 Os registros dos resultados da verificação e quaisquer ações necessárias deverão ser
mantidos.

6.4.11 Validação do Projeto e do Desenvolvimento

6.4.11.1 A validação do projeto e do desenvolvimento deve ser executada de acordo com o


planejamento para assegurar que o produto resultante seja capaz de atender aos requisitos da aplicação
especificada ou finalidade.

6.4.11.2 Sempre que viável, a validação deverá ser concluída antes da entrega ou da execução do
produto.

6.4.11.3 O registro dos resultados da validação e quaisquer ações necessárias devem ser guardados.

6.4.12 Controle de Alterações do Projeto e do Desenvolvimento

6.4.12.1 As mudanças de projeto ou processos de produção de um produto ou serviço deverão ser


identificadas, documentadas, comunicadas e controladas.

6.4.12.2 Nos casos em que o controle do projeto está com o fornecedor, o mesmo deverá tomar
medidas apropriadas para comunicar todas as alterações propostas pelo fornecedor ou pela cadeia de
suprimentos do fornecedor, através do sistema de Solicitação de Alteração de Fornecedor (SCR) no
JDSN.

6.4.12.3 O fornecedor deve avaliar o efeito de quaisquer alterações propostas em todas as peças
constituintes e produtos acabados. Isso pode ser realizado com uma revisão de projeto, FMEA,
laboratório ou teste de campo, ou outros meios, como conjuntamente determinado pela John Deere e
pelo fornecedor.

6.4.12.4 As alterações devem ser aprovadas pela John Deere antes da implementação. Consulte a
cláusula 6.2.4.

6.4.12.5 Os resultados da revisão das alterações e as ações subsequentes de acompanhamento


deverão ser documentados.

6.5 Compras
6.5.1 Processo de Compra

6.5.1.1 Os fornecedores primários da John Deere são responsáveis pela qualidade dos produtos e
serviços fornecidos pela sua cadeia de suprimentos.

6.5.1.2 Os requisitos deste manual deveriam ser estendidos à cadeia de suprimentos do fornecedor.

6.5.1.3 O fornecedor deverá ter um sistema documentado para selecionar apropriadamente os


fornecedores com capabilidade para atender ao JDS-G223 e a outras normas John Deere aplicáveis.

6.5.1.4 O processo seletivo inicial dos fornecedores de produtos ou serviços da John Deere deve
incluir um processo de avaliação documentada para determinar a capacidade da cadeia de suprimentos
de atender às exigências de JDS-G223.

33
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

6.5.1.5 O fornecedor deve monitorar o desempenho da cadeia de suprimentos de segundo nível


periodicamente.

6.5.1.6 Pode ser apropriado para o fornecedor ter fornecedores de segundo nível participando de
DPAR iniciada pela John Deere e em outras atividades de qualidade.

6.5.1.7 O fornecedor deverá ter um plano de comunicação para notificar a cadeia de suprimentos de
segundo nível sobre as especificações mais recentes e verificar continuamente o produto.

6.5.1.8 Uma alteração na cadeia de suprimentos ou qualquer alteração no processo da cadeia de


suprimentos que fabrique produtos da John Deere requer um planejamento apropriado da qualidade e
notificação à John Deere antes da implementação. As unidades da John Deere requerem a aprovação
documentada antes da implementação. Consulte a cláusula 6.2.4.

6.5.2 Conformidade Regulamentar

6.5.2.1 O fornecedor deverá ter a patente ou os direitos autorais que permitem produzir legalmente o
produto ou utilizar o processo de manufatura que a John Deere deseja comprar.

6.5.2.2 O fornecedor deverá estar adequadamente licenciado pelo detentor da patente ou dos direitos
autorais para produzir ou utilizar o processo de manufatura.

6.5.2.3 O fornecedor deve ter a documentação para comprovar que possui os direitos de propriedade
intelectual ou que está corretamente licenciado para usar os direitos de propriedade intelectual.

6.5.2.4 Quando os direitos de propriedade intelectual são eficazes e legalmente aplicáveis no país
onde o fornecedor produz o produto ou utiliza o processo de manufatura, o fornecedor deve ter a
documentação para comprovar que os seus direitos de propriedade intelectual são eficazes no país onde
ele produz o produto ou utiliza o processo de manufatura.

6.5.2.5 A duração da propriedade intelectual requisitada deverá ser suficiente para cobrir o termo do
acordo proposto com o fornecedor.

6.5.2.6 O fornecedor deverá identificar todos os direitos de propriedade intelectual de terceiros que
poderiam interferir no acordo proposto com o fornecedor.

6.5.2.7 O fornecedor deve cumprir a Lista de Materiais Restritos da John Deere (por exemplo, amianto
ou tinta com chumbo) e as leis aplicáveis no sentido de que os produtos fornecidos não contêm
substâncias que excedam as quantidades estabelecidas na Lista de Materiais Restritos da John Deere
ou quaisquer substâncias restritas por leis aplicáveis.

6.5.2.8 Se houver um conflito entre a Lista de Materiais Restritos da John Deere e as leis aplicáveis, as
exigências mais rigorosas deverão ser cumpridas. A lista de Materiais Restritos está localizada no JDSN.

6.5.3 Informações de Compra

6.5.3.1 Documentos de compra do fornecedor deverão conter informações descrevendo os requisitos


para a aprovação do produto e qualificação de procedimentos, processos, especificações, equipamentos
e pessoal necessários para a produção do produto.

6.5.3.2 Todos os requisitos de pedido de compra da John Deere devem ser atendidos. Todas as
exceções devem ser documentadas, comunicadas à John Deere e aprovadas antes da aceitação de
uma ordem de compra da John Deere.

34
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
6.5.4 Verificação dos Produtos Adquiridos

6.5.4.1 A verificação de um produto adquirido deverá ser feita usando uma metodologia documentada
de avaliação da qualidade.

6.5.4.2 O fornecedor primário da John Deere deve ser totalmente responsável pela qualidade dos
produtos e dos serviços fornecidos, incluindo os da cadeia de suprimentos do fornecedor.

