Vous êtes sur la page 1sur 39

CURSO ON-LINE

LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)


CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

AULA 02 (1ª parte)

ASSUNTO:
Lei nº 8.666/93 (parte 2) – 120 questões

121. (CESPE/EMBASA/2010) É inexigível a licitação no caso de contratação


de profissional do setor artístico, desde que devidamente consagrado pela
crítica especializada e comprovada sua aptidão por títulos acadêmicos.

Comentários:
ERRADO. É inexigível a licitação quando houver inviabilidade de
competição, em especial (art. 25):
• para aquisição de materiais, equipamentos, ou gêneros que só possam
ser fornecidos por produtor, empresa ou representante comercial
exclusivo, vedada a preferência de marca, devendo a comprovação de
exclusividade ser feita através de atestado fornecido pelo órgão de
registro do comércio do local em que se realizaria a licitação ou a obra ou
o serviço, pelo Sindicato, Federação ou Confederação Patronal, ou, ainda,
pelas entidades equivalentes;
• para a contratação de serviços técnicos profissionais especializados, de
natureza singular, com profissionais ou empresas de notória
especialização, vedada a inexigibilidade para serviços de publicidade e
divulgação;
• para contratação de profissional de qualquer setor artístico,
diretamente ou através de empresário exclusivo, desde que
consagrado pela crítica especializada ou pela opinião pública.

Viva a criatividade do examinador. A Lei não exige essa comprovação da


aptidão do artista por títulos acadêmicos. Basta que ele seja consagrado pela
crítica especializada ou pela opinião pública.

122. (CESPE/EMBASA/2010) Considere a seguinte situação hipotética. O


responsável pelas contratações em certa secretaria de governo da Bahia editou
uma norma interna determinando que, nos editais de licitação ou em seus
anexos, não deveriam ser incluídos os orçamentos estimados nem as planilhas
de quantitativos e preços unitários, uma vez que tais informações poderiam

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 1


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

direcionar o resultado da licitação. Nessa situação, agiu corretamente a


autoridade, ao editar a referida norma.

Comentários:
ERRADO. Constituem anexos do edital, dele fazendo parte integrante
(art. 40, §2º):
• o projeto básico e/ou executivo, com todas as suas partes, desenhos,
especificações e outros complementos;
• orçamento estimado em planilhas de quantitativos e preços
unitários;
• a minuta do contrato a ser firmado entre a Administração e o licitante
vencedor;
• as especificações complementares e as normas de execução
pertinentes à licitação.

123. (CESPE/EMBASA/2010) Na execução indireta de obras ou serviços pelo


poder público, ocorre o regime de empreitada por preço unitário, quando se
contrata a execução da obra ou do serviço por preço certo de unidades
determinadas.

Comentários:
CERTO. De acordo com o art. 6º da Lei nº 8.666/93, considera-se:
• Execução direta: a que é feita pelos órgãos e entidades da
Administração, pelos próprios meios.
• Execução indireta: a que o órgão ou entidade contrata com terceiros sob
qualquer dos seguintes regimes:
9 Empreitada por preço global: quando se contrata a execução da
obra ou do serviço por preço certo e total;
9 Empreitada por preço unitário: quando se contrata a execução
da obra ou do serviço por preço certo de unidades
determinadas;
9 Tarefa: quando se ajusta mão-de-obra para pequenos
trabalhos por preço certo, com ou sem fornecimento de
materiais;
• Empreitada integral: quando se contrata um empreendimento em
sua integralidade, compreendendo todas as etapas das obras,
serviços e instalações necessárias, sob inteira responsabilidade da

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 2


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

contratada até a sua entrega ao contratante em condições de entrada


em operação, atendidos os requisitos técnicos e legais para sua utilização
em condições de segurança estrutural e operacional e com as
características adequadas às finalidades para que foi contratad

124. (CESPE/EMBASA/2010) Os valores definidos como limites para a


aplicação das modalidades convite, tomada de preço e concorrência, no estado
da Bahia, são maiores do que os valores fixados pela União, na sua área de
competência, para situações idênticas.

Comentários:
ERRADO. A Lei nº 8.666/93 estabelece normas gerais sobre licitações e
contratos administrativos pertinentes a obras, serviços, inclusive de
publicidade, compras, alienações e locações no âmbito dos Poderes da União,
dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios (art. 1º). Portanto, os limites
previstos no art. 23 se aplicam à União e ao Estado da Bahia.

VALORES (art. 23)


MODALIDADES DE
OBRAS E SERVIÇOS DE COMPRAS E OUTROS
LICITAÇÃO
ENGENHARIA SERVIÇOS

Convite Até R$ 150.000,00 Até R$ 80.000,00

Tomada de preços Até R$ 1.500.000,00 Até R$ 650.000,00

Concorrência Acima de R$ 1.500.000,00 Acima de R$ 650.000,00

125. (CESPE/TRE-MT/2010) Com exceção dos casos de obras executadas e


exploradas sob o regime de concessão, é vedado incluir no objeto da licitação a
obtenção de recursos financeiros para sua execução, qualquer que seja a sua
origem.

Comentários:
CERTO. É vedado incluir no objeto da licitação a obtenção de recursos
financeiros para sua execução, qualquer que seja a sua origem, exceto nos

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 3


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

casos de empreendimentos executados e explorados sob o regime de


concessão, nos termos da legislação específica (art. 7º, §3º).

126. (CESPE/TRE-MT/2010) Convite é o tipo de licitação direcionada para


interessados pré-cadastrados ou que manifestem o seu interesse até 72 horas
antes da apresentação das propostas, desde que comprovem atender as demais
exigências do certame.

Comentários:
ERRADO.

Convite

É a modalidade de licitação entre interessados do ramo pertinente ao seu


objeto, cadastrados ou não, escolhidos e convidados em número mínimo
de 3 pela unidade administrativa, a qual afixará, em local apropriado, cópia do
instrumento convocatório e o estenderá aos demais cadastrados na
correspondente especialidade que manifestarem seu interesse com
antecedência de até 24 horas da apresentação das propostas (art. 22, §3º).

127. (CESPE/TRE-MT/2010) É admitida a inclusão no objeto da licitação de


fornecimento de materiais e serviços sem previsão de quantidades ou cujos
quantitativos não correspondam às previsões reais do projeto básico ou
executivo.

Comentários:
ERRADO. É vedada a inclusão, no objeto da licitação, de fornecimento
de materiais e serviços sem previsão de quantidades ou cujos
quantitativos não correspondam às previsões reais do projeto básico ou
executivo (art. 7º, 4º).

128. (CESPE/TRE-MT/2010) É inexigível a licitação quando a União tiver de


intervir no domínio econômico para regular preços ou normalizar o
abastecimento.

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 4


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

Comentários:
ERRADO. É dispensável a licitação quando a União tiver que intervir
no domínio econômico para regular preços ou normalizar o
abastecimento (Lei nº 8.666/93, art. 24, VI).

129. (CESPE/TRE-MT/2010) É facultada à administração, nas concorrências


de âmbito internacional, estabelecer apenas em favor dos licitantes estrangeiros
a possibilidade de promover cotação de preços em moeda estrangeira.

Comentários:
ERRADO. Quando for permitido ao licitante estrangeiro cotar preço em
moeda estrangeira, igualmente o poderá fazer o licitante brasileiro (art.
42, §1º).

130. (CESPE/MPS/2010) Cabe apenas aos órgãos de controle e ao Ministério


Público requerer à administração pública os quantitativos das obras e preços
unitários de determinada obra executada.

Comentários:
ERRADO. Qualquer cidadão poderá requerer à Administração Pública
os quantitativos das obras e preços unitários de determinada obra
executada (art. 7º, §8º).

131. (CESPE/MPS/2010) A inexistência de orçamento detalhado em


planilhas que expressem a composição de todos os custos unitários implica a
nulidade dos atos ou contratos administrativos realizados e a responsabilidade
de quem lhes tenha dado causa.

Comentários:
CERTO. As licitações para a execução de obras e para a prestação de
serviços obedecerão à seguinte seqüência (Lei nº 8.666/93, art. 7º):
1) Projeto básico;
2) Projeto executivo;
3) Execução das obras e serviços.

