Vous êtes sur la page 1sur 4

Contos de Fadas Sarnentas - Chapeuzinho Verde

Contos de Fadas Sarnentas - Chapeuzinho Verde Era uma vez, uma chapeuzinho verde, que ia visitar

Era uma vez, uma chapeuzinho verde, que ia visitar a vó, aí ela foi. No meio do caminho encontrou um lobo mal que saiu correndo atrás dela a milhão. A chapeuzinho saiu vazada, errou o caminho e chegou nas casas dos 3 porquinhos.

Os porquinhos já manjavam do lobo e sempre tinham umas espuletas caso o lobo aparecesse e de repente viram uma chapeuzinho verde vindo a milhão e um lobo atrás dela. Pegaram as espuletas e sentaram as balas nas costas daquele lobo sem vergonha.

Depois disso, os porcos e a chapéu pegaram o lobo, fizeram uma churrasqueira de bloco, daqueles bem vermelho sangue, e botaram o lobo pra assar. Foi uma churrascada do caramba, a chapéu ligou pra vó que chegou lá de carroça e todo mundo rangou o lobo.

Mau mau mau, cadê o lobo mau? E cantaram até de madrugada

The End

Contos de Fadas Sarnentas – Branca de Pus

Contos de Fadas Sarnentas – Branca de Pus Era uma vez uma Branca de Neve, se
Contos de Fadas Sarnentas – Branca de Pus Era uma vez uma Branca de Neve, se

Era uma vez uma Branca de Neve, se bem que não era tão branca como a neve, era meio amarelada também, lembrava pus de cachorro sarnento.

Melhor começar novamente. Era uma vez uma Branca de Pus que vivia com sua tia vó, uma velha feia do diabo que tinha um espelho que falava com ela, pois é, a velha era louca também. Vivia falando com o espelho se achando bonita e um dia encarnou com a Pus e teve vontade de matá-la, mas não ficou só com vontade não, foi lá, pegou a Pus, e deu várias chicotadas nela até ficar carne viva, e depois jogou água fervendo nela, para arder bem a ferida. A velha gostou disso e ficou insana e a tortura continuou até o final do dia, e a Branca de Pus morreu.

O problema da Pus, é que ela fedia bastante, ainda mais depois de estourada como ficou,

e aquele fedor, se espalhou pela casa inteira e vizinhança afora, e o povo da vila começou

a estranhar. Uns diziam que era carniça de bicho morto, outros falaram que era cheiro de gente doente com inflamações expostas e coisas do tipo. Reclamando ou não aquele cheiro desgraçado não sumia de jeito nenhum e o povo ficou nervoso e começou a cheirar em todo canto até encontrar de onde vinha a podridão.

Depois de algumas horas acharam a origem do fedozão que vinha da casa da velha descrita nos primeiros parágrafos. Foi uma galera pra casa da velha, mas o povo estava doente de raiva por causa daquele cheiro ruim do diabo e já chegaram na casa da velha quebrando tudo, porque diziam que um cheiro daquele tipo só poderia ser uma porta do inferno que tinha sido aberta, então o que é que tivesse dentro daquela casa, deveria ser dizimado.

Invadiram a casa quebrando o portão, arrebentando a porta até que encontraram a velha pelada rolando no pus da Pus. Ela tinha perdido completamente o controle e foi chamada de velha filha do satan! Consequentemente por ser filha de satan precisou ser queimada até os dentes, e como o povo da vila adorava fazer uma tostada de seres humanos, não deu outra, pegaram a velha ali mesmo, amarraram ela, pegaram várias tochas e tacaram fogo na casa inteira.

Foi a coisa mais linda aquele fogaréu, dali pra fente foi só churrascada pra comemorar, aí veio todo mundo pra festa, os 3 porquinhos, a chapeuzinho verde, os 7 anões, a gorda da cinderela e mais uma galera daquele povo desgraçado dos contos de fada. E foi aquela festança maravilhosa que ninguém nunca mais esqueceu.

