Vous êtes sur la page 1sur 5

AULA ESPECIAL DE DIREITO COM O e-mail: jnetorr@hotmail.

com
PROF. JOSÉ MARIA R. NETO Blog: http://professorjmneto.blogspot.com

PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA


1 – (MPSP/PROMOTOR DE JUSTIÇA/2002) Assinale a alternativa que contraria
norma constitucional referente aos princípios da Administração Pública.
(A) A administração fazendária e seus servidores fiscais terão, dentro de suas áreas de
competência e jurisdição, precedência sobre os demais setores administrativos, na forma da
lei.
(B) Os vencimentos dos cargos do Poder Legislativo e do Poder Judiciário não poderão ser
superiores aos pagos pelo Poder Executivo.
(C) A divulgação de programas e obras dos órgãos públicos é absolutamente vedada.
(D) O prazo de validade do concurso público será de até dois anos, prorrogável uma vez, por
igual período.
(E) Em regra, é proibida a acumulação remunerada de cargos públicos, mas admitem-se
exceções.

2 – (CONTROLADOR DE ARRECADAÇÃO/RIO DE JANEIRO/2002) A qualidade


do serviço público prestado à população, a que corresponde o direito do usuário de
exigi-la, é consectário do princípio constitucional da:
(A) eficiência
(B) moralidade
(C) motivação necessária
(D) continuidade dos serviços públicos

3 – (FISCAL DE RENDAS/ISS/RIO DE JANEIRO/2002) O art. 39, § 3º, da


Constituição da República autoriza a lei a estabelecer requisitos diferenciados de
admissão a cargo público, quando a natureza do cargo o exigir. A pertinência desses
requisitos, em relação a determinado cargo a ser provido, é aferida mediante a
aplicação do princípio da:
(A) razoabilidade
(B) publicidade
(C) igualdade
(D) eficiência

4 – (CONTROLADOR DE ARRECADAÇÃO/RIO DE JANEIRO/2002) Só é legítima a


atividade do administrador público se estiver condizente com preexistente norma geral,
impessoal e abstrata que a autorize. O enunciado traduz o princípio da:
(A) moralidade
(B) legalidade
(C) publicidade
(D) impessoalidade

5 – (ESAF/AFC/97) A exigência constitucional de provimento por concurso público dos


cargos efetivos tem seu fundamento doutrinário básico no princípio da
AULA ESPECIAL DE DIREITO COM O e-mail: jnetorr@hotmail.com
PROF. JOSÉ MARIA R. NETO Blog: http://professorjmneto.blogspot.com

(a) publicidade
(b) finalidade
(c) legalidade
(d) razoabilidade
(e) isonomia

6 - (ESAF/AGU/98) Um ato administrativo estará caracterizando desvio de poder, por


faltar-lhe o elemento relativo à finalidade de interesse público, quando quem o praticou
violou o princípio básico da:
(a) economicidade
(b) eficiência
(c) impessoalidade
(d) legalidade
(e) moralidade

7 – (ESAF/ASSISTENTE JURÍDICO/AGU/99) A influência do Direito Administrativo


francês no Direito Administrativo brasileiro é notável. Entre os institutos oriundos do
direito francês abaixo, assinale aquele que não foi introduzido no sistema brasileiro.
(a) Regime jurídico de natureza legal para os servidores dos entes de direito público.
(b) Teoria da responsabilidade objetiva do Poder Público.
(c) Natureza judicante da decisão do contencioso administrativo.
(d) Cláusulas exorbitantes nos contratos administrativos.
(e) Inserção da moralidade como princípio da Administração Pública.

8 - (ESAF/ASSISTENTE JURÍDICO/AGU/99) No âmbito do processo administrativo,


o princípio que autoriza a instituição do processo por iniciativa da Administração, sem
necessidade de provocação, denomina-se princípio:
(a) da gratuidade
(b) do contraditório
(c) da oficialidade
(d) da legalidade
(e) da observância à forma

9 - (ESAF/AFC/97) No âmbito do regime jurídico-administrativo é falso afirmar:


(a) é lícito à Administração constituir os privados em obrigações por meio de ato unilateral
(b) pela faculdade da autotutela, pode a Administração revogar os seus próprios atos válidos,
por manifestação unilateral
(c) o princípio da indisponibilidade do interesse público é excepcionalizado na esfera das
pessoas exclusivamente administrativas
(d) o princípio da obrigatoriedade do desempenho da atividade pública importa no princípio
da continuidade do serviço público
(e) a exigibilidade do ato administrativo decorre, também, da posição de supremacia da
Administração na relação com os particulares
AULA ESPECIAL DE DIREITO COM O e-mail: jnetorr@hotmail.com
PROF. JOSÉ MARIA R. NETO Blog: http://professorjmneto.blogspot.com

10 - (ESAF/AUDITOR/TCE-PR/2003) Tratando-se do regime jurídico-administrativo,


assinale a afirmativa falsa.
a) O regime jurídico-administrativo é entendido como um conjunto de regras e princípios
que informa a atuação do Poder Público no exercício de suas funções de realização do
interesse público.
b) Por decorrência do regime jurídico-administrativo, não se tolera que o Poder Público
celebre acordos judiciais, ainda que benéficos, sem a expressa autorização legislativa.
c) A aplicação do regime jurídico-administrativo autoriza que o Poder Público execute ações
de coerção sobre os administrados sem a necessidade de autorização judicial.
d) As relações entre entidades públicas estatais, de mesmo nível hierárquico, não se
vinculam ao regime jurídico-administrativo, em virtude de sua horizontalidade.
e) O regime jurídico-administrativo deve pautar a elaboração de atos normativos
administrativos, bem como a execução de atos administrativos e ainda a sua respectiva
interpretação.

