Vous êtes sur la page 1sur 48

Mestrado em Gestão e Conservação da Natureza

Disciplina: Biodiversidade e Diversidade Geomorfológica

Human Impact on Geomorphic processes and Hazards in mountain areas in northern Spain
Human Impact on Geomorphic
processes and Hazards in mountain
areas in northern Spain

Filipe Emanuel Azambuja de Oliveira Santos

INTRODUÇÃO:
INTRODUÇÃO:
 As regiões montanhosas possuem valores naturais e visuais que os tornam atractivos para actividades de
As regiões montanhosas possuem valores naturais e
visuais que os tornam atractivos para actividades de
lazer e turismo e mesmo habitacionais.
Assim, a população e a ocupação dos terrenos de
diversas áreas montanhosas tem vindo a aumentar.
As diferenças climáticas e de altitude nas áreas
montanhosas tornam os processos geomorfológicos e a
evolução orográfica particularmente activos, bem como
particularmente sensíveis às mudanças ambientais
(clima, uso da terra).
 São apresentadas as ocorrências temporais dos movimentos de vertente (constituem um dos muitos factores que
São apresentadas as ocorrências temporais
dos movimentos de vertente (constituem um
dos muitos
factores que contribuem para a
erosão e para a evolução do relevo,
representando sérios riscos para a vida
humana para as suas propriedades), a sua
contribuição
para a evolução do relevo e a
influência humana em tais processos em duas
regiões do Norte de Espanha.
Conveniente, melhorar o conhecimento dos
processos de “Movimentos de massas”, de
forma a melhor fazer face aos problemas que
estes representam para a maioria das áreas
montanhosas.
O trabalho baseia-se em duas análise temporais distintas:
O trabalho baseia-se em duas análise
temporais distintas:
O trabalho baseia-se em duas análise temporais distintas: 1) 100.000anos: Pleistoceno superior e o Holoceno. 2)
O trabalho baseia-se em duas análise temporais distintas: 1) 100.000anos: Pleistoceno superior e o Holoceno. 2)

1) 100.000anos: Pleistoceno superior e o Holoceno. 2) 43 Anos: Entre 1954 e 1997

São considerados dois assuntos relativos aos movimentos de

vertente:

