Vous êtes sur la page 1sur 13

Reforma Ortografica

Acentuação 1
Acentuação dos ditongos das palavras paroxítonas
Some o acento dos ditongos (quando há duas vogais na mesma sílaba) abertos éi e ói das palavras
paroxítonas (as que têm a penúltima sílaba mais forte):

idéia ideia

bóia boia

asteróide asteroide

Coréia Coreia

platéia plateia

assembléia assembleia

heróico heroico

estréia estreia

paranóia paranoia

Européia Europeia

apóio apoio

jibóia jiboia

jóia joia
ATENÇÃO! As palavras oxítonas como herói, papéis, troféu mantêm o acento.

Acentuação 2
Acento circunflexo em letras dobradas
Desaparece o acento circunflexo das palavras terminadas em êem e ôo (ou ôos):

crêem creem

lêem leem

dêem deem

vêem veem

prevêem preveem

enjôo enjoo
vôos voos

Acentuação 3
Acento agudo de algumas palavras paroxítonas
Some o acento no i e no u fortes depois de ditongos (junção de duas vogais), em palavras paroxítonas:

baiúca baiuca

bocaiúva bocaiuva

feiúra feiura
ATENÇÃO! Se o i e o u estiverem na última sílaba, o acento continua como em: tuiuiú ou Piauí

Acentuação 4
Acento diferencial
Some o acento diferencial (aquele utilizado para distinguir timbres vocálicos):

pêlo pelo

pára para

pólo polo

pêra pera

côa coa
ATENÇÃO! Não some o acento diferencial em pôr (verbo) / por (preposição) e pôde (pretérito) / pode
(presente). Fôrma, para diferenciar de forma, pode receber acento circunflexo.

Acentuação 5
Acento agudo no u forte
Desaparece o acento agudo no u forte nos grupos gue, gui, que, qui, de verbos como averiguar,
apaziguar, arguir, redarguir, enxaguar:

averigúe averigue

apazigúe apazigue

ele argúi ele argui

enxagúe você enxague você


ATENÇÃO! As demais regras de acentuação permanecem as mesmas.
Alfabeto
Inclusão de três letras
Passa a ter 26 letras, ao incorporar as letras “k“, “w” e “y“.

Grafia (Portugal)
Alterações limitadas a Portugal
Desaparecem o c e o p de palavras em que essas letras não são pronunciadas:

acção ação

acto ato

adopção adoção

óptimo ótimo

Hífen
Eliminação do hífen em alguns casos
O hífen não será mais utilizado nos seguintes casos:
1. Quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa com uma vogal diferente:

extra-escolar extraescolar

aero-espacial aeroespacial

auto-estrada autoestrada
2. Quando o segundo elemento começa com s ou r, devendo estas consoantes serem duplicadas:

anti-religioso antirreligioso

anti-semita antissemita

contra-regra contrarregra

infra-som infrassom
ATENÇÃO! O hífen será mantido quando o prefixo terminar em r-
Exemplos: hiper-requintado, inter-resistente, super-revista.
Trema
Extinção do trema
Desaparece em todas as palavras:

freqüente frequente

lingüiça linguiça

seqüestro sequestro
ATENÇÃO! O trema permanece em nomes como Müller ou Citröen.

http://www.educador.brasilescola.com/trabalho-docente/principais-alteracoes-reforma-ortografica.htm

Principais alterações da reforma ortográfica


O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou no último dia 25, em Lisboa, que o acordo
ortográfico da língua portuguesa deverá estar implantado no Brasil até 2011. No início da 7.ª
Conferência de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa,
Fernando Haddad apontou o acordo como uma peça-chave da cooperação com os países africanos.
"Estamos tendo conversas informais com grupos editoriais brasileiros, sobretudo os que trabalham
com livros didáticos, prevendo um prazo de dois ou três anos (para a implementação do acordo)",
disse o ministro.
Segundo ele, a idéia é levar a consulta pública dentro de 30 dias a minuta do decreto presidencial
sobre o acordo. "Pretendemos publicar esse decreto presidencial talvez ainda em setembro ou
outubro", afirmou.
O acordo consagra mudanças relativamente pequenas. Segundo os lingüistas que prepararam o acordo
- Antônio Houaiss, pelo Brasil, e João Malaca Casteleiro, de Portugal -, 0,43% das palavras no Brasil
e 1,42% em Portugal passarão por mudanças.
O idioma português é o quinto mais falado do mundo, alcançando 200 milhões de pessoas. A
comunidade lusófona é constituída por Brasil, Portugal, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-
Bissau, São Tomé e Príncipe (os cinco últimos na África) e por Macau, Timor Leste e Goa no Oriente,
onde também esteve presente a colonização portuguesa.
A existência de duas ortografias oficiais da língua portuguesa, a lusitana e a brasileira, tem sido
considerada como amplamente prejudicial à integração intercontinental do português e para sua
importância no mundo. Tal situação remonta a 1911, ano em que foi adotada, em Portugal, a primeira
grande reforma ortográfica, mas que não foi extensiva ao Brasil.
Conheça as principais alterações a implementar pela reforma ortográfica:

