Vous êtes sur la page 1sur 7

CONCURSO PÚBLICO – 2002

PROVA

PROFESSOR I – EDUCAÇÃO FÍSICA

INSTRUÇÕES

1. Você receberá do fiscal o material descrito abaixo:

a) uma folha destinada às respostas das questões formuladas na prova;

b) este caderno com o enunciado das 40 questões, sem repetição ou falha,


tendo no título o nome do cargo ao qual você concorre.

2. Verifique se o material está em ordem, se seu nome e seu número de inscrição


são os que aparecem na Folha de Respostas; caso contrário, notifique
imediatamente o fiscal.

3. Ao receber a Folha de Respostas, é obrigação do candidato:

a) conferir seu nome e número de inscrição;

b) ler atentamente as instruções no verso da Folha de Respostas;

c) assinar o verso da Folha de Respostas.

4. As questões são identificadas pelo número que se situa acima do seu


enunciado.

5. Reserve os 20 (vinte) minutos finais para marcar a Folha de Respostas.

6. O rascunho no Caderno de Questões não será levado em consideração.

7. Quando terminar, entregue a Folha de Respostas ao fiscal.

8. O tempo disponível para esta prova será de 3 (três) horas.


evolução verdadeira. Um ser humano não muda e evolui sem que
PORTUGUÊS colabore com isto. Ninguém muda de fora para dentro. É
necessário que alguém tome consciência do seu estado, convença-
A Perigosa Ligação Entre Cultura e Prepotência -se da necessidade de mudança e − pode ser que com a ajuda de
80
O fenômeno é bastante conhecido: certos países, com uma outros − empreenda-a. Nessas condições, uma mudança tem
forte produção literária e artística, tendem a exportar as suas obras; sentido. Se um homem, porém, é forçado a agir diferentemente, se
outros, de produção mais escassa, tendem a consumir obras de uma força exterior o dobra, que houve na verdade?
fora. Diz Robert Escarpit que “mais vale uma literatura medíocre Desaparecendo a pressão, o indivíduo traz consigo os mesmos
5 capaz de dialogar com o seu povo que uma ‘boa’ literatura surda à 85 vícios.
voz daqueles a quem fala e dos quais ela deve ser a expressão”. O Com os povos não é diferente. Necessário que os povos
mesmo autor, entretanto, adverte: “Se não se tomam precauções adquiram um consciência nova, que tomem consciência do que
para manter sistematicamente ligações com o estrangeiro, devem- lhes é nocivo, e, de dentro para fora, empreendam suas mudanças.
-se temer as conseqüências da consangüinidade cultural.” E dá
Isto, é evidente, não se faz da noite para o dia. Não será,
10 como exemplo desta última tendência a Inglaterra, com uma
90 sequer, o trabalho de uma só geração. Todos esses fenômenos
grande produção autônoma, mas pouco aberta às contribuições
são árduos e lentos, com idas e vindas, com avanços e recuos.
vindas de outros centros, o que induz à mencionada
Assim pensamos nós, que reverenciamos a cultura. Difere, nosso
“consangüinidade cultural”, expressão aliás muito feliz.
pensamento, do que julgam os indivíduos penetrados da noção de
Robert Escarpit (autor estrangeiro, aqui invocado para autoridade. Estes, adeptos da força, estão convencidos de que,
15 discutirmos um problema cultural brasileiro) não fala por falar. 95 obrigando ou proibindo, mudam tudo: tanto os indivíduos como os
Trata-se de um dos maiores estudiosos, no mundo, dos problemas países.
do livro. Das citações acima, depreendemos que um país deve
Ora, espanta e faz medo que as pessoas ligadas à cultura e
estimular e valorizar a sua literatura (e, naturalmente, todas as
das quais, por isso mesmo, esperamos, diante de assuntos
suas expressões artísticas, como a música, por exemplo); mas que
culturais, uma atitude cultural, venham engrossando as águas de
20 deve estar aberto às obras vindas de fora. Tanto o ilhamento na
100 correntes não culturais com os seus pronunciamentos e atitudes.
própria cultura como o servilismo a culturas alienígenas redundam
Como se fossem portadoras de autoridade, e não portadoras de
em empobrecimento.
cultura. (...)
Qual o desejável, então? Certo equilíbrio entre a contribuição
Nossa cultura ressente-se de várias enfermidades e devemos
local e a recebida de fora; certo discernimento na escolha (na
lutar contra elas. Mas lutar através do debate, da discussão, de
25 escolha, digamos, dos livros a editar ou das músicas a gravar). Tal
105 uma tomada de consciência, de uma mudança interior, lenta, mas
não acontece aqui, e em certos campos, como no dos enlatados de
viva e sã. Culturalmente afinal e, tanto quanto possível, livremente.
TV, a invasão é verdadeiramente arrasadora. O brasileiro, hoje,
Nunca mediante o dirigismo, o autoritarismo, a repressão.
nasce e cresce recebendo pela televisão mensagens de segunda
(Osman Lins. Do ideal e da glória; problemas inculturais brasileiros,1977.)
ordem, vindas principalmente dos Estados Unidos, todas − o que é