1) Papel e intensidade da influência humana; 2) Incorporação da influência humana na quantificação do risco
1) Papel e intensidade da influência humana;
2) Incorporação da influência humana na
quantificação do risco para uma melhor
previsão do futuro desenvolvimento deste
processo (movimentos de vertente).
A análise temporal do processo constitui uma importante
base para perceber quantitativamente ambos os assuntos.
 A assumpção por detrás do estabelecimento da maior parte do risco é a de que
A assumpção por detrás do estabelecimento da maior
parte do risco é a de que o comportamento futuro de
tais processo pode ser “predito” com base nos
comportamentos passados.
Mapas
de
probabilidades
baseadas
na
correlação
entre
a
ocorrência
passada
de
Landslides
e
os
diferentes
factores
condicionantes
e/ou
impulsionadores, são deste modo elaborados.
Contudo, raramente são consideradas possíveis
mudanças na influência humana e seus efeitos
esperados no risco.
A análise temporal
é
importante
para efectuar
previsões fiáveis acerca do comportamento futuro
destes processos (necessários para a caracterização
do risco).
 O conhecimento do comportamento do terreno no passado recente pode ser usado como base para
O conhecimento do comportamento do terreno
no passado recente pode ser usado como
base para a caracterização do risco num futuro
próximo.
Torna-se razoável assumir que a análise das
últimas décadas irá fornecer ferramentas úteis
para
prever
o
comportamento
durante as
próximas
décadas (em condições
supostamente iguais).
DESCRIÇÃO DA ÁREA DE ESTUDO:
DESCRIÇÃO DA ÁREA DE
ESTUDO:
 Zona Norte da Cordilheira Cantábrica;  Região caracterizada por elevada industrialização.  Relevo bastante acentuado.
Zona Norte da Cordilheira Cantábrica;
Região caracterizada por elevada
industrialização.
Relevo bastante acentuado.
As altitudes variam dentro das bacias
analisadas entre os 1500 e os 700m.
 O clima é temperado e húmido.  A temperatura média é de 14º C nas
O clima é temperado e húmido.
A temperatura média é de 14º C nas
zonas costeiras e de 8-9ºC nas partes
mais a montante das bacias.
A precipitação anual é de cerca de
1200mm nas zonas costeiras e superior
a 1600mm junto à divisão montanhosa
da área de estudo.
 Verificam-se episódios de precipitação com intensidades acima dos 50mm/24h, praticamente todos os anos.  Os
 Verificam-se
episódios
de
precipitação
com intensidades acima dos 50mm/24h,
praticamente todos os anos.
 Os
solos
e
o
rególito
estão
bem
desenvolvidos
apresentando
uma
espessura entre os 0,5 e os 2 m na
maior parte área.
Pedras calcárias e xistos do Paleozóico,
argilas e arenitos do Triássico; calcários
e margas do Jurásssico; calcários e
arenitos do Cretáceo Inferior.
 Cobertura vegetal bastante contínua, constituída por floresta caducifólia natural abundante, nas zonas mais elevadas, e
Cobertura vegetal bastante contínua,
constituída por floresta caducifólia
natural abundante, nas zonas mais
elevadas, e por pastagens naturais e
artificiais a dominar no meio e nas
áreas mais baixas, com plantações de
pinheiros e eucaliptos.
O deslizamento de detritos afectando
o rególito é o tipo de movimento de
massa mais frequente.
METODOLOGIA:
METODOLOGIA:
 Pleistoceno superior e o Holoceno
Pleistoceno superior e o Holoceno
(100.000anos).  Foi estudado no vale de Magdalena-Pas.  Foi levado a cabo um inventário de
(100.000anos).
Foi estudado no vale de Magdalena-Pas.
Foi levado a cabo um inventário de ocorrência de
Landslides e um mapeamento geomorfológico
detalhado.
Foi efectuada uma cronologia relativa dos Lanslides
baseados nas relações espaciais entre eles e outras
características geomorfológicas (depósitos glaciares
e fluviais e acumulações de terras.
Foram assim identificados 10 grupos cronológicos e
depois datados através de métodos radiométricos e
arqueológicos.
 As espessuras dos depósitos dos Landslides forma determinadas, sendo posteriormente calculados os volumes acumulados. 
As espessuras dos depósitos dos Landslides forma
determinadas, sendo posteriormente calculados os
volumes acumulados.
As taxas de mobilização foram então obtidas.
As taxas de erosão para diferentes períodos também
foram determinadas com base nas taxas de
sedimentação de pequenos lagos, bem como feita a
identificação e a datação das superfícies formadas;
foram efectuadas reconstruções das novas formas
topográficas e calculados os volumes perdidos.
O tipo
e
a
frequência
de Landslides foram
comparados com dados de actividade sísmica, bem
como com mudanças
influência humana.
no
clima
e
ocorrência
de
 Período 1954-1997 (43 Anos).  Foi analisado numa área de estudo com 142km2 no vale
Período 1954-1997 (43 Anos).
Foi analisado numa área de estudo com 142km2 no
vale de Deva.
Elaborado um detalhado inventário da ocorrência de
Landslides, incluindo mais de 2500 movimentos –
cerca de 80% do tipo de deslizamento de detritos
com pouca profundidade afectando o rególito —
levado a cabo através de fotografias aéreas.
Estes inventários foram depois testados/verificados
através de levantamentos topográficos.
A análise temporal baseou-se nos movimentos que
eram passíveis de ser identificados nas fotografias
aéreas de cada ano.
 A comparação entre períodos foi assim feita usando populações homogéneas. Todos os movimentos foram verificados
A comparação entre períodos foi assim feita usando
populações homogéneas. Todos os movimentos foram
verificados no campo, tendo a sua espessura sido
determinada.
O volume de depósitos originados pelos Lanslides foi
determinado para cada período e as taxas de
mobilização foram calculadas.
O volume deslocado por unidade de tempo foi expresso
com fins comparativos como sendo a ―espessura
equivalente‖ (mm/ano) dividindo o volume total
deslocado no período considerado pela área total e nº
de anos.
A comparação entre esta ―espessura equivalente‖ e as
taxas de erosão para a área obtidas por consulta de
literatura pôde então ser feita.
A distribuição temporal e espacial dos Landslides obtidos desta forma foi usada para: Determinar a evolução

A distribuição temporal e espacial dos Landslides obtidos desta forma foi usada para:

A distribuição temporal e espacial dos Landslides obtidos desta forma foi usada para: Determinar a evolução

Determinar a evolução da instabilidade das vertentes durante o período analisado.

