Vous êtes sur la page 1sur 17

POLÍCIA MILITAR

DA BAHIA
Subcomando-Geral - n.º 002 - 07 de março de 2014

LEGISLAÇÃO, JURISPRUDÊNCIA
E NORMAS GERAIS

189 Anos servindo à sociedade

LJNG
o
SUPL/LJNG 07 de março de 2014 n. 002

SUMÁRIO

SUPLEMENTO LJNG N.º 002

07 DE MARÇO DE 2014

SEXTA- FEIRA

1 - INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 01, DE 07 DE MARÇO DE 2014

Pág. 2
o
SUPL/LJNG 07 de março de 2014 n. 002

a. INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 01


(Transcrição de DOE)
Estabelece procedimento para a apuração e pagamento do Prêmio por
Desempenho Policial - PDP, instituído pela Lei nº 12.371, de 21 de dezembro de
2011, e regulamentado pelo Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro 2014.

O SECRETÁRIO DA SEGURANÇA PÚBLICA, no uso de suas


atribuições legais e tendo em vista a necessidade de disciplinar os procedimentos
para a apuração e o pagamento do Prêmio por Desempenho Policial - PDP,
instituído pela Lei nº 12.371, de 21 de dezembro de 2011, e regulamentado pelo
Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro 2014, resolve expedir a seguinte,

INSTRUÇÃO:

1. No período compreendido entre 1º de janeiro e último dia do mês de


fevereiro de cada ano, para aferir o alcance da meta de redução percentual de
Crimes Violentos Letais Intencionais - CVLI, com base nos números absolutos
de vítimas destes crimes, ocorridos no Estado da Bahia, no ano base e no ano de
referência, considerando os disposto nos artigos 2º e 15 do Decreto nº 14.953,
de 07 de fevereiro 2014, serão executadas as seguintes atividades:

1.1. Coleta no Sistema de Gestão da Estatística - SGE dos dados relativos


aos números absolutos de vítimas de CVLI, ocorridos no Estado da Bahia, no
ano base e no ano de referência e tabulação dos mesmos, estratificados por Área
Integrada de Segurança Pública - AISP, atividade sob a responsabilidade da
Superintendência de Gestão Integrada da Ação Policial - SIAP.

1.2. Cálculo do número de habitantes do Estado da Bahia, no ano base e


no ano de referência, a partir de dados oficiais do Instituto Brasileiro de Geografia

Pág. 3
o
SUPL/LJNG 07 de março de 2014 n. 002

e Estatística - IBGE, com estimativa até o mês de julho dos referidos anos, atividade
sob a responsabilidade da SIAP.

1.2.1. Também será calculado o número de habitantes de cada AISP, no


ano base, a partir de dados oficiais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
- IBGE, com estimativa até o mês de julho do referido ano.

1.3. Fechamento do SGE para novos lançamentos relativos ao ano base


no dia 10 de fevereiro, atividade sob a responsabilidade da Superintendência de
Gestão Tecnológica e Organizacional - SGTO, permitindo-se posteriormente
apenas a correção de inconsistências pela Coordenação de Documentação e
Estatística Policial - CDEP.

1.4. Elaboração do quadro com dados para o Estado da Bahia e suas


AISP, atividade sob a responsabilidade da SIAP, contendo as seguintes
informações:

a) os números absolutos de vítimas de CVLI ocorridos no Estado da Bahia,


no ano base e no ano de referência, acompanhados da respectiva variação
percentual.

b) as taxas de vítimas de CVLI por grupo de 100.000 (cem mil) habitantes


para o Estado da Bahia, no ano base e no ano de referência.

c) os números absolutos de vítimas de CVLI ocorridos no Estado da Bahia


estratificados por AISP, no ano base e no ano de referência, acompanhados da
respectiva variação percentual.

d) as taxas de vítimas de CVLI por grupo de 100.000 (cem mil) habitantes


por AISP, no ano base.

Pág. 4
o
SUPL/LJNG 07 de março de 2014 n. 002

e) os números de habitantes do Estado da Bahia e de cada AISP, calculado


pela Secretaria da Segurança Pública com base em dados oficiais do IBGE, nos
termos do item 1.2 desta Instrução.