6.5.4.3 Os fornecedores podem utilizar formulários de auditoria da John Deere para a qualificação da
cadeia de suprimentos do fornecedor.

6.5.5 Conformidade do Produto Recebido com os Requisitos

6.5.5.1 O fornecedor deve ter um processo para garantir a qualidade do produto adquirido. Consulte a
cláusula 6.5.4.

6.5.5.2 O processo deve incluir um ou mais dos seguintes:

• Recebimento e avaliação de dados estatísticos por parte do fornecedor


• Recebimento da inspeção ou análise, como a amostragem com base na performance
• Avaliação das unidades do fornecedor pelo próprio ou por terceiros, quando acoplada a
registros de conformidade do produto entregue aceitável com as especificações
• Avaliação de peça por um laboratório designado
• Outro método acordado com a John Deere

6.5.6 Monitoramento da Cadeia de Suprimentos

6.5.6.1 O fornecedor deve assegurar o acompanhamento da cadeia de suprimentos de processos de


manufatura.

6.5.6.2 A performance da cadeia de suprimentos deve ser monitorada por meio do seguinte:

• Conformidade do produto entregue com as especificações


• Interrupções do cliente incluindo devoluções de campo
• Performance da programação de entrega, incluindo incidentes de frete premium
• Notificações da John Deere relacionadas à qualidade ou problemas de entrega

6.6 Provisão e Prestação de Serviços


6.6.1 Controle de Provisão e Prestação de Serviços

6.6.1.1 Um controle de processo é necessário para assegurar que o processo de manufatura seja
realizado sob condições estáveis. A documentação deverá ser fornecida para assegurar a qualidade dos
produtos na produção inicial e a manutenção contínua de níveis aceitáveis de qualidade. Os exemplos
do controle de documento do processo incluem: fichas de processo, instruções da inspeção e de teste,
procedimentos de teste, procedimentos operacionais padrão, instruções de manutenção preventiva e
planos de controle de peças específicas.

35
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

6.6.1.2 Documentos de controle do processo devem ser implementados antes da produção inicial e
prontamente disponibilizados aos funcionários responsáveis pela operação do processo. Os parâmetros-
chave de processamento, as características-chave do processo e do produto identificados durante
Revisões do Projeto, FMEA e DPAR devem ser tratados nos documentos de controle do processo,
incluindo um plano de controle.

6.6.1.3 As documentações relativas ao controle do processo e aos planos de controle deverão ser
disponibilizadas pela John Deere. A capabilidade de processo mínima (ajustada para incerteza de
medição e reportada no limite inferior do intervalo de confiança de 90 % conforme a cláusula 6 em JDS-
G223X2 (2015)) para uma característica-chave é Ppk ≥ 1,33 ou Cpk ≥ 1,33. Exigências maiores de
capabilidade de processo podem ser especificadas pela John Deere.

6.6.1.4 Se a capabilidade de processo mínima para uma característica-chave não tiver sido
demonstrada, o fluxograma do Processo de Entrega de Produtos (Produção Inicial) (consulte a cláusula
3 em JDS-G223X2 (2015)) deve ser usado para determinar as atividades necessárias (consulte a
Avaliação do Processo), a menos que seja acordado de outra forma com a John Deere.

6.6.2 Plano de Controle

6.6.2.1 O fornecedor deve planejar e realizar as disposições de produção e serviço sob condições
controladas.

6.6.2.2 O fornecedor deve desenvolver planos de controle (consulte a cláusula 8 em JDS-G223X1


(2015)).

6.6.2.3 Os planos de controle devem incluir o seguinte:

• Processos no nível do sistema, subsistema, componente ou material para o produto fornecido.


• Processos que produzem volumes maiores, bem como peças.
• Um plano de pré-lançamento e produção, que leva em conta a FMEA do projeto e as saídas
de FMEA do Processo de Manufatura.
• Todos os elementos especificados pela John Deere.

6.6.3 Validação do Processo para a Provisão e Prestação de Serviços

6.6.3.1 O Fornecedor deve validar todos os processos especiais (por exemplo, solda, tratamento
térmico, chaparia e pintura). Uma lista de processos especiais pode ser encontrada no JDSN.

6.6.3.2 A validação deve demonstrar a capacidade dos processos em alcançar os resultados


planejados.

6.6.3.3 O fornecedor deve definir regras de validação.

6.6.3.4 A validação deve incluir o seguinte, conforme o caso:

• Qualificação dos processos


• Qualificação dos equipamentos e do pessoal
• Uso de metodologia e procedimentos definidos
• Requerimentos dos registros
• Revalidação

36
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
6.6.3.5 Depois que a documentação de PPAP for enviada, a John Deere deverá analisar as
submissões e aprovar ou rejeitar a Garantia de Verificação. Consulte a cláusula 2 em JDS-
G223X1 (2015).

6.6.3.6 A aprovação deve ser requerida antes do envio das peças de produção.

6.6.3.7 A aprovação condicional pode ser concedida para autorizar remessas de produção limitadas
quando há exigências pendentes do PPAP.

6.6.3.8 Os requisitos do PPAP deverão ser concluídos antes da produção completa.

6.6.4 Identificação e Rastreabilidade

6.6.4.1 O fornecedor deve estabelecer e manter procedimentos documentados para a identificação do


produto, para garantir que o produto seja identificado durante todos os estágios da produção.

6.6.4.2 O fornecedor deve ter a rastreabilidade do produto para permitir que peças sejam associadas a
certos períodos de tempo, processos e lotes específicos de material, assim, se for encontrada uma
discrepância, será possível conter o produto e iniciar uma ação corretiva.

6.6.4.3 Se produto não conforme for identificado, a John Deere e o fornecedor deverão identificar e
rastrear peças suspeitas.

6.6.5 Propriedade da John Deere

6.6.5.1 O fornecedor deverá ter cuidado com todas as propriedades da John Deere, incluindo
propriedade intelectual, enquanto esta estiver sob o controle do fornecedor ou sendo usada por ele.

