Vous êtes sur la page 1sur 12

COMO O AMBIENTE SE TORNA ÁCIDO

Poucas pessoas na Europa ou na América do Norte ainda não ouviram falar


da "chuva ácida". Esse termo é usado com freqüência na imprensa escrita e
na televisão. A chuva ácida é amplamente reconhecida como uma das causas
de sérios problemas ambientais, especialmente nas florestas e lagos! Essa
expressão é empregada porque constitui um modo simples e dramático de
descrever um problema muito complexo. Entidades ambientalistas falam
geralmente em "precipitação ácida", incluindo aí neve, neblina e granizo,
além da chuva.

A chuva pode dissolver o QUAL A ACIDEZ DA ÁGUA DA CHUVA?


calcário criando formas
estranhas, como estas
Quando a água do mar, dos lagos ou do solo se evapora, o vapor não é ácido
formações rochosas na
Austrália. nem alcalino. É neutro. Entretanto, esse vapor d'água combina-se com gases
como o dióxido de carbono, encontrado na atmosfera, transformando-se num
ácido fraco. A chuva tem um pH entre 5 e 6 (o pH 7 é neutro). Ela pode dissolver rochas e criar cavernas
calcárias espetaculares, desfiladeiros e formações rochosas, num processo que normalmente leva
milhares de anos.

Fenômenos naturais podem aumentar a acidez da chuva. Quando vulcões


entram em erupção violenta, lançam muitos gases na atmosfera. Alguns
deles se combinam com o vapor d'água e se precipitam sob forma de chuva
ácida, entretanto o efeito das erupções geralmente se faz sentir por pouco
tempo.

POLUIÇÃO DO AR

Visão espetacular do Monte A maior parte da poluição do ar é produzida como resultado da queima de
Augustina em erupção no combustíveis fósseis, como o carvão e o
Alasca. Quando vulcões
entram em erupção, petróleo. Esses combustíveis foram formados
espalham muitos gases no durante milhares de anos a partir de plantas e
ar, incluindo o dióxido de animais mortos. Os depósitos se formavam e
enxofre. Entretanto,
fenômenos naturais como eram finalmente cobertos por outras rochas e
este provocam apenas 10% comprimidos. Eles permaneceram praticamente
da poluição atmosférica - o intactos até a metade do século XIX. Desde
resto é causado por
atividades humanas. então, são usados em quantidades cada vez
maiores para mover veículos, aquecer edifícios
nos países frios e fundir metais como o ferro.

Quando o combustível é queimado, não libera apenas energia, mas muitos produtos químicos, incluindo
enxofre e nitrogênio contidos no material orgânico. Essas substâncias são dois dos mais importantes
ingredientes na chuva ácida. Enxofre e nitrogênio são subprodutos indesejáveis na queima dos
combustíveis, sendo geralmente lançados diretamente na atmosfera onde se acreditava que se
dispersavam sem riscos.

Hoje sabemos que não é assim. Eles se convertem rapidamente em dióxido de enxofre e óxidos de
nitrogênio, os quais podem ser julgados prejudiciais ao meio ambiente.

As quantidades lançadas na atmosfera são espantosas: cerca de 24 milhões de toneladas de dióxido de


enxofre por ano na América do Norte e 44 milhões de toneladas na Europa, É o suficiente para encher
completamente cerca de 150 superpetroleiros! A maior parte do enxofre vem
das fábricas e usinas termelétricas.

A quantidade de óxidos de nitrogênio produzida é menor, mas mesmo assim


chega a 22 milhões de toneladas na América do Norte e 15 milhões de
toneladas na Europa Ocidental.

A maior parte dos óxidos de nitrogênio provém da emissão dos motores dos
veículos. À medida que o tráfego aumenta em até 20% ao ano na Europa, é
provável que o problema se agrave, a menos que se tomem providências Centrais termelétricas,
imediatas. como esta em Maryland,
EUA, queimam
combustíveis fósseis
O QUE ACONTECE COM A POLUIÇÃO DO para produzir energia.
AR? Muitos gases são
lançados na atmosfera,
alguns deles causam
Uma parte da poluição rapidamente se chuva ácida.
precipita ao solo, antes de ser absorvida pela
umidade do ar. Deposita-se nas árvores, edifícios e lagos, geralmente
na área onde foi produzida. É a chamada precipitação seca. Estes
depósitos se formam e mais tarde se combinam com a água da chuva,
transformando-se em ácidos.

O resto da poluição pode permanecer no ar por mais de uma semana e


Durante o degelo da primavera,
a acidez dos rios é muito maior.é transportada pelo vento a longas distancias. Durante esse período, as
Esta fotografia mostra o substancias químicas reagem com o vapor d'água na atmosfera,
derretimento da neve na transformando-se nos ácidos sulfúrico e nítrico diluídos. Estão prontos,
Colúmbia Britânica, Canadá
então, para se transformar em chuva ácida. Esses ácidos também
reagem com outras substâncias químicas na atmosfera formando poluentes secundários. Destes, o ozônio
é um dos mais perigosos, pois prejudica a vegetação.

Quando a precipitação ácida ocorre sob a forma de neve, os problemas


para o meio ambiente são retardados, mas podem ser muito piores
posteriormente. Durante o inverno, a neve se acumula no solo, retendo
seus ácidos. Na primavera, quando a neve derrete, há um súbito fluxo de
água que corre pelo chão até os rios e lagos. Eventualmente, ácidos que
ficaram retidos por seis meses são liberados em poucas semanas. Estas
correntezas ácidas, como são chamadas, são particularmente prejudiciais
para plantas e animais.