Ref: Marília Mendes


Por Amélia Hamze
Colunista Brasil Escola
http://pessoas.hsw.uol.com.br/reforma-ortografica.htm

Introdução à Reforma ortográfica


Desde o dia 1ª de janeiro de 2009 entraram em vigor no Brasil as novas regras ortográficas da língua
portuguesa. Resultado de acordo envolvendo os oito países que falam português (Portugal, Brasil,
Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde e Timor Leste) , a
reforma visa a simplificação da grafia e a unificação das regras do idioma. A reforma ortográfica, que
atinge apenas 2% da escrita, deixa praticamente intactas as regras de acentuação gráfica, mas suprime
o trema, simplifica as regras do hífen e elimina as consoantes mudas, como a letra "c" da palavra
exacto.
A reforma começou em 1990, mas sua implantação é lenta. É preciso que os países ratifiquem as
mudanças como fez o Congresso Nacional brasileiro. Em 2007, o Ministério da Educação do Brasil
começou a preparar as mudanças nos livros didáticos e pretende que elas estejam totalmente
implantadas em 2009. As maiores resistências à reforma vieram de Portugal, justamente o país que
deve ter mudanças mais significativas. Os portugueses só ratificaram o acordo em maio de 2008.
As primeiras tentativas de unificação ortográfica dos países lusófonos aconteceram no início do século
20. No Brasil, já houve duas reformas ortográficas: em 1943 e em 1971. Ou seja, um brasileiro com
mais de 65 anos vai passar por três reformas. Em Portugal, a última reforma aconteceu em 1945. E
muitas diferenças entre Brasil e Portugal continuaram.
Há muita gente que rechaça a unificação, dizendo que há coisas mais importantes a fazer. Quem
defende argumenta que o português é, das línguas mais faladas no mundo, a única que ainda não está
unificada.
No Brasil, a reforma ortográfica foi oficializada no dia 29 de setembro de 2008, pelo presidente Luís
Inácio Lula da Silva. De acordo com a resolução, as duas grafias (a antiga e a nova) continuarão
valendo até dezembro de 2012. Ou seja, até lá ambas valem no vestibular, nas provas de escolas, nos
concursos públicos.
Veja nas páginas seguintes a reforma em detalhes. A maioria terá impacto no Brasil.

Reforma ortográfica - Alfabeto


Até 31 de dezembro de 2008, elas não faziam parte do alfabeto oficial do português. Pinçadas de
alfabetos estrangeiros, as letras K, W e Y eram ensinadas nas escolas extra-oficialmente para justificar
nomes como Kafka, William, Yvette. Afinal, como explicar a um aluno cujo nome leva essas letras
que elas não existem no nosso alfabeto. Com a reforma ortográfica, porém, essas três letras passam a
valer, e o alfabeto passa a ter 26 letras.

Guia rápido das novas regras ortográficas - Alfabeto


Alfabeto com 26 letras

Foram reincorporadas ao alfabeto as letras k, w e y, que já faziam parte


dos dicionários de português e que são usadas em símbolos de unidades
e medidas - quilômetro (km), quilo (kg), watt (w), kHz (quilo-hertz) - e em
nomes estrangeiros e seus derivados - show, playboy, playground,
windsurf, kitesurf, kung fu, Wilson, kafka, kafkaniano

Como era Como fica

ABCDEFGHIJLM ABCDEFGHIJKLMN
NOPQRSTUVXZ OPQRSTUVWXYZ
Veja na próxima página o que muda na acentuação das palavras.