6.6.5.2 O fornecedor deve identificar, verificar, proteger e manter a propriedade da John Deere
fornecida para o uso ou incorporação no produto.

6.6.5.3 A propriedade da John Deere perdida, danificada ou de outra forma inadequada para uso
deverá ser registrada e relatada pelo fornecedor à John Deere.

6.6.5.4 O fornecedor deverá manter o equipamento de processamento, as ferramentas, os


equipamentos de medição e os dispositivos de propriedade da John Deere em condições de
funcionamento aceitáveis, de acordo com as necessidades de produção da John Deere.

6.6.6 Preservação do Produto

6.6.6.1 O fornecedor deverá preservar a conformidade do produto com as exigências da John Deere
desde o processamento interno até a entrega no local de destino. A preservação deve incluir
identificação, manuseio, embalagem, armazenamento e proteção. Este requisito também se aplica às
peças componentes de um produto.

6.6.6.2 Salvo disposição em contrário ou comunicada pelo representante da John Deere, todos os
produtos devem estar visualmente limpos e livres de corrosão visível no momento da entrega para o
destino final, e devem suportar 90 dias de armazenamento em local fechado sem climatização sem o
surgimento de corrosão visível.

6.6.6.3 As embalagens devem atender a todas as leis marítimas, códigos e normas aplicáveis. As
embalagens devem atender a todas as exigências impostas pela John Deere. O fornecedor deveria
garantir que a embalagem de propriedade da John Deere seja mantida limpa e livre de sujeira, detritos,
materiais estranhos e danos, enquanto a embalagem estiver sob controle do fornecedor.

37
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

6.6.6.4 As peças de serviço deverão ser preparadas de acordo com JDV 9.

6.7 Controle dos Dispositivos de Monitoramento e Medição


6.7.1 Seleção do Equipamento de Medição

6.7.1.1 Ao escolher o equipamento de medição, a John Deere está preocupada com a capabilidade do
sistema de indicar até mesmo pequenas mudanças nas características.

6.7.1.2 O equipamento de avaliação selecionado deveria ter uma discriminação de menos de 1/10 do
total da tolerância do produto que está sendo medida.

6.7.2 Calibração

6.7.2.1 O fornecedor deverá estabelecer e manter procedimentos documentados para a calibração, o


controle e a manutenção dos equipamentos usados para medir, inspecionar e avaliar, com o objetivo de
assegurar que produtos e processos estejam em conformidade com os requerimentos aplicáveis.

6.7.2.2 O fornecedor deve calibrar o equipamento abrangido pela cláusula 6.7.2.1 em intervalos
periódicos consistentes de acordo com as normas aplicáveis com rastreabilidade conhecida para um
órgão de controle nacional ou internacional, e deverá proteger os equipamentos contra ajustes que
invalidariam a calibração.

6.7.2.3 Os registros das atividades de calibração devem ser mantidos.

6.7.2.4 Ao usar um laboratório externo para a calibração, o laboratório deverá ser credenciado por um
órgão nacional ou internacional de acreditação (por exemplo, ISO/IEC 17025).

6.7.2.5 É necessário verificar se os instrumentos de medição devem passar por revisões após
alterações de engenharia.

6.7.2.6 Quando um instrumento de medição for encontrado descalibrado e este tiver sido usado para
verificar peças para a John Deere, o fornecedor deverá informar à John Deere as peças duvidosas.

6.7.2.7 A notificação de peça suspeita deve incluir:


• Uma avaliação do impacto do descumprimento da especificação
• Declarações de conformidade com a especificação após a calibração e a verificação

6.7.2.8 Para algumas aplicações, a John Deere pode fornecer equipamentos de medição, dispositivos
de teste e máquinas de avaliação ao fornecedor. Estes continuam sendo propriedades da John Deere,
que deverá fornecer um desenho dos instrumentos de medição com os equipamentos para os registros
do fornecedor.

6.7.2.9 O fornecedor deve revisar os equipamentos de medição da John Deere para garantir o
funcionamento e a aplicação adequados, bem como calibrar, reparar e substituir equipamentos que não
estejam em conformidade.

6.7.3 Repetitividade e Reprodutibilidade

6.7.3.1 O estudo de repetitividade e reprodutibilidade (Gage R & R) mede a variação total da repetitividade
e da reprodutibilidade do sistema de medição como uma porcentagem da especificação total. As
pessoas que usarão o instrumento de medição na produção deveriam sempre conduzir o estudo de
Gage R & R (consulte a cláusula 5 em JDS-G223X2 (2015)).

38
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
6.7.3.2 Os estudos de Gage R & R deveriam ser realizados sempre que novos funcionários da
produção começarem a usar o instrumento de medição. O método de realizar o estudo de Gage R & R é
o método de amplitude ou o método ANOVA (consulte a cláusula 5 em JDS-G223X2 (2015)).

6.7.3.3 Os estudos de Gage R & R são aplicados a equipamentos do tipo variáveis. Os estudos de Gage
R & R por atributos (tais como passa não passa) podem ser exigidos pela John Deere (se necessário,
consulte a cláusula 8 em JDS-G223X2 (2015)).

6.7.3.4 A precisão dos instrumentos de medição por atributos deve ser verificada periodicamente.

6.7.3.5 No caso de dispositivos não dedicados, tais como máquinas de medição coordenada, a análise
de repetitividade e reprodutibilidade deve ser conduzida usando programas de peça específica em todas
as características-chave e outras características identificadas pela John Deere.

6.7.3.6 Os estudos de Gage R & R são necessários para cada equipamento do tipo variável usado
para monitorar as características-chave de produtos ou processos. Estudos em famílias de instrumentos
de medição ou equipamentos não são aceitáveis, a menos que o estudo use uma metodologia aprovada
pelo setor, como a que consta em Conceitos para Estudos de R & R (consulte a cláusula 5 em JDS-
G223X2 (2015)).

