Vous êtes sur la page 1sur 25

“Sugerir vinhos é provocar sensações”

O Vinho, sendo para mim uma paixão, é algo que merece que o trate como tal. Durante a minha vida

aprendi a gostar de vinho, a apreciá-lo, a entender a sua evolução, a perceber todo o seu processo desde a vinha até à garrafa.

Foi com este intuito e propósito que decidi criar esta carta de vinhos que não pretendo que se limite a ser um mero conjunto de vinhos organizados por regiões, características ou castas e que cumpra a sua função comercial, é pelo contrário uma fonte de informação, de discussão, de temas de conversa. No fundo tudo se resume a algo que sempre defendi: A pedagogia das Cartas / Menus. Discute-se muito os aromas e sabores que se podem encontrar nos vinhos quando os provamos ou bebemos mas importa, na minha opinião, quando degustamos este néctar precioso, que nos provoque uma boa sensação e que nos preencha as necessidades específicas daquele momento. No Bocca, o Vinho foi desde o início uma das muitas mais-valias apresentadas e é meu desejo que assim continue e que continuemos a surpreender pelo nosso serviço, pelo cuidado que temos e pelas novidades constantes que apresentamos. Só me resta desejar que desfrutem tanto desta carta e dos Vinhos aqui apresentados, como eu desfrutei

os meses que passei em provas, visitas e pesquisas para poder colocar esta Carta de Vinhos nas suas

mãos. Como sempre, estarei disponível para qualquer aconselhamento, dúvida, crítica ou discussão…ou não

fosse o Vinho uma paixão que gosto de partilhar.

Ricardo Morais

“SUGERIR VINHOS É PROVOCAR SENSAÇÕES”

1

!

PROVÁMOS, GOSTÁMOS E RECOMENDAMOS

3

A

IMPORTÂNCIA DAS CASTAS

4

Vinhos Monovarietais ou Vinhos de Casta

4

O

MUNDO DOS ESPUMANTES NATURAIS

5

Champagne

5

Espumante Natural

5

OS BRANCOS INESQUECÍVEIS, PRECIOSOS, EM VIAS DE EXTINÇÃO

6

VINHOS BRANCOS

7

Minho

7

Douro / Porto

7

Beiras

8

Lisboa e Tejo

9

Península de Setúbal

9

Alentejo

10

Á

VOLTA DO MUNDO

11

A

“Velha” Europa

11

O

“Novo” Mundo

11

VINHOS ROSÉS

12

OS TINTOS DE ELEIÇÃO, SEDUTORES, EM VIAS DE EXTINÇÃO

13

VINHOS TINTOS

14

Douro / Porto

14

Beiras (Dão)

16

Beiras (Bairrada)

17

Lisboa e Tejo

18

Península de Setúbal

18

Alentejo

19

À VOLTA DO MUNDO

21

A EXCELÊNCIA E ENCANTO DAS MAGNUM

22

A MAGIA DOS VINHOS GENEROSOS

23

Vinho do Porto

23

Vinho da Madeira

24

Moscatel

24

Vinho de Carcavelos

24

A

COMPLEXIDADE E SUBTILEZA DOS VINHOS DOCES

25

Colheita Tardia / Late Harvest

25

Icewine

25

Porque nos dedicamos a seleccionar vinhos diferentes, novos, por vezes difíceis de encontrar, cosideramos ser uma mais valia oferecer aos nosso clientes a oportunidade de poder comprar algumas garrafas para levar. Assim, se desejar levar algum vinho consigo, aplicaremos um desconto de 15% sobre o valor da garrafa. No entanto, como não somos uma garrafeira por vocação, a venda de garrafas para levar estará sempre sujeita a uma consulta prévia do stock existente.

IVA incluído à taxa legal

Copo

Garrafa

Provámos, Gostámos e Recomendamos

Vinhos Brancos

Vinhos Verdes, Soalheiro 2009

30,00

Alvarinho

Luis Cerdeira

Douro, Maritávora 2008

6,00

24,00

Rabigato, Códega do Larinho e Viosinho Jorge Serôdio Borges

Regional Lisboa, Quinta de Sant´Ana 2009

5,50

22,00

Alvarinho António Maçanita e James Frost

Regional Terras do Sado, Quinta da Bacalhoa 2007

30,00

Semillon com estágio em barricas de carvalho francês, Alvarinho e Sauvignon Blanc Vasco Penha Garcia

Nova Zelândia - Malborough, Villa Maria Private Bin 2007

5,00

25,00

Chardonnay

Michelle Richardson

Vinhos Tintos

Douro, Vale de Pios 2005

42,00

Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinto Cão Quinta de Vale de Pios

Douro, Crasto Superior 2007

45,00

Touriga Naional, Touriga Franca, Tinta Roriz, Sousão e Vinhas Velhas Dominic Morris e Manuel Lobo

Dão, Vinha Othon Reserva 2006

30,00

Touriga Nacional, Jaen, Tinta Roriz e Baga de vinhas com cerca de 60 anos António e Henrique Canto Moniz

Bairrada, Rol de Coisas Antigas 2007

7,50

30,00

Baga, Castelão, Trincadeira, Bastardo e Sousão Carlos Campolargo

Estremadura, Vinha da Nora 2005

7,00

28,00

Syrah José Bento dos Santos

Alentejo, Mouchão “Ponte das Canas” 2007

35,00

Touriga Nacional. Touriga Franca e Alicante Bouschet Paulo Laureano

Alentejo, Monsaraz Premium 2008

45,00

Alicante Bouschet e outras Carmim

Uruguai - Cerro Chapeu, Amat 2002

32,00

Tannat

Javier Carra

Copo

A Importância das Castas

Vinhos Monovarietais ou Vinhos de Casta

São vinhos produzidos exclusivamente de uma única casta.

Castas Brancas (Copo – 15 Cl) Alvarinho

A principal responsável pela fama dos vinhos brancos produzidos na região dos Vinhos Verdes, produz vinhos de perfil floral e frutado,

estruturados e com boa acidez.

Vinhos Verdes, Quinta do Regueiro Reserva 2009 Antão Vaz

5,50

De origem incerta, é cultivada principalmente no Alentejo e Lisboa, produzindo vinhos de grande finura e complexidade onde sobressaem notas

de

frutos tropicais no aroma. Na boca são macios, estruturados e com final persistente e harmonioso.

Alentejo, Olho de Mocho Reserva 2009 Arinto

7,00

Cultivada por todo o país, com especial incidência na região de Bucelas é também conhecida por Pedernã na região dos Vinhos Verdes. Produz vinhos de elevada acidez, forte perfil mineral e com bom potencial de envelhecimento.

Lisboa, Chocapalha 2008 Encruzado

4,00

Casta produzida quase em exclusivo na região do Dão, produz vinhos elegantes e de grande complexidade aromática com notas vegetais e florais. Quando fermentada em barricas de carvalho sobressaem aromas de baunilha e uma grande untuosidade e envolvência na boca.

Dão, Quinta das Marias 2009 Rabigato

6,00

Casta branca do Douro de maturação precoce e com uma elevada acidez natural. Produz vinhos de aromas doces e vegetais e na boca frescos e com alguma persistência

Douro, CARM 2009 Sauvignon Blanc

5,50

Casta originária da região de Bordéus em França, é a principal uva dos vinhos de Loire, sendo actualmente usada em quase todo o Mundo. Produz vinhos de aroma penetrante, geralmente herbáceos e fruta verde e na boca refrescantes e secos.

Rueda, José Pariente 2009

6,00

Castas Tintas (Copo – 15 Cl) Aragonês

Casta ibérica também conhecida por Tinta Roriz nas regiões do Douro e Dão. Com a designação Aragonês já é conhecida e cultivada á séculos no Alentejo. Produz vinhos encorpados com aromas finos a sugerir pimenta e frutos silvestres.

