Vous êtes sur la page 1sur 11

MINISTÉRIO DA DEFESA

COMANDO DA AERONÁUTICA

CONTABILIDADE

ICA 172-2

COBRANÇA DE SERVIÇOS PRESTADOS


PELOS ÓRGÃOS DO SISCEAB

2005
MINISTÉRIO DA DEFESA
COMANDO DA AERONÁUTICA
DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO

CONTABILIDADE

ICA 172-2

COBRANÇA DE SERVIÇOS PRESTADOS


PELOS ÓRGÃOS DO SISCEAB

2005
MINISTÉRIO DA DEFESA
COMANDO DA AERONÁUTICA
DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO

PORTARIA DECEA N° 69/DGCEA, DE 11 DE MAIO DE 2005.

Aprova a reedição da Instrução sobre os


procedimentos para a cobrança de
serviços prestados pelos órgãos do
SISCEAB, não cobertos pelas tarifas.

O DIRETOR-GERAL DO DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO


ESPAÇO AÉREO, no uso das atribuições que lhe confere o Artigo 5°, inciso III, do
Regulamento do DECEA, aprovado pela Portaria n°28/GC3, de 7 de janeiro de 2002,

RESOLVE:

Art. 1° - Aprovar a reedição da ICA 172-2 “Cobrança de serviços prestados


pelos órgãos do SISCEAB”, que com esta baixa.

Art. 2° - Esta Instrução entra em vigor em 1º de maio de 2005.

Art. 3º - Revoga-se a Portaria DECEA Nº 196/DGCEA, de 22 de dezembro de


2003, publicada no Boletim Interno do DECEA nº 240, de 23 de dezembro de 2003.

(a) Ten Brig Ar JOSÉ AMÉRICO DOS SANTOS


Diretor-Geral do DECEA

(Publicada no BCA nº 112, de 20 de junho de 2005)


ICA 172-2 / 2005

SUMÁRIO

1 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES........................................................................................ 7
1.1 FINALIDADE........................................................................................................................... 7
1.2 ÂMBITO.................................................................................................................................... 7
1.3 FUNDAMENTO LEGAL......................................................................................................... 7
1.4 CONCEITUAÇÕES E DEFINIÇÕES...................................................................................... 7

2 DISPOSIÇÕES GERAIS........................................................................................................ 8

3 DISPOSIÇÕES FINAIS.......................................................................................................... 9

Anexo A - Meteorologia - Disponibilização de dados climatológicos e laudos............... 10


ICA 172-2 / 2005

1 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1.1 FINALIDADE

A presente Instrução tem por finalidade estabelecer as normas e os


procedimentos para a cobrança dos serviços não remunerados pelas tarifas de uso das
comunicações e dos auxílios à navegação aérea em rota, prestados pelos órgãos do Sistema de
Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB) a pessoas físicas e empresas privadas.

1.2 ÂMBITO

A presente instrução aplica-se a todos os órgãos do SISCEAB.

1.3 FUNDAMENTO LEGAL

Lei nº 7.565, de 19 de dezembro de 1986 – Código Brasileiro de Aeronáutica.

1.4 CONCEITUAÇÕES E DEFINIÇÕES

1.4.1 UNIDADE GESTORA EXECUTORA (UGE)

É a Unidade Administradora que gerencia e processa recursos creditícios,


financeiros e realiza atos de gestão patrimonial.

1.4.2 USUÁRIO

Pessoa física ou jurídica que requeira os serviços constantes dos Anexos.


8 ICA 172-2 / 2005

2 DISPOSIÇÕES GERAIS

2.1 As normas e procedimentos para a cobrança dos serviços prestados pelos órgãos do
SISCEAB deverão obedecer ao disposto nesta Instrução.

2.2 Todos os serviços prestados não cobertos pelas tarifas deverão ser discriminados pelos
órgãos do SISCEAB prestadores desses serviços e incluídos em lista contendo os seus
respectivos valores, sendo essa lista submetida à apreciação do Exmo. Sr. Chefe do
Subdepartamento de Administração do DECEA.

2.3 Uma vez aprovada, a citada lista de serviços será considerada como um anexo à presente
Instrução e só então será dado início à cobrança dos serviços nela constantes.

2.4 Anualmente, serão atualizados os preços constantes dos Anexos desta Instrução, de acordo
com a variação efetiva observada nos custos de prestação dos serviços.

2.5 Os recursos arrecadados pelos órgãos do SISCEAB constituirão receitas da Fonte


250120520 e serão escriturados conforme a ICA 172-4 “Execução Orçamentária, Financeira e
Patrimonial dos Recursos Alocados às Unidades Gestoras – País”.