Reforma ortográfica - Acentuação


As regras de acentuação mudaram bastante com a reforma ortográfica. Ainda vai ser preciso consultar
as novas regras até acertar os acentos novamente. A boa notícia é que você tem até 2012 para
memorizar a nova forma de grafar as palavras. Veja em detalhes o que muda na tabela abaixo:
Guia rápido - Acentuação
As regras de acentuação foram as que mais sofreram alterações com a reforma ortográfica. Veja a seguir:

1) Trema ("): os dois pinguinhos colocados sobre a letra u para indicar a variação de pronúncia dos
grupos gue, gui, que e qui foram abolidos. Mas a pronúncia das palavras que levavam trema continua
a mesma. O trema permanece apenas em nomes, palavras estrangeiras e suas derivadas (Müller,
mülleriano)
Como era Como fica
Agüentar Aguentar
Argüir Arguir
Blíngüe Bilíngue
Cinqüenta Cinquenta
Delinqüente Delinquente
Eloqüente Eloquente
Ensangüentado Ensanguentado
Eqüestre Equestre
Freqüente Frequente
Lingüiça Linguiça
Qüinqüênio Quinquênio
Sagüi Sagui
Seqüência Sequência
Seqüestro Sequestro
Tranqüilo Tranquilo

2) Paroxítonas com os ditongos abertos éi e ói perdem o acento.


Como era Como fica
Alcalóide Alcaloide
Alcatéia Alcateia
Andróide Androide
Apóia (verbo apoiar) Apoia
Apóio (verbo apoiar) Apoio
Asteróide Asteroide
Bóia Boia
Celulóide Celuloide
Clarabóia Claraboia
Colméia Colmeia
Coréia Corea
Debilóide Debiloide
Epopéia Epopeia
Estóico Estoico
Estréia Estreia
Estréio (verbo estrear) Estreio
Geléia Geleia
Heróico Heroico
Idéia Ideia
Jibóia Jiboia
Molóide Moloide
Odisséia Odisseia
Paranóia Paranoia
Paranóico Paranoico
Platéia Plateia
Tramóia Tramoia

3) Oxítonas terminadas em ditongo aberto éu, éus, éi, éis, ói, óis continuam acentuadas.

Como era Como fica


Chapéu, chapéus
Chapéu, chapéus
Herói,heróis Herói, heróis
Troféu, troféus Troféu, troféus
Papéis Papéis
Bordéis bordéis

4) Paroxítonas com i e u tônico depois de ditongo não levam mais acento


Como era Como fica
Baiúca Baiuca
Bocaiúva Bocaiuva
Cauíla Cauila
Feiúra Feiura

5) Oxítonas terminadas em i ou u seguidos ou não de s, continuam acentuadas


Como era Como fica
Tuiuiú, tuiuiús Tuiuiú, tuiuiús
Piauí Piauí
6) Hiatos: palavras terminadas em êem e ôo(s) perdem o acento circunflexo
Como era Como fica
Abençôo Abençoo
Crêem (verbo crer) Creem
Dêem (verbo dar) Deem
Dôo (verbo doar) Doo
Enjôo Enjoo
Lêem (verbo ler) Leem
Magôo (verbo magoar) Magoo
Perdôo (verbo perdoar) Perdoo
Povôo (verbo povoar) Povoo
Vêem (verbo ver) Veem
Vôo Voo
Zôo Zoo

7) Acentos diferenciais: palavras homógrafas perdem o acento


Como era Como fica
Pára (verbo parar) / para (preposição) Para
Pêlo (substantivo)/ pelo (preposição) / Pélo (verbo pelar) Pelo
Pólo (localização geográfica) / pólo (esporte) /
polo (substantivo) / polo (preposição) Polo
Pêra (fruta) / péra (substantivo) / pera (preposição) Pera

8) Acentos diferenciais que distinguem tempo verbal e singular e plural de verbos permanecem

Como era Como fica

Pode/ pôde (verbo poder) Pode / Pôde


Tem / têm (verbo ter) Tem / Têm
Vem / vêm (verbo vir) Vem / Vêm
Convém / convêm (verbo convir) Convém / Convêm
Detém / detêm (verbo deter) Detém / Detêm
Intervém / intervêm (verbo intervir) Intervém / Intervêm
Mantém / mantêm (verbo manter) Mantém / Mantêm

9) Permanece o acento diferencial da preposição por e do verbo pôr

10) É facultativo o uso de acento circunflexo diferencial nas palavras forma/fôrma.


11) Cai o acento agudo no u tônico dos verbos arguir e redarguir na segunda e terceira pessoa do
singular e na terceira do plural do presente do indicativo

Como era Como fica


Argúis / Redargúis (tu) Arguis / Redarguis
Argúi / Redargúi (ele) Argui / Redargui
Argúem / Redargúem (eles) Arguem / Redarguem

12) Verbos terminados em guar, quar e quir, que admitem duas pronúncias em algumas formas do presente
do indicativo, presente do subjuntivo e do imperativo, levam acento se forem pronunciados com a e i
tônicos:
Enxaguar: enxáguo, enxáguas, enxágua, enxáguam; enxágue, enxágues, enxáguem.
Delinquir: delínquo, delínques, delínque, delínquem; delínqua, delínquas, delínquam.

