Vous êtes sur la page 1sur 14

2010

IBERODECK
CONSTRUÇÕES E
ENGENHARIA, LDA

DANIEL GRANJO

[GARE MARÍTIMA DA
HORTA]
MEMÓRIA DESCRITIVA – EXECUÇÃO DE COFRAGEM EM ELEMENTOS HORIZONTAIS COM ESTEREOTOMIAS
INDICE

1. Introdução
2. Breve descrição da solução adoptada
3. Descrição dos elementos que compõem o sistema
4. Escoramento
5. Ripado de pinho tratado
6. Estereotomia
7. Juntas de betonagem
8. Outros materiais propostos
9. Considerações finais
10. Anexos
• Fichas técnicas
• Preparação do sistema reticular
• Preparação da estereotomia e juntas de betonagem

Condições Técnicas _ Gare Marítima da Cidade da Horta Página 2


IBERODECK
IBERODECK - CONSTRUÇOES E ENGENHARIA,LDA
Zona Industrial Chã do Rego D’Água, G52 – Cabouco – 9560-301 Lagoa
Tel/Fax: 296642515 - E-Mail: geral@iberodeck.pt
WWW.IBERODECK.PT
1. INTRODUÇÃO

Refere-se a presente memória descritiva à execução de elementos horizontais com


estereotomia na estrutura de betão da Gare Marítima do Faial, inserida na obra Reabilitação
da frente Marítima da Cidade da Horta.

A Classe de cofragem a aplicar será A4, betão à vista com estereotomia. Essencialmente, betão
à vista é uma parte da estrutura cuja intenção é permanecer intocável após a sua conclusão.
Há uma tendência para as estruturas de betão à vista serem inovadoras, exemplos "únicos"
onde uma abordagem livre e criativa foi escolhida no que diz respeito a formas e superfícies.

Normalmente neste tipo de solução construtiva o projectista pretende:

• Salientar a exclusividade da estrutura. Neste aspecto, o betão colocado "in-situ"


oferece um certo grau de liberdade arquitectural
• Assegurar que a estrutura é funcionalmente apropriada e pode ser utilizada para o
fim em vista
• Possuírem liberdade no âmbito da escolha da superfície a projectar (em termos de
estereotomia, juntas e estrutura)
• Sustentar a planificação de estruturas arrojadas e únicas, com a liberdade de criar
tanto formas como perspectivas.

A aplicabilidade deste tipo de solução estará directamente ligada com a influência de


factores, tais como, a estática e os processos construtivos actuais.

Condições Técnicas _ Gare Marítima da Cidade da Horta Página 3


IBERODECK
IBERODECK - CONSTRUÇOES E ENGENHARIA,LDA
Zona Industrial Chã do Rego D’Água, G52 – Cabouco – 9560-301 Lagoa
Tel/Fax: 296642515 - E-Mail: geral@iberodeck.pt
WWW.IBERODECK.PT
2. BREVE DESCRIÇÃO DA SOLUÇÃO ADOPTADA

A solução de cofragem proposto para executar as lajes é uma estrutura metálica reticular
adequada para execução de lajes planas de betão armada, maciças ou aligeiradas,
mediante a utilização de um mecanismo de aço de fácil montagem e adaptável a qualquer
superfície, formando uma base plana e resistente.

Propomos esta solução pela simplicidade, rapidez de aplicação aliado à versatilidade do


sistema, havendo a possibilidade de adaptar a qualquer tipo de elemento horizontal com
diferentes tipos de remate potenciados pela flexibilidade que oferece a montagem
telescópica ou de empalme, tanto no sentido das travessas como das porta travessas.

A sua recuperação inicia-se após o betão alcançar 70% da resistência através das porta-
travessas numa fase inicial e posteriormente as travessas principais e respectivo ripado ou
outra superfície cofrante.

Aspecto do sistema montado sem superfície cofrante

Condições Técnicas _ Gare Marítima da Cidade da Horta Página 4


IBERODECK
IBERODECK - CONSTRUÇOES E ENGENHARIA,LDA
Zona Industrial Chã do Rego D’Água, G52 – Cabouco – 9560-301 Lagoa
Tel/Fax: 296642515 - E-Mail: geral@iberodeck.pt
WWW.IBERODECK.PT
3. DESCRIÇÃO DOS ELEMENTOS QUE COMPÕEM O SISTEMA

O sistema é composto por dois tipos de elementos; Porta-travessas (2 e 4m) e travessas mistas
(2,3 e 4m).