1.5. Publicação do quadro previsto no item 1.4 desta Instrução, atividade


sob a responsabilidade do Gabinete do Secretário - GASEC:

1.5.1. Na hipótese do Estado da Bahia não alcançar percentual de redução


do número de vítimas de CVLI igual ou superior a 50% (cinqüenta por cento) da
meta percentual estabelecida para o ano base, as atividades previstas nos itens
seguintes desta Instrução não serão executadas.

2. Em até 10 dias depois da publicação referida no item 1.5 desta Instrução,


o Núcleo de Gestão do Sistema de Defesa Social - NG, criado pela Lei nº 12.357,
de 26 de setembro de 2011, deverá elaborar as listas indicadas no art. 16 do
Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro 2014, por meio das atividades descritas
nos subitens adiante enumerados:

2.1. Elaboração das listas classificatórias das AISP, em razão da variação


da quantidade de vítimas CVLI, em números absolutos e em percentual, no Estado
da Bahia, no Interior do Estado e em Salvador e sua Região Metropolitana.

2.1.1. O percentual de redução do número de vítimas de CVLI será


considerado até a primeira casa decimal, sem a aplicação de regras de aproximação
matemática.

2.1.2. Caso duas ou mais AISP apresentem o mesmo percentual de redução


do número de vítimas de CVLI no ano base, serão adotados os seguintes critérios
de desempate:

Pág. 5
o
SUPL/LJNG 07 de março de 2014 n. 002

2.1.2.1. Maior redução absoluta do número de vítimas de CVLI no ano


base em relação ao ano de referência;

2.1.2.2. Maior população na AISP, segundo valores calculados pela


Secretaria da Segurança Pública, a partir de dados oficiais do IBGE.

2.1.3. Caso duas ou mais AISP apresentem a mesma redução do número


de vítimas de CVLI em números absolutos, no ano base, serão adotados os
seguintes critérios de desempate:

2.1.3.1. Maior redução percentual em relação ao ano anterior, calculada


com 03 casas decimais;

2.1.3.2. Maior população na AISP, segundo valores calculados pela


Secretaria da Segurança Pública, a partir de dados oficiais do IBGE.

2.2. Elaboração das listas de unidades cujos servidores estão habilitados à


percepção do PDP-1, PDP-2, PDP-3 e PDP-4:

2.2.1. A definição das AISP habilitadas à percepção do PDP-1 em cada


lista classificatória será realizada por meio das etapas adiante estipuladas, cuja
execução garante a observância dos critérios previstos nos artigos 9º e 10 do
Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro 2014, verificando-se sempre o alcance da
meta anual de redução percentual do número de vítimas de CVLI estipulada em
cada caso:

2.2.1.1. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base na


alínea b, do inciso I, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro 2014,
que corresponderá à ocupante da 1ª posição na lista classificatória cuja ordem
baseia-se na variação percentual de redução do número de vítimas de CVLI
para o Estado da Bahia.

Pág. 6
o
SUPL/LJNG 07 de março de 2014 n. 002

2.2.1.2. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base na


alínea a, do inciso I, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro 2014,
que corresponderá à ocupante da 1ª posição na lista classificatória cuja ordem
baseia-se na variação do número absoluto de vítimas de CVLI para o Estado da
Bahia.

2.2.1.3. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base na


alínea b, do inciso II, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro 2014,
que corresponderá à ocupante da 2ª posição na lista classificatória cuja ordem
baseia-se na variação percentual de redução do número de vítimas de CVLI para
o Estado da Bahia.

2.2.1.4. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base na


alínea a, do inciso II, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro 2014,
que corresponderá à ocupante da 2ª posição na lista classificatória cuja ordem
baseia-se na variação do número absoluto de vítimas de CVLI para o Estado da
Bahia.

2.2.1.5. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base na


alínea d, do inciso II, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro 2014,
que corresponderá à ocupante da 1ª posição na lista classificatória cuja ordem
baseia-se na variação percentual de redução do número de vítimas de CVLI para
a Capital e RMS.

2.2.1.5.1. Na hipótese da AISP habilitada corresponder a uma das definidas


por força do disposto nos itens 2.2.1.1 a 2.2.1.4, será considerada habilitada a
AISP na posição imediatamente seguinte, desde que não verificada a mesma
situação.

