Vous êtes sur la page 1sur 5

Estudo da produção de Biogás no Aterro Sanitário de Canhanduba,

Itajaí/SC.

Matheus Zaguini Francisco* - Acadêmico de Engenharia Sanitária e Ambiental na


Universidade Federal de Santa Catarina – Brasil. Bolsita de Iniciação Científica pelo PIBIC/CNPq do
Laboratório de pesquisa em Resíduos Sólidos (LARESO) no Projeto CT-Energ.
Armando Borges de Castilhos Junior –Professor de ensino superior, adjunto nivel 4 do
Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental da Universidade Federal de Santa Catarina.
Débora Machado de Oliveira – Doutoranda em Engenharia Sanitária e Ambiental pelo PPGEA
na UFSC. Mestre em Engenharia Sanitária e Ambiental pela UFSC.
Paulo Henrique Ecco - Acadêmico de Engenharia Sanitária e Ambiental na Universidade
Federal de Santa Catarina – Brasil.

Endereço do autor principal (*): Rua Maestro Aldo Krieger nº 108, apto. 702 – Córrego Grande
– Florianópolis – SC – CEP: 88037-500 – Brasil – Tel. (47) 9162-7047 – email:
mzaguini.fco@gmail.com

Resumo
O presente trabalho técnico realizou o levantamento do potencial de produção de biogás no
aterro sanitário de Canhanduba, localizado na cidade de Itajaí, estado de Santa Catarina – Brasil. Para tal
estudo buscaram-se informações juntamente com os operadores do aterro para ser compilada a estimativa
teórica de biogás através do método School Canyon, também foram feitas medições em campo para
conhecer a produção instantânea média de biogás no aterro em estudo. Após o levantamento dos dados foi
realizada a estimativa de produção elétrica a partir de um motor de combustão interna.

Palavras-Chave: Aterro Sanitário, Biogás, Aproveitamento Energético.


Estudo da produção de Biogás no Aterro Sanitário de Canhanduba,
Itajaí/SC.

Introdução
No Brasil, o método mais utilizado para tratamento e disposição final dos resíduos sólidos
urbanos é o de aterros sanitários. Isto se deve, também, ao fato do método apresentar certa simplicidade
na execução e operação e baixos custos. Contudo, um enorme número de cidades não conta com a
destinação correta de resíduos.
A dependência energética de combustíveis fósseis, e uma possível crise energética em um futuro
próximo é uma preocupação do mundo atual, outro problema sério enfrentado no Brasil é a destinação
final dos resíduos sólidos urbanos. Sendo assim podemos mitigar esses dois itens, tendo resíduos sólidos
depositados corretamente e sua produção de biogás aproveitado para a geração de eletricidade, ou
também, feito um aproveitamento térmico para um possível tratamento do lixiviado por evaporação ou
outros fins.
A pesquisa realizada visou obter dados qualitativos e quantitativos referentes à produção de
biogás, para subsidiar pesquisas posteriores de aproveitamento energético. Para tornar possível a pesquisa
foi feito, primeiramente, a estimativa teórica a partir do método school canyon para após desenvolver
medições em campo da vazão dos drenos.

Objetivos
Objetivo Geral: Elaborar um diagnóstico, qualitativo e quantitativo, da produção de biogás
gerado no aterro sanitário de Canhanduba, Itajaí – SC a fim de subsidiar dados para o aproveitamento
energético.
Objetivos Específicos: Estimar através do modelo teórico School Canyon, a curva de produção
de biogás no Aterro Sanitário de Canhanduba; Monitorar a vazão e concentração dos gases nos drenos do
aterro sanitário de Canhanduba.

Materiais e Métodos
Local do Estudo
A metodologia deste trabalho foi empregada no Aterro Sanitário de Canhanduba, localizado na
cidade de Itajaí, estado de Santa Catarina – Brasil. As coordenadas do local são 728173.76m E e
7013853.09m S, coordenadas no sistema métrico UTM.

Levantamento de Dados
O levantamento de dados preliminares foi realizado com a própria empresa responsável pelo
gerenciamento do aterro sanitário estudado. Os dados necessários para ser realizada a estimativa teórica
de produção de biogás são, basicamente, os seguintes:
Ano de Abertura e Fechamento do Aterro (Vida Útil do Aterro);
Quantidade de Resíduos Disposta por Mês (Histórico do Aterro);
Geração per capta e Crescimento Populacional (Estimativa de deposição futura);
Dados climáticos do local (índice de pluviosidade médio anual);

Materiais
Para a estimativa teórica utilizou-se o método School Canyon, demonstrado abaixo, e para
realização dos cálculos foi utilizada a planilha eletrônica Excel.
Nas medições em campo de vazão, o aparelho utilizado foi um termo-anemômetro digital com
sensor de fio quente compensado da empresa Dwyer, modelo 471-2. Os dados obtidos com este
dispositivo foram temperatura e velocidade de saída do gás. A seguir será apresentada a fórmula para
transformação destes dados em vazão.
As medições de composição de gases presentes no biogás foram realizadas a partir de
um aparelho medidor de concentração de gases da marca alemã Drägger, modelo X-am 7000, apresentado
na figura abaixo. Os gases mensurados foram CH4, CO2, O2 e H2S.

Figura 1 – Medidor de concentração Drägger X-am 7000.