• Porta-Travessas

Na parte superior encontram-se alojados os U’s de posicionamento das


travessas onde se poderão deslocar telescopicamente. Estes U’s encontram-se separados por
50 cm, distância optimizada de forma a simplificar a montagem.

Na parte inferior encontram-se os pivots de alojamento do prumo, optimizado para


simplificação de processos de optimização de distâncias entre prumos.

• Travessas mistas

Condições Técnicas _ Gare Marítima da Cidade da Horta Página 5


IBERODECK
IBERODECK - CONSTRUÇOES E ENGENHARIA,LDA
Zona Industrial Chã do Rego D’Água, G52 – Cabouco – 9560-301 Lagoa
Tel/Fax: 296642515 - E-Mail: geral@iberodeck.pt
WWW.IBERODECK.PT
Este elemento é composto por um perfil de aço e acabamento superior de madeira,
possibilitando a adaptação de qualquer tipo de madeira de qualquer dimensão e fechos
através de pregragem.

Vem ainda dotado de pivots na parte inferior onde ficaram alojados os prumos.

• Superfície cofrante

Nesta caso específico a superfície cofrante surge pré-defenido pelo projectista pela
estereotomia adoptada, ou seja, ripado de 10 cm de largura de pinho verde tratado e
polido de uma das faces cujas dimensões (comprimentos) surgem descritas num item
posterior na presente memória descritiva.

Preparação

A preparação do dimensionamento por betonagem (conjunto) do sistema vem em


anexo na presente memória.

Condições Técnicas _ Gare Marítima da Cidade da Horta Página 6


IBERODECK
IBERODECK - CONSTRUÇOES E ENGENHARIA,LDA
Zona Industrial Chã do Rego D’Água, G52 – Cabouco – 9560-301 Lagoa
Tel/Fax: 296642515 - E-Mail: geral@iberodeck.pt
WWW.IBERODECK.PT
_ Preparação DWG

4. ESCORAMENTO

A solução de escoramento adoptada é o prumo telescópico com abertura máxima de


5,10m e abertura mínima 3.55m.
Na situação mais desfavorável temos uma laje de 18cm maciça e pé direito máxima de
4.85m pela ficha técnica do fabricante verifica. Considerando ainda um coeficiente de
segurança =2.

Acções Variáveis verticais persistente “Q1”


Peso próprio do betão: 25Kn/m3
Espessuara da Laje: 0.3m
Sobrecarga de trabalho: 0.75 Kn/m2
Q1=25x0,18+0,75=5,25 kN/m2

Pelos dados do fabricante temos:


5,25<7.76 KN/m2 , (Por interpolação), OK , VERIFICA!

Condições Técnicas _ Gare Marítima da Cidade da Horta Página 7


IBERODECK
IBERODECK - CONSTRUÇOES E ENGENHARIA,LDA
Zona Industrial Chã do Rego D’Água, G52 – Cabouco – 9560-301 Lagoa
Tel/Fax: 296642515 - E-Mail: geral@iberodeck.pt
WWW.IBERODECK.PT
5. RIPADO DE PINHO TRATADO

Para a definição da estereotomia adoptada pelo projectista propomos a utilização de


cofragem de pinho bravo tratado.

Aspecto físico

Para cumprir as geometrias de projecto o pinho apresentar-se-á nos diferentes


comprimentos com 0.1 m de largura e com aspecto polido de uma das faces.

O pinho a empregar encontra-se devidamente seco, não ardido nem cardido, sem nós
viciosos sem consistência, isentas de caruncho, bem desempenadas, sem fendas ou
falhas que possam comprometer a sua resistência e o aspecto final das peças de betão.
Assim, as peças de madeira que apresentem ataque de fungos de podridão ou ataque
de insectos deverão ser excluídas.
A presença de fungos cromogéneos é aceitável dentro de valores que não
comprometam a sua utilização.
Também as peças que se encontrem danificadas, ou apresentem combinações de nós
e/ou outras características de natureza a afectar a resistência a ponto de comprometer
a sua utilização, serão ser excluídas.

Condições Técnicas _ Gare Marítima da Cidade da Horta Página 8


IBERODECK
IBERODECK - CONSTRUÇOES E ENGENHARIA,LDA
Zona Industrial Chã do Rego D’Água, G52 – Cabouco – 9560-301 Lagoa
Tel/Fax: 296642515 - E-Mail: geral@iberodeck.pt
WWW.IBERODECK.PT
Características físicas do Pinho

Apresentam-se de seguida os valores médios das propriedades físicas da madeira do


Pinheiro Bravo, determinadas no LNEC (em ensaios realizados sobre provetes
pequenos sem defeitos, referidos ao teor de àgua de 12%.