11 – (FCC/ANALISTA JUDICIÁRIO/TRT-5/2003) É expressão do princípio da


legalidade, relativamente à atuação da Administração Pública, a
(A) obrigação de o Administrador praticar apenas os atos que a lei expressamente
determinar.
(B) vinculação do Administrador aos textos normativos infralegais, oriundos de autoridades
superiores.
(C) possibilidade de o Administrador praticar quaisquer atos que não sejam expressamente
vedados pela lei.
(D) necessidade de os atos administrativos com força de lei estarem em conformidade com
as disposições constitucionais.
(E) permissão para a prática de atos administrativos que sejam expressamente autorizados
pela lei, ainda que mediante simples atribuição de competência.

12 – (FCC/ANALISTA JUDICIÁRIO/TRT-5/2003) Como possível corolário do


princípio da impessoalidade, pode-se afirmar que
(A) é vedado à autoridade administrativa identificar-se pessoalmente na prática de qualquer
ato.
(B) a nomeação e o provimento em cargo em comissão não poderão levar em consideração
as características pessoais do nomeado.
(C) deverá a Administração Pública evitar tratar desigualmente os administrados, na medida
do possível, em razão de circunstâncias pessoais de cada um deles.
(D) a Administração Pública não poderá identificar-se como tal na divulgação de obras e
serviços públicos.
(E) fica vedada a publicidade dos atos praticados pela Administração Pública.

13 - (ESAF/CONTADOR RECIFE/2003) A rejeição à figura do nepotismo no serviço


público tem seu amparo original no princípio constitucional da:
a) moralidade
b) legalidade
AULA ESPECIAL DE DIREITO COM O e-mail: jnetorr@hotmail.com
PROF. JOSÉ MARIA R. NETO Blog: http://professorjmneto.blogspot.com

c) impessoalidade
d) razoabilidade
e) eficiência

14 (ESAF/ AFC/ 2002) – A Lei nº 9.784, de 29/01/1999, que regula o processo


administrativo no âmbito da Administração Pública Federal, impôs a observância de
alguns princípios já previstos expressamente na Constituição então vigente, tais como
os de
a) legalidade, moralidade, eficiência e ampla defesa.
b) legalidade, razoabilidade, publicidade e economicidade.
c) legitimidade, segurança jurídica, economicidade e publicidade.
d) eficiência, eficácia, impessoalidade e proporcionalidade.
e) impessoalidade, publicidade, motivação e eficácia.

15 - (JUIZ/TRT 17/2003) Não é princípio constitucional explícito aplicável à


administração pública e seus servidores, segundo a Constituição:
a) Eficiência.
b) Legalidade.
c) Subsidiariedade.
d) Moralidade.
e) Impessoalidade.

16 - (ESAF/AFRF/2003) O estudo do regime jurídico-administrativo tem em Celso


Bandeira de Mello o seu principal autor e formulador. Para o citado jurista, o regime
jurídico-administrativo é construído, fundamentalmente, sobre dois princípios básicos,
dos quais os demais decorrem. Para ele, estes princípios são:
a) indisponibilidade do interesse público pela Administração e supremacia do interesse
público sobre o particular.
b) Legalidade e supremacia do interesse público.
c) Igualdade dos administrados em face da Administração e controle jurisdicional dos atos
administrativos.
d) Obrigatoriedade do desempenho da atividade pública e finalidade pública dos atos da
Administração.
e) Legalidade e finalidade.

17- (ESAF/Analista MPU/2004) Um dos princípios informativos do Direito


Administrativo, que o distingue dos demais ramos, no disciplinamento das relações
jurídicas, sob sua incidência, é o da
a) comutatividade na solução dos interesses em questão.
b) subordinação do interesse público ao privado.
c) supremacia do interesse público sobre o privado.
d) predominância da liberdade decisória.
e) correlação absoluta entre direitos e obrigações.
AULA ESPECIAL DE DIREITO COM O e-mail: jnetorr@hotmail.com
PROF. JOSÉ MARIA R. NETO Blog: http://professorjmneto.blogspot.com

18 – (PROCURADORIA GERAL DO ESTADO/MS/2001) - A Administração Pública


ao realizar suas atividades deve obediência, exclusivamente, ao princípio da legalidade
estrita.

19 – (CESPE/UnB/AFPS) Julgue os seguintes itens, relativos aos princípios


constitucionais da administração pública:
I - Contraria o princípio constitucional de publicidade da administração pública o fato de um
fiscal de contribuições previdenciárias autuar empresa exclusivamente porque o proprietário
é seu desafeto.
II - Uma vez que a licitação permite a disputa de várias pessoas que satisfaçam a critérios da
lei e do edital, é correto afirmar que, com isso, estão sendo observados os princípios
constitucionais da isonomia, da legalidade e da impessoalidade da administração pública.

Boa Sorte!!

Prof. José Maria Rodrigues Neto.


Visite o blog do Prof. Neto e fique por dentro
das novidades dos concursos locais.

WWW.professorjmneto.blogspot.com