2.6 Qualquer custo adicional, relativo à remessa de informações solicitadas será incluído no
preço do serviço.

2.7 Os serviços executados serão indenizados mediante pagamento à vista, sendo que o
fornecimento dos serviços e/ou informação de dados constantes dos Anexos desta Instrução
ficará condicionado ao recolhimento prévio das importâncias correspondentes.
ICA 172-2 / 2005 9

3 DISPOSIÇÕES FINAIS

3.1 Esta Instrução entrará em vigor a partir de 1º de abril de 2005.

3.2 Esta Instrução substitui a ICA 172-2 de 1º de janeiro de 2004, aprovada pela Portaria
DECEA Nº 196/DGCEA de 22 de dezembro de 2003.

3.3 Os casos não previstos nesta Instrução serão submetidos ao Exmo. Sr. Diretor-Geral do
Departamento de Controle do Espaço Aéreo.

3.4 As sugestões que visem o aperfeiçoamento desta Instrução deverão ser encaminhadas
para:

DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO


Subdepartamento de Administração
Av. General Justo, 370 – 3º Andar Centro
CEP 20021-130 - RIO DE JANEIRO, RJ
TEL: (0 XX 21) 2101-6322
TELEFAX: (0 XX 21) 2101-6302

3.5 Esta publicação poderá ser adquirida através de solicitação ao:

PARQUE DE MATERIAL DE ELETRÔNICA DA AERONÁUTICA


SETOR DE ASSINATURAS
Rua General Gurjão, 4 – Caju
CEP 20931-040 - RIO DE JANEIRO, RJ
TEL: (0 XX 21) 2101-6252, 2101-6557 e 2585-3202 Ramal 363
TELEFAX: (0 XX 21) 2101-6252 e 2585-3202 Ramal 363
10 ICA 172-2 / 2005

Anexo A - Meteorologia - Disponibilização de dados climatológicos e laudos

1 CONCEITUAÇÕES E DEFINIÇÕES

1.1 BANCO DE DADOS CLIMATOLÓGICOS

Instalado no Instituto de Controle do Espaço Aéreo, sob a responsabilidade da


Subdivisão de Estudos Climatológicos da Divisão de Pesquisa e Desenvolvimento. Sua
função é a de prover o SISCEAB de uma base estatística de dados climatológicos, de
superfície e de altitude, aplicáveis à aviação e ao planejamento estratégico, técnico e
operacional.

1.2 DADO CLIMATOLÓGICO

Parâmetro meteorológico obtido de levantamento estatístico com base em


dados meteorológicos.

1.3 DADO METEOROLÓGICO

Dado observado de uma determinada variável meteorológica.

1.4 VARIÁVEL METEOROLÓGICA

Elemento atmosférico de interesse para o Serviço de Meteorologia, registrado


regularmente por uma Estação Meteorológica.

2 GENERALIDADES

2.1 Os registros dos dados meteorológicos realizados nos Centros Meteorológicos, Estações
Meteorológicas de Superfície e Altitude e Estações de Radares Meteorológicos, operados no
âmbito do SISCEAB, são de propriedade do Comando da Aeronáutica.

2.2 Estes registros preservados em Impressos contendo dados de observações de superfície e


altitude, hidrotermogramas, pluviogramas, heliogramas, barogramas, diagramas
termodinâmicos, cartas sinóticas, imagens de satélites e radar, microfilmados, digitalizados ou
em qualquer outro meio, constituem o acervo climatológico.

2.3 Os registros dos dados, gerados pelos órgãos operacionais de Meteorologia Aeronáutica,
são digitalizados sob o controle dos CINDACTA/SRPV e enviados ao ICEA para
arquivamento, onde são classificados e processados para a geração de dados climatológicos.

2.4 Os dados meteorológicos que compõe o acervo climatológico não poderão ser
disponibilizados.

2.5 Os CINDACTA/SRPV e o ICEA deverão elaborar, semestralmente, relatório no qual


esteja inserida a Planilha Informativa de Fornecimento de Dados Climatológicos (deste
Anexo) e enviá-lo à Divisão de Meteorologia Aeronáutica do DECEA, até 15 dias após o
término de cada semestre.
ICA 172-2 / 2005 11

Continuação do Anexo A - Meteorologia - Disponibilização de dados climatológicos e


laudos

3 DISPONIBILIZAÇÃO

Os dados climatológicos gerados e sob o controle dos CINDACTA/SRPV ou


do ICEA, poderão ser disponibilizados mediante autorização do respectivo
Comandante/Diretor, conforme os procedimentos a seguir.

