Vous êtes sur la page 1sur 8

Escola Secundária de Pinheiro e Rosa

DEPARTAMENTO DE CURSO: Científico-humanísticos


CIÊNCIAS SOCIAIS E DATA: 14/02/2011
HUMANAS Filosofia – 10º Ano
Subdepartamento Curricular
de Filosofia, Psicologia e 4ª Ficha de avaliação Duração: 35 minutos
Sociologia

Nome:________________________________________ Turma:_________Nº:_____ Data:________ Versão A


Classificação:________________________________ A Professora:_______________________________________

GRUPO I
1. Considere o texto seguinte e responda às questões seguintes. Coloque um X na letra correcta.

«“Subitamente, a lâmina afiada pareceu cair entre as minhas coxas e cortou um pedaço de carne do meu
corpo. Gritei de dor apesar da mão firme na minha boca, porque a dor não era apenas uma dor, era como
um ferro em brasa que percorria o meu corpo todo. Ao fim de alguns momentos, vi uma poça de sangue
à volta das minhas ancas. Não sabia o que tinham cortado do meu corpo, nem tentei descobrir. Apenas
chorei e gritei pela minha mãe. O choque mais brutal foi quando olhei em volta e a vi em pé, a meu lado.”
É assim que a egípcia Nawal Al Saadawi conta como aos seis anos lhe cortaram o clitóris. O relato está
no livro “The Hidden Face of Eve” (1977), que se tornou uma obra de referência sobre direitos das
mulheres no mundo árabe.»
Alexandra Lucas Coelho, Revista Pública.

1.1. Segundo um defensor da teoria do relativismo moral e cultural, a prática descrita no


texto é:
A. Moralmente incorrecta porque não tem qualquer justificação racional.
B. Moralmente correcta, se estiver de acordo com a opinião da maior parte dos membros dessa
sociedade.
C. Moralmente incorrecta ou correcta, pois depende da opinião de cada pessoa.
D. Moralmente incorrecta porque só tem como justificação a tradição.
E. Moralmente correcta, se estiver de acordo com a palavra divina.
F. Moralmente correcta, se estiver de acordo com os hábitos de uma minoria dos membros dessa
sociedade.

1.2. Algumas pessoas defendem que criticar a prática da excisão significa desrespeitar a
cultura dessa sociedade e assumir uma atitude etnocêntrica. Esta afirmação é
verdadeira de acordo com:
A. A teoria dos mandamentos divinos.
B. A teoria do objectivismo moral.
C. A teoria do subjectivismo moral.
D. A teoria do relativismo moral e cultural.
E. A teoria do relativismo.
F. Nenhuma das teorias anteriores.

1.3. Para avaliar a prática descrita no texto como moralmente inadmissível, temos de
considerar que:
A. Todos os valores são subjectivos.
B. Todos os valores são objectivos.
C. Há valores universais e objectivos.
D. Há valores absolutos e subjectivos.
E. Há valores subjectivos e relativos.
F. Há valores relativos e objectivos.

1
2. Indique se as frases a seguir apresentadas são verdadeiras (V) ou falsas (F).
A. Segundo o objectivismo moral, a justificação do valor de verdade dos juízos morais é factual, isto é diz
respeito à verificação de factos. ____

B. Como há várias religiões que interpretam de modo diferente o valor de verdade dos juízos morais isso
demonstra que a teoria dos mandamentos divinos é correcta. ____

C. Na perspectiva de James Rachels, alguns princípios morais - como não matar ou não mentir – são
universais, pois são essenciais à vida em qualquer sociedade. ____

D. Para os defensores da teoria dos mandamentos divinos, a verdade ou falsidade dos juízos morais depende
do código moral individual. ____

E. Os defensores da teoria dos mandamentos divinos consideram que há um código moral absoluto para
avaliar a verdade das crenças ou das práticas morais. ____

F. Um argumento a favor da teoria dos mandamentos divinos é que nem todas as pessoas acreditam que Deus
existe. ____

G. A defesa do relativismo cultural conduz ao inconformismo. ____

H. Certas normas morais (como ser honesto, por exemplo) apresentam-se ao agente, segundo Kant, como um
imperativo categórico. ____

I. O objectivismo moral considera que a verdade ou falsidade dos juízos morais depende do ponto de vista de
cada sujeito. ____

J. Para os defensores do objectivismo moral, a aceitação das ideias do relativismo moral e cultural conduz à
intolerância, pois não permite criticar costumes que são desumanos e intoleráveis. ____

K. Segundo os defensores do relativismo moral e cultural pode-se concluir, a partir da existência da diversidade
cultural, que o valor de verdade dos juízos morais diz respeito à cultura e à sociedade.____

GRUPO II
1. Considere os seguintes exemplos:

A. O médico Rui Coelho considera que “não há legitimidade para a mentira. Quer na infidelidade, quer na
doença oncológica, deve-se sempre dizer a verdade” (Revista Pública, 19 de Novembro de 2006).