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 5


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

Ou seja, a execução de cada etapa será obrigatoriamente


precedida da conclusão e aprovação, pela autoridade competente, dos
trabalhos relativos às etapas anteriores, à exceção do projeto
executivo, o qual poderá ser desenvolvido concomitantemente com a
execução das obras e serviços, desde que também autorizado pela
Administração.

PROJETO BÁSICO PROJETO EXECUTIVO

É o conjunto de elementos necessários É o conjunto dos elementos


e suficientes, com nível de precisão necessários e suficientes à execução
adequado, para caracterizar a obra completa da obra, de acordo com as
ou serviço, ou complexo de obras ou normas pertinentes da Associação
serviços objeto da licitação, elaborado Brasileira de Normas Técnicas –
com base nas indicações dos estudos ABNT.
técnicos preliminares, que assegurem
a viabilidade técnica e o adequado
tratamento do impacto ambiental do
empreendimento, e que possibilite a
avaliação do custo da obra e a
definição dos métodos e do prazo
de execução.

É exigência para a licitação. Por isso, Não é exigência para a licitação. Por
não pode ser feito durante a execução isso, pode ser feito durante a
da obra. execução da obra

Ademais, as obras e os serviços somente poderão ser licitados quando


(art. 7º, §2º):
• Houver projeto básico aprovado pela autoridade competente e
disponível para exame dos interessados em participar do processo
licitatório;
• Existir orçamento detalhado em planilhas que expressem a composição
de todos os seus custos unitários;
• Houver previsão de recursos orçamentários que assegurem o
pagamento das obrigações decorrentes de obras ou serviços a serem
executadas no exercício financeiro em curso, de acordo com o
respectivo cronograma;

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 6


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

• O produto dela esperado estiver contemplado nas metas estabelecidas no


Plano Plurianual de que trata o art. 165 da Constituição Federal,
quando for o caso.

A infringência dessas regras implica a nulidade dos atos ou contratos


realizados e a responsabilidade de quem lhes tenha dado causa (art. 7º, §6º).

132. (CESPE/PM-DF/2010) As normas que determinam que obras, serviços,


compras e alienações no âmbito da administração pública sejam contratados
mediante processo de licitação pública visam garantir a observância do princípio
da isonomia.

Comentários:
CERTO.

ANTES DA MP nº 495/2010 DEPOIS DA MP nº 495/2010

A licitação destina-se a garantir a A licitação destina-se a garantir a


observância do princípio observância do princípio
constitucional da isonomia e a constitucional da isonomia, a
selecionar a proposta mais seleção da proposta mais
vantajosa (e não a de preço mais vantajosa (e não a de preço mais
barato) para a Administração e será barato) para a administração e a
processada e julgada em estrita promoção do desenvolvimento
conformidade com os princípios nacional, e será processada e julgada
básicos da legalidade, da em estrita conformidade com os
impessoalidade, da moralidade, da princípios básicos da legalidade, da
igualdade, da publicidade, da impessoalidade, da moralidade, da
probidade administrativa, da igualdade, da publicidade, da
vinculação ao instrumento probidade administrativa, da
convocatório, do julgamento vinculação ao instrumento
objetivo e dos que lhes são correlatos convocatório, do julgamento
(art. 3º). objetivo e dos que lhes são
correlatos. (art. 3º).

133. (CESPE/PM-DF/2010) De acordo com a Lei n.º 8.666/1993, a


concorrência é um tipo de licitação.

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 7


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

Comentários:
ERRADO.

MODALIDADES (C3LT)
(procedimentos a serem adotados)

Concorrência

Concurso

Convite

Leilão

Tomada de Preços

134. (CESPE/PM-DF/2010) Com o advento da CF, as contratações por meio


da modalidade convite passaram a ser consideradas inconstitucionais.

Comentários:
ERRADO.

Convite

É a modalidade de licitação entre interessados do ramo pertinente ao seu


objeto, cadastrados ou não, escolhidos e convidados em número mínimo
de 3 pela unidade administrativa, a qual afixará, em local apropriado, cópia do
instrumento convocatório e o estenderá aos demais cadastrados na
correspondente especialidade que manifestarem seu interesse com
antecedência de até 24 horas da apresentação das propostas (art. 22, §3º).

135. (CESPE/DPE-AL/2009) Constitui hipótese de inexigibilidade de licitação


a contratação de associação de portadores de deficiência física, sem fins
lucrativos e de comprovada idoneidade, para a prestação de serviços ou

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 8


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

fornecimento de mão de obra, desde que o preço contratado seja compatível


com o de mercado.

Comentários:
ERRADO. É dispensável a licitação na contratação de associação de
portadores de deficiência física, sem fins lucrativos e de comprovada
idoneidade, por órgãos ou entidades da Admininistração Pública, para a
prestação de serviços ou fornecimento de mão-de-obra, desde que o
preço contratado seja compatível com o praticado no mercado (art. 24, XX).

ATENÇÃO:
É possível acertar essa questão mesmo não se lembrando das hipóteses de
licitação dispensável previstas no art. 24. Para isso, basta verificar se o nosso
bizu se aplica no caso citado no enunciado.
Fazendo isso, temos o seguinte: a inexigibilidade de licitação é caracterizada
pela inexistência de viabilidade jurídica de competição (fornecedor
exclusivo, serviços especializados, artistas consagrados). Ou seja, o nosso bizu
não se aplica. Logo, não é caso de inexigibilidade. Moleza, né?

136. (CESPE/DPE-AL/2009) O leilão é modalidade de licitação entre


interessados devidamente cadastrados para a venda de bens móveis inservíveis
para a administração.

Comentários:
ERRADO.

Leilão

É a modalidade de licitação entre quaisquer interessados para a venda de


bens móveis inservíveis para a administração ou de produtos legalmente
apreendidos ou penhorados, ou para a alienação de bens imóveis da
Administração Pública, cuja aquisição haja derivado de procedimentos
judiciais ou de dação em pagamento, a quem oferecer o maior lance,
igual ou superior ao valor da avaliação (art. 22, §5º).

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 9


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

137. (CESPE/TCE-RN/2009) Na elaboração dos projetos básicos e projetos


executivos de obras e serviços, o setor técnico competente deve considerar a
segurança, a funcionalidade e a economia na execução. O impacto ambiental,
contudo, não deve ser avaliado nesse momento.

Comentários:
ERRADO. Nos projetos básicos e projetos executivos de obras e
serviços serão considerados principalmente os seguintes requisitos (art.
12): segurança; funcionalidade e adequação ao interesse público;
economia na execução, conservação e operação; possibilidade de emprego de
mão-de-obra, materiais, tecnologia e matérias-primas existentes no local para
execução, conservação e operação; facilidade na execução, conservação e
operação, sem prejuízo da durabilidade da obra ou do serviço; adoção das
normas técnicas, de saúde e de segurança do trabalho adequadas; e impacto
ambiental.

PROJETO BÁSICO

É o conjunto de elementos necessários e suficientes, com nível de precisão


adequado, para caracterizar a obra ou serviço, ou complexo de obras ou
serviços objeto da licitação, elaborado com base nas indicações dos estudos
técnicos preliminares, que assegurem a viabilidade técnica e o adequado
tratamento do impacto ambiental do empreendimento, e que possibilite a
avaliação do custo da obra e a definição dos métodos e do prazo de
execução.

138. (CESPE/TCE-RN/2009) Considere que a Secretaria de Saúde do Estado


do Rio Grande do Norte tenha promovido a abertura de procedimento licitatório
para a contratação de item de tecnologia da informação. Ao analisar o objeto e
o valor da contratação, a autoridade responsável verificou que o bem não
poderia ser adquirido por meio de pregão e que o valor envolvido se adequava
ao limite previsto em lei para a modalidade convite. Diante disso, a autoridade
resolveu adotar a modalidade concorrência para a contratação do bem. Nessa
situação hipotética, a conclusão a que chegou a autoridade é autorizada pela
legislação vigente.