6.7.3.7 Os estudos de Gage R & R em famílias de equipamentos de medição devem ser acordados
pela John Deere antes da conclusão da DPAR.

6.7.3.8 A Análise do Sistema de Medição não é adequada para alguns tipos de equipamentos, como
medidores de fluxo e medidores de dureza. Esse tipo de equipamento deve ser identificado no programa
de calibração e verificado frequentemente usando padrões da indústria.

6.7.3.9 Se a variação total da repetitividade e reprodutibilidade do sistema de medição (instrumento e


operador) for menor que 30 por cento do total da variação da tolerância, e atender aos requisitos
adicionais em JDS-G223X2 cláusula 5.8 (2015), o sistema de medição é aceitável para o uso. Se o
fornecedor usar um equipamento com uma variação total superior a 30 por cento, a John Deere deverá
ser contatada para aprovação.

6.7.3.10 É necessário comprovar que um equipamento é repetível e reprodutível para usá-lo em um


estudo de capacidades ou para aceitar ou rejeitar peças.

6.7.3.11 Se o sistema de medição falhar, o fornecedor deverá tomar a ação corretiva para fazer com
que os instrumentos de medição sejam repetíveis e reprodutíveis.

39
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

7 Medição, Análise e Melhoria

7.1 Geral
7.1.1 Medição, análise e melhoria é o processo de planejamento, definição e aplicação das métricas
de performance nos processos e produtos importantes para a John Deere. Essas métricas são usadas
para determinar o atual nível de performance, guiar atividades de melhoria contínua, e monitorar os
níveis de performance em longo prazo.

7.1.2 As ferramentas estatísticas são importantes para o uso das métricas de performance. As
ferramentas estatísticas não são usadas somente nos processos e produtos, mas também medem a
satisfação da John Deere e o desempenho da cadeia de suprimentos.

7.1.3 O fornecedor deve definir, planejar e implementar medições nos processos que afetem a
qualidade dos produtos ou serviços recebidos pela John Deere.

7.1.4 As ferramentas estatísticas adequadas a cada processo devem ser determinadas durante o
planejamento avançado da qualidade e incluídas no plano de controle.

7.1.5 É necessário entender conceitos básicos de estatística, tais como controle de variação
(estabilidade), capabilidade do processo e sobreajustamento, e utilizá-los em toda a organização do
fornecedor.

7.2 Monitoramento e Medição


7.2.1 Satisfação da John Deere

7.2.1.1 O fornecedor deve incluir um parâmetro de satisfação da John Deere na análise de seu sistema
de gerenciamento de qualidade.

7.2.1.2 Esta métrica deve ser incluída no processo de análise do gerenciamento. As tendências no
desempenho da satisfação da John Deere deveriam ser revisadas, e atividades de melhoria
desenvolvidas de acordo com os dados obtidos.

7.2.1.3 As atividades de melhoria da satisfação da John Deere deveriam utilizar uma técnica
estruturada de melhoria do processo.

7.2.1.4 A John Deere usa o processo Achieving Excellence (e suas métricas associadas) e os dados
de garantia para medir a satisfação com relação ao desempenho do fornecedor. Os fornecedores
deverão usar esses dados para orientar as melhorias nos parâmetros de satisfação da John Deere.

7.2.2 Auditoria Interna

Os fornecedores devem conduzir auditorias internas conforme a cláusula 4.6.1 de JDS-G223.

7.2.3 Auditoria do Sistema de Gerenciamento de Qualidade

7.2.3.1 O fornecedor deverá fazer a auditoria de seu sistema de gerenciamento de qualidade para
verificar a conformidade com JDS-G223 e qualquer outro requisito do Sistema de Gerenciamento de
Qualidade.

7.2.3.2 Um processo formal de ação corretiva deve incluir a determinação da causa fundamental para
corrigir deficiências.

7.2.3.3 O fornecedor deve ter auditores internos qualificados que sejam independentes da área sendo
auditada para executar as auditorias.
40
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
7.2.4 Auditoria do Processo de Manufatura

7.2.4.1 O fornecedor deverá fazer a auditoria de cada processo de manufatura para determinar sua
eficácia.

7.2.4.2 O trabalho realizado inclui operações de manufatura nas instalações do fornecedor ou


operações subcontratadas para a cadeia de suprimentos do fornecedor. Essa auditoria também pode ser
realizada em peças semelhantes quando o trabalho ainda não tiver sido terceirizado ou durante a
preparação para a produção completa.

7.2.5 Auditoria de Produtos

O fornecedor deverá fazer auditorias de produtos em estágios apropriados de produção e entrega para
verificar a conformidade com todos os requisitos especificados, como dimensões, funcionalidade,
embalagens e rotulagem dos produtos, em uma frequência definida.

7.2.6 Monitoramento e Medição do Processo

7.2.6.1 O fornecedor deve determinar e implementar medidas necessárias para monitorar processos
de manufatura e negócio que sejam fundamentais para a satisfação da John Deere.

7.2.6.2 Um plano de controle deve ser preenchido e enviado à John Deere para aprovação, antes da
produção (consulte a cláusula 8 em JDS-G223X1 (2015)). Deve existir uma documentação comprovando
que o responsável pelos processos está seguindo técnicas apropriadas.

7.2.6.3 As atividades à prova de erro deveriam ser o primeiro método de controle considerado. Se um
exame de erros não for viável, técnicas estatísticas devem ser usadas para se monitorar o processo.

7.2.6.4 Quando indicado pelo Fluxograma de Processo de Order Fulfillment (consulte a cláusula 4 em
JDS-G223X2 (2015)), o gráfico de Controle Estatístico do Processo deveria ser usado nas principais
variáveis de controle do processo para eliminar a possibilidade de deficiências na produção. A tabulação
das variáveis monitoradas deveria ser realizada por pessoas habilitadas a fazer os necessários ajustes
no processo.

7.2.6.5 Deve haver um procedimento escrito descrevendo as medidas a serem tomadas quando
houver situações fora do controle.

