Vous êtes sur la page 1sur 19

Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1

ME CORRIJAM SE EU ESTIVER ERRANDO...

Para começo de conversa

Discussão oral

Páginas 3-4

Professor, relembre os alunos de que o que se diz exige responsabilidade, uma vez
que inevitavelmente provoca respostas do interlocutor.

As respostas a esses questionamentos são pessoais; entretanto, a intenção é discutir


as relações entre norma-padrão, escrever com clareza, coerência e coesão e ambiente de
trabalho. Verifique orientações no Caderno do Professor para mais esclarecimentos.

Página 4
1.
a) pajé, enrijecer, viajar, laranjal, viagem, vestígio, granja, pajem, fingir, despejar,
ferrugem, ultraje, coragem, reger, canjica, laje, traje, relógio, refúgio.
b) cremoso, portuguesa, pobreza, limpidez, burguês, realizar, analisar, marquês,
avisar, cinzeiro, cafezal, organizar, vaidoso, camponesa, trombose, causa, coisa.
2. Há várias possibilidades de resposta. A melhor explicação é dada pela etimologia, ou
seja, pela história das palavras, desde a sua origem, em muitos casos, latina, até os
nossos dias. Essas palavras sofreram alterações na grafia e na pronúncia que
explicam as diferenças de escrita atuais. Mesmo assim, algumas regras são
perceptíveis e podem ser encontradas em gramáticas.
3. As palavras que terminam com o som “-eza” e se originam de adjetivos abstratos
(“belo”, “triste”, “maduro”, “fraco” e “esperto”) são grafadas com z.

1
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

Discussão oral

Páginas 5-7

Professor, oriente os alunos para que, caso eles não percebam as inadequações,
possam tomar consciência delas. Lembre-se de retomar a importância da situação de
comunicação para definição do uso da língua.

3. Possibilidade de resposta:

Seu Raimundo:
Tudo bem? No fechamento da lanchonete, promovi uma reunião com os
funcionários. A equipe dos atendentes não estava motivada. Dei algumas orientações
sobre como atender melhor os clientes. Pelo menos um terço da equipe apresentava
problemas:
– Primeiro, é importante sempre um sorriso no rosto do atendente.
– Segundo, é importante usar, sempre, “obrigado” e “por favor”.
– Terceiro, a boa educação é sempre importante.
– Quarto, os clientes, às vezes, não têm educação, mas nós não precisamos ser
mal-educados.
Espero que tenha gostado. Seu Raimundo, o senhor é ótimo.
Zeca

4. O termo “humanidade” sugere uma ideia global, de várias pessoas, um coletivo.


Paulo fez a concordância com a ideia de plural presente na frase.
5. A ênfase recai sobre “a vida”.
6. Em (II): “Henrique, com seu irmão, liderou o jogo”.

2
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

7.
a) Em (I). A ausência do artigo definido junto a “calma” e o verbo no singular
propõem que os dois termos funcionem como sinônimos, assumindo o mesmo
sentido. Portanto, pode-se usar o verbo concordando apenas com um dos termos.
b) A função do artigo definido é particularizar o substantivo. Desse modo,
diferentemente de (I), em (II) cada elemento representa um todo, isto é, tem um
sentido próprio, tornando necessário que o verbo se apresente no plural.

Estudando o vocativo – uma unidade à parte

Páginas 7-8
1. O vocativo é um termo desligado da estrutura de uma oração, pois ele vem separado
por vírgula do resto do enunciado. Há casos em que o vocativo aparece após dois
pontos (:) ou acompanhado de ponto de exclamação (!). Sua função é mostrar a quem
o enunciador se dirige, apresentando, na oração, o nome, apelido ou uma
característica do interlocutor.
2. “Seu Raimundo” e “veio” nos bilhetes do Zeca e “Seu Raimundo” duas vezes na
sugestão de reescrita do bilhete.
3. Verifique orientações no Caderno do Professor sobre como direcionar o seu olhar na
correção desta questão.