Alentejo, Cortes de Cima 2005 Baga

7,50

Casta cultivada em todo o país, com especial incidência na região da Bairrada, é capaz do melhor e do pior. Proporcionam vinhos estruturados e com taninos poderosos com aromas a sugerir frutos silvestres, tabaco e café

Bairrada, Vadio 2005 Touriga Nacional

6,00

Foi em tempos a casta dominante na região do Dão, sendo hoje uma das mais nobres castas nacionais e cultivada de Norte a Sul. Esta casta dá vinhos encorpados, poderosos e com excelente componente aromática com notas de amora, mirtilos e esteva.

Dão, T-nac 2007 Malbec

7,00

Uva francesa e principal variedade da região de Cahors, encontrou excelentes condições na Argentina, onde produz vinhos frutados, macios, de cor escura e com taninos presentes.

Mendoza, Familia Bianchi 2006 Merlot

6,50

Casta mais plantada na região de Bordéus em França, tem como referência o vinho Château Pétrus. Actualmente cultivada em quase todo o Mundo é a fiel companheira da uva Cabernet Sauvigon. Dá vinhos encorpados e frutados, com paladar rico, sedoso e equilibrado

Bairrada, Sidónio de Sousa 2008

6,00

Copo

Garrafa

O Mundo dos Espumantes Naturais

Champagne

Vinho espumante produzido na região de Champagne (AOC) localizada no Nordeste de França, sendo as castas Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier as dominantes no seu processo de fabrico

Temperatura recomendada de serviço : 6ºC a 8ºC

Cuvée de Prestige

Champagnes produzidos a partir de uvas Grand Cru e envelhecidos por muitos anos, que representam o “melhor” da casa

Billecart-Salmon Cuvée Nicolas François, 1998

110,00

Chardonnay e Pinot Noir

Pol Roger Cuvée Sir Winston Churchill, 1998

200,00

Pinot Noir e Chardonnay

Billecart-Salmon Grande Cuvée, 1996

220,00

Pinot Noir, Chardonnay e Pinot Meunier

Veuve Clicquot La Grande Dame, 1998

250,00

Pinot Noir e Chardonnay

Dom Ruinart Vintage Rosé, 1996

380,00

Chardonnay e Pinot Noir

Blanc des Blancs

Champagnes produzidos exclusivamente de uva Chardonnay

Billecart-Salmon N / V

90,00

Ruinart N / V

110,00

Non Vintage

Champagnes que resultam da mistura de diferentes colheitas, sendo a base a colheita de um ano específico

Billecart-Salmon Brut Réserve

12,00

48,00

Pinot Noir, Chardonnay e Pinot Meunier

Pol Roger Brut

52,00

Pinot Noir, Pinot Meunier e Chardonnay

Billecart-Salmon Rosé

85,00

Chardonnay, Pinot Meunier e Pinot Noir

Ruinart Rosé

110,00

Chardonnay e Pinot Noir

Espumante Natural

Vinho cuja efervescência resulta da segunda fermentação alcoólica no interior da garrafa ou em cubas fechadas

Vinhos Verdes, Soalheiro Bruto, 2008

6,50

27,00

Alvarinho

Luís Cerdeira

Bairrada, Kompassus Blanc des Noirs, 2006

7,50

30,00

Baga, Touriga Nacional e Arinto João Póvoa

Bairrada, Filipa Pato Rosé 3B

5,50

22,00

Baga e Bical Filipa Pato

Bairrada, Campolargo Bruto Rosé, 2008

6,00

25,00

Pinot Noir,

Carlos Campolargo

Itália - Treviso, Prosecco Canevari

6,50

26,00

Espumante italiano produzido a partir da uva que o denomina. A casta Prosecco é uma uva branca originária de Veneto

 

Copo

Garrafa

Os Brancos Inesquecíveis, Preciosos, em Vias de Extinção

 

Temperatura recomendada de serviço : 8ºC a 14ºC

 

Regional Minho, Covela Seleccionada 2007

40,00

Avesso e Chardonnay com estágio em barricas Nuno Araújo e Rui Cunha

Vinhos Verdes, Soalheiro 2009

30,00

Alvarinho

Luis Cerdeira

Regional Trás-os-Montes, Valle Pradinhos 2009

7,50

30,00

Gewürztraminer, Riesling e Malvasia Fina Rui Cunha e Maria Antónia Mascarenhas

Douro, Crooked Vines 2008

34,00

Vinhas muito velhas de Gouveio, Viosinho e Rabigato Rui Cunha e Secret Spot

Douro, Guru 2008

50,00

Viosinho, Gouveio, Rabigato e Códega do Larinho de vinhas com cerca de 50 anos Wine & Soul

 

Regional Beiras, Quinta de Foz de Arouce 2008

 

36,00

Cerceal fermentado e estagiado em carvalho francês João Vidal

Dão, Condessa de Santar 2008

40,00

Este vinho produzido a partir das castas Encruzado, Cerceal e Arinto, é uma homenagem à actual Condessa de Santar Pedro de Vasconcellos e Souza

 

Regional Estremadura, Casal Figueira Tradition – Last Edition 2007

 

30,00

Roussane com estágio em madeira usada António Carvalho

Regional Lisboa, António 2009

28,00

Produzido a partir de vinhas velhas da casta Vital, este vinho é dedicado ao enólogo António Carvalho António Ferreira de Carvalho e Marta Soares

 

Lisboa, Madrigal 2008

7,50

30,00

Viognier José Bento dos Santos

Colares, Fundação Oriente 2008

26,00

Castas tradicionais elaborado em chão de areia César Gomes

Tejo, Vale D´Algares Selection 2009

28,00

Viognier, Alvarinho e Verdelho com fermentação em barricas novas de carvalho francês Pedro Pereira Gonçalves

 

Regional Terras do Sado, DSF Colecção Privada 2007

 

28,00

Verdelho Domingos Soares Franco

Alentejo, Dolium Escolha 2006

32,00

Antão Vaz fermentado e estagiado em madeira Paulo Laureano

Madeira, Primeira Paixão 2009

7,00

28,00

Verdelho Rui Reguinga e Francisco Albuquerque

Alsácia, Trimbach Cuvée Frédéric Emile 2004

55,00

Produzido exclusivamente da casta Riesling, este vinho só é produzido em anos excepcionais Pierre Trimbach

Copo

Garrafa

Vinhos Brancos

Minho

O Minho é a maior região vitícola portuguesa e situa-se no noroeste de Portugal, limitada a Norte pelo Rio Minho e a Oeste pelo

Oceano Atlântico. Aí produzem-se vinhos de acidez e frescura característica, das denominações de origem Vinhos Verdes e Vinho Regional Minho. O Minho é uma região de solos maioritariamente graníticos, rica em recursos hídricos, com um clima ameno e húmido de influência atlântica

Temperatura recomendada de serviço : 6ºC a 10ºC

Regional Minho, Covela Escolha 2008

30,00

Avesso, Chardonnay e Gewürztraminer Nuno Araújo e Rui Cunha

Vinhos Verdes, Quinta do Ameal 2009

5,00

20,00

Loureiro Anselmo Mendes e Pedro Araújo

Vinhos Verdes, Quinta do Regueiro Reserva 2009

5,50

22,00

Alvarinho Jorge Sousa Pinto

Vinhos Verdes, Contacto 2009

6,00

24,00

Alvarinho

Anselmo Mendes

Vinhos Verdes, Soalheiro Primeiras Vinhas 2009

 

35,00

Alvarinho fermentado a partir das primeiras vinhas Luis Cerdeira

 

Douro / Porto

Primeira região demarcada e regulamentada do Mundo, aquando da criação pelo Marquês de Pombal da Companhia Geral da

 

Agricultura das Vinhas do Alto Douro, em 1756, divide-se em três sub-regiões: Baixo Corgo, Cima Corgo e Douro Superior.

