Vous êtes sur la page 1sur 5

Onda luminosa

Para compreender o fenómeno da difracção é necessário considerar


dois elementos: o tamanho da fenda e o comprimento da onda. A difracção é
mais acentuada quanto maior for o comprimento de onda e quanto menor for o
tamanho da fenda pela qual ela vai passar. O comprimento de uma onda
sonora varia em média de 1,7 cm (som agudo) até 17m (som grave). Já o
comprimento de uma onda luminosa é muito pequeno quando comparada, por
exemplo, ao tamanho da entrada da sala.por isso, sua difracção também é
pequena. Nesse caso, haverá regiões de sombra, ou seja, áreas pelas quais a
onda luminosa não irá se propagar. Observe a figura abaixo.

O comprimento da onda luminosa varia de 0,4 X 10- 9m (luz violeta) até


- 9
0,7 X 10 m (luz vermelha). Ou seja, quando se lida com a luz, fala-se em
ondas realmente muito pequenas. Portanto, para se produzir a difracção da luz,
é necessário que as fendas sejam de tamanho comparável ao do comprimento
de uma onda luminosa, isto é, fendas de tamanho microscópico.

Em suma difracção é um fenómeno que ocorre com as ondas quando


elas passam por um orifício ou contornam um objecto cuja dimensão é da
mesma ordem de grandeza que o seu comprimento de onda.

O que é difracção? Para começar, imagine que você está perto da


entrada de uma sala onde duas pessoas se encontram conversando. Mesmo
sem vê-las, é possível escutar a conversa delas. Como isso acontece?
A entrada da sala pode ser considerada uma fenda por onde as ondas ou
vibrações sonoras irão passar.

Contudo, ao atravessar essa porta, as vibrações não irão ficar restritas à


área que está diante dela: o som também vai atingir as regiões que lhe são
adjacentes. É por isso que uma pessoa encostada na parede, no lado de fora
pode escutar a conversa.

É o que se pode ver na figura a seguir:


Considere o lado esquerdo da imagem como o interior da sala em
questão e o lado direito como o exterior dela. A entrada é a fenda por onde as
ondas estão passando. Note que as ondas sonoras não se espalham somente
diante da entrada, propagando-se também para os lados da parede. É
precisamente isso que se chama de difracção: a passagem de uma onda pela
borda de uma barreira ou através de uma abertura.

Interferência

Interferência é o fenômeno que ocorre quando duas ou mais ondas,


provenientes de fontes differentes, vibram no mesmo lugar. A figura é uma
reprodução de um desenho de Thomas Young, mostrando o que aconteceria
com duas fontes de ondas vibrando junto. Em determinadas direções as duas
duas ondas interferem construtivamente, e em outras direções destrutivamente.
Young mostrou que duas ondas esfericas de luz podem ser produzido por
duas aberturas numa tela muito pequenas.Observou as interferências num
anteparo atrás da tela, comprovando a natureza ondular da luz. Mas porque um
feixe de luz, quando é forçado atravessar uma abertura muito pequena, vira
uma onda esférica? Invocar o princípio de Huygens (a frente de onda é o
resultado da interferência de ondinhas esféricas hipotéticas) não é muito
satisfatório, porque luz não gera luz. Só cargas elétricas aceleradas geram luz.
A interferência é o fenómeno que sobrepõe ondas numa mesma região
do espaço. Como resultado desta superposição de campos, ocorrem variações
espaciais na intensidade resultante. Estas variações de intensidade são
chamadas de franjas de interferência. Embora a interferência seja um
fenómeno inerente ao carácter ondulatório da luz, no dia-a-dia não é muito
comum a observação de interferência. Por exemplo quando iluminamos uma
sala com diversas lâmpadas não observamos franjas de interferência. Isto
acontece porque as fontes de iluminação que utilizamos rotineiramente são
incoerentes.