Pág. 7
o
SUPL/LJNG 07 de março de 2014 n. 002

2.2.1.6. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base


na alínea c, do inciso II, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro
2014, que corresponderá à ocupante da 1ª posição na lista classificatória cuja
ordem baseia-se na variação do número absoluto de vítimas de CVLI para a
Capital e RMS.

2.2.1.6.1. Na hipótese da AISP habilitada corresponder a uma das definidas


por força do disposto nos itens 2.2.1.1 a 2.2.1.5, será considerada habilitada a
AISP na posição imediatamente seguinte, desde que não verificada a mesma
situação.

2.2.1.7. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base


na alínea f, do inciso II, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro
2014, que corresponderá à ocupante 1ª posição na lista classificatória cuja ordem
baseia-se na variação percentual de redução do número de vítimas de CVLI
para o Interior.

2.2.1.7.1. Na hipótese da AISP habilitada corresponder a uma das definidas


por força do disposto nos itens 2.2.1.1 a 2.2.1.4, será considerada habilitada a
AISP na posição imediatamente seguinte, desde que não verificada a mesma
situação.

2.2.1.8. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base


na alínea e, do inciso II, art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro 2014,
que corresponderá à ocupante 1ª posição na lista classificatória cuja ordem baseia-
se na variação do número absoluto de vítimas de CVLI para o Interior.

2.2.1.8.1. Na hipótese da AISP habilitada corresponder a uma das definidas


por força do disposto nos itens 2.2.1.1 a 2.2.1.4 e 2.2.1.7, será considerada
habilitada a AISP na posição imediatamente seguinte, desde que não verificada a
mesma situação.

Pág. 8
o
SUPL/LJNG 07 de março de 2014 n. 002

2.2.1.9. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base na


alínea b, do inciso III, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro 2014,
que corresponderá à ocupante da 3ª posição na lista classificatória cuja ordem
baseia-se na variação percentual de redução do número de vítimas de CVLI para
o Estado da Bahia.

2.2.1.9.1. Na hipótese da AISP habilitada corresponder a uma das definidas


por força do disposto nos itens 2.2.1.5 a 2.2.1.8, será considerada habilitada a
AISP na posição imediatamente seguinte, desde que não verificada a mesma
situação.

2.2.1.1.0. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base


na alínea a, do inciso III, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro
2014, que corresponderá à ocupante da 3ª posição na lista classificatória cuja
ordem baseia-se na variação do número absoluto de vítimas de CVLI para o
Estado da Bahia.

2.2.10.1. Na hipótese da AISP habilitada corresponder a uma das definidas


por força do disposto nos itens 2.2.1.5 a 2.2.1.9, será considerada habilitada a
AISP na posição imediatamente seguinte, desde que não verificada a mesma
situação.

2.2.1.11. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base na


alínea d, do inciso III, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro 2014,
que corresponderá à ocupante da 2ª posição na lista classificatória cuja ordem
baseia-se na variação percentual de redução do número de vítimas de CVLI para
a Capital e RMS.

2.2.1.11.1. Na hipótese da AISP habilitada corresponder a uma das definidas


por força do disposto nos itens 2.2.1.1 a 2.2.1.6 ou 2.2.1.9 a 2.2.1.10, será
considerada habilitada a AISP na posição imediatamente seguinte, desde que não
verificada a mesma situação.

Pág. 9
o
SUPL/LJNG 07 de março de 2014 n. 002

2.2.1.12. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base


na alínea c, do inciso III, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro
2014, que corresponderá à ocupante da 2ª posição na lista classificatória cuja
ordem baseia-se na variação do número absoluto de vítimas de CVLI para a
Capital e RMS.

2.2.1.12.1. Na hipótese da AISP habilitada corresponder a uma das


definidas por força do disposto nos itens 2.2.1.1 a 2.2.1.6 ou 2.2.1.9 a 2.2.1.11,
será considerada habilitada a AISP na posição imediatamente seguinte, desde
que não verificada a mesma situação.

2.2.1.13. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base


na alínea f, do inciso III, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro
2014, que corresponderá à ocupante da 2ª posição na lista classificatória cuja
ordem baseia-se na variação percentual de redução do número de vítimas de
CVLI para o Interior.