Quando as árvores são


derrubadas para a obtenção de AGRICULTURA E SILVICULTURA
madeira, seus nutientes não A poluição atmosférica não é o único fator que torna o ambiente mais
são devolvidos ao solo, como ácido. Quando as plantas crescem, elas
ocorre na morte e absorvem e utilizam nutrientes do solo,
decomposição natural. Isso
aumentando a acidez. Quando morrem,
torna o solo mais ácido e menos
capaz de manter futuras decompõem-se, devolvendo os
gerações de árvores. A nutrientes e diminuindo a acidez. A
fotografia mostra pilhas de natureza cria seu próprio ciclo para
madeira na Finlândia, onde a manter estáveis os níveis de pH. Na
exploração florestal faz parte agricultura, as plantas são removidas
de uma atividade industrial para a alimentação e na silvicultura, as
importante. árvores são abatidas por causa da
madeira. Dessa forma, os nutrientes não são devolvidos ao solo para
reduzir a acidez. Para manter a fertilidade do solo, são empregados
fertilizantes artificiais, especialmente nitratos. Entretanto, eles podem
aumentar ainda mais a acidez do solo e, então, agravar o problema.

Ácidos e bases são contrários


Normalmente pensamos os ácidos em suas formas mais fortes, quando são muito perigosos. Entretanto,
eles podem ser neutralizados até se tornarem tão fracos como o suco de limão, o vinagre ou um
refrigerante com gás.

As bases são o oposto dos ácidos, embora, sob forma concentrada, possam também causar danos. Velhos
móveis de madeira são freqüentemente submetidos a um banho de soda cáustica para remover camadas
de tinta que recobrem a madeira. Bases mais fracas que a soda cáustica são usadas para fins domésticos,
tais como o carbonato de sódio e o bicarbonato de sódio.

Se você acrescentar um ácido a uma base, a concentração de ambos se reduz. Controlando cuidadosamente as quantidades
adicionadas, é possível obter uma solução neutra, isto é, nem ácida nem alcalina.

POLUIÇÃO DO AR E DO VENTO

Por volta de 1661, cientistas da Grã-Bretanha descobriram que a poluição industrial podia afetar a saúde
das pessoas e as plantas das redondezas. Com o crescimento industrial nos séculos XVIII e XIX,
aumentaram os danos para a saúde das pessoas e para o meio ambiente. Entretanto, ninguém pensava
que a poluição pudesse ser transportada para muito longe. Então, em 1881, um cientista norueguês
descobriu um fenômeno que ele chamou de precipitação suja, o qual ocorria na costa oeste da Noruega,
onde não havia indústria poluidora. Ele suspeitou que viesse da Grã-Bretanha. Hoje os cientistas provam,
sem sombra de dúvida, que a poluição é conduzida pelo ar a grandes distâncias. Se alguma prova
adicional fosse necessária, seria fornecida pelo acidente na usina nuclear de Chernobyl, que produziu
chuva radioativa em áreas da Europa Oriental e Ocidental. Os efeitos dessa chuva radioativa sobre o
ambiente podem perdurar por dezenas de anos.

Os países escandinavos reconheceram que a chuva ácida era uma


das causas principais da acidificação de seus lagos. Muita pesquisa
tem sido desenvolvida para mostrar as relações significativas
entre as precipitações de dióxido de enxofre e os danos
ambientais. Aceitando essa evidência, a maioria dos países
Fábricas como esta em Cúmbria, Grã-
concorda em reduzir suas emissões. Alguns, entretanto, mostram
Bretanha, liberam fumaça que é
muita má vontade e afirmam que são necessárias evidências mais transportada por longas distâncias
contundentes para provar se o dióxido de enxofre causa de fato pelo vento.
um grande malefício ao meio ambiente.

A QUE DISTÂNCIA A POLUIÇÃO PODE SER TRANSPORTADA?


Se você olhar para a fumaça que sai de uma chaminé, verá que em poucos dias do ano ela sobe
verticalmente. Na maior parte das vezes ela se inclina, porque o ar ao redor da chaminé está em
movimento. Mesmo quando parece haver apenas uma brisa próxima ao solo, nas camadas mais altas o
vento pode ser bem mais forte.

A poluição que sai das chaminés é levada pelo vento. Uma parte dela pode permanecer no ar durante
uma semana ou mais, antes de se depositar no solo. Nesse período ela pode ter viajado muitos
quilômetros. Mesmo um vento fraco de 16 km/h poderia transportá-la para além de 1600 km em cinco
dias. Quanto mais a poluição permanece na atmosfera, mais a sua composição química se altera,
transformando-se num complicado coquetel de poluentes que prejudica o meio ambiente.