O

Douro localiza-se no Nordeste de Portugal, rodeado pelas serras do Marão e de Montemuro. A maioria das plantações é feita

em socalcos, talhados nas encostas dos vales ao longo do rio Douro e seus afluentes. Os solos são essencialmente de xisto embora, em algumas zonas, também graníticos. Embora particularmente difíceis de trabalhar, estes solos são benéficos para a longevidade das vinhas e permitem mostos concentrados de açúcar e cor. Da globalidade do volume de vinho produzido na Região Demarcada do Douro, cerca de 50% é destinada à produção de "Vinho do Porto", enquanto o restante volume é destinado à produção de vinhos de grande qualidade que utilizam a denominação de origem controlada "Douro" ou "Vinho do Douro". Merece também destaque o Vinho Regional Duriense cuja região de produção é coincidente com a Região Demarcada do Douro.

Temperatura recomendada de serviço : 8ºC a 13ºC

 

Regional Duriense, Lavradores de Feitoria 2009

7,00

28,00

Sauvignon Blanc João Brito e Cunha

Regional Duriense, Pó de Poeira 2009

30,00

Alvarinho e Gouveio Jorge Moreira

Contraste 2009

5,00

20,00

Códega do Larinho, Rabigato, Códega e Viosinho Rita Ferreira

CARM 2009

5,50

22,00

Rabigato

CARM

Churchill´s Estates 2009

6,00

24,00

Rabigato e Viosinho John Graham

Vallado 2009

6,00

25,00

Moscatel Galego Branco Fancisco Olazabal

Passadouro 2009

6,00

25,00

Rabigato, Viosinho e Códega do Larinho Jorge Serôdio Borges

 

Copo

Garrafa

Dona Graça Reserva 2008

7,50

30,00

Viosinho

Virgílio Loureiro

Ázeo 2009

30,00

Rabigato de vinhas velhas João Brito e Cunha

Aneto Reserva 2008

32,00

Semillon, Arinto, Viosinho e Gouveio Francisco Montenegro

Conceito 2008

45,00

Rabigato, Códega, Viosinho e Gouveio de vinhas centenárias com estágio de 10 meses em carvalho francês e caucasiano Rita Ferreira

 

Maritávora Reserva 2008

50,00

Códega do Larinho, Rabigato e Viosinho de vinhas velhas com 100 anos Jorge Serôdio Borges

 
 

Beiras

região vitivinícola das Beiras ocupa toda a faixa central do território português. Estende-se, no sentido longitudinal, desde o Oceano Atlântico até Espanha, fazendo fronteira a norte com as indicações geográficas Minho e Duriense e a sul com as indicações geográficas Lisboa, Tejo e Alentejo. Estão reconhecidas três sub-regiões para a produção do vinho regional: "Beira Litoral", "Beira Alta" e "Terras de Sicó". Na zona da Beira Alta encontra-se demarcada a área geográfica de produção “Dão”. Situada no centro Norte de Portugal, num enclave montanhoso, rodeada a Poente pelos picos do Caramulo e do Buçaco e a Norte e Leste pelas imponentes serras da

A

 

Nave e da Estrela, possui solos graníticos geralmente de baixa fertilidade. Possui um clima que, sendo temperado, é, no entanto, bastante frio e chuvoso no Inverno e, frequentemente, muito seco e quente no Verão.

A

produção de vinhos na zona da Beira Litoral é muito antiga. Documentos dos Séculos X e XI já referem a sua existência. É

uma região de agricultura predominantemente intensiva e policultural, de pequena propriedade, onde a vinha ocupa um lugar de destaque e a qualidade dos seus vinhos justifica o reconhecimento da área geográfica de produção “Bairrada”. Os solos são de diferentes épocas geológicas, predominando os terrenos pobres que variam de arenosos a argilosos, encontrando-se também, com frequência, franco-arenosos. A vinha é cultivada predominantemente em solos de natureza argilosa e argilo-calcária. O clima é do tipo Mediterrânico-Atlântico, os Invernos são longos e frescos e os Verões quentes, amenizados por ventos de Oeste e de Noroeste, que com maior frequência e intensidade se fazem sentir nas regiões mais próximas do mar.

Temperatura recomendada de serviço : 8ºC a 12ºC

 

Regional Beiras, Ensaios Filipa Pato 2009

4,00

17,00

Arinto e Bical Filipa Pato

Regional Beiras, Luis Pato Vinhas Velhas 2009

5,50

22,00

Sercialinho, Cerceal e Bical Luis Pato

Dão, Quinta de Saes Reserva 2009

5,00

20,00

Encruzado e Cercial Álvaro Castro

Dão, Quinta das Marias 2009

6,00

24,00

Encruzado sem barricas Viktor Eckbert

Dão, Quinta dos Carvalhais 2008

30,00

Encruzado fermentado em carvalho francês com posterior estágio de 6 meses em barricas de carvalho francês Manuel Vieira

 

Bairrada, Quinta do Valdoeiro 2009

3,00

15,00

Chardonnay

João Soares

Bairrada, Campolargo Bical 2008

6,00

25,00

Bical de vinhas com cerca de 15 anos e com estágio em barricas de carvalho francês Carlos Campolargo

 

Bairrada, Pinote 2007

7,50

30,00

Arinto, Bical, Viognier, Verdelho e Sauvignon Blanc Projecto dos enólogos Rui Cunha e Carlos Campolargo, existe também o Tinto Pinote 2006 do Douro. Neste caso a viticultura ficou a cargo de Carlos Campolargo e a enologia a cargo de Rui Cunha

Copo

Garrafa

Lisboa e Tejo

Identificada como uma das maiores regiões vitivinícolas do país em termos de área de vinha e de produção de vinho, a área da região de produção “Lisboa”, abrange todos os concelhos da faixa atlântica a Norte do estuário do Tejo, confinando a Norte com as Beiras e a Leste com o Tejo. O relevo não é muito elevado, excepto a Sul, onde aparecem alguns estratos de basalto e de granito e a região assenta, na sua quase totalidade, em formações secundárias de argilo-calcários e argilo-arenosos. O clima é temperado, sem grandes amplitudes térmicas. Destacam-se as Denominações de Origem: “Bucelas”, “Carcavelos” e “Colares”.Importante salientar a indicação geográfica “Estremadura”, reconhecida para identificar os vinhos produzidos na área delimitada em 1993 como área geográfica de produção do Vinho Regional Estremadura.

Situada no Centro de Portugal, a Indicação Geográfica “Tejo” possui inegáveis condições naturais para o desenvolvimento das actividades agrícolas, florestais e pecuárias. O principal acidente orográfico é a Serra de Aires e Candeeiros, delimitando o que podemos chamar de Médio Tejo e Lezíria do Tejo e em termos hidrográficos o Rio Tejo; o clima desta região é sul-mediterrânico temperado, influenciado pelo rio Tejo que a percorre, com uma queda anual pluviométrica de cerca de 500-600 mm. Encontramos nesta Região três zonas distintas de produção, conhecidas como "O CAMPO", "O BAIRRO" e a "CHARNECA".

Temperatura recomendada de serviço : 8ºC a 12ºC

Estremadura, Quinta de Sant´Ana 2008

 

32,00

Sauvignon Blanc António Maçanita e James Frost

 

Regional Lisboa, Chocapalha 2008

 

4,00

20,00

Arinto Sandra Tavares da Silva e Diogo Sepúlveda

 

Regional Lisboa, Quinta de Sant´Ana 2009

 

5,50

22,00

Alvarinho António Maçanita e James Frost

 

Regional Lisboa, Chocapalha Reserva 2008

 

30,00

Chardonnay e Viosinho Sandra Tavares da Silva e Diogo Sepúlveda

 

Tejo, Guarda Rios 2009

 

5,00

20,00

Chardonnay, Sauvignon Blanc, Alvarinho e Arinto Pedro Pereira Gonçalves

 

Tejo, Quinta do Alqueve 2008

 

5,00

20,00

Chardonnay

 

António Saramago

Tejo, Quinta da Lagoalva Reserva 2009

 

5,00

20,00

Chardonnay e Arinto Diogo Campilho

 

Península de Setúbal

Situada no litoral Oeste a sul de Lisboa, é nesta região que se produz o famoso Moscatel de Setúbal. Esta região pode dividir-se em duas zonas distintas. Uma a Sul e Sudoeste, montanhosa, formada pelas serras da Arrábida,

 

Rosca e S. Luís, e pelos montes de Palmela, S. Francisco e Azeitão, estes recortados por vales e colinas. A outra, pelo contrário, é plana, prolongando-se em extensa planície junto ao rio Sado.

