Vous êtes sur la page 1sur 2

2

ONDAS 2
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO KL 040810
PROT: 4453
PROF:.
14
IMPACTO: A Certeza de Vencer!!!
1. REFLEXÃO. 2.2. REFRAÇÃO EM CORDAS.
Considere agora um sistema de duas cordas diferentes
A reflexão é um onde uma é mais pesada que a outra. Com o sistema montado
fenômeno ondulatório em que produz-se um pulso na extremidade da corda de menor
uma onda, propagando-se num densidade linear em direção da corda de maior densidade.
meio 1, incide em um meio 2,
NOSSO SITE: www.portalimpacto.com.br

de características diferentes, e O que ocorre é que para a corda


volta a se propagar no meio 1. de menor densidade, a corda de
maior densidade funcionará como
Na reflexão de uma extremidade fixa fazendo
ondas, a medida do com que o pulso refletido sofra
ângulo de incidência é uma inversão de fase. O pulso que
igual ao ângulo de antes se propagava pela corda de
reflexão, ou seja, i = r. menor densidade linear continuará
se propagando na corda mais densa após sofrer refração sem
OBSERVAÇÃO 1. sofrer inversão de fase.
Resumindo, o pulso refratado sai na mesma fase em
A reflexão é regida por duas leis que foram que foi recebido, ou seja, se o pulso estiver para cima, o pulso
apresentadas anteriormente no estudo da óptica. refratado também estará para cima e vice-versa,e o pulso
Na reflexão a onda incidente e a onda refletida refletido sofrerá uma inversão de fase, ou seja, se o pulso
possuem o mesmo período, a mesma freqüência, a mesma estiver para cima, o pulso refletido estará para baixo.
velocidade e o mesmo comprimento de onda.
Se invertermos o
sistema e aplicarmos uma
1.2. REFLEXÃO EM CORDAS. força na corda de maior
densidade, a corda de menor
Quando um pulso atinge a extremidade de uma corda, densidade funcionará como
verifica-se que ele retorna, propagando-se de volta para a uma extremidade livre e
fonte. Esse fenômeno é denominado reflexão de um pulso e assim que o pulso atingi-la irá
ocorre quer a extremidade da corda seja fixa ou livre. refratá-lo e, como já havia
Extremidade fixa: Considere sido dito, o pulso refratado não sofre inversão de fase. O
que a extremidade da corda pulso refletido também não sofrerá uma inversão de fase,
esteja fixa. Quando o pulso devido à corda de menor densidade funcionar como uma
chega à extremidade fixa, a extremidade livre.
corda exerce uma força para
cima no suporte. Pelo princípio
da ação e reação, o suporte
3. DIFRAÇÃO.
exerce na corda uma força de As ondas não se propagam obrigatoriamente em linha
reação em sentido contrário. O reta a partir da fonte emissora. Elas apresentam a capacidade
efeito dessa força é originar a “A reflexão ocorreu com de contornar obstáculos, desde que estes tenham
inversão do pulso incidente. inversão de fase”. dimensões comparáveis ao comprimento de onda. Esse
desvio que permite às ondas atingirem regiões situadas atrás do
Extremidade livre: Basta
obstáculo é denominado difração.
imaginarmos uma argola, de
massa desprezível em relação As ondas sonoras
à corda, que possa subir e apresentam valores elevados
descer, sem atrito. Não para o comprimento de onda
havendo interação, a argola, (de 2 cm a 20 m para as ondas
ao subir e descer age como audíveis no ar). Por isso, elas
uma fonte, produzindo um se difratam com relativa
pulso idêntico ao que chega, facilidade, contornando muros,
porém deslocando-se para a “A reflexão ocorreu sem esquinas, etc.
esquerda: inversão de fase”. Pelo contrário, a difração da luz é muito pouco
acentuada, porque o comprimento de onda das ondas luminosas
2. REFRAÇÃO. é muito pequeno (da ordem de 10-7 m), só ocorrendo quando as
dimensões dos obstáculos são pequenas. Assim, a difração
Chama-se refração de uma onda, a mudança de luminosa ocorre quando a luz incide no orifício de uma agulha,
velocidade sofrida pela mesma que ocorre geralmente quando no fio de uma lâmina, etc.
ela passa de um meio para outro, de características diferentes.
A onda incidente e a onda refratada estão sempre em 4. POLARIZAÇÃO DE ONDAS.
concordância de fase.
A refração é regida por duas leis que foram
Polarizar uma onda significa “filtrá-la”, deixando passar
apresentadas anteriormente no estudo da óptica.
apenas aquelas perturbações que ocorrem em um determinado
plano. A polarização é um fenômeno exclusivo das ondas
OBSERVAÇÃO 2.
CONTEÚDO - 2011

transversais, não podendo ocorrer com ondas longitudinais.