B. A Felisberta, ao discutir com a sua melhor amiga, pensou em mentir. Mas não o fez, pois é católica e sabe
que não é essa a vontade de Deus.

C. A Bertília decidiu doar, anonimamente, toda a sua fortuna ao Refúgio Aboim Ascenção, em Faro, porque
encontra grande alegria no alívio do sofrimento das crianças abandonadas ou maltratadas pelos pais.

D. O Hipólito roubou dinheiro da empresa onde trabalhava. Com esse dinheiro pagou algumas despesas com
a educação do filho. O seu patrão, que ao contrário dele era rico, não conseguiu descobrir quem tinha sido
o autor do furto.

E. Primo Levi - um jovem químico italiano de origem judaica, deportado para Auschwitz em 1944 – descreveu
a sua experiência, neste campo de extermínio nazi, no livro “Se isto é um homem”. “(…) um operário civil
italiano (Lorenzo) trouxe-me um bocado de pão (…), todos os dias, durante seis meses; ofereceu-me uma
camisola sua cheia de remendos; escreveu por mim um postal para Itália e fez-me chegar a resposta. Por
tudo isto, não pediu nem aceitou alguma compensação, porque era bom e simples, e não achava que o
bem devesse fazer-se para obter compensações.”

1.1. Indique se as acções referidas em cada um dos exemplos anteriores são praticadas:
por dever (PD), contra o dever (CD) ou em conformidade com o dever (CONFORME
D).
A. _______________________ B. ____________________ C._________________
D.________________________ E._____________________

2
1.2. Indique a letra ou letras correspondentes às acções que são praticadas, segundo Kant,
devido a um imperativo categórico.

____________________________________________________________________
1.3. Indique a letra ou letras correspondentes às acções praticadas devido a um imperativo
hipotético.

____________________________________________________________________
1.4. Identifique o exemplo ou exemplos que, na perspectiva kantiana, correspondem a
acções sem valor moral. Escreva apenas a letra ou letras correspondentes.

____________________________________________________________________
1.5. Indique o valor e a norma moral presentes nos exemplos A e C.

____________________________________________________________________
_________________________________________________________
GRUPO III
1. Considere as seguintes frases:
A. Pode acontecer, ao seguirmos o critério consequencialista, que seja difícil ou até mesmo
impossível antecipar se os resultados de uma acção serão bons ou maus.
B. Uma máxima é moralmente aceitável se puder ser universalizada.
C. As normas morais estão subordinadas ao princípio da utilidade.
D. Certos deveres constituem obrigações morais sejam quais forem as suas consequências.
E. Numa situação onde estão envolvidas pessoas que merecem, por motivos afectivos, da
parte do agente um tratamento preferencial, torna-se problemático pôr em prática a
imparcialidade.
F. Uma objecção que se pode colocar à aplicação do princípio da utilidade é a seguinte: as
pessoas têm direitos fundamentais (o direito à vida e à privacidade, por exemplo) que não
devem ser desrespeitados em nome do bem comum.
G. Para uma acção ter valor moral a vontade deve subordinar-se inteiramente a motivos de
natureza racional.
H. O valor moral da acção depende exclusivamente da intenção do agente.
I. O motivo é irrelevante para a moralidade da acção.
J. Quando não é possível compatibilizar a felicidade individual com a promoção do bem-estar
geral, não faz sentido o sujeito abdicar da sua felicidade pessoal a favor de estranhos.
K. Ao praticar a acção o agente deve ser imparcial.
L. Há circunstâncias em que, para avaliar correctamente a moralidade de uma acção, não
importam apenas as consequências futuras, mas é necessário conhecer razões referentes
ao passado.
M. Os prazeres intelectuais são qualitativamente superiores aos sensoriais.

