Vous êtes sur la page 1sur 2

Lupércia entra arrumando o lugar para o expediente.

Geraldo entra e
pergunta a Lupércia onde está o sobrinho, Alfredo. Lupércia responde que
ele foi buscar uma caixa de verduras especiais com a nova cozinheira.
Geraldo lembra que é dia de pagamento do aluguel, e que Molina, o dono do
prédio virá cobrar. Alfredo chega com Matilde, a nova cozinheira, segurando
uma caixa com ingredientes do tamanho de uma caixa de sapatos. Lupércia
a recebe, levando-a a cozinha, pegando a caixa de Alfredo e levando junto.
Alfredo tenta dizer ao tio que há algo estranho com a cozinheira.
Quando ele começa, o tio repreende, dizendo que ela não deveria ouvir as
reclamações, porque eles têm um contrato com ela de dois anos, mas se ela
pedir demissão, eles a perderiam, uma cozinheira de renome internacional.
Lupércia retorna e diz que Matilde a expulsou da cozinha, e não quer
ninguém lá dentro enquanto ela faz arte. Geraldo concorda, e diz que
melhor mesmo pois todos têm que trabalhar. Pede que Alfredo abra as
portas da cantina.
A seguir, Geraldo pede que Alfredo vá buscar o dinheiro em na casa
do casal. Alfredo parte.
Lupércia comenta com Geraldo que achou a cozinheira peculiar, e
questiona porque não podiam manter a anterior, e Geraldo lembra um fato
atroz dela. Matilde sai da cozinha e se senta numa das mesas. Lupércia olha
a ela, em dúvida, e olha a Geraldo. Matilde senta-se e fica relaxadamente
largada numa cadeira, nem notando o olhar curioso de Lupércia e a face de
surpresa de Geraldo. Geraldo ergue a sobrancelha esquerda. Então ele
pergunta se ela não julga adequado que ela aguarde os clientes dentro da
cozinha. Ela responde que se ela achasse, ela estaria lá. Contrariado,
Geraldo torce o rosto, e vira de costas.
Nesse momento, um casal entra e se acomoda numa mesa. Lupércia
providencia o menu ao dois e eles discutem em silêncio.
Na rua, Alfredo encontra Molina e pergunta se ele já se dirige à
cantina. Ele responde que primeiro passará em outros prédios ali da rua e
depois voltará, porque pretende jantar na cantina com a esposa.
Alfredo entra, entrega a caixa a Geraldo e conta a conversa com
Molina. Geraldo pede que Alfredo deixe a caixa com dinheiro perto da
outras lá dentro. Ele pegaria lá quando Molina pedisse.
Enquanto isso, o casal chama Lupércia e faz um pedido de alguma
coisa. Lupércia anota, e começa a anunciar alto o pedido do casal, como se
confirmasse o pedido, e falar bem da cozinheira, e outras coisas para
enrolar, e tentar fazer com que a cozinheira volte à cozinha. O casal
estranha, e Matilde não se toca.
Geraldo se dirige à rua para ver se Molina se aproxima. Cumprimenta
o homem com a esposa e os convida a entrar. Posiciona o casal numa mesa
e entrega o menu.
Lupércia entrega a Alfredo o pedido do casal e manda que ele
entregue a cozinheira. Lupércia vira sua atenção a Molina, e Alfredo vai até
a cozinheira sentada, entrega, e diz que pediram para entregar a ela. O
casal vê e faz cara de espanto.
Lupércia recebe o casal com um abraço e diz para ficarem a vontade.
Então ela pede a Geraldo, em particular, que fale a Matilde que ela precisa
ir trabalhar.
Geraldo se aproxima dela para conversar, e diz que há pedidos, então
que ela deveria ir preparar a comida. Ela diz que já sabe, e logo se dirigirá,
mas não deve-se apressar arte. Ela não pode trabalhar sob stress.
Molina chama Alfredo e faz um pedido de esfihas. Alfredo anota e
entrega a Matilde. Ela pede algo para comer e diz que é exigente, então o
cozinherio deve ser bom. Ele anota, estranhando, e diz que avisará a
cozinheira.
Alfredo vai até Geraldo e conta o ocorrido. Geraldo resolve se impor a
Matilde. Quando ele se aproxima de Matilde para pedi-la que vá trabalhar,
ela começa a falar coisas estranhas, levanta-se e diz que a inspiração
chegou. Todos observam em silêncio, estupefatos.
Molina chama Geraldo para conversar. Comentam sobre a cozinheira,
e entram no assunto do aluguel. Molina diz ter visto Alfredo com o direito, e
pede que peguem para que já possa contar. Geraldo pede que Lupércia
pegue o dinheiro. Alfredo diz que deixou na cozinha. Matilde não deixa
Lupércia entrar na cozinha, fazendo um escândalo sobre interromper a arte.
Geraldo vai até Molina e explica o ocorrido. Molina diz que está tudo
bem, e que provavelmente a comida deve ser boa então.
Geraldo então questiona Alfredo da razão dele ter deixado o dinheiro
na cozinha. Alfredo argumenta que deixou lá dentro, a única especificação
que lhe foi pedida.
Lupércia coloca-se perto da porta para ouvir o que se passa na
cozinha. Após alguns segundos encostada lá, Alfredo junta-se a ela. De
repente, a cabeça de Matilde surge pela janela onde se entrega a comida,
logo atrás dos dois, e pergunta o que eles faziam lá. Eles enrolam. Matilde
então entrega o primeiro pedido, do casal.
Geraldo leva o pedida, e diz que são os primeiros a experimentar a
comida dessa chef internacional que eles acabam de contratar, torcendo
para que adorassem, dado o contrato. O casal, porém, já estava cansado de
ouvir sobre a cozinheira.
Ao provar o pedido, o casal detecta algo muito estranho com a
comida, ao mesmo tempo em que a porta da cozinha se abre, e Matilde
chama Alfredo.
Matilde entrega o pedido de Molina a Alfredo e fica na porta
observando. Enquanto isso, Lupércia observa apreensiva a reação de
Molina, e Geraldo entra na cozinha para buscar o dinheiro.
Molina pega uma esfiha e dá uma mordida.
Geraldo chega na porta da cozinha e questiona com o que ela fez as
esfihas se os ingredientes selecionados trazidos ainda estavam na caixa. Ela
diz que usou as coisas estranhas que estavam dentro de uma das duas
caixas na cozinha.
Nessa hora, Molina morde a esfiha e vê que está recheada com
dinheiro picado.

Centres d'intérêt liés