Vous êtes sur la page 1sur 4

Universidade Federal de Campina Grande

Centro de Engenharia Elétrica e Informática


Probabilidade e Estatística
Arthur de Araújo Farias

21 de Fevereiro de 2011

Notas de Aula

1 Introdução à probabilidade
Probabilidade é a medida da incerteza associada ao resultado de um experimento
aleatório. Ela deve fornecer quantitativamente o quão verossímil é a ocorrência
particular de um evento. Mas como atribuímos probabilidade aos eventos de
um espaço amostral?

1.1 Vertentes do Estudo da Probabilidade

• Freqüentista

• Clássica

• Axiomática

1.2 Probabilidade Freqüentista

Utiliza o conceito de freqüência relativa como ferramenta matemática para re-


alizar conclusões probabilísticas. É inviável quando os eventos não podem ser
repetidos com as mesmas circunstâncias experimentais.

1.2.1 Denição
Suponha que um evento é repetido n vezes. Seja A um evento associado ao
experimento e na o número de vezes que o evento A ocorre nas n repetições. A
freqüência relativa do evento A, representado por fa , é denido por:

fa= nna (1)

1.2.2 Propriedades
1. 0 ≤ fa ≤ 1.
2. fa = 1, se, e somente se, A ocorrer em todas as repetições do experimento.
3. fa = 0, se, e somente se, A não ocorrer em nenhuma das repetições do
experimento.

1
4. Se A e B forem eventos disjuntos e se fa∪b for a freqüência relativa asso-
ciada ao evento A ∪ B, então:

fa∪b = fa ∪ fb (2)

5. Ao repetir um experimento um grande número de vezes, a probabilidade


de um evento A é aproximadamente f_a, ou seja,

P (A) ∼
= fa (3)

1.2.3 Observações
1. A aproximação dada na fórmula 3 melhora quanto maior for o número de
amostras no experimento.

1.2.4 Exemplos
1. Considere as seguintes situações:

• Em uma pesquisa de opinião, 05 pessoas foram entrevistadas, dentre


elas, 04 disseram que votariam no candidato A.

• Em outra pesquisa de opinião, 300 pessoas foram entrevistadas, den-


tre elas, 140 disseram que votariam no candidato B.

(a) Para cada pesquisa, determine a probabilidade de uma pessoa qual-


quer votar no candidato A.

(b) Qual das duas medidas de probabilidade seria mais conável? Ex-
plique.

Resposta
Pesquisa 01: P (A) ∼
= fa = na
n = 4
5 = 0, 8
Pesquisa 02: P (A) ∼
= fa = na
n = 140
300 = 0, 467
A segunda medida de probabilidade é mais conável, devido ao fato
de a pesquisa que gerou tal estudo utilizar o método freqüentista.
Método este que depende de um espaço amostral bastante largo, pois,
quanto maior a repetição do evento, maior a proximidade entre o
valor verdadeiro de probabilidade e o valor de freqüência relativa
obtido no experimento.

1.3 Probabilidade Clássica

1.3.1 Eventos Simples e Eventos Compostos


Denição Cada um dos possíveis resultados que compõem o espaço amostral
s1 , s2 , . . . , sn é um elemento simples, enquanto que um elemento composto
é uma coleção de eventos simples.

2
1.3.2 Denição
Suponha que o experimento aleatório tenha as seguintes características:

1. Há um número nito (digamos n) de eventos simples (casos possíveis).

2. Os eventos simples são igualmente prováveis.

3. Todo evento A é a união de m eventos simples onde m ≤ n.


Denimos então, a probabilidade do evento A, como:

número de casos possíveis no evento a #(A) m


Pa = = = (4)
número total de casos possíveis #(S) n

1.3.3 Propriedades
1. Para todo evento A, 0 ≤ P (A) ≤ 1.

(a) P (S) = 1.
(b) P (Ø) = 0.
(c) Se A ∩ B = Ø, então: P (A ∪ B) = P (A) + P (B).

1.3.4 Exemplos
1. Três moedas são jogadas simultaneamente.

(a) Qual é a probabilidade de obter 2 caras?

(b) Qual a probabilidade de obter ao menos duas caras?

Resposta Temos que o espaço amostral é dado por:

S = {ccc, ccc,cc̄c,
¯ cc̄c̄, c̄cc, c̄cc̄, c̄c̄c, c̄c̄c̄}

Seja A o evento  obter duas caras : P (A) = 3/8.


Seja B o evento  obter AO MENOS duas caras : P (B) = 4/8 = 1/2.

2. Os três dígitos 1, 2 e 3 são escritos em ordem aleatória. Qual é a proba-


bilidade de que ao menos um dígito ocupe sua posição natural?

Resposta Temos que o espaço amostral é dado por:

S = {123, 132, 213, 231, 312, 321}

SejaA o evento  AO MENOS UM ocupar posição natural : P (A) =


4/6 = 2/3 .

3. Três pessoas vão almoçar em um restaurante e pedem três pratos difer-


entes. O garçom esquece-se de quem pediu o que e acaba servindo os
pratos ao acaso. Calcule a probabilidade de:

3
(a) Todas as pessoas receberem o prato certo.

(b) Nenhuma das pessoas receberem o prato certo.

(c) Exatamente uma pessoa ser servida com o prato certo.

Resposta Temos uma aplicação prática do problema anterior. Neste


caso, vale interpretar as posições como os indivíduos e os pratos como
os números. Assim, para cada pessoa existe um prato especíco,
como para cada posição existe um número próprio. Sendo assim:

(a) A probabilidade que todas as pessoas possam receber o prato


certo é: 1/6.
(b) A probabilidade que nenhuma pessoa receba o prato certo é:
2/6 = 1/3.
(c) A probabilidade de que exatamente uma pessoa possa ser servida
com o prato certo é de: 3/6 = 1/2.