3
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

Páginas 8-10
1. Possibilidade de resposta:

Sá:
Tudo bem? Fui almoçar. É meio-dia e meia. Volto às duas e meia. Tenho dois
recados urgentes para você:
Primeiro, o Seu Euclides ligou e pediu para você cancelar a passagem dele para
Goiânia. É que a mulher dele está doente e ele decidiu não ir mais.
Segundo, sua mãe disse que é para você ligar para ela, mas até às duas.
O amor e a paz preencham você!
Beijos,
Rita

2.
a) Lúcia, matou-me Paulo! Não chore por mim! Beijo.
b) Lúcia matou-me! Paulo, não chore por mim! Beijo.

4
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 2
DESENVOLVENDO O OLHAR CRÍTICO: A RESENHA

Discussão oral

Página 10

Caso perceba que os alunos têm poucos conhecimentos sobre o que se pergunta, dê
alguns exemplos de questões de vestibular e do Enem.

Páginas 11-12
1. Verifique orientações no Caderno do Professor sobre como direcionar o seu olhar na
correção desta questão.
2. Alternativa e.

Discussão oral

Página 12

Resposta pessoal. Avalie as considerações de seus alunos e oriente-os sobre a


importância do Ensino Superior.

Página 13
1.
(e) Hoje é tão bom atleta como qualquer outro do time.
(d) O jogo se tornaria insuportável se ele não fosse um bom jogador.
(a) Vi-o jogando pela primeira vez quando eu tinha 11 anos.
(b) Ele morava numa área da cidade onde não faltavam campinhos de futebol.
(c) Estudou muito, visto que não queria correr riscos.

5
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

2.
a) Relação alternativa.
b) Relação condicional.
c) Relação adversativa.

Páginas 14-16

1. Verifique orientações no Caderno do Professor sobre como direcionar o seu olhar na


correção desta questão.
3.
(F)
(V)
(V)
(V)
4. Alternativa b.
5. Diretora aprofunda sua linguagem poética é um bom exemplo de resenha. Começa
com um momento de contextualização, em que se propõe uma partida. É nesse
momento que se apresenta a tese a ser desenvolvida. Segue um brevíssimo resumo da
obra com a apresentação de argumentos, isto é, de elementos que orientam para a
conclusão. Tais elementos são apoiados por exemplos, regras gerais, provérbios etc.
Também encontramos a apresentação de contra-argumentos, que restringem a
orientação argumentativa e que podem ser apoiados ou refutados por exemplos etc.
Finalmente, a conclusão (ou nova tese), que faz interagir os argumentos e contra-
-argumentos.

6
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

Páginas 16-17
1.

“Diretora aprofunda sua linguagem poética”


Contextualização O cinema de Lina Chamie, como já havia ficado claro em seu primeiro
longa-metragem, Tônica dominante (2000), é menos narrativo do que
poético e musical.

Tese Em A Via Láctea, a diretora amadurece e aprofunda esse seu modo de


encarar “o mundo que é” e “o mundo que poderia ser”.

Resumo A partir de uma situação dramática forte, um amante atravessa a


metrópole em busca da amada, com quem discutiu ao telefone.
Argumento 1 O filme Comprovação Não é à toa que um dos livros
desdobra do argumento 1 citados ao longo da odisseia
cadências, urbana de Heitor (Marco Ricca)
harmonias, seja Fragmentos do discurso
contrapontos e amoroso. (...) uma operação
dissonâncias. análoga à do livro de Barthes ao
identificar, glosar e desconstruir
motivos, tropos e clichês do
relacionamento amoroso.

Argumento 2 A viagem de Comprovação Não só porque é pontuada por


do argumento 2
Heitor em peças de Mozart, Schubert, Satie,
busca de Júlia Jobim e Manu Chao, mas porque
(Alice Braga) sua progressão não é linear, e sim
é mais musical feita de tema e variações, de
do que motivos recorrentes, de rimas
geográfica. visuais e sonoras.

Contra- Não é um filme perfeito, e nem Exemplo Uma certa


-argumento 1 1:
poderia, em se tratando de uma redundância
obra de risco. (Arriscar implica da locução em
também errar, embora nem “off”, (...) indica
sempre nos lembremos disso.) talvez um receio

7
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

de perder a
inteligibilidade.