1.1. Indique a alínea ou as alíneas que caracterizam a teoria utilitarista de Stuart Mill.

__________________________________________________________________________

1.2. Indique a alínea ou as alíneas que caracterizam a teoria deontológica de Kant.

__________________________________________________________________________

1.3. Indique a alínea ou as alíneas que apresentam críticas à teoria utilitarista de Stuart Mill.

__________________________________________________________________________

Cotações: Grupo I: 1. 30 Pontos; 2. 33 Pontos /Grupo II: 1.1. 10 Pontos;1. 2. 10 Pontos; 1.3. 10 Pontos; 1.4. 15
Pontos; 1.5. 27 Pontos /Grupo III: 1. 1.1. 25 Pontos; 1.2. 20 Pontos; 1.3. 20 Pontos / Total: 200 Pontos (= 20 valores)
Bom Trabalho! A professora: Sara Raposo.

3
Escola Secundária de Pinheiro e Rosa
Ano lectivo: 2010/2011
CURSO: Científico-humanísticos
DEPARTAMENTO DE
CIÊNCIAS SOCIAIS E DATA: 14/02/2011
HUMANAS Filosofia – 10º Ano

Subdepartamento Curricular
Critérios de correcção da 4ª Ficha de
de Filosofia, Psicologia e Duração: 35 minutos
Sociologia avaliação
Versão A

GRUPO I
1. (30 Pontos)
1.1. B
1.2. D
1.3. C

2. (33 Pontos)
A. F
B. F
C. V
D. F
E. V
F. F
G. F
H. V
I. F
J. V
K. V
GRUPO II

1./ 1.1. (10 Pontos)

A. PD (por dever).
B. CONFORME D (em conformidade com o dever).
C. CONFORME D (em conformidade com o dever).
D. CD (contra o dever).
E. PD (por dever).

1.2. (10 Pontos) - A e E


1.3. (10 Pontos) - B, C e D
1.4. (15 Pontos) - B, C e D

1.5. (27 Pontos)


A. Valor: a verdade. Norma moral: Deve-se dizer sempre a verdade.
B. Valor: a solidariedade. Norma moral: Deve-se ajudar os mais necessitados.
Nota: Os alunos não têm de usar, exactamente, estes conceitos e estas frases. Poderiam
expressar estas ideias por outras palavras, por exemplo na alínea B, a norma moral poderia ser
formulada deste modo: “Deve-se proteger as crianças indefesas”.

GRUPO III
1. / 1.1. (25 Pontos) - C, I, K e M

1.2. (20 Pontos) - B, D, G, H e K

1.3. (20 Pontos) – A, E, F, J e L

Bom Trabalho! A professora: Sara Raposo.


4
Escola Secundária de Pinheiro e Rosa
Ano lectivo: 2010/2011
CURSO: Científico-humanísticos
DEPARTAMENTO DE
CIÊNCIAS SOCIAIS E DATA: 14/02/2011
HUMANAS Filosofia – 10º Ano

Subdepartamento Curricular
de Filosofia, Psicologia e 4ª Ficha de avaliação Duração: 35 minutos
Sociologia

Nome:________________________________________ Turma:_________Nº:_____ Data:______ VERSÃO B


Classificação:________________________________ A Professora:_______________________________________

GRUPO I
1. Considere o texto seguinte e responda às questões seguintes. Coloque um X na letra correcta.
«“Subitamente, a lâmina afiada pareceu cair entre as minhas coxas e cortou um pedaço de carne do meu
corpo. Gritei de dor apesar da mão firme na minha boca, porque a dor não era apenas uma dor, era como
um ferro em brasa que percorria o meu corpo todo. Ao fim de alguns momentos, vi uma poça de sangue
à volta das minhas ancas. Não sabia o que tinham cortado do meu corpo, nem tentei descobrir. Apenas
chorei e gritei pela minha mãe. O choque mais brutal foi quando olhei em volta e a vi em pé, a meu lado.”
É assim que a egípcia Nawal Al Saadawi conta como aos seis anos lhe cortaram o clitóris. O relato está
no livro “The Hidden Face of Eve” (1977), que se tornou uma obra de referência sobre direitos das
mulheres no mundo árabe.»
Alexandra Lucas Coelho, Revista Pública.

1.1. Segundo um defensor da teoria do relativismo moral e cultural, a prática descrita no


texto é:
A. Moralmente correcta, se estiver de acordo com a palavra divina.
B. Moralmente correcta, se estiver de acordo com os hábitos de uma minoria dos membros dessa
sociedade.
C. Moralmente incorrecta ou correcta, pois depende da opinião de cada pessoa.
D. Moralmente incorrecta porque só tem como justificação a tradição.
E. Moralmente incorrecta porque não tem qualquer justificação racional.
F. Moralmente correcta, se estiver de acordo com a opinião da maior parte dos membros dessa
sociedade.