A distribuição temporal e espacial dos Landslides obtidos desta forma foi usada para: Determinar a evolução

De maneira a encontrarem causas prováveis para

as variações observadas, as mudanças na ocorrência de Lanslide e a sua frequência também foram comparadas com os possíveis factores indutores (precipitação,

actividade sísmica, actividades humanas).

A distribuição temporal e espacial dos Landslides obtidos desta forma foi usada para: Determinar a evolução

As interpretações de dados anteriores relativos a

padrões de mudança na instabilidade dos processos de vertente e taxas de erosão, bem como a possível influência humana em tais processos foram ainda testadas através da determinação de taxas de sedimentação em

estuários da região.

Foram retiradas amostras de sedimentos em partes com pouca ou nenhuma influência marítima. Efectuadas medições de

Foram retiradas amostras de sedimentos em partes

com pouca ou nenhuma influência marítima.

Efectuadas medições de espectofotometria para se determinar as idades de cada camada.

Foram retiradas amostras de sedimentos em partes com pouca ou nenhuma influência marítima. Efectuadas medições de

Estas idades foram então utilizadas para calcular

a

taxa de sedimentação.

A análise temporal foi também a base para:

Obter a susceptibilidade probabilística de ocorrência de Landslide e modelos de risco que possam ser usados para prever o comportamento futuro destes processos.

A análise temporal foi também a base para : Obter a susceptibilidade probabilística de ocorrência de
 A susceptibilidade à ocorrência de rupturas foi caracterizada correlacionando Landslides observados (ligeiros deslizes transversais afectando
A susceptibilidade à ocorrência de
rupturas foi caracterizada
correlacionando Landslides observados
(ligeiros deslizes transversais afectando
o rególito) com 17 factores
condicionantes, relacionados com
a geometria do terreno,
cobertura do solo,
geologia,
geomorfologia,
rególito e
condições hidrológicas.
 Todos os modelos foram validados independentemente e a sua capacidade para predizer Lanslides futuros testada.
 Todos
os
modelos
foram
validados
independentemente e a sua capacidade para
predizer Lanslides futuros testada. Para o efeito, os
modelos elaborados usando a ocorrência de Lanslides
durante um certo período foram validados com
Lanslides ocorridos posteriormente.
 A capacidade de previsão dos modelos pode ser assim
estabelecida:
Mapas de Susceptibilidade: (probabilidade espacial relativa); Transformados em Mapas de Risco: (probabilidade espaço-temporal).

Mapas de Susceptibilidade: (probabilidade espacial

relativa);
relativa);
Mapas de Susceptibilidade: (probabilidade espacial relativa); Transformados em Mapas de Risco: (probabilidade espaço-temporal).
Mapas de Susceptibilidade: (probabilidade espacial relativa); Transformados em Mapas de Risco: (probabilidade espaço-temporal).
Transformados em
Transformados em
Mapas de Susceptibilidade: (probabilidade espacial relativa); Transformados em Mapas de Risco: (probabilidade espaço-temporal).
Mapas de Susceptibilidade: (probabilidade espacial relativa); Transformados em Mapas de Risco: (probabilidade espaço-temporal).

Mapas de Risco: (probabilidade espaço-temporal).

RESULTADOS E DISCUSSÃO:
RESULTADOS E
DISCUSSÃO:
 Pleistoceno superior e o Holoceno
Pleistoceno superior e o Holoceno
(100.000anos):
(100.000anos):
RESULTADOS E DISCUSSÃO:  Pleistoceno superior e o Holoceno (100.000anos): Taxa de Landslide

Taxa de Landslide

Taxa de mobilidade

Taxa de mobilidade

A razão entre a mobilização resultante dos Landslide e taxa de erosão:

RLR

Mobilização Lanslide

_

Taxa Erosão

_

0,1 0,5

Este valor indica-nos que os movimentos de vertente

constituem um importante mecanismo de erosão da zona.

A comparação entre a ocorrência de Landslide e as condições climatéricas demonstra uma relação entre períodos de elevada instabilidade nas vertentes e o aumento

da precipitação, conforme já seria de esperar.

 Período 1954 – 1997:
Período 1954 – 1997:
 Período 1954 – 1997: Taxa de Landslide Observar-se um aumento em cerca do dobro .

Taxa de Landslide

 Período 1954 – 1997: Taxa de Landslide Observar-se um aumento em cerca do dobro .

