Vous êtes sur la page 1sur 16

21/3/2011

Conceitos básicos e história

TEORIAS DA
ADMINISTRAÇÃO

 A administração, seus conceitos e técnicas são  Nas civilizações primitivas: (Suméria, Babilônia, Egito,
usados, consciente ou inconscientemente, há muito Pérsia)
tempo  administradores hábeis, habilidades comprovadas
 por exemplo, Moisés, durante o pelas realizações da época;
êxodo do Egito, por volta do  as pirâmides do Egito, os jardins suspensos e o sistema
ano 1250 A.C., fez uso dos de irrigação da Babilônia, os sistemas de bibliotecas
princípios da administração. da Assíria etc. e, no Código de Hammurabi, já existia
menção ao salário mínimo e incentivos, em 1800 A.C.;

 O Império Romano, com seu sistema militar (modelo


até hoje) dominou grande parte do mundo, fato que
necessitou a aplicação de conceitos gerenciais
bastante desenvolvidos;

1
21/3/2011

 Na China, com sua grande muralha e poderoso  Mais recente, no século


exército, onde o princípio da especialização (divisão XVII, Niccolò Machiavelli
do trabalho) e rotação de mão-de-obra já eram expressou alguns conceitos
empregados. da administração pública
em seu livro, "O Príncipe",
onde defendia o uso do
"temor", que pode ser
controlado, ao uso do
"amor", que é mutável e
incontrolável, como forma
de gerir seus liderados.

 A Igreja Católica Romana com sua crescente


expansão, precisou definir de forma clara, seus Revolução Industrial
objetivos, políticas, regras, diretrizes etc. sua
estrutura organizacional e desenvolveu um sistema
de responsabilidade e autoridade centralizado que
gera discussões entre seus integrantes e estudiosos
até os dias atuais.

Administração Científica TAYLOR

2
21/3/2011

Taylor (1903) Taylorismo


 Considerado o "Pai da Administração Científica”.  Baseia-se no estudo dos movimentos corporais
 Publica o livro Administração Científica onde expõe necessários para executar um trabalho e na
medida do tempo gasto em cada um desses
pela primeira vez suas teorias. movimentos.
 Taylor propõe a racionalização do trabalho por
meio do estudo dos tempos e movimentos. ESTUDO DE TEMPOS E MOVIMENTOS

laboratório de métodos
critérios empíricos

1º Princípio – Escolha do método


Dividido em 3 etapas 2. Preparar o método padrão
1. Desenvolver o método preferido
a) definir o objetivo da operação; Método PREFERIDO converter Método PADRÃO
b) descrever as diversas alternativas de métodos para
se alcançar o objetivo;
ou seja, ser implantado em toda fábrica.
c) testar essas alternativas; e a) realizar uma descrição detalhada do método, (movimentos e
d) selecionar o método que melhor atenda ao objetivo. sequência dos mesmos);
b) fazer um desenho esquemático do posto de trabalho,
mostrando o posicionamento das peças, ferramentas e
máquinas; e
c) listar as condições ambientais (iluminação, calor, gases,
poeiras) e outros fatores que podem afetar o
desempenho.

Considerações
3. Determinar o tempo-padrão  Esse enfoque tradicional contribuiu bastante para a
hegemonia da indústria norte-americana (primeira
 Tempo necessário, a um operário experiente,
metade do século XX).
para executar o trabalho usando o método
 Hoje se admite que os seus resultados nem sempre
padrão
são os mais eficazes.
 incluindo-se:
 métodos cada vez mais simples e repetitivos.
 tolerâncias de espera (por exemplo, aguardar a máquina
completar o ciclo); a curto prazo, pode ser eficiente.
 as ineficiências do processo produtivo; e
 as tolerâncias para fadiga (dependem da carga de
trabalho e das condições ambientais).

3
21/3/2011

Considerações 2º Princípio - Seleção e treinamento


 depois produz excessiva fadiga localizada, além da diante do trabalho simplificado e já planejado, o
monotonia. trabalhador adequado pode ser escolhido mais
 contribui para reduzir a motivação, provocando facilmente
absenteísmos, alta rotatividade e até doenças
O QUE SE PROCURA NÃO É UM HOMEM QUE
ocupacionais.
CONHEÇA O OFÍCIO OU QUE TENHA VÁRIAS
 Na visão atual, considera-se que esses fatores HABILIDADES PARA DESENVOLVER QUALQUER
podem ser tão fortes, a ponto de neutralizar as TRABALHO
vantagens proporcionadas pela racionalização do
“Dispensa-se todos que não apresentassem baixo
posto de trabalho, quando se usam os princípios de
coeficiente pessoal”
economia dos movimentos.