30 pior − infiltradas de uma publicidade disfarçada (ou ostensiva) 1
sobre aquele país. Assinale a afirmativa que NÃO está de acordo com a ideologia
Conclui-se, sem esforço e sem exagero, que, no Brasil, manifestada pelo autor do texto.
registram-se as duas falhas apontadas: a) há um excesso na (A) O Brasil se ressente de uma política cultural sedimentada no
importação de produtos culturais; b) falta discernimento na escolha, debate de idéias.
35 havendo uma preferência clara, da parte dos empresários e, em
(B) O nosso país carece de uma legislação competente que
conseqüência, da parte do consumidor − na TV, nos livros, na
preserve e valorize todas as suas expressões culturais.
música − por coisas de nível inferior, pelo lixo cultural da época.
(C) A cultura brasileira em geral falece de melhor distribuição entre
Tudo isso é verdade, e é nocivo, precisando ser discutido e a contribuição alienígena e a produção nacional.
combatido, tendo em vista alterar para melhor um quadro tão mau.
40 Discutido e combatido, eu disse. Não disse: proibido. Não disse: “É (D) Uma política cultural, assentada nos próprios valores culturais,
preciso que o governo corrija isto.” Não disse: “Que venha uma lei deve manter-se aberta às manifestações universais.
para sanear nossa cultura.” Não disse: “Deve-se taxar mais alto o (E) As mudanças culturais consistentes devem assentar-se num
produto estrangeiro.” Não penso em qualquer medida repressiva, processo de conscientização da sociedade.
vinda do alto, para resolver com uma penada problemas culturais,
45 sempre altamente complexos.
2
O texto se estrutura através de várias oposições. Assinale a
Estas notas vêm a propósito de um fenômeno que,
alternativa cujas expressões NÃO traduzem uma oposição na
ultimamente, toma corpo no Brasil. Sob a alegação de que a nossa
construção do sentido do texto.
cultura está ameaçada, há uma tendência oficial, já concretizada
em atos e órgãos, no sentido de purificá-la, de nacionalizá-la. Ora, (A) produção autônoma X produto estrangeiro
50 se acho que realmente há uma proliferação de produtos culturais (B) consangüinidade cultural X culturas alienígenas
ordinários importados, altamente perniciosa, não acho que ela (C) servilismo X empobrecimento
possa ser debelada ou enfrentada com simples proibições ou (D) de dentro para fora X autoritarismo
obrigatoriedades. Isto seria considerar de um ponto de vista
(E) ilha cultural X importação de produtos culturais
administrativo um problema cultural. Escolho, entretanto − e a
55 posição me parece não apenas correta, mas lógica −, considerar os 3
problemas culturais de um ponto de vista cultural. No enunciado “(é) perfeitamente possível taxar de tal modo o disco
Quer dizer: a integridade cultural de um povo faz-se através e o livro estrangeiro que eles se tornem inacessíveis” (L.63-64), há
das idéias. As mudanças culturais duráveis se fazem através do uma relação causa/conseqüência. Variando a estrutura do
debate, do confronto de opiniões. É perfeitamente possível, por enunciado, assinale a alternativa em que tal relação NÃO ocorre.
60 exemplo, de um dia para o outro, só se permitir a publicação, no (A) Como é perfeitamente possível taxar o disco e o livro
país, de livros brasileiros; é perfeitamente possível interditar estrangeiro, eles acabarão tornando-se inacessíveis.
totalmente a emissão, pelas estações de rádio, de música
estrangeira; perfeitamente possível taxar de tal modo o disco e o (B) Em vista de ser perfeitamente possível taxar o disco e o livro
livro estrangeiro que eles se tornem inacessíveis; perfeitamente estrangeiro, eles acabarão tornando-se inacessíveis.
65 viável impedir que as emissoras de TV introduzam os enlatados (C) A causa de o disco e o livro estrangeiro virem a ser
nas suas programações. Sim, não é impraticável, em nome da inacessíveis é a possibilidade de serem perfeitamente taxados.
nossa integridade como povo, das nossas tradições e mesmo sob (D) Com a possibilidade de taxação do disco e do livro estrangeiro,
a alegação de combater o uso de drogas psicotrópicas − como o eles acabarão tornando-se inacessíveis.
fez, pela imprensa, o compositor e maestro Marlos Nobre, para (E) Conquanto seja possível taxar o disco e o livro estrangeiro,
70 quem a música estrangeira (conclusão estranha!) induziria a eles acabarão tornando-se inacessíveis.
juventude brasileira ao consumo de entorpecentes −, transformar o
país numa ilha cultural. Mas, em primeiro lugar, tal insulamento não
seria de modo algum fecundo e desejável. Em segundo lugar, qual
o valor de tais medidas, se não repousam verdadeiramente num
75 processo de amadurecimento? Cessado o freio, voltaríamos, na
melhor das hipóteses, à mesma situação de antes, sem qualquer