Observar-se um aumento em cerca do dobro.

RLR

Mobilização Lanslide

_

Taxa Erosão

_

0,2 2

RLR  Mobilização Lanslide _ Taxa Erosão _  0,2 2  A maioria dos Lanslides

A maioria dos Lanslides na área ocorreram durante ou após fortes chuvadas.

  • A análise temporal permite a compreensão de padrões/comportamentos de longa duração, na ordem de algumas décadas

Com base nos dados disponíveis, parece não haver qualquer relação entre o aumento da frequência de Landslide e a precipitação nesta escala temporal.

  • .

  • Aliás, o máximo aumento na ocorrência de Lanslide (após 1980) coincide com um período de ligeiro decréscimo na precipitação total.

???????????
???????????
Nº de dia/ano precipitações superiores a 50 e a 100mm

Nº de dia/ano precipitações superiores a 50 e a 100mm

 Outra possível explicação é a influência humana, tal como ficou demonstrado para os últimos tempos
 Outra possível explicação é a influência
humana, tal como ficou demonstrado para
os últimos tempos do Holoceno.
Dados recolhidos durante o trabalho de campo e
visíveis no inventário de Landslide, mostram
factores humanos indutores de tais ocorrências.
Tal facto foi registado para 7% dos movimentos
inventariados. Nos restantes 30 % outros ―possíveis
factores‖ indutores foram indicados.

Mas estes números não justificam o aumento de Lanslides referidos nos dados. Assim:

 Através da densidade populacional. : Possível indicador do grau de influência humana ?????  A
Através
da
densidade
populacional.
:
Possível
indicador
do
grau
de
influência
humana ?????
A população variou muito pouco na área durante o
período estudado; para além disso em certas terras
registou-se uma diminuição da população ao passo que
a ocorrência de Landslides aumentou.
GDP: Gross Domestic Product (total) de
uma área: outro possível indicador. --
resultados interessantes:
GDP: traduz a combinação do nº de residentes com a
sua capacidade económica e tecnológica para actuar
sobre o território e o modificar.
Comparação feita entre o GDP a nível da província e a frequência de Landslide

Comparação feita entre o GDP a nível da província e a frequência de Landslide

GDP ―Força Orientadora‖ “ Pressões ” ― Respostas ‖ ― Impacto ‖ ― Estado ‖
GDP
GDP

―Força Orientadora‖

Pressões

GDP ―Força Orientadora‖ “ Pressões ” ― Respostas ‖ ― Impacto ‖ ― Estado ‖

Respostas

GDP ―Força Orientadora‖ “ Pressões ” ― Respostas ‖ ― Impacto ‖ ― Estado ‖

Impacto

GDP ―Força Orientadora‖ “ Pressões ” ― Respostas ‖ ― Impacto ‖ ― Estado ‖

Estado

GDP ―Força Orientadora‖ “ Pressões ” ― Respostas ‖ ― Impacto ‖ ― Estado ‖
O Marco Conceitual Pressão-Estado-Resposta

O Marco Conceitual Pressão-Estado-Resposta

  • A sensibilidade da camada superficial aos factores indutores (intensa precipitação) pode assim aumentar e uma resposta geomorfológica pode ocorrer.

 A sensibilidade da camada superficial aos factores indutores (intensa precipitação) pode assim aumentar e uma
 Isto fornece uma explicação aceitável do acentuado aumento de ocorrência de Landslides nos últimos 50anos.
 Isto fornece uma explicação aceitável do acentuado
aumento de ocorrência de Landslides nos últimos 50anos.
O que provavelmente reflecte um decréscimo no limiar de
ruptura em vez de um aumento nos factores de indução
correctos.
  • A ser correcta esta explicação, o facto de as precipitações ocorridas entre os anos 60-70, com intensidades comparáveis ou maiores que as de Agosto de 1983 não terem originado tantos Landslides pode também ser explicado.

  • Explicação ainda coerente com dados dos finais do Holoceno.