Humidade

A determinar pelo processo descrito na Norma NP-614.


Massa volúmica
A determinar pelo processo descrito na NP-616.
Retracção
A determinar pelo processo descrito na NP-615.

Características Mecânicas

A resistência mecânica é variável consoante os defeitos e anomalias que a madeira pode


apresentar (empenos, fendas, descaio, etc.). As causas e consequências de defeitos e
anomalias estão especificados na NP-180.
A resistência mecânica também é afectada pela humidade. A resistência decai quando o
teor
em água aumenta, assim é necessário limitar os valores para a humidade ( esta pode ser
determinada na NP-614 ).
A resistência mecânica da madeira a empregar poderá ser avaliada por 2 vias:

Classes de Qualidade

A classificação de madeiras para estruturas destina-se a limitar a gama de variação das


propriedades mecânicas apresentadas por uma determinada madeira, proporcionando
lotes de material com comportamento mecânico mais previsível. Esta operação baseia-se
em normas de classificação visual (avaliação a nu dos defeitos da madeira).
Relativamente à madeira de Pinheiro Bravo produzida em Portugal podem especificar-se
duas classes de qualidade: classe EE (especial para estruturas) e classe E (estruturas), de
acordo com a Norma portuguesa NP-4305, que é como se apresenta no quadro 3, cujas
características mecânicas são apresentadas na ficha LNEC M2.
De referir que para a obtenção dos valores procederam-se aos ensaios descritos na
NP-618; NP-619; NP-621; NP-623.

Condições Técnicas _ Gare Marítima da Cidade da Horta Página 9


IBERODECK
IBERODECK - CONSTRUÇOES E ENGENHARIA,LDA
Zona Industrial Chã do Rego D’Água, G52 – Cabouco – 9560-301 Lagoa
Tel/Fax: 296642515 - E-Mail: geral@iberodeck.pt
WWW.IBERODECK.PT
Classes de Resistência

Para as classes do Pinho Bravo (classe E e EE), recomenda-se a adopção dos valores
indicados na Ficha LNEC M2.
No Quadro 4, estão patentes os valores característicos das propriedades mecânicas da
madeira de Pinheiro Bravo, para as duas classes de qualidade.

Condições Técnicas _ Gare Marítima da Cidade da Horta Página 10


IBERODECK
IBERODECK - CONSTRUÇOES E ENGENHARIA,LDA
Zona Industrial Chã do Rego D’Água, G52 – Cabouco – 9560-301 Lagoa
Tel/Fax: 296642515 - E-Mail: geral@iberodeck.pt
WWW.IBERODECK.PT
Características Químicas

A composição química média da madeira anidra é de :


• Carbono 48 %
• Hidrogénio 6 %
• Oxigénio 44 %
• Azoto 1 %
• Cinzas (matéria mineral) 1 %

Condições Técnicas _ Gare Marítima da Cidade da Horta Página 11


IBERODECK
IBERODECK - CONSTRUÇOES E ENGENHARIA,LDA
Zona Industrial Chã do Rego D’Água, G52 – Cabouco – 9560-301 Lagoa
Tel/Fax: 296642515 - E-Mail: geral@iberodeck.pt
WWW.IBERODECK.PT
6. ESTEREOTOMIA

Na definição de estereotomia proposta teve-se em conta a lógica da zona apresentada pelo


projectista, definindo conjuntos que representam diferentes zonas de betonagem com a
indicação de juntas de betonagem.
A estereotomia proposta que surge em anexo foi obtida considerando recuperações dos
dos conjuntos 1 e 2 e foi necessário criar um terceiro conjunto, (na peça desenhada a
última), pois as recuperações dos anteriores com as medidas do ripado em causa não seria
exequível. (ver proj. anexo)

_ Preparação parcial da estereotomia

7. JUNTAS DE BETONAGEM

Uma junta de betonagem poderá estar sujeita a esforços de tracção ou compressão, flexão
segundo e fora do plano da peça, esforço transverso e torção. É exigido que a junta e o
material de reforço que a poderá constituir sejam capazes de absorver e resistir sobretudo
aos esforços de tracção e de corte. A resistência à tracção do betão quando comparada com
a sua resistência à compressão é reduzida. Quando a sua tensão de f à tracção é atingida,
desenvolvem-se fenómenos de fendilhação no betão, levando a uma diminuição da sua
rigidez, com consequências a nível estético provocadas pelo aparecimento de fendas.
Assim o único esforço actuante que poderá levar a uma alteração considerável da
resistência mecânica de uma peça de betão estrutural com juntas de betonagem em
relação a uma peça semelhante, mas monolítica, será o esforço de tracção.
Assim, é necessário garantir que as juntas de betonagem ofereçam uma adequada
resistência à tracção.
Concluiu que a resistência mecânica à compressão de vigas formadas por juntas de
betonagem, não apresenta alterações significativas em relação a uma peça monolítica.