2
4 10
Assinale a alternativa em que NÃO se justifica adequadamente o Assinale a alternativa em que ocorre uma forma verbal que NÃO foi
sentido do tempo verbal em construções ocorrentes no texto. empregada de acordo com a norma culta da língua.
(A) “a invasão é verdadeiramente arrasadora.” (L.27) − o presente (A) Ele interveio nos debates entre cultura e prepotência.
empregado para expressar uma ação habitual. (B) Se ele se contradizer nos debates, será frustrante.
(B) “Discutido e combatido, eu disse.” (L.40) − o pretérito perfeito (C) Se ele se mantiver calmo nos debates, seus argumentos
empregado para se reportar a uma ação já realizada. prevalecerão.
(C) “Que venha uma lei para sanear nossa cultura.” (L.41-42) − o (D) Se eles se expuserem nos debates, o conflito de idéias será
presente do subjuntivo empregado para exprimir a vontade do instigante.
falante. (E) Ele reviu seus apontamentos antes dos debates.
(D) “Ninguém muda de fora para dentro.” (L.78) − o presente
empregado para traduzir uma ação permanente, à maneira de CONHECIMENTOS PEDAGÓGICOS
um dogma.
(E) “Não será, sequer, o trabalho de uma só geração.” (L.89-90) − 11
o futuro empregado para manifestar a expressão de uma Leia atentamente o trecho a seguir, no qual Paulo Freire descreve
possibilidade. a “educação bancária”:
“Falar da realidade como algo parado, estático, compartimentado e
5 bem-comportado, quando não falar ou dissertar sobre algo
Assinale a alternativa em que NÃO ocorrem termos coordenados completamente alheio à experiência existencial dos educandos
entre si. vem sendo, realmente, a suprema inquietação desta educação. A
(A) “Certo equilíbrio entre a contribuição local e a recebida de sua irrefreada ânsia. Nela, o educador aparece como seu
fora...” (L.23-24) indiscutível agente, como o seu real sujeito, cuja tarefa indeclinável
(B) “...mensagens (...) infiltradas de uma publicidade disfarçada (ou é “encher” os educandos dos conteúdos de sua narração.
ostensiva) sobre aquele país.” (L.28-31) Conteúdos que são retalhos da realidade desconectados da
(C) “...uma preferência clara (...) por coisas de nível inferior, pelo totalidade em que se engendram e em cuja visão ganham
lixo cultural da época.” (L.35-37) significação.”
(Freire, 1987)
(D) “Não penso em qualquer medida repressiva, vinda do alto...”
A partir deste trecho, podemos concluir que, segundo o autor:
(L.43-44)
(A) conteúdos descontextualizados favorecem uma educação
(E) “Nunca mediante o dirigismo, o autoritarismo, a repressão.”
libertadora.
(L.107)
(B) conteúdos contextualizados desfavorecem uma educação
6 dialógica.
No texto, o autor emprega a preposição sob em “Sob a alegação (C) conteúdos descontextualizados favorecem uma educação
de que a nossa cultura está ameaçada...” (L.47-48). Assinale a opressora.
construção em que esta preposição está INCORRETAMENTE (D) conteúdos contextualizados favorecem uma educação
utilizada, no lugar de sobre. antilibertadora.
(A) O papel da inteligência, sob este aspecto, é decisivo. (E) conteúdos descontextualizados desfavorecem a educação
(B) Pus-me sob o jato da ducha. antidialógica.
(C) A situação está sob controle.
12
(D) É nome que aparece sob várias grafias.
Uma teoria educacional se constrói a partir de uma concepção do
(E) Ele também passou a ficar sob a mira do chefe. mundo, do ser humano e dos processos educacionais. As teorias
7 educacionais se efetivam como práticas pedagógicas que revelam
os seus princípios gerais e seus temas de interesse. Assinale a
Assinale a palavra cujo sufixo NÃO tem o mesmo valor significativo alternativa na qual todos os itens correspondem
que o de preferência. predominantemente às teorias e práticas pedagógicas tradicionais.
(A) lembrança (B) tolerância (A) Metodologia, gênero, raça, representação social e cultura.
(C) traição (D) firmamento (B) Didática, planejamento, poder, ideologia e classe social.
(E) repressão (C) Didática, ensino, avaliação, aprendizagem e multiculturalismo.
8 (D) Metodologia, conteúdos, ensino, avaliação e planejamento.
Assinale a alternativa em que o emprego da forma verbal NÃO está (E) Planejamento, avaliação, ensino, alteridade e diferença.
de acordo com a norma culta.
13
(A) Boa parte dos produtos culturais é de baixa qualidade.
“A educação para a cidadania requer que questões sociais sejam
(B) Os Estados Unidos exportam filmes de segundo grau.
apresentadas para a aprendizagem e a reflexão dos alunos,
(C) Dez anos é pouco na história cultural. buscando um tratamento didático que contemple sua complexidade
(D) O mais são produtos culturais de nível inferior. e sua dinâmica, dando-lhes a mesma importância das áreas
(E) Qual das mudanças culturais se processaram? convencionais. Com isso o currículo ganha em flexibilidade e
abertura, uma vez que os temas podem ser priorizados e
9 contextualizados de acordo com as diferentes realidades locais e
Assinale a alternativa em que o emprego da forma verbal NÃO está regionais e que novos temas sempre podem ser incluídos.”
de acordo com a interpretação a ser dada aos elementos (MEC, 1998)
relacionados por uma conjunção nas frases abaixo. O trecho dos Parâmetros Curriculares Nacionais apresentado
(A) A literatura, bem como qualquer manifestação cultural, acima justifica um trabalho pedagógico nos terceiro e quarto ciclos
precisam ser valorizadas. na perspectiva:
(B) A prepotência ou o servilismo deve prevalecer? (A) do multiculturalismo crítico.
(C) Uma ou outra autoridade ostentava seu poder. (B) dos temas transversais.
(D) O isolamento ou o servilismo cultural ao estrangeiro são (C) da justaposição disciplinar.
nocivos. (D) dos conteúdos hierarquizados.
(E) O livro como a música carecem de incentivo. (E) da transposição didática.