 A sensibilidade da camada superficial aos factores indutores (intensa precipitação) pode assim aumentar e uma
O GDP como ―força orientadora‖:  O neolítico e as revoluções industriais representam não só períodos
O GDP como ―força orientadora‖:
O neolítico e as revoluções industriais representam
não só períodos de crescimento populacional, mas
também maiores capacidades económicas e
tecnológicas, que levaram a um aumento do GDP e a
bem documentadas mudanças no uso da terra.
Assumindo que esta interpretação esteja correcta,
continua-se a ter-se um modelo do tipo “caixa negra”,
isto é:
 Sabemos a entrada: aumentos de GDP;  Sabemos a saída: aumento na frequência de Lanslides;
Sabemos a entrada: aumentos de GDP;
Sabemos
a
saída:
aumento
na
frequência
de
Lanslides;
Mas não sabemos: os detalhes dos mecanismos
dentro da “caixa” que estabeleçam as relações causa
— efeito.
MAS, tais relações não podem ser estabelecidas com
base nos dados presentes.
Se, de acordo com esta interpretação, as taxas de
ocorrência de Landslide e erosão aumentaram nos
últimos 40-50 anos e se os acréscimos são respostas
geomorfológicas a crescentes pressões derivadas do
aumento de GDP, então deverá existir um aumento
nas taxas de sedimentação.
 As taxas de sedimentação foram determinadas em dois estuários da região: baias de Urdaibai e
As
taxas
de
sedimentação
foram
determinadas em dois
estuários da região:
baias de Urdaibai e de
Santander,
localizadas
entre as
duas áreas de estudo
descritas.
 O
excesso
de
concentração de
Pb-210
e
também a
idade
foram
obtidos
através
de
três
amostras
(uma
em
Urdaibai
e
2
em
Santander).
 As taxas de sedimentação foram determinadas em dois estuários da região: baias de Urdaibai e

Taxas de sedimentação nas 3 bacias

 Contudo, na segunda parte do séc. XX, as taxas de sedimentação aumentaram de uma forma
Contudo, na segunda parte do séc. XX, as taxas de
sedimentação aumentaram de uma forma menos
acentuada do que as taxas de Lanslides.
É lógico, na medida em que apesar dos movimentos
de encosta contribuírem significativamente para a
erosão e produção de sedimentos, não são a única
causa (como mostrado pelos valores de RLR).
O forte aumento observado na taxa de Landslide, erosão e sedimentação nesta área poderão ser devidos
O forte aumento observado na taxa de Landslide,
erosão e sedimentação nesta área poderão ser
devidos principalmente a uma série de acções
humanas indirectamente relacionadas com o
crescimento do GDP.
Esta relação sugerida, não é possível de ser
provada, mas os dados obtidos até à data não
contradizem……………….
 Caracterização do Risco de Landslide:  Os mapas de risco de Lanslide foram obtidos através
Caracterização do Risco de Landslide:
Os mapas de risco de Lanslide foram obtidos através da
validação de mapas de susceptibilidade de Landslide
usando uma estratégia de validação temporal. **
Os modelos de susceptibilidade foram elaborados através
de meios de correlação entre inventérios de Landslide e
factores condicionantes dos mesmos.
A transformação da susceptibilidade em mapas de risco
(probabilidade espaço temporal) requer dados temporais
da ocorrência de Landslides.
** Os modelos de susceptibilidade elaborados usando
deslocamentos de detritos (tipo de Landslide) ocorridos
entre 1954 e 1983 foram validados através de
comparação com 3 períodos posteriores.
As curvas de validação indicam que 60% destes “novos” Landslides ocorreram em 20% da área com

As curvas de validação indicam que 60% destes “novos” Landslides ocorreram em 20% da área com maior susceptibilidade.

As curvas de validação indicam que 60% destes “novos” Landslides ocorreram em 20% da área com

A assumpção implícita normalmente subjacente aos procedimentos de caracterização do risco, que é a do comportamento do terreno no passado, permite a previsão do comportamento futuro, parece ser essencialmente válida, mesmo que algumas características ambientais sofram variações importantes.

Nº de ocorrências de Landslides em cada classe de
de
ocorrências
de
Landslides
em
cada
classe
de

susceptibilidade durante o período considerado e a probabilidade

da ocorrência de Landslides no futuro

O mapa de risco expressa a probabilidade de ocorrência de Landslides no futuro se o comportamento

O mapa de risco expressa a probabilidade de ocorrência de Landslides no futuro se o comportamento do terreno for equivalente ao comportamento médio durante o período analisado (45anos)Prob.A

Mas…….