O

clima é misto, subtropical e mediterrânico. Influenciado pela proximidade do mar, pelas bacias hidrográficas do Tejo e do Sado,

e

pelas serras e montes que se situam na região, tem fracas amplitudes térmicas Os solos são argilo-arenosos ou franco-argilo-

arenosos, calcários com ligeira alcalinidade, alguns deles compactos e férteis.

 

O

Vinho Regional "Terras do Sado" produz-se em todo o distrito de Setúbal.

Temperatura recomendada de serviço : 8ºC a 12ºC

 

Quinta de Camarate Seco 2009

 

5,00

20,00

Alvarinho, Loureiro e Verdelho Domingos Soares Franco

 

Regional Terras do Sado, Pasmados 2007

 

6,00

24,00

Viognier, Viosinho, Arinto e Esgana Domingos Soares Franco

 

Regional Terras do Sado, Quinta da Bacalhoa 2007

 

30,00

Semillon com estágio em barricas de carvalho francês, Alvarinho e Sauvignon Blanc Vasco Penha Garcia

Copo

Garrafa

Alentejo

Situado na zona sul do país, o Alentejo é uma região essencialmente plana, evidenciando alguns acidentes de relevo, não muito elevados, mas que o influenciam de forma marcante. Caracteriza-se por condições climáticas acentuadamente mediterrânicas, apresentando, no entanto, várias zonas de microclima continental. As temperaturas médias do ano variam de 15 a 17,5º, observando-se igualmente a existência de grandes amplitudes térmicas e a ocorrência de Verões excessivamente quentes e secos. Os solos caracterizam-se pela sua diversidade, variando entre os graníticos de "Portalegre", os derivados de calcários cristalinos de "Borba", os mediterrânicos pardos e vermelhos de "Évora", "Granja/Amareleja" e "Moura", e os xistosos de "Redondo", "Reguengos" e "Vidigueira". A DOC "Alentejo" compreende as 8 Sub-Regiões acima mencionadas. O “Vinho Regional Alentejano" é produzido em toda a região vitivinícola Alentejo.

Temperatura recomendada de serviço : 8ºC a 13ºC

 

Terra d´Alter 2009

3,00

15,00

Arinto e Roupeiro Peter Bright

Rocim 2009

4,00

20,00

Antão Vaz, Arinto e Roupeiro Catarina Vieira

Herdade dos Grous 2009

6,00

24,00

Antão Vaz, Arinto e Roupeiro Luis Duarte e Pedro Ribeiro

Monte da Cal 2008

6,50

25,00

Antão Vaz e Viognier Carlos Lucas e Rogério de Castro

Esporão Reserva 2008

26,00

Antão Vaz, Arinto e Roupeiro David Baverstock e Sandra Alves

Olho de Mocho Reserva 2009

7,00

28,00

Antão Vaz com estágio em barricas de carvalho Catarina Vieira

Terrenus 2009

7,00

28,00

Arinto, Fernão Pires e Roupeiro Rui Reguinga

Cem Reis 2008

32,00

Viognier envelhecido durante 6 meses em carvalho francês António Maçanita

 

Quetzal Reserva 2008

8,00

32,00

Antão Vaz fermentado em barricas novas de carvalho americano e francês Rui Reguinga

 

Esporão Private Selection 2008

40,00

Semillon, Marsanne e Roussanne com estágio de 6 meses em barricas de carvalho David Baverstock e Sandra Alves

 

Copo

Garrafa

 

Á Volta do Mundo

A “Velha” Europa

Temperatura recomendada de serviço : 8ºC a 10ºC

França - Alsácia, Trimbach 2006

6,00

25,00

Pinot Blanc

Pierre Trimbach

França - Alsácia, Trimbach Réserve 2005

6,50

28,00

Pinot Gris

Pierre Trimbach

França - Alsácia, Trimbach Réserve 2007

6,50

28,00

Muscat

Pierre Trimbach

França - Alsácia, Trimbach 2008

6,50

28,00

Riesling

Pierre Trimbach

França - Alsácia, Trimbach 2007

6,50

28,00

Gewurztraminer

Pierre Trimbach

Espanha - Rueda, José Pariente 2009

6,00

25,00

Sauvignon Blanc Bodegas José Pariente

Alemanha – Mosel, Scharzhofberger 2008

32,00

Riesling Kabinett Feinherb – Riesling da colheita principal (Kabinett) ligeiramante menos seco que um Trocken Reichsgraf Von Kesselstatt

 

Alemanha – Forst, Ungeheuer 2008,

8,00

32,00

Riesling Spatlese Trocken – Riesling Seco(Trocken) sendo as uvas apanhadas pelo menos 7 dias após o normal (Spatlese) Eugen Müller

 
 

O “Novo” Mundo

Temperatura recomendada de serviço : 8ºC a 12ºC

Nova Zelândia - Malborough, Villa Maria Private Bin 2007

5,00

25,00

Chardonnay

Michelle Richardson

Nova Zelândia - East Coast, Villa Maria Private Bin 2007

 

25,00

Gewurztraminer

Michelle Richardson

Nova Zelândia - Malborough, Villa Maria Private Bin 2009

6,00

25,00

Sauvignon Blanc

Nick Picon

África do Sul - Paarl, Glen Carlou Quartz Stone 2008

 

50,00

Chardonnay envelhecido durante 11 meses em barricas novas de carvalho francês Arco Laarman

Vinhos Rosés

Copo

Garrafa

Vinho que é obtido através do mosto proveniente exclusivamente de uvas tintas. Existem duas técnicas de vinificação para o obter:

ESMAGAMENTO: Um rosé pode obter-se pelo esmagamento de uma uva de pele tinta – a cor concentra-se na película e a cor do sumo que flui depois do esmagamento será muito leve. Depois de uma vinificação do mosto idêntica à do vinho branco, o enólogo obterá um vinho rosado.

SANGRIA: As uvas são vinificadas como se fosse elaborar um vinho tinto, pelo menos no início do processo. Quando o enólogo estima que a cor do mosto alcançou a intensidade desejada, “sangrará” a cuba, isto é, separará o mosto das partes sólidas (películas, grainhas, etc.). O sumo obtido prosseguirá a sua fermentação seguindo o modelo de um vinho branco.

Temperatura recomendada de serviço : 6ºC a 10ºC

 

Douro, Churchill Estates 2009

5,00

20,00

Touriga Nacional

John Graham

Dão, Quinta da Giesta 2008

3,00

12,00

Touriga Nacional Nuno Cancela de Abreu

Península de Setúbal, DSF Colecção Privada 2009

 

30,00

Moscatel Roxo Domingos Soares Franco

Alentejo, Rosé da Peceguina 2009

5,00

21,00

Aragonês e Touriga Nacional Luis Duarte e Pedro Garcia

Algarve, Barranco Longo Oaked 2008

25,00

Aragonês e Touriga Nacional Luis Euclides

Alemanha - Ahr, Meyer Näkel 2007

6,00

24,00

Pinot Noir

Werner Naekel

Copo

Garrafa

Os Tintos de Eleição, Sedutores, em Vias de Extinção

Temperatura recomendada de serviço : 14ºC a 18ºC

Regional Minho, Covela Colheita Seleccionada 2003

30,00

Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon Nuno Araújo e Rui Cunha

Regional Minho, Covela Escolha 2005

35,00

Touriga Nacional e outras castas de cultura biológica Nuno Araújo e Rui Cunha

Regional Duriense, Conceito Bastardo 2008

38,00

Vinho produzido exclusivamente de uva Bastardo que é usada quase em exclusivo na produção de Vinho do Porto Rita Ferreira

Douro, Quinta de São José 2005

55,00

Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz Projecto pessoal de João Brito e Cunha