3º Princípio - tarefa
 A par da escolha do trabalhador certo para o  O elemento central da programação do trabalho
trabalho certo estava a necessidade de treinar o passava a ser a “tarefa” ou a “ordem de
indivíduo, não em uma profissão, mas de modo produção”.
que executasse uma tarefa.
“Bem, se você é um operário classificado, deve fazer “A idéia de tarefa é o mais importante elemento na
exatamente o que este homem lhe mandar, de manhã à administração científica. O trabalho de cada operário é
noite. Quando ele disser para levantar a barra e andar, completamente planejado pela direção e as instruções
você levanta e anda, e quando ele mandar sentar, você escritas completas. A administração científica, em grande
senta e descansa. Você procederá assim durante o dia todo. parte, consiste em preparar e fazer executar essas tarefas.”
E, mais ainda, sem reclamações”

Vídeo
 ITI - 02.1 - Taylorismo.avi
FORD

4
21/3/2011

Ford (1913)
 Ford Motor Company aplica os princípios da linha
de montagem, a partir da idéia do sistema de
carretilhas aéreas usado nos matadouros de
Chicago.

 A esteira rolante ininterrupta


 Combinando operações extremamente parceladas.

FORDISMO - Princípios FORDISMO


 Sempre que possível, o trabalhador não dará um  Resultado prático:
passo supérfluo;

Economia das faculdades mentais e a redução


 Não permitir, em caso algum, que ele se canse
ao mínimo dos movimentos de cada
inutilmente, com movimentos à direita ou à
esquerda, sem proveito algum.
operário, que, se possível, deve fazer
sempre o mesmo movimento ao executar a
mesma operação.

SUCESSO DA ORGANIZAÇÃO FORDISTA


PARA A PRODUÇÃO
 Resultados da produção:
 Tempo de montagem do chassi:
 De 12h8mm
 Para 1h33m (45 operações extremamente simplificadas).

 Na linha de montagem
 Antes: uma só pessoa
 Com a esteira rolante: 84 operários.

5
21/3/2011

O TRABALHADOR PARA O IDEAL


E O FORDISMO PARA O TRABALHO?
FORDISTA
 Posto de trabalho: o homem passou a ser quase um  O trabalhador qualificado, antes necessário no
componente da máquina. processo de montagem, era eliminado.

 Os movimentos deveriam ser feitos mecanicamente,  Em seu lugar surgia um novo homem, cuja única
sem interferência de sua mente (perfeita harmonia função era repetir indefinidamente movimentos
com o conjunto da linha de montagem). padronizados, desprovidos de qualquer
conhecimento profissional, que para Ford “nada
tem de desagradável”

VANTAGEM ECONÔMICA DO TRABALHADOR


DESQUALIFICADO SOBRE O SEU ANTECESSOR
 “Para certa classe de homens, o trabalho repetido, ou a  “Uns 43% de todos os serviços não requerem mais
reprodução contínua de uma operação idêntica, por
processos que não variam nunca, constitui um do que um dia de aprendizagem; 36% requerem
espetáculo horrível. A mim me causa horror. Por preço de um até oito dias; 6%, de uma a duas semanas;
algum do mundo poderia fazer todos os dias as 14%, de um mês a um ano; 1%, de um a seis anos.
mesmas coisas.
Este último trabalho é a fabricação dos instrumentos
 Entretanto, atrevo-me a dizer que para a maioria, a
repetição nada tem de desagradável. Para certos que, como a soldadura, requerem uma
temperamentos, a obrigação de pensar é uma aprendizagem especial”.(Ford)
verdadeira tortura, porque o ideal consiste em
operações que de modo algum exijam instinto criador.”
(Ford)

Fordismo e a Valorização do Capital


 Com a simplificação e parcelamento = redução das  Coloca sob sua dependência um contingente
necessidades de todo potencial humano para o humano antes marginalizado. O resultado final é o
trabalho.
alargamento da reserva de braços para a
 “Os trabalhos mais fáceis foram por sua vez
classificados, para verificar quais deles exigiam o uso
indústria, com reflexos sobre o preço da força de
completo das faculdades; comprovou-se então que 670 trabalho.
trabalhos podiam ser confiados a homens sem ambas  Concentra no menor espaço de tempo aquela parte
as pernas; 237 requeriam ouso de uma só perna; em do trabalho que realmente transforma e valoriza a
dois casos podia-se prescindir dos dois braços; em 715
casos de um braço e em 10 casos a operação podia
mercadoria.
ser feita por um cego.” (Ford)

6
21/3/2011

CONCLUINDO... Vídeo
 Resultado da linha de montagem:  ITI - Aula 03.1 - Fordismo.avi
a desqualificação operária
 a intensificação do trabalho.