Comentários:

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 10


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

CERTO. Nos casos em que couber convite, a Administração poderá


utilizar a tomada de preços e, em qualquer caso, a concorrência (art. 23,
§4º)

139. (CESPE/TCE-RN/2009) Na contratação de bens e serviços de


informática, a administração adotará, obrigatoriamente, o tipo de licitação
melhor técnica, vedado o emprego de outro tipo de licitação.

Comentários:
ERRADO. Na contratação de bens e serviços de informática, a
administração adotará, obrigatoriamente, o tipo de licitação técnica e preço,
vedado o emprego de outro tipo de licitação (art. 45, §§4º e 5º).

140. (CESPE/TCE-RN/2009) Os contratos administrativos regulam-se pelas


chamadas cláusulas de privilégio e pelos preceitos de direito público, aplicando-
se-lhes, supletivamente, os princípios da teoria geral dos contratos e as
disposições de direito privado.

Comentários:
CERTO. Os contratos administrativos de que trata esta Lei nº 8666/93
regulam-se pelas suas cláusulas e pelos preceitos de direito público,
aplicando-se-lhes, supletivamente, os princípios da teoria geral dos
contratos e as disposições de direito privado (art. 54).

141. (CESPE/TCE-RN/2009) Existe previsão legal expressa para conferir


efeito suspensivo no recurso administrativo nas hipóteses de habilitação ou
inabilitação de licitante e contra o julgamento das propostas.

Comentários:
CERTO. Contra os atos praticados no procedimento licitatório, cabe
recurso administrativo, ou, quando não previsto, representação, no prazo
de 5 dias úteis, a contar da intimação do ato ou da lavratura da ata (art. 109).
Ressalta-se que no caso de convite esses prazos são de 2 dias úteis (art.
109, §6º).

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 11


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

Saibam que a Lei prevê recurso com efeito suspensivo contra a


habilitação ou a inabilitação e contra o julgamento das propostas (art.
109, §2º).
Contudo, não atribui efeito suspensivo aos recursos contra a anulação ou
a revogação da licitação, o indeferimento do pedido de inscrição em registro
cadastral, a alteração ou o cancelamento dele. Motivadamente, por razões de
interesse público, a Administração poderá conceder-lhes tal efeito.

IMPORTANTE:
Contra os atos praticados no procedimento licitatório, cabe recurso
administrativo, ou, quando não previsto, representação, no prazo de 5
dias úteis, a contar da intimação do ato ou da lavratura da ata, exceto no
caso de convite, em que esses prazos são de 2 dias úteis.
A Lei nº 8.666/93 só prevê recurso com efeito suspensivo contra a
habilitação ou a inabilitação e contra o julgamento das propostas.

142. (CESPE/TCE-RN/2009) Convite é a modalidade de licitação entre


interessados devidamente cadastrados ou que atenderem a todas as condições
exigidas para cadastramento até o terceiro dia anterior à data do recebimento
das propostas, observada a necessária qualificação.

Comentários:
ERRADO.

Convite

É a modalidade de licitação entre interessados do ramo pertinente ao seu


objeto, cadastrados ou não, escolhidos e convidados em número mínimo
de 3 pela unidade administrativa, a qual afixará, em local apropriado, cópia do
instrumento convocatório e o estenderá aos demais cadastrados na
correspondente especialidade que manifestarem seu interesse com
antecedência de até 24 horas da apresentação das propostas (art. 22, §3º).

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 12


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

143. (CESPE/TCE-RN/2009) As casas legislativas, o Poder Judiciário e os


TCs estão obrigados a licitar, visto que são tidos como administração pública
direta.

Comentários:
CERTO. A Lei nº 8.666/93 estabelece normas gerais sobre licitações e
contratos administrativos pertinentes a obras, serviços, inclusive de
publicidade, compras, alienações e locações no âmbito dos Poderes da União,
dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios (art. 1º).

IMPORTANTE:
A Lei nº 8.666/93 estabelece normas gerais sobre licitações e contratos
administrativos pertinentes a “PALCOS”: Publicidade, Alienações,
Locações, Compras, Obras, Serviços.

Subordinam-se ao regime da Lei nº 8.666/93, além dos órgãos da


administração direta, os fundos especiais, as autarquias, as fundações públicas,
as empresas públicas, as sociedades de economia mista e demais entidades
controladas direta ou indiretamente pela União, Estados, Distrito Federal e
Municípios (art. 1º, parágrafo único).

IMPORTANTE:
Sujeitam-se às regras da Lei nº 8.666/93:
• Órgãos da Administração Direta
• Entidades da Administração Indireta
• Entidades controladas direta e indiretamente por U/E/DF/M
• Fundos Especiais

Ademais, as obras, serviços, compras e alienações realizados pelos


órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário e do Tribunal de Contas regem-se
pelas normas da Lei nº 8.666/93, no que couber, nas três esferas
administrativas (art. 117).

144. (CESPE/TCE-RN/2009) Consoante disposição expressa da Lei nº


8.666/1993, é vedada a licitação quando houver possibilidade de

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 13


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

comprometimento da segurança nacional, nos casos estabelecidos em decreto


do presidente da República, ouvido o Conselho de Segurança Nacional.

Comentários:
ERRADO. É dispensável a licitação quando houver possibilidade de
comprometimento da segurança nacional, nos casos estabelecidos em decreto
do Presidente da República, ouvido o Conselho de Defesa Nacional (art. 24, IX).

ATENÇÃO:
Não sei se eu já falei isso antes (rs)... recomendo a memorização dos incisos
do art. 24 da Lei de Licitações.

145. (CESPE/TCE-RN/2009) As condutas ilegais no procedimento licitatório


que forem tipificadas como crime, ainda que sejam apenas tentadas, sujeitam
seus autores, quando servidores públicos, à perda do cargo, emprego ou
mandato eletivo.

Comentários:
CERTO. Os crimes definidos na Lei nº 8.666/93, ainda que
simplesmente tentados, sujeitam os seus autores, quando servidores
públicos, além das sanções penais, à perda do cargo, emprego, função ou
mandato eletivo (art. 83).

146. (CESPE/TCE-RN/2009) As compras realizadas pela administração


devem sempre atender ao princípio da padronização, que impõe
compatibilidade de especificações técnicas e de desempenho, observadas,
quando for o caso, as condições de manutenção, assistência técnica e garantias
oferecidas.

Comentários:
ERRADO. As compras, sempre que possível, deverão (art. 15):
• atender ao princípio da padronização, que imponha compatibilidade
de especificações técnicas e de desempenho, observadas, quando for o
caso, as condições de manutenção, assistência técnica e garantia
oferecidas;

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 14


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

• ser processadas através de sistema de registro de preços;


• submeter-se às condições de aquisição e pagamento semelhantes às
do setor privado;
• ser subdivididas em tantas parcelas quantas necessárias para aproveitar
as peculiaridades do mercado, visando economicidade;
• balizar-se pelos preços praticados no âmbito dos órgãos e entidades da
Administração Pública.

147. (CESPE/SECONT-ES/2009) No âmbito do sistema de registro de


preços, é facultado a uma unidade administrativa utilizar-se de registros
cadastrais de outros órgãos ou entidades da administração pública, não
havendo, nesse caso, qualquer violação ao princípio da obrigatoriedade da
licitação.

Comentários:
CERTO. Os órgãos e entidades da Administração Pública que realizem
freqüentemente licitações manterão registros cadastrais para efeito de
habilitação, na forma regulamentar, válidos por, no máximo, 1 ano (art.
34).
O registro cadastral deverá ser amplamente divulgado e deverá estar
permanentemente aberto aos interessados, obrigando-se a unidade por ele
responsável a proceder, no mínimo anualmente, através da imprensa oficial
e de jornal diário, a chamamento público para a atualização dos registros
existentes e para o ingresso de novos interessados (art. 34, §1º).
É facultado às unidades administrativas utilizarem-se de registros
cadastrais de outros órgãos ou entidades da Administração Pública (art.
34, §1º).

148. (CESPE/SECONT-ES/2009) Para viabilizar o controle dos gastos


públicos, qualquer cidadão pode requerer à administração pública os valores
das obras e os preços unitários de determinada obra executada.