Douro, Passadouro Reserva 2005

80,00

Castas tradicionais do Douro de Vinhas Velhas e Vinhas Novas Jorge Serôdio Borges

Douro, Fojo 2000

100,00

Tinta Roriz, Tinta Barroca, Touriga Nacional e Touriga Franca. Esta colheita de 2000 recebeu 95 pontos Parker Maria Serôdio Borges

Douro, Abandonado 2005

120,00

Vinhas Velhas da Quinta da Gaivosa. Foi considerado por Robert Parker o melhor vinho português Domingos Alves de Sousa e Tiago Alves de Sousa

Estremadura, Quinta do Monte d´Oiro Reserva 2003

40,00

Considerado por muitos como o Syrah mais “fiel” aos vinhos produzidos na zona de Rhône em França José Bento dos Santos

Colares, Fundação Oriente 2004

35,00

 

Ramisco

César Gomes

Tejo, Tributo 2007

50,00

Syrah, Grenache e Viognier. Este vinho inspirado nos vinhos de Côtes du Rhône, é dedicado ao pai do enólogo Rui Reguinga Rui Reguinga

Regional Terras do Sado, FSF 2005

48,00

Produzido em homenagem a Fernando Soares Franco com as castas Syrah, Trincadeira e Tannat Domingos Soares Franco

Alentejo, Francisco Nunes Garcia Reserva 2001

45,00

Trincadeira, Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon e Aragonês Francisco Nunes Garcia

Alentejo, Mouchão “Tonel 3-4” 2005

120,00

partir da casta Alicante Bouschet, os toneis 3 e 4 produzem em anos excepcionais este vinho Paulo Laureano

A

Vinho de Mesa, Doda 2005

60,00

Vinhas com mais de 60 anos da Quinta de Nápoles (Douro) e vinhas com mais de 30 anos da Quinta da Pellada (Dão) Dirk Niepoort e Álvaro Castro

Vinho de Mesa, Anima L6

55,00

O

primeiro 100% Sangiovese português

José Mota Capitão e Paulo Laureano

 

Argentina - Mendoza, Enzo Bianchi 2003

52,00

Cabernet Sauvignon, Merlot e Malbec Valentin Bianchi

Copo

Garrafa

Vinhos Tintos

Douro / Porto

Primeira região demarcada e regulamentada do Mundo, aquando da criação pelo Marquês de Pombal da Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro, em 1756, divide-se em três sub-regiões: Baixo Corgo, Cima Corgo e Douro Superior. O Douro localiza-se no Nordeste de Portugal, rodeado pelas serras do Marão e de Montemuro. A maioria das plantações é feita em socalcos, talhados nas encostas dos vales ao longo do rio Douro e seus afluentes. Os solos são essencialmente de xisto embora, em algumas zonas, também graníticos. Embora particularmente difíceis de trabalhar, estes solos são benéficos para a longevidade das vinhas e permitem mostos concentrados de açúcar e cor. Da globalidade do volume de vinho produzido na Região Demarcada do Douro, cerca de 50% é destinada à produção de "Vinho do Porto", enquanto o restante volume é destinado à produção de vinhos de grande qualidade que utilizam a denominação de origem controlada "Douro" ou "Vinho do Douro". Merece também destaque o Vinho Regional Duriense cuja região de produção é coincidente com a Região Demarcada do Douro.

Temperatura recomendada de serviço : 14ºC a 18ºC

 

Vallado 2008

4,50

21,00

Tinta Barroca, Tinta Roriz, Touriga Franca, Touriga Nacional e Sousão Francisco Olazabal

 

Ardosino 2005

5,00

22,00

Touriga Franca, Tinta Roriz e Tinta Barroca Rui Cunha

Contraste 2007

5,00

22,00

Touriga Franca e Tinta Roriz Rita Ferreira

Dados Reserva 2008

6,00

24,00

Tinta Roriz, Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Barroca João Soares

 

Quinta do Couquinho 2006

6,00

25,00

Tinta Roriz, Touriga Nacional e Touriga Franca com estágio de 12 meses em barricas de carvalho francês João Brito e Cunha

 

Passadouro 2007

7,00

28,00

Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz e Vinhas Velhas Jorge Serôdio Borges

 

Pinote 2006

7,50

30,00

Touriga Nacional e tradicionais de Vinhas Velhas durienses Carlos Campolargo e Rui Cunha

Churchill´s Estates 2008

7,50

30,00

Touriga Nacional

John Graham

Post Scriptum de Chryseia 2008

8,00

34,00

Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz e Vinhas Velhas Bruno Prats e Charles Symington

 

Dona Graça Grande Reserva 2007

35,00

Castas tradicionais de Vinhas Velhas Vergílio Loureiro e Jorge Lourenço

Vallado 2007

36,00

Sousão

Francisco Olazabal

Crooked Vines 2005

38,00

Uvas provenientes de vinhas muito velhas, apresentando as videiras um tronco envelhecido e retorcido – “Crooked Vines”. Rui Cunha e Secret Spot

 

Conceito 2007

40,00

Mistura de mais de 15 castas tradicionais de Vinhas Velhas com cerca de 50 anos Rita Ferreira

 

Quinta de São José Reserva 2007

40,00

Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz João Brito e Cunha

Vale de Pios 2005

42,00

Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinto Cão Quinta de Vale de Pios

Copo

Garrafa

Quanta Terra Grande Reserva 2007

45,00

Touriga Nacional, Tinta Barroca, Touriga Franca e Sousão Celso Pereira

Brites de Aguiar 2006

50,00

Touriga Franca, Touriga Nacional e Tinta Roriz com estágio de 18 meses em barricas de carvalho francês Pedro Sequeira e António Rosas

Maritávora Reserva 2006

55,00

Touriga Nacional, Tinta Roriz e Touriga Franca com estágio em barricas novas de carvalho francês Jorge Serôdio Borges

Quinta dos Avidagos Grande Reserva 2007

55,00

Touriga Nacional, Tinta Roriz e Tinta Barroca Rui Cunha

Quinta do Couquinho Grande Reserva 2007

55,00

Touriga Nacional, Tinta Roriz e Touriga Franca João Brito e Cunha

Quinta do Vallado Reserva 2007

55,00

Tinta Roriz, Touriga Nacional, Tinta Amarela, Touriga Franca e Sousão Francisco Olazabal

Passadouro Reserva 2007

60,00

Vinhas Velhas, Touriga Nacional e Touriga Franca Jorge Serôdio Borges

Ázeo Reserva 2007

60,00

Touriga Nacional João Brito e Cunha

Quinta do Vesúvio 2007

65,00

Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Amarela Charles Symington e Pedro Correia

Quinta do Crasto “Vinhas Velhas” 2008

65,00

Vinhas Velhas Dominic Morris e Manuel Lobo

Aneto Grande Reserva 2006

70,00

Touriga Nacional e Tinta Roriz Francisco Montenegro

Pintas 2007

100,00

Vinhas Velhas com cerca de 80 anos Wine & Soul

Batuta 2007

110,00

Tinta Roriz e Touriga Nacional Dirk Niepoort

Quinta do Crasto 2006

110,00

Touriga Nacional Dominic Morris e Manuel Lobo

Quinta do Vale D. Maria CV 2004

120,00

Castas tradicionais de Vinhas Velhas Cristiano Van Zeller e Sandra Tavares da Silva

Charme 2007

120,00

Tinta Roriz, Touriga Franca e outras Dirk Niepoort

Robustus 2005

120,00

O nome Robustus presta tributo ao primeiro vinho (de 1990), com o mesmo nome, que foi feito a partir das uvas da Quinta do Carril Dirk Niepoort

Quinta do Crasto “Maria Teresa” 2007

130,00

Cerca de 30 variedades de castas de Vinhas Velhas. Este vinho só é produzido em anos excepcionais Dominic Morris e Manuel Lobo

Copo

Garrafa

Beiras (Dão)

A região vitivinícola das Beiras ocupa toda a faixa central do território português. Estende-se, no sentido longitudinal, desde o Oceano Atlântico até Espanha, fazendo fronteira a norte com as indicações geográficas Minho e Duriense e a sul com as indicações geográficas Lisboa, Tejo e Alentejo. Estão reconhecidas três sub-regiões para a produção do vinho regional: "Beira Litoral", "Beira Alta" e "Terras de Sicó". Na zona da Beira Alta encontra-se demarcada a área geográfica de produção “Dão”. Situada no centro Norte de Portugal, num enclave montanhoso, rodeada a Poente pelos picos do Caramulo e do Buçaco e a Norte e Leste pelas imponentes serras da Nave e da Estrela, possui solos graníticos geralmente de baixa fertilidade. Possui um clima que, sendo temperado, é, no entanto, bastante frio e chuvoso no Inverno e, frequentemente, muito seco e quente no Verão.