 Aliados ao aumento da produtividade conseguido


por intermédio de inovações tecnológicas,
permitiram o barateamento do automóvel e a
transformação dele num bem de consumo de massa.

 O taylorismo-fordismo constituiu a principal


estratégia para aprofundar o: Teoria das Relações Humanas
 controle sobre os trabalhadores
 fragmentando as tarefas
 propondo pagamento por produção
 fragmentando a organização social para o trabalho
 preparando a produção para exclusão do trabalho
humano (com tecnologias automatizadas e
informatizadas) e
 consequente maior sujeição dos trabalhadores.

Objetivos da Teoria A civilização industrializada e o homem

 Oposição a Teoria Clássica Organização industrial = organização técnica +


 Surgiu para corrigir a forte tendência a organização humana
desumanização do trabalho
 Necessidade de democratizar e humanizar a  A partir de experiências (Hawthorne, Mayo) passa
administração a defender:
 Desenvolvimento das Ciências Humanas  trabalho é uma atividade grupal
o operário não reage como indivíduo isolado
 pessoa humana tem necessidade de estar junto
(reconhecido).

7
21/3/2011

Problemas Novo conteúdo administrativo


 Todos os métodos convergem para a eficiência, mas  Motivação
não para a cooperação humana  Liderança
 Incompatibilidade entre os objetivos da empresa e  Comunicação
dos funcionários  Dinâmica de grupo
 Idéias e crenças = confusão ou cooperação

No comportamento humano existe ALGO que faz uma


pessoa perseguir um determinado objetivo
(curto ou longo prazo)

Definição
 Este algo é conhecido como:
 Determinação

 Impulso

 “Guarra”
Processo pelo qual ele é ativado e se mantém
 Objetivo
funcionando.
 Necessidade

E geralmente, MOTIVO

8
21/3/2011

Teorias
 Para que a tarefa seja motivadora é necessário
saber quais as metas estabelecidas.
Processo Conteúdo Metas e Objetivo
• causas e objetivos • necessidades Concretos De forma clara
de comportamento • Exemplo: Maslow
• expectância- Informações dos resultados
valência Contínua Periódica

Motiva, e melhora o desempenho no trabalho

Maslow (1943) Qual a importância da motivação?

Trabalhador motivado produz mais e melhor!

Sofre menos os efeitos da monotonia e da fadiga!

O que fazer para motivar o trabalhador? O que fazer para motivar o trabalhador?

1. O fator que mais motiva é o salário! (menor renda) 1. O Reconhecimento


2. Para os demais pode ser aborrecimento (injustiças 1. Deve ser baseado num relacionamento de franqueza
saláriais) e confiança (trabalhador-administração)

9
21/3/2011

O que fazer para motivar o trabalhador? O que fazer para motivar o trabalhador?

1. O Reconhecimento Exemplo negativo:


1. Os critérios de remuneração e promoção devem ser 1. Se a administração escolher um dos elementos de
CLAROS. um grupo para ser promovido.
2. Sempre que possível, baseados no: 2. E este não for o de maior capacidade ou
1. Desempenho do trabalho; e liderança.
2. Aperfeiçoamento pessoal 3. Todos os integrantes do grupo perceberão
4. Isto torna-se um fator de aborrecimento
5. Consequentemente acontecerá diminuição de
motivação.

LIDERANÇA LIDERANÇA
 Estilos de liderança:
 Autoritário

 Democrático

 Liberal
Conhecer a Saber
natureza conduzir as LIDERANÇA!
humana pessoas

LIDERANÇA

10
21/3/2011

COMUNIÇÃO Dinâmica de grupo


 Troca de informações entre pessoas.  Fundador: Kurt Lewin
 Relacionada com a experiência humana da  Proposição geral: o comportamento, as atitudes, as
organização social. crenças e os valores do indivíduo baseiam-se
firmemente nos grupos aos quais pertence.
 O grupo: tem uma finalidade, ou objetivo comum;
Informar Compreender Ações uma estrutura; uma organização dinâmica e coesão
interna.

Motivar Cooperação Satisfação

Considerações Finais
 Apesar de ter surgido como oposição à teoria
clássica, ultimamente, a teoria das relações Teoria Sociotécnica
humanas vem sendo encaradas mais como uma
compensação ou complemento do que uma
contradição da administração científica.