Nas mais importantes áreas industriais do Hemisfério Norte, o vento predominante (aquele que sopra
com maior freqüência) vem do oeste. Isso significa que as áreas situadas no caminho do vento, que
sopra dessas regiões industriais, recebem uma grande dose de poluição. Cerca de 3 milhões de toneladas
de poluentes ácidos são levados a cada ano dos Estados Unidos para o Canadá. De todo o dióxido de
enxofre precipitado no leste canadense, metade dele provém das regiões industriais situadas no nordeste
dos EUA. Na Europa, a poluição ácida é soprada sobre a Escandinávia, vinda dos países circunvizinhos,
especialmente da Grã-Bretanha e do Leste Europeu. Os poluentes gerados no Pólo Petroquímico de
Cubatão (SP) freqüentemente são levados para o litoral norte de São Paulo (Ubatuba, Caraguatatuba),
onde ocorre a chuva ácida. O dióxido de enxofre da Termelétrica de Candiota (RS) precipita-se no
Uruguai.
COMO A CHUVA AFETA O AMBIENTE

Por que alguns lagos do condado de Telemark, ao sul da Noruega, são extremamente afetados pela
chuva ácida, enquanto outros, a poucos quilômetros de distância, não o são? Por que as florestas, junto a
algumas áreas industriais, não são tão seriamente prejudicadas pela
chuva ácida, como outras a milhares de quilômetros de distância? A
resposta encontra-se no solo.

Os solos surgem quando as rochas se desagregam pela ação do clima e


da erosão, e se misturam com a matéria orgânica de origem vegetal e
animal. Sem o solo, a maioria das plantas não se desenvolveria. As
rochas que dão origem ao solo podem ser ácidas, neutras e alcalinas.
Giz e calcário são rochas feitas a partir de carapaças minúsculas, ricas Solos calcários mantém ampla
variedade de plantas. O calcário
em cálcio. O cálcio é alcalino e os solos que se desenvolvem a partir
também neutraliza os efeitos da
dessas rochas são igualmente alcalinos. chuva ácida.

Quando a chuva ácida se precipita sobre solos alcalinos, o ácido é enfraquecido, ou neutralizado, e os
problemas ambientais são poucos.

O granito é uma rocha ácida e muito dura que se desagrega muito


lentamente. Os solos surgidos do granito são em geral muito finos,
mas capazes de reduzir a acidez da chuva comum a um nível tolerável
para as plantas e os animais, mantendo-se, assim, um equilíbrio. A
chuva ácida sobrecarrega esse sistema natural e, gradualmente, o
meio ambiente se torna ácido demais para manter saudáveis a fauna e
a flora. Posteriormente, um novo equilíbrio pode ser atingido, mas
num nível de acidez que não pode manter uma variedade tão rica de
espécies.
Solos de granito podem ser
seriamente afetados pela chuva
ácida, de modo que poucas Em áreas afetadas pela chuva ácida, os animais e as plantas
espécies de plantas e animais enfrentam, ainda, outras dificuldades. Os solos contêm naturalmente
podem sobreviver neles. pequenas quantidades de minerais tóxicos como alumínio, cádmio e
mercúrio. Normalmente não causam problemas sérios, mas à medida que a acidez do solo aumenta,
intensificam-se as reações químicas que permitem a absorção desses minerais pelas plantas. As plantas
são, então, contaminadas e qualquer animal que se alimente delas absorverá os tóxicos, que
permanecerão em seus corpos. Os minerais nocivos são também lixiviados do solo para os rios e lagos,
onde podem matar peixes e outros seres vivos. O problema se agrava quando a poluição deposita ainda
mais minerais no solo. Em certas regiões da Polônia, descobriu-se que as colheitas continham 10 vezes
mais chumbo do que o limite considerado aceitável.

ACIDEZ EM LAGOS

Um dos passatempos mais populares na América do Norte e na Europa é a pesca em lagos e rios. Ela é
apreciada por milhões de pessoas e dificilmente se encontra um lago, riacho ou rio que não seja usado
pelos pescadores. A pesca também é um grande negócio. Não somente porque os direitos de pesca são
vendidos para clubes de pescadores, mas também porque muitas pessoas são empregadas na pesca
comercial, principalmente de salmão e truta. A criação de peixes tornou-se uma atividade econômica
importante em muitas áreas remotas, oferecendo em

Cerca de 90% da água dos rios e lagos passou previamente pelo solo. Como a capacidade do solo para
neutralizar os ácidos está diminuindo, e a acidez da chuva está aumentando, a acidez da água nos rios e
lagos também está aumentando. Os lagos também recebem a água da chuva que cai diretamente da
atmosfera, não havendo possibilidade de reduzir a acidez dessa água pela ação do solo. Desde 1950, a
situação tornou-se, certamente, pior nas áreas mais sensíveis da América do Norte e Europa, embora
haja indícios de que as condições estão se estabilizando.
Um lago em condições naturais tem pH ao redor de 6,5 e pode manter uma
grande variedade de plantas, insetos e peixes. Além disso, há inúmeros
animais, incluindo aves, que se nutrem do farto alimento encontrado
nesses lagos.

Quando o pH de um lago diminui (com o


aumento do nível de acidez), os peixes
encontram maior dificuldade para se
reproduzir com êxito. A acidez é maior na
primavera quando a neve derrete. Esta
Em um lago sadio, a vida é
também é a época em que os ovos dos peixes
abundante tanto acima como
eclodem, nascendo filhotes. Eles são abaixo da superfície. Aqui,
incapazes de tolerar os altos níveis de acidez uma libélula repousa sobre a
flor de um lírio d'água.
e morrem. Não é somente o ácido que os
mata, mas também os minerais tóxicos como o alumínio, que são lixiviados
A madeira é um importante
produto de exploração para dos terrenos circunvizinhos para a água.
a Suécia. Entretanto, essa
indústria está ameaçada pela As aves que comem esses peixes também sofrem as conseqüências, pois os
chuva ácida, que causa
danos para muitas florestas minerais tóxicos tornam-se ainda mais concentrados em seus corpos. As
suecas. cascas de seus ovos tornam-se mais frágeis e podem se quebrar, e quando
os filhotes nascem, seus ossos podem estar deformados.

