Vous êtes sur la page 1sur 4

1 - Define hidrogeologia?

É o ramo da ciência que trata dos problemas geológicos relacionados com a água
subterrânea.

2 – Como se dividem os estudos hidrogeológicos?


a) o da pesquisa matemática, baseada na física e na mecânica dos fluidos, adoptado
pelos hidráulicos;
b) o da pesquisa do tipo naturalista, baseada na observação e na intuição controladas
pela experimentação.

3 – Defina lençol aquífero?


É o volume de água que preenche os vazios de determinada zona da crosta da terra,
dentro da qual ela circula predominantemente no sentido transversal.

4 – classifique os lençóis quanto a:


a) Forma da superfície livre do lençol – lençol plano, lençol convergente, lençol
divergente.
b) Sua extensão – lençol extenso, lençol limitado.
c) Sua acessibilidade – lençol freático, lençol profundo, lençol superficial.
d) Situação hidrogeológica – lençol subfluvial, lençol suspenso, lençol em rede,
lençol único, lençol cárstico.
e) Condições hidrodinâmicas – lençol livre, lençol em carga.
f) Origem – lençol de infiltração.

5 – Defina superfície piezométrica dos lençóis aquíferos?


É o lugar geométrico dos pontos onde a pressão da água de um lençol, livre ou
cativo, é igual à pressão atmosférica. É a superfície superior do lençol.

6 – Defina nível piezométrica?


É o nível da água livre não perturbado, observado por exemplo num poço.

7 – O que é lençol livre ou lençol freático?


É o volume de água contido numa camada ou formação aquífera sem cobertura
impermeável, podendo, por conseguinte, receber directamente em todos pontos
alimentação por água de infiltração.

8 – O que é um lençol cativo?


É todo lençol cuja superfície piezométrica é superior ao teto da camada que o
contém. É também denominado lençol em carga ou lençol artesiano.

9 – Defina artesianismo?
É a aptidão que tem um lençol cativo de elevar-se, dentro de um poço acima do teto
da camada ou formação que o contem, podendo ou não jorrar. Se a superfície
piezométrica se encontra acima da superfície do solo, a água jorra .

10 – Defina perfil de depressão?


É a forma da superfície piezométrica ao longo de um plano vertical que passa por
uma linha de corrente. A forma do perfil de depressão varia em função do coeficiente
de permeabilidade. Quanto maior for a permeabilidade, tanto mais plano é o perfil, e
vice-versa. O espaçamento das curvas isopiezas, por outro lado, aumenta a
permeabilidade.

11 – Qual é o comportamento dos lençóis aquíferos nas regiões litorâneas?


As águas subterrâneas continentais escoam, nas zonas litorâneas, em direcção aos
oceanos. Da mesma maneira, as águas salgadas dos oceanos infiltram-se nas zonas
costeiras e escoam para os continentes. Por causa da diferença de densidades, o
contacto entre as águas doces e salgadas determina uma superfície de equilíbrio
inclinada para o interior do continente.

12 – Classifique as reservas dos lençóis?


a) Reguladoras- as reservas reguladoras representam a quantidade de água livre
armazenada pelo terreno aquífero durante uma recarga natural (estação das chuvas).
b) Permanentes- relacionam-se a um ciclo secular de precipitações.
c) Totais- relacionam-se a soma das reservas reguladoras e permanentes.
d) Exploração- a quantidade de água das reservas totais que, por motivos técnicos ou
de segurança, pode ser explorada. Essa reserva é determinada a partir do
conhecimento das reservas reguladoras e das reservas permanentes ( parcialmente
exploráveis).

Fig.4

13 – Defina hidrografia?
É a ciência que trata de todos os corpos de água existentes na superfície da terra:
oceanos, mares, lagos, rios, geleiras. Estuda inclusive as propriedades físicas e
químicas das águas; entre as primeiras figuram aspectos tais como os movimentos, a
cor, a transparecia, a temperatura, a carga solida, o volume total das águas, etc. Entre
as ultimas são relevantes a salinidade bem como o seu conteúdo em outras
substancias dissolvidas ou em suspensão nas águas.

14 – Defina hidrologia?
É o estudo das águas continentais sob todas as formas – rios, torrentes, lagos, geleiras
– e dos efeitos das suas ocorrências. É portanto um ramo da ciência relacionado com
a climatologia, a fitogeografia, a geologia, etc.

15 – Defina tempo de residência e qual é a sua importância?