Hipóteses Pressupostos
 que a produtividade de uma pessoa é tanto maior  para uma mesma tecnologia, há alternativas
quanto mais ela estiver satisfeita quanto às modalidades de organização:
 que a satisfação é decorrente de fatores intrínsecos  organização mecanizada clássica
ao trabalho  organização mecanizada "auto-adaptada" .

 a organização do trabalho mecanizada "auto-


adaptada" apresentava vantagens, tanto ao nível
da produtividade, como ao nível das relações
sociais.

11
21/3/2011

 No sistema sociotécnico, a tecnologia parece ser,


ao mesmo tempo: “Sempre que o meio se torna relativamente instável
o elemento que impõe às possibilidades de (produtividade, qualidade, competitividade, afastamentos,..)
adaptação; e/ou imprevisível (absenteísmo, acidentes, doenças, ..), a
 o elemento que traz as satisfações pessoais e as empresa deve evitar ao máximo a rigidez, quer
relações sociais no trabalho. ela provenha da dimensão das instalações ou da
forma de organização.”

ENRIQUECIMENTO INDIVIDUAL DE
TAREFAS
 Consiste em modificar as tarefas de forma que estas  MÉTODOS TAREFAS
adquiram características de 7 fatores motivacionais:  Rotação de Cargos - revezamento de tarefas entre as
1. Suprimir controles, conservando índices de desempenho. pessoas, por períodos de tempo determinados.
2. Aumentar a iniciativa de cada trabalhador em relação às  Ampliação Horizontal - agrupamento de diversas
suas tarefas no posto. tarefas de mesma natureza num único cargo (aumento de
3. Realizar um conjunto em vez de uma parte. habilidades -na sequência do processo).
4. Dar liberdade ao trabalhador para realizar suas tarefas.  Ampliação Vertical - atribuição de tarefas de
5. Relatar, periodicamente, aos trabalhadores a forma como naturezas diferentes à um mesmo cargo (aumento de
estes realizam seus trabalhos. autonomia no posto).
6. Introduzir tarefas mais complexas que ainda não tenham  Enriquecimento de cargos - aplicação de ampliação
sido executadas no posto. vertical e horizontal à um único cargo.
7. Atribuir uma tarefa a um trabalhador de forma que ele
possa se tornar especialista nela

RESULTADOS
 Opõe-se ao Taylorismo pelo nível de tarefas
individuais e pelas necessidades do homem no TOYOTISMO
trabalho - agrupamento de tarefas
 Opõe-se ao RH por tratar as questões do trabalho
e não apenas de vantagens pessoais.
 Usam experiências de laboratório e generalizam
para o coletivo.
 Admitem previsibilidade das situações, com riscos
nulos se o método for respeitado.

12
21/3/2011

HISTÓRICO HISTÓRICO
 1910: Toyoda Sakichi visita os EUA, e observa o  1950: Durante a primavera deste ano, o jovem Eng. Eiji
crescimento da indústria automobilística. Começava a Toyoda realiza visita as instalações da FORD em companhia
era dos automóveis. do seu especialista em Produção Taiichi Ohno e concluem
 1926: Toyoda Sakichi (1867-1930), funda a Toyoda que o modelo da FORD não funcionaria no JAPÃO.
Spinning & Weaving e a Toyoda Automatic Loom  Nasce o modelo Japonês, que ficou conhecido como:
Works Ltda. SISTEMA TOYOTA DE PRODUÇÃO.
 1936: o governo Japonês criou uma lei de proteção  1956: surge a ideia do sistema KANBAN, que levou dez
aos fabricantes domésticos de automóveis. anos para se estabelecer por completo pela TOYOTA.
 1937: Toyoda Kiichiro funda a TOYOTA motor  1963: configurou-se o início do kanban externo, ou seja, com
Company. partes entregues pelos fornecedores.
 1945: o Japão perdeu a guerra. Para que a indústria  1973: Crise seguida por uma recessão, afetou toda a
japonesa pudesse sobreviver, foi lançado o desafio: economia Japonesa. Porém a TOYOTA continuou crescendo
“Alcançar a America em três anos”.
nos anos seguintes.