A CHUVA ÁCIDA E OS MARES

Pensava-se que os mares não eram afetados pela chuva ácida, mas um relatório do Fundo de Defesa
Ambiental (EUA) afirma que a chuva ácida está prejudicando os peixes ao longo da costa atlântica dos
Estados Unidos. Baías e águas costeiras, que são importantes áreas de procriação, são as mais afetadas.
No entanto, a administração do presidente Ronald Reagan permaneceu firmemente oposta a qualquer
tentativa de restringir as emissões porque, afirmava-se, não havia evidência suficiente de prejuízos. No
referido relatório, o doutor Oppenheimer declara: "Ao ignorar o problema da chuva ácida, o Congresso e
a Administração decidiram sacrificar milhares de lagos. Virando as costas deste modo, eles mostraram
também não darem a mínima importância aos nossos estuários e águas costeiras".

DANO PARA AS ÁRVORES E FLORESTAS

Até os anos 60 a chuva ácida não era reconhecida como uma ameaça séria para as
florestas. A primeira evidência foi encontrada nos Sudetos, uma cadeia de montanhas
entre a Polônia e a República Tcheca importante na produção de madeira. Alguns
pinheiros apresentavam ramos muito nós e outros estavam morrendo. Em meados dos
anos 70 houve um acentuado agravamento desses problemas. Constatou-se que
morriam lotes inteiros de árvores, enquanto outros sequer chegavam a se
desenvolver.

Atualmente, quase 40% da floresta está morta


Ao sofrer os ou em extinção. Extensas
efeitos da chuva áreas que já foram cobertas
ácida, esta árvore pela floresta são atualmente
está produzindo
muitas pinhas, o campos abertos. Não passou
que indica a despercebido que os Sudetos
proximidade da Bordos canadenses constituem a
estão situados na direção dos fonte do xarope do bordo, mas
morte.
ventos que sopram de uma atualmente estão sendo destruídos
região cuja dependência do linhito é intensa e pela chuva ácida.
que, quando queimado, libera bastante enxofre. O uso dessa substância aumentou de
30 milhões de toneladas, em 1950, para 100 milhões de toneladas, em 1980.
Nem todas as regiões se encontram tão seriamente afetadas, mas atualmente há informações vindas de
todas as partes do mundo sobre árvores prejudica das. É fácil reconhecer uma árvore morta, mas na
maioria dos casos a morte não se deve diretamente à chuva ácida, que as enfraquece e elas morrem
derrubadas pelo vento, ou atacadas por insetos e fungos. As árvores coníferas correm risco maior,
embora as árvores decíduas sejam igualmente afetadas.

O PREJUÍZO PARA AS CONSTRUÇÕES

Se você olhar para as diversas construções,


especialmente as velhas, poderá notar muito
bem que os materiais de construção estão se
dissolvendo. Eles desgastam-se naturalmente
pela ação do tempo, mas isso leva muitos
anos, geralmente alguns séculos. A chuva
A corrosão desta
ácida acelera o processo. Em 1984, a Estátua estátua, numa igreja
O mais famoso símbolo dos EUA, a da Liberdade, em Nova Iorque, Estados inglesa, é acelerado
Estátua da Liberdade, sendo Unidos, teve, de ser parcialmente desmontada pela chuva ácida.
restaurada em 1984.
para restauração, porque a poluição ácida corroeu a estrutura
metálica e o revestimento de cobre. Milhões de dólares foram gastos para recuperar o seu antigo
resplendor, mas quem deveria pagar por isso? Quem paga impostos em Nova Iorque, ou as fábricas que,
em princípio, são as responsáveis pela poluição?

A CHUVA ÁCIDA PODE PREJUDICAR SUA SAÚDE?

Em algumas regiões, respirar ar puro implica ameaças à saúde,


especialmente para os mais velhos e os que sofrem de asma, ou
outros problemas respiratórios, ou, ainda, para aqueles que têm um
problema cardíaco. Na Alemanha, as concentrações de dióxido de
enxofre na atmosfera tornaram-se tão perigosas, que as pessoas são
aconselhadas a não saírem de casa. Em Los Angeles, Estados Unidos,
em 1978, algumas indústrias suspenderam por 23 dias a queima de No vale do Ruhr, região industrial
da Alemanha, a smog pode ser tão
carvão e petróleo, e as atividades escolares externas tiveram de ser
perigosa que se tornam
canceladas. necessários desvios de tráfego.

Entretanto, uma legislação posterior, que visava reduzir a emissão de poluentes dos escapamentos dos
carros (a maior fonte dessa poluição), melhorou a situação. 1984 foi o primeiro ano, desde 1955, em que
nenhuma medida de emergência precisou ser tomada. A poluição não é, portanto, um resultado
inevitável do progresso industrial. Se nós a controlarmos, todos poderemos desfrutar de uma vida mais
saudável.