Comentários:
CERTO. Qualquer cidadão poderá requerer à Administração Pública os
quantitativos das obras e preços unitários de determinada obra executada
(art. 7º, §8º).

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 15


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

149. (CESPE/SEPLAG-DF/2009) A administração pública pode alienar bens


imóveis cuja aquisição tenha decorrido de dação em pagamento.

Comentários:
CERTO. Os bens imóveis da Administração Pública, cuja aquisição haja
derivado de procedimentos judiciais ou de dação em pagamento, poderão
ser alienados por ato da autoridade competente, observadas as seguintes
regras (art. 19):
• avaliação dos bens alienáveis;
• comprovação da necessidade ou utilidade da alienação;
• adoção do procedimento licitatório, sob a modalidade de
concorrência ou leilão

150. (CESPE/SEPLAG-DF/2009) O autor do projeto básico para execução de


determinada obra pode participar do procedimento licitatório correspondente,
sendo vedada a participação apenas do autor do projeto executivo.

Comentários:
ERRADO. Não poderá participar, direta ou indiretamente, da licitação
ou da execução de obra ou serviço e do fornecimento de bens a eles
necessários (art. 9º):
• o autor do projeto, básico ou executivo, pessoa física ou jurídica;
(*)
• empresa, isoladamente ou em consórcio, responsável pela elaboração do
projeto básico ou executivo ou da qual o autor do projeto seja dirigente,
gerente, acionista ou detentor de mais de 5% do capital com direito a
voto ou controlador, responsável técnico ou subcontratado; (*)
• servidor ou dirigente de órgão ou entidade contratante ou responsável
pela licitação.

(*) Poderão participar da licitação de obra ou serviço, ou da execução, como


consultor ou técnico, nas funções de fiscalização, supervisão ou
gerenciamento, exclusivamente a serviço da Administração interessada
(art. 9º, §1º).

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 16


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

151. (CESPE/SEPLAG-DF/2009) Considere que determinada secretaria de


governo estadual tenha publicado edital de licitação na modalidade
concorrência. Nessa situação, o licitante pode, até o dia da abertura dos
envelopes de habilitação, impugnar os termos do edital.

Comentários:
ERRADO. Decairá do direito de impugnar os termos do edital de
licitação perante a administração o licitante que não o fizer até (art. 41, §2º):
• o 2º dia útil que anteceder a abertura dos envelopes de
habilitação em concorrência;
• a abertura dos envelopes com as propostas em convite, tomada de
preços ou concurso, ou
• a realização de leilão.

152. (CESPE/SEPLAG-DF/2009) Nos casos de grave perturbação da ordem,


a licitação é inexigível.

Comentários:
ERRADO. Se a questão falou em inexigibilidade, então se lembrem do
nosso bizu! Ele se aplica? Vamos ver! A inexigibilidade de licitação é
caracterizada pela inexistência de viabilidade jurídica de competição
(fornecedor exclusivo, serviços especializados, artistas consagrados).
Não! Nosso bizu não se aplica! Logo, o caso em análise não configura
hipótese de inexigibilidade de licitação. Ou seja, “matamos” a questão sem
precisar recorrer ao art. 24 da Lei. Que beleza!
Para corroborar o nosso raciocínio, eis a redação do art. 24, III: é
dispensável a licitação nos casos de guerra ou grave perturbação da ordem.

153. (CESPE/SEPLAG-DF/2009) Quando a administração pública realiza


licitação para execução de determinada obra, ela torna-se responsável,
solidariamente com a contratada, pelos encargos previdenciários resultantes da
execução do contrato.

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 17


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

Comentários:
CERTO. A Administração Pública responde solidariamente (e não
subsidiariamente) com o contratado pelos encargos previdenciários
resultantes da execução do contrato (art. 71, §2º).

IMPORTANTE:
A Administração Pública responde solidariamente com o contratado pelos
encargos previdenciários resultantes da execução do contrato.

154. (CESPE/UNIPAMPA/2009) As normas gerais acerca das licitações e dos


contratos públicos, previstas na Lei n.º 8.666/1993, não são aplicáveis às
empresas públicas nem às sociedades de economia mista.

Comentários:
ERRADO. Subordinam-se ao regime da Lei nº 8.666/93, além dos órgãos
da administração direta, os fundos especiais, as autarquias, as fundações
públicas, as empresas públicas, as sociedades de economia mista e
demais entidades controladas direta ou indiretamente pela União, Estados,
Distrito Federal e Municípios (art. 1º, parágrafo único).

IMPORTANTE:
Sujeitam-se às regras da Lei nº 8.666/93:
• Órgãos da Administração Direta
• Entidades da Administração Indireta
• Entidades controladas direta e indiretamente por U/E/DF/M
• Fundos Especiais

155. (CESPE/UNIPAMPA/2009) É possível a realização de procedimento


licitatório de forma sigilosa.

Comentários:
ERRADO.

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 18


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

Princípio da publicidade

Os atos da licitação devem ser públicos. Todos os interessados têm o direito de


conhecer todos os termos da licitação. Por isso, a licitação não será sigilosa,
sendo públicos e acessíveis ao público os atos de seu procedimento, salvo
quanto ao conteúdo das propostas, até a respectiva abertura (princípio
do sigilo na apresentação das propostas) (art. 3º, § 3º).

156. (CESPE/UNIPAMPA/2009) A violação ao sigilo das propostas constitui


crime.

Comentários:
CERTO. Devassar o sigilo de proposta apresentada em procedimento
licitatório, ou proporcionar a terceiro o ensejo de devassá-lo constitui
crime, passível de detenção, de 2 a 3 anos, e multa (art. 94).

157. (CESPE/UNIPAMPA/2009) As hipóteses de dispensa de licitação


encontram-se taxativamente enumeradas na Lei n.º 8.666/1993.

Comentários:
CERTO.

IMPORTANTE:
• A regra geral é a obrigatoriedade de licitação.
• Há casos excepcionais que impedem ou dispensam a realização de
licitação.
• Os casos de dispensa de licitação estão previstos taxativamente na
lei, ao passo que as hipóteses de inexigibilidade de licitação são
meramente exemplificativas.

158. (CESPE/UNIPAMPA/2009) Todas as modalidades de licitação serão


precedidas de edital, que torna pública a realização da licitação.

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 19


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

Comentários:
ERRADO. Edital é o instrumento mediante o qual a Administração torna
pública a realização de uma licitação. Não é utilizado as licitações na
modalidade convite, que utiliza a carta-convite.

159. (CESPE/UNIPAMPA/2009) O concurso é uma modalidade de licitação.

Comentários:
CERTO. São modalidades de licitação (C3LT) (art. 22): Concorrência,
Concurso, Convite, Leilão e Tomada de Preços.
Constituem tipos de licitação (art. 45, §1º): Menor preço, Melhor
técnica; Técnica e preço; e Maior lance ou oferta.

160. (CESPE/UNIPAMPA/2009) A impugnação do edital da licitação poderá


ser feita apenas pelos participantes do certame.

Comentários:
ERRADO. Qualquer cidadão é parte legítima para impugnar edital de
licitação por irregularidade na aplicação da Lei nº 8.666/93. O pedido de
impugnação deverá ser protocolado até 5 dias úteis antes da data fixada
para a abertura dos envelopes de habilitação. A Administração deverá
julgar e responder à impugnação em até 3 dias úteis (art. 41, §1º).

161. (CESPE/UNIPAMPA/2009) Todos os membros das comissões de


licitação deverão ser servidores qualificados e pertencentes aos quadros
permanentes dos órgãos da administração.

Comentários:
ERRADO. A habilitação preliminar, a inscrição em registro cadastral, a
sua alteração ou cancelamento, e as propostas serão processadas e julgadas
por comissão permanente ou especial de, no mínimo, 3 membros, sendo
pelo menos 2 deles servidores qualificados pertencentes aos quadros
permanentes dos órgãos da Administração responsáveis pela licitação
(art. 51).

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 20


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

IMPORTANTE:
Pelo menos 2 dos membros (ou seja, não são todos...) das comissões de
licitação deverão ser servidores qualificados e pertencentes aos quadros
permanentes dos órgãos da administração responsáveis pela licitação.