2.2.1.13.1. Na hipótese da AISP habilitada corresponder a uma das


definidas por força do disposto nos itens 2.2.1.1 a 2.2.1.4 ou 2.2.1.7 a 2.2.1.10,
será considerada habilitada a AISP na posição imediatamente seguinte, desde
que não verificada a mesma situação.

2.2.1.14. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base


na alínea e, do inciso III, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro
2014, que corresponderá à ocupante da 2ª posição na lista classificatória cuja
ordem baseia-se na variação do número absoluto de vítimas de CVLI para o
Interior.

Pág. 10
o
SUPL/LJNG 07 de março de 2014 n. 002

2.2.1.14.1. Na hipótese da AISP habilitada corresponder a uma das definidas


por força do disposto nos itens 2.2.1.1 a 2.2.1.4 ou 2.2.1.7 a 2.2.1.10 ou 2.2.1.13,
será considerada habilitada a AISP na posição imediatamente seguinte, desde que
não verificada a mesma situação.

2.2.1.15. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base


na alínea b, do inciso IV, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro
2014, que corresponderá à ocupante da 3ª posição na lista classificatória cuja
ordem baseia-se na variação percentual de redução do número de vítimas de
CVLI para a Capital e RMS.

2.2.1.15.1. Na hipótese da AISP habilitada corresponder a uma das definidas


por força do disposto nos itens 2.2.1.1 a 2.2.1.6 ou 2.2.1.9 a 2.2.1.12, será
considerada habilitada a AISP na posição imediatamente seguinte, desde que não
verificada a mesma situação.

2.2.1.16. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base


na alínea a, do inciso IV, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro
2014, que corresponderá à ocupante da 3ª posição na lista classificatória cuja
ordem baseia-se na variação do número absoluto de vítimas de CVLI para a
Capital e RMS.

2.2.1.16.1. Na hipótese da AISP habilitada corresponder a uma das definidas


por força do disposto nos itens 2.2.1.1 a 2.2.1.6 ou 2.2.1.9 a 2.2.1.12, será
considerada habilitada a AISP na posição imediatamente seguinte, desde que não
verificada a mesma situação.

2.2.1.17. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base


na alínea d, do inciso IV, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro
2014, que corresponderá à ocupante da 3ª posição na lista classificatória cuja
ordem baseia-se na variação percentual de redução do número de vítimas de
CVLI para o Interior.

Pág. 11
o
SUPL/LJNG 07 de março de 2014 n. 002

2.2.1.17.1. Na hipótese da AISP habilitada corresponder a uma das


definidas por força do disposto nos itens 2.2.1.4 ou 2.2.1.7 a 2.2.1.10 ou 2.2.1.13
a 2.2.1.14, será considerada habilitada a AISP na posição imediatamente seguinte,
desde que não verificada a mesma situação.

2.2.1.18. Definição da AISP habilitada à percepção do PDP-1 com base


na alínea c, do inciso IV, do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro
2014, que corresponderá à ocupante da 3ª posição na lista classificatória cuja
ordem baseia-se na variação do número absoluto de vítimas de CVLI para o
Interior.

2.2.1.18.1. Na hipótese da AISP habilitada corresponder a uma das


definidas por força do disposto nos itens 2.2.1.4 ou 2.2.1.7 a 2.2.1.10 ou 2.2.1.13
a 2.2.1.14 ou 2.2.1.17, será considerada habilitada a AISP na posição
imediatamente seguinte, desde que não verificada a mesma situação.

2.2.2. Elaboração das listas classificatórias de unidades componentes de


AISP cujos servidores estão habilitados à percepção do PDP-1.

2.2.3. Identificação das unidades componentes de AISP que alcançaram


ou superaram a meta anual de redução percentual do número de vítimas de CVLI,
mas que não integram as listas classificatórias para o PDP-1.

2.2.4. Com base na identificação realizada no subitem 2.2.3 desta Instrução,


elaboração da lista de unidades componentes de AISP com direito à percepção
do PDP-2, conforme modelo constante no Anexo Único, para posterior
publicação.