13) Verbos terminados em guar, quar e quir, que admitem duas pronúncias em algumas formas do presente
do indicativo, presente do subjuntivo e do imperativo, deixam de ser acentuados se forem pronunciados
com u tônico:
Enxaguar: enxaguo, enxaguas, enxagua, enxaguam; enxague, enxagues, enxaguem.
Delinquir: delinquo, delinques, delinque, delinquem; delinqua, delinquas, delinquam.

Reforma ortográfica - Uso do hífen


Junto ou separado? Com hífen ou sem hífen? Com letra dobrada ou não? Essas dúvidas ainda devem
persistir em nossas cabeças por um bom tempo quando o assunto é o uso do hífen - aquele tracinho
que separa palavras compostas. Vamos às mudanças em detalhes.
Guia rápido - Hífen
De todas as alterações feitas pela reforma ortográfica, o uso do hífen
é o mais polêmico. Algumas palavras formadas por prefixos ou por
elementos que funcionavam como prefixo que não tinham hífen
passaram a ter, outras que tinham, perderam. Outras, ainda,
perderam o hífen e dobraram letras. As dúvidas ainda existem até
mesmo entre professores de português. Há diferenças, inclusive, nas
novas edições de dicionários como Aurélio e Houaiss. Vamos ver as
mudanças:
1) Usa-se o hífen diante de palavras iniciadas em h com os
prefixos anti, macro, mini, proto, sobre, super, ultra:
Anti-higiênico, macro-história, mini-hospital, sobre-humano, super-
homem, ultra-humano, proto-histórico

2) Quando o prefixo termina em vogal diferente da que inicia a


segunda palavra, o hífen não é usado: aeroespacial, agroindustrial,
anteontem, antiaéreo, antieducativo, autoaprendizagem, autoescola,
autoestrada, autoinstrução, coedição, extraescolar, infraestrutura,
plurianual, semiaberto, semianalfabeto, semiesférico, semiopaco

3) Não levam hífen palavras cujo prefixo termina em vogal e a


primeira letra do segundo elemento começa com consoante
diferente de r e s: anteprojeto, antipedagógico, autopeça,
autoproteção, geopolítica, microcomputador, pseudoprofessor,
semicírculo, semideus, seminovo, ultramoderno, semiautomático,
semiembriagado, semiárido, semiobscuro, intraocular, intrauterino,
extraoficial
4) Não levam hífen e duplicam as letras palavras cujo prefixo
termina em vogal e o segundo elemento começa em r e s:
Como era Como fica
Ante-sala Antessala
Anti-rábico Antirrábico
Anti-social Antissocial
Anti-ruga Antirruga
Bio-ritmo Biorritmo
Contra-regra Contrarregra
Contra-senso Contrassenso
Infra-som Infrassom
Multi-secular Multissecular
Neo-realismo Neorrealismo
Póstero-superior Posterossuperior
Semi-reta Semirreta
Ultra-resistente Ultrarresistente
Ultra-som Ultrassom

5) Têm hífen as palavras cujo prefixo termina com a mesma vogal que começa o segundo elemento.
Como era Como fica
Antiibérico Anti-ibérico
Antiinflamatório Anti-inflamtório
Antiinflacionário Anti-inflacionário
Microônibus Micro-ônibus
Microondas Micro-ondas

6) Levam hífen palavras cujo prefixo termina com a mesma consoante que começa o segundo
elemento: hiper-requintado, inter-racial, inter-regional, sub-bibliotecário, super-reacionário, super-resistente,
super-romântico

7) Levam hífen palavras cujo prefixo sub precede palavra iniciada com r: sub-região, sub-raça

8) Levam hífen palavras iniciadas por m, n e vogal precedidas pelos prefixos circum e pan: circum-
navegação, pan-americano

9) Todas as palavras precedidas pelo prefixo vice levam hífen: vice-rei, vice-presidente, vice-almirante
10) Palavras com os prefixos ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré, pró levam sempre hífen: além-mar,
recém-chegado, ex-aluno, ex-prefeito, pós-graduação, pré-moldagem, pré-história, pré-natal, pró-europeu,
recém-casado, sem-terra, sem-teto