162. (CESPE/UNIPAMPA/2009) Após a fase da habilitação, o licitante não


poderá mais desistir da proposta apresentada, salvo por motivo justo
decorrente de fato superveniente e aceito pela comissão de licitação.

Comentários:
CERTO. Após a fase de habilitação, não cabe desistência de
proposta, salvo por motivo justo decorrente de fato superveniente e
aceito pela Comissão (art. 43, §6º).

163. (CESPE/SEAPA-DF/2009) É possível a dispensa de licitação para a


hipótese em que a administração pública do DF celebre contratos de prestação
de serviços com organização social devidamente qualificada no âmbito distrital.

Comentários:
CERTO. É dispensável a licitação para a celebração de contratos de
prestação de serviços com as organizações sociais, qualificadas no âmbito
das respectivas esferas de governo, para atividades contempladas no
contrato de gestão (art. 24, XXIV).

164. (CESPE/SEAPA-DF/2009) O leilão é aplicável nos casos de venda de


bens móveis inservíveis para a administração ou de produtos legalmente
apreendidos ou penhorados, ou para a alienação de determinados bens imóveis,
a quem oferecer o maior lance, igual ou superior ao valor da avaliação.

Comentários:
CERTO.

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 21


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

Leilão

É a modalidade de licitação entre quaisquer interessados para a venda de


bens móveis inservíveis para a administração ou de produtos legalmente
apreendidos ou penhorados, ou para a alienação de bens imóveis da
Administração Pública, cuja aquisição haja derivado de procedimentos
judiciais ou de dação em pagamento, a quem oferecer o maior lance,
igual ou superior ao valor da avaliação (art. 22, §5º).

IMPORTANTE:
No leilão, a administração tem por objetivo:
• a venda de bens móveis inservíveis;
• a venda de produtos legalmente apreendidos ou penhorados; ou
• a alienação de bens imóveis da Administração Pública, cuja aquisição
haja derivado de procedimentos judiciais ou de dação em pagamento.

165. (CESPE/SEAPA-DF/2009) Para casos de guerra ou grave perturbação


da ordem, tem-se típica hipótese de dispensa de licitação.

Comentários:
CERTO. É dispensável a licitação nos casos de guerra ou grave
perturbação da ordem (art. 24, III).

166. (CESPE/SEAPA-DF/2009) Os contratos administrativos de que trata a


Lei de Licitações regulam-se pelas suas cláusulas e pelos preceitos de direito
público, aplicando-se-lhes, supletivamente, os princípios da teoria geral dos
contratos e as disposições de direito privado.

Comentários:
CERTO. De novo!!! Os contratos administrativos de que trata esta Lei
nº 8666/93 regulam-se pelas suas cláusulas e pelos preceitos de direito
público, aplicando-se-lhes, supletivamente, os princípios da teoria geral
dos contratos e as disposições de direito privado (art. 54).

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 22


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

167. (CESPE/SEAPA-DF/2009) As modalidades licitatórias de convite e de


concurso podem ser combinadas para a criação de modalidades mistas de
licitação.

Comentários:
ERRADO. São modalidades de licitação (C3LT) (art. 22):
Concorrência, Concurso, Convite, Leilão e Tomada de Preços. É vedada a
criação de outras modalidades ou a combinação delas (Lei nº 8.666/93, art.
22, §8º).

(CESPE/SEAPA-DF/2009) A pesquisa de mercado e a busca pela melhor


oferta são práticas normalmente utilizadas por muitas pessoas no dia-a-dia.
Embora sejam facultativas na iniciativa privada, essas práticas merecem
atenção nos âmbitos jurídico, administrativo e financeiro, quando associadas
aos agentes públicos. Nesse contexto, a defesa do interesse coletivo e da coisa
pública encontra nos procedimentos licitatórios um instrumento de controle e
publicidade. A respeito desse assunto, julgue os itens a seguir.

168. (CESPE/SEAPA-DF/2009) Na modalidade de registro de preço,


qualquer cidadão pode impugnar o preço constante do registro, desde que se
comprove a incompatibilidade desse com o praticado pelo mercado.

Comentários:
CERTO. Qualquer cidadão é parte legítima para impugnar preço
constante do quadro geral em razão de incompatibilidade desse com o preço
vigente no mercado (art. 15, §6º)

IMPORTANTE:
Segundo Marcelo Alexandrino e Vicente Paulo, o Sistema de Registro e Preços
(SRP) “é um meio apto a viabilizar diversas contratações de compras,
concomitantes ou sucessivas, sem a realização de um específico procedimento
licitatório previamente a cada uma, por um ou mais de um órgão ou entidade
da Administração Pública”. Portanto, o SRP serve para a contratação direta de
compras com os fornecedores registrados.

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 23


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

169. (CESPE/MPOG/2009) Concorrência, tomada de preços, convite,


concurso e leilão são modalidades de licitação previstas na Lei nº 8.666/1993.

Comentários:
CERTO. São modalidades de licitação (C3LT) (art. 22): Concorrência,
Concurso, Convite, Leilão e Tomada de Preços.

MODALIDADES (C3LT)
(procedimentos a serem adotados)

Concorrência

Concurso

Convite

Leilão

Tomada de Preços

170. (CESPE/MPOG/2009) Qualquer interessado que possua os requisitos


mínimos pedidos pelo edital pode participar de licitações sob a modalidade da
concorrência.

Comentários:
CERTO.

Concorrência

É a modalidade de licitação entre quaisquer interessados que, na fase inicial


de habilitação preliminar, comprovem possuir os requisitos mínimos de
qualificação exigidos no edital para execução de seu objeto (art. 22, §1º).

171. (CESPE/MPOG/2009) Contratos de valores mais elevados são


submetidos à licitação pela modalidade convite.

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 24


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

Comentários:
ERRADO.

VALORES (art. 23)


MODALIDADES DE
OBRAS E SERVIÇOS DE COMPRAS E OUTROS
LICITAÇÃO
ENGENHARIA SERVIÇOS

Convite Até R$ 150.000,00 Até R$ 80.000,00

Tomada de preços Até R$ 1.500.000,00 Até R$ 650.000,00

Concorrência Acima de R$ 1.500.000,00 Acima de R$ 650.000,00

172. (CESPE/MPOG/2009) Em geral, a compra de bens imóveis pela


administração pública somente pode ser feita pela modalidade de licitação
concorrência, independentemente do valor do imóvel.

Comentários:
CERTO. A concorrência é a modalidade de licitação cabível, qualquer
que seja o valor de seu objeto, na compra ou alienação de bens imóveis,
ressalvado os imóveis adquiridos mediante procedimento judicial ou dação
em pagamento, que também podem ser alienados por leilão (art. 23, §3º).

173. (CESPE/MPOG/2009) Em qualquer situação, é permitido à


administração pública ter preferência por alguma marca de produto ao licitar.

Comentários:
ERRADO. É inexigível a licitação quando houver inviabilidade de
competição, em especial (art. 25):
• para aquisição de materiais, equipamentos, ou gêneros que só possam
ser fornecidos por produtor, empresa ou representante comercial
exclusivo, vedada a preferência de marca, devendo a comprovação
de exclusividade ser feita através de atestado fornecido pelo órgão de
registro do comércio do local em que se realizaria a licitação ou a

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 25


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

obra ou o serviço, pelo Sindicato, Federação ou Confederação


Patronal, ou, ainda, pelas entidades equivalentes;
• para a contratação de serviços técnicos profissionais especializados,
de natureza singular, com profissionais ou empresas de notória
especialização, vedada a inexigibilidade para serviços de
publicidade e divulgação;
• para contratação de profissional de qualquer setor artístico,
diretamente ou através de empresário exclusivo, desde que
consagrado pela crítica especializada ou pela opinião pública.

174. (CESPE/MPOG/2009) É obrigatória a licitação no caso de contratação


do fornecimento ou do suprimento de energia elétrica com concessionário,
permissionário ou autorizado.

Comentários:
ERRADO. É dispensável a licitação na contratação de fornecimento ou
suprimento de energia elétrica e gás natural com concessionário,
permissionário ou autorizado, segundo as normas da legislação específica
(art. 24, XXII).