7.2.6.6 A revisão das técnicas de monitoramento do processo deverá ser disponibilizada à John Deere
quando solicitado.

7.2.6.7 No caso de processos de manufatura suscetíveis ao desgaste da ferramenta e a dados


autocorrelacionados, deveria ser considerado o uso de métodos analíticos descritos nas cláusulas 9 e 10
em JDS-G223X2 (2015).

7.2.7 Monitoramento e Medição do Produto

7.2.7.1 É necessário realizar medições e monitoramentos do produto para confirmar que estão sendo
produzidos corretamente e que suas características se mantêm estáveis ao longo do tempo. Os estudos
de capacidades estão incluídos no monitoramento e na medição do produto.

7.2.7.2 Os estudos de capabilidade e vulnerabilidade devem ser mantidos de acordo com Processo de
Order Fulfillment (consulte a cláusula 4 em JDS-G223X2 (2015)) em todas as características-chave,
além de outras características identificadas pela John Deere e o fornecedor no processo de
planejamento de qualidade.

41
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

7.2.7.3 Para peças ou processos novos ou alterados, a conformidade do produto é promovida pelo
fluxograma de controle de processo, PDP e Produção Inicial (consulte a cláusula 3 em JDS-
G223X2 (2015)), Processo de Order Fulfillment (consulte a cláusula 4 em JDS-G223X2 (2015)) e Projeto
do Plano de Controle de Processo (consulte a cláusula 8 em JDS-G223X1 (2015)).

7.2.8 Itens de Aparência

Em relação às peças de manufatura do fornecedor designadas pela John Deere como itens de
aparência, o fornecedor deverá apresentar o seguinte:

• Recursos adequados de avaliação (por exemplo, iluminação aprimorada).


• Mestres de cor, grão, brilho, brilho metálico, textura e nitidez de imagem (DOI), conforme o
caso.
• Manutenção e controle de mestres de aparência e equipamentos de avaliação.
• A verificação de que o pessoal que faz as avaliações de aparência é competente e qualificado
(consulte a cláusula 8 em JDS-G223X2 (2015)).

7.3 Controle de Produto Não Conforme


7.3.1 Geral

7.3.1.1 O fornecedor deverá estabelecer e manter procedimentos documentados para assegurar que
produtos suspeitos de terem não conformidades ou produtos não conformes não sejam usados ou
montados não intencionalmente.

7.3.1.2 Esse controle deverá fornecer identificação, documentação, avaliação, separação, disposição
de produtos não conformes e notificação ao departamento interessado (tanto interno como externo).

7.3.1.3 Se forem encontradas peças não conformes na John Deere, o fornecedor deverá providenciar
os recursos necessários para avaliar, conter, classificar e recuperar ou refugar o produto não conforme.
Um representante do fornecedor deverá estabelecer contenção na fábrica da John Deere, no material
em trânsito e no fornecedor, no prazo de 24 horas. Uma resposta mais rápida pode ser requerida
dependendo da complexidade da situação.

7.3.1.4 Se a contenção do produto que não está em conformidade não for bem-sucedida, então
inspeção de terceiros poderá ser exigida pela John Deere, a ser realizada às custas do fornecedor.

7.3.1.5 Se material não conforme for enviado para unidades da John Deere ou tornarem-se um
problema de garantia, o fornecedor deverá ser responsável por ajudar a John Deere a avaliar e corrigir o
problema. A John Deere terá o direito de recuperar do fornecedor todos os custos e despesas incorridos
na tomada da ação corretiva do problema pelos termos e condições.

7.3.1.6 Quando um produto não conforme for corrigido, o material deverá estar sujeito a nova
verificação para demonstrar conformidade com os requisitos.

7.3.1.7 O produto com status não identificado ou suspeito será classificado como produto não
conforme.

7.3.2 Controle de Produto Retrabalhado

7.3.2.1 As instruções para o retrabalho, incluindo exigências de reinspeção, devem estar acessíveis e
ser utilizados por pessoal apropriado.

7.3.2.2 O produto retrabalhado deve passar por testes funcionais apropriados, de acordo com os
planos de controle originais.
42
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
7.3.2.3 Todo o produto serializado deve ter os registros de retrabalho documentados. Consulte a
cláusula 6.6.4.

7.3.3 Notificação da John Deere

O fornecedor deverá informar à John Deere imediatamente caso algum produto não conforme seja
enviado.

7.3.4 Concessão da John Deere

7.3.4.1 Se o fornecedor quiser embarcar um produto que não atenda aos requisitos especificados,
deverá ser obtida uma aprovação por escrito da John Deere, antes do embarque do produto. Esta
solicitação deve ser feita usando a Lista de Verificação e Formulário de Autorização do Desvio da
Engenharia (consulte a cláusula 12 em JDS-G223X1 (2015)). Isso se aplica igualmente a produtos ou
serviços adquiridos da cadeia de suprimentos.

7.3.4.2 O fornecedor deverá concordar com qualquer solicitação de alteração da sua cadeia de
suprimentos antes da submissão de uma Solicitação de Alteração de Fornecedor (SCR) à John Deere. O
fornecedor deverá manter um registro da data de vencimento e da quantidade autorizada por qualquer
concessão da John Deere.

7.3.4.3 O fornecedor deverá garantir que a conformidade seja atendida de acordo com as
especificações do produto originais ou substitutas quando a autorização expirar.

7.3.4.4 Cada contêiner enviado de produto com discrepância deverá ser identificado apropriadamente
com o número do desvio da John Deere.

7.4 Análise de Dados


7.4.1 Os fornecedores devem obter dados adequados e aplicar estatísticas e técnicas de resolução de
problemas para solucionar problemas específicos e para estimular atividades de melhoria contínua em
tempo hábil. Consulte a cláusula 13 em JDS-G223X1 (2015).