2.2.5. Identificação das unidades componentes de AISP que não alcançaram


a meta anual de redução percentual do número de vítimas de CVLI, mas que
obtiveram redução em relação ao ano de referência.

Pág. 12
o
SUPL/LJNG 07 de março de 2014 n. 002

2.2.6. Com base nas identificações realizadas nos subitens 2.2.5 desta
Instrução, elaboração da lista de unidades com direito à percepção do PDP-4,
para análise e posterior publicação.

2.3. Encaminhamento das listas referidas nos itens 2.1 e 2.2 desta Instrução
para a Secretaria da Segurança Pública do Estado, dirigido à SIAP.

2.4. Validação das listas referidas nos itens 2.1 e 2.2 desta Instrução pelo
Secretário da Segurança Pública do Estado.

2.5. Encaminhamento das listas para a Polícia Militar do Estado da Bahia -


PMBA, a Polícia Civil do Estado da Bahia - PCBA e o Departamento de Polícia
Técnica - DPT, atividade sob a responsabilidade do GASEC.

3. Os dirigentes máximos da PMBA, da PCBA e do DPT, bem como o


Diretor Geral da Secretaria da Segurança Pública - DG/SSP, quando se tratar de
servidores lotados nesta Secretaria, deverão encaminhar ao Secretário da
Segurança Pública, até o dia 30 (trinta) de março de cada ano, a relação dos
servidores que fazem jus à percepção do PDP, por faixa de premiação, conforme
disposto nos artigos 9º e 17 do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro 2014, ao
final da execução das atividades adiante descritas:

3.1. Elaboração de lista dos servidores em exercício por unidade, a partir


de dados coletados no Sistema Integrado de Recursos Humanos - SIRH, atividade
sob a responsabilidade das unidades de recursos humanos da PMBA, da PCBA,
do DPT e da DG/SSP.

3.2. Identificação dos servidores que cumpriram o interstício mínimo de


180 (cento e oitenta) dias, ininterruptos ou não, de exercício nas unidades da
Secretaria da Segurança Pública ou dos seus órgãos em regime especial, no ano

Pág. 13
o
SUPL/LJNG 07 de março de 2014 n. 002

base, consideradas apenas as passagens por unidades com prazo igual ou superior
a 60 (sessenta) dias, utilizando-se a lista elaborada no item 3.1, atividade sob a
responsabilidade das unidades de recursos humanos da PMBA, da PCBA, do
DPT e da DG/SSP.

3.3. Identificação dos servidores que não percebem quaisquer das


gratificações enumeradas no art. 4º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro
2014, utilizando-se a lista elaborada no item 3.1, atividade sob a responsabilidade
das unidades de recursos humanos da PMBA, da PCBA, do DPT e da DG/
SSP.

3.4. Identificação dos servidores em exercício na Secretaria da Secretaria


Pública e seus órgãos vinculados, que, no ano base, tenham ingressado no quadro
de pessoal dos referidos órgãos, desde que em exercício há pelo menos 06 (seis)
meses durante o ano base, utilizando-se a lista elaborada no item 3.1, atividade
sob a responsabilidade das unidades de recursos humanos da PMBA, da PCBA,
do DPT e da DG/SSP.

3.5. Identificação dos servidores punidos com pena de restrição da liberdade


em processo criminal, após trânsito em julgado da sentença, durante a execução,
incluído o período de sua suspensão condicional, caso concedida, atividade sob
a responsabilidade das unidades de recursos humanos da PMBA, da PCBA, do
DPT e da DG/SSP.

3.6. Identificação dos servidores que exerceram suas atividades em mais


de uma unidade da Secretaria da Segurança Pública ou dos seus órgãos em
regime especial, verificando em qual unidade os mesmos passaram maior tempo,
utilizando-se a lista elaborada no item 3.1, atividade sob a responsabilidade das
unidades de recursos humanos da PMBA, da PCBA, do DPT e da DG/SSP.

Pág. 14
o
SUPL/LJNG 07 de março de 2014 n. 002

3.6.1. Em caso de períodos iguais, para fins de pagamento do PDP, o


servidor será considerado integrante da unidade na qual teve seu último exercício
no ano.

3.7. Identificação dos servidores que exerceram cumulativamente suas


atribuições em unidade diversa da qual tem exercício habitual, atividade sob a
responsabilidade das unidades de recursos humanos da PMBA, da PCBA, do
DPT e da DG/SSP.