3
14 17
Antes mundo era pequeno Cipriano Luckesi define a “avaliação da aprendizagem como um
Porque Terra era grande ato amoroso”, por considerar que é um ato:
Hoje mundo é muito grande (A) inclusivo, acolhedor e integrativo.
Porque Terra é pequena (B) inclusivo, ativo e seletivo.
(C) exclusivo, passivo e seletivo.
Do tamanho da antena parabolicamará
(D) exclusivo, disciplinador e integrativo.
Ê, volta do mundo, camará
(E) diagnóstico, inclusivo e seletivo.
Ê-ê, mundo dá volta, camará
Antes longe era distante 18
Perto, só quando dava Leia as manchetes a seguir:
Quando muito, ali defronte Repetência zero em busca da nota 10
E o horizonte acabava Escolas da prefeitura devem adotar a aprovação automática
na 1ª série para reduzir evasão.
Hoje lá trás dos montes, den de casa, camará
(O Globo, janeiro/1999)
Ê, volta do mundo, camará
Censo mostra que repetência cresceu no Rio
Ê-ê, mundo dá volta, camará
Segundo o MEC, estado foi o único do país em que aumentou
Imagine que o trecho da música “Parabolicamará”, de Gilberto Gil,
o número de alunos que não passam de ano.
tenha sido utilizado, em diversas disciplinas de uma mesma turma,
(O Globo, junho/2001)
para trabalhar o conceito de globalização. Esse processo tem um
grande poder estruturador, pois os conceitos, contextos teóricos e Vergonha Nacional
procedimentos, dentre outros, enfrentados pelos educandos A repetência é o maior problema da educação brasileira, mas
organizam-se em unidades mais globais, com estruturas parece que pouco se faz para combatê-la.
conceituais e metodológicas compartilhadas pelas diversas (Nova Escola, novembro/2000)
disciplinas. A esse processo chamamos: As manchetes se referem ao grave problema da reprovação
(A) avaliação mediadora. (B) disciplinaridade cruzada. existente no sistema público de ensino. Existem diversas
(C) multidisciplinaridade. (D) interdisciplinaridade. experiências em curso no país com o objetivo de eliminar as altas
(E) metodologia aplicada. taxas de repetência e conseqüente evasão dos estudantes das
escolas públicas. Para Esteban e Afonso, a busca da objetividade
15 na avaliação acaba por desconsiderar o processo de aprendizagem
Em relação à verificação da aprendizagem dos estudantes, a dos estudantes. Esses autores justificam uma avaliação mais
Lei 9394/96 afirma que, para os casos de baixo rendimento subjetiva e, às vezes, até intuitiva, sem por isso deixar de ser
escolar, os estudos de recuperação devem ser: legítima. Referem-se a uma prática de avaliação mais coerente
com uma escola e uma sociedade mais democráticas, portanto, a
(A) obrigatórios e somente ao final de cada ano letivo. uma avaliação:
(B) obrigatórios e, preferencialmente, paralelos ao período letivo. (A) somativa. (B) normativa.
(C) facultativos e paralelos ao período letivo. (C) formativa. (D) quantitativa.
(D) facultativos e ao final de cada semestre. (E) generalista.
(E) obrigatórios e ao final de cada trimestre. 19
16 O educador espanhol Fernando Hernández sugere a organização
O modo de o professor trabalhar os conteúdos em sala de aula do currículo por projetos de trabalho. Pensando no currículo de
espelha a visão que ele tem da função social da escola. Zabala nos uma escola, os projetos de trabalho são uma forma de organizar os
dá um exemplo de como um mesmo conteúdo (O Islã, sua conhecimentos escolares. A proposta que inspira os projetos de
evolução e influência no mundo atual) pode ser trabalhado de trabalho está vinculada à perspectiva do conhecimento:
forma distinta por dois professores de uma mesma escola. (A) disciplinar e relacional. (B) acadêmico e disciplinar.
“Alba inicia o tema propondo aos seus alunos a leitura das (C) globalizado e disciplinar. (D) interdisciplinar e acadêmico.
manchetes de vários artigos jornalísticos atuais em que aparecem (E) globalizado e relacional.
situações relacionadas com o islamismo. Após essa leitura, a
professora começa a distribuir dois breves artigos entre os grupos 20
fixos em que a classe está organizada, para que façam um A autora Sandra Corazza defende o planejamento justificando que
comentário que lhes permita realizar um debate. Por sua vez, Borja a ação pedagógica é uma forma de política cultural que deve ser
começa com uma exposição de vários dos acontecimentos que planejada, posto que tal ação é uma intervenção intencional. Para
hoje em dia têm o islamismo como denominador comum. Após a ela, é importante planejar para poder se contrapor ao currículo
apresentação da situação atual, enumera os aspectos-chave dos oficial e ao discurso único; para atuar de forma contra-hegemônica;
diversos conflitos enquanto os registra na lousa.” para colocar nossos planos em suspeição; para realizar uma
Ambos os professores trabalham com compromisso e seriedade. prática reflexiva. A partir dessa perspectiva, o planejamento passa
Ambos acreditam que estão fazendo o melhor para seus a ser visto como:
estudantes. No entanto, possivelmente, têm visões distintas de (A) um registro prévio das intenções que ajudará numa prática
qual seja a função da educação escolar na sociedade e de como reflexiva.
as pessoas realizam aprendizagens. (B) um recurso técnico a ser aprendido nas aulas de didática.
Marque o binômio que melhor se adequar às situações de aula (C) um modelo a ser seguido a partir do plano político-pedagógico
descritas acima. da escola.
(A) Alba considera os conhecimentos prévios de seus estudantes, (D) uma lista de objetivos a serem enumerados pelo professor.
e Borja considera conteúdos relativos a atitudes e
(E) uma necessidade de ordem burocrática para economizar
procedimentos.
tempo e recursos.
(B) Alba trabalha numa perspectiva construtivista, e Borja trabalha
numa perspectiva sociointeracionista.
(C) Alba valoriza apenas conteúdos relativos a atitudes e
procedimentos, e Borja considera conteúdos relativos a valores
e atitudes.
(D) Alba trabalha numa perspectiva sociointeracionista, e Borja
valoriza conteúdos factuais e conceituais.
(E) Alba enfatiza os conteúdos relativos às atitudes, e Borja
incorpora à sua prática o conceito de aprendizagem
significativa.