Temperatura recomendada de serviço : 14ºC a 18ºC

Vinha Paz 2008

5,50

23,00

Touriga Nacional, Alfrocheiro, Tinta Roriz e Jaen António e Henrique Canto Moniz

T-Nac 2007

7,00

28,00

Touriga Nacional

Pedro Figueiredo

Quinta do Perdigão 2007

7,00

28,00

Alfrocheiro

José Perdigão

Quinta de Saes “Estágio Prolongado” 2007

7,50

30,00

Touriga Nacional, Alfrocheiro e Tinta Roriz Álvaro Castro

Vinha Othon Reserva 2006

30,00

Touriga Nacional, Jaen, Tinta Roriz e Baga de vinhas com cerca de 60 anos António e Henrique Canto Moniz

Vinha Paz Reserva 2007

35,00

Touriga Nacional (80%) e outras tradicionais António e Henrique Canto Moniz

Quinta das Marias Cuveé TT Reserva 2007

35,00

Touriga Nacional e Tinta Roriz Viktor Eckbert

Quinta da Pellada 2003

48,00

Touriga Nacional, Tinta Roriz e Vinhas Velhas Álvaro Castro

Pape 2006

55,00

Touriga Nacional, Baga e Alfrocheiro. O nome Pape deriva da contracção do nome das quintas da Passarella e da Pellada Álvaro Castro

Copo

Garrafa

Beiras (Bairrada)

A região vitivinícola das Beiras ocupa toda a faixa central do território português. Estende-se, no sentido longitudinal, desde o Oceano Atlântico até Espanha, fazendo fronteira a Norte com as indicações geográficas Minho e Duriense e a Sul com as indicações geográficas Lisboa, Tejo e Alentejo. Estão reconhecidas três sub-regiões para a produção do vinho regional: "Beira Litoral", "Beira Alta" e "Terras de Sicó".

A produção de vinhos na zona da Beira Litoral é muito antiga. Documentos dos Séculos X e XI já referem a sua existência.

É uma região de agricultura predominantemente intensiva e policultural, de pequena propriedade, onde a vinha ocupa um lugar

de destaque e a qualidade dos seus vinhos justifica o reconhecimento da área geográfica de produção “Bairrada”. Os solos são de diferentes épocas geológicas, predominando os terrenos pobres que variam de arenosos a argilosos, encontrando-se também, com frequência, franco-arenosos. A vinha é cultivada predominantemente em solos de natureza argilosa e argilo-calcária. O clima é do tipo Mediterrânico-Atlântico, os Invernos são longos e frescos e os Verões quentes,

amenizados por ventos de Oeste e de Noroeste, que com maior frequência e intensidade se fazem sentir nas regiões mais próximas do mar.

Temperatura recomendada de serviço : 14ºC a 18ºC

CaTchorro 2006

5,00

20,00

Tinto Cão

Carlos Campolargo

Sidónio de Sousa 2008

6,00

25,00

Merlot António Francisco Avillez

Vadio 2005

6,00

25,00

Baga

Manuel Patrão

Rol de Coisas Antigas 2007

7,50

30,00

Baga, Castelão, Trincadeira, Bastardo e Sousão Carlos Campolargo

Kompassus Reserva 2005

30,00

Touriga Nacional e Merlot de Vinhas Velhas com estágio em barricas novas de carvalho francês João Póvoa

Campolargo 2008

30,00

Baga

Carlos Campolargo

Calda Bordaleza 2006

35,00

Petit Verdot, Merlot e Cabernet Sauvignon Carlos Campolargo

Campolargo 2007

40,00

Pinot Noir

Carlos Campolargo

Diga? 2007

46,00

Petit Verdot

Carlos Campolargo

Copo

Garrafa

Lisboa e Tejo

Identificada como uma das maiores regiões vitivinícolas do país em termos de área de vinha e de produção de vinho, a área da região de produção “Lisboa”, abrange todos os concelhos da faixa atlântica a Norte do estuário do Tejo, confinando a norte com as Beiras e a Leste com o Tejo. O relevo não é muito elevado, excepto a Sul, onde aparecem alguns estratos de basalto e de granito e a região assenta, na sua quase totalidade, em formações secundárias de argilo-calcários e argilo-arenosos. O clima é temperado, sem grandes amplitudes térmicas. Destacam-se as Denominações de Origem: “Bucelas”, “Carcavelos” e “Colares”.Importante salientar a indicação geográfica “Estremadura”, reconhecida para identificar os vinhos produzidos na área delimitada em 1993 como área geográfica de produção do Vinho Regional Estremadura.

Situada no Centro de Portugal, a Indicação Geográfica “Tejo” possui inegáveis condições naturais para o desenvolvimento das actividades agrícolas, florestais e pecuárias. O principal acidente orográfico é a Serra de Aires e Candeeiros, delimitando o que podemos chamar de Médio Tejo e Lezíria do Tejo e em termos hidrográficos o Rio Tejo; o clima desta região é sul-mediterrânico temperado, influenciado pelo rio Tejo que a percorre, com uma queda anual pluviométrica de cerca de 500-600 mm. Encontramos nesta Região três zonas distintas de produção, conhecidas como "O CAMPO", "O BAIRRO" e a "CHARNECA".

Temperatura recomendada de serviço : 14ºC a 18ºC

Estremadura, Vinha da Nora 2005

 

7,00

28,00

Syrah José Bento dos Santos

 

Lisboa, Vale da Mata Reserva 2007

 

7,50

30,00

Aragonês, Syrah e Touriga Nacional com estágio de 12 meses em barricas novas de carvalho francês Catarina Vieira

 

Lisboa, Quinta de Sant´Ana Reserva 2006

 

36,00

Aragonês e Touriga Nacional António Maçanita

 

Tejo, Quinta do Alqueve 2005

 

38,00

Touriga Nacional e Syrah Paulo Saturnino

 

Tejo, Vale D´Algares Selection 2007

 

40,00

Merlot e Touriga Nacional Pedro Pereira Gonçalves

 

Península de Setúbal

Situada no litoral Oeste a sul de Lisboa, é nesta região que se produz o famoso Moscatel de Setúbal. Esta região pode dividir-se em duas zonas distintas. Uma a Sul e Sudoeste, montanhosa, formada pelas serras da Arrábida, Rosca e S. Luís, e pelos montes de Palmela, S. Francisco e Azeitão, estes recortados por vales e colinas. A outra, pelo contrário, é plana, prolongando-se em extensa planície junto ao rio Sado.

 

O

clima é misto, subtropical e mediterrânico. Influenciado pela proximidade do mar, pelas bacias hidrográficas do Tejo e do Sado,

e

pelas serras e montes que se situam na região, tem fracas amplitudes térmicas Os solos são argilo-arenosos ou franco-argilo-

arenosos, calcários com ligeira alcalinidade, alguns deles compactos e férteis.

 

O

Vinho Regional "Terras do Sado" produz-se em todo o distrito de Setúbal.