7.4.2 O fornecedor deve analisar, no mínimo, o seguinte:

• Resultados de Achieving Excellence


• Falhas internas e externas do produto (incluindo garantia)
• Tendências de qualidade de processos ou produtos
• Performance de qualidade da cadeia de suprimentos (incluindo a cadeia de suprimentos do
fornecedor)

7.4.3 Uma relação da performance de qualidade deveria ser disponibilizada a todos os funcionários do
fornecedor. Os dados de performance de qualidade deverão ser disponibilizados para a John Deere
quando solicitados.

7.4.4 Os fornecedores devem monitorar a performance de garantia no JDSN, e devem iniciar as


atividades de melhoria de garantia com base em tendências de garantia e nos resultados da análise. Os
fornecedores são responsáveis por solicitar peças em garantia específicas necessárias para
investigações, bem como apoiar a John Deere em revisões de garantia quando solicitado pela
John Deere.

43
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

7.4.5 Quando um produto ou processo não atender às especificações da John Deere, ou não estiver
funcionando adequadamente, uma metodologia sugerida é Definição, Medição, Análise, Melhoria e
Controle (DMAIC):

• Definição: Definir as metas de desempenho e os produtos (internos e externos) a serem


entregues à John Deere
• Medição: Medir o processo para determinar o atual desempenho
• Análise: Analisar e determinar as raízes dos defeitos
• Melhoria: Melhorar o processo eliminando os defeitos
• Controle: Controlar o futuro desempenho do processo

7.5 Melhoria
7.5.1 Melhoria Contínua

7.5.1.1 Os fornecedores devem demonstrar um comprometimento com a melhoria contínua de


produtos, processos e serviços prestados à John Deere.

7.5.1.2 Os fornecedores devem ter um processo formal de melhoria contínua. O objetivo deveria ser:
reduzir defeitos, sucata e retrabalho para melhorar a segurança; reduzir custos e RPN; e melhorar a
eficiência de operação e a capacidade de produção. A ênfase do sistema de qualidade é a prevenção de
descumprimentos, e não sua detecção.

7.5.2 Ação Corretiva

7.5.2.1 A ação corretiva elimina as causas da não conformidade a fim de prevenir reincidências. Os
fornecedores devem investigar as não conformidades usando oito etapas de Ação Corretiva ou Fases de
Definição. O fornecedor documentará a Ação Corretiva em cada Fase de Definição.

7.5.2.2 As Oito Disciplinas de Ação Corretiva (8D) ou Fases de Definição necessárias são:

D1 Estabelecer a Equipe de Ação Corretiva


Finalidade: Definir os membros da equipe que podem resolver com sucesso o problema.

D2 Identificação de Problemas
Finalidade: Documentar todos os fatos, informações de pesquisa e campo que podem quantificar
ou descrever o problema em detalhes.

Ação de Contenção D3 e Ação Corretiva em Curto Prazo


Finalidade: Ações para isolar o efeito do problema da John Deere até a ação corretiva ser
implementada. Minimizar o efeito de qualquer produto não conforme por contenção, nova
inspeção, retrabalho etc. para verificar a conformidade do produto atual. Identificar e conter o
produto não conforme em todas as localidades, incluindo, entre outras: dependências do
fornecedor, material em trânsito, materiais situados na John Deere (incluindo depósito de peças),
nos representantes e no cliente final. A contenção deverá ser concluída dentro de 24 horas após
a notificação do problema.

Problemas de Produção e Fabricação Experimental ou Piloto:

• O que você fez para parar o problema hoje?


• Problemas de Garantia/John Deere:

44
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
• A solução interina da John Deere usada para restaurar rapidamente a aceitação da
John Deere.

D4 Definir e Verificar a Causa Fundamental


Finalidade: Detalhamento científico e completo da Causa Direta, Causas Contribuintes e Causas
Fundamentais do problema.

D5 Escolher e Verificar a Solução


Finalidade: Identificar as soluções ou ações que eliminarão as Causas Fundamentais e as
Causas Contribuintes. Resultados quantitativos que confirmam que as ações corretivas
selecionadas resolverão os problemas da John Deere.

D6 Implementar a Ação Corretiva Permanente


Finalidade: A ação tomada nesta etapa corrigirá a causa fundamental e impedirá sua
reincidência. A implementação inclui a criação de lista de ações e a identificação de pessoas
responsáveis e de metas para cada ação. Essa ação deverá ser concluída até a data prevista
especificada pela John Deere.

D7 Evitar Recorrência
Finalidade: Modificar os Sistemas de Gerenciamento, Sistemas Operacionais, práticas e
procedimentos – como Planos de Controle do Processo, DFMEA, PFMEA, Instruções de
Trabalho, Planos de Treinamento, Treinamento Realizado, Documentação de Engenharia – para
impedir a reincidência deste e de todos os problemas similares. A pessoa ou a equipe 8D
responsável confere toda a atividade executada nas fases de definição, e confirma que todas as
etapas foram concluídas. É recomendado que as melhorias resultantes do Processo de
Resolução de Problemas de Oito Etapas sejam replicadas para os produtos ou processos
semelhantes, para assegurar que o problema seja solucionado.

Reconhecimento do Time D8
Finalidade: Reconhecimento da gerência pelo bom desempenho no trabalho realizado pela equipe
D8. Nesta etapa deve-se reconhecer o esforço extra e reforçar o comportamento bem-sucedido.

Um relatório de status será submetido ao originador de uma solicitação de ação corretiva iniciada
pela John Deere (preferencialmente via Sistema de Ação Corretiva de Não Conformidade
(NCCA)) dentro de cinco dias após recebimento. Cada ação corretiva de etapa D deverá ser
concluída até a data prevista.

7.5.3 Ação Preventiva

A ação preventiva elimina as causas de não conformidades potenciais a fim de evitar a


ocorrência. A ação preventiva enfoca em aumentar a qualidade de produtos e processos para
assegurar que produtos não conformes jamais cheguem à John Deere.