O tempo de residência é o valor que se obtêm dividindo o volume da reserva pelo
volume médio do correspondente fluxo de renovação. Assim, o tempo de residência
representa o tempo médio que uma gota de água permanece numa certa reserva de água
antes de passar para uma outra reserva
O tempo de residência também tem relevância no âmbito de poluição de recursos
hídricos. Por exemplo, um rio com água poluída poderá, em princípio, ser limpo em
relativamente pouco tempo (teoricamente, em apenas algumas semanas), quando as
fontes poluentes deixam de existir. No caso dum lago grande, a sua limpeza já será um
processo de muitos anos.

16 – Defina ciclo hidrológico?


O ciclo hidrológico pode ser descrito como um conjunto de arcos que representam os
diversos caminhos através dos quais a água na natureza circula e se transforma,
constituindo um sistema de enorme complexidade.

17 – Descreva o ciclo hidrológico a partir da evaporação da água dos oceanos?


O vapor de água resultante da evaporação nos oceanos acumula-se na atmosfera e é
transportado por massas de ar em movimento. Sob condições adequadas, o vapor
condensa-se para formar nuvens que, por sua vez, podem dar origem a precipitação,
quer sobre a terra quer sobre os oceanos.

A precipitação que cai sobre a terra pode seguir caminhos diversos:


- parte evapora-se durante a queda;
- parte é interceptada por árvores, vegetação ou telhados de casas e volta a evaporar-se;
- parte atinge a superfície do solo, infiltrando-se ou ficando retida em depressões
superficiais.

A parte retida em depressões superficiais divide-se numa componente que se evapora e


noutra que origina escorrimento superficial. A parte que se infiltra contribui, por um
lado, para alimentar o processo de transpiração das plantas e de evaporação a partir do
solo; por outro, por efeito da gravidade, vai alimentar as toalhas de água subterrânea. As
águas subterrâneas contribuem para alimentar a vegetação, a evaporação a partir do solo
e os escoamentos dos rios. Por efeito da gravidade, parte das águas subterrâneas vai ter
directamente ao oceano.

O escorrimento superficial sobre o solo dá origem a linhas de água que se fundem em


rios os quais, devido à gravidade, vão descarregar no oceano, alimentando no seu
percurso lagos, pântanos e albufeiras. Em todo este processo, há continuamente
evaporação da água da mesma forma que pode haver precipitação directamente sobre os
rios e lagos. Também os rios contribuem muitas vezes para alimentar as toalhas de água
subterrânea com que comunicam.

Com a descarga da água no oceano por escoamento superficial ou escoamento


subterrâneo fecha-se o ciclo hidrológico.

18 – Qual é o motor do ciclo hidrológico?


O "motor" deste ciclo é a energia solar que, no processo de passagem de partículas de
água para atmosfera por evaporação, lhes transmite a energia potencial necessária para
o seu regresso ao oceano, actuadas pela gravidade a partir da precipitação.

A equação do balanço hídrico pode ser consideravelmente simplificada quando a


região considerada é a bacia hidrográfica e quando se adoptem longos períodos de
tempo (pelo menos um ano). Numa bacia hidrográfica, não há, em condições
naturais, outra entrada de água além da precipitação e há uma única saída de
água. Por outro lado, num longo período de tempo a variação do volume
armazenado pode ser desprezada perante os valores acumulados das outras
variáveis. Assim, a equação do balanço hídrico passa a ser nessas condições: P -
(Q2 + E + T) = 0
19 – Qual é a importância do balanço hídrico?
O balanço hídrico é uma ferramenta muito útil e que pode ser utilizada numa grande
variedade de situações como, por exemplo:
_determinação do valor duma variável hidrológica quando todas as restantes que entram
no balanço são conhecidas;
_estimação do erro global cometido na medição ou estimação das variáveis
hidrológicas, quando todas as que entram no balanço hídrico são conhecidas;
_operação de albufeiras;
avaliação das necessidades de rega.

20 – Qual é o procedimento utilizado para definição do ano hidrológico?


Ele consiste em formar séries anuais de escoamentos adoptando, alternativamente,
diferentes meses para o seu início (Setembro, Outubro, Novembro, etc.) e determinar,
para cada alternativa de início, o valor do coeficiente de autocorrelação. O mês que
origine o mais baixo coeficiente de autocorrelação deve ser o adoptado para início do
ano hidrológico .Esta procedimento procura, de facto, minimizar a dependência
estatística dos sucessivos anos hidrológicos