Temperatura recomendada de serviço : 14ºC a 18ºC

 

Regional Península de Setúbal, Má Partilha 2007

7,00

28,00

Merlot com estágio em carvalho Allier Vasco Penha Garcia

 

Regional Terras do Sado, Herdade do Portocarro 2006

6,00

25,00

Aragonês, Alfrocheiro e Cabernet Sauvignon José Mota Capitão

 

Regional Terras do Sado, Quinta da Bacalhôa 2007

 

34,00

Cabernet Sauvignon Vasco Penha Garcia

 

Regional Terras do Sado, S de Soberanas 2004

 

50,00

Trincadeira e Alicante Bouschet Paulo Laureano

 

Regional Terras do Sado, Cavalo Maluco 2006

 

50,00

Touriga Francesa, Touriga Nacional e Petit Verdot

José Mota Capitão

Copo

Garrafa

Alentejo

Situado na zona sul do país, o Alentejo é uma região essencialmente plana, evidenciando alguns acidentes de relevo, não muito elevados, mas que o influenciam de forma marcante. Caracteriza-se por condições climáticas acentuadamente mediterrânicas, apresentando, no entanto, várias zonas de microclima continental. As temperaturas médias do ano variam de 15 a 17,5º, observando-se igualmente a existência de grandes amplitudes térmicas e a ocorrência de Verões excessivamente quentes e secos. Os solos caracterizam-se pela sua diversidade, variando entre os graníticos de "Portalegre", os derivados de calcários cristalinos de "Borba", os mediterrânicos pardos e vermelhos de "Évora", "Granja/Amareleja" e "Moura", e os xistosos de "Redondo", "Reguengos" e "Vidigueira". A DOC "Alentejo" compreende as 8 Sub-Regiões acima mencionadas. O “Vinho Regional Alentejano" é produzido em toda a região vitivinícola Alentejo.

Temperatura recomendada de serviço : 14ºC a 18ºC

Chaminé 2009

4,00

17,00

Aragonês, Syrah e Touriga Nacional Hans Kristian Jorgensen e Equipa

Mouchão “Dom Rafael” 2008

5,00

20,00

Aragonês, Trincadeira e Alicante Bouschet Paulo Laureano

Herdade dos Grous 2008

6,50

28,00

Aragonês, Syrah, Alicante Bouschet e Touriga Nacional Luis Duarte e Pedro Ribeiro

Terrenus 2008

7,00

30,00

Aragonês, Trincadeira e Alicante Bouschet Rui Reguinga

Cortes de Cima 2005

7,50

30,00

Aragonês Hans Kristian Jorgensen e Equipa

Esporão Reserva 2007

30,00

Aragonês, Trincadeira, Cabernet Sauvignon e Alicante Bouschet David Baverstock e Sandra Alves

José de Sousa “Mayor”

30,00

Trincadeira, Aragonês e Grand Noir fermentadas em talhas de barro Domingos Soares Franco

Azamor 2007

32,00

Petit Verdot David Baverstock e Allison Luiz

Casa de Santa Vitória Reserva 2006

32,00

Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon e Syrah Bernardo Cabral e Nuno Cancela de Abreu

Monte da Ravasqueira “Vinha das Romãs” 2008

8,00

34,00

Syrah, Touriga Nacional, Alicante Bouschet e Touriga Franca Rui Reguinga e Carlos Rodrigues

Mouchão “Ponte das Canas” 2007

35,00

Touriga Nacional. Touriga Franca e Alicante Bouschet Paulo Laureano

Cem Reis 2008

8,00

35,00

Syrah

António Maçanita

Baron de B Reserva 2005

36,00

Aragonês, Trincadeira, Cabernet Sauvignon e Alicante Bouschet provenientes de Vinhas Velhas Eduardo Cardeal e Carsten Heinemeyer

Dona Maria Amantis 2005

36,00

Syrah, Petit Verdot, Cabernet Sauvignon e Touriga Nacional Júlio Bastos

Mouro 2005

40,00

Tinta Roriz, Trincadeira, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon Parceria entre Dirk Niepoort e Miguel Louro (Quinta do Mouro)

Copo

Garrafa

Terra de Zambujeiro 2001

40,00

Alicante Bouschet, Castelão, Trincadeira e Aragonês Nuno Malta

Herdade dos Grous “23 Barricas”2008

45,00

Foram seleccionadas as 23 melhores barricas de Touriga Nacional e Syrah para elaborar este vinho Luis Duarte e Pedro Ribeiro

Monsaraz Premium 2008

45,00

Alicante Bouschet e outras Carmim

Herdade dos Grous “Moon Harvested” 2007

50,00

Alicante Bouschet vindimado de acordo com os ciclos da Lua Luis Duarte e Pedro Ribeiro

Herdade do Perdigão Reserva 2005

50,00

Trincadeira, Aragonês e Cabernet Sauvignon Paulo Laureano

Mouchão 2005

55,00

Alicante Bouschet e Trincadeira Paulo Laureano

Zambujeiro 2004

60,00

Touriga Nacional, Alicante Bouschet e Aragonês Nuno Malta

Quinta do Mouro “Rótulo Dourado” 2006

90,00

Alicante Bouschet, Aragonês e Touriga Nacional de Vinhas Velhas Miguel Louro

Cortes de Cima Reserva 2004

90,00

Aragonês, Touriga Nacional, Syrah e Cabernet Sauvignon com estágio em barricas de carvalho francês e americano Hans Kristian Jorgensen e Equipa

À Volta do Mundo

Temperatura recomendada de serviço : 14ºC a 18ºC

Copo

Garrafa

Alemanha - Ahr, Meyer Näkel 2007

45,00

Spätburgunder (Pinot Noir) Werner Naekel

EUA - California, Robert Mondavi Woodbridge 2003

30,00

Cabernet Sauvignon Loic Kressmann e Valérie Vialard

Uruguai - Cerro Chapeu, Amat 2002

32,00

Tannat

Javier Carrau

Argentina - Mendoza, Familia Bianchi 2006

6,50

24,00

Malbec

Valentin Bianchi

Argentina - Mendoza, Fabre Montmayor Grand Reserva 2007

8,00

35,00

Touriga Nacional e Malbec Hérve J. Fabre e Rui Reguinga

Nova Zelândia – Hawked Bay, Villa Maria Private Bin 2007

6,00

25,00

Cabernet Sauvignon e Merlot Nick Picon e equipa

Nova Zelândia - Malborough, Villa Maria Private Bin 2007

7,50

30,00

Pinot Noir Nick Picon e equipa

Garrafa

A Excelência e Encanto das Magnum

Vinhos Brancos

Temperatura recomendada de serviço : 8ºC a 10ºC

Douro, Passadouro 2008

45,00

Rabigato, Viosinho e Códega do Larinho Jorge Serôdio Borges

Tejo, Vale D´Algares Selection 2009

50,00

Viognier, Alvarinho e Verdelho com fermentação em barricas novas de carvalho francês Pedro Pereira Gonçalves

 

Vinhos Tintos

Temperatura recomendada de serviço : 14ºC a 18ºC

Douro, Vallado 2008

36,00

Tinta Barroca, Tinta Roriz, Touriga Franca, Touriga Nacional e Sousão Francisco Olazabal

Douro, Passadouro 2007

55,00

Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz e Vinhas Velhas Jorge Serôdio Borges

Douro, Passadouro Reserva 2007

120,00

Vinhas Velhas, Touriga Nacional e Touriga Franca Jorge Serôdio Borges

Dão, Pape 2007

110,00

Touriga Nacional e Baga com estágio de 14 meses em barricas de carvalho francês Álvaro Castro

Tejo, Vale D´Algares Selection 2007

75,00

Merlot e Touriga Nacional Pedro Pereira Gonçalves

Alentejo, Herdade dos Grous 2008 – Garrafa de 6 Lt. (Matusalem)

200,00

Aragonês, Syrah, Alicante Bouschet e Touriga Nacional Luis Duarte e Pedro Ribeiro

Copo

Garrafa

A Magia dos Vinhos Generosos

Vinho do Porto

O Vinho do Porto é um vinho licoroso, produzido na Região Demarcada do Douro, sob condições peculiares derivadas de factores naturais e de factores humanos. O processo de fabrico, baseado na tradição, inclui a paragem da fermentação do mosto pela adição de aguardente vínica (benefício ou aguardentação), a lotação de vinhos e o envelhecimento. Os Vinhos do Porto podem ser divididos em duas categorias consoante o tipo de envelhecimento: Ruby e Tawny

Porto Estilo Ruby

São vinhos em que se procura suster a evolução da sua cor tinta, mais ou menos intensa, e manter o aroma frutado e vigor dos vinhos jovens. Neste tipo de vinhos, por ordem crescente de qualidade, inserem-se as categorias Ruby, Reserva, Late Bottled Vintage (LBV) e Vintage.