11) Palavras cujo segundo elemento começa por vogal e o prefixo termina por consoante, não levam
hífen: hiperacidez, hiperatividade, interestadual, interurbano, interescolar, subumano (cai o h), superamigo,
superinteressante, superaquecimento, supereconômico, interestelar

12) Sufixos de origem tupi-guarani exigem o hífen: amoré-guaçu, mogi-mirim, capim-açu, jacaré-açu

13) Palavras que, pelo uso, perderam a noção de composição não levam hífen: madressilva, mandachuva,
paralama, paravento, parabrisa, paraquedas, paraquedista, pontapé

14) Palavras compostas que não contêm elemento de ligação e constituem unidade sintagmática e
semântica e palavras que designam espécies botânicas e zoológicas permanecem com hífen: anos-luz,
azul-escuro, médico-cirurgião, conta-gotas, guarda-chuva, segunda-feira, tenente-coronel, beija-flor, couve-
flor, erva-doce, mal-me-quer, bem-te-vi

15) Repete-se o hífen se, no final da linha, a partição de uma palavra ou a combinação de palavras coincidir
com o hífen:
Ao procurarem por ele, foram informados de que o ex-
-aluno tinho ido viajar.

16) Não levam hífen palavras com o prefixo re e o segundo elemento começando com a letra e
Como era Como fica
Re-edificação Reedificação
Re-edificar Reedificar
Re-editar Reeditar
Re-educação Reeducação
Re-educar Reeducar
Re-eleger Reeleger
Re-eleição Reeleição
Re-eleito Reeleito
Re-embolsar Reembolsar
Re-embolso Reembolso
Re-encarnação Reencarnação
Re-encarnar Reencarnar
Re-encontrar Reencontrar
Re-encontro Reencontro
Re-engenharia Reengenharia
Re-entrância Reentrância
Re-entrante Reentrante
Re-entrar Reentrar
Re-enviar Reenviar
Re-erguer Reerguer
Re-escalonar Reescalonar
Re-escrever Reescrever
Re-escrito Reescrito
Re-estruturação Reestruturação
Re-exame Reexame

17) Perdem o hífen as palavras cujo prefixo é póstero


Como era Como fica
Póstero-exterior Posteroexterior
Póstero-inferior Posteroinferior
Póstero-interior Posterointerior

18) Palavras com o prefixo co não levam hífen. Se o segundo elemento inicia por h, perde o h
Como era Como fica
Co-herdar Coerdar
Co-herdeiro Coerdeiro
Co-habitar Coabitar
Co-habitante Coabitante
Co-hospitalar Coospitalar
Co-produção Coprodução
Co-autor Coautor
Co-observar Coobservar

19) Perdem o hifen as seguintes palavras


Como era Como fica
Tão-só Tão só
Tão-somente Tão somente
Xique-xique (planta) Xiquexique

20) Ganham o hífen as seguintes palavras


Como era Como fica
Beribéri Beri-béri
Chá da índia Chá-da-índia
Cricri Cri-cri
Cricrilar Cri-crilar
Frufru Fru-fru
Gigahertz Giga-hertz
Gluglu Glu-glu
Hãhã Hã-hã
Megahertz Mega-hertz
Nhénhénhém Nhem-nhem-nhem
Quilohertz Quilo-hertz
Tantã (gongo) tam-tam
Tintim Tim-tim
Tique taque tique-taque
Ziziar Zi-ziar

Mais informações sobre a reforma ortográfica


Artigos relacionados
• Como funciona a grafologia
• Como funcionam os vestibulares
• Como funcionam os concursos públicos

Sites relacionados
• Convenção Ortográfica de 1990
• Ministério da Educação
Mais links interessantes (para ver a diferença do português)
• Jornais de Portugal
• Jornal de Angola
• Jornal de Moçambique
• Jornal de São Tomé e Príncipe
• Agência de Notícias de Guiné-Bissau
• Jornal de Cabo Verde
• Jornal do Timor Leste

Fontes

• TUFANO, Douglas. Guia Prático da Nova Ortografia - Saiba o que mudou na ortografia brasileira,
Melhoramentos, 2008, 1ª edição
• ABL, Associação Brasileira de Letras. Dicionário Escolar da Língua Portuguesa, Editora Nacional, 2009, 2ª
edição
• FABRE, Mardilê Friedrich. Acentuação Gráfica Conforme a Nova Ortografia, São Leopoldo, 2008
• LUFT, Celso. Novo Guia Ortográfico, Editora Globo
• HAMZE, Amélia. Principais Alterações da Reforma Ortográfica, in Brasil Escola, Canal do Educador, 2008