Caracterização do Biogás
As vazões de biogás nos drenos foram obtidas com dados de velocidade e temperatura do gás,
mensurados em campo, considerando as Condições Normais de Temperatura e Pressão (CNTP),
recomendadas pela IUPAC (International Union of Pure and Applied Chemistry), conforme a equação 1,
abaixo.

Q=(V×A)×273,15273,15+T×P (1)

Sendo que: Q é a vazão de biogás, em Nm³/s; V é a velocidade de saída do biogás, em m/s; A é a


área da seção de passagem do biogás, em m²; T é a temperatura do biogás na saída do dreno, em ºC e P é
a pressão atmosférica, em bar.

Método School Canyon


O método de estimativa teórica escolhido dentre os existentes foi o método School Canyon
apresentado pela ESMAP(Word Bank Energy Sector Managment Assitance Programme), e é o modelo
empírico mais amplamente aceito, utilizado pela industria e por agencias reguladoras, inclusive a USEPA
(United States Environmental Protection Agency). A fórmula 2, abaixo refere-se ao método.

QCH4i=k×L0×mi×e-kti (2)

Onde: QCH4i é a vazão de metano, em m³/ano; k a constante de decaimento de primeira ordem,


apresentada em anos-1; mi é a massa de resíduos depositada no ano de estudo, em toneladas e, por fim, t i é
a quantidade de anos após o fechamento do aterro, em anos.
(Falar dos valores de k e L0, mostrá-los nos resultados)

Cálculo do potencial elétrico do biogás

(Falar sobre o potencial elétrico)

Resultados e Discussão
Os resultados referentes ao levantamento de dados são descritos na tabela 1, a seguir. Os dados
foram obtidos junto à empresa que gerencia o aterro sanitário, a Agência Nacional das Águas (ANA) e a
Prefeitura Municipal de Itajaí (PMI).

Tabela 1 – Levantamento de dados locais


8.345,
Média de deposição mensal relatada pela empresa 9 ton
Precipitação média anual na cidade de Itajaí 1700 mm
Ano de abertura do aterro 2006
Ano de fechamento do aterro 2009
Crescimento da população na cidade de Itajaí 2,24 %
A vazão média de biogás do aterro, assim como a concentração média dos gases constituintes do
biogás encontram-se explicitadas na tabela 2 e 3, abaixo.

Tabela 2 – Dados médios medidos no aterro


Vazão média por dreno do aterro 807,1 m³/dia
Vazão média do aterro 22.597,9 m³/dia

Tabela 3 – Concentração média de metano no biogás do aterro em estudo


Número de
Faixa de valores Ocorrência Porcentagem
Acima de 60% 0 0,00%
de 40% - 60% 15 53,57%
de 20% - 40% 8 28,57%
de 10% - 20% 0 0,00%
de 0% - 10% 5 17,86%
Número de drenos medidos 28 100,00%
Abaixo estão explicitados os resultados de vazão de biogás, concentração do metano no biogás e
vazão de metano por drenos, respectivamente, de acordo com as medições realizadas no aterro.

Pela estimativa teórica observou-se o comportamento da produção de metano no Aterro Sanitário


de Canhanduba desde o ano de abertura até o ano de 2125. Os resultados formam a curva de produção de
metano apresentada no gráfico 1, na seqüência.

Gráfico 1 – Curva de Geração de Metano ao Longo dos Anos

Conclusões
O objetivo deste trabalho técnico foi atingindo com relação à estimativa teórica de produção
biogás, bem como as medições em campo. As análises em campo e estimativa teórica foram realizadas
com auxílio da revisão literária.
Em relação aos resultados de produção de biogás:
O aterro sanitário de Canhanduba tem um grande potencial de geração de biogás e metano.
Conseqüentemente, tem também grande potencial para o aproveitamento energético devido aos dados
apresentados anteriormente. A vazão máxima de metano no ano será de 45.159.463,8 m³/ano, e isto
acontecerá em 2029, ano de encerramento das atividades de deposição de resíduos no aterro.
Na análise dos dados diários, a vazão média em cada dreno é de 807,1 m³/dia, sendo que o total
médio produzido em um dia é de 22.597,9 m³ de metano, o que explicita o grande potencial. A
concentração de metano no biogás mostrou-se favorável para o aproveitamento energético, observando
que em mais da metade dos drenos a concentração está entre 40 e 60%. Os drenos que apresentaram
maior qualidade energética estão posicionados no centro do maciço de resíduos, recebendo emissões de
maior quantidade de lixo e com resíduos mais antigos, dois fatores que influenciam positivamente a
produção de biogás pela degradação anaeróbia da matéria orgânica.
Considerando o poder calorífico do metano de 11.000 kcal/m³, teremos uma produção calorífica
de 4,967x1011kcal, no ano de maior produção. Levando em conta a produção máxima de metano, e
adotando que o biogás do aterro tem 36,6 % de metano teremos uma produção energética equivalente a
80,6 milhões de litros de gasolina – a proporção utilizada entre gasolina e biogás é de 1L para 1,53 m³,
respectivamente.

Recomendações
Como sugestão para trabalhos futuros aponta-se a necessidade de estudos voltados para a
viabilidade econômica de implantação do projeto de aproveitamento energético mais adequado a
comunidade local.