Vous êtes sur la page 1sur 28

MANUTENÇÃO

É toda e qualquer interferência em


máquinas, veículos e equipamentos que vise a sua
melhoria qualitativa e/ou quantitativa e o
prolongamento da sua vida útil.
MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO PREVENTIVA

PROGRAMAÇÃO E EXECUÇÃO DE SERVIÇOS NOS


EQUIPAMENTOS E MÁQUINAS, OBJETIVANDO A
REDUÇÃO DO DESGASTE
TIPOS DE MANUTENÇÃO

MANUTENÇAO CORRETIVA

CORRIGE FALHAS E SUBSTITUI PEÇAS


DESGASTADAS
MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE EMERGÊNCIA

INTERFERÊNCIA IMEDIATA NA OPERAÇÃO DA MÁQUINA,


DEVIDO A UMA QUEDA BRUSCA NA EFICIÊNCIA.
MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO PREDITIVA

SERVIÇOS EXECUTADOS EM FUNÇÃO DE DIVERSAS


INSPEÇÕES REALIZADAS, UTILIZANDO
INSTRUMENTOS ESPECIALIZADOS.
ÓLEOS LUBRIFICANTES

São fluidos utilizados na lubrificação dos


motores e no sistema de transmissão dos tratores.
Deve-se sempre utilizar o óleo lubrificante
recomendado pelo fabricante.
FUNÇÕES DOS ÓLEOS
LUBRIFICANTES
Impedir a passagem dos gases da câmara de combustão para o cárter

Realizar um resfriamento auxiliar do motor


Atuar como agente de limpeza

Diminuir o atrito entre as peças móveis

Reduzir o ruído entre as partes em funcionamento

Amortecer os choques e as cargas entre os mancais


TIPOS DE LUBRIFICANTES

Podemos dividir os lubrificantes em:

ÓLEOS MINERAIS

ÓLEOS SINTÉTICOS

GRAXAS
TIPOS DE LUBRIFICANTES

ÓLEOS MINERAIS

São obtidos da separação de componentes do petróleo,sendo


uma mistura de vários compostos.

ÓLEOS SINTÉTICOS

São lubrificantes “processados” em laboratório,


especialmente para oferecer características especiais de
viscosidade, resistência a temperaturas elevadas ou muito
baixas.
TIPOS DE LUBRIFICANTES

GRAXAS

As graxas são produtos semifluidos ou pastosos, que


podem ser aplicados como lubrificantes.
ADITIVOS

São produtos químicos que, adicionados aos óleos,


aumentam a eficiência dos mesmos .

Entre os aditivos mais empregados, destacam-se:

Dispersantes/Detergentes

Antiespumantes
Antiferrugem
Antioxidantes
VISCOSIDADE
É a resistência que um óleo impõe ao seu escoamento.

É o tempo em segundos, para que uma certa quantidade


de óleo, numa dada temperatura, escoe através de um
orifício de formato e dimensões padronizados.
TERMÔMETRO AQUECEDOR

BANHO ÓLEO
DE ÓLEO P/ TESTE

ORIFÍCIO

VISCOSÍMETRO
CLASSIFICAÇÃO SAE

Universal a Society of Automotives Engeneers (SAE)


elaborou uma classificação numérica dos óleos
lubrificantes conhecida como “SAE”. Quanto maior o
número mais alta é a viscosidade do óleo

CÁRTER TRANSMISSÃO

SAE 5W SAE 75
SAE 10W SAE 80
SAE 20W SAE 90
SAE 30 SAE 140
SAE 40 SAE 250
SAE 50
CLASSIFICAÇÃO API
Instituto Americano de Petróleo define as condições em
que o óleo deve ser usado.
Motores do ciclo Otto Motores do ciclo Diesel
AS - Serviços leves CS - Serviços leves
SB - Serviços médios
CB - Serviços médios
SC - Serviços pesados e intermitentes
CC - Serviços pesados
SD - Serviços pesados e contínuos
SE - Serviços muito pesados e CD - Serviços muito
velocidades elevadas e contínuas pesados
SF - Serviços extremamente pesados
em grandes velocidades
CLASSIFICAÇÃO DAS GRAXAS

A classificação das graxas normalmente aceita é a


NLGI (National Lubricating Grease Institute, dos Estados
Unidos). As graxas são classificadas de acordo com sua
consistência, nos seguintes graus: NLGI 000, 00, 0, 1, 2,
3, 4, 5 e 6
SELEÇÃO DE ÓLEOS LUBRIFICANTES
PERDAS NOS CONJUNTOS
SUSPENSÃO
Duração Normal.................................... 6.500 horas
Duração Média na Região ......................... 3.000 horas
Perda ............................................... 3.500 horas
Prejuízo ............................................ 54%
O QUE ESTRAGA?
Rolamentos, Buchas, Pinos e Mangas de Eixo.
COMO EVITAR PREJUÍZOS?
 Lubrificar a cada 10 horas de trabalho, conforme as recomendações do
manual do fabricante;
 Não transportar implementos no hidráulico sem os pesos dianteiros.
MOTOR

Duração Normal ................................... 12.000 horas


Duração Média na Região ......................... 7.000 horas
Perda ............................................... 6.000 horas
Prejuízo ............................................. 42%