4
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 26
A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera que saúde é “o
21 estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas
O jogo, pelo seu conteúdo sociopedagógico, é um recurso a ausência de doenças”. Dois dos principais problemas de saúde
metodológico capaz de propiciar uma aprendizagem espontânea e no momento são:
natural. Concorre para a descoberta e minimiza a atmosfera (A) a violência e a poluição ambiental.
predominantemente artificial e tecnicista que impera nos meios (B) as doenças cardiovasculares e a violência.
educacionais. Prioritariamente, o jogo deve estimular:
(C) as doenças cardiovasculares e a obesidade.
(A) a reprodução de padrões sociais divulgados na mídia, a
(D) a violência e a obesidade.
sociabilização e socialização.
(E) o estresse e o tabagismo.
(B) a função cardiopneumovascular e as fontes energéticas
aeróbia e anaeróbia. 27
(C) as habilidades motoras, o equilíbrio psicológico e a reprodução A concepção de cultura corporal amplia a contribuição da
de padrões sociais divulgados na mídia. Educação Física para o pleno exercício da cidadania, na medida
(D) a crítica, a criatividade, a sociabilização e a socialização. em que, tomando seus conteúdos e as capacidades que se
(E) o sistema cardiopneumovascular e as fontes energéticas propõem a desenvolver como produtos socioculturais, afirma como
aeróbia e anaeróbia. direito de todos o acesso a eles. Além disso, adota uma
22 perspectiva metodológica de ensino e aprendizagem que busca o
desenvolvimento:
Os Parâmetros Curriculares Nacionais preconizam que os alunos
(A) da destreza, a cooperação, a participação social e a auto-
sejam capazes de reconhecer, mediante a percepção do próprio
-afirmação de valores e princípios morais.
corpo, as alterações corporais provocadas pelo esforço físico, tais
(B) da autonomia, a cooperação, a participação social e a
como:
afirmação de valores e princípios democráticos.
(A) excesso de excitação, estresse e arritmia cardíaca, efetuando
(C) da autonomia, a cooperação, a participação social e a
um controle ergométrico periódico.
afirmação de valores e princípios morais.
(B) excesso de excitação, cansaço e elevação de batimentos
(D) das habilidades desportivas, a cooperação, a participação em
cardíacos, efetuando um controle dessas sensações de forma
equipe e a afirmação de valores e princípios democráticos.
autônoma e com o auxílio do professor.
(E) das habilidades desportivas, a cooperação, a participação em
(C) excesso de sudorese, fadiga muscular, taquicardia e bradicardia,
equipe e a auto-afirmação de valores e princípios morais.
efetuando um controle dessas sensações de forma eficiente.
(D) estresse, fadiga muscular, taquicardia e bradicardia, efetuando 28
um controle ergométrico periódico. Um dos critérios de avaliação de Educação Física preconizados
(E) estresse, fadiga muscular, taquicardia e bradicardia, efetuando pelos Parâmetros Curriculares Nacionais sugere que o aluno deve
um controle dessas sensações por meio de controle enfrentar:
ergométrico periódico. (A) desafios colocados em situações reais, respeitando as regras
23 difundidas pela mídia e adotando uma postura cooperativa a
esse apelo.
Na perspectiva da reflexão sobre a cultura corporal, a dinâmica
(B) desafios colocados em situações de jogos e competições,
curricular, no âmbito da Educação Física, busca desenvolver uma
respeitando as regras e adotando uma postura cooperativa.
reflexão pedagógica sobre:
(A) o acervo de formas de representação do mundo que o homem (C) situações reais da vida competitiva, reproduzidas nos jogos e