Extrapolações na frequência de Landslide para os 3 cenários: Prob.A: A actividade nos próximos 45 anos

Extrapolações na frequência de Landslide para os 3 cenários:

Prob.A: A actividade nos próximos 45 anos irá ser equivalente à média observada nos últimos 45 anos; Prob.B: A actividade nos próximos 45 anos irá ser similar à observada durante o período de tempo mais recente. Prob.C: A actividade nos próximos 45 anos irá aumentar de acordo com o padrão definido.

CONCLUSÕES:
CONCLUSÕES:
 Os processos geomorfológicos analisados sofreram mudanças importantes durante os últimos milénios e em especial nas
Os processos geomorfológicos analisados sofreram mudanças
importantes durante os últimos milénios e em especial nas últimas
décadas.
As taxas de Landslide e erosão parecem ter aumentado em cerca
do dobro desde o pré-Neolítico até ao presente.
As taxas de sedimentação também mostram aumentos
consideráveis durante o último século. O risco de Landslide
também aumentou, como é óbvio.
A análise temporal dos processos mostra que este risco é capaz
de aumentar ainda mais num futuro mais próximo em
consequência de uma maior influência humana.
Uma relação entre aumentos de precipitação e maiores
instabilidades de vertentes foi estabelecido para as épocas
Pleistoceno—Holoceno.
Contudo, aumentos de frequência de Landslides nas últimas
décadas e dois momentos chave na pré-história e história, não
parecem estar relacionados com aumentos na precipitação.
CONCLUSÕES:
CONCLUSÕES:
 Parece em grande parte, que os impactos humanos indirectos na superfície originados pelo aumento da
Parece em grande parte, que os impactos humanos indirectos
na superfície originados pelo aumento da influência humana
relacionada com o desenvolvimento económico, tecnológico e
populacional, podem ser uma explicação para os
padrões/tendências observadas.
O modelo sugerido é coerente com provas obtidas, mas
presentemente deveria ser considerado como uma hipótese
plausível.
Se for válido, será de esperar que se possa usar noutras partes
do globo, nomeadamente em áreas montanhosas.
O crescimento do GDP, das capacidades tecnológicas ocorrem
um pouco por todo o lado e consequentemente a capacidade
humana para actuar sobre a superfície, transformando-a.
Conclusões:
Conclusões:
 Os processos geomorfológicos analisados sofreram mudanças importantes durante os últimos milénios e em especial nas
Os processos geomorfológicos analisados sofreram mudanças
importantes durante os últimos milénios e em especial nas últimas
décadas.
As taxas de Landslide e erosão parecem ter aumentado em cerca
do dobro desde o pré-Neolítico até ao presente.
As taxas de sedimentação também mostram aumentos
consideráveis durante o último século. O risco de Landslide
também aumentou, como é óbvio.
A análise temporal dos processos mostra que este risco é capaz
de aumentar ainda mais num futuro mais próximo em
consequência de uma maior influência humana.
Uma relação entre
aumentos
de
precipitação
e
maiores
instabilidades de vertentes
Pleistoceno—Holoceno.
foi
estabelecido
para
as
épocas
 Contudo, aumentos de frequência de Landslides nas últimas décadas e dois momentos chave na pré-
Contudo, aumentos de frequência de Landslides nas
últimas décadas e dois momentos chave na pré-
história e história, não parecem estar relacionados
com aumentos na precipitação.
Parece em grande parte, que os impactos humanos
indirectos na superfície originados pelo aumento da
influência humana relacionada com o desenvolvimento
económico, tecnológico e populacional, podem ser
uma explicação para os padrões/tendências
observadas.
O modelo sugerido é coerente com provas obtidas,
mas presentemente deveria ser considerado como
uma hipótese plausível.
Se
for válido,
será de esperar
que
se
possa usar
noutras partes do globo, nomeadamente em áreas
montanhosas.
 O crescimento do GDP, das capacidades tecnológicas ocorrem um pouco por todo o lado e
O crescimento do GDP, das capacidades tecnológicas
ocorrem um pouco por todo o lado e
consequentemente a capacidade humana para actuar
sobre a superfície, transformando-a.
O tipo de resposta geomorfológica aos impactos
humanos na superfície terrestre descritos pode ser
uma manifestação de “mudanças geomorfológicas
globais”, independentes das mudanças climáticas.
Considerações tendo em conta o comportamento
provável dos processos geomorfológicos no futuro
deverão assim levar em linha de conta não só os
efeitos das mudanças climáticas, mas também o tipo
de mudanças, que a confirmarem-se, poderão ter um
efeito ainda maior.