O QUE ESTRAGA?
Por falta de lubrificação estragam bronzinas, virabrequim,
buchas do comando e eixo do comando.
Por defeitos no filtro de ar estragam pistões, anéis, camisas e
válvulas.
MOTOR
COMO EVITAR PREJUÍZOS?
 Fazer amaciamento do motor recomendado pelo manual do fabricante;
 Fazer as trocas de óleos e dos filtros conforme as instruções do manual;
 Fazer a limpeza no filtro de ar sempre q necessário;
 Verificar mangueiras e braçadeiras;
 Não deixar o trator funcionando em marcha lenta por muito tempo;
 De manhã, aquecer o motor em marcha lenta acelerada
(1200 RPM);
 Não usar implementos acima da capacidade do trator;
 Encher o tanque de combustível no final da tarde, depois do trabalho;
 Drenar a água diariamente que fica retida nos filtros de óleo diesel;
 Manter a bateria e sistema elétrico sempre funcionando.
EMBREAGEM
Duração Normal .................................... 4.000 horas
Duração Média na Região .......................... 1.500 horas
Perda ................................................ 2.500 horas
Prejuízo ............................................. 63%

O QUE ESTRAGA?
Disco de Embreagem, Platô e Rolamentos.
COMO EVITAR PREJUÍZOS?
 Não deixar o pé sobre o pedal da embreagem com o trator funcionando;
 Não deixar a embreagem ficar “Enforcada”, isto é, sem folga nenhuma;
 Quando arrancar com o trator arrastando algum implemento, não deixe a
embreagem ficar patinando;
 Sempre que terminar algum trabalho usando a tomada de força do trator, voltar
a embreagem para estágio simples.
CAIXA DE MARCHAS
Duração Normal.................................... 12.000 horas
Duração Média na Região ......................... 8.000 horas
Perda ............................................... 4.000 horas
Prejuízo ............................................. 44%

O QUE ESTRAGA?
Rolamentos e Engrenagens.
COMO EVITAR PREJUÍZOS?
 Fazer as trocas de óleo nos prazos recomendados pelo manual;
 Não dar trancos no trator durante o trabalho;
 Se a caixa não for sincronizada, jamais faça troca de marchas com trator
em movimento.
EIXO TRASEIRO
Duração Normal ................................... 20.000 horas
Duração Média na Região ........................ 15.000 horas
Perda ............................................... 5.000 horas
Prejuízo ............................................. 25%

O QUE ESTRAGA?
Rolamentos, Planetárias, Satélites, Coroa, Pinhão e Arruelas.
COMO EVITAR PREJUÍZOS?
 Trocar o óleo no prazo recomendado pelo manual;
 Fazer ajuste no conjunto do diferencial a cada 3.000 horas trabalhadas;
 Não dar trancos excessivos no trator.
HIDRÁULICO
Duração Normal .................................... 7.000 horas
Duração Média na Região .......................... 4.000 horas
Perda ................................................ 3.000 horas
Prejuízo .............................................. 43%

O QUE ESTRAGA?
Válvulas da Bomba Hidráulica, Êmbolos, Anéis, Cilindro e Buchas.
COMO EVITAR PREJUÍZOS?
 Fazer a troca de óleo no prazo recomendado pelo manual;
 No transporte de implementos usar o 3o ponto da viga C no furo
correspondente para transporte e andar em velocidade reduzida;
 Não usar guincho ou implementos que puxem a viga C para fora. O
guincho só deve ser acoplado nos furos da carcaça do trator.
FREIOS
Duração Normal .................................... 5.000 horas
Duração Média na Região .......................... 2.500 horas
Perda ................................................ 2.500 horas
Prejuízo ............................................. 50%

O QUE ESTRAGA?
Discos de Freios, Atuador e Placas
COMO EVITAR PREJUÍZOS?
 Trocar o óleo do Sistema no prazo recomendado pelo manual;
 Não utilizar implementos desregulados;
 Evitar excesso de peso nas carretas;
 Não trabalhar com os freios desregulados.
AS PERDAS NOS CONJUNTOS
Suspensão Dianteira ............................... 54 %
Motor ............................................... 42%
Embreagem ......................................... 63%
Transmissão ........................................ 44%
MÉDIA GERAL
Sistema Hidráulico ...........................
................................ 43 % 45,86%
Eixo Traseiro ...................................... 25%
Freios .............................................. 50 %
TRATOR NOVO

Não trabalhar por longos períodos em baixas rotações

Intercalar o uso em serviços leves e pesados

Executar rigorosamente os cuidados diários

Ao completar 100 horas de trabalho trocar filtros e óleos dos sistemas


MANUTENÇÃO PERIÓDICA
CUIDADOS DE 10 HORAS

CUIDADOS DE 50 HORAS

CUIDADOS DE 100 HORAS

CUIDADOS DE 200 HORAS

CUIDADOS DE 500 HORAS

CUIDADOS DE 750 HORAS

CUIDADOS DE 1000 HORAS


CALIBRAGEM CORRETA
DIMINUIÇÃO DE ATÉ 20 % NO CONSUMO DE COMBUSTÍVEL

ECONOMIA DE ATÉ 7,5 % NO TEMPO GASTO

DIMINUIÇÃO DE ATÉ 80 % NA COMPACTAÇÃO DO SOLO