175. (CESPE/MPOG/2009) A inviabilidade de competição torna a licitação


inexigível.

Comentários:
CERTO. Olha o nosso bizu aí, gente!!!!!!! A inexigibilidade de licitação é
caracterizada pela inexistência de viabilidade jurídica de competição
(fornecedor exclusivo, serviços especializados, artistas consagrados).

176. (CESPE/MPOG/2009) De acordo com a Lei nº 8.666/1993, os


contratos de publicidade da administração pública com terceiros dispensam a
licitação.

Comentários:
ERRADO. Em regra, as obras, serviços, inclusive de publicidade,
compras, alienações, concessões, permissões e locações da Administração

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 26


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

Pública, quando contratadas com terceiros, serão necessariamente precedidas


de licitação (art. 2º).

IMPORTANTE:
Quando contratadas com terceiros, serão necessariamente precedidas de
licitação (PALCOS PC): Publicidade, Alienações, Locações, Compras,
Obras, Serviços, Permissões e Concessões.

177. (CESPE/MPOG/2009) A administração indireta também está obrigada


a proceder à licitação, não obstante as empresas públicas e sociedades de
economia mista poderem ter lei específica a respeito do assunto.

Comentários:
CERTO. Subordinam-se ao regime da Lei nº 8.666/93, além dos órgãos
da administração direta, os fundos especiais, as autarquias, as fundações
públicas, as empresas públicas, as sociedades de economia mista e demais
entidades controladas direta ou indiretamente pela União, Estados, Distrito
Federal e Municípios (art. 1º, parágrafo único).
Não obstante, as sociedades de economia mista, empresas e fundações
públicas e demais entidades controladas direta ou indiretamente pela União e
pela U, E, DF e M editarão regulamentos próprios devidamente publicados,
ficando sujeitas às disposições da Lei nº 8.666/93 (art. 119).

IMPORTANTE:
Sujeitam-se às regras da Lei nº 8.666/93:
• Órgãos da Administração Direta
• Entidades da Administração Indireta
• Entidades controladas direta e indiretamente por U/E/DF/M
• Fundos Especiais

178. (CESPE/MPOG/2009) A moralidade administrativa é um dos


fundamentos do procedimento da licitação.

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 27


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

Comentários:
CERTO.

ANTES DA MP nº 495/2010 DEPOIS DA MP nº 495/2010

A licitação destina-se a garantir a A licitação destina-se a garantir a


observância do princípio observância do princípio
constitucional da isonomia e a constitucional da isonomia, a
selecionar a proposta mais seleção da proposta mais
vantajosa (e não a de preço mais vantajosa (e não a de preço mais
barato) para a Administração e será barato) para a administração e a
processada e julgada em estrita promoção do desenvolvimento
conformidade com os princípios nacional, e será processada e julgada
básicos da legalidade, da em estrita conformidade com os
impessoalidade, da moralidade, da princípios básicos da legalidade, da
igualdade, da publicidade, da impessoalidade, da moralidade, da
probidade administrativa, da igualdade, da publicidade, da
vinculação ao instrumento probidade administrativa, da
convocatório, do julgamento vinculação ao instrumento
objetivo e dos que lhes são correlatos convocatório, do julgamento
(art. 3º). objetivo e dos que lhes são
correlatos. (art. 3º).

179. (CESPE/MPOG/2009) No procedimento da licitação, a lei recomenda


que haja uma comissão de licitação, integrada por, no mínimo, cinco membros.

Comentários:
ERRADO. A habilitação preliminar, a inscrição em registro cadastral, a
sua alteração ou cancelamento, e as propostas serão processadas e julgadas
por comissão permanente ou especial de, no mínimo, 3 membros, sendo
pelo menos 2 deles servidores qualificados pertencentes aos quadros
permanentes dos órgãos da Administração responsáveis pela licitação
(art. 51).

180. (CESPE/MPOG/2009) O edital é considerado a lei interna que rege o


procedimento da licitação.

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 28


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

Comentários:
CERTO. O edital é o ato convocatório da licitação e sua principal
função é estabelecer as regras definidas para a realização do certame, as
quais são de observância obrigatória, tanto pela Administração Pública,
quanto pelos licitantes. É por isso que Hely Lopes Meirelles diz que o edital “é
a lei interna da licitação”.
Nos ensinamentos de Marcelo Alexandrino e Vicente Paulo, “edital é o
instrumento por meio do qual a Administração torna pública a realização de
uma licitação. É o meio utilizado para todas as modalidades de licitação, exceto
a modalidade convite. A intenção de licitar é divulgada pela publicação de
aviso com o resumo do edital, nos termos do art. 21 da Lei.”
Por oportuno, reproduzo o art. 40 da Lei nº 8.666/93, que estabelece
diversas regras acerca do edital. Memorizem-nas!

LEI Nº 8.666/93, ART. 40:


O edital conterá no preâmbulo o número de ordem em série anual, o
nome da repartição interessada e de seu setor, a modalidade, o regime de
execução e o tipo da licitação, a menção de que será regida por esta Lei, o
local, dia e hora para recebimento da documentação e proposta, bem como
para início da abertura dos envelopes, e indicará, obrigatoriamente, o
seguinte:
I - objeto da licitação, em descrição sucinta e clara;
II - prazo e condições para assinatura do contrato ou retirada dos
instrumentos, como previsto no art. 64 desta Lei, para execução do contrato e
para entrega do objeto da licitação;
III - sanções para o caso de inadimplemento;
IV - local onde poderá ser examinado e adquirido o projeto básico;
V - se há projeto executivo disponível na data da publicação do edital de
licitação e o local onde possa ser examinado e adquirido;
VI - condições para participação na licitação, em conformidade com os
arts. 27 a 31 desta Lei, e forma de apresentação das propostas;
VII - critério para julgamento, com disposições claras e parâmetros
objetivos;
VIII - locais, horários e códigos de acesso dos meios de
comunicação à distância em que serão fornecidos elementos, informações e
esclarecimentos relativos à licitação e às condições para atendimento das
obrigações necessárias ao cumprimento de seu objeto;

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 29


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

IX - condições equivalentes de pagamento entre empresas


brasileiras e estrangeiras, no caso de licitações internacionais;
X - o critério de aceitabilidade dos preços unitário e global,
conforme o caso, permitida a fixação de preços máximos e vedados a fixação
de preços mínimos, critérios estatísticos ou faixas de variação em relação a
preços de referência, ressalvado o disposto nos parágrafos 1º e 2º do art. 48;
XI - critério de reajuste, que deverá retratar a variação efetiva do custo
de produção, admitida a adoção de índices específicos ou setoriais, desde a
data prevista para apresentação da proposta, ou do orçamento a que essa
proposta se referir, até a data do adimplemento de cada parcela;
XIII - limites para pagamento de instalação e mobilização para
execução de obras ou serviços que serão obrigatoriamente previstos em
separado das demais parcelas, etapas ou tarefas;
XIV - condições de pagamento, prevendo:
a) prazo de pagamento não superior a 30 dias, contado a partir da data
final do período de adimplemento de cada parcela;
b) cronograma de desembolso máximo por período, em conformidade
com a disponibilidade de recursos financeiros;
c) critério de atualização financeira dos valores a serem pagos, desde
a data final do período de adimplemento de cada parcela até a data do efetivo
pagamento;
d) compensações financeiras e penalizações, por eventuais atrasos, e
descontos, por eventuais antecipações de pagamentos;
e) exigência de seguros, quando for o caso;
XV - instruções e normas para os recursos previstos nesta Lei;
XVI - condições de recebimento do objeto da licitação;
XVII - outras indicações específicas ou peculiares da licitação.
§ 1o O original do edital deverá ser datado, rubricado em todas as folhas
e assinado pela autoridade que o expedir, permanecendo no processo de
licitação, e dele extraindo-se cópias integrais ou resumidas, para sua
divulgação e fornecimento aos interessados.
§ 2o Constituem anexos do edital, dele fazendo parte integrante:
I - o projeto básico e/ou executivo, com todas as suas partes,
desenhos, especificações e outros complementos;
II - orçamento estimado em planilhas de quantitativos e preços unitários;
III - a minuta do contrato a ser firmado entre a Administração e o
licitante vencedor;
IV - as especificações complementares e as normas de execução

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 30


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

pertinentes à licitação.
§ 3o Para efeito do disposto nesta Lei, considera-se como adimplemento
da obrigação contratual a prestação do serviço, a realização da obra, a
entrega do bem ou de parcela destes, bem como qualquer outro evento
contratual a cuja ocorrência esteja vinculada a emissão de documento de
cobrança.
§ 4o Nas compras para entrega imediata, assim entendidas aquelas
com prazo de entrega até 30 dias da data prevista para apresentação da
proposta, poderão ser dispensadas:
I - o disposto no inciso XI deste artigo (critério de reajuste);
II - a atualização financeira a que se refere a alínea "c" do inciso XIV deste
artigo, correspondente ao período compreendido entre as datas do
adimplemento e a prevista para o pagamento, desde que não superior a
quinze dias.