Prejuízo para a floresta

"Minha família mora nessa fazenda há mais de 100 anos. Ela se estende por cerca
de 29 hectares, 23 dos quais são cobertos por floresta. Todo ano são derrubadas
algumas árvores. As mais velhas têm mais de 100 anos e alcançam um preço
elevado, pois podem ser empregadas como madeira de construção. Contudo,
muitas dessas árvores velhas estão atualmente danificadas pela chuva ácida e Ingemar Zachrisson
morrendo atacadas por insetos. Há dois anos, um forte vento derrubou algumas esclarece os
delas. As árvores jovens jamais atingirão aquela idade. O dano causado pela visitantes a respeito
chuva ácida torna-se tão grave, quando elas têm mais de 50 anos, que eu tenho da chuva ácida.
de derrubá-las enquanto ainda podem ser usadas como madeira, em vez de polpa
de madeira." Ingemar Zachrisson
A águia-pescadora
A águia-pescadora é uma ave de rapina de grande porte,
que voa rente à superfície dos lagos e captura os peixes com
suas garras. Está se tornando rara na Europa e atualmente
existe uma grande preocupação pelo seu futuro, pois 60% de
todos os casais são encontrados na Suécia. Se os peixes estão
desaparecendo dos lagos suecos por causa da chuva ácida, a
águia-pescadora também desaparecerá.

Prejuízo para os lagos


"Como muitos noruegueses, temos uma casa de veraneio nas colinas à margem de um lago.
Costumávamos comer muito peixe que capturávamos nos rios e lagos. Recentemente,
fomos aconselhados a não consumi-los, pois estão contaminados por metais tóxicos
arrastados do solo para a água."

Ulf Pederson

RESOLVENDO OS PROBLEMAS

Os dois países mais relutantes em aceitar que a chuva ácida possa causar
problemas, a Alemanha e a Grã-Bretanha, estão adotando medidas para
reduzir a poluição. A Alemanha mudou sua política praticamente da noite
para o dia, quando se descobriu que suas próprias florestas estavam
sendo seriamente prejudicadas. Ela é atualmente uma das primeiras
nações a exigir controles mais rigorosos da poluição. A Grã-Bretanha, que
não se defronta com problemas tão sérios como a Alemanha, prefere
esperar por provas mais convincentes. Contudo, outros governos europeus
Uma camada de poluição
a pressionam para que atue imediatamente. Os Estados Unidos são uma retida sobre o vale do
das poucas nações que ainda exigem mais pesquisas e debates, antes de Hüttental, na Alemanha.
se comprometer a tomar decisões futuras. Quando os alemães
perceberam que a
poluição estava
Vai demorar muito tempo para que todas as causas da chuva ácida sejam danificando suas
eliminadas. Enquanto isso, algo deve ser feito para reduzir seu impacto florestas, resolveram
atual sobre o ambiente. adotar rapidamente
medidas preventivas.

CALAGEM

As bases ajudam a neutralizar ácidos. O calcário moído é uma base capaz de reduzir a acidez quando
aplicado em lagos, rios ou solo. A isso se denomina calagem. É o que se usa com mais freqüência para
diminuir a acidez de lagos. A quantidade necessária para corrigir a acidez e atingir um pH adequado (6,5)
varia de acordo com o tamanho e o grau de acidez do lago. Conforme o caso, cerca de 4 toneladas por
hectare serão necessárias para elevar o pH de 5,5 para 6,5. Depois da aplicação, espécies de plantas e
animais poderão retornar prontamente ao lago. Como os metais tóxicos são arrastados para o fundo, os
peixes poderão se reproduzir com êxito. As únicas espécies afetadas serão as que vivem no fundo do
lago, onde os metais se acumulam. Para evitar que os problemas se repitam, a calagem deve ser feita
em intervalos de dois a cinco anos. Contudo, manter lagos em condições favoráveis leva tempo e é muito
dispendioso, principalmente em regiões remotas.

Diferentes sistemas de calagem têm sido testados. Em algumas regiões, a cal é constantemente liberada
na água corrente, mas isso requer o emprego de aparelhagem muito cara. Em áreas remotas é lançada
na água por avião ou helicóptero. Um método especialmente eficaz consiste em espalhar a cal sobre
lagos cobertos de gelo no inverno. Na primavera, quando o gelo derrete, a cal vai para a água ao mesmo
tempo em que a acidez aumenta, quando toda a água do degelo corre para os lagos. Em algumas regiões
a cal é misturada na terra. É o que se costuma fazer no cerrado brasileiro, onde parte do solo é
naturalmente ácido, É muito eficiente para reduzir a acidez do solo, bem como da água, sendo, portanto,
benéfica para a vegetação.

A extensão do prejuízo causado pela chuva ácida é tão grande que a


calagem nunca solucionará o problema. Calcula-se que seriam
necessárias mais de 300 mil toneladas de cal por ano, ao custo de 25
milhões de libras esterlinas, para neutralizar os ácidos somente no sul da
Noruega. Mas localmente os resultados são muito
importantes.