7.5.3.1 Os processos deveriam ser desenvolvidos de uma forma em que os funcionários sempre
possam fazer o trabalho corretamente. Os processos incluem, mas não estão limitados ao seguinte:

• Sistemas de coleta de dados


• Planos de controle de processo
• Técnicas à prova de erros
• Treinamento
• Ações de melhoria contínua
• FMEA do projeto e FMEA do processo
45
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

7.5.3.2 A FMEA e outras documentações de produção devem ser mantidas durante a vida útil do
produto.

7.5.3.3 As atividades de ação preventiva deverão fazer parte do processo de análise do


gerenciamento.

7.5.3.4 No mínimo, os itens da FMEA com o valor do Número de Prioridade do Risco ≥ 100 ou com a
gravidade ≥ 9 requerem ações de acompanhamento.

7.5.3.5 O Número de Prioridade de Risco (RPN) pode ser uma ferramenta útil, pois indica níveis gerais
de risco. No entanto, é necessário entender totalmente a limitação de usar o método RPN, e não é
recomendado o uso apenas de limites RPN para determinar a prioridade de ação. A consideração de alta
gravidade ≥ 5 com alta ocorrência ≥ 5 pode ser uma indicação de ações de acompanhamento exigidas.
Para informações adicionais, consulte o Modo de Falha da AIAG e o Manual de Análise de Efeito e SAE.

7.5.3.6 O fornecedor deverá adotar uma abordagem sistemática para definir e implementar as
atividades de ação preventiva. Essa abordagem sistemática de melhoria do processo deveria incluir
cinco passos básicos:

• Definição: Definir as metas de projeto e os produtos (internos e externos) a ser entregues à


John Deere.
• Medição: Medir e determinar as necessidades e as especificações da John Deere.
• Análise: Analisar as opções do processo ou produto para atender às necessidades da
John Deere.
• Design: Projetar o processo ou produto para atender às necessidades da John Deere.
• Verificação: Verificar o desempenho do projeto e a capacidade de atender às necessidades da
John Deere.

8 Normas de Engenharia

8.1 Entender as Dimensões Geométricas e Tolerâncias (GD&T) de Desenhos


A John Deere espera que os fornecedores compreendam as Dimensões Geométricas e Tolerâncias
(GD&T) e forneçam desenhos incorporando os princípios de GD&T nas fábricas da John Deere em todo
o mundo segundo a norma ASME Y14.5M.

9 Informações de Contato
Para tirar dúvidas sobre JDS-G223, entre em contato com um representante do Gerenciamento de
Suprimentos ou Engenharia da Qualidade da John Deere.

46
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
10 Referências
Para referências sem data, vale a edição mais recente do referido documento (incluindo eventuais
emendas).

10.1 Acesso às Normas John Deere


10.1.1 As Normas John Deere podem ser acessadas pela equipe da John Deere pelo site interno
Normas de Engenharia.

10.1.2 Funcionários de fornecedores com um número de fornecedor John Deere podem obter acesso
às Normas John Deere por meio do JD Supply Network (JDSN). O acesso ao JDSN é por nome e senha
individuais aprovados. Os fornecedores deveriam entrar em contato com representantes do
Gerenciamento de Suprimentos da John Deere com dúvidas sobre JDSN.

Nota 14 Somente as Normas John Deere que foram aprovadas para distribuição aos fornecedores estão
disponíveis pelo JDSN.

10.2 Acesso às Normas de Organizações Externas


10.2.1 A maioria das normas de organizações externas à John Deere está disponível aos funcionários
da John Deere no site interno Normas de Engenharia.

10.2.2 Os fornecedores são responsáveis por obter normas externas relevantes. De acordo com as leis
de direitos autorais e a política da empresa, os funcionários da John Deere não devem fornecer cópias
dessas normas aos fornecedores.

10.3 Normas John Deere


JDS-G223X1 Manual de Qualidade de Fornecedor – Formulários de Amostra

JDS-G223X2 Manual de Qualidade de Fornecedor – Métodos e Exemplos

10.4 Normas do Automotive Industry Action Group (AIAG)


AIAG FMEA Análise de Modos e Efeitos de Falha (FMEA) Análise de Modos e Efeitos de
Falha Potencial para Ferramentas e Equipamentos (FMEA de Maquinário)
MSA da AIAG Análise dos Sistemas de Medição (MSA)

AIAG SPC-3 Controle Estatístico do Processo

10.5 Normas ASME


ASME Y14.5M Definição Matemática dos Princípios de Dimensão e Tolerância

10.6 Normas da Organização Internacional de Padronização (ISO)


ISO/TS 16949 Sistemas de gestão de qualidade – Requisitos específicos para a aplicação da
ISO 9001:2008 para produção de automóveis e organizações de peças de
serviço relevantes

47
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

10.7 Padrões SAE (SAE Internacional)


SAE J1739 Análise de Modos e Efeitos de Falha Potencial

48
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
A
Resumo das Alterações da Edição Anterior
(Somente como Informação – Não Faz Parte do Padrão)

A principal intenção desta revisão é melhorar o fluxo de informações, explicar os requisitos, bem como
esclarecer os requisitos da capabilidade do processo de manufatura e controle de processos de
manufatura.

Existem dois documentos em anexo para acompanhar JDS-G223, JDS-G223X1 e JDS-G223X2.

Devido às inúmeras adições e reorganização dessas informações, é fortemente sugerido que os


indivíduos leiam os documentos em sua totalidade.

Todos os documentos de exemplo podem ser encontrados em JDS-G223X1 e em JDSN.

Todas as informações sobre método e exemplos podem ser encontradas em JDS-G223X2.

Cláusula 1.4 adicionada para texto sobre provisões obrigatórias e de orientação.

O glossário de termos foi transferido para a cláusula 2 Termos e definições.

Cláusula 3.1.7 revisada A John Deere reserva o direito de realizar uma avaliação do sistema de
qualidade na instalação do fornecedor.

Cláusula 3.1.9 revisada John Deere pode executar Auditorias de Verificação de Processos.

Cláusula 3.1.10 revisada John Deere pode executar Auditorias de Processo Especial.

Cláusula 3.1.11 adicionada John Deere pode executar Avaliações de Risco de Order Fulfillment. Ponto 8
adicionado à cláusula 3.2.2 para comunicar quaisquer alterações às certificações de terceiros à
John Deere.