Amigos(as),
A segunda parte desta aula será disponibilizada na sexta-feira, dia
06/08. Até lá!
Bons estudos,
Anderson Luiz

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 31


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

LISTA DAS QUESTÕES COMENTADAS NESTA AULA

121. (CESPE/EMBASA/2010) É inexigível a licitação no caso de contratação


de profissional do setor artístico, desde que devidamente consagrado pela
crítica especializada e comprovada sua aptidão por títulos acadêmicos.

122. (CESPE/EMBASA/2010) Considere a seguinte situação hipotética. O


responsável pelas contratações em certa secretaria de governo da Bahia editou
uma norma interna determinando que, nos editais de licitação ou em seus
anexos, não deveriam ser incluídos os orçamentos estimados nem as planilhas
de quantitativos e preços unitários, uma vez que tais informações poderiam
direcionar o resultado da licitação. Nessa situação, agiu corretamente a
autoridade, ao editar a referida norma.

123. (CESPE/EMBASA/2010) Na execução indireta de obras ou serviços pelo


poder público, ocorre o regime de empreitada por preço unitário, quando se
contrata a execução da obra ou do serviço por preço certo de unidades
determinadas.

124. (CESPE/EMBASA/2010) Os valores definidos como limites para a


aplicação das modalidades convite, tomada de preço e concorrência, no estado
da Bahia, são maiores do que os valores fixados pela União, na sua área de
competência, para situações idênticas.

125. (CESPE/TRE-MT/2010) Com exceção dos casos de obras executadas e


exploradas sob o regime de concessão, é vedado incluir no objeto da licitação a
obtenção de recursos financeiros para sua execução, qualquer que seja a sua
origem.

126. (CESPE/TRE-MT/2010) Convite é o tipo de licitação direcionada para


interessados pré-cadastrados ou que manifestem o seu interesse até 72 horas
antes da apresentação das propostas, desde que comprovem atender as demais
exigências do certame.

127. (CESPE/TRE-MT/2010) É admitida a inclusão no objeto da licitação de


fornecimento de materiais e serviços sem previsão de quantidades ou cujos
quantitativos não correspondam às previsões reais do projeto básico ou
executivo.

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 32


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

128. (CESPE/TRE-MT/2010) É inexigível a licitação quando a União tiver de


intervir no domínio econômico para regular preços ou normalizar o
abastecimento.

129. (CESPE/TRE-MT/2010) É facultada à administração, nas concorrências


de âmbito internacional, estabelecer apenas em favor dos licitantes estrangeiros
a possibilidade de promover cotação de preços em moeda estrangeira.

130. (CESPE/MPS/2010) Cabe apenas aos órgãos de controle e ao Ministério


Público requerer à administração pública os quantitativos das obras e preços
unitários de determinada obra executada.

131. (CESPE/MPS/2010) A inexistência de orçamento detalhado em


planilhas que expressem a composição de todos os custos unitários implica a
nulidade dos atos ou contratos administrativos realizados e a responsabilidade
de quem lhes tenha dado causa.

132. (CESPE/PM-DF/2010) As normas que determinam que obras, serviços,


compras e alienações no âmbito da administração pública sejam contratados
mediante processo de licitação pública visam garantir a observância do princípio
da isonomia.

133. (CESPE/PM-DF/2010) De acordo com a Lei n.º 8.666/1993, a


concorrência é um tipo de licitação.

134. (CESPE/PM-DF/2010) Com o advento da CF, as contratações por meio


da modalidade convite passaram a ser consideradas inconstitucionais.

135. (CESPE/DPE-AL/2009) Constitui hipótese de inexigibilidade de licitação


a contratação de associação de portadores de deficiência física, sem fins
lucrativos e de comprovada idoneidade, para a prestação de serviços ou
fornecimento de mão de obra, desde que o preço contratado seja compatível
com o de mercado.

136. (CESPE/DPE-AL/2009) O leilão é modalidade de licitação entre


interessados devidamente cadastrados para a venda de bens móveis inservíveis
para a administração.

137. (CESPE/TCE-RN/2009) Na elaboração dos projetos básicos e projetos


executivos de obras e serviços, o setor técnico competente deve considerar a

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 33


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

segurança, a funcionalidade e a economia na execução. O impacto ambiental,


contudo, não deve ser avaliado nesse momento.

138. (CESPE/TCE-RN/2009) Considere que a Secretaria de Saúde do Estado


do Rio Grande do Norte tenha promovido a abertura de procedimento licitatório
para a contratação de item de tecnologia da informação. Ao analisar o objeto e
o valor da contratação, a autoridade responsável verificou que o bem não
poderia ser adquirido por meio de pregão e que o valor envolvido se adequava
ao limite previsto em lei para a modalidade convite. Diante disso, a autoridade
resolveu adotar a modalidade concorrência para a contratação do bem. Nessa
situação hipotética, a conclusão a que chegou a autoridade é autorizada pela
legislação vigente.

139. (CESPE/TCE-RN/2009) Na contratação de bens e serviços de


informática, a administração adotará, obrigatoriamente, o tipo de licitação
melhor técnica, vedado o emprego de outro tipo de licitação.

140. (CESPE/TCE-RN/2009) Os contratos administrativos regulam-se pelas


chamadas cláusulas de privilégio e pelos preceitos de direito público, aplicando-
se-lhes, supletivamente, os princípios da teoria geral dos contratos e as
disposições de direito privado.

141. (CESPE/TCE-RN/2009) Existe previsão legal expressa para conferir


efeito suspensivo no recurso administrativo nas hipóteses de habilitação ou
inabilitação de licitante e contra o julgamento das propostas.

142. (CESPE/TCE-RN/2009) Convite é a modalidade de licitação entre


interessados devidamente cadastrados ou que atenderem a todas as condições
exigidas para cadastramento até o terceiro dia anterior à data do recebimento
das propostas, observada a necessária qualificação.

143. (CESPE/TCE-RN/2009) As casas legislativas, o Poder Judiciário e os


TCs estão obrigados a licitar, visto que são tidos como administração pública
direta.

144. (CESPE/TCE-RN/2009) Consoante disposição expressa da Lei nº


8.666/1993, é vedada a licitação quando houver possibilidade de
comprometimento da segurança nacional, nos casos estabelecidos em decreto
do presidente da República, ouvido o Conselho de Segurança Nacional.

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 34


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

145. (CESPE/TCE-RN/2009) As condutas ilegais no procedimento licitatório


que forem tipificadas como crime, ainda que sejam apenas tentadas, sujeitam
seus autores, quando servidores públicos, à perda do cargo, emprego ou
mandato eletivo.

146. (CESPE/TCE-RN/2009) As compras realizadas pela administração


devem sempre atender ao princípio da padronização, que impõe
compatibilidade de especificações técnicas e de desempenho, observadas,
quando for o caso, as condições de manutenção, assistência técnica e garantias
oferecidas.

147. (CESPE/SECONT-ES/2009) No âmbito do sistema de registro de


preços, é facultado a uma unidade administrativa utilizar-se de registros
cadastrais de outros órgãos ou entidades da administração pública, não
havendo, nesse caso, qualquer violação ao princípio da obrigatoriedade da
licitação.