Temperatura recomendada de serviço : 14ºC a 18ºC

Quinta do Crasto LBV 2004

6,00

36,00

Manuel Lobo e Tomás Roquette

Krohn LBV 2004

7,00

42,00

Wiese & Krohn

Quinta das Tecedeiras Vintage 2007

85,00

Carlos Lucas

Fonseca Vintage 2007

95,00

David Guimaraens

Taylor´s Vintage 2007

190,00

David Guimaraens

Taylor´s Quinta das Vargellas Vintage 1995 (37,5 cl)

 

80,00

David Guimaraens

Taylor´s Quinta das Vargellas Vintage 2005 (37,5 cl)

 

48,00

David Guimaraens

Taylor´s Vintage 2007 (37,5 cl)

85,00

David Guimaraens

 

Porto Estilo Tawny

Obtido por lotação de vinhos de grau de maturação variável, conduzida através do envelhecimento em cascos ou tonéis. São vinhos em que a cor apresenta evolução. Os aromas lembram os frutos secos e a madeira. As categorias existentes são: Tawny, Tawny Reserva, Tawny com Indicação de Idade (10 anos, 20 anos, 30 anos e 40 anos) e Colheita.

 

Temperatura recomendada de serviço : 12ºC a 14ºC

 

Krohn 10 anos

6,00

36,00

Wiese & Krohn

Warre´s Otima 10 anos (50 cl)

8,00

40,00

Symington Family Estates

Krohn 20 anos

10,00

60,00

Wiese & Krohn

Niepoort 20 anos

15,00

90,00

Dirk Niepoort

Niepoort 30 anos

30,00

180,00

Dirk Niepoort

Krohn Colheita 1976

20,00

120,00

Wiese & Krohn

Krohn Colheita 1983

15,00

90,00

Wiese & Krohn

Portal Lagrima (Porto Branco Doce)

6,00

36,00

Paulo Coutinho

Ferreira Branco 10 anos (37,5 cl)

8,00

32,00

Luis Sottomayor

Copo

Garrafa

Vinho da Madeira

O Vinho da Madeira é um vinho licoroso, produzido na Ilha da Madeira, obtido através da interrupção da fermentação através da

adição de álcool vínico de acordo com o grau de doçura pretendido. Após este processo os vinhos são sujeitos a um envelhecimento que poderá ser por “Estufagem”, onde é colocado em estufas de aço Inox aquecidas, por um período nunca inferior a 3 meses, depois faz um estágio à temperatura ambiente e finalmente é colocado em Inox ou casco até atingir a qualidade pretendida pelo enólogo. O segundo processo de envelhecimento denomina-se de “Canteiro” onde os vinhos são envelhecidos em cascos por um período mínimo de 2 anos.

Temperatura recomendada de serviço : 14ºC a 16ºC

Blandy´s Harvest 1999

 

6,00

36,00

Malvasia (Doce)

 

Francisco Albuquerque

Cossart Gordon Colheita 1995 (50 cl)

 

8,50

35,00

Boal (Meio Doce) Francisco Albuquerque

 

Cossart Gordon Colheita 1995 (50 cl)

 

10,00

40,00

Boal (Meio Doce) Francisco Albuquerque

 

Moscatel

Este vinho licoroso obtido a partir de uva Moscatel só pode ser produzido em Regiões Demarcadas, sendo em Portugal a grande referência o Moscatel da região de Setúbal e o Moscatel da região do Douro. Em Setúbal as uvas mais usadas são o Moscatel de Setúbal ou Graúdo e o Moscatel Roxo e no Douro a uva mais usado é o Moscatel Galego.

Temperatura recomendada de serviço : 12ºC a 16ºC

 

Douro, Quinta do Portal Reserva 2000

 

6,00

36,00

Moscatel Galego Branco Paulo Coutinho

 

Setúbal, Horácio Simões 2004 (50 cl)

 

5,00

25,00

Moscatel Roxo Casa Agrícola Horácio Simões

 

Setúbal, DSF Colecção Privada 1999

 

6,00

36,00

Moscatel Roxo Domingos Soares Franco

 

Setúbal, DSF Colecção Privada 1999

 

7,00

42,00

Moscatel Roxo, sendo a fermentação interrompida com Armagnac e não com álcool vínico Domingos Soares Franco

 

Setúbal, Horácio Simões Excellent (50 cl)

 

12,00

48,00

Moscatel Roxo Casa Agrícola Horácio Simões

 

Vinho de Carcavelos

Vinho licoroso produzido na região demarcada de Carcavelos, é um vinho especial que existe há séculos. A fama dos vinhos de Carcavelos perde-se no tempo. O Marquês de Pombal, que os produzia na sua quinta de Oeiras apreciava-os de tal maneira que D. José I presenteou a corte de Pequim em 1752 com Vinho de Carcavelos

O

seu nome secular, qualidade e tipicidade foram reconhecidos por Carta de Lei em 1908.

 

Temperatura recomendada de serviço : 14ºC a 16ºC

 

Quinta de Cima

 

15,00

90,00

Arinto, Boal Ratinho e Galego Dourado Estação Agronómica Nacional, Oeiras

Copo

Garrafa

A Complexidade e Subtileza dos Vinhos Doces

Colheita Tardia / Late Harvest

São vinhos doces, produzidos a partir de uvas que são deixadas na videira várias semanas após a data ideal da colheita. Este processo resulta na desidratação e no consequente aumento da concentração de açúcar. Existem diversos métodos para produzir este tipo de vinhos, sendo o mais tradicional através do fungo “Botrytis Cinerea” ou “Podridão Nobre”.

Temperatura recomendada de serviço : 6ºC a 10ºC

Douro, Aneto 2007 (37,5 cl)

10,00

40,00

Semillon

Francisco Montenegro

Tejo, Quinta da Lagoalva de Cima 2009 (37,5 cl)

6,50

26,00

Riesling e Gewurztraminer Diogo Campilho

Tejo, Quinta do Alqueve 2005 (50 cl)

8,00

34,00

Fernão Pires

António Saramago

Regional Estremadura, Casal Figueira Vindima Tardia 2007 – Last Edition (50 cl)

10,00

40,00

Petit Manseng

António Carvalho

Chile – Maule Valley, Concha Y Toro 2006 (37,5 cl)

5,00

25,00

Sauvignon Blanc Concha Y Toro

 

Icewine

Tipo de vinho doce, produzido a partir de uvas que são sujeitas a temperaturas negativas ainda na vinha,fazendo com que haja uma maior concentração de açúcar nas mesmas. Os Icewines mais famosos são produzidos no Canáda e na Alemanha onde são denominados por Eiswein.

 

Temperatura recomendada de serviço : 6ºC a 10ºC

 

Bairrada, FLP 2009 (50 cl)

6,00

36,00

Cercial, Sercialinho e Bical congelados artificialmente. Segundo a enóloga trata-se de um vinho molecular Filipa Pato e Luis Pato

 

Canadá – Niagara Peninsula, Peller Estates 2008 (20 cl)

 

50,00

Vidal

Peller Estates

Canadá – Niagara Peninsula, Peller Estates 2007 (20 cl)

 

50,00

Riesling

Peller Estates

Canadá – Niagara Peninsula, Peller Estates 2007 (20 cl)

 

50,00

Cabernet Franc

Peller Estates

Canadá – Niagara Peninsula, Inniskillin 2006 (20 cl)

 

50,00

Vidal

Bruce Nicholson