NOTA : Não deverá ser fornecida a base de dados meteorológicos usada para cálculo do
levantamento climatológico.

3.1 FORNECIMENTO SEM RESSARCIMENTO

Os dados climatológicos, quando solicitados por órgãos pertencentes ao


Ministério da Defesa ou por instituições públicas, da esfera federal, estadual ou municipal,
desde que especificada a sua utilização.

NOTA : No documento que acompanhará o levantamento climatológico fornecido a órgãos


externos ao Comando da Aeronáutica, deverá constar a informação de que os
mesmos não poderão ser repassados a terceiros e nem utilizados para fins lucrativos,
sem autorização do DECEA.

3.2 FORNECIMENTO COM RESSARCIMENTO

Os dados climatológicos, quando solicitados por empresas privadas ou pessoas


físicas, conforme Tabelas de Preços para fornecimento de dados(Item 4 deste Anexo).

NOTA 1: O fornecimento das informações de que trata essa Instrução ficará condicionado ao
recolhimento prévio dos valores correspondentes.

NOTA 2: Os recursos provenientes da cobrança dos valores serão escriturados conforme esta
publicação.

4 TABELA DE PREÇOS PARA FORNECIMENTO DE DADOS CLIMATOLÓGICOS

DADOS CLIMATOLÓGICOS

VALOR
DESCRIÇÃO UNITÁRIO EM
R$
De 1.350 até 10.000 dados 0,011
De 10.001 até 50.000 dados 0,01
De 50.001 até 200.000 dados 0,008
De 200.001 até 500.000 dados 0,006
Acima de 500.000 dados 0,004

NOTA 1: Os dados climatológicos fornecidos poderão ser registrados ou computados.

NOTA 2: Abaixo de 1.350 dados, o valor fixo a ser cobrado será R$ 13,50 (treze reais e
cinqüenta centavos).
12 ICA 172-2 / 2005

EXEMPLOS DE CÁLCULOS

EXEMPLO 1:

Determinada empresa solicita dados de temperatura média anual de Vitória, no


ano de 1950.

Como a variável meteorológica solicitada é de uma EMS que opera H-24, para
calcular o número de dados teremos:

365 dias X 24 observações horárias = 8.760 dados

Consulta-se, então, a Tabela e verifica-se em que faixa a quantidade de dados está


situada e qual o seu valor unitário.

A quantidade de 8.760 dados está situada entre 1.350 e 10.000 e corresponde ao


valor unitário de R$ 0,011.

Aplicando-se a Tabela, o valor total a ser cobrado será:

8.760 X 0,011 = R$ 96,36

EXEMPLO 2:

Digamos que a solicitação anterior fosse para um período de 5 anos.

Cálculo do valor a ser cobrado:

1) Calcula-se a quantidade de dados:

8.760 X 5 = 43.800 dados

2) A quantidade de 43.800 dados está situada entre 10.001 e 50.000 e corresponde


ao valor unitário de R$ 0,01.

3) Aplicando-se a Tabela, calcula-se o valor total a ser cobrado:

43.800 X 0,01 = R$ 438,00

EXEMPLO 3:

Se outras variáveis meteorológicas tivessem sido solicitadas, além da temperatura


média anual, como a média da direção e velocidade do vento e da pressão atmosférica, o total
de dados pedidos seria relativo a 3 variáveis.

1) Calcula-se a quantidade de dados:

43.800 X 3 = 131.400 dados

2) A quantidade de 131.400 dados está situada entre 50.001 e 200.000 e


corresponde ao valor unitário R$ 0,008.
ICA 172-2 / 2005 13

Continuação do Anexo A - Meteorologia - Disponibilização de dados climatológicos e


laudos

3) Aplicando-se a Tabela, calcula-se o valor total a ser cobrado:

131.400 X 0,008 = R$ 1.051,20

5 PLANILHA INFORMATIVA DE FORNECIMENTO DE DADOS


CLIMATOLÓGICOS

SEM RESSARCIMENTO
ÓRGÃO REGIONAL: SEMESTRE/ANO:
TOTAL DE SOLICITAÇÕES TOTAL DE ATENDIMENTOS

COM RESSARCIMENTO

ÓRGÃO REGIONAL: SEMESTRE/ANO:


TOTAL DE SOLICITAÇÕES TOTAL DE ATENDIMENTOS VALOR ARRECADADO