competições, respeitando as regras difundidas pela mídia e
tem produzido no decorrer da história olímpica, exteriorizadas
adotando uma postura cooperativa a esse apelo.
pela expressão corporal nos Jogos Olímpicos.
(B) a história dos grandes atletas nacionais e internacionais, que (D) um trabalho de sobrecarga fundamentado na realidade da vida
encantaram e encantam o mundo com seus desempenhos, competitiva, respeitando as individualidades biológicas.
exteriorizados pela expressão corporal. (E) um trabalho de sobrecarga fundamentado na realidade da vida,
(C) a história das grandes conquistas do ser humano, reproduzidas nos jogos e competições, respeitando as regras
especialmente nos âmbitos esportivo e militar, que difundidas pela mídia e adotando uma postura cooperativa a
transformaram o mundo pela ação corporal auxiliada pela esse apelo.
tecnologia. 29
(D) o imaginário popular e suas formas de representação do A posição equivocada que considera a Educação Física como
mundo ao longo da história do ser humano sobre a Terra, sinônimo de esporte induz a concebê-la, essencialmente, como
exteriorizadas pela sua performance corporal. competição, e faz do recorde o seu objetivo fundamental. A
(E) o acervo de formas de representação do mundo que o homem Educação Física escolar deve dar oportunidade a todos os alunos
tem produzido no decorrer da história, exteriorizadas pela para o desenvolvimento de suas potencialidades:
expressão corporal. (A) de forma democrática e seletiva, visando ao seu
24 aprimoramento atlético.
Na perspectiva dos autores do livro “Metodologia do Ensino de (B) aeróbias e anaeróbias de forma não-seletiva, visando ao
Educação Física”, a Educação Física é compreendida como aprimoramento das fontes energéticas.
disciplina do currículo que tem como: (C) aeróbias e anaeróbias de forma seletiva, visando ao
(A) objeto de estudo a aptidão física. aprimoramento das fontes energéticas.
(B) objeto de estudo o fisioculturismo. (D) anatomofisiológicas de forma seletiva, visando ao seu
(C) objetivo o estudo biopsicossocial direcionado para a aprimoramento para a vida em sociedade.
performance humana. (E) de forma democrática e não-seletiva, visando ao seu
(D) objeto de estudo a expressão corporal como linguagem. aprimoramento como seres humanos.
(E) objetivo do estudo os aspectos afetivo, cognitivo e psicomotor 30
do ser humano. Os sistemas de ensino assegurarão aos educandos com
25 necessidades especiais:
Ao elaborar objetivos do ensino, o professor de Educação Física (A) currículos, métodos, técnicas, salário-educação e escolas
escolar deve seguir as recomendações técnicas descrevendo: adaptadas para atender com exclusividade essa clientela.
(A) a conduta inicial determinada, as condições biopsicossociais e (B) currículos, métodos, técnicas, recursos educativos e escolas
o padrão ideal de execução. adaptadas para atender com exclusividade essa clientela.
(B) o desempenho inicial predeterminado, as condições de (C) currículos, recursos educativos e escolas adaptadas para
realização e o padrão máximo de rendimento. atender preferencialmente essa clientela.
(C) o desempenho inicial determinado, as condições biopsicos- (D) currículos, métodos, técnicas, organização e recursos
sociais e o padrão ideal de execução. educativos específicos para atender às suas necessidades.
(D) a conduta inicial predeterminada, as condições de realização e (E) currículos, métodos, salário-educação e escolas adaptadas
o padrão ideal de execução. para, preferencialmente, atender com exclusividade essa
(E) a conduta final observável, as condições de realização e o clientela.
padrão mínimo de rendimento.