Exemplo O mesmo vale para


2: um recurso
excessivo aos
“flashbacks”, que
em alguns
momentos quase
afrouxam a tensão
do relato.
Conclusão No mais, A Via Láctea é um banho de invenção em meio a um cinema
preocupado demais em agradar aos espectadores de TV.

2.

Dina,

Se alguém perguntar por mim, diga que fui almoçar. Caso eu demore, é porque resolvi
passar naquele cliente, o Sr. Guido. Lembra? Aquele que me procurou ontem, eu estava
ocupada e por isso não pude falar com ele.

Beijos,

Marialva

Resenha: agora é a sua vez!

Páginas 17-18

Verifique orientações no Caderno do Professor sobre como direcionar o seu olhar na


correção das questões.

Página 19

Respostas pessoais. Verifique orientações no Caderno do Professor.


8
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

Páginas 19-20

Respostas pessoais. Verifique orientações no Caderno do Professor.

9
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 3

A LINGUAGEM DA MODERNIDADE...

Para começo de conversa

Páginas 20-22

Verifique orientações no Caderno do Professor sobre como direcionar o seu olhar na


correção desta questão.

Discussão oral

Página 22

Reflita com seus alunos sobre os diversos sentidos que as expressões “moderno” e
“modernidade” podem assumir nos diferentes campos do conhecimento. Oriente-os para
que se concentrem no sentido que essas expressões têm em literatura.

Páginas 22-23
1.
a) Do ponto de vista do conteúdo, o adjetivo reforça a sensação de dor e abandono
que se associa ao ser humano. Do ponto de vista da forma, o adjetivo ajuda a regular
a métrica, o ritmo e a rima com “formidável”.
b) Resposta pessoal. Verifique orientações no Caderno do Professor sobre como
direcionar o seu olhar na correção desta questão.

10
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

Páginas 23-27
1.

(1) A palavra modernidade guarda sentidos diferentes ao falarmos de arte e literatura,


filosofia ou história. O conceito de modernidade literária não corresponde à divisão
temporal clássica da História, nem às correntes da Filosofia.

(2) Em História, modernidade é o período que se inicia com as Grandes


Navegações. A modernidade filosófica tem a sua origem com a ascensão da burguesia e
a consequente instauração dos valores românticos no quadro do pensamento europeu.
Na literatura, consideramos modernidade o momento em que, na transição do século
XIX para o XX, muitos artistas criam seus textos literários procurando romper com toda
a tradição anterior, ansiando por uma arte sem heranças do passado. Naturalmente, esse
pensamento incuba-se a partir do Romantismo, mas é quando se constata a falência da
proposta pedagógica e moral do Romantismo (e do movimento herdeiro dessa proposta,
o Realismo-Naturalismo) que se inicia propriamente a modernidade literária.

(3) O sentido da palavra modernidade, na literatura, no entanto, não pode ser


confundido com o sentido da expressão literatura modernista, em especial a brasileira
surgida em 1922, com a Semana de Arte Moderna. Embora seja verdade que desse
movimento saíram os princípios de renovação estética e criação poética que, de uma
forma ou de outra, influenciam a produção literária até hoje.

(4) A literatura da modernidade, no quadro da Literatura Brasileira, de forma muito


simplificada, poderia incluir o Simbolismo, o Pré-Modernismo e o Modernismo. Além
disso, a atitude de modernidade encontra ressonâncias em alguns escritores realistas,
românticos e, até, árcades. Por exemplo, a visão do poeta como um desajustado diante
do mundo burguês, que é própria da modernidade, surge com o Romantismo. É nesse
movimento literário que o escritor começa a ser visto como um incompreendido por não
repetir as fórmulas ou condutas valorizadas pelo que é considerado “normalidade
social”.

(5) A literatura da modernidade não quer ser mais construída como um reflexo,
idealizado ou não, da realidade ambiente – como ainda ocorria com o Romantismo e
com o Realismo-Naturalismo –; quando se volta para essa realidade, é para ressignificá-
11
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

-la de modo bem diverso. A literatura da modernidade liberta-se da ordem espacial,


temporal e objetiva e procura diminuir as diferenças entre a proximidade e a distância,
entre Terra e Céu.