148. (CESPE/SECONT-ES/2009) Para viabilizar o controle dos gastos


públicos, qualquer cidadão pode requerer à administração pública os valores
das obras e os preços unitários de determinada obra executada.

149. (CESPE/SEPLAG-DF/2009) A administração pública pode alienar bens


imóveis cuja aquisição tenha decorrido de dação em pagamento.

150. (CESPE/SEPLAG-DF/2009) O autor do projeto básico para execução de


determinada obra pode participar do procedimento licitatório correspondente,
sendo vedada a participação apenas do autor do projeto executivo.

151. (CESPE/SEPLAG-DF/2009) Considere que determinada secretaria de


governo estadual tenha publicado edital de licitação na modalidade
concorrência. Nessa situação, o licitante pode, até o dia da abertura dos
envelopes de habilitação, impugnar os termos do edital.

152. (CESPE/SEPLAG-DF/2009) Nos casos de grave perturbação da ordem,


a licitação é inexigível.

153. (CESPE/SEPLAG-DF/2009) Quando a administração pública realiza


licitação para execução de determinada obra, ela torna-se responsável,

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 35


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

solidariamente com a contratada, pelos encargos previdenciários resultantes da


execução do contrato.

154. (CESPE/UNIPAMPA/2009) As normas gerais acerca das licitações e dos


contratos públicos, previstas na Lei n.º 8.666/1993, não são aplicáveis às
empresas públicas nem às sociedades de economia mista.

155. (CESPE/UNIPAMPA/2009) É possível a realização de procedimento


licitatório de forma sigilosa.

156. (CESPE/UNIPAMPA/2009) A violação ao sigilo das propostas constitui


crime.

157. (CESPE/UNIPAMPA/2009) As hipóteses de dispensa de licitação


encontram-se taxativamente enumeradas na Lei n.º 8.666/1993.

158. (CESPE/UNIPAMPA/2009) Todas as modalidades de licitação serão


precedidas de edital, que torna pública a realização da licitação.

159. (CESPE/UNIPAMPA/2009) O concurso é uma modalidade de licitação.

160. (CESPE/UNIPAMPA/2009) A impugnação do edital da licitação poderá


ser feita apenas pelos participantes do certame.

161. (CESPE/UNIPAMPA/2009) Todos os membros das comissões de


licitação deverão ser servidores qualificados e pertencentes aos quadros
permanentes dos órgãos da administração.

162. (CESPE/UNIPAMPA/2009) Após a fase da habilitação, o licitante não


poderá mais desistir da proposta apresentada, salvo por motivo justo
decorrente de fato superveniente e aceito pela comissão de licitação.

163. (CESPE/SEAPA-DF/2009) É possível a dispensa de licitação para a


hipótese em que a administração pública do DF celebre contratos de prestação
de serviços com organização social devidamente qualificada no âmbito distrital.

164. (CESPE/SEAPA-DF/2009) O leilão é aplicável nos casos de venda de


bens móveis inservíveis para a administração ou de produtos legalmente

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 36


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

apreendidos ou penhorados, ou para a alienação de determinados bens imóveis,


a quem oferecer o maior lance, igual ou superior ao valor da avaliação.

165. (CESPE/SEAPA-DF/2009) Para casos de guerra ou grave perturbação


da ordem, tem-se típica hipótese de dispensa de licitação.

166. (CESPE/SEAPA-DF/2009) Os contratos administrativos de que trata a


Lei de Licitações regulam-se pelas suas cláusulas e pelos preceitos de direito
público, aplicando-se-lhes, supletivamente, os princípios da teoria geral dos
contratos e as disposições de direito privado.

167. (CESPE/SEAPA-DF/2009) As modalidades licitatórias de convite e de


concurso podem ser combinadas para a criação de modalidades mistas de
licitação.

(CESPE/SEAPA-DF/2009) A pesquisa de mercado e a busca pela melhor


oferta são práticas normalmente utilizadas por muitas pessoas no dia-a-dia.
Embora sejam facultativas na iniciativa privada, essas práticas merecem
atenção nos âmbitos jurídico, administrativo e financeiro, quando associadas
aos agentes públicos. Nesse contexto, a defesa do interesse coletivo e da coisa
pública encontra nos procedimentos licitatórios um instrumento de controle e
publicidade. A respeito desse assunto, julgue os itens a seguir.

168. (CESPE/SEAPA-DF/2009) Na modalidade de registro de preço,


qualquer cidadão pode impugnar o preço constante do registro, desde que se
comprove a incompatibilidade desse com o praticado pelo mercado.

169. (CESPE/MPOG/2009) Concorrência, tomada de preços, convite,


concurso e leilão são modalidades de licitação previstas na Lei nº 8.666/1993.

170. (CESPE/MPOG/2009) Qualquer interessado que possua os requisitos


mínimos pedidos pelo edital pode participar de licitações sob a modalidade da
concorrência.

171. (CESPE/MPOG/2009) Contratos de valores mais elevados são


submetidos à licitação pela modalidade convite.

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 37


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

172. (CESPE/MPOG/2009) Em geral, a compra de bens imóveis pela


administração pública somente pode ser feita pela modalidade de licitação
concorrência, independentemente do valor do imóvel.

173. (CESPE/MPOG/2009) Em qualquer situação, é permitido à


administração pública ter preferência por alguma marca de produto ao licitar.

174. (CESPE/MPOG/2009) É obrigatória a licitação no caso de contratação


do fornecimento ou do suprimento de energia elétrica com concessionário,
permissionário ou autorizado.

175. (CESPE/MPOG/2009) A inviabilidade de competição torna a licitação


inexigível.

176. (CESPE/MPOG/2009) De acordo com a Lei nº 8.666/1993, os


contratos de publicidade da administração pública com terceiros dispensam a
licitação.

177. (CESPE/MPOG/2009) A administração indireta também está obrigada


a proceder à licitação, não obstante as empresas públicas e sociedades de
economia mista poderem ter lei específica a respeito do assunto.

178. (CESPE/MPOG/2009) A moralidade administrativa é um dos


fundamentos do procedimento da licitação.

179. (CESPE/MPOG/2009) No procedimento da licitação, a lei recomenda


que haja uma comissão de licitação, integrada por, no mínimo, cinco membros.

180. (CESPE/MPOG/2009) O edital é considerado a lei interna que rege o


procedimento da licitação.

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 38


CURSO ON-LINE
LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE)
CURSO REGULAR
PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

GABARITO

121-E 122-E 123-C 124-E 125-C 126-E 127-E 128-E 129-E 130-E

131-C 132-C 133-E 134-E 135-E 136-E 137-E 138-C 139-E 140-C

141-C 142-E 143-C 144-E 145-C 146-E 147-C 148-C 149-C 150-E

151-E 152-E 153-C 154-E 155-E 156-C 157-C 158-E 159-C 160-E

161-E 162-C 163-C 164-C 165-C 166-C 167-E 168-C 169-C 170-C

171-E 172-C 173-E 174-E 175-C 176-E 177-C 178-C 179-E 180-C

BIBLIOGRAFIA

ALEXANDRINO, Marcelo; PAULO, Vicente. Direito Administrativo


Descomplicado. São Paulo: Método, 2009.
BARCHET, Gustavo. Direito Administrativo. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.
CARVALHO FILHO, José dos Santos. Manual de Direito Administrativo. Rio
de Janeiro: Lumen Juris, 2010.
CUNHA JÚNIOR, Dirley da. Curso de Direito Administrativo. Salvador: 2008.
DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. São Paulo: Atlas,
2008.
JUSTEN FILHO, Marçal. Comentários à Lei de Licitações e Contratos
Administrativos. São Paulo: Dialética, 2010.
JUSTEN FILHO, Marçal. Pregão: Comentários à Legislação do Pregão
Comum e Eletrônico. São Paulo: Dialética, 2009.
MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. São Paulo:
Malheiros, 2008.
MELLO, Celso Antônio Bandeira de. Curso de Direito Administrativo. São
Paulo: Malheiros, 2008.

Prof. Anderson Luiz www.pontodosconcursos.com.br 39