Conto de Fadas Sarnentas - Boa noite Cinderela

esqueceu. Conto de Fadas Sarnentas - Boa noite Cinderela Cinderela era uma gorda preta pobre que

Cinderela era uma gorda preta pobre que trabalhava na casa de uns ricos enjoados pra caramba. Todo dia era humilhada por eles, levava tapa na cara, soco na barriga, puxada de orelha e torcida nos pneus.

Sofria, sofria e sofria. Sofria tanto que mal tinha tempo para trabalhar, mas precisava do dinheiro que conseguia ali.

Além da Cinderela gorda, tinha mais 3 empregadas que trabalhavam naquela casa, mas as outras 3 eram bem folgadas e davam tanto relaxo que sobrava sempre pra Cinderela, por que os donos viam os relaxos das 3, olhavam pra gorda, e desciam a bota nela, simplesmente porque isso dava prazer aos ricassos.

E um dia Cinderela chorou, era coisa feia de se ver, aquele monte de lágrimas escorrendo pela cara suja e balofa dava raiva em qualquer um. Porém Cinderela tinha uma fada madrinha que não sabia, e a fada apareceu e vendo Cinderela chorar, ficou muito indignada da vida e desceu a lenha na gordona até ela sangrar.

Cinderela não podia acreditar numa coisa daquelas, até a fada estava exculaxando com ela. E naquele dia, Cinderela amaldiçoou o mundo e sua existência. Ficou muito nervosona aquela gorda, e saiu descendo a burdu em todos daquela casa. Primeiro amarrou as 3 empregadas e pegou um cabo de vassoura e estourou os dentes delas todas, depois pegou os ricassos, e fez uma fogueira de dinheiro e assou eles. Depois de assar ainda fez um churrasco com a carne dos ricos e fez as empregradas desdentadas comerem.

A fada vendo tudo aquilo ficou assustada mas não escapou não. A gorda da Cinderela pegou a fada, vestiu ela com uma fantasia de lobo e ligou para os porcos (os amigos da Chapéu verde). O porcos vieram armados pra casa da Cinderela. Chegaram lá e metrancaram a fada, mas deixaram ela viva, queriam assar o "lobo" vivo num churrasco. Então começaram a assá-lo vivo e foram dilacerando e degustando, dilacerando e degustando, e aquela gritaria de dor não parava mais, e os porcos se divertiam, e a Cinderela saboreava o sangue da vingança. Que tempero era aquele! O sabor da vingaça dilacerado e cozido pelos porcos! Cinderela nunca se sentiu tão feliz.

Mas peraí

daquele jeito? Isso foi o que os porcos pensaram, e começaram a fucinhar no corpo assado do lobo, e perceberam que ali também havia um par de asas! Lobo com asas? Que merda era aquela? Pegaram as espuletas e enfiaram entre os pneus da barriga da Cinderela e começaram a questionar. A Cinderela se mijou toda e confessou tudo que havia feito. Os porcos ficaram irados por ela haver abusado de suas boas vontades como caçadores de lobos. Pegaram a Cinderela e chicotearam ela, aí quando ela se cansava de tanto apanhar, eles chicoteavam mais, onde já se viu botar uma fada para assar? Os porcos adoravam as fadas sarnentas, gostavam da depravação que elas viviam fazendo em casas de strip, eram conhecidas por todos da vizinhança que adoravam uma depravação. A Cinderela tinha que pagar por essa palhaçada toda, mesmo que a carne de fada fosse tão deliciosa, até mais que a do lobo, mas os porcos eram sangue no zóio, qualquer motivo que tivessem para arrumar encrenca não perdiam tempo, era quebra-pau sempre em todo lugar.

que porcaria de carne de lobo era aquela que estava macia e suculenta

No final das contas os porcos foram embora e deixaram a Cinderela lá toda estourada. Estava toda orgulhosa por ter se vingado, mas havia se estrepado novamente.

Moral da estória, quer ser vingativo coração peludo? Então toma na bunda mané!

E a Cinderala viveu infeliz para sempre