3.8. Elaboração da relação dos servidores que fazem jus à percepção do


PDP, por faixa de premiação, contemplando o valor relativo ao acréscimo de que
trata o art. 14 do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro 2014, quando aplicável,
atividade sob a responsabilidade das unidades de recursos humanos da PMBA,
da PCBA, do DPT e da DG/SSP.

3.8.1. No que pertine ao pagamento do PDP-1, PDP-2 e PDP-4, este


último na hipótese consagrada na alínea “a” do inciso IV do art. 9º do Decreto nº
14.953, de 07 de fevereiro 2014, a elaboração da relação dos servidores que
fazem jus à percepção do PDP terá por base as listas de unidades componentes
de AISP validadas consoante o subitem 2.4 desta Instrução.

3.8.2. No que pertine ao pagamento do PDP-3, a elaboração da lista de


servidores habilitados à percepção terá por base as unidades listadas nas alíneas
e itens do inciso III do art. 9º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro 2014:

3.8.3. No que pertine ao pagamento do PDP-4, na hipótese consagrada


na alínea “b” do inciso IV do art. 4º do Decreto nº 14.953, de 07 de fevereiro
2014, a elaboração da lista de servidores habilitados à percepção terá por base
as unidades listadas nas alíneas e itens do referido dispositivo:

Pág. 15
o
SUPL/LJNG 07 de março de 2014 n. 002

3.8.4. No que pertine ao pagamento do PDP-5, a elaboração da lista de


servidores habilitados à percepção terá por base a identificação realizada no item
3.4 desta Instrução.

3.8.5. O servidor ocupante das carreiras mencionadas no art. 1° do Decreto


nº 14.953, de 07 de fevereiro 2014, investido em cargo em comissão da Secretaria
da Segurança Pública ou de seus órgãos em regime especial perceberá o Prêmio
que corresponder ao cargo efetivo, ou ao cargo em comissão, na forma do Anexo
I da Lei n° 12.371, de 21 de dezembro de 2011, prevalecendo o valor que for
maior.

3.9. Remessa para o Secretário da Segurança Pública da relação dos


servidores que fazem jus à percepção do PDP, por faixa de premiação,
contemplando o valor relativo ao acréscimo de que trata o art. 14 do Decreto nº
14.953, de 07 de fevereiro 2014, quando aplicável, dentro de autos protocolados
no Sistema de Protocolo Geral do Estado da Bahia pela PMBA, da PCBA, do
DPT e da DG/SSP.

3.9.1. A relação de servidores habilitados à percepção do PDP que será


remetida ao Secretário da Segurança Pública deverá ser subdividida segundo a
qualidade dos mesmos enquanto “ativo” ou “inativo”.

4. A Secretaria da Segurança Pública deverá publicar lista de unidades


cujos servidores fazem jus à percepção do PDP até o dia 05 (cinco) de abril de
cada ano.

5. Após a publicação referida no item 4 desta Instrução, as unidades de


recursos humanos da PMBA, da PCBA, do DPT e da DG/SSP tomarão as
seguintes providências:

Pág. 16
o
SUPL/LJNG 07 de março de 2014 n. 014

a) Lançamento dos valores devidos em folha de pagamento dos servidores


ativos;

b) Encaminhamento para a DG/SSP da lista dos servidores com direito à


percepção do PDP que se encontrem na qualidade de “inativos” em até 03 (três)
dias úteis após a publicação referida no item 4 desta Instrução, que as remeterá,
em conjunto, em até 05 (cinco) dias úteis após a publicação indicada no item 4,
para a Superintendência de Previdência da Secretaria da Administração, para fins
de adoção dos procedimentos para lançamento dos valores devidos na folha de
pagamento de inativos.

6. Os casos omissos e as dúvidas surgidas serão solucionados pelo


Secretário da Segurança Pública.

7. Esta Instrução Normativa entrará em vigor na data de sua publicação no


Diário Oficial do Estado da Bahia, revogando-se as disposições em contrário.

DOE de 07/03/2014

ALFREDO BRAGA DE CASTRO - CEL PM


COMANDANTE-GERAL

pág. 17