Na refração a onda incidente e a onda refletida Assim, as ondas luminosas, apresentando natureza transversal,
possuem o mesmo período, a mesma freqüência. podem ser polarizadas, ao contrário das ondas sonoras, que não
Na refração a onda incidente e a onda refletida se polarizam, por apresentarem natureza longitudinal.
possuem velocidades e comprimentos de onda diferentes.
03. (UECE) A figura mostra dois pulsos ideais, x e y, idênticos
4.1. FÍSICA NO COTIDIANO: ELIMINAÇÃO DE e de amplitude a, que se propaga com velocidade v em uma
NOSSO SITE: www.portalimpacto.com.br

REFLEXOS. corda, cuja extremidade P é fixa. No instante em que ocorrer a


superposição, o pulso resultante terá amplitude:

a) a
b) 2a
c) a/2
A figura acima mostra que a luz foi polarizada em duas
d) zero
direções, por isso não há possibilidade de enxergarmos o texto.
e) 4a
Os polaróides (lentes que polarizam) são utilizados em
instrumentos de laboratório, e também para evitar o ofuscamento 04. (Ufscar 2002) Dois pulsos, A e B, são produzidos em uma
produzido pela incidência da luz solar nos vidros dos carros. Na corda esticada, que tem uma extremidade fixada numa parede,
praia, a utilização de lentes polarizadoras nos óculos de sol conforme mostra a figura.
permite que parte da luz incidente sobre a lente seja absorvida,
diminuindo o excesso de iluminação.

5. INTERFERÊNCIA.
Sempre que ocorre uma sobreposição de ondas,
dizemos que está acontecendo uma interferência entre elas.
Se no encontro de duas ondas ocorrer a sobreposição
de duas cristas ou dois vales, a interferência é denominada Quando os dois pulsos se superpuserem, após o pulso A ter
construtiva. Se a sobreposição for entre uma crista e um vale a sofrido reflexão na parede, ocorrerá interferência:
interferência é denominada destrutiva. a) construtiva e, em seguida, os dois pulsos seguirão juntos no
sentido do pulso de maior energia.
b) construtiva e, em seguida, cada pulso seguirá seu caminho,
mantendo suas características originais.
c) destrutiva e, em seguida, os pulsos deixarão de existir,
devido à absorção da energia durante a interação.
d) destrutiva e, em seguida, os dois pulsos seguirão juntos no
sentido do pulso de maior energia.
e) destrutiva e, em seguida, cada pulso seguirá seu caminho,
mantendo suas características originais.

05. (UFR-RJ) Considere duas frentes de ondas senoidais


Interferência Construtiva Interferência Destrutiva distintas, propagando-se para direita. Veja fig. 1 e fig. 2.
Admita que as ondas da fig. 1 e as ondas da fig. 2 viajam com
Após o encontro, as ondas mantêm exatamente a
velocidades escalares iguais (10 m/s e para direita).
mesma forma que teriam se não acontecesse interferência.

6. EXERCÍCIOS.
01. (PUC-RS) Em locais baixos como num vale, captam-se mal
sinais de TV e de telefone celular, que são sinais de freqüências
altas, mas captam-se bem sinais de rádio de freqüências
baixas. Os sinais de rádio de freqüências baixas são melhor
captados porque:
a) refletem mais facilmente.
b) refratam mais facilmente.
c) difratam mais facilmente.
d) polarizam mais facilmente.
e) reverberam mais facilmente.
a) Calcule o valor aproximado para a relação r = ૃ1/ૃ2 sendo ૃ1
02. (Vunesp) Nos cinemas 3D, para criar a ilusão da 3ª o valor do comprimento de onda na fig. 1 e ૃ2 o valor do
dimensão, duas imagens iguais, formadas por luz polarizada, comprimento de onda na fig. 2.
são projetadas simultaneamente na tela do cinema de maneira b) Qual das ondas tem menor freqüência?
a não sobrepor uma sobre a outra. Com o auxílio de óculos com c) Qual o comprimento de onda resultante da interferência
filtros polarizadores, o espectador enxerga cada uma das entre as duas ondas se a primeira crista da onda 1 sofre
imagens com um olho, obtendo, assim, a visão tridimensional. interferência construtiva com a primeira crista da onda 2?
A polarização da luz consiste
a) na passagem da luz de um meio para outro em que a GABARITO.
velocidade de propagação é diferente.
b) na separação das cores que compõem a luz incidente devido
à dispersão desta luz. Questão Resposta Questão Resposta
c) na interferência entre o feixe de luz incidente e o mesmo 01 C 04 E
CONTEÚDO - 2010

feixe de luz refletido por um obstáculo. 02 E a) 1/2


d) na formação de franjas claras e escuras devido às 05 b) A onda 2
microfendas dos filtros polarizadores. 03 D
c) 2x
e) na produção de ondas luminosas que vibram num único
plano que contenha a direção de propagação.

REVISÃO IMPACTO - A CERTEZA DE VENCER!!!