(6) Outra característica é a dessacralização do mito da criação literária. O artista


moderno desvenda o processo de elaboração artística ao leitor, tornando-o cúmplice de
sua criação literária.

(7) Em outros momentos, o sentimento de ruptura com o mundo alia-se à linguagem


poética da modernidade construindo um poema em que a figura do poeta aparece como
alguém à margem da sociedade, mas crítico, engajado em uma causa social.

(8) Assim, ao falarmos de modernidade na escola, devemos ter claro o seu contexto
de uso. Além disso, ao pensarmos em modernidade na literatura, devemos ver que os
textos literários constroem uma imagem do ser humano em sociedade, de suas
caminhadas e descobertas pelo mundo. Uma das características mais marcantes da
modernidade é o desejo de ruptura com o passado, e até com o presente, com o qual não
se concorda, para construir outro presente, com a necessidade de dialogar com o
passado na construção do novo presente. É, portanto, um sentimento ambíguo, dividido,
que, ao mesmo tempo que deseja romper com o passado, necessita dele para superá-lo.

2.
a)
(V) O eu lírico posiciona-se contrariamente ao mundo instituído, propondo-se
a destruí-lo, como se esse mundo fosse uma pedreira, uma floresta ou um verme.
(F) O eu lírico deseja as palavras, intuições, símbolos e outras armas do
mundo capitalista.
(V) O poema revela uma amarga visão de desencanto com o mundo atual.
(F) O eu lírico revela, em seu poema, certa simpatia com os ideais do
capitalismo.
b) Como explicado no Caderno do Professor, a modernidade deseja romper com as
características do passado e do presente, que impedem a construção de um tempo
futuro vibrante e moderno. O poema de Drummond manifesta esse desejo de ruptura
com o presente e com os objetivos do mundo capitalista.

12
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

3.

MODERNISMO NO BRASIL: POESIA

Período 1922-1930 Semana de Arte Moderna

Principais obras: Características:

Pauliceia desvairada Foi grande pesquisador da cultura


Mário de Andrade (1893-1945)

(1922) brasileira. Considerado o mais


importante intelectual brasileiro do
Amar, verbo intransitivo
século XX, produziu forte impacto na
(1927)
renovação literária e artística do país,
Macunaíma (1928) participando ativamente da Semana de
Arte Moderna de 22, além de se envolver
(de 1934 a 1937) com a cultura nacional
trabalhando como diretor do
Departamento Municipal de Cultura de
Primeira Geração

São Paulo.

A cinza das horas (1917) Percorreu diversos caminhos na lírica:


Oswald de Andrade (1890-1954) Manuel Bandeira
(1886-1968)

começou parnasiano e simbolista e


Libertinagem (1930)
amadureceu modernista. Sua obra foi
Estrela da manhã (1936) toda marcada pela tuberculose, que
contraiu aos 18 anos.
Memórias sentimentais Considerado o mais rebelde dos
de João Miramar (1924) participantes dessa época da

O rei da vela (1937) modernidade brasileira: o Modernismo –


Primeira Geração. É o autor de um dos
mais importantes textos dessa visão de
literatura: O manifesto antropofágico.

13
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

Período 1930-1945

Alguma poesia (1930) Alimentando-se do trabalho pioneiro da


Primeira Geração de poesia do
Modernismo, Drummond engajou sua
poesia socialmente e foi cultivando, ao
Carlos Drummond de Andrade (1902-1987)

Sentimento do mundo
longo de sua carreira, certa desilusão
(1940)
com o mundo.

A rosa do povo (1945)

Claro enigma (1951)


Segunda Geração

Antologia poética (1962)

Viagem (1939) Sua obra caracteriza-se pela valorização


Cecília Meireles (1901-1964)

da sonoridade, do atemporal e de uma


Vaga música (1942)
dimensão espiritual de constante procura
Mar absoluto (1945) da própria identidade.

Romanceiro da
Inconfidência (1953)

14
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

4.