Cláusula 3.2.5 adicionada sobre descumprimento de nível mínimo de requisitos, conforme medido pela
auditoria do fornecedor JDS-G223.

Cláusula 3.2.6 adicionada As aulas da John Deere sobre o Manual de Qualidade de Fornecedor, Normas
John Deere e Processo Corporativo de Entrega de Produtos e integração da cadeia de suprimentos
estão disponíveis no JDSN.

Adicionados à cláusula 3.3.3.2 (7) pontos sobre requisitos de procedimento de controle para
documentos.

Adicionado à cláusula 3.4.3 ponto 11 sobre processos especiais.

Cláusula 4.4.2.1 revisada para incluir planos de curto prazo.

Adicionada cláusula 4.5.1.2 responsabilidades e autoridades são definidas e comunicadas dentro da


organização do fornecedor.

Cláusula 4.6.1.1 revisada a administração do fornecedor deve analisar o sistema de gerenciamento de


qualidade do fornecedor em intervalos planejados, para assegurar sua contínua pertinência, adequação
e eficácia.

49
JDS-G223 APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES

Adicionada cláusula 4.6.1.2 a análise deve incluir a avaliação de oportunidades para melhoria, mudanças
no sistema de gerenciamento de qualidade, incluindo a política e objetivos da qualidade.

Cláusula 4.6.2.1 revisada ponto 1 adicionado (interna/externa).

Cláusula 5.3.4 adicionada fornecedor deveria fornecer treinamento cruzado para garantir a qualidade do
produto.

Cláusula 5.3.5 adicionada sobre a certificação de funcionários do fornecedor.

Cláusula 5.5.1 revisada sobre ambientes de trabalho redefinidos.

Cláusula 5.5.2 adicionada sobre conformidade ambiental estabelecida.

Cláusula 6.2.1.2 revisada sobre verbosidade e Tabela 1 sobre requisitos de aprovação de peça em
produção.

Cláusula 6.2.1.6 adicionada sobre conformidade de documento com todas as especificações e notas
impressas no ISIR.

Cláusula 6.2.3.5 adicionada sobre recomendação para que especialistas do fornecedor participem da
reunião de DPAR.

Cláusula 6.3.1.1 revisada de deve solicitar para deve obter aprovação.

Cláusula 6.4.1.1 adicionada sobre controle do projeto do fornecedor.

Adicionado à cláusula 6.4.2.7 último ponto sobre a determinação de risco e redução de risco.

Cláusula 6.4.3.1 adicionada sobre especificação de componente.

Cláusula 6.4.3.2 adicionada alterações após a aprovação inicial devem ser apresentadas para
aprovação.

Cláusula 6.4.3.3 adicionada à especificação do componente deve incluir, mas não se limitar aos itens
nas Tabelas 4, 5 e 6.

Adicionadas as Tabelas 4, 5 e 6.

Removida da cláusula 6.1 a figura de portais e etapas de EPDP.

Cláusula 6.4.3.7 adicionada sobre plano de PV&V.

Cláusula 6.4.3.8 adicionada sobre verificação e validação de produto.

Cláusula 6.4.3.9 adicionada sobre confiabilidade do componente.

Cláusula 6.4.4 adicionada sobre entrada do projeto do produto.

Cláusula 6.4.5 adicionada sobre entradas do projeto de processos de manufatura.

Cláusula 6.4.7 adicionada sobre saída do projeto do processo.

Cláusula 6.4.8 adicionada sobre saída do projeto do processo de manufatura.

50
APROVADO PARA DISTRIBUIÇÃO
AOS FORNECEDORES JDS-G223
Cláusula 6.5.2.7 revisada sobre materiais restritos.

Cláusula 6.5.2.8 adicionada sobre materiais restritos e leis locais aplicáveis.

Cláusula 6.5.3.2 adicionada sobre requisitos de ordem de compra.

Cláusula 6.5.4.3 adicionada fornecedores podem utilizar formulários de auditoria da John Deere para a
qualificação da cadeia de suprimentos do fornecedor.

Cláusula 6.5.5 adicionada Conformidade do Produto Recebido com os Requisitos.

Cláusula 6.5.6 adicionada Monitoramento da Cadeia de Suprimentos.

Cláusula 6.6.2 adicionada Plano de Controle.

Cláusula 6.6.5.4 revisada sobre propriedade da John Deere.

Cláusula 6.6.6.2 adicionada todos os produtos recebidos devem estar limpos e livres de corrosão.

Cláusula 6.6.6.3 adicionada requisitos de embalagem.

Cláusula 6.7.2.3 adicionada laboratório externo para calibração.

Cláusula 6.7.2.4 adicionada sobre análise dos instrumentos de medição.

Cláusula 6.7.2.5 adicionada sobre calibração.

Cláusula 7.1.4 adicionada sobre ferramentas estatísticas.

Cláusula 7.1.5 adicionada sobre conceitos estatísticos básicos.

Cláusula 7.2.2 revisada movida reserva de direito para cláusula 3.1.

Cláusula 7.2.6.2 revisada sobre plano de controle.

Cláusula 7.2.7.3 adicionada sobre peças ou processos novos ou alterados.

Cláusula 7.2.8 adicionada sobre Itens de Aparência.

Cláusula 7.3.1.4 adicionada sobre contenção de produto não conforme.

Cláusula 7.3.2.2 adicionada sobre produto reformulado.

Cláusula 7.3.2.3 adicionada sobre produto serializado.

Cláusula 7.4.4 adicionada fornecedores devem monitorar os dados da garantia.

Cláusula 7.5.1.1 revisada Melhoria Contínua.

Cláusula 7.5.1.2 adicionada sobre processo formal de melhoria contínua.

Cláusula 7.5.3.5 revisada itens de FEMA com Número de Prioridade de Risco ≥ 100.

Cláusula 7.5.3.5 adicionada sobre uso de Número de Prioridade de Risco (RPN).

51