Vous êtes sur la page 1sur 30

UNIFAP

Curso de Engenharia Elétrica

Introdução à
metodologia da
pesquisa
científica e
tecnológica
Notas de aula da disciplina Introdução à Metodologia da
Pesquisa Científica e Tecnológica, ministrada no Curso de
Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Amapá (Unifap).

Parte 2

Prof. José Reinaldo Cardoso Nery


Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José 2º. sem/
Reinaldo 2010
Cardoso Nery 1
[NOTAS DE AULA – Parte
2]
UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica


Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery

VI - ELEMENTOS BÁSICOS DE UM
TRABALHO ACADÊMICO
O trabalho acadêmico é o instrumento utilizado pelo autor para apresentar, de modo
racional e organizado, os resultados de sua produção intelectual, facilitando sua compreensão a
um eventual leitor. A estrutura básica de textos científicos é definida pela Associação Brasileira
de Normas Técnicas – ABNT, através da NBR 14724:2002, sendo composta de elementos
obrigatórios e opcionais.

A estrutura de um trabalho acadêmico compreende três partes principais:

Elementos
Elem entos pré-textuais
o Capa.
o Folha de rosto.
o Errata
o Folha de aprovação
o Dedicatória.
o Agradecimentos.
o Epígrafe.
o Resumo em língua vernácula.
o Resumo em língua estrangeira.
o Sumário.
o Lista de ilustrações.
o Lista de abreviaturas e siglas.
o Lista de símbolos.

Elementos
Elem entos textuais
o Introdução.
o Desenvolvimento.
o Conclusão.

Elementos
Elem entos pós-textuais
o Referências Bibliográficas/Bibliografia.
o Apêndices.
o Anexos.
o Glossário.

Além desses elementos básicos, atenção especial deve ser dedicada à apresentação
gráfica da obra. Sendo assim, antes de nos referirmos aos elementos básicos, faremos algumas
considerações sobre a apresentação física do trabalho.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 2
6.1 –APRESENTAÇÃO GRÁFICA EM GERAL

6.1.1 – Form ato do papel


Formato
Recomenda-se o uso do papel A4 (210 x 297 mm), branco, digitado em apenas um dos
lados da folha, ou seja, cada folha será uma página.

6.1.2 – Tipos de fontes


Deve ser escolhido um tipo de fonte de fácil leitura que se aproxime dos formatos mais
comuns de impressão. A fonte mais utilizada é a Times New Roman. O tamanho recomendado é
12 para o texto e 10 para as citações longas e notas de rodapé (detalhes na unidade 7).

6.1.3 – Margens e espaçamento


espaçam ento

Espaçamento:
Espaçam ento:
• Espaço 1,5 (um e meio) para o texto.
• Espaço simples para os resumos, citações longas, notas de rodapé e
referências bibliográficas.
• A primeira linha do parágrafo deve ser recuada da margem esquerda por,
aproximadamente, 1,5 cm ou 12 toques.
• As linhas que não sejam fim de parágrafo ou título devem ser alinhadas
tanto à esquerda quanto à direita da página, ou seja, em trabalhos digitados utiliza-se o
alinhamento justificado.

Margens:
• Superior e esquerda: 3 cm.
• Inferior e direita: 2 cm.

• Os títulos das seçõesdevem começar na parte superior da mancha e ser


separados do texto que os sucede por dois espaços 1,5.

• Da mesma forma, ostítulos das subseções


devem ser separados do texto que os
precede e que os sucede por dois espaços 1,5.
• Deve-se evitar que os títulos das seções fiquem no final da página e o texto
correspondente na página seguinte.
• Não se deve digitar uma só linha isolada no final ou no início de página. Nestes casos a
margem inferior poderá ser maior que o padrão indicado anteriormente.

6.1.4 – Paginação
• Somente a capa não é considerada.

• Todas as folhas, a partir da folha de rosto, são contadas seqüencialmente,


mas nem
todas são numeradas
.
• A numeração é colocada a partir da primeira folha da parte textual, em algarismos
arábicos e deve ser localizada no canto superior direito, a 2 cm da borda superior e a 2
cm da borda direita da folha.
• Não se numeram as páginas de início de capítulo, listas, sumário, introdução,
consideração final, anexos, apêndices e referências bibliográficas.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 3
6.1.5 – Numeração
Num eração das seções
• As divisões e subdivisões dos capítulos de uma obra devem ser numeradas obedecendo
a uma seqüência numérica específica e contínua para cada capítulo.

• São denominadas seções, podendo ter várias subdivisões.


 Seção primária – capítulos.

 Seção secundária, terciária etc


– divisões e subdivisões (caps).
Exemplos:
Seção primária: 1
Seção secundária: 1.1
Seção terciária: 1.1.1

• Não subdividir demasiadamente as seções: recomenda-se não ultrapassar a seção


quaternária.

6.1.6 – Ilustrações

• Figuras, tabelas e quadros.


• As ilustrações podem aparecer inseridas no corpo do texto ou na forma de
anexos/apêndices.
• Se estiverem inseridas no texto, devem estar o mais próximo possível de onde forem
mencionadas.
• Citar a fonte das ilustrações, que não forem criadas pelo autor.

Figuras
• Gráficos, mapas, fotografias, organogramas, cronogramas, fluxogramas, diagramas etc.
• São identificadas na parte inferior, seguida do número de ordem, em algarismos
arábicos, e seu título.
Exemplo:

Figura 1 – Form ação de ilha vulcânica a partir


Formação hotdespots.
Fonte: TEIXEIRA et al, 2000, p. 127.

Tabelas e quadros
• Têm identificação posicionada na sua parte superior, da mesma forma seguida da
numeração arábica e título.
Exemplo:
Tabela 1 – Principais causas do analfabetism o no Brasil.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 4
Fonte: NERY, 2005, p. 17.

Quadro 1 - Características hidrogeológicas de algum as form ações geológicas com uns.


formações

Fonte: NERY, 2000, p. 99.

6.2 – ELEM ENTOS PRÉ-TEXTUAIS


6.2.1 – Capa
• Elemento obrigatório. Proteção externa do trabalho.
• Deve conter elementos necessários à identificação da obra: autor(es), título e subtítulo
(se houver), número do volume (se for o caso), nome da cidade e ano.
• Algumas instituições já fornecem um modelo padronizado de capa.

3 cm

NOME DO(S) AUTOR(ES)


(Caixa alta, centralizado e em ordem
alfabética, se mais de um)

3 cm 2 cm
TÍTULO DO TRABALHO:
Subtítulo (se houver)

Limites da área
de impressão.

Cidade
Ano
2 cm

6.2.2 – Folha de rosto

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 5
• Elemento obrigatório. Deve conter os elementos essenciais à identificação
da obra, na seguinte ordem:
 Autor(es) – no alto da página; centralizado e em ordem alfabética, se mais de um
autor.
 Título principal – no centro da página; centralizado.
 Subtítulo (se houver) – na seqüência do título principal, precedido de dois pontos.

 Nota de apresentação – deve indicar a natureza e objetivo do trabalho,


identificação da instituição e do orientador. Deve situar-se na metade direita da
página.
 Cidade e ano – centralizados na parte inferior da página.

3 cm

NOME DO(S) AUTOR(ES)

TÍTULO DO TRABALHO:
Subtítulo (se houver)
3 cm Monografia*
5 cm 2 cm
apresentada ao Centro
de Educação da
Universidade Federal do
Am apá, como requisito
para a obtenção do
título** de
especialista em
Metodologia do Ensino
Superior, sob a
orientação do Prof. Dr.
Paulo Freire.

Cidade
Ano
2 cm

* Pode ser adaptado para: Trabalho de Conclusão de Curso, Dissertação, Tese, Projeto de Pesquisa etc.
** Utiliza-se o termo título para o nível de pós-graduação e o termo grau para o de graduação.

• A seguir, um modelo de folha de rosto que poderá ser utilizado para trabalhos de
disciplinas:

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 6
3 cm

UNIVERSIDADE .......
CENTRO DE .......
DEPARTAMENTO DE .......
CURSO DE .......
TURMA: .......
Nome do(s) aluno(s)

3 cm TÍTULO DO TRABALHO: 2 cm
Subtítulo (se houver)
5 cm
Trabalho apresentado à
disciplina ...................
como requisito de
avaliação, orientado
pelo(a)
professor(a) ...................
..

Cidade
Ano
2 cm

• No verso da folha de rosto deverá vir a ficha catalográfica (se for exigida), de
acordo com o Código de Catalogação Anglo-Americano.

• O serviço bibliotecário da instituição poderá auxiliar na elaboração dessa ficha.

6.2.3 – Errata

• Elemento opcional.
• Apresenta a relação dos erros contidos no trabalho com sua localização e a devida
correção.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 7
3 cm

3 cm ERRATA 2 cm

FolhaLinhaOnde se lêLeia-se
1913cabernacaverna389ultilizadoutilizado9721rocasrochas

2 cm

6.2.4 – Folha de aprovação

• É um elemento obrigatório em trabalhos submetidos à avaliação.


• A estrutura do termo de aprovação segue as normas de cada instituição, entretanto
alguns elementos são básicos e apresentamos a seguir.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 8
3 cm

NOME(S) DO(S) AUTOR(ES)

TÍTULO DO TRABALHO:
Subtítulo (se houver)

AVALIADORES

3 cm _____________________________ 2 cm
Nome do 1o. avaliador
Identificação da instituição

_____________________________
Nome do 2o. avaliador
Identificação da instituição

_____________________________
Nome do 3o. avaliador
Identificação da instituição

Avaliado em: ____/____/____

Cidade
Ano
2 cm

6.2.5 – Dedicatória

• Também chamada dístico.


• É um elemento opcional e pessoal.
• O autor dedica o trabalho a alguém.
• Devem-se evitar declarações e manifestações de carinho exageradamente pessoais.
• A exemplo da nota de apresentação na folha de rosto, deve ocupar a parte inferior direita
da página.

3 cm

3 cm 2 cm

A Deus, pela vida.

À minha família, pelo


apoio e compreensão.

2 cm
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 9
6.2.6 – Agradecimentos
Agradecim entos

• Elemento opcional.
• Agradecimento a pessoas e/ou instituições que contribuíram de forma relevante para o
desenvolvimento do trabalho.

3 cm

3 cm 2 cm
Agradeço a todos que
contribuíram para a
realização deste trabalho,
em especial ao meu
orientador, pelos
ensinamentos, e aos
colegas de curso, pelas
valorosas discussões.

À CAPES, pelo
financiamento do projeto.

2 cm

6.2.7 – Epígrafe

• Elemento opcional.

• Pode ser um pensamento, um poema, uma citação bíblica ou uma outra citação,
devidamente acompanhada da autoria.

• Também poderá ser uma mensagem do autor do trabalho.

• Assim como para a dedicatória e agradecimentos, não é necessário escrever títulos, o


próprio texto já identifica o conteúdo correspondente.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 10
3 cm

3 cm 2 cm

Atingir a paz total é


nossa missão m aior
como educadores.

Ubiratan D’Ambrosio

2 cm

6.2.8 – Resum
Resumoo em língua vernácula

• Deve apresentar, de modo conciso, os pontos relevantes do trabalho.

• Sua finalidade é fornecer ao leitor informações suficientes para que ele possa decidir
sobre a necessidade de consultar a obra.

• Deve ser escrito na terceira pessoa, sem parágrafos, em espaço simples e sem
ultrapassar o limite de 500 palavras.

• Na linha imediatamente abaixo do resumo, apresentam-se palavras-chave que


representem o conteúdo do trabalho.
RESUMO
3 cm 3 cm
ABSTRACT

• Apresenta-se,
É dispensável em um
neste trabalho, trabalhos
estudo sobrede graduação.
A study of the dynam ic behavior of groundwater
o comportamento dinâm ico das águas
subterrâneas em um aqüífero poroso, in a porous aquifer is presented in this work,
enfocando basicamente os m étodos para a emphasizing the methods for the determination
determ inação da velocidade horizontal de of the filtration velocity and direction of flow by
filtração e da direção do fluxo, empregando using radioactive tracers. The principles
traçadores radioativos. Inicialmente foi feito um underlying each methodology used for the
6.2.9 – Resum
Resumo o em língua estrangeira
estudo geral das m etodologias utilizadas para a determ ination of the filtration velocity and
determ inação da velocidade e direção do fluxo, direction of groundwater flow, instrumentation,
discutindo o princípio de cada técnica, a practical examples, disturbing parameters,
É a tradução do resumo em
instrumentação utilizada, exemplos práticos de língua vernácula.advantages and limitations, are discussed. The
utilização, parâmetros de influência nas techniques presented are applied in field
m edidas, suas vantagens e limitações. As experiences for the determ ination of the
filtration velocity and direction of groundwater
3 cm técnicas apresentadas são, então,
2 cm 3 cm flow in an aquifer next the Guamá River so 2that cm
implementadas na prática para a determinação
da velocidade e direção do fluxo da água te water table in aquifer receive the influence of
subterrânea em um aqüífero às margens do Rio tides of the river. It was used Iodine-131 as a
Guamá, onde existe a influência de marés no tracer for the two experiences, without
nível freático do aqüífero. Foi empregado como additional injection. The obtained data
traçador o Iodo-131 para as duas experiências, presented a behavior under the expectations,
sem injeção adicional. Os dados obtidos based on the specialized literature and previous
apresentaram um comportamento dentro das work realized at the sam e aquifer, using a
expectativas, tendo como base a literatura tracer with different characteristics we have
especializada e trabalhos anteriores executados used.
no local, utilizando traçadores com
características diferentes daquele aqui Key-words: Aquifer. Radiotracer. Iodine-131.
utilizados.
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 11
Palavras-chave: Aqüífero. Radiotraçadores.
Iodo-131.

2 cm 2 cm
6.2.10 – Sum ário
Sumário
• Elemento obrigatório.

• É a relação dos itens ou divisões que compõem o trabalho, com os respectivos números
das páginas.
• Deve conter a enumeração sistemática das principais divisões, seções e outras partes do
documento, na ordem de apresentação.

• Não deve ser confundido com índice, pois este é uma lista detalhada dos assuntos, em
ordem alfabética, com indicação de sua localização no texto.

3 cm

SUM ÁRIO
SUMÁRIO

3 linhas

INTRODUÇÃO .................................................................... 9

1 – INICIAÇÃO À PESQUISA .............................................. 11


1.1 – O que é pesquisa ...............................................
11
1.2 – Elem entos de um projeto de pesquisa ..................
12

2 – CLASSIFICAÇÃO DAS PESQUISAS ................................. 18


2.1 – Quanto aos objetivos .......................................... 18
3 cm 2.1.1 – Pesquisas exploratórias ............................... 2 cm 18
2.1.2 – Pesquisas descritivas .................................. 20
2.1.3 – Pesquisas explicativas ................................. 21
.
.
.
.
CONCLUSÃO .................................................................... 57

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ........................................ 60

ANEXOS ........................................................................... 63
Anexo A – Exem plos de projetos de pesquisa ................
64
Anexo B – Modelos de relatório de pesquisa ..................
72

2 cm

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 12
• Se o sumário ocupar mais de uma página, a continuação obedece ao limite de 3 cm da
margem superior.
• Pode-se, ainda, acrescentar a listagem dos anexos com seus respectivos títulos e
paginação na seqüência do sumário.

6.2.11 – Lista de Ilustrações


• É um elemento opcional onde devem ser relacionadas as figuras, tabelas e quadros.
• Sua estrutura é semelhante ao sumário, onde as ilustrações são relacionadas na
seqüência numérica em que são apresentadas no texto, acompanhados de seus títulos e
respectivas páginas.
• Deve-se apresentar uma lista para cada tipo de ilustração (Lista de tabelas, lista de
quadros etc).

6.2.12 – Lista de Abreviaturas e Siglas


• Elemento opcional.
• É a relação, em ordem alfabética, das abreviaturas e siglas utilizadas no texto, seguidas
de seus respectivos significados, por extenso.

6.2.13 – Lista de Símbolos


• Também é opcional.
• Obedece aos mesmos procedimentos da lista anterior, sendo relacionados os símbolos
presentes no trabalho seguidos de seus significados.
• Na impossibilidade de agrupamento por ordem alfabética, segue-se a ordem de aparição
no texto.

• Caso as listas não sejam muito extensas, poderão ser relacionadas seqüencialmente em
uma única folha.

6.3 – ELEM ENTOS TEXTUAIS

6.3.1 – Introdução

• É a parte inicial do desenvolvimento do trabalho.


• O autor deve apresentar o trabalho como um todo, sem, entretanto, detalhá-lo,
fornecendo informações de como será desenvolvido.
• Deve destacar a delimitação do tema tratado, os objetivos, os procedimentos, as razões
que o conduziram a tais procedimentos, entre outros elementos que julgar necessário para,
com objetividade e clareza, situar o tema que está apresentando.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 13
3 cm

3 linhas

INTRODUÇÃO

Inicia-se o parágrafo a 12 toques da m argem


esquerda, centralizado, com espaço 1,5, fonte Times
New Roman tam anho 12, preferencialmente.

3 cm 2 cm
Entre os parágrafos recomenda-se deixar um a
linha em branco.

Na(s) página(s) que dão continuidade à


introdução, o limite superior do texto deve obedecer a
margem
m argem de 3 cm .

2 cm

6.3.2 – Desenvolvimento
Desenvolvim ento

• É a parte principal do trabalho.

• O autor deve apresentar as idéias de forma ordenada e pormenorizada, expondo o que


deverá ser provado, explicando, discutindo e demonstrando.

• É a fundamentação lógica do trabalho.

• O texto deverá primar, sempre, pela objetividade e clareza, princípios básicos da


redação científica.

• A palavra desenvolvimento não deve ser usada como título.

• Normalmente é dividido em capítulos com suas respectivas divisões e subdivisões.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 14
3 cm

1 TÍTULO DO PRIMEIRO CAPÍTULO


3 linhas

Cada capítulo deve ser iniciado em uma nova


página, mantendo as distâncias de separação indicadas
acima. Na(s) página(s) que dão continuidade aos
capítulos, o limite superior do texto deve obedecer a
margem de 3 cm.
cm . Entre os parágrafos recom enda-se 2 espaços
deixar uma linha em branco. simples

3 cm 1.1 Título da seção secundária 2 cm

A seção secundária deverá estar alinhada à


esquerda da página ou no alinham ento de início do
parágrafo.

2 cm
6.3.3 – Conclusão
• É a parte final do trabalho.
• Algumas vezes denominada considerações finais.
• O autor deve apresentar uma resposta para a problemática proposta na introdução.
• Deve ser concisa e baseada em dados comprovados no desenvolvimento, sem a inclusão
de novos dados.
• É opcional a inclusão de recomendações, sugestões etc.

3 cm

3 linhas

CONCLUSÃO

Na conclusão devem ser observados os mesmos


3 cm 2 cm
espaçam entos, medidas etc já m encionados para as
dem ais partes do trabalho.

2 cm
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 15
6.4 – ELEM ENTOS PÓS-TEXTUAIS

6.4.1 – Referências Bibliográficas

 Referência é um "conjunto padronizado de elementos descritivos, retirados de um


documento, que permite sua identificação individual" (NBR 6023:2002).

 Não devemos confundir referências bibliográficas com bibliografia.

 Nas referências bibliográficas são relacionadas todas as fontes citadas pelo autor no
texto, obrigatoriamente.

 A bibliografia constitui-se de um levantamento bibliográfico sobre o tema, incluindo


documentos não citados no texto, mas utilizados para enriquecer o conhecimento do autor e
que, também, poderão possibilitar ao leitor um maior aprofundamento sobre o assunto.

A seguir, as principais regras para apresentação de referências bibliográficas, de acordo


com a NBR 6023 (ABNT, 2002).

6.4.1.1 – Autor pessoal

 Deve-se indicar o(s) nome(s) do(s) autor(es) pelo último sobrenome, em letras
maiúsculas, seguido do(s) prenome(s) e outros sobrenomes, abreviado(s) ou não.

Exemplos:
a) Único autor:
GIL, Antônio Carlos.
Como
Com o elaborar projetos ...
ARBEX JUNIOR, J.Nacionalism
Nacionalismo:oo desafio ...

b) Até 3 autores:
KRIEGER, G.; NOVAES, L. A.; FARIA,Todos
T. os sócios ...

c) Mais de 3 autores:
 Indica-se apenas o primeiro autor seguido da expressão latina "et al." (abreviação de et
alii).
 Em casos específicos onde a menção dos nomes for indispensável para certificar a
autoria, como projetos de pesquisa, relatórios com indicação de produção científica etc,
podem ser indicados todos os nomes (NBR 6023:2002).
PRADO, Hélio et al.Os paradigm
paradigmas as
. ...
KIRSTEN, J. T. et al.Estatística para as ...

d) Responsabilidade em coletânea de vários autores:


 Indica-se o nome do responsável seguido da abreviação, no singular, do tipo de
responsabilidade (organizador, compilador, editor, coordenador etc).
CHAGAS, Marco Antônio (Org.).
Sustentabilidade e gestão ...
JOHANN, J. R. (Coord.).
Introdução ao método
m étodo ...

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 16
6.4.1.2 – Autor entidade
 A entrada é feita pelo nome da entidade (órgãos governamentais, empresas
associações, congressos, seminários etc), por extenso.
Exemplos:
UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ. Catálogo de ...

BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil).


Relatório da ...

BIBLIOTECA NACIONAL (Portugal).


O 24 de jullho ...

Lei no. 2345 de ...


AMAPÁ. Assembléia Legislativa.

BRASIL. Ministério da Educação.


Lei de diretrizes e bases da...

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS.


NBR 6023: ...

6.4.1.3 – Autor desconhecido


 A entrada é feita pelo título.
 Não devem ser usados os termos "anônimo" ou “autor desconhecido” para substituir o
nome do autor.
Exemplos:
CÁRIE dentária em crianças. Porto Alegre: Sagra, 1978.
DIAGNÓSTICO do setor editorial brasileiro. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro, 1993.

6.4.1.4 – M onografias consideradas no todo


 São constituídas de obras como livros, teses, folhetos, manuais, guias, dicionários,
catálogos etc.
 Elementos essenciais: autor, título, subtítulo (se houver), edição, local, editora, data.
 São elementos complementares: tradutor, elaborador, páginas, volume, série etc.

Exemplos:
a) Livros:
MARX, Karl.Manuscritos econôm ico-filosóficos e outros textos escolhidos
econômico-filosóficos . 2. ed. São
Paulo: Abril Cultural, 1973. 208 p. (Os pensadores, 6).
MACEDO, Neuza Dias de. Iniciação à pesquisa bibliográfica
: guia do estudante para a
fundamentação do trabalho de pesquisa. São Paulo: Loyola, 1994.

b) Dissertações e teses:
NERY, José Reinaldo Cardoso.
Aplicação de traçadores radioativos na determinação
determ inação
da velocidade e direção do fluxo de águas subterrâneas . 2000. 122 f. Dissertação
(Mestrado em Física) – Departamento de Física, Universidade Federal do Pará, Belém, 2000.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 17
6.4.1.5 – Parte de m onografia
monografia
 Inclui capítulo, volume fragmentos e outras partes de uma obra.

 Elementos essenciais: autor, título, subtítulo da parte (se houver) seguido da expressão
“In:” e da referência completa da obra.

 No final, devem-se informar as páginas da parte.

Exemplos:

a) Capítulo de livro – quando o autor do capítulo é o mesmo do livro:

SANTOS, F. R. dos. A colonização na terra dos Tucujús. In: ______.


História do Amapá,
Am apá, 1º
grau.
grau. 2. ed. Macapá: Valcan, 1994. cap. 3, p. 16-24.

b) Capítulo com autoria própria:

ARATO, André. A antinomia do marxismo clássico. In: HOBSBAW N, EricHistória


(Org.). do
marxism
marxismoo
. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986. Cap. 3, p. 85-148.

6.4.1.6 – Congressos, sem inários, encontros etc


seminários,

a) Evento como um todo:


 Elementos essenciais: nome do evento, numeração (se houver), ano e local de
realização, título do documento (anais, atas, resumos etc), local, editora e data de
publicação.

Exemplo:

INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON CHEMICAL CHANGES DURING FOOD PROCESSING, 1984,


Valência.Proceedings
...
... Valência: Instituto de Agroquímica y Tecnologia de Alimentos,
1984.

b) Trabalho apresentado em evento:


 Elementos essenciais: autor, título, subtítulo do trabalho apresentado seguido da
expressão “In:”, nome, numeração, ano e local de realização do evento, título do
documento, local, editora e data de publicação.

 No final deve-se informar as páginas do trabalho.

Exemplo:

CANÇADO, Agenor. Toxicomania de substituição. In: CONGRESSO FARMACÊUTICO E


BIOQUÍMICO PANAMERICANO, 3., 1954, São Paulo.
Anais...
Anais... São Paulo: Federação da
Associação de Farmacêuticos do Brasil, 1958. p. 259-300.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 18
6.4.1.7 – Artigo de periódico

 Elementos essenciais: autor, título do artigo, subtítulo (se houver), título do periódico,
local de publicação, volume, número, páginas inicial e final do artigo, informações de
período e data de publicação.

Exemplo:

MARQUES, Benjamim Campolina. Legislação e movimentos pendulares ambientais.


Revista
M ineira de Engenharia
, Belo Horizonte, v. 3, n. 6, p. 8-11, out. 1989.

6.4.1.8 – Artigo de jornal

 Elementos essenciais: autor, título, subtítulo do artigo, título do jornal, local de


publicação, data de publicação, caderno e páginas.

Exemplo:

MASCARENHAS, Maria das Graças. Sua safra, seu dinheiro.


O Estado de São Paulo
, São
Paulo, 17 set. 1986. Suplemento agrícola, p. 14-16.

6.4.1.9 – Documentos
Docum entos jurídicos
 Elementos essenciais: jurisdição, título, numeração e data, ementa e dados da
publicação.

Exemplos:
a) Constituição Federal:
BRASIL. Constituição (1988).
Constituição da República Federativa do Brasil
. Brasília,
DF: Senado, 1988.

b) Decreto:
o
SÃO PAULO (Estado). Decreto .n
42.822, de 20 de janeiro de 1998. Dispõe sobre a
desativação de unidades administrativas de órgãos da administração direta e das
autarquias do Estado e dá providências correlatas.
Lex-Coletânea
Lex-Coletânea de legislação e
jurisprudência, São Paulo, v. 62, n. 3, p. 217-220, 1998.

c) Código:
BRASIL.Código civil . Organização dos textos, notas remissivas e índices por Juarez de
Oliveira. 46. ed. São Paulo: Saraiva, 1995.

d) Medida provisória:
BRASIL. Medida provisóriao. n1.569-9, de 11 de dezembro de 1997. Estabelece multas em
operações de importação e dá outras providências.
Diário Oficial [da] República
Federativa do Brasil
, Poder Executivo, Brasília, DF, 14 dez. 1997. Seção 1, p. 29514.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 19
6.4.1.10 – Docum entos eletrônicos
Documentos

 Mencionar os dados das obras, sejam artigos de periódicos ou jornais, livros, documentos
jurídicos ou textos diversos.
 O endereço eletrônico de obras consultadas “on line” deve ser apresentado entre os
sinais < >, precedido da expressão "Disponível em:", assim como a data de acesso deve
ser informada precedida da expressão "Acesso em:".
 A ABNT (NBR 6023:2002) não recomenda referenciar material eletrônico de curta
duração nas redes.

Exemplos:

a) Artigo de periódico eletrônico:

CAZELLI, S.; FRANCO, C. Analfabetismo científico: novos desafios no contexto da


globalização.Ensaio- Pesquisa em educação em ciências, Belo Horizonte, v. 3, n. 2, jun.
2001. Disponível em: <http://www.coltec.ufmg.br/~ensaio/portugues/index.htm>. Acesso
em: 03 jan. 2003.

b) Artigo de jornal eletrônico:

MELO, O. O governo Lula e a Amazônia.


O Liberal. Belém, 06 jan. 2003. Disponível em:
<http://www.oliberal.com.br/semana/default.asp> Acesso em: 06 jan. 2003.

c) Monografia em meio eletrônico:

SÃO PAULO. Secretaria do Meio Ambiente.


Entendendo o meio am biente
. São Paulo,
ambiente
1999. Disponível em: <http://www.dbd.org.br/sina/entendendo/atual.htm> Acesso em: 8
mar. 1999.

d) Enciclopédia:

KOOGAN, A.; HOUAISS, A. (Ed.).


Enciclopédia e dicionário digital. 98
Direção geral de
André Koogan Breikmam. São Paulo: Delta: Estadão, 1998. 5 CD-ROM. Produzida por
Videolar Multimídia.

e) Programa (Software):

MICROSOFT Project for windows 95, version 4.1: project planning software. [S.l.]: Microsoft
Corporation, 1995. Conjunto de programas. 1 CD-ROM.

f) Arquivo em disquete:

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Biblioteca Central.Normas.doc


Norm as.doc : normas para
apresentação de trabalhos.
Curitiba, 7 mar. 1998. 5 disquetes, 3 ½ pol. W ord for Windows
7.0.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 20
6.4.1.11 – M ateriais especiais

 São materiais como filmes, fotografias, mapas, discos, fita cassete.

Exemplos:
a) Filme:
CENTRAL do Brasil. Direção: W alter Salles Júnior. Produção: Martine de Clemont-Tonnerre e
Arthur Cohn. Roteiro: Marcos Bernstein, João Emanuel Carneiro e W alter Salles Júnior.
Intérpretes: Fernanda Montenegro; Marília Pêra; Vinícius de Oliveira e [S.l.]:
outros. Le
Studio Canal; Riofilme; MACT Productions, 1998. 1 filme (106 min), son., color., 35 mm.

b) Fotografia em papel:
KOBAYASHI, K.Doença dos xavantes
. 1980. 1 fot., color., 16 cm x 56 cm.

c) Fotografia publicada em jornal:


FRAIPONT, E. Amilcar O II. Estado de São Paulo
, São Paulo, 30 nov. 1998. Caderno 2,
Visuais. p. D2. 1 fot., p&b. Foto apresentada no projeto ABRA/Coca-cola.

d) Mapa:
BRASIL e parte da América do Sul: mapa político, escolar, rodoviário, turístico e regional.
São Paulo: Michalany, 1981.
1 mapa, color., 79 cm x 95 cm.
Escala 1:600.000.

e) Faixa de CD:

SIMONE. Jura secreta.


S. Costa, A. Silva [Compositores]. In: _____.
Face a face
. Rio de
Janeiro: Emi-Odeon, 1977. 1 CD (ca. 40 min). Faixa 7.

f) Entrevista gravada:

SILVA, L.I.L. da.Luiz Inácio Lula da Silva


: depoimento [abr. 1991]. Entrevistadores: V.
Tremel e M. Garcia. São Paulo: SENAI-SP, 1991. 2 fitas cassete (120 min), 3¾ pps, estéreo.
Entrevista concedida ao projeto Memória do SENAI-SP.

g) Videocassete:

OS PERIGOS do uso de tóxicos. Produção de Jorge Ramos de Andrade. Coordenação de Maria


Izabel Azevedo. São Paulo: CERAVI,1983.
1 fita de vídeo (30 min), VHS, son., color.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 21
6.4.1.12 – Informações
Inform ações complem entares
com plementares

a) Apresentação das referências

 As referências devem ser ordenadas de acordo com o sistema utilizado para citação no
corpo do trabalho.

 Devem ser digitadas em espaço simples entre linhas e espaço duplo para separá-las
entre si e alinhadas somente à margem esquerda.

3 cm

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
3 linhas

BASTOS, Lília da R. et al.


M anual para elaboração de projetos e relatórios de
Manual
pesquisa, teses, dissertações e m onografias
. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2001.
monografias

CARVALHO, Maria Cecília M. de (Org.).Técnicas de metodologia científica


:
construindo o saber. Campinas: Papirus, 1989.

CURTY, Marlene G.; CRUZ, Anamaria daGuia C. para apresentação de


trabalhos acadêmicos, dissertações e teses
. Maringá: Dental Press, 2001.

DEMO, Pedro.Pesquisa: princípio científico e educativo. São Paulo: Cortez, 1999.

GIL, Antônio C.Como elaborar projetos de pesquisa


. 4. ed. São Paulo: Atlas,
2002.
3 cm 2 cm
KÖCHE, José C.Fundamentos de metodologia científica : teoria da ciência e
prática da pesquisa. 16. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

LAKATOS, Eva M.; MARCONI, Marina deMetodologia A. do trabalho


científico. 6. ed. rev. e ampl. São Paulo: Atlas, 2001.

MARTINS, Gilberto de A.; PINTO, Ricardo Manual


L. para elaboração de
trabalhos acadêmicos
. São Paulo: Atlas, 2001.

2 cm

 Os sistemas mais comuns de apresentação de referências em trabalhos técnicos e


científicos são onumérico, onde as referências são dispostas na ordem numérica de
citação no texto, e o
alfabético, no qual citam-se as referências atravéssistema
do
autor-data.

Exemplos:

1. Sistema numérico:

1 TEIXEIRA, Elizabeth.
As três metodologias: acadêmica, da ciência e da pesquisa. 4. ed.
m etodologias
Belém: UNAMA, 2002.
2 MORIN, Edgard. Ciência com consciência
. Rio de Janeiro: Bertrand, 1996.

A chamada no texto deve ser feita por algarismos arábicos:


1
...devemos levar em conta que esse método representa uma nova ferramenta
para
estarmos em condições de atuar...

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 22
2
...então a ciência deve ser encarada como um problema
que apresenta um lado bom e
também um lado mau.

2. Sistema alfabético:

MORIN, Edgard.Ciência com consciência


. Rio de Janeiro: Bertrand, 1996.
TEIXEIRA, Elizabeth.
As três m etodologias
metodologias: acadêmica, da ciência e da pesquisa. 4. ed.
Belém: UNAMA, 2002.
A chamada no texto deve ser feita citando o autor, a data de publicação da obra e, se for
o caso, a página:
...devemos levar em conta que esse método representa uma nova ferramenta (TEIXEIRA,
2001, p. 83) para estarmos em condições de atuar...
...então, a ciência deve ser encarada como um problema (MORIN, 1996) que apresenta
um lado bom e também um lado mau.

O recurso tipográfico (negrito, grifo ou itálico), utilizado para destacar o título, deve ser
uniforme em todas as referências de um mesmo documento.
É facultada a substituição do(s) nome(s) do(s) autor(es) de várias obras citadas
sucessivamente, e na mesma página, por um traço (equivalente a seis espaços) e ponto.
Ordenar em ordem crescente das datas de publicação das obras.

DEMO, Pedro.Metodologia da pesquisa científica


. São Paulo: Atlas, 2000.

______. Metodologia em ciências sociais


. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1989.

______.Pesquisa enquanto princípio científico e educativo


. SãoPaulo: Cortez, 1991.

• Além do(s) nome(s) do(s) autor(es), o título de várias edições de um documento


também pode ser substituído, seguindo as normas anteriores.

HALLIDAY, D.; RESNICK, R.; W ALKER,
Fundam
J. entos de física
Fundamentos . 5. ed. Rio de Janeiro:
LTC, 2001. 4 v.

______. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2002. 4 v.

b) Edição
 A edição de uma obra é indicada por algarismos arábicos, sem o símbolo de número
ordinal (ª), seguido de ponto e da abreviação "ed.".
 Para obras em língua estrangeira, a identificação da edição é feita no idioma da
publicação.
DIMENSTEIN, G.Meninas da noite : a prostituição das meninas-escravas no Brasil.
16.
ed. São Paulo: Ática, 2000.
FARROW,
FARROW , C. S.Radiology of the cat . 6th ed.St Louis: Mosby, 1999. 354 p.
LE SENNE, R.Traité de caractérologie . 5e éd. Paris: Presses Universitaires de France,
1957.

 Se houver acréscimos e/ou emendas à edição, a indicação deve ser feita de forma
abreviada.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 23
ALMEIDA, A. P.M anual das sociedades comerciais
. 11. ed. rev. e ampl. São Paulo:
Saraiva, 1999. 445 p.

c) Editora
 Deve-se abreviar os prenomes das editoras e suprimir palavras que designem a
natureza judicial ou comercial, caso não prejudique sua identificação.

 No caso de haver mais de um local para uma só editora, indica-se o primeiro ou o


mais destacado.

 Caso haja homônimos de cidades, identifica-se o estado, ou o país etc.


Viçosa, AL
Viçosa, MG
Viçosa, RJ
San Juan, Chile
San Juan, Puerto Rico

 Se a cidade da editora não aparece no documento, mas pode ser identificada, indica-
se entre colchetes.
LAZARINI NETO, S.Cria e recria
. [São Paulo]: SDF editores, 1994. 108 p.

 Se o local da editora não pode ser identificado, utiliza-se a expressão


sine loco,
abreviada, entre colchetes [S.l.].
KRIEGER, G.; NOVAES, L. A.; FARIA,Todos
T. os sócios do presidente
. 3. ed., [S.l.]:
Scritta, 1992, 195 p.

 Se a editora não está identificada, deve-se indicar a expressão sine nomine ,


abreviada, entre colchetes [s.n.].
BOITEUX, C. D.Adm inistração de projetos
Administração : integração. Rio de Janeiro: [s.n.], 1977.

 Se o local e o nome da editora não forem identificados, utilizam-se as duas


abreviações [S.l.: s.n.].
FONSECA, I. C. M.
O vaqueiro . [S.l.: s.n.], 1984. 82 p.

 A editora não é indicada quando for a mesma instituição responsável pela autoria e
já tiver sido mencionada.
UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA. Catálogo de graduação . Viçosa, MG, 1994. 385
p.

d) Data
 Quando forem referenciados vários volumes de um documento, produzidos em um
determinado período, devem ser indicadas as datas inicial e final.
RUCH, G.História geral da civilização
: da antiguidade ao XX século. Rio de Janeiro: F.
Briguiet, 1926-1940. 4v.

 A data, sendo elemento essencial para a referência, sempre deve ser indicada: seja
da publicação, impressão, distribuição ou outra. Caso nenhuma data seja

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 24
determinada, deve-se registrar uma data aproximada, entre colchetes, de acordo
com os exemplos a seguir.

Registro Significado
[1981] Data certa, não indicada
[1985 ou 1986] Um ano ou outro
[1974?] Data provável
[ca. 1971] Data aproximada
[entre 1945 e 1957] Intervalo menor de 20 anos
[198-] Década certa
[198-?] Década provável
[17--] Século certo
[17--?] Século provável

 Se houver a indicação de meses, estes devem ser abreviados, no idioma da


publicação. Meses com quatro letras, ou menos, não devem ser abreviados. (Para
abreviaturas, consultar anexo A da NBR 6023:2002, ABNT)
AMAPÁ, CIÊNCIA E TECNOLOGIA . Macapá: MEC; UNIFAP; FUNDAP, v. 2, n. 1, abr. 2001.
152 p.

e) Diversas

 Se a publicação pertence a uma série ou coleção, indica-se o título da série ou


coleção e, se for o caso, a sua numeração.
D’AMBRÓSIO, Ubiratan. Educação m atemática
matem : da teoria à prática. 4. ed. Campinas:
ática
Papirus, 1998. 121 p. (Perspectivas em educação matemática).

 A origem de obras como palestras, escritos mimeografados, trabalhos escolares,


notas de aula, apostilas, ou outras notas devem ser informadas, desde que sejam
importantes para a identificação da fonte de pesquisa.
BASSALO, J. M. F.
A origem do universo . 1998. Palestra proferida na Universidade
Federal do Pará, Departamento de Física, em 23 out. 1998.

BORGES, M. L. T.; NERY, J. R. Orientações


C. gerais para apresentação de
trabalhos acadêm
acadêmicosicos
. Macapá: Universidade Federal do Amapá, 2001. 37 p.
Apostila.

ALPHONSUS, M. A. Novas perspectivas para a educação no Amapá


Am. apá
Macapá, 2001.
32 f. Trabalho acadêmico.
MOURA, M. F.; EVANGELISTA, S. R. M.; TERNES,
M anutenção
S. de software
.
Campinas: UNICAMP-FEE-DCA, 1989. 90 p. Relatório técnico.

LAURENTI, R.Mortalidade pré-natal


. São Paulo: Centro Brasileiro de Classificação de
Doenças, 1978. Mimeografado.

BORGES, M. L. T.
As relações do poder na gestão democrática. Trabalho
dem ocrática
apresentado no I Encontro de Formação de Professores, Macapá, 2003. Não publicado.

NERY, A. P.A ressonância na natureza e na vida diária. 2001. Trabalho apresentado


como requisito parcial para aprovação na disciplina Seminários de Física, Curso de
Licenciatura em Matemática, Universidade Federal do Amapá, Macapá, 2003.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 25
 Quando o título aparece em mais de uma língua, registra-se o primeiro ou,
opcionalmente, registra-se o segundo, separado do primeiro por um sinal de
igualdade.
SÃO PAULO MEDICAL JOURNAL = REVISTA PAULISTA DE MEDICINA. São Paulo: Associação
Paulista de Medicina, 1941 – Bimensal. ISSN 0035-0362.

 Se a obra tiver sido traduzida, o título no idioma original poderá ser indicado, se for
mencionado na publicação.
HAW KING, S.O universo num a casca de noz . Tradução Ivo Korytowski. 5. ed. São
Paulo: 2002.Título original: The universe in a nutshell.

 Se a publicação não estiver paginada ou se a paginação for irregular, indica-se no


final da referência.
NERY, J. R. C.Tratamento
Tratam ento de dados experimentais à luz da teoria de. erros
Macapá: Universidade Federal do Amapá, 1985. Não paginado.

6.4.2 – Anexos e apêndices

 São elementos opcionais.


 Anexos são documentos não elaborados pelo autor da obra.
 Apêndices são documentos elaborados pelo próprio autor do trabalho.
 Os anexos e apêndices compreendem todo material suplementar de sustentação ao
texto com a finalidade de fundamentar, comprovar ou ilustrar o trabalho como
tabelas, planilhas, diagramas, mapas, instrumentos de coleta de dados, roteiros, leis,
entrevistas, fluxogramas, entre outros.
 Antecedendo os anexos e apêndices, deve existir uma página indicativa contendo
apenas a palavra que identifica seu conteúdo (ANEXOS ou APÊNDICES, dependendo
do caso) escrita em caixa alta, centralizada e próximo do centro da página.

3 cm

3 cm 2 cm
ANEXOS (ou APÊNDICES)

2 cm

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 26
 Nas páginas seguintes, tanto os anexos como os apêndices devem ser identificados por
letras maiúsculas consecutivas e por seus respectivos títulos.