PARNASIANISMO (BRASIL)

Marco inicial: Publicação da obra Fanfarras, de Teófilo Dias, em 1882

Término: Semana de Arte Moderna, em 1922

Principais autores: Principais características do movimento:

Olavo Bilac Busca da perfeição formal e da objetividade


Alberto de Oliveira Valorização da “arte pela arte” que nega o
Raimundo Correia engajamento político e social das obras
Martins Fontes Contenção dos sentimentos
Vicente de Carvalho Descritivismo minucioso
Francisca Júlia

SIMBOLISMO

Principais características do movimento:

Valorização da dimensão simbólica das palavras


Individualismo e isolamento
Valorização dos sentimentos e emoções
Misticismo e religiosidade
Interesse pelo inconsciente, bem como pela loucura

BRASIL PORTUGAL

Marco Publicação, em 1893, das Publicação, em 1890, da obra Oaristos


inicial: obras Missal (prosa) e (poema), de Eugênio de Castro
Broquéis (poesia), de Cruz e
Sousa
Término: Semana de Arte Moderna, em Publicação da revista Orpheu, em
1922 1915

15
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

Principais Cruz e Sousa Camilo Pessanha


autores: Alphonsus de Guimaraens Antônio Nobre
Pedro Kilkerry Júlio Dantas

Páginas 29-30

Verifique orientações no Caderno do Professor sobre como direcionar o seu olhar na


correção desta questão.

16
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 4
VOCÊ É FASHION?

Discussão oral

Páginas 31-32

Professor, oriente os alunos para perceber que os temas apreciados pelas crianças
são, muitas vezes, voltados para incentivar o consumo de certos produtos materiais ou
culturais. Há quadrinhos sobre personagens infantis direcionados ao público adulto e
vice-versa. Complete a discussão distinguindo os usos éticos e não éticos dos temas
infantis.

2.
a) A presença de heróis, bichos, reis e princesas é própria do imaginário infantil,
interpretação que é corroborada pelo texto ao afirmar que “guardava o meu bodoque
e ensaiava o rock para as matinês”.
b) Esse mundo mágico desaparece quando a amada “sumiu no mundo” sem avisar,
transformando o enunciador em “um louco a perguntar/o que é que a vida vai fazer
de mim?”.
c) Os universos infantil e adulto se misturam no texto, reforçando o caráter
transformador do amor romântico e a dor daqueles que perdem a pessoa amada
(“uma noite que não tem mais fim”).
d) A irreverência do tratamento dado ao tema, a manifestação de desencanto com o
mundo, bem como a linguagem, são resultado do avanço próprio da estética
modernista.
e) Não. Embora em certos contextos possam ser sinônimos, fashion é uma palavra
que circula em um universo mais restrito, usualmente o da moda.

17
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

Tiras em quadrinhos

Páginas 32-33
1. As tiras em quadrinhos são textos normalmente narrativos em que interagem a
linguagem verbal e a visual. Na tira em quadrinhos, sucessivos cortes, que
normalmente não ultrapassam quatro quadrinhos, permitem que se construa a
impressão de sequência. Embora se realizem no meio escrito, as tiras buscam
reproduzir a fala, a conversa informal nos balões, que mudam de formato e tipo de
letra de acordo com o tom da voz.
2.
a) O título é “Barata Fliti” e o autor é Fernando Gonsales.
b) O clímax aparece no segundo quadrinho, despertanto no leitor uma dúvida sobre
o verdadeiro efeito do veneno na barata.
c) No terceiro quadrinho. A sensação de humor é causada pela quebra da
expectativa. Pensa-se que, com o veneno, a barata irá morrer, mas não é o que
acontece.

Projeto

Produzindo uma tira em quadrinhos

Página 34

As orientações estão nas próprias atividades. Verifique se os alunos respondem


satisfatoriamente, produzindo um roteiro completo para a elaboração da tira.

Páginas 35-37

Verifique orientações no Caderno do Professor sobre como direcionar o seu olhar na


correção desta questão.

18
Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 3a série – Volume 1

Páginas 37-38

Verifique orientações no Caderno do Professor sobre como direcionar o seu olhar na


correção desta questão.

Páginas 38-39
2. Alternativa c.
3. A ambiguidade está em saber se o autor refere-se ao tempo presente ou ao
substantivo “presente” (sinônimo de “dádiva”, com referência ao ato de se
presentear).

19