5
31 36
Durante um período de três anos, foram relatadas sete mortes por Um fator de risco que tem sido identificado com os ataques cardíacos
intermação (ou insolação) entre jogadores de futebol americano de é a inatividade física, ou vida sedentária. Os três grandes fatores de
escolas secundárias, e cinco entre jogadores universitários. Os risco são:
distúrbios térmicos nas atividades físicas podem ser muito (A) idade, hereditariedade e obesidade.
reduzidos através de: (B) fumo (tabagismo), pressão arterial alta e altos níveis
(A) boa reposição de água e eletrólitos, não-realização de sangüíneos de colesterol.
atividades físicas sob o sol e conhecimento das limitações (C) estresse, hereditariedade e obesidade.
orgânicas dos alunos. (D) idade, pressão arterial alta e hereditariedade.
(B) ingesta hídrica satisfatória, não-realização de atividades físicas (E) estresse, altos níveis sangüíneos de colesterol e sexo.
sob o sol e conhecimento das limitações impostas pela 37
combinação de exercícios, vestuário e calor ambiental. Os Jogos Olímpicos, a Copa do Mundo e outros eventos esportivos
(C) ingesta hídrica satisfatória, aclimatação ao calor e são vistos e discutidos por um grande número de apreciadores e
conhecimento das limitações orgânicas dos alunos. torcedores. Considera-se esporte:
(D) dieta hídrica balanceada, exposição controlada ao sol e (A) as práticas, em que são adotadas regras de caráter oficial e
conhecimento das limitações orgânicas dos alunos. competitivo, organizadas em federações regionais, nacionais e
(E) boa reposição de água e eletrólitos, aclimatação ao calor e internacionais que regulamentam a atuação amadora e a
conhecimento das limitações impostas pela combinação de profissional.
exercício, vestuário e calor ambiental. (B) os jogos, em que são adotadas regras de caráter competitivo,
organizados em confederações que regulamentam a atuação
32 profissional.
Um dos objetivos preconizados pelos Parâmetros Curriculares (C) as práticas, em que são adotadas regras de caráter oficial e
Nacionais sugere que os alunos sejam capazes de adotar atitudes competitivo, organizadas em confederações internacionais que
de: regulamentam a atuação profissional.
(A) auto-respeito, dignidade e auto-suficiência em situações (D) os jogos, em que são adotadas regras de caráter internacional,
competitivas, buscando a vitória de forma não-violenta. organizados em clubes que regulamentam a atuação amadora
(B) passividade, dignidade e solidariedade em situações lúdicas e e profissional.
esportivas, buscando solucionar os conflitos de forma não- (E) os jogos, em que são adotadas regras de caráter oficial e
-violenta. competitivo, organizados em confederações regionais e
(C) respeito mútuo, dignidade e solidariedade em situações lúdicas nacionais que regulamentam a atuação profissional.
e esportivas, buscando solucionar os conflitos de forma não-
-violenta 38
(D) autocontrole, submissão e solidariedade em situações Os Parâmetros Curriculares Nacionais consideram que a avaliação
competitivas, buscando a vitória de forma não-violenta. deve ser útil, tanto para o aluno como para o professor, para que
ambos possam:
(E) passionalidade, dignidade e solidariedade em situações lúdicas
(A) dimensionar o grau de desenvolvimento da aptidão física no
e esportivas, buscando solucionar os conflitos de forma não-
processo de ensino e aprendizagem e torná-lo cada vez mais
-violenta.
eficiente.
33 (B) quantificar o grau de desenvolvimento biopsicossocial no
O alimento é nossa fonte indireta de energia. No corpo, passa por processo de ensino e aprendizagem e torná-lo cada vez mais
uma série profunda de reações químicas denominadas eficiente.
coletivamente como: (C) quantificar o grau de desenvolvimento da aptidão física no