1.2. Algumas pessoas defendem que criticar a prática da excisão significa desrespeitar a
cultura dessa sociedade e assumir uma atitude etnocêntrica. Esta afirmação é
verdadeira de acordo com:
A. A teoria do relativismo.
B. A teoria dos mandamentos divinos.
C. A teoria do relativismo moral e cultural.
D. A teoria do objectivismo moral.
E. A teoria do subjectivismo moral.
F. Nenhuma das teorias anteriores.

1.3. Para avaliar a prática descrita no texto como moralmente inadmissível, temos de
considerar que:
A. Todos os valores são objectivos.
B. Todos os valores são subjectivos.
C. Há valores subjectivos e relativos.
D. Há valores absolutos e subjectivos.
E. Há valores universais e objectivos.
F. Há valores relativos e objectivos.
5
2. Indique se as frases a seguir apresentadas são verdadeiras (V) ou falsas (F).
A. Na perspectiva de James Rachels, alguns princípios morais - como não matar ou não mentir – são
universais, pois são essenciais à vida em qualquer sociedade. ____

B. Para os defensores da teoria dos mandamentos divinos, a verdade ou falsidade dos juízos morais depende
do código moral individual. ____

C. Os defensores da teoria dos mandamentos divinos consideram que há um código moral absoluto para
avaliar a verdade das crenças ou das práticas morais. ____

D. Como há várias religiões que interpretam de modo diferente o valor de verdade dos juízos morais isso
demonstra que a teoria dos mandamentos divinos é correcta. ____

E. Um argumento a favor da teoria dos mandamentos divinos é que nem todas as pessoas acreditam que Deus
existe. ____

F. De acordo com os defensores do relativismo moral e cultural pode-se concluir, a partir da existência da
diversidade cultural, que o valor de verdade dos juízos morais diz respeito à cultura e à sociedade.____

G. O objectivismo moral considera que a justificação do valor de verdade dos juízos morais é factual, isto é diz
respeito à verificação de factos.____

H. Na perspectiva dos defensores do objectivismo moral, a verdade ou falsidade dos juízos morais depende do
ponto de vista de cada sujeito. ____

I. Certas normas morais (como ser honesto, por exemplo) apresentam-se ao agente, segundo Kant, como um
imperativo categórico. ____

J. A defesa do relativismo cultural conduz ao inconformismo. ____

K. Para os defensores do objectivismo moral, a aceitação das ideias do relativismo moral e cultural conduz à
intolerância, pois não permite criticar costumes que são desumanos e intoleráveis. ____

GRUPO II
1. Considere os seguintes exemplos:

A. Primo Levi - um jovem químico italiano de origem judaica, deportado para Auschwitz em 1944 – descreveu
a sua experiência, neste campo de extermínio nazi, no livro “Se isto é um homem”. “(…) um operário civil
italiano (Lorenzo) trouxe-me um bocado de pão (…), todos os dias, durante seis meses; ofereceu-me uma
camisola sua cheia de remendos; escreveu por mim um postal para Itália e fez-me chegar a resposta. Por
tudo isto, não pediu nem aceitou alguma compensação, porque era bom e simples, e não achava que o
bem devesse fazer-se para obter compensações.”

B. O Hipólito roubou dinheiro da empresa onde trabalhava. Com esse dinheiro pagou algumas despesas com
a educação do filho. O seu patrão, que ao contrário dele era rico, não conseguiu descobrir quem tinha sido
o autor do furto.

C. O médico Rui Coelho considera que “não há legitimidade para a mentira. Quer na infidelidade, quer na
doença oncológica, deve-se sempre dizer a verdade” (Revista Pública, 19 de Novembro de 2006).

D. A Felisberta, ao discutir com a sua melhor amiga, pensou em mentir. Mas não o fez, pois é católica e sabe
que não é essa a vontade de Deus.

E. A Bertília decidiu doar, anonimamente, toda a sua fortuna ao Refúgio Aboim Ascenção, em Faro, porque
encontra grande alegria no alívio do sofrimento das crianças abandonadas ou maltratadas pelos pais.

1.1. Indique se as acções referidas em cada um dos exemplos anteriores são praticadas: por
dever (PD), contra o dever (CD) ou em conformidade com o dever (CONFORME D).
A. ________________________B. ______________________C._________________
B. ________________________ E.______________________
6
1.2. Indique a letra ou letras correspondentes às acções que são praticadas, segundo Kant,
devido a um imperativo categórico.

____________________________________________________________________
1.3. Indique a letra ou letras correspondentes às acções praticadas devido a um imperativo
hipotético.

