Vous êtes sur la page 1sur 3

AS PRINCIPAIS DIFERENÇAS DOS CONHECIMENTOS DAS CIÊNCIAS SOCIAIS,

DAS CIÊNCIAS NATURAIS E DO SENSO COMUM.

Ciências Sociais Ciências Naturais Senso Comum


As ciências sociais As ciências No senso comum, o
estão subdivididas naturais abrangem as conhecimento é vulgar. É o
nas seguintes seguintes disciplinas: primeiro nível do
disciplinas: química, física, conhecimento e constitui-se a
antropologia, biologia, astronomia e partir da apreensão sensorial
sociologia e ciência outros. Dedicam-se ao espontânea e imediata do real.
política. Seu objeto estudo das Assim, o conhecimento é
de estudo é a análise características gerais e superficial, por contentar-se
científica das fundamentais da com as aparências; sensitivo,
relações sociais. natureza, ou seja, as leis por estar intimamente ligado à
Enfatizando a e regras naturais que percepção; subjetivo, por se
Definição
relação entre envolvem todos os tratar de vivências e
indivíduo e processos do planeta. experiências organizadas
sociedade. A prática Além disso, lida apenas psicologicamente pelo próprio
social e simbólica. com os fatores de sujeito; assistemático, por não
ordem natural sem buscar uma sistematização ou
considerar o caráter compilação de ideias; e
social. acrítico, por se referir a um
conhecimento que nem
sempre busca uma
devida reflexão sobre suas
ações.
Linguagem Linguagem científica, A base do conhecimento são
científica, visto que visto que é composta as crendices populares e os
é composta por uma por uma linguagem pré-conceitos que nunca
Contrates
linguagem clara, clara, delimitada e foram cientificamente
delimitada e objetiva. comprovados e testados.
objetiva.
São os fatos e São os aspectos físicos, Visão de mundo pautado nas
Objeto de relações sociais químicos e biológicos opiniões e crenças. Portanto,
Estudo manifestados na vida dos seres vivos e do não possui objeto de estudo.
social. meio ambiente.
Os eventos não Os fenômenos podem Não se sustenta na interação
podem ser ser analisados com outros aspectos.
analisados separadamente e fora
isoladamente, pois do contexto em que
perdem seu foram produzidos.
Interação
significado se forem
analisados sem levar
em consideração o
contexto em que
foram produzidos.

Também apresentamos a distinção entre o senso comum e a sociologia tendo como


base a referência teórica “Aprendendo a Pensar a Sociologia” de Zygmunt Bauman e Tim
May. Em que os autores abordam, inicialmente, sobre a dependência mútua e a relação da
sociologia ao senso comum. Que são dois tipos de apreensão e compreensão do mundo, na
qual o senso comum olha para um objeto e vê o mesmo visando sua função, já o cientista olha
para o objeto e pensa o que pode fazer para melhorar tal objeto. Assim, percebe-se que a
diferença entre essas duas compreensões são discursivas, o ponto de vista de cada
compreensão.
Além disso, são apontados, no texto, quatro modelos que diferenciam a sociologia do
senso comum.
 No primeiro modelo, no discurso responsável, quando se afirma algo sobre a
sociedade de maneira pública existem métodos, técnicas e estudos que devem ser
feitas para fazer essas tais afirmações. O que não se faz no senso comum. (BAUMAN
E MAY, 2010, P. 16).
 Já no segundo modelo mostra a diferença em relação ao tamanho do campo de estudo
na qual o material do pensamento sociológico abrange uma multiplicidade de mundos,
possibilitando a ligação entre biografia individual e amplos processos sociais. E não
apenas se resume aos nossos próprios mundos de vida como é feito no senso comum.
(BAUMAN E MAY, 2010, P. 16).
 No terceiro modelo a sociologia e o senso comum se diferenciam no sentido que cada
um atribui à vida humana em termos de como entendem e explicam os eventos e
circunstâncias que acontecem na vida das pessoas. Para o senso comum as pessoas
tendem a pensar que são “os autores” de suas próprias vidas e o que fazem são efeitos
de suas intenções, embora que os resultados não saíam ao que pretendiam, por
exemplo, uma pessoa que estudou numa escola pública consegue passar numa
universidade federal devido à sua dedicação e esforço. Além disso, acreditam que o
que acontecesse no mundo em geral é resultado que ação intencional de alguém, por
exemplo, os governos diversas vezes não comprem suas responsabilidades alegando
que as coisas estão fora de seu controle. Já a sociologia vai contra a visão particular
em que o indivíduo adotado de motivação e dedicação terá o caminho da compreensão
do mundo humano, visto que não é o caminho adequado para nos entendermos e nem
as outras pessoas. É necessário que se faça uma análise das numerosas teias de
interdependência humana para explicar nossos motivos e os efeitos de suas ativações.
(BAUMAN E MAY, 2010, P. 17).
 E por fim no quarto modelo, embora a sociologia repouse em constante e íntima
conversação com o senso comum, ela procura ultrapassar suas limitações abrindo
possibilidades que poderiam facilmente ser ignoradas pelo senso comum, uma vez que
o senso comum costuma nortear muitas ações do dia a dia sem sequer provocar no
indivíduo questionamentos acerca de sua veracidade e autenticidade, tornando o senso
comum como algo inquestionável e imutável. Já a sociologia coloca em questão aquilo
que é considerado inquestionável gerando um senso crítico no indivíduo que passa a
pensar e refleti sobre as coisas que estão acontecendo em sua volta. (BAUMAN E
MAY, 2010, P. 18).
Diante do que foi dito nota-se que a ciência existe para esclarecer aspectos
problemáticos do senso comum, fornecer respaldo aos questionamentos e fundamentar cada
conhecimento produzido em resposta às demandas.

Referência:
BAUMAN, Z. e MAY, T. Aprendendo a Pensar com a Sociologia. Rio de Janeiro: Zahar,
2010. Introdução.