(A) ciclo energético biológico processo de ensino e aprendizagem e torná-lo cada vez mais
(B) ciclo de Krebs eficiente.
(C) vias metabólicas (D) dimensionar os avanços e as dificuldades dentro do processo
(D) sistema aeróbio e anaeróbio de ensino e aprendizagem e torná-lo cada vez mais produtivo.
(E) sistema ATP-PC (do fosfagênio) (E) medir o grau de desenvolvimento biopsicossocial no processo
de ensino e aprendizagem e torná-lo cada vez mais
34 estimulador.
Os jogos podem ter uma flexibilidade maior nas regulamentações, 39
que são adaptadas em função das condições de espaço e material O professor de Educação Física deve orientar sua prática docente
disponíveis, do número de participantes, entre outros. São objetivando tornar o aluno capaz de solucionar problemas de
exercidos com um caráter: ordem corporal em diferentes contextos, regulando e dosando o
(A) esportivo e performático em situações de competição, ou espaço em um nível compatível com as suas possibilidades,
ainda, no cotidiano, como simples passatempo e diversão. considerando que o:
(B) esportivo e de rendimento em situações de competição, ou (A) aperfeiçoamento e o desenvolvimento das competências
ainda, no cotidiano, como simples passatempo e diversão. corporais decorrem de perseverança e regularidade, e devem
(C) competitivo, cooperativo ou recreativo em situações festivas, ocorrer de modo saudável e equilibrado.
comemorativas, de confraternização, ou ainda, no cotidiano, (B) desenvolvimento das fontes energéticas aeróbia e anaeróbia
como simples passatempo e diversão. decorre de um bom trabalho fundamentado na fisiologia do
(D) esportivo e de alto nível em situações de competição, ou ainda, exercício, e deve ocorrer de modo saudável.
no cotidiano, como simples passatempo e diversão. (C) aperfeiçoamento fisiológico decorre de um bom e saudável
(E) competitivo, esportivo, cooperativo ou recreativo em situações programa de condicionamento físico.
de alto nível, festivas ou comemorativas. (D) aperfeiçoamento e o desenvolvimento das fontes energéticas
35 decorrem de um bom trabalho fundamentado na fisiologia do
exercício, e devem ocorrer de modo saudável.
Os padrões de beleza e estética divulgados pela mídia induzem à
(E) desenvolvimento e o aperfeiçoamento fisiológico decorrem de
idolatria do corpo. Em sua prática docente, o professor de
um bom e saudável programa de condicionamento físico.
Educação Física deve, prioritariamente:
(A) promover a análise crítica sobre o conceito de beleza, estética, 40
saúde e auto-estima. É pela liberação de energia (bioenergética) que um músculo torna-
(B) estimular a preparação física objetivando o corpo perfeito, se capaz de contrair-se. A maneira pela qual ocorre a depleção das
mens sana in corpore sano. reservas de energia depende essencialmente:
(C) estimular a preparação física objetivando o culto ao corpo (A) da situação nutricional da pessoa e do tipo físico.
saudável, belo e estético. (B) do biótipo e do somatótipo da pessoa.
(D) estimular a preparação física objetivando o culto ao corpo (C) do biótipo da pessoa e do tipo de atividade física que está
saudável, belo e estético, mens sana in corpore sano. sendo realizada.
(E) promover o debate sobre o conceito de beleza, estética, saúde (D) das medidas antropométricas da pessoa e dos tipos de fontes
e auto-estima, objetivando o culto ao corpo saudável, belo e energéticas (aeróbia e anaeróbia) solicitadas.
estético. (E) da aptidão da pessoa e do tipo de atividade física que está
sendo realizada.

6
Professor de Ed. Fisica (5a-8a serie)

Portugues Geral (5 a 8)
1-B 2-C 3-E 4-E 5-D 6-A
7-D 8-E 9-A 10-B

Conh. Pedagogicos (5 a 8)
11-C 12-D 13-B 14-D 15-B 16-D
17-A 18-C 19-E 20-A

Educacao Fisica (5 a 8)
21-D 22-B 23-E 24-D 25-E 26-C
27-B 28-B 29-E 30-D 31-E 32-C
33-C 34-C 35-A 36-B 37-A 38-D
39-A 40-E