De modo a que a peça de betão onde a junta se insere funcione por forma a que a
introdução de uma junta de betonagem não traga uma redução considerável da resistência
da peça, deverá ter-se sempre em linha de conta, entre outros aspectos, a localização da
junta ao longo da peça de betão.

Condições Técnicas _ Gare Marítima da Cidade da Horta Página 12


IBERODECK
IBERODECK - CONSTRUÇOES E ENGENHARIA,LDA
Zona Industrial Chã do Rego D’Água, G52 – Cabouco – 9560-301 Lagoa
Tel/Fax: 296642515 - E-Mail: geral@iberodeck.pt
WWW.IBERODECK.PT
Consideramos que os principais critérios para a localização e espaçamento das juntas de
betonagem são:

• Localizar a junta de forma a possibilitar a betonagem da peça numa só fase


• Garantir-se a resistência necessária para a junta
• Presença de restrições para a retracção do betão, evitando a formação de
fendilhação do betão por este fenómeno
• Compatibilidade com a aparência e o tratamento a aplicar à junta

É recomendado que para o caso de vigas e lajes, as juntas de betonagem se encontrem


localizadas entre 1/3 e 1/5 do seu vão quando for forçosamente necessário. A sua
localização deverá corresponder a um lugar geométrico da peça onde o valor do momento
flector seja reduzido e o valor do esforço transverso modesto, quando sujeito a um
carregamento uniformemente distribuído. Segundo ACI STANDARD, em situações onde os
esforços de corte devido a acções gravíticas não forem significativos, que é o caso do meio
vão de estruturas sujeitas à flexão, uma junta de betonagem vertical simples será
adequada.

Exemplo:
Localizações mais adequadas para as juntas de betonagem. A
localização de juntas em B-B’ é a mais favorável
por estarem localizadas em pontos menos esforçados da peça.

A existência de uma junta de betonagem deverá estar sempre prevista no plano de


trabalhos de betonagem a executar pelo Empreiteiro. As suas especificações deverão estar
presentes no Caderno de Encargos e cuidadosamente definidas, como não consta qualquer
tipo de informação neste âmbito propomos juntas de viga a vigas, com o enchimento das
mesmas incluído, pois são as zonas que segundo os critétios supra citados seria mais
favorável a sua localização. (Verificar no proj em anexo a indicação das juntas)
Obviamente nesta opção tivemos em conta o impacto que poderia ter ao longo do vão da
laje, tendo em conta o cumprimento da estereotomia, desta feita esteticamente não terá
qualquer impacto significativo.

Condições Técnicas _ Gare Marítima da Cidade da Horta Página 13


IBERODECK
IBERODECK - CONSTRUÇOES E ENGENHARIA,LDA
Zona Industrial Chã do Rego D’Água, G52 – Cabouco – 9560-301 Lagoa
Tel/Fax: 296642515 - E-Mail: geral@iberodeck.pt
WWW.IBERODECK.PT
_Localização das juntas de betonagem proposta

8. OUTROS MATERIAIS PROPOSTOS

O óleo descofrante proposto é tipo parafínico, White Spirit, oleína designado


DOMOTEC 200, com ficha técnica em anexo.

9. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Pretendeu-se com a presente memória descritiva entre outros, expor a solução de


cofragem para os elementos horizontais, definição de estereotomias não definidas pelo
projectista, juntas de betonagem, definição de materiais e processos construtivos.

10. ANEXOS

• Fichas técnicas
• Preparação do sistema reticular
• Preparação da estereotomia e juntas de betonagem

Condições Técnicas _ Gare Marítima da Cidade da Horta Página 14


IBERODECK
IBERODECK - CONSTRUÇOES E ENGENHARIA,LDA
Zona Industrial Chã do Rego D’Água, G52 – Cabouco – 9560-301 Lagoa
Tel/Fax: 296642515 - E-Mail: geral@iberodeck.pt
WWW.IBERODECK.PT