____________________________________________________________________
1.4. Identifique o exemplo ou exemplos que, na perspectiva kantiana, correspondem a acções
sem valor moral. Escreva apenas a letra ou letras correspondentes.

____________________________________________________________________
1.5. Indique o valor e a norma moral presentes nos exemplos C e E.

____________________________________________________________________
_________________________________________________________
GRUPO III
1. Considere as seguintes frases:
A. Os prazeres intelectuais são qualitativamente superiores aos sensoriais.
B. Há circunstâncias em que, para avaliar correctamente a moralidade de uma acção, não
importam apenas as consequências futuras, mas é necessário conhecer razões referentes
ao passado.
C. Ao praticar a acção o agente deve ser imparcial.
D. O motivo é irrelevante para a moralidade da acção.
E. O valor moral da acção depende exclusivamente da intenção do agente.
F. Para uma acção ter valor moral a vontade deve subordinar-se inteiramente a motivos de
natureza racional.
G. Uma objecção que se pode colocar à aplicação do princípio da utilidade é a seguinte: as
pessoas têm direitos fundamentais (o direito à vida e à privacidade, por exemplo) que não
devem ser desrespeitados em nome do bem comum.
H. Numa situação onde estão envolvidas pessoas que merecem, por motivos afectivos, da
parte do agente um tratamento preferencial, torna-se problemático pôr em prática a
imparcialidade.
I. Certos deveres constituem obrigações morais sejam quais forem as suas consequências.
J. Quando não é possível compatibilizar a felicidade individual com a promoção do bem-estar
geral, não faz sentido o sujeito abdicar da sua felicidade pessoal a favor de estranhos.
K. As normas morais estão subordinadas ao princípio da utilidade.
L. Uma máxima é moralmente aceitável se puder ser universalizada.
M. Pode acontecer, ao seguirmos o critério consequencialista, que seja difícil ou até mesmo
impossível antecipar se os resultados de uma acção serão bons ou maus.

1.1. Indique a alínea ou as alíneas que caracterizam a teoria utilitarista de Stuart Mill.

__________________________________________________________________________

1.2. Indique a alínea ou as alíneas que caracterizam a teoria deontológica de Kant.

__________________________________________________________________________

1.3. Indique a alínea ou as alíneas que apresentam críticas à teoria utilitarista de Stuart Mill.

__________________________________________________________________________

Cotações: Grupo I: 1. 30 Pontos; 2. 33 Pontos /Grupo II: 1.1. 10 Pontos;1. 2. 10 Pontos; 1.3. 10 Pontos; 1.4. 15
Pontos; 1.5. 27 Pontos /Grupo III: 1. 1.1. 25 Pontos; 1.2. 20 Pontos; 1.3. 20 Pontos / Total: 200 Pontos (= 20 valores)
Bom Trabalho! A professora: Sara Raposo.

7
Escola Secundária de Pinheiro e Rosa
Ano lectivo: 2010/2011
CURSO: Científico-humanísticos
DEPARTAMENTO DE
CIÊNCIAS SOCIAIS E DATA: 14/02/2011
HUMANAS
Filosofia – 10º Ano

Subdepartamento Curricular
de Filosofia, Psicologia e
Critérios de correcção da 4ª Ficha de Duração: 35 minutos
Sociologia avaliação
Versão B

GRUPO I
1. (30 Pontos)
1.1. F
1.2. C
1.3. E

2. (33 Pontos)
A. V
B. F
C. V
D. F
E. F
F. V
G. F
H. F
I. V
J. F
K. V
GRUPO II

1./ 1.1. (10 Pontos)

A. PD (por dever).
B. CD (contra o dever).
C. PD (por dever).
D. CONFORME D (em conformidade com o dever).
E. CONFORME D (em conformidade com o dever).

1.2. (10 Pontos) - A e C


1.3. (10 Pontos) - D, E e B
1.4. (15 Pontos) - B, D e E
1.5. (27 Pontos)

C. Valor: a verdade. Norma moral: Deve-se dizer sempre a verdade.

E. Valor: a solidariedade. Norma moral: Deve-se ajudar os mais necessitados.

Nota: Os alunos não têm de usar, exactamente, estes conceitos e estas frases. Poderiam expressar
estas ideias por outras palavras, por exemplo na alínea E, a norma moral poderia ser formulada deste
modo: “Deve-se proteger as crianças indefesas”.

GRUPO III
1. / 1.1. (25 Pontos) - A, C, D e K

1.2. (20 Pontos) - C, E, F, I e L

1.3. (20 Pontos) – B, G, H, J e M Bom Trabalho! A professora: Sara Raposo.