CONCEITOS BÁSICOS - STP CONCEITOS BÁSICOS - STP


 Objetivo da TOYOTA: LUCRO.  Em termos de PRODUÇÃO o foco recai na redução
 Formas de se obter o aumento do lucro: de custos. Para isso, no STP, busca-se ferrenhamente
 Redução de custos a eliminação de perdas.
 Aumento do faturamento
 A identificação das perdas exige um estudo
detalhado da estrutura de produção.
A TOYOTA adota uma estratégia agressiva de
marketing
Novos produtos conforme necessidades detectadas em
estudo de mercado

CONTEÚDO DO PROCESSO MELHORIA DE PROCESSAMENTO


 Na concepção do STP, no processo está envolvidos  Para o STP, a melhoria do processamento está
4 fenômenos: calçada na visão de melhoria da Engenharia e
 PROCESSAMENTO – transformação, montagem, Análise de Valores – EAV
desmontagem, etc;
 INSPEÇÃO – comparação com um padrão;

 TRANSPORTE – mudança de posição;

 ARMAZENAGEM – tempo gasto sem conduzir


processamento, inspeção e transporte.

13
21/3/2011

MELHORIA DA INSPEÇÃO MELHORIA DE TRANSPORTE


 A inspeção pode ser caracterizada da seguinte forma:  Faz-se necessário diferenciar:
 Por objetivo:  Melhoria do processo de transporte.
 para encontrar defeitos para prevenir defeitos posteriores
 Melhoria da operação de transporte
 Por abrangência:
 inspeção por amostragem
 inspeção 100% “ o uso de empilhadeiras, correias, transportadoras,
 Sistema Poka-Yoke, busca o atingi mento de “zero etc., é erroneamente considerada como uma
defeito”, fazendo uso da inspeção 100%. melhoria de transporte ...”
 Função FEEDBACK da inspeção, determina a redução
contínua de defeitos.

MELHORIA DE TRANSPORTE MELHORIA DE ARMAZENAGEM


 “Transporte envolve uma grande percentagem em  O STP tem por fundamento a ELIMINAÇÃO TOTAL DE
ESTOQUE.
processos:  A redução de estoque é alcançada pelo nivelamento das
5%
quantidades e pela sincronização da produção.
 Técnicas utilizadas para eliminar a ocorrência de estoques:
PROCESSAMENTO
45%  TPM – Eliminação de quebras de máquinas
INSPEÇÃO
TRANSPORTE
 POKA-YOKE – Zero defeito
45%  Sistema SMED – troca rápida de ferramentas
ARMAZENAGEM
 Diminuição de LEADTIME – pré automação (tempo de
atravessamento)
5%  Produção nivelada
 Sincronização
 Deve-se manter uma forte atitude considerando
absoluta eliminação de transporte.”

LÓGICA DAS PERDAS PILARES DO STP


 As sete grandes perdas a serem perseguidas no
STP:
 por superprodução;
 por transporte;
 no processamento entre si;

 por fabricar produtos defeituosos;

 no movimento;

 por espera;

 por estoque.

14
21/3/2011

JIT
 Resposta rápida e flexível ás flutuações do
mercado (orientado para o consumidor), e isto
associado a um elevado nível de qualidade e
custos reduzidos para os produtos.
 No fluxo de processo as partes necessárias são
JIT alimentadas no tempo certo, no local certo e na
quantidade necessária.

AUTONOMAÇÃO
 Consiste em facultar ao operador (ou máquina) a
autonomia de interromper a operação sempre que
ocorrer alguma situação anormal ou quando a
quantidade planejada de produção for atingida.
 Busca QUALIDADE ASSEGURADA (detecção de peças
defeituosas - correção imediata).
 Um sistema de controle visual que indique as paradas
é essencial para a orientação das ações corretivas.
 O operador não é necessário enquanto a máquina
trabalha normalmente.
 Operador multifuncional, pode atender várias
máquinas.

VANTAGENS
 Eliminação de estoque
 Eliminação total dos defeitos
 Múltiplas habilidades dos trabalhadores
 Motivação dos trabalhadores (maior participação dos
trabalhadores)
 Trabalhador fica “livre” para exercer outras
funções (autonomação)
 Manufatura de alto valor agregado
 Manufatura de ciclo de tempo reduzido

15
21/3/2011

DESVANTAGENS CONCLUSÃO
 Difícil implementação  O STP é de difícil implementação, mas as suas
 Mudança de consciência dos trabalhadores, antes o vantagens perante aos outros sistema produtivos
trabalhador era especializado agora ele tem que são inúmeras e assim a sua implementação se torna
ter múltiplas habilidades, logo existe uma viável, pois através da utilização correta desse
dificuldade de mudar a consciência desse sistema pode-se chegar a níveis de defeitos
trabalhador. mínimos, além disso, a redução de custos com
 Dificuldade de sincronização, muitas vezes os estoque faz com que sua utilização seja ainda mais
processos são difíceis de serem mudados logo é lucrativa.
muito complicado sincronizar os processos.

Vídeos
 ITI - 02.1 - Toyota I.avi
 ITI - 02.1 - Toyota II.avi FIM

16