ANEXO A – Título do anexo A.


ANEXO B – Título do anexo B.

APÊNDICE A – Título do apêndice A.


APÊNDICE B – Título do apêndice B.
6.4.3 – Glossário

 É um elemento opcional.
 São palavras de uso restrito ao trabalho de pesquisa ou pouco conhecidas pelo leitor,
utilizadas no texto, acompanhadas das respectivas definições para o esclarecimento de
seus significados.

6.5 – ESTRUTURA SEQUENCIAL DO TRABALHO ACADÊM ICO

Anexos
Apêndices

Referências
Conclusão

Texto
Introdução
Sumário

Listas
Abstract
Resumo
Epígrafe
Agradec.
Dedicatória
F. de Aprov.

Errata

F. de Rosto

Capa

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 27
BIBLIOGRAFIA

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6022 : Apresentação de artigo em


publicação periódica científica impressa. Rio de Janeiro, 2003.

______.NBR 6023: Elaboração de referências. Rio de Janeiro, 2002.

______.NBR 6024: Numeração progressiva das seções de um documento escrito. Rio de Janeiro,
2003.

______.NBR 6027: Sumário. Rio de Janeiro, 2003.

______.NBR 6029: Apresentação de livros e folhetos. Rio de Janeiro, 2002.

______.NBR 6034: Preparação de índice de publicações. Rio de Janeiro, 1989.

______.NBR 10520
: Apresentação de citações em documentos. Rio de Janeiro, 2002.

______.NBR 10719
: Apresentação de relatórios técnico-científicos. Rio de Janeiro, 1989.

______.NBR 12256
: Apresentação de originais. Rio de Janeiro, 1992.

______.NBR 14724
: Apresentação de trabalhos acadêmicos. Rio de Janeiro, 2002.

BASTOS, Lília da R. et al.


Manual para elaboração de projetos e relatórios de pesquisa,
teses, dissertações e m onografias
. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2001.
monografias

BELLO, José L. de P.M etodologia científica. Rio de Janeiro, 2000. Disponível em:
<http://www. pedagogiaemfoco.pro.br/met04.htm
>. Acesso em 06 jan. 2003.

BORGES, Maria L. T; NERY. José R. Norm


C. as gerais para apresentação de trabalhos
Normas
científicos
: um resumo das principais normas da ABNT. Macapá: Universidade Federal do
Amapá, 2002. Apostila.

CARVALHO, Maria Cecília M. de (Org.).


Técnicas de metodologia científica
: construindo o
saber. Campinas: Papirus, 1989.

CERVO, A. L.;BERVIAN, P. A.Metodologia Científica


. 5. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

CRUZ, Anamaria da C.; PEROTA, Maria L. L. R; MENDES, Maria Elaboração T. R. de


referências
: NBR 6023/2000. Rio de Janeiro: Interciência; Niterói: Intertexto, 2000.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 28
CURTY, Marlene G.; CRUZ, Anamaria da Guia C. para apresentação de trabalhos
acadêmicos,
acadêm icos, dissertações e teses
. Maringá: Dental Press, 2001.

DEMO, Pedro.Pesquisa: princípio científico e educativo. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

FERREIRA, Aurélio B. de H.
Novo dicionário da língua portuguesa
. Rio de Janeiro: Nova
Fronteira, 1996.

FIGUEIRA, Paulo S. S.Recom endações técnicas para apresentação de obras para


Recomendações
im pressão
impressão. Macapá: Associação de Documentalistas do Estado do Amapá, 2001.

GIL, Antônio C.Com


Como o elaborar projetos de pesquisa
. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

HELFER, Inácio; AGNES, Clarice.


Norm as para apresentação de trabalhos acadêm
. 5.
icos
acadêmicos
ed. rev. e ampl. Santa cruz do Sul: EDUNISC, 2001.

KÖCHE, José C.Fundamentos


Fundam entos de metodologia
m etodologia científica
: teoria da ciência e prática da
pesquisa. 16. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

LAKATOS, Eva M.; MARCONI, Marina deMA.


etodologia do trabalho científico
. 6. ed. rev. e
ampl. São Paulo: Atlas, 2001.

LIMA, Teófilo L. de.Manual básico para elaboração de monografia


. 3. ed. Canoas: Ed.
m onografia
ULBRA, 2002.

MARTINS, Gilberto de A.; PINTO, Ricardo ML.


anual para elaboração de trabalhos
acadêmicos.
acadêm icos São Paulo: Atlas, 2001.

MÁTTAR NETO, João A.


Metodologia científica na era da inform ática
. São Paulo: Saraiva,
informática
2002.

MEDEIROS, João Bosco. Redação científica:


a prática de fichamentos, resumos, resenhas. 5.
ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MENDES, Gildásio; TACHIZAW A, Takeshy.


Com
Comoo fazer m onografia na prática
monografia . Rio de Janeiro:
FGV, 1999.

NERY, José R. C; BORGES, Maria L.Orientações


T. técnicas para elaboração de trabalhos
acadêmicos.
acadêm icos.Macapá: UNIFAP, 2005.

SANTOS, Antônio R. dos.


Metodologia científica
: a construção do conhecimento. 4. ed. Rio de
Janeiro: DP&A, 2001.

SEVERINO, Antônio Joaquim.


M etodologia do trabalho científico
. 22. ed. rev. e ampl. São
Paulo: Cortez, 2002.

SILVA, Edna L. da; MENEZES, Estera Metodologia


M. da pesquisa e elaboração de
dissertação
. Florianópolis: UFSC, 2001.

TEIXEIRA, Elisabeth.
As três m etodologias
: acadêmica, da ciência e da pesquisa. 4. ed. rev. e
metodologias
ampl. Belém: UNAMA, 2002.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Sistema de Bibliotecas.


Normas
Norm as para apresentação de
docum entos científicos
documentos . Curitiba, 2001. 10 v.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 29
VIEIRA, Leociléa A.
Projeto de pesquisa e monografia:
o que é? como se faz? 2. ed. Curitiba:
m onografia:
Editora do Autor, 2003.

Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica e Tecnológica - Prof. Dr. José Reinaldo Cardoso Nery 30