Não existem problemas técnicos para evitar a


poluição do ar. Os obstáculos a serem superados
As usinas termelétricas consistem em reunir recursos financeiros e,
fornecem uma grande parte da
talvez, mais importantes do que isso, criar o
energia que as nações do
Primeiro Mundo usam para desejo de acabar com a chuva ácida. Dois
manter o seu modo de vida. procedimentos se fazem necessários. Um é
Métodos modernos de
adotar as medidas práticas exigidas para reduzir
conservação de energia
poderiam reduzir em 50% o as emissões de dióxido de enxofre e óxidos de
consumo de combustível, nitrogênio. A outra é conseguir acordos
permitindo-nos ainda desfrutar Muitas árvores na
de um elevado padrão de vida.
internacionais que assegurem a execução das Escandinávia são
medidas pertinentes. São relacionadas a seguir mortas por chuva
algumas medidas práticas para reduzir o problema da chuva ácida. Veja como ácida. A acidez do solo
pode ser neutralizada
você pode ajudar a resolver esse problema. com cal, mas é difícil
aplicá-la em florestas
muito densas.
CONSERVAÇÃO DE ENERGIA

O modo de vida ocidental envolve o consumo de grande quantidade de


energia no transporte, na indústria, na refrigeração, na iluminação e na
preparação de alimentos. Todavia, calcula-se que se empregássemos os
combustíveis de modo mais eficiente e adotássemos medidas para
conservar energia, ainda poderíamos desfrutar de um alto padrão de
vida consumindo a metade da energia. Quanto menor for a quantidade
Moinhos de vento são usados de energia consumida, será proporcionalmente menor a quantidade de
para gerar eletricidade nesta poluição produzida.
fazenda de vento, na Califórnia,
EUA.

USO DE FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA

Carvão, petróleo e gás natural são usados para suprir mais de 75% das exigências
mundiais. Essas fontes fatalmente se esgotarão um dia. É possível utilizar fontes
naturais inesgotáveis de energia. São as chamadas fontes renováveis de energia.
Elas incluem a energia hidrelétrica (uso de energia das quedas d'água para acionar
geradores); biomassa (queima de matéria orgânica de origem vegetal ou animal);
energia geotérmica (uso do calor natural das profundezas da crosta terrestre); A estação de
energia das ondas do mar e das marés; e a energia eólica dos moinhos de vento. A energia solar em
energia nuclear, que é gerada a partir de fissões atômicas, também é renovável e Odeillo, França,
não produz poluentes como o dióxido de enxofre e os óxidos de nitrogênio. Por outro utiliza a energia
solar.
lado, existe muita gente que vive atemorizada pelos
perigos dos acidentes nucleares e se preocupa com o acondicionamento do
lixo atômico.

Entre os recursos renováveis, a energia hidrelétrica é uma das mais


desenvolvidas, fornecendo 25% da eletricidade mundial. No entanto, essa
quantidade poderia ser extremamente aumentada, com um mínimo de
prejuízo para o meio ambiente. Atualmente, destina-se muito pouco

A usina hidrelétrica, como


esta, na Suíça, usa água para
gerar eletricidade.
dinheiro para a pesquisa e o desenvolvimento da energia eólica e a das ondas do mar. Contudo, as
fazendas de vento da Califórnia, Estados Unidos, mostram que energia não poluente pode ser produzida,
de modo economicamente viável e em quantidade suficiente.

USO DE COMBUSTÍVEIS COM BAIXO TEOR DE ENXOFRE

Nem todo o carvão ou petróleo contém grande quantidade de enxofre. Passando a explorar essas fontes,
a quantidade de poluição poderia ser reduzida. Mas qual seria o efeito sobre aquelas áreas onde as
pessoas trabalham na mineração de combustíveis fósseis com alto teor de enxofre. Haveria muito
desemprego.

REMOÇÃO DE POLUIÇÃO NA FONTE

O enxofre pode ser removido do combustível antes de ser queimado e


vendido para a indústria como subproduto. Isso realmente melhoraria as
perspectivas de emprego nas áreas de mineração, mas
somente se o carvão ainda pudesse ser vendido por um
preço elevado. Alternativamente, o enxofre pode ser
removido da fumaça antes que esta seja lançada na
atmosfera. Pode-se fazer isso utilizando dispositivos
chamados dessulfurizadores, que são instalados nas
A termelétrica de Drax, na
Grã-Bretanha, usará um chaminés. Sua função é borrifar cal sobre a fumaça.
processo de calagem para
remover 90% de sua
MUDANÇA NAS TÉCNICAS AGRÍCOLAS E
poluição por dióxido de
enxofre.
SILVICULTURAIS
Cada vez mais os
A agricultura e a silvicultura podem aumentar a acidez do solo. Se os engenheiros engenheiros florestais
florestais utilizassem toda a árvore, incluindo galhos e raízes, isso equivaleria a uma deixam as raízes e os galhos
exposição do solo à chuva ácida por cerca de 60 anos. Se apenas o tronco fosse das árvores derrubadas
aproveitado e o resto apodrecesse no chão, o solo se tornaria menos ácido. apodrecerem no solo. Isso
devolve nutrientes ao solo,
MUDANÇA NO NOSSO COMPORTAMENTO permitindo reflorestamentos
futuros.
Há atitudes que cada um de nós pode tomar agora para reduzir os problemas de poluição. Por exemplo,
diminuindo apenas 2º no termostato do aquecimento central nos países frios, se gastaria bem menos
combustível. Em vez de aumentar o aquecimento, as pessoas poderiam se agasalhar melhor. Dirigindo
mais devagar, reduz-se a quantidade de óxido de nitrogênio produzida pelos motores. Em alguns países,
os limites de velocidade poderiam ser reduzidos. Um limite de 80 km/h parece estabelecer uma boa
combinação entre velocidade e poluição. Uma grande quantidade de energia e poluição poderia ser
poupada, se mais pessoas utilizassem regularmente o transporte coletivo, em vez de se deslocarem em
seus próprios carros. Isso, evidentemente, exigirá uma atuação mais decidida do poder público para
melhorar esse tipo de transporte.

PURIFICAR OS ESCAPAMENTOS DOS VEÍCULOS

Os motores dos veículos produzem óxidos de nitrogênio e outros poluentes. Os gases emitidos pelos
motores dos carros podem ser purificados usando gasolina sem chumbo e adaptando um conversor
catalítico, Esses dispositivos convertem 90% dos gases nocivos presentes nos escapamentos em dióxido
de carbono, nitrogênio e vapor d'água, bem menos prejudiciais. Uma alternativa seria desenvolver
motores de combustão branda que são mais eficientes e poluem menos. Os motores a diesel são mais
econômicos porque consomem menos combustível do que os motores a gasolina. Entretanto, produzem
mais fumaça, duas vezes mais óxido de nitrogênio e seis vezes mais dióxido de enxofre.

Alguns países, como os Estados Unidos e o Japão, já têm leis rigorosas que controlam a poluição dos
carros. Nos anos 90, normas da Comunidade Econômica Européia exigirão que todos os veículos, com
motores de capacidade acima de dois litros, sejam equipados com conversores catalíticos. Isso
melhoraria consideravelmente a qualidade do ar. Um jeito simples de evitar a poluição do ar é desligar o
motor do carro quando este não estiver em movimento. Na Suíça e na Alemanha, anúncios junto aos
semáforos instruem os motoristas a desligarem os motores enquanto esperam, em vez de deixá-los
espalhando fumaça tóxica no ar.
EDUCAÇÃO
Os cientistas podem identificar problemas e encontrar soluções para eles, mas a não ser que as pessoas
se conscientizem da seriedade do problema, pouco incentivo haverá para que atuem adequadamente. A
educação desempenha, sem dúvida alguma, um papel importante na conscientização sobre os problemas
ambientais.

AÇÃO INTERNACIONAL

Custa muito dinheiro acabar com a chuva ácida. Muitos países relutaram em adotar medidas até que os
cientistas lhes mostraram o quanto de poluição precisa ser cortada. Esses especialistas têm feito cálculos
para o dióxido de enxofre e os óxidos de nitrogênio e indicam que as regiões mais sensíveis da Noruega e
da Suécia são capazes de absorver apenas entre 0,3 e 0,5 grama de dióxido de enxofre e entre 1 e 2
gramas de óxidos de nitrogênio por m'. Em diversas regiões da Escandinávia, os níveis estão muito
acima. Por exemplo: de 2 a 3 gramas de enxofre e de 2 a 3 gramas de nitrogênio por m'. Os cientistas
avaliam que o mundo, como um todo, precisa reduzir as emissões desses dois poluentes em 80 ou 90%.
Isso significa que as 100 toneladas despejadas atualmente na atmosfera devem ser reduzidas para 10
toneladas, o mais rápido possível.

Na Europa, nos últimos 10 anos, as emissões de dióxido de enxofre


diminuíram em cerca de 25%.

A quantidade total que se precipita sobre a Escandinávia baixou quase a


esse mesmo índice, e a boa notícia é que alguns lagos estão se recuperando
lentamente. Muitos países se comprometeram a reduzir ainda mais a
poluição e calcula-se que, em meados da década de 90, será conseguida
uma redução suplementar de 30%.

Esses resultados somente foram conseguidos porque as pesquisas têm sido


capazes de demonstrar que a poluição prejudica o meio ambiente e é
carregada pelos ventos de um país a outro. Os estudos prosseguirão, mas
Membros do Parlamento ao mesmo tempo os países estão trabalhando em conjunto para tentar
Europeu reunem-se
reduzir ainda mais as emissões, fazendo acordos uns com os outros.
freqüentemente para discutir
questões ambientais.
REDUÇÃO DOS ÓXIDOS DE NITROGÊNIO
O dióxido de nitrogênio é somente um dos poluentes a causar os problemas da chuva ácida, mas é o
mais pesquisado de todos. Os óxidos de nitrogênio são mais difíceis de serem estudados, mas em 1986
iniciaram-se as negociações para um acordo internacional, com a finalidade de reduzir a poluição gerada
por esses óxidos. Há dificuldades para se chegar a um acordo sobre quão ambiciosas deveriam ser as
metas a serem alcançadas. A Alemanha propôs que, por volta de 1995, os níveis de dióxido de nitrogênio
deveriam estar reduzidos em 30% com relação aos níveis de 1985. Isso é apoiado por vários países. A
Grã-Bretanha e a França, entretanto, parecem estar querendo chegar apenas a um congelamento, o que
significa nenhum aumento das emissões além das já existentes. A Itália,
o Canadá, os Estados Unidos e a maioria dos países do Leste Europeu
parecem rejeitar ambas as propostas.
Cerca da metade dos óxidos de nitrogênio presentes no ar provém

das emissões dos veículos. Se a quantidade de poluentes que saem dos


escapamentos for reduzida, a quantidade de óxidos de nitrogênio no ar
também diminuirá. O Japão e os Estados Unidos são os mais avançados
quanto a leis rigorosas que controlam o nível de emissões dos
escapamentos, Nos Estados Unidos, os motoristas podem ser parados, Los Angeles foi uma das
primeiras cidades a controlar a
seus escapamentos testados e, se os gases que saem do escapamento
poluição dos carros para
não estiverem suficientemente limpos, o motorista poderá ser impedido resolver os problemas com o
de continuar. Talvez a atitude positiva tomada pelos Estados Unidos e smog.
pelo Japão encorajem outros países a adotar controles mais severos sobre as fumaças emitidas pelos
escapamentos.
Salvando um lago sueco
"Nosso lago foi salvo pelos estudantes da cidade. Eles chegaram aqui para um trabalho de campo com
seu professor e ficaram sabendo que antigamente o lago apresentava muitas formas de vida. Depois,
tornou-se acidificado e muitas espécies estavam desaparecendo. As crianças queriam ajudar-nos a salvá-
lo; então, voltaram no inverno e nos ajudaram a espalhar 9 toneladas de cal sobre a superfície gelada do
lago. Naquele verão, quando eles retornaram, mediram a acidez e verificaram que ela havia diminuído,
passando o pH de 5,7 para 6,8. Eles trabalharam muito, mas pareciam divertir-se também e sentiram-se
orgulhosos com o resultado obtido. Não poderíamos tê-lo feito tão depressa sem eles."

Björn Hansen

GLOSSÁRIO

 Ácido: substância com um valor de pH menor que 7,0. É capaz de neutralizar uma base.
 Árvores decíduas: árvores típicas de regiões de clima temperado que costumam perder suas
folhas no outono.
 Atmosfera: a camada gasosa que circunda a Terra. Sem considerar o vapor d'água, é
constituída de nitrogênio (78%), oxigênio (21%), argônio (1%), e em quantidades muito
pequenas de dióxido de carbono, neônio, ozônio, hidrogênio, criptônio e poluentes. O vapor
d'água representa geralmente entre 1 e 4% da atmosfera.
 Base: substância capaz de neutralizar um ácido, Tem um valor de pH maior que 7,0.
 Calagem: aplicação de substâncias alcalinas, como calcário triturado, nos cursos d'água, lagos
ou no solo. Isso é feito para neutralizar os altos níveis de acidez.
 Combustíveis fósseis: combustíveis derivados de substâncias orgânicas, por exemplo carvão,
petróleo e gás natural.
 Coníferas: são vegetais comuns nas regiões de clima temperado e subártico, que não possuem
frutos, mas têm suas sementes dentro de pinhas. Suas folhas são finas e compridas como
agulhas. Abetos e pinheiros são dois exemplos.
 Convenção ou protocolo: acordo feito por um grupo de países para trabalharem em conjunto
por um objetivo comum.
 Conversor catalítico: dispositivo adaptado aos escapamentos dos veículos para remover grande
parte dos poluentes.
 Dessulfurizador: dispositivo acoplado às chaminés, que borrifa um líquido através dos gases
para remover poluentes como o dióxido de enxofre.
 Dióxido de enxofre: gás incolor, de cheiro muito forte, formado principalmente a partir da
queima de combustíveis fósseis.
 Ecossistema: comunidade de plantas e animais integrados ao ambiente no qual vivem,
formando um conjunto harmônico.
 Emissões: substâncias despejadas no ar pelas chaminés e escapamentos de veículos.
 Linhito: vegetação morta não totalmente comprimida para se tornar carvão. Trata-se de um
combustível fóssil no estágio intermediário entre a turfa e o carvão.
 Lixiviação: o processo pelo qual a água desloca minerais de uma camada do solo para outra, ou
para os rios.
 Material orgânico: matéria viva ou que já foi viva.
 Meio ambiente: aquilo que envolve uma planta ou animal, incluindo o ar, água, solo e tipos de
rochas.
 Metais pesados: metais como cádmio, alumínio e mercúrio, que são encontrados no solo e são
tóxicos para plantas e animais.
 Nações Unidas: organização internacional que reúne todos os países do mundo para discutir e
tentar resolver problemas mundiais.
 Neutralizar: ação de reduzir, por exemplo, o nível de acidez de uma substância, de modo que
não fique ácida nem alcalina, isto é, com pH 7,0.
 Organismo: qualquer animal ou planta capaz de manter-se vivo.
 Óxido de nitrogênio: gases formados principalmente a partir do nitrogênio da atmosfera,
quando combustíveis são queimados em temperatura elevada.
 Ozônio: composto com três átomos de oxigênio que pode prejudicar o crescimento das plantas,
irritar os olhos e o sistema respiratório. No entanto, o ozônio forma uma camada vital da
atmosfera, protegendo a Terra dos perigosos raios ultravioleta do Sol.
 pH: a unidade de medida da acidez.
 Poluentes: substâncias que podem danificar o ar, a água ou o solo quando neles liberados.
 Poluição: a presença de substâncias nocivas (poluentes) no meio ambiente.
 Precipitação: umidade que cai sobre a Terra sob forma de chuva, geada, neve ou neblina.
 Silvicultura: ciência que estuda as técnicas de exploração racional das florestas.
 Smog: mistura de neblina e fumaça carregada de poluentes.
 Tóxico: nocivo ou venenoso.
 Vento predominante